Matérias NA Trânsito

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

Quanto tempo tenho para fazer um boletim de ocorrência depois de um acidente de trânsito?

Bem, como diz aquele velho ditado “Dirigir para você e os outros”, no trânsito estamos sujeitos a passar por diversas situações. Em virtude de imprudências ocasionadas por outros motoristas, é fundamental ser cauteloso e respeitar as legislações de trânsito.


Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

A negligência reflete diretamente no bolso do cidadão brasileiro. Para compreender isso, um estudo realizado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), apontou que desde primeiro de janeiro de 1998 até o final do ano passado (2017), o país gastou mais de R$ 720 bilhões com acidentes de trânsito.

Um valor que poderia estar sendo utilizado em outros serviços públicos, ou até mesmo em investimento para o setor de vias públicas.


Com R$ 720 bilhões seria possível, se dividirmos por áreas, investir na construção de mais de 60 mil quilômetros de rodovia, 22 mil novos hospitais e ainda cobrir por 5 anos o rombo da previdência social.

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

O número de acidentados também não é baixo. Entre 1998 a 2015, cerca de 662.219 pessoas morreram devido às eventualidades de trânsito, como mostra o Ministério da Saúde. Os pedestres lideram o ranking, seguidos por ocupantes no veículo e depois vem os motociclistas.

Em consequência do grande número de motos em circulação no Brasil, atualmente, os motociclistas estão entre as principais vítimas.

Quando falamos em Boletim de Ocorrência, muitas pessoas pensam que ele só deve ser registrado em casos graves, porém, não é bem assim.

Deixar de registrar pode ser ainda pior. É por meio do BO que é iniciado os processos judiciais para investigação e a partir das informações colhidas que o crime é notificado.

O que é Boletim de Ocorrência de Trânsito?

De modo geral, o Boletim de Ocorrência serve para relatar uma infração penal. A narrativa pode ser feita por um agente policial ou então pela própria vítima.

O Código de Processo Penal deixa claro: “3o Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da existência de infração penal em que caiba ação pública poderá, verbalmente ou por escrito, comunicá-la à autoridade policial, e esta, verificada a procedência das informações, mandará instaurar inquérito.”

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

Já o Boletim de Ocorrência de Trânsito, como o próprio nome apresenta, tem como objetivo registrar acontecimentos envolvendo um ou mais veículos automotores, em via pública.

Ainda que seja recomendado realizar em diversos casos, o boletim de ocorrência de trânsito é mais registrado em situações de acidentes. Vale ressaltar que em ocorrências mais graves (acidentes), fazer o BO torna-se obrigatório.

Em situações mais sérias como lesões corporais ou morte, os envolvidos devem registrar, se não fizer, ele poderá receber uma multa, sendo considerada infração gravíssima.

As punições são bem severas, a multa para quem comete infração gravíssima é de R$ 293,47 e, não para por aí, para um caso como este que mencionamos acima (acidente com vítimas sem fazer o BO), o motorista envolvido receberá um multiplicador de cinco vezes, isto é, o valor ficará cinco vezes maior, passando para R$ 1.467,35.

Além disso, a lei prevê suspensão de dirigir.

Me envolvi em um acidente sem vítimas. Devo fazer o Boletim de Ocorrência?

Se envolveu em uma batida, mas não houve vítimas?

Não há obrigatoriedade de fazer o Boletim de Ocorrência. Apesar disso, se preferir, os cidadãos envolvidos poderão realizar. Não há nenhum problema se ambas as partes concordarem em não procurar a polícia.

É habitual a negociação entre os dois, sem a necessidade de fazer o BO. Isso é comum quando os dois tiveram culpa e cada um resolve arcar com os prejuízos.

Se passar por essa situação, não esqueça de colher algumas informações como o nome completo do outro condutor, a placa do carro e, se possível, faça fotografias.

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

Fique atento aos prazos, as vítimas têm até 180 dias (6 meses) depois do acontecimento para protocolar o boletim de ocorrência de trânsito. Mesmo assim, o recomendado é registrar na mesma hora.

Se for envolver a seguradora na ocorrência, solicite o contato da empresa e procure por eventuais testemunhas.

Há o risco de o outro motorista descumprir com o que foi acordado, se isso ocorrer, é possível entrar com Ação de Reparação de Danos, junto ao poder judiciário, no Juizado Especial.

Como fazer o Boletim de Ocorrência de trânsito pela internet?

É viável efetuar o boletim de ocorrência de trânsito de forma totalmente eletrônica. Praticamente todos os estados brasileiros já possuem o portal da Delegacia Virtual, exceto o Acre, que está fora do ar, e Roraima, que não tem o serviço.

O BO virtual conta com a mesma validez do presencial. Mas há uma diferenciação, só é permitido o registro para acidentes somente com danos materiais e não com vítimas.

Na hora de registrar via online, o sistema poderá variar de estado para estado. Após realizar o cadastro e acessar com o login, o usuário precisa preencher um formulário com os dados completos: nome, RG, CPF, endereço residencial, telefone celular/fixo, nacionalidade e sexo.

Posteriormente, você será redirecionado para outro ambiente, onde terá que descrever a ocorrência, como esclarecer detalhadamente o acidente, horário que ocorreu, data e local. Informe também sobre os outros envolvidos e testemunhas, se houver.

Antes finalizar, basta colocar a descrição do acidente. Lembrando que incluindo mais informações, melhor será o desenrolar da situação. Relate bem e jamais falte com a verdade.

Dicas essenciais para não cometer erros ao se envolver em um acidente de trânsito

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?

Algumas dicas são essenciais para quem passar por alguma adversidade no trânsito. O primeiro passo é não confiar totalmente na outra vítima/envolvido, mesmo na hora de realizar o acordo. Ainda assim, faça um boletim de ocorrência.

Como já informamos, não minta, pois, há consequências. Passar detalhes equivocadamente, na visão do agente policial, poderá ser caracterizado como um crime. Estar sem a Carteira Nacional de Habilitação é outro problema, considerada infração leve.

Outra situação comum no trânsito é o bate-boca entre ambas as vítimas. Tente não esquentar a cabeça, se preocupe em apenas fazer o BO, caso ocorra discussões, a briga poderá ir para outro lado e causar grandes problemas.

Lembre-se que discutir não irá resolver nada. Confira outras 13 dicas que o Notícias Automotivas preparou sobre o que fazer ao se envolver em um acidente no trânsito.

Quanto tempo tenho para fazer boletim de ocorrência de trânsito?
Nota média 4 de 3 votos

Darlan Helder

Darlan Helder

Darlan Helder, natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011. Além disso, atua com produção de conteúdo para plataformas digitais em agências de comunicação.

  • Louis

    Certa vez li uns depoimentos de pessoas que se acidentaram com um motociclista, mas como foi coisa leve não fizeram BO. Depois o motociclista entrou com ação dizendo que se acidentou e que o motorista fugiu sem prestar socorro, exigindo indenização. Não sei se é verdade, mas do jeito que anda a falta de caráter das pessoas, é melhor sempre fazer BO.

    • Dario Lemos

      Isso é mais comum do que se pensa, o desvio de caráter nesta republiqueta é cultura, muitos só querem levar vantagem. Fazer um BO é uma garantia a se ter, aliás, inclusive em outras situações.

      • Mas o contrário também acontece. A pessoa que causa o acidente foge sem prestar socorro e alguém anota a placa, quando a pessoa é chamada pra ir a delegacia simplesmente fala que na hora a vítima disse que tava tudo ok e fala que foi embora (na verdade fugiu). Por isso tem muito motociclista e motorista de carro com câmera on bord.

    • Guilherme Sanches Pastre

      Sim, já aconteceu com meu sogro. Perdeu uma graninha pro malandrão que fez isso com ele =/

    • Zé Mundico

      Já vi coisa parecida mas a pessoa envolvida tirou fotos da moto e do motociclista sem nenhum arranhão e tinha testemunhas que comprovaram que não houve ferimentos. Não se deve confiar em ninguém.

    • Fernando Gabriel

      Semana passada mesmo um cara entrou na frente de um carro, se jogou nele e caiu no chão, simulando um atropelamento, porém as cameras da via registraram o fato, não sei se ele queria extorquir o dono do carro ou o seguro DPVAT. É mais comum do que pensamos.

  • Bettowen

    Faltou informar que boa parte das Capitais tem Delegacias Especializadas em Acidente de Veículos. Onde os acidentes envolvendo vítimas devem prestar depoimento nessas unidades.

    • Dario Lemos

      Sim, cerca de 02 meses atrás, um parente se envolveu em um acidente leve com uma motociclista havendo, inclusive, a presença de uma viatura da SAMU para periciar a vítima, onde não se constatou qualquer lesão grave além de pequenas escoriações; ainda assim, foi solicitado um laudo da SAMU além de a motociclista ter sido levada a um hospital especializada em fraturas, feito raio-X e o pedido de um laudo do médico informando que a mesma não havia sofrido nada grave e ambos documentos foram, posteriormente, anexados ao BO.

  • Zé Mundico

    Já presenciei casos onde os prejuízos foram apenas materiais e as 2 partes resolveram ali mesmo, sem intermediação da polícia rodoviária.
    Aí vai da proporção do acidente e da boa vontade dos 2. Era coisa de apenas pagar a franquia parcelada e resolver sem estresse.

  • Otavio Marcondes

    O que sei é o que fiz a semana passada: uma pessoa bateu de motocicleta atrás do meu carro estacionado (meu Polo). Fiz o B.O sem pensar 2 vezes. Melhor prevenir do que dar margem a se incomodar depois.

  • zekinha71

    Um rapaz que trabalhava aqui, uma vez quebrou o carro na Ayrton Senna, parou no acostamento e depois de um tempo ouvem um estrondo e um motoqueiro voando, o cara encheu a traseira do Gol parado e saiu voando, quase que deu pt no carro.
    Rolou SAMU, polícia rodoviária, B.O.
    Depois de um tempo veio um processo acusando que o carro que tinha batido na moto e o motoqueiro queria ula bela indenização.
    No dia da audiência levaram muitas fotos e vídeos do ocorrido pra provar que o motoqueiro que queria se matar, o juiz deu uma bela espinafrada no sem noção e ainda obrigou ele a pagar os estragos do carro.

  • Marcelo Amorim

    Eu nao sei em outras UF,mas aqui no RN se o acidente for em rodovia federal,a PRF só vai até o local se o carro nao sair rodando após o acidente ou se tiver vítima,o B.O é online.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email