Chrysler EUA Mercado Minivans Sedãs

Qual é o futuro da Chrysler? Marca tem apenas dois modelos atualmente

Chrysler-300C-2011 Qual é o futuro da Chrysler? Marca tem apenas dois modelos atualmente

A questão, levantada pelo site Auto Evolution, é pertinente. Dentro do grupo FCA, existem duas marcas que, se somados os seus modelos, podem ser contados nos dedos da mão e, acredite, ainda sobrarão dedos. Uma delas é a Lancia, que definha no mercado italiano – já que se retirou de todos os demais da União Europeia – e a outra é a Chrysler, a estilosa marca premium da empresa americana, que tem somente dois modelos em seu lineup. A italiana conta apenas com o Ypsilon.



Se o compacto – apesar do estilo – já está defasado, o que se pode dizer do longevo Chrysler 300? O velho sedã americano já não faz frente aos mais recentes rivais, especialmente da Cadillac. Envelheceu e não recebeu atualizações, nem mesmo uma nova geração foi adicionada desde 2004, quando ainda era um produto da DaimlerChrysler. A marca passou desde então por três gestões, mas o 300 continuou da mesma forma.

Não se sabe o motivo pelo qual o Chrysler 300 não foi renovado. Sabe-se apenas que a FCA se arrependeu de ter feito o sedã 200, que apesar da plataforma moderna, tinha um estilo que pareceu imitar o Hyundai Sonata, segundo alguns. O fracasso nas vendas deste modelo, associado com o também não bem-sucedido Dodge Dart, fez o grupo perder milhões de dólares, dinheiro que poderia ter mudado a vida do Chrysler 300.

Chrysler-Pacifica-Limited-2017-1 Qual é o futuro da Chrysler? Marca tem apenas dois modelos atualmente

Aparentemente a empresa esteve sem caixa para tocar uma nova geração e ele permaneceu como sempre desde que substituiu o anterior 300M. Ainda que pese sobre o sedã os muitos anos sem atualização, a situação da Chrysler não fica diferente, exceto pela minivan Pacifica, que manteve a FCA no segmento de minivans, segmento que a Chrysler foi precursora nos anos 80. O monovolume, que tem versão híbrida até, é a garantia de que a marca continua. Mas até quando?

Com dois produtos na gama, sendo um novo, a Chrysler ainda tem chance de se modernizar. Marchionne precisa sair da empresa com o futuro próximo de todas as marcas da FCA resolvido. Assim, ele deverá apresentar um plano estratégico para o grupo em 2018 e com vigência até 2022. Nesse plano, a Chrysler deve estar incluída. Em termos práticos, o Chrysler 300 pode assumir uma nova geração junto com os Dodge Charger e Challenger.

O desenvolvimento do trio seria amortizado com o uso de uma plataforma de tração traseira e esta já existe: Giorgio. A base dos Alfa Romeo Giulia e Stelvio teoricamente serve perfeitamente às intenções da FCA de modernizar o trio americano. Seria um modo também de reduzir enormemente os custos para a Alfa Romeo. Mas, a produção naturalmente teria de ser feita nos EUA. E tem mais, a plataforma poderia inclusive atualizar os Dodge Durango e Jeep Grand Cherokee. Novos modelos? Depois do fracasso do 300, fica difícil imaginar algo novo na Chrysler.

[Fonte: Auto Evolution]

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Send this to a friend