Mercado Montadoras/Fábricas PSA

PSA comemora 1,5 milhão de carros produzidos no Brasil

psa-15-milhao-carros-brasil PSA comemora 1,5 milhão de carros produzidos no Brasil

O Grupo PSA Peugeot-Citroën comemorou nesta sexta-feira, 2, a marca de 1,5 milhão de veículos produzidos em sua fábrica de Porto Real, no Rio de Janeiro. O exemplar comemorativo foi um crossover compacto Peugeot 2008 com carroceria pintada na cor Vermelho Rubi, que saiu da linha de montagem 16 anos após o conglomerado francês ter inaugurado a unidade fabril.



“Atingir este recorde é motivo de enorme orgulho para todos nós e uma prova clara do nosso forte compromisso com o País”, declarou Carlos Gomes, Presidente Brasil e América Latina e Membro do Comitê Executivo do Grupo PSA. “Temos uma história de sucesso em nosso Polo Industrial Brasil, que hoje exporta cerca de 50% de sua produção especialmente para outros países da América Latina. Graças aos nossos investimentos nos últimos anos, ele é um dos centros produtivos mais modernos do Grupo em todo o mundo, plenamente capacitado para receber novos e inovadores produtos no futuro, em linha com nosso plano de crescimento rentável “Push to Pass”, completou.

Atualmente, a unidade fabril fluminense é responsável pela montagem dos modelos Peugeot 208 e 2008 e Citroën C3 e Aircross. Além de atender o mercado local, a planta abastece outros países da América Latina, como Argentina, Uruguai e Colômbia. O local é dotado de novos processos de manufatura, como o full kitting, metodologia de abastecimento de peças na borda da linha de montagem. Além da fábrica de veículos, o polo industrial conta com uma fábrica de motores e linhas de usinagem de peças para motores.

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

  • Dado

    Carros de qualidade que ainda precisam de bom marketing para que tenham melhores vendas no mercado interno. Contudo, parabenizo a PSA pela marca histórica.

    • radioactive

      Mais que marketing, a PSA do Brasil precisa de vergonha na cara pra começar a vender bem.

  • tiago

    A PSA precisa tomar um atitude, a duas marcas juntas vendem menos que a Nissan.

    • Piloto

      Pois é, até achei cômica a manchete. Comemorar o quê? Vendas pífias.

      • Wagner Lopes

        Leram na notícia que metade da produção da fábrica brasileira é exportada? Viram o novo plano da matriz francesa de tornar a empresa mais rentável? Mais eficiente com produtos diferenciados? Um empresa vive de grana/lucro líquido que ela produz e não de frequentar o top 10 do ranking de vendas.

        • alexandre

          Até que enfim um comentário inteligente. Pessoal aqui parece torcedor de time de futebol.

        • Piloto

          Wagner, exatamente isso! Vendas pífias, por isso que montou um novo plano de negócios.
          A própria PSA divulgou que o novo plano tem a meta de transformar a empresa em mais rentável, ou seja, atualmente não é nada rentável. O time administrativo do Brasil é ruim demais!

          Convenhamos, a PSA “perdeu o bonde” aqui no Brasil. Lembro muito bem que nos anos 2000, o popular mais bacana que tinha era disparado o 206. Concorria com Palio, Uno, Gol, Clio, só carro feio de doer. Aí então a Peugeot começou a “abrasileirar” e ficamos com os jurássicos 206, 206,5 e 307 por um bom tempo. Citroen também está bem atrás em vendas.

          Agora, falar que irá trazer produtos “diferenciados”? Uma forma de falar que não tem competência pra competir com as outras montadoras, só isso. Vejo o sucesso da Jeep, que só o Renegade vendeu mais que Peugeot e Citroen juntas em 2016. Um único produto “diferenciado” já vendeu mais que as duas juntas. Agora me diga qual modelo da PSA que tem esse “status”?
          Ou então a ascensão da Hyundai, conseguiram transformar uma marca coreana em marca de prestígio.
          Já a PSA continua com fama de “francêzinho”, com um pós venda sofrível (apesar de ter bons carros atualmente).

          • Wagner Lopes

            Concordo em partes com você pois, se fosse muito rentável, não precisava de um plano de reestruturação mundial. Mas você diz que hoje “não é nada rentável”. Não estou no board de diretores desta empresa então não tenho dados sobre sua lucratividade atual. Podem estar com boa lucratividade como corporação mas, como todo bom capitalista, querem maximizar ainda mais os lucros.

            Trabalho em uma grande multi americana que atuava em quase 200 países. De alguns anos pra cá vem reestruturando a operação e hoje está em pouco mais de 120 países exatamente para priorizar determinados mercados em detrimento de outros. As grandes multi já perceberam que não podem atuar de forma extremamente rentável e competitiva em TODOS os mercados e estão começando a focar. Concentrar energia. Pelo que percebo, o Brasil está longe de ser um destes mercados foco da PSA. Trazer bons produtos para o Brasil é complicado pois o brasileiro, no final das contas, valoriza rodas de liga e central multimídia e coloca todo mundo no mesmo balaio comprando no menor preço/melhor condição de financiamento. Algumas empresas não gostam muito deste perfil de mercado e preferem não colocar muito dinheiro nestas operações. Algumas abandonam, outras terceirizam, outras cedem os direitos de uso da marca e outras fazem como a Renault. Tiram os produtos “classe mundial” e entram com produtos baratos específicos para este ou aquele mercado.

            Você dizer também que a PSA “não tem competência para competir com outras montadoras” é muito forte…prefiro dizer novamente que se trata de focar ou não em determinado mercado. O exemplo da FCA é pertinente mas veja a questão do foco que falei acima. O Brasil é prioridade 01 para o grupo Fiat a muitos anos, senão décadas. A operação Brasil sustentou, e acho que ainda sustenta, os resultados do grupo por muito anos a fio. Veja o investimento em fábricas, marketing, rede de concessionários, peças, etc do grupo Fiat no Brasil. Tem fábrica de caminhões, motores, máquinas agrícolas, de construção, tem banco, tem seguradora, e outros segmentos que não me lembro agora. Então pra mim fica claro que se trata de priorizar um mercado em detrimento de outro, coisa que você verá as multinacionais fazendo cada vez mais mundo a fora.

            • Piloto

              Wagner, concordo com você também, mas ainda acho a Peugeot principalmente, muito incompetente aqui no Brasil. Há muito tempo atrás, eu li uma informação de que o Brasil era o segundo maior mercado da Peugeot (atrás da França). Então, como que podem negligenciar algo assim? Deveria investir muito mais aqui.
              Veja a Hyundai, que era uma desconhecida aqui no Brasil há 15 anos, e hoje está disparando em vendas depois que resolveu sair do monopólio da CAOA e entrar no mercado de carros populares. A visão é: quanto mais carros da marca você vê na rua, mais o consumidor acredita que seja uma marca boa e confiável.

              Renault, Peugeot e Citroen, quando vieram p/ Brasil, tinham realmente produtos diferenciados e de qualidade superior. Lembro bem que lá pelos anos 2000 compramos um clio, na época já vinha com 2 air bags frontais e outras coisas, muito melhor que outros populares nacionais, mesmo.
              Mas anos depois as francesas aprenderam que produtos diferenciados não valia a pena (custo muito alto), e começaram a “abrasileirar” e oferecer carros “depenados”.

              Então essa história de estratégia de foco em nicho, pelo menos para a PSA, eu acho história pra boi dormir.
              =)

              • Wagner Lopes

                Não é foco em nicho. É foco em determinados mercados. A PSA Brasil não é uma marca de nicho. Só ainda não optou por projetar e montar projetos locais baratos como bem fazem GM, VW, Fiat, Renault e outras…

            • radioactive

              A operação da PSA no Brasil é deficitária, isso foi divulgado um tempo atrás. Uma fábrica que tem capacidade para produzir 12 mil carros por mês e produz 5, incluindo exportações, não está em boa situação.

  • Luciano

    Tenho dois carros saídos dessa fábrica, um C3 2012 e um 208 2015. Ótimos carros.

  • Handlay P.B.

    Incompetência da Peugeot não colocar o 208 com barras de proteção lateral. Se tivesse esse equipamento de segurança e câmbio AT6 para mim seria o melhor compacto premium, superior ao Argo que pode vir com até 4 airbags…

    • Luconces

      O AT6 tá vindo!

      • Handlay P.B.

        E as barras de proteção lateral…

        • Luconces

          Não li nada a respeito. Tomara que venha também!

          Se a PSA conseguisse colocar o 1.6 THP na Griffe com a opção do AT6 ia ficar show de bola!

          • Handlay P.B.

            Aparentemente não há previsão das barras de proteção lateral chegar, tira a graça do 208 que é bonito e moderno sabendo que tem lata oca nas portas…

            • Luconces

              Interessante que mesmo sem é mais seguro do que o Onix… Mas também né, comparei mal agora…

              • Handlay P.B.

                Mesmo assim, o 208 com barras de proteção lateral seria bem mais seguro e com o AT6 ao meu ver seria o melhor da categoria.

            • Ygor Soares

              O Ônix tem barra lateral e foi eliminado nos testes do LATIN NCAP.

              O 208 não tem a barra porém tem opção de 4 airbags ou 6 se não estou enganado e mesmo com 2 airbags teve nota melhor que um Ônix.

              Claro que é algo que faz falta, porém não é uma justificativa que faça eu desistir do protudo.

              • Handlay P.B.

                O Onix é uma lata mortífera. Eu não vou me conformar em comprar um 208 brasileiro oco sabendo que o europeu é recheado e mais seguro. Afinal, em uma violenta colisão lateral quero ver se tem passageiro defendendo carro inseguro…

                • Ygor Soares

                  Mesmo ele não tendo, ainda é mais seguro que muitos carros com as barras laterais. Se for pensar no mercado exterior e comparar com o que temos aqui, as opções caem drasticamente!

                  • Handlay P.B.

                    Sim, mas o 208 poderia ser mais seguro com as barras de proteção lateral.

              • Jurandir Filho

                Acredito que se fosse testado o 208 com airbags laterais que vem a partir do allure, a nota teria uma acréscimo razoável

    • Junoba

      O consumidor não deixa de comprar por causa disso. As pessoas escolhem o carro que caiba melhor no orçamento. Com ou sem barra de proteção, vai vender a mesma coisa.

      • Darlon Anacleto

        Pois é, o povo insiste nesse tema das barras laterais, como se fosse algo que todos os demais carros nacionais tivessem. Depois, já houve críticas ao instituto NCAP pela falta de padrão com que realizam os testes e depois detonam determinado fabricante.

        • Handlay P.B.

          Carro com baixa segurança é pra detonar mesmo. Em uma colisão violenta ninguém vai pensar em defender carro inseguro…

      • No caso do 208 como não é um grande player, podia oferecer um diferencial sim.

      • Handlay P.B.

        É né… Quero ver na hora de se envolverem em um acidente grave, aí elas desejarão um carro seguro…

        • Junoba

          O maioria esmagadora dos consumidores nunca se importou com isso.

          • Handlay P.B.

            Elas preferem comprar caixas ocas sobre rodas que desvalorizam pouco, aí em um acidente grave saem com sequelas graves ou mortas. Enquanto isso nos EUA que é um país sério os carros tem segurança de verdade.

    • Gomes

      Sim, as barras iam mudar a vida da PSA, assim como a nota zero do Ônix reduziu as vendas do modelo. Consumidor brasileiro médio nem sabe o que é barra de proteção lateral.

      • Handlay P.B.

        Não falei que a PSA se daria bem colocando barras de proteção lateral e sim que teria junto com o AT6 o melhor hatch premium da categoria além de demonstrar respeito ao consumidor. Consumidor brasileiro médio é ignorante, prefere carro que desvalorize pouco e com “status”…

    • Alexandro Henrico von Mann

      Onix mesmo com o fiasco vendeu mais que antes do “escândalo”. Se brasileiro ligasse pra isso, a PUG já teria colocado e se não o fez, é pq viu que não influenciaria em vendas, ou então o up! seria líder disparado e ninguém mais compraria o Chevrolata. O Brasil tem muito o que amadurecer…

  • José Antonio

    Péssimo pós venda, experiência própria, conduzo carros Citroen há 5 anos.

    • Luconces

      É da empresa?

      • José Antonio

        Sim.

    • Wagner Lopes

      O preços das peças na CC de BH chega a parecer brincadeira de tão caros…como só compro PSA usado, passo longe deles.

  • Luconces

    Gosto da marca e acho os produtos muito bacanas mas vamos melhorar o pós-venda PSA?

    E não capar os carros como a barra de proteção lateral?

    E tirar de vez o 308/408 de linha?

    • Handlay P.B.

      Acho o design externo do 308 para o Brasil mais bonito que o europeu que parece uma caixa.

      • Luconces

        Oloko, o nosso tem os vidrões grandes, linha de cintura baixa. Deixa claro que é um projeto antigo.

        • Handlay P.B.

          Mesmo assim, quando o 308 perdeu o farol de banana eu gostei muito. Além disso acho bonito carros de cintura bem baixa com design orgânico como o Clio II de 1999 que mesmo sendo antigo, acho bem bonito.

          • Luconces

            Tem um charme sim por não ser mais do mesmo.
            A PSA bem podia ir baixando o valor do carro conforme fica mais velho kkk

            • Apopololo

              A PSA bem podia ir baixando o valor do carro conforme fica mais velho kkk

              Isso todas as marcas deveria fazer.

              • Luconces

                Todas bem podiam kkk

    • Queria 308 com câmbio manual e o motorzão de 175 Hp…

      • Luconces

        Não da para encarar um e fazer um swap de câmbio?

      • Jurandir Filho

        Pega um C4 lounge thp

    • Jurandir Filho

      Concordo, poderia tirar o 408 de linha e trazer o 301 pra concorrer com prisma, hb20s e afins..
      308 só parar de importar mesmo, pois hatchs médios já era no Brasil, infelizmente…

  • Mr. On The Road 77

    Já li diversas vezes que os carros montados em Porto Real têm maior qualidade de montagem que os PSA argentinos.

    • Supernescau

      Já tive 3 argentinos (2 Citroen e 1 GM) e não gostei do padrão de fabricação de nenhum deles. Todos com pequenos defeitos, claramente por desleixo na qualidade da montagem.

  • Diogo Augusto

    …e 500 mil vendidos

  • 80% vai pra Argentina, onde são lideres.

  • Zé Mundico

    A PSA brasileira é uma espécie de “filial’ da PSA argentina, pois a maior parte da sua produção abastece os mercados argentino, uruguaio e chileno.
    Aqui não é líder de vendas, mas na Argentina já faz parte da cultura automotiva do país, pois está lá desde os anos 40/50.
    Os carros são bons, embora a assistência técnica seja meio fraca, daí a desvalorização numa futura revenda, mania que brasileiro não consegue se livrar.

  • Vinícius

    Infelizmente a PSA no Brasil sofre de preconceito e isso não é marketing ou pós venda que resolvem, é um problema bem complicado. Não é uma fabricante que chegou agora, se fosse marketing, pós venda, que resolvesse isso, já teria sido resolvido. Tenho um 208 é um Civic em casa, o 208 é bem superior que o Onix, Fiesta, Ka, em acabamento, motor eficiente, segurança, opcionais etc, mas pq não vende algo semelhante? Produto é melhor , falta de concessionárias não é, peças caras é assim na maioria das concessionárias, eles estão lá para estorquir mesmo, ganham comissão em cima das vendas, isso na Peugeot, Honda, Chevrolet, Ford, qlqr uma. Preço competitivo, quando compramos o 208 conseguimos um desconto bastante interessante nele , já no Fiesta não tiraram nem R$ 200.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend