Ford Pickups Projeções

Projeção: Como ficaria a Ford Maverick baseada no Bronco Sport

Projeção: Como ficaria a Ford Maverick baseada no Bronco Sport

A Ford Maverick está se preparando para chegar ao mercado americano e mundial. A próxima picape do fabricante de Dearborn terá um papel importante ao estabelecer na marca um segmento abaixo da Ranger e concorrendo assim direto com a Fiat Toro.


Até agora, o que se sabe da Ford Maverick – além de seu nome e tampa traseira, reveladas há bastante tempo – é que será baseada na plataforma do Focus de quarta geração, que gerou não só o Escape atual, mas também o Bronco Sport. Ainda muito camuflada, a aposta do mercado é que ela chegará incorporando o estilo deste último.

Se de fato se confirmar, a Ford estaria então ampliando a linha de influência do Bronco não só para SUVs, mas também para picapes, embora a próxima Ranger já tenha sido vista em proposta de estilo, o que ainda não impede alguma mudança radical.

Nesta projeção do canal OverboostBR, podemos ver como poderia ser a Ford Maverick com base no estilo do Bronco Sport. Com um tamanho perto ou equivalente a 5 metros, a picape terá carroceria monobloco e suspensão traseira independente, como na rival Fiat Toro.

Projeção: Como ficaria a Ford Maverick baseada no Bronco Sport

Além da obrigatória cabine dupla, esta picape teria ainda colunas C destacadas, mas com santântonio pronunciado, o que não aparece nas imagens, mas que deve realmente fazer parte do pacote em algumas versões, como no caso da Toro.

O nome Maverick bem estampado na tampa da caçamba é parte do projeto original, enquanto na frente, a sugestão é válida, caso a influência venha mesmo do Bronco.

Aliás, espera-se o mesmo do próximo EcoSport, caso ele tenha (ou seja) aquela proposta de estilo divulgada inicialmente pela Ford. Isso faria sentido se a Ford decidir converte-lo em um rival para o Jeep Renegade.

Virá? Com certeza. A Ford não perderia a oportunidade de ter aqui uma picape rival da Toro e feito em no México, de onde também chegará o Bronco Sport. Motores?

A Ford tem uma variedade enorme de possibilidades, uma delas é o diesel EcoBlue 2.0 de 170 cavalos, além do EcoBoost 1.5. Câmbio automático de oito marchas e tração 4×4, encaixariam-na como a perfil concorrente da Toro.

Esta última, porém, deve sair ganhando com isso, visto que a FCA (Stellantis) pode se sentir obrigada a coloca-la no mercado americano. Vamos ver..

[Projeção: OverboostBR]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Luiz Ricardo

    Acho que o Ford Maverick vai ter uma frente diferente do irmão Bronco, mas gostei da projeção e da idéia!

  • cerberos

    O problema é o preço, com o preço anunciado do bronco sport como vão fazer para que a caminhonete derivada deste tenha preço da toro? ou ate mesmo preço menor do das ranger de entrada?

    • passis

      Por não ser da família Bronco, a ideia inicial era de não ter um preço “premium”, sendo mais simples. Comentavamm-se preços iniciais de US$20k.

      • Edson Fernandes

        O problema é aqui no Brasil. Como fará para custar menos vindo dos EUA.

        • passis

          Simples: vem do México e já não paga imposto. O Fusion, quando queria, conseguia ser competitivo.

          • Edson Fernandes

            Vamos ver se até lá a planta do México já conseguirá atender a demanda externa.

  • passis

    Acho engraçado que se costuma associar Bronco Sport e Maverick ao Focus, talvez seja porque a arquitetura estreou neste último. Porém esses modelos estão mais próximos de Escape, Corsair e inclusive da nova família Transit do que do hatch médio. Por outro lado, nunca vejo falarem dos parentescos da Toro e do Compass…

    • El Gato!

      Tentam associar ao Focus pelo fato do Focus ser (ter sido) um ótimo carro. Plataforma excelente, bons motores, acabamento superior a todos os principais concorrentes, suspensão primorosa… o único problema era ter o câmbio mais problemático e não confiável de todos os tempos. Mas enfim… o Focus possui boa reputação nos mercados onde era comercializado com outras transmissões que não a PowerShift. E é esse link que eles estão tentando fazer, ao meu ver.

      • Denis

        Concordo contigo, O que decretou o fim do Focus, assim como o Fiesta no Brasil foi a transmissão Powershift que deu o que falar entre as queixas dos proprietários….. Tirando esse pivô problema, tanto Fiesta quanto Focus estavam mandando bem no mercado. De qualquer forma, a Ford adotando essa nova politica de fazer SUVs e picapes em vez de carros, haveria uma brecha da qual Fiesta ou Focus garantisse uma sobrevida diante a enorme safra da industria automobilística…… Assim, o nova geração do Fiesta seria um crossover, uma espécie de Nivus da Ford. Colocando o motor 1.5 de três cilindros e opção de transmissão automática de seis velocidades seria uma forma de aproveitamento, assumindo o lugar do Ka Freestyle 1.5, deixando apenas o propulsor 1.0 para o compacto. No caso do Focus, o mesmo argumento, porém colocaria o Kuga como suposto SUV no lugar do hatch médio. O motor do Kuga seria o 1.5 de três cilindros, contendo do turbo e transmissão automática de seis velocidades…… Com o Kuga, a Ford não precisaria do Territory, mas o Bronco Sport sim. E claro, o Ecosport garantiria o posto de SUV intermediário, entre Fiesta e Kuga, com motor 1.5 de três cilindros e transmissão somente automática….. Assim ficaria a nova politica de modelos da Ford do Brasil na minha opinião.

        – Ka Freestyle
        – novo Fiesta (crossover)
        – novo Ecosport
        – novo Kuga
        – Bronco Sport
        – Everest (SUV da Ranger)
        – novo Edge
        – nova Ranger
        – (nova picape meio média)
        – (nova picape compacta)

        • passis

          Fiesta crossover, o que você chamou de Nivus da Ford, é quase o Puma

  • Hypotenuso

    Queria uma nova courier, mas não na base do Ka-peta

    • Denis

      Concordo, pois o Ka nem terá mais nova geração. Acredito que a nova picape da Ford terá um nome propriamente escolhido, descartando a extinta Courier….. Minha duvida é a seguinte: Como será a base da nova picape, sabendo que a Ford trará no país o Territory, seguido por Bronco Sport, nova geração do Ecosport, além do Everest, o SUV derivado da Ranger que chegará por volta de 2023 ou 2024, sendo fabricada na Argentina juntamente com a picape média.

      • Hypotenuso

        o ka vai sair de linha ? Nossa, a ford vai ficar vazia no Br !

        • Denis

          Já está meu amigo (kkkkk). Infelizmente a nova politica da Ford é viabilizada com SUVs e picapes, seguindo o mesmo caminho que a Mitsubishi e General Motors dos EUA….. Vi no Autos Segredos que a Ford do Brasil não tem interesse de fazer a nova geração do Ka, mesmo que o compacto está entre os 10 mais vendidos do país. No máximo o Ka terá outra maquiagem visual programada para 2021, para linha 2022….. Acredito que o compacto envelheça com o tempo, tendo vendas amenas, prorrogando para 2024 ou 2025 no mercado. Com essa brecha, até lá a linha Ford já terá um line-up de modelos SUVs e picapes, com Ecosport nova geração, Territory, Bronco Sport, Everest, Edge, Nova Ranger e a futura picape a lá Fiat Toro.

  • Edson Fernandes

    Eu só quero ver como a Ford vai conseguir tornar atrativo o Bronco diante da Ranger. Algo me diz que há um problema no Brasil nesse aspecto. Não faz sentido vir ocm um produto só porque tem familia. Quer dizer, penso eu que apesar de ser prometido como uma picape para a Toro, o que me chama atenção é o preço que esse carro menor que a Ranger chegará ao mercado.

    • passis

      A que preço ele carro chegará ao mercado?

      • Edson Fernandes

        Eu to bem curioso por isso.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email