Esportivos Europa Híbridos Hatches Volkswagen

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

A próxima geração do Golf vai aparecer no mês que vem e terá adiante sua própria interpretação do esportivo híbrido plug-in GTE, que deve chegar ao mercado nacional também em outubro, mas em lote de 100 exemplares e ainda na sétima geração.


Apesar disso, o caminho para a sedimentação da eletrificação terá começado no Brasil. Lá fora, no entanto, a abordagem da Volkswagen com a proposta híbrida esportiva chegará na forma de duas opções de potência para o GTE.

Frank Welsh, membro do conselho de administração da Volkswagen para pesquisa e desenvolvimento de produto, disse à revista inglesa Autocar:  

“O GTI de hoje tem 245 cavalos, portanto o GTE também deve ter 245 cavalos, portanto o GTE é realmente um GTE. Mas há algumas pessoas que só querem ficar com um híbrido de plug-in semelhante ao de hoje, e é por isso que também oferecemos o 204 cavalos. Ele vem sem o acabamento GTE e apenas aparece como um Golf normal.”


Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Ou seja, a versão mais fraca deve portar uma identidade abaixo do GTE, como um R-Line, por exemplo, mantendo o powertrain híbrido plug-in atual, que consiste no motor EA211 1.4 TSI de 150 cavalos e 25,5 kgfm com o motor elétrico dentro do câmbio, entregando 102 cavalos e 35,7 kgfm.

O GTE atual pode rodar 50 km no modo elétrico e tem consumo médio equivalente a 66,2 km/l. Com a versão mais potente, provavelmente essa energia extra sairá de um motor elétrico mais potente, que fará um acréscimo de 40 cavalos ou então seria empregado o EA888 2.0 TSI com 190 cavalos e 32,6 kgfm de ciclo Miller com um elétrico de 115 cavalos no lugar daquele de 102 cavalos.

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência

Espera-se também pelo aumento de força do Golf GTI para a base de 245 cavalos, ficando versões mais poderosas com algo em torno de 300 cavalos. Na outra ponta, comenta-se que o Golf VIII terá dois sistemas micro-híbridos de 12V e 48V, sendo o primeiro usado em motores 1.0 TSI e 1.5 TSI, além do diesel 1.5 TDI.

Fala-se até no uso do motor 1.0 MPI (isso mesmo, sem turbo), onde a tecnologia MHEV compensaria a ausência do compressor com um motor de arranque/alternador mais potente. Infelizmente, talvez, o Golf GTD não encontre um lugar ao sol, mas um 2.0 TDI de 245 cavalos é completamente alcançável, desde que seja micro-híbrido de 48V, pelo menos.

[Fonte: Autocar]

Próximo Volkswagen Golf GTE terá duas opções de potência
Nota média 3.6 de 5 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • th!nk.t4nk

    Expectativa: “finalmente os híbridos estão chegando ao Brasil!”. Realidade: “um lote de 100 exemplares”.

    • TchauQueridos

      Ja tem faz muito tempo.
      VW que está super atrasada, como sempre…

  • fernando sobolwsky

    Tem novo Corolla hibrido a 125 mil, sem chance para qualquer concorrente, ainda mais este.

    • th!nk.t4nk

      Desculpe, mas 125 mil por um carro que faz 0 a 100 km/h em 11,0 s é zoado demais. Talvez valha a pena pra frotistas que rodem muito, mas ainda é dinheiro demais por um desempenho pífio. Os 70 pocotós da Toyota são um tapa na cara do consumidor.

      • fernando sobolwsky

        Quem compra Toyota se preocupa mais com conforto , confiabilidade , valor de revenda e pos-venda ; areas em que a VW vai muito mal.

        • th!nk.t4nk

          Olha tem que ter um valor de revenda muito bom mesmo, pra cobrarem 125 mil num carro com desempenho de modelo popular.

          • Thiago

            e por isso que eh carro de tiozão

        • Thiago

          então, sem chance com comprador de corolla,
          outros que gostam de carro já se animam mais

      • hinotory O

        Sem dizer que o sistema híbrido da Toyota é um elefante branco de complicado.

      • and2sm .

        Aluguei um C-hr na última vez que estive na Alemanha. O carro se arrasta na estrada , você pisa e ele só faz barulho. Fora que achei uma comédia o conta giros ser divido em ev/ eco/ power. É econômico ( na cidade ) é só. Mas prazer zero de dirigir.

      • Eric PB

        Se pensarmos que o golf vai custar 200mil, sao 75mil reais de diferença pra quem opte pelo golf se sentir o rei das estradas acelerando a todo vapor para nossos limites de 110km/h. A pera, ainda sem levar em consideração que muitos motoristas rodam com o carro 90% na cidade e não ficam brincando de 0-100. Realmente 11s nao é nenhuma maravilha, mas correndo sozinho, sem outros concorrentes hibridos para sabermos se o desempenho é pifio ou não (pelos 125mil cobrados) acho o valor do corola para o mercado BRASILEIRO adequado.

    • Quem compra um híbrido prioriza economia de combustível, o Golf GTE é plug-in (Corolla não) e só assim você consegue rodar todos os dias (até 50 km) sem gastar uma gota de combustível.
      E ainda agrada os que gostam de desempenho, algo que no Corolla é bem decepcionante.

  • Fanjos

    O GTI só a gasolina com 300cv já esta mais que otimo

  • Enquanto isso no Brasil teremos que nos contentar com a desova da geração anterior.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email