Brasil Esportivos Fiat Hatches

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O Fiat Punto T-Jet foi um dos últimos esportivos um pouco mais acessíveis que tivemos no Brasil, antes do Renault Sandero RS.

Com certeza ele faz muita falta na gama Fiat atual, já que não teve um substituto à altura.


O Punto T-Jet tinha motor turbo, desenho e desempenho de esportivo em uma linha que antes também teve outros esportivos, como Fiat Stilo Abarth, Fiat Marea Turbo, Linea T-Jet e Bravo T-Jet.

Vamos então relembrar o saudoso Punto T-Jet.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)


Punto T-Jet 2009 a 2012

Dois anos depois de ter lançado o Punto no Brasil, a Fiat apresenta no mercado nacional a versão esportiva, o Punto T-Jet.

O Punto T-Jet utilizava um novo motor exclusivo. Ele era um 1.4 litro turbo vindo diretamente da Itália, rendendo 152 cavalos de potência e 21,1 kgfm de torque.

Com esse motor o Punto T-Jet podia alcançar a velocidade máxima de 203 km/h limitado eletronicamente e fazer o 0a100 em 9,1 segundos.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O visual da primeira versão do Fiat Punto T-Jet era mais invocado do que o modelo tradicional, mas não muito diferenciado.

Com direito a moldura nas caixas de rodas em preto para reforçar a esportividade, o Punto T-Jet tinha para choque com novas entradas de ar laterais.

Ali ficavam os faróis de neblina que tinham uma nova moldura e estavam ligeiramente maiores.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Nas laterais o Punto T-Jet ganhava a inscrição “T-Jet” no canto inferior das portas dianteiras.

Ainda nas laterais, o Punto T-Jet portava novas rodas de liga leve com desenho exclusivo e tamanho de 17 polegadas.

Na traseira do Punto T-Jet, aparecia uma moldura preta na base do para choque aonde ficavam as luzes de ré de a dupla saída de escape e o logo T-Jet no lado direito da tampa do porta malas.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O desenho geral do Punto T-Jet era quase que idêntico ao usado no Punto Abarth italiano, em tese uma versão nacionalizada e menos potente que o modelo europeu.

A versão vendida no velho continente tinha motores com potências que iam de 152 cavalos – igual ao nosso Punto T-Jet – e chegavam até 180 cavalos na versão EsseEsse.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O motor usado no Punto T-Jet, Bravo T-Jet e Linea T-Jet não sofreu alterações no período em que esteve em vigor no mercado nacional.

Considerado por muitas revistas e sites especializado como um dos modelos mais divertidos à venda no mercado nacional, o Punto T-Jet fez a cabeça de muitos consumidores quando foi apresentado pela primeira vez.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O grande senão ficava por conta de o motor do Punto T-Jet não utilizar uma tecnologia flex, fazendo com que ele só consumisse gasolina premium, o que encarecia e muito as contas no final do mês.

Apesar disso, o conjunto mecânico do Punto T-Jet era robusto e valente.

O câmbio era o manual de 5 velocidades com engates bem precisos.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Mesmo com uma suspensão mais firme, o Punto T-Jet poderia ser o único carro da família, desde que fosse apenas um casal com um filho pequeno, pois o porta malas vinha com apenas 280 litros.

Tirando esse detalhe, a primeira aparição do Punto T-Jet garantia divertimento e conforto aos seus passageiros.

Punto T-Jet 2013 a 2015

A linha Punto passou por uma atualização de estilo em meados de 2012, e ficou com a mesma carinha do modelo europeu, que já tinha saído de linha e acabara de receber outro facelift.

Agora o Punto convencional vinha com o emblema no capo sustentado por um filete cromado e a grade ficou maior e abrigava um “sorriso de plástico” que poderia ser cinza ou preto.

Os faróis ganhavam moldura cromada e perdiam as luzes de indicação de seta que agora estavam na moldura do sorriso.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

As laterais ganhavam novas rodas e na traseira, novas lanternas em LED com um novo desenho interno e um novo desenho do para choque eram as maiores mudanças externas.

No interior, um novo desenho interno, com destaque para a peça central que poderia receber um tecido diferente e com toque mais macio ou até de cor diferente como ocorria nas versões esportivadas e topo de linha.

A gama de motores continuava a mesma, sendo que as versões de entrada usavam o valente motor 1.4 litro e as topo de linha vinham com o motor 1.8 litro E.Torq com até 132 cavalos.

E o Punto T-Jet? Ele mudou até que razoavelmente bem.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O Punto T-Jet ganhava um ar mais agressivo por conta das novas entradas de ar que resfriavam os freios dianteiros e pelo fato que a peça plástica do para choque agora vinha em preto brilhante.

Os faróis do Punto T-Jet vinham com máscaras negras, nas laterais o modelo ganhava novas rodas que vieram do modelo Abarth europeu e um adesivo alusivo à versão bem maior que antes.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Na traseira além do logo “T-Jet” do lado direito, o Punto T-Jet se destacava pelo aplique preto do para choque e a dupla saída de escape que agora estava em maior evidencia em relação ao anterior que ficava meio escondido.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Mecanicamente o Punto T-Jet infelizmente não recebeu nenhuma alteração, e continuava com os bons 152 cavalos de potência e 21,1 kgfm de torque.

No interior o Punto T-Jet recebia a peça central da mesma cor da carroceria para dar mais destaque, como também acontecia no Fiat 500.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Um dos destaques do Punto T-Jet atualizado era um seletor ao lado da alavanca de câmbio, que vinha desde antes do facelift.

O seletor tinha três modos: Dynamic, Normal e Autonomy. Cada um modificava eletronicamente o aspecto da direção e deixava o modelo mais tranquilo para o uso na cidade (Normal), mais arisco (Dynamic) ou ainda mais econômico (Autonomy).

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O Punto T-Jet mantinha os mesmos bons números de aceleração e velocidade máxima do modelo anterior.

O fim do Punto T-Jet

O Punto T-Jet saiu de linha no final de 2015, quando era vendido como modelo 2015/2016, custando quase R$ 70 mil.

Ele acabou deixando o posto de Punto “esportivo” para o Punto Blackmotion que tinha a mesma identidade visual, mas com o motor 1.8 litro de 16 válvulas E.Torq de 132 cavalos, como é de praxe em muitos modelos vendidos no Brasil em final de carreira.

Punto T-Jet com porta malas

Cerca de um ano depois do lançamento do Punto T-Jet, a Fiat apresentava a variante sedan do Punto, o Linea.

De início o modelo recebeu o motor 1.9 litros 16 válvulas com 132 cavalos quando abastecido com etanol e 130 cavalos com gasolina e 18,6 kgfm de torque com etanol e 18,1 kgfm, e uma versão T-Jet com o mesmo conjunto do Punto T-Jet.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

No visual, o Linea T-Jet era bem mais discreto que o Punto T-Jet.

Ao passo que o hatch usava molduras nas caixas de roda, o Linea T-Jet era mais sóbrio, com enormes (para a época) rodas de 17 polegadas.

As únicas diferenças entre o Linea comum e o turbo eram o logo na traseira e as novas rodas de 17 polegadas, de resto era um sedan extremamente clássico e discreto.

O interior seguia a mesma receita do lado externo, discrição total. Afinal de contas se tratava de um sedan que levava 5 passageiros e mais 500 litros de bagagem no porta malas.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O modelo recebeu um discreto facelift em 2014, onde recebia uma nova grade cromada filetada e um novo para choque que tinha um “sorriso metálico”.

Nas laterais novas rodas de liga leve que abandonavam nas versões topo de linha o logo da Fiat pelo nome do carro escrito. A maior mudança se concentrava na traseira com o porta placas que saia do para choque e ia para a tampa do porta malas.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Com essa renovação visual o modelo ganhou também o mesmo interior do Punto, mas perdeu o motor 1.4 turbo do Punto T-Jet e a versão com motor 1.9.

Agora o modelo era somente vendido com motor 1.8 litro e um pacote visual que entregava esportividade, semelhante com o que havia no Punto.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

No caso do sedan, vinha com rodas pintadas de preto e o “sorriso metálico” era pintado de preto fosco, para tentar reforçar a esportividade do modelo que usava um câmbio automatizado de 5 velocidades.

O modelo saiu de linha em meados de 2016, deixando a vaga em aberto, e sendo preenchida pelo Fiat Cronos – derivado do Argo.

A história do Fiat Punto

Apresentado no mercado nacional em meados de 2007, o Fiat Punto se mostrava um concorrente a altura de modelos como o Volkswagen Fox, além do Chevrolet Corsa.

Apresentando também o novo emblema que a empresa passaria a usar dali para frente o Punto apostava em tecnologia e boa oferta de motores e de versões para todos os gostos e bolsos.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Ainda não existia o Punto T-Jet, mas seu design já se mostrava cativante e elegante.

Seus faróis se assemelhavam aos do usado no Maserati Coupé, além da sua linha de cintura mais elevada que garantia um porte maior que o irmão Palio por exemplo.

As lanternas elevadas na traseira conferiam charme ao desenho assinado pelo famoso designer Giorgetto Giugiaro da ItalDesign que trouxe ao mundo a terceira geração do modelo mais famoso da marca no mercado europeu.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

No interior, bons materiais ao toque e um desenho moderno para o painel, que trazia nas versões mais caras acabamento em black piano, conferindo mais sofisticação ao interior do Punto.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

No quesito tecnologia o modelo apostava na conectividade – antes mesmo da febre dos sistemas de multimídia atuais – com o sistema Blue & Me que foi produzido em conjunto com a Microsoft.

Ele permitia ao motorista acessar a agenda telefônica do celular, fazer ligações por meio de comandos de voz e ouvir música do seu próprio telefone via Bluetooth.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

A plataforma do modelo era a moderna Gamma, que era a mesma utilizada pelo Opel Corsa europeu.

Mas por aqui o modelo ainda contava ainda com algumas peças vindas do Fiat Stilo, Idea e Palio nacionais para se adequar melhor a nossas ruas esburacadas.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)  Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Esteticamente o modelo foi lançado sem quase nenhuma diferença em relação ao modelo do velho continente, apenas com uma exceção para os repetidores de seta, que foram retirados dos para lamas dos modelos brasileiros.

E o Fiat Argo “esportivo”?

O sucessor do Punto e Palio no mercado nacional caiu nas graças do Fiat Argo, um novo hatch compacto que utiliza uma plataforma nova, mas com alguns elementos herdados do Punto.

O modelo foi lançado em meados de 2017 e aposentou os dois modelos citados, com versões de entrada e topo de linha que suprimiram a falta dos dois modelos.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

O modelo tem um design inspirado no Fiat Tipo europeu, com desenho agressivo e porte de Volkswagen Polo.

Atualmente o modelo tem três opções de motores, sendo um 1.0 litro de três cilindros com 72 cavalos com gasolina e 77 cavalos no etanol, depois dele vem um novo motor 1.3 litro também tri cilíndrico que entrega 101 cavalos na gasolina e 109 cavalos no etanol.

Por fim, um velho conhecido dos brasileiros, mas com alguns novos truques na manga o 1.8 litro que agora gera 135 cavalos com gasolina e 139 cavalos com etanol.

O modelo até tem uma versão “esportiva” que herda o nome HGT do finado Brava, com rodas de 17 polegadas, detalhes externos exclusivos da versão e moldura das caixas de roda e opção de câmbio manual ou automático de 6 velocidades.

Já no cofre do motor existe o mesmo motor 1.8 litro das versões mais caras, ou seja, é esportivo apenas no visual.

Como poderia ser um Fiat Argo T-Jet? Mostramos abaixo algumas idéias:

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Sem um representante expressivamente esportivo, a Fiat poderia se aproveitar da boa fama que o Argo construiu nesse curto período de tempo e lançar uma versão verdadeiramente esportiva. Ele poderia se chamar Abarth ou T-Jet como o antigo Punto.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

E para o cofre a Fiat poderia atualizar o motor 1.4 litro ou pegar uma variante já disponível na Europa o 1.3 litro da família Firefly com 180 cavalos e 27,5 kgfm de torque.

Sendo que ainda existem outras variações que podem render 150 ou 160 cavalos.

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)

Então dona Fiat, o que a senhora está esperando para apresentar um Argo T-Jet ou Abarth?

Pode se inspirar nessas projeções se quiser, viu?

Ficha Técnica

Fiat Punto T-Jet 1.4 litro 2015

Motor:  gasolina, dianteiro, transversal, 4 cilindros., 1 368 cm3,
152 cavalos a 5 500 rpm, 21,1 kgfm entre 2 250 e 4 500 rpm

Câmbio:  manual, 5 marchas

Suspensão:  McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira)

Freios: discos ventilados (dianteira); sólidos (traseira)

Rodas e pneus: liga leve, 205/50 R17

Dimensões: comprimento 406,5 cm; altura 150,1 cm; largura 172,7 cm; entre eixos 251 cm; peso, 1 263 kg; porta-malas 280l; tanque 60 litros

Equipamentos de série:  direção hidráulica, ar-condicionado, volante multifuncional, rodas de liga de 17 polegadas, bancos de couro (parciais)

Fiat Punto T-JET: anos, motor, versões e motorização (detalhes)
Nota média 5 de 4 votos

Avatar

Kleber Silva

  • Eduardo

    Desenterrando defuntos!

  • TijucaBH

    Carro legal, com bom acerto dinamico, visual legal, acabamento honesto mas precisava atualizar pois era da fase antiga dos carros turbos, com lag grande e pouco progressivo. Além disso dava muito problema de correia e turbina trincava a carcaça com certa facilidade.

  • Tagor Bini Rocha

    Não deixou saudades nenhuma!

    • Gran RS 78

      Pra mim deixou e muito, especialmente o TJet.

  • Marcus Vinicius

    O mercado ainda há espera de uma versão T-Jet ou Abarth que HGT é do Brava

  • Ricardo

    Carrinho legal, mas sempre preferi e preferirei o Polo.

    • Dirceu M

      O que prefere no antigo Polo em relação ao Punto?

      • Ricardo

        Tudo!

        • Dirceu M

          Qual é o ano do Polo que você diz? 2014?

          • Ricardo

            Meu é 2009.

  • Charlis

    Carro muito bonito e legal.
    O único carro da Fiat que já cogitei ter.
    Uma pena seu câmbio, com bastante histórico de problema.
    Poderia ter utilizado o mesmo que o Bravo T-Jet, além de ser melhor construído, com 6 marchas ia deixá-lo bem mais legal.

    []s

  • Lucas086

    Acho eu que um Punto atualizado, com novos motores, acabamento melhorado, uma central multimídia decente, podia vender até mais que o Argo, o Punto até hoje se mostra mais bonito que o Argo.

    • Dirceu M

      Nem precisava de multimídia, um firefly com um câmbio de vergonha já ia ser admirado por muitos.

  • Phantasma

    O painel do primeiro Punto não combinava em anda com o resto do carro, parecia de um carro velho em um carro moderno, problema resolvido no facelift, mas como nem tudo são flores, estragaram o visual externo.

    • jvfig

      Considerando o Ano de lançamento, 2007, era um painel acima da média.

      Compare com painel do Astra por exemplo, até mesmo com o do golf 4,5 que era de um segmento acima..

    • leomix leo

      salve engano, utilizou um painel melhor em 2011/12 nas versões mais completas, o mesmo é utilizado até hoje no grand Siena, um pouco melhor e mais bem acabado que o da primeira fornada.

  • Leandro

    A Fiat que meteu a cara trazendo projetos e tecnologias europeias, como o Tempra turbo 16 valvulas, Marea 5 cilindros turbo e o Stilo 5 cil com o teto skywidow, hoje se contenta com projetos emergentes, tais quais o argo e cronos são… Agora entendo porque o ADG já disse, numa live, que a Fiat de hoje não é a mesma quando chegou ao Brasil, ou até o fim dos anos 2000. Continuar nesse ritmo, vai findar fechando as portas por aqui. Enquanto a VW e Chevrolet vão, aos poucos, alinhando o mercado com carros globais, a Dona Fiat vai na contra mão… Ainda há tempo, ACORDA FIAT !!!

    • Marcelo Henrique

      Tem um cara que completou recentemente o que sonhava quando moleque:
      Colocar o motor do Fiat Tipo Sedicivalvole no Tempra Turbo, comandos um pouco mais agressivos, miolo todo forjado e turbinou.
      A sorte que o câmbio do Tempra Turbo aguenta muito torque.

    • Retrato do Papai

      a vw sim está modernizando os seus produtos, trazendo plataformas modernas e seguras, motores turbo… mas a gm? com motores dos tempos da brilhantina? com plataforma para mercados emergentes (leia-se porqueira)? a melhor gm foi a da era opel, com astra, zafira, vectra, corsa (como a fiat da era que você citou)… essa gm atual de onix, spin, cobalt e prisma tá uma imundície sem precedentes, só se salva da linha cruze pra cima… a fiat apesar de tudo lançou os excelentes motores firefly (principalmente o 1.3), enquanto a gm vai recauchutando o família 1 até o talo…

      obs: é interessante notar que a fiat se tornou líder de vendas com produtos mais ou menos como mille, palio, siena, uno… que nem a gm hoje com onix, prisma, spin, cobalt…

  • Dirceu M

    Nunca tive um, mas sou louco pra andar em um. Na verdade, qualquer carro que tenha mais de 20 kgfm em menos de 2500 rotações pra mim, é uma sedução. Lembro que quando lançou, achei o carro muito pesado pra proposta. Imagina o 0 a 100 dele se fosse 100~150kg mais leve? Ia ser mais rápido que o Golf 1.4 TSi, com certeza.

  • Marcelo Henrique

    Guiei um quando novo para testar e é bem acertado para o uso diário.
    Mesmo com as rodas aro 17 era muito confortável (suspensão dos carros premium Fiat sempre foi voltada para conforto), desempenho bom e um consumo razoável se andasse como homem e não como um moleque na puberdade.
    As peças de manutenção preventiva são baratas, mas as corretivas não.

  • Peter Bishop

    Fizeram falta

  • TchauQueridos

    Até o UP tsi deve andar mais…
    Carrinho muito sem graça com lag tremendo.

  • Azeredo

    Esqueçam o passado, e vamos curtir essa nova motorização 1.0 turbo que anda muito e consome pouco.

  • Luis Gustavo Coelho

    Tive um, foi um excelente carro e só possuía um defeito: consumo. Por ser turbo deveria ser mais eficiente mas não era. O plástico que colocaram no parachoque traseiro no face-lift estragou o desenho do carro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email