Brasil Etc Manutenção

Quarentena do coronavírus: cuidados com o carro que vai ficar parado

Quarentena do coronavírus: cuidados com o carro que vai ficar parado

Um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas é a necessidade de ficar em casa, se possível, para evitar a propagação do coronavírus. Com isso, muitos passaram para a modalidade de home office, saindo apenas quando realmente é necessário.


Essa medida provocou uma situação diferente para quem é apaixonado por carro, que é ficar algum tempo sem dirigir. Se por um lado isso trará um alívio nos gastos com combustível, por outro existe a preocupação de deixar o carro parado por dias ou até semanas durante a quarentena.

Além de ser um cuidado necessário para não abreviar a vida útil de vários componentes, essas medidas vão ajudar a ter o carro sempre em ordem caso ocorra uma emergência.

Então, quais são as medidas necessárias para que essa situação não traga prejuízos para seu veículo? Confira as principais dicas dadas pelos especialistas:

VEJA TAMBÉM:

1 – Ligue o carro por alguns minutos, mas não todo dia

Muitos imaginam que o carro precisa ser ligado todos os dias em situações como essa, mas isso não é necessário. A maioria das marcas recomenda ligar o carro por 10 minutos uma vez por semana, ou fazer isso por 20 minutos a cada quinzena.

Mas essa ação exige alguns cuidados. Se você mora em um prédio e seu veículo está numa garagem fechada ou subterrânea, os gases do escapamento podem ser muito prejudiciais à saúde, ou até letais em quantidade excessiva. Por isso é importante combinar com os vizinhos para que o mínimo de pessoas faça isso ao mesmo tempo e, quando fizerem, que posicionem o carro perto do portão para dissipar a fumaça.

E o que dizer de carros híbridos plug-in ou elétricos? Algumas marcas recomendam que a bateria não fique abaixo de 50% por muitos meses, mas o ideal é que ela esteja sempre carregada.

2 – Faça um check-up dos equipamentos

Sempre que ligar o carro, é importante deixá-lo funcionando por alguns minutos para que a temperatura de trabalho do motor seja atingida. Enquanto isso, você pode aproveitar para checar se tudo está funcionando corretamente.

Quais equipamentos devem ser examinados? Não é necessário virar mecânico por um dia. Basta conferir os vidros elétricos, travamento e destravamento das portas, limpadores do para-brisa (incluindo o traseiro, se houver), esguichos de água, faróis e lanternas. Ou seja, o que você normalmente usaria no dia a dia.

3 – Não se esqueça do ar-condicionado

Além dos itens citados acima, é importante verificar o funcionamento do ar-condicionado. Mas isso envolve mais do que apenas ligá-lo por alguns segundos.

A recomendação é deixar o ar ligado na temperatura mais fria, o que vai garantir a lubrificação do motor. Depois, coloque o sistema na temperatura quente, com o compressor desligado. Isso evita o mau cheiro e a condensação nas tubulações, garantindo também que o sistema não forme fungos.

4 – Tanque cheio ou vazio?

Com receio de haver algum problema no abastecimento dos postos de combustível, como tivemos no passado, alguns correram para encher o tanque. Mas a verdade é que isso não é necessário, pois o tempo que o carro ficar parado só vai envelhecer o que está dentro de seu tanque.

A ideia é continuar com o ritmo normal de abastecimento, dando preferência para a gasolina conforme o frio chegar, o que facilita a partida e exige menos da bateria. Se estiver acostumado a usar etanol e trocar pela gasolina, lembre-se de rodar por alguns minutos para que a sonda lambda reconheça o combustível.

5 – Lembre-se dos pneus

Outra recomendação feita por alguns fabricantes, e esquecida por muitos proprietários, está relacionada aos pneus. A dica é mantê-los no índice máximo de calibragem, valor que pode ser conferido no manual. Esse valor pode estar destacado como “índice de carga”, que é a calibragem usada para rodar com o veículo totalmente carregado.

Uma dica importante: peça para que algum funcionário do posto faça isso, para que você não tenha que tocar no equipamento. O objetivo dessa medida é proteger os próprios funcionários de qualquer contaminação, visto que eles precisam manusear o calibrador todos os dias.

6 – Preciso fazer as revisões periódicas?

Se a recomendação é evitar ao máximo sair de casa e ter contato desnecessário com outras pessoas, não se exponha apenas para fazer a revisão do seu veículo na concessionária. Convenhamos, isso não é urgente e nem necessário.

Aliás, muitas marcas já estão prorrogando o prazo para que seus clientes não fiquem preocupados com esse assunto, já que essas paradas também devem ser feitas por tempo, além da quilometragem.

7 – Desconectar a bateria exige cuidados

Ao perceber que não vão usar o carro por algum tempo, muitos correm para desconectar a bateria. Essa é uma medida que pode ser feita, mas que não é essencial. Se você optar por fazer isso, tenha cuidado para não provocar um curto-circuito.

Além disso, vale lembrar que muitos carros desabilitam o alarme e perdem as configurações do rádio quando a bateria é retirada ou desconectada. Ou seja, você deve ter mais atenção com a segurança de seu automóvel se fizer isso, além de ter o trabalho de reconfigurar o sistema de som quando reconectar a bateria.

8 – Cuide da limpeza do seu carro

Um carro parado pode ficar mais sujo do que você imagina, principalmente em garagens abertas. Por isso, procure algum serviço de lavagem a seco em domicílio ou lave você mesmo o seu veículo. Depois disso, cobri-lo com alguma capa macia vai manter a limpeza por mais tempo.

9 – E quando tudo voltar ao normal?

Ainda não sabemos quando essa fase vai passar, mas isso deve ocorrer dentro de alguns meses. Quando tudo voltar ao normal, certos cuidados também serão necessários ao voltar a usar o carro todos os dias.

Durante a quarentena, é bem provável que o uso do seu automóvel será apenas para viagens curtas e necessárias. Como o carro fica ligado por um curto período, não dá tempo para que a temperatura ideal de funcionamento do motor seja atingida. Quando tudo voltar ao normal, é bom trocar o óleo lubrificante, mesmo que o prazo normal ainda não tenha sido atingido.

Viny Furlani

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 15 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.

  • radiobrasil

    “muitos carros desabilitam o alarme e perdem
    as configurações do rádio quando a bateria é retirada ou desconectada….”
    O alarme só vai funcionar com algum tipo de bateria conectada, ou estou enganado? rss Isso é REGRA e não exceção.

    • Edson Fernandes

      A não ser que haja um milagre que mantenha o alarme ativo sem ter conexão elétrica eu gostaria de saber…rs

  • Maycon Farias

    Uma das melhores matérias que já vi desde o início. Realmente fundamental e de boa ajuda. Eu fiz hoje cedo algumas dessa checagens na moto. No carro eu estou ligando de vez enquanto só não sabia do ar condicionado, vou inclusive fazer agora. Vlw NA

  • Rodrigo

    Duas dicas que eu considero:

    Deixar o alarme desativado – Como moro em prédio, não tranco e deixo os vidros com leve abertura.
    Não puxar o freio-de-mão – deixe na marcha para não forçar os tensionadores.

    Antigamente eu deixava as portas fechadas parcialmente, (primeiro ‘cleck’) para não cansar as morrachas) mas aí é exagero.

    Abraços

    • Edson Fernandes

      Só tomar cuidado se deixar os vidros abertos porque isso pode permitir a entrada de bacterias e fungos podendo inclusive causar emboloramento por umidade(caso seja assim o local onde mora).

    • Piston head

      Não puxar o freio-de-mão – deixe na marcha para não forçar os tensionadores

      Essa é novidade pra mim.

      • Hank Rearden

        Muito tempo com o freio de mão puxado a corrosão do tambor pode fazer colar as lonas e quando solta a alavanca, as lonas continuam presas ao tambor. Tem que bater no tambor pra soltar ou tentar mover pra frente e pra tras, as vezes dá certo… Principalmente quando o carro fica em garagem descoberta, sujeito a chuva e em cidades litoraneas com grande probabilidade de corrosão

        • Piston head

          Ele falou tensionadores, o que remete ao sistema de sincronismo. Mas de qualquer forma é uma dica interessante para os tambores e lonas.

          • Hank Rearden

            Eu tive um Gol G3… Na época n andava muito de carro, tinha moto tb e só saia com o carro muito esporadicamente, vivia sozinho, e minha garagem era descoberta. Era direto colando as lonas, principalmente no dia de chuva q eu n queria sair de moto :( O remédio seria trocar os tambores, mas eu descobri que era só não puxar o freio de mão e deixar engatado, já que a garagem era plana. Antes de me ligar nisso eu tinha uma barra de ferro de construção que cabia certinho no vão das rodas pra bater no tambor. Funcionava q era uma beleza :D

  • Bruno

    Deixem de paranóia, carro parado 1 mês ou algumas semanas não acontece nada, desde que esteja tudo em dia.
    Afff, que assunto bobo.

    • th!nk.t4nk

      Eu tenho saído a cada 3 dias, mas no mínimo 1x por semana a pessoa vai sair pra ir no supermercado, ou no dentista, ou pegar a correspondência na empresa, etc. Nao é possível que o sujeito fique 1 mês inteiro trancado em casa, acho bem improvável.

      • Edson Fernandes

        Concordo contigo. Mas a exemplo dos meus pais, isso acontece. Eles não saem pq os filhos fazem isso por eles. (eles são da idade de risco e ainda assim deixamos as compras na porta)

    • Thales Sobral

      Também já deixei carro parado 2 semanas… 1 mês…. Quando voltei, bati a chave e tudo em ordem!

      Carros que tem sistemas instalados fora de fábrica aí cada um tem de observar, já vi carro que zerou a bateria em menos de 1 semana parado porque o sistema de alarme consumia muita bateria.

  • RicardoVW

    Acabei de trocar o óleo, espero que essa quarentena não dure muito!

    • George Frederik

      o que uma coisa tem a ver com outra???

      • Mikoyan

        Óleo tem validade por uso do motor e por tempo. Acredito que foi isso que o colega aí de cima quis dizer.

      • RicardoVW

        Óleo tem que ser trocado a cada seis meses!

        • Luís Paulo

          Às vezes ele está imaginando que a quarentena vai durar 6 meses!!!

          • RicardoVW

            Quem sabe!

            • Luís Paulo

              Bate na madeira aí meu amigo! Aguento essa quarentena mais não!!!

  • Baetatrip

    Como estou na casa de campo em Petropolis……!
    Eu ligo o carro e deixo esquentar… ando 3,5km (já chega no temperatura do trabalho, olhando pelo app da SZK) chegando e desligo…..
    Eu ligo demoro sair uns 2 minutos….!
    Viajo muito, só esperando passar essa quarentena ae volto viajar….!
    Como eu dou volta para ele trabalhar bem……. Problema 0!

  • radiobrasil

    O que estaão achando da amostra grátis de COMUNISMO?

    1) Governantes ineptos dando ordens sem sentido (fecha restaurante, mas não fecha pedágio p.ex.);
    2) Toque de recolher (sim, várias cidades do PR / SC tem isso atualmente);
    3) Proibição de frequentar certos lugares; Liberdade limitada;
    4) Todo mundo é agente do estado dizendo para você seguir as ordens do governo, todos são espiões de todos;
    5) Medo constante provocado por propaganda (milhões vão morrer, todos os idosos que voce ama morrerão, vão faltar caixões);
    6)
    Sua empresa não é exatamente sua, você abre quando o governante inepto
    deixa (alguém vai te indenizar dos prejuízos causados pelos ineptos?);
    7) Você não pode circular nem voltar para sua cidade natal sem ser linchado por uma massa de histéricos…e por aí vai.

    Aproveite bem e torça para que não se torne permanente.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email