Projeção: Honda CR-V 2023 será elétrico e estranho visualmente

Projeção: Honda CR-V 2023 será elétrico e estranho visualmente

O Honda CR-V é um SUV médio muito importante para a marca japonesa, sendo ainda seu principal representante no mercado global. O modelo segue hoje a linha de design tradicional da marca, assim como também em motorização.


Contudo, segundo a revista nipônica Mag-X, as coisas mudarão muito no CR-V em 2023. A publicação fala de uma nova geração do utilitário esportivo que será a primeira 100% elétrico de tradicional produto da Honda.

No caso acima, da projeção feita pela revista, o modelo seria apenas orientado para o mercado americano, mas ele terá atuação também no Japão.

Fruto da parceria com a General Motors, o próximo CR-V utilizará uma plataforma comum com a montadora americana e terá baterias Ultium. Ainda não se sabe exatamente onde os carros da Honda serão feitos, mas rumores falaram em pelo menos duas plantas.

Uma delas será nos EUA e outra no México, onde recentemente a GM confirmou investimento de mais de US$ 1 bilhão em Ramos Arizpe. Isso significaria uma condição melhor para que a Honda possa trazer do país latino o CR-V elétrico, tal como a Chevrolet deve fazer com seu produto.

Outro ponto interessante com a proposta de SUV médio da Honda é seu equivalente da Chevrolet e/ou Buick. Mas, de volta ao modelo da marca asiática, o design proposto deverá ser impactante, segundo os japoneses.

Projeção: Honda CR-V 2023 será elétrico e estranho visualmente

Na projeção, o Honda CR-V 2023 – com vendas em 2024 – terá um capô curto e inclinado, mas com faróis full LED triplos, integrados numa grade totalmente preta. Com colunas A avançadas como no Fit, o SUV manterá sua identidade na traseira.

As colunas D seriam largas e curvadas, incorporando as tradicionais lanternas verticais, que contornariam os pilares do teto na traseira, preservando o “DNA” de estilo do CR-V.

Já na parte elétrica, ainda não se sabe qual pacote será disponibilizado para a Honda, mas a tecnologia Ultium terá sistemas elétricos de 400V ou 800V, assim como baterias de 50 kWh a 200 kWh.

É provável que a japonesa use células em torno de 80 kWh para garantir pelo menos mais de 400 km no ciclo EPA e ainda ter um preço competitivo. O alvo seria os modelos Tesla Model Y e Volkswagen ID.4.

[Projeção: Mag-X]

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.