Governamental/Legal Segurança Trânsito

Radares: Câmara aprova cadastro nacional e São Paulo aprova proibição de fiscalização oculta

minas-tera-radar-que-identifica-veiculo-roubado-em-tempo-real Radares: Câmara aprova cadastro nacional e São Paulo aprova proibição de fiscalização oculta

O projeto de lei 3157/12, de autoria do deputado Lázaro Botelho (PP-TO), foi aprovado pela Câmara Federal. Ele prevê a criação de um registro nacional de radares de fiscalização eletrônica de trânsito, que será conhecido como Cadastro Nacional de Instrumentos Fixos de Fiscalização Eletrônica de Trânsito ou Cifet. Gerenciado pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), o banco de dados será de acesso público.



O Cifet terá diversas informações sobre os equipamentos fixos em ruas e estradas do país, contendo local de instalação, dados técnicos, certificação, data de aferição pelo Inmetro, bem como estudos técnicos que justificaram a instalação do dispositivo eletrônico. Até mesmo os termos e a contratação do serviço serão de conhecimento público, assim como data de inscrição do instrumento no registro nacional.

De acordo com Lázaro Botelho, o PL3157/12 o objetivo é dar mais transparência aos governo que no diz respeito à utilização dos radares de fiscalização de trânsito, regulamentando seu uso. “É preciso medidas administrativas precisas para que o sistema não fuja do controle, para não ser motivo de acusações e de irregularidades ou de punir injustamente os cidadãos”, esclarece o parlamentar. Agora, o projeto vai ser analisado no Senado.

minas-tera-radar-que-identifica-veiculo-roubado-em-tempo-real Radares: Câmara aprova cadastro nacional e São Paulo aprova proibição de fiscalização oculta



Ocultos

Enquanto o congresso analisa um cadastro nacional de radares fixos, onde o cidadão poderá identificar o exato local de instalação do dispositivo e até mesmo as razões que levaram a sua colocação naquele trecho da via, em São Paulo, um projeto de lei visa tornar visível a fiscalização eletrônica de velocidade feita por radares móveis e portáteis.

O PL1060/17, de autoria do deputado estadual Luiz Fernando Teixeira (PT), foi aprovado pela Assembléia Legislativa de São Paulo e agora segue para sanção do governador Geraldo Alckmin. De acordo com o texto, os policiais rodoviários do estado não poderá mais se esconder em muretas, postes ou placas para efetuar a fiscalização com radares móveis fixados no chão ou os dispositivos manuais.

De acordo com Teixeira, os policiais rodoviários violam princípios constitucionais de transparência ao ocultarem-se para multar motoristas. O deputado estadual argumenta: “O Código de Trânsito Brasileiro é contrário a essa prática por cravar o dever de sinalização das vias, que deve ser compreendida não somente no que se refere ao emprego de placas, mas sim na visibilidade dos agentes responsáveis pela sua fiscalização, haja vista que o objetivo das sanções deve ser educacional, e não fomentar indústria de multas decorrentes do motorista ser pego de surpresa”.

[Fonte: Câmara Federal / Assembleia Legislativa de São Paulo]

 

COMPARTILHAR:
  • JOSE DO EGITO

    Ano de ELEIÇOES o povo ganha muitos presentes !!!

  • Louis

    Ninguém gosta de tomar multas, mas essas alterações nas leis são ridículas.
    Tem que haver radar oculto pra pegar quem abusa sim! Daqui a pouco vão fazer uma lei exigindo que o policial avise previamente o bandido, de que há um policial a caminho para prendê-lo.
    Tinha que ser um deputado do PT, partido de bandidos!

    • F30FLORIPA

      Vou lhe dar UM exemplo de como o radar visível é mais útil.
      Radar visível antes de uma curva perigosa evita acidentes.
      Radar oculto no mesmo local não evita acidentes.

      • Louis

        E vou dar outro exemplo que seria mais útil. Radar invisível, as pessoas tendem a respeitar a velocidade em todos os lugares, e não só onde visualizarem um radar. Evita acidentes em toda a via, e não somente no local do radar.

        • F30FLORIPA

          Isso já existe, tanto que o projeto de lei visa proibir isso.
          Ou seja, já está mais do que comprovado que radares escondidos não fazem com que os motoristas reduzam a velocidade, só fazem com que o estado arrecade mais.

        • Frederico Sardinha

          Problema é que as PRF mesmo esconde o carro, e fica escondida em baixo de arvores multando, de forma que a fiscalização vira uma fábrica de multas.

          Quando eles não tem sequer o trabalho de descer do carro, e ficam sentados dentro do carro com a Pistola ligada e multando… é complicado.

          • Elizangela Oliveira

            Quebre a “fábrica de multas”, não exceda a velocidade! Fácil!!!

            • Nicolas_RS

              Ahm sim, como se o único jeito de levar uma multa fosse exceto de velocidade…

              • Elizangela Oliveira

                É o assunto do texto.

                • Danillo Santos

                  Então para os que excedem a velocidade a solução é fiscalização oculta? Com a placa “Fiscalização eletrônica de velocidade” a maioria respeita. Sem a placa, a maioria não respeita. Simples assim. O objetivo da fiscalização é reduzir a velocidade e consequentemente os acidentes. Então, o caminho é aumentar o número de radares (bem sinalizados) e o policiamento

                • Nicolas_RS

                  Você disse sobre a industria da multa, isso envolve trocentas tipos de multas, como acender o farol em rodovias, coisa totalmente desessenciaria, por exemplo já varias reclamações de levar uma multa por não estar usando cinto, sendo que o isofilme não permite enxergar nada, e pela lei o agente de transito precisa parar o carro. Vejo em muito as pessoas falarem de multar quem anda acima da velocidade, mas abaixo ? NUNCA NEM VI !

                  • Mas para multar abaixo só se for menos da metade da velocidade permitida. Ao menos eu não vejo motoristas andando abaixo dos 40 km h numa via que é de 80 km h.

                    • Rafael Gomes

                      O pior que tem muita gente que faz isso, já reparou quantos caminhão principalmente antigo que até em trechos planos não consegue desenvolver velocidade, a falta de incentivo para atualizar a frota ajuda a vc ver esse tipo de coisa fora gente sem noção que anda devagar achando que esta se sendo um exemplo de segurança

                    • José Barbosa

                      Muitas vezes não é nem questão de frota, mas sim de veículos TOTALMENTE inadequados para as vias.
                      ONTEM um bitrem de 30 metros, sem batedores, estava dentro do meu bairro, prejudicando o trânsito e pondo tudo quanto é sinalização e fiação em risco. Para ele conseguir fazer uma curva, teve que ir mais de 30 metros na contramão para conseguir espaço de fazer a curva. Engraçado que ninguém questionou quando um certo presidente “liberou geral” os veículos de grande porte.

                    • Raul Pereira

                      Quem foi esse? Não manjo dessa lei

                  • Allysson Santos

                    Somente alguns tipos de autuações são necessária a abordagem para sua lavratura. Cinto de segurança, celular, etc não precisa de abordagem.

                    Outra coisa, se o policial não consegue ver o interior do seu carro para constatar se está de cinto ou nao, eh pq com certeza o seu insufilme está mais escuro que o permitido, principalmente o parabrisa onde o minimo de transluminescencia é 88%.

                    • Nicolas_RS

                      Então tem que prender todo mundo que usa isofilme, a ideia do Isofilme é justamente não permitir olhar dentro do carro, mesmo respeitando os limite, é difícil olhar para dentro do carro.

            • Felipe Alves

              comentário perfeito e irretocável!

            • DrG

              Seria fácil se a via de mão dupla sem cruzamentos fosse 80km/h ao invés de 40km/h, se a via rápida urbana voltasse pra 80 ao invés de 70km/h… Se na rodovia o trecho urbano voltasse a ser 80km/h ao invés de 60… Se seguisse a velocidade natural (fazer uma pesquisae ver qual velocidade 80% das pessoas trafegam), apoiaria esse ponto de vista…

          • Eduardo

            Respeite o limite de velocidade que tu não toma multa. E para de mimimi.

            • Danillo Santos

              É tão lindo quando o povo propõe soluções simples e erradas para um problema que é complexo!

        • Nilton Fabiano

          e como as pessoas respeitarão, se nem suspeitam de sua existência?

          • Marcelo Nascimento

            Passa a suspeitar a partir do momento que vê a a placa “fiscalização eletrônica”. E passa a respeitar a partir do momento que levar a primeira multa.

            Mas é preciso corrigir as distorções. Ontem passei na BR116 em MG, um trecho de uns 10km, praticamente só mato dos dois lados da estrada, com acostamento largo, e poucas curvas, todas bem abertas. A velocidade ali é de abusrdos 80km/h. Até os caminhões andam a 100…

            • Nilton Fabiano

              Mas se tem placa, tem sinalização então! E o problema é que às vezes eu passo num determinado trecho uma única vez na vida, e só vou receber a multa 30 dias depois, ou seja, não haverá eficiência para coibir a velocidade e diminuir acidentes, ao passo que se o radar fosse visível e em pontos necessários, o risco de acidentes seria muito diminuído.

            • DrG

              Exatamente o que sempre falo

          • Elizangela Oliveira

            Respeitariam por medo de saber que em qualquer lugar, a qualquer momento pode haver um radar. Quando há a certeza da falta de fiscalização, abusam irresponsavelmente. Se fossem multados com frequência obrigatoriamente diminuiriam as infrações.

        • Mauricio Ferrari

          E eu vou lhe dar outro exemplo de porque radares invisíveis e mudanças de máxima permitidas são absurdos, não educativos e injustos. Eu sou motorista habilitado há 30 anos, de carro e moto. Nunca, nunca batí, capotei ou atropelei alguém de moto ou de carro. Respeito as leis, inclusive e de velocidades máximas, pratico a direção defensiva, obrigo todos no meu carro a usar cintos de segurança. Quase não bebo bebidas alcoólicas, e jamais antes de dirigir. Não uso drogas lícitas e nem ílicitas. Rodo alguns milhares de kms todos os anos. No entanto, recentemente tomei 3 multas nas rodovias e marginais paulistas, andando a 3, 6 km/hora a mais do que o permitido, simplesmente porque troquei de faixas nas marginais, e uma vez na estrada porque aquele trecho específico mudava bruscamente de 100 para 80km/hora. Radar escondido no caso da estrada, e sinalização confusa no caso das marginais. Desculpe, é claro que eu poderia nesses casos ter sido até mais atento. Mas minha atenção principal estava no fluxo do trânsito, não especialmente em que velocidade tenho que andar naquele trecho específico. Sou a favor da fiscalização constante, mas sou radicalmente contra a salada que fazem nas várias velocidades de uma mesma estrada ou via. No RS é a mesma coisa. Andei por estradas na região de Gramado, que têm QUATRO!, SIM, QUATRO! velocidades distintas em menos de 1km de estrada.
          Isso não é uma boa prática.
          O mais engraçado (ou trágico) é ver outros motoristas bem apressados e que conhecem bem os trechos voando a 40, 60 kms acima da máxima nos trechos que eles sabem que não tem radar.
          O ideal? Educação profunda desde as crianças na escola. E também fiscalização efetiva que pegasse os verdadeiros riscos, os pilotos frustrados de Fórmula 1 que saem arriscando nossas vidas e parece que estão sempre se safando.

          • Louis

            Eu concordo totalmente com você, essas mudanças de velocidade são pegadinhas mesmo! Mas a culpa não é dos policiais em rodovias que se camuflam nas árvores, e sim da má fé destes que instalam os radares em locais de mudança de velocidade. Deveriam é proibir os radares ocultos nestes locais, isso sim eu concordaria.

            • José Barbosa

              Algumas velocidades são ridículas. O duro é que os radares estão propositalmente nestes pontos, não onde sinalização, infra e velocidade estão de acordo.

          • mariostefa

            Concordo contigo. Para quem vai para o litoral sul de Sp, tambem é assim, trechos de 110,depois 80, depois 90, 70.
            Finalidade, arrecadar dinheiro dos turistas.

            • 82_BD

              E na BR-040, trecho entre Belo Horizonte e Rio de Janeiro.
              Pasmem, tem um radar de 30 km/h (TRINTA) em uma rodovia FEDERAL. Fico até com medo de uma bike passar do meu lado e eu tomar a multa kkkkkkkk.

          • tiago

            “Mas minha atenção principal estava no fluxo do trânsito, não especialmente em que velocidade tenho que andar naquele trecho específico”
            Parabéns, esse trecho do seu texto resume perfeitamente como me sinto.
            Quando viajo para local que não conheço fico extremamente apreensivo respeitando as mudanças constantes de limite, enquanto motoristas locais que conhecem a fiscalização voam por cima da gente a 30 ou 40km/h acima da velocidade máxima do local, aumentando ainda mais apreensão.
            Chega de industria da multa, que não educa só pune, CHEGA.

          • DrG

            Perto de torres tem um radar fixo que tomei multa na ida e na volta. Vi o radar e passei a 80. Multa, era 60… Passava de 110 pra 60! Absurdo, cilada

            • mariostefa

              já tomei uma nesse aí.Tremenda sacanagem, a única finalidade desse radar é arrecadar dinheiro.

              • DrG

                Sim, pois não tem nem cruzamento em nível, não e perto de nada com pedestres, simplesmente nada que justifique qualquer coisa abaixo de 80

            • Raul Pereira

              Fora que o risco de acidentes vai no teto com essas reduções bruscas.
              Pelo menos nas rodovias privatizadas aqui de SP, quando há redução brusca por curva, etc, há redução, faixas horizontais pra dar maior aderência, tudo bonitinho, depois radar, depois a curva. Agora em certas vias, tem que ficar esperto com a velocidade e com o cara que vem atrás pra não encher a sua lata!

          • JCosta

            Sem falar que, no Brasil, há placas para a redução de velocidade, mas raramente há placas restabelecendo a velocidade anterior…

        • Felipe Alves

          Comentário perfeito e irretocável!

        • defotube .

          o problema são as pegadinhas também, há estradas razoáveis que colocam 80 ou até mesmo 60 em lugar onde não tem nada, um placa avisando a cada 100 km
          A velocidade padrão, nas rodovias e 110, então creio que qualquer coisa diferente deveria ser bem justificada e bem sinalizada.
          Outra coisa que da pra ver nitidamente é que alguém, em algum tempo, baixo a velocidade para manutenções e as placas ficam lá sem nunca serem removidas, o que causa confusão também.

        • Raul Pereira

          Isso é irreal, pessoas só vão tomar mais multas, não necessariamente vão respeitara velocidade ou ter uma educação melhor no trânsito. Várias pesquisas já demonstraram isso (na faculdade vi umas 2). O que resolve é educação cultural do povão, coisa na qual o governo não vai investir. Outra que muitos radares são colocados em locais para tirar dinheiro (como citei acima), não em lugares para proteger determinada população de pedestres. É só lembrar: quantos radares você vê em locais de risco de assalto, onde você fica pensando: sai mais caro pagar a multa ou deixar o cara me assaltar? E quantos radares você viu em frente a escolas, hospitais, etc?
          Ainda: publicidade é regra na administração pública, você tem o direito de saber se está sendo testado/avaliado. Quanto menos transparência nos atos do Estado, maior a arbitrariedade. Vide o que ocorre nos governos ditatoriais (China, URSS, ditadura civil militar no BR), quanto menos satisfação o Estado deve pra você, mais meleca ele vai fazer.

          • Danillo Santos

            Concordo em gênero número e grau

        • Magnamox

          Vou de dar um exemplo prático… Eu levo em média uma multa por ano e sempre é de pegadinha. Na última que levei estava a 110km/h numa via de 120km/h….isso a muitos Kilo metros andando assim. Quando foi aproximar ds um posto policial no topotda subida aparecei a placa de 60km/h e logo em seguida tava um radar móvel que pega a mais de um Kilometro…. Ou seja antes de passar pela placa e pelo radar já estava a 60km/h masmele me multou quando estava lá trás ainda.
          Agora te pergunto, nessa situsitu você vai reclamar com quem? Com o papa?

          Tem que acabar com essa indústria de multa mesmo…. E colocar lombada e 500 radares onde tem muito acidente… Radar secreto jamais

      • João Martini

        Na Fernão Dias, de Atibaia pra São Paulo, colocaram 3 radares antes de curvas perigosas. Durante a noite têm luzes que ficam piscando para avisar a existência deles.
        Nunca mais eu vi acidente por ali, que eram muito frequentes principalmente com carretas.

        • Elizangela Oliveira

          Um exemplo onde a sinalização do radar é útil, mas nem todos deveriam ser assim. Ou vc nunca foi ultrapassado por um veículo a milhão em uma rodovia?

          • Luciano RC

            Isso se resolve com radar que calcula velocidade média, igual o Dória colocou em SP. Porém, sou a favor de uma revisão total das velocidades das rodovias e avenidas das grandes cidades.

            Rodovia Castelo Branco mesmo… ela tem longas retas das quais poderia aumentar para uns 130km/h ou até mais… em regiões de curvas ser reduzido e ter radares educativos.

            • Elizangela Oliveira

              São erros de projeto que precisam ser corrigidos. Moro em São José dos Campos e vou com frequência a Campos do Jordão na casa de meus pais. A estrada que liga a Dutra até lá tem limite de de 80km/h, o qual poderia ser 100 em alguns trechos. É comum ser ultrapassado (inclusive em local proibido) por apressadinhos que acreditam que seus carrões podem superar os limites impostos. Quando há congestionamento chegam a ultrapassar pelo acostamento devido a certeza da impunidade. Esse tipo de motorista é o que vai ser a “vítima” do radar invisível. A propósito, penso que o ideal seria viaturas descaracterizadas trafegando pelas rodovias para flagrar esses imprudentes. Quem faz o certo não tem o que temer.

              • Luciano RC

                Em algumas rodovias, a Policia roda com viaturas assim para pegar carros suspeitos e esses “espertinhos”.
                Sou a favor de uma fiscalização maior. Se não me engano, é proibido multar pelas câmeras. Acho isso um cúmulo. Deveria ser permitido e usado para fiscalizar.

                • Elizangela Oliveira

                  Verdade. Ajudaria na diminuição dos acidentes. Parece que tem muita gente que não compreende isso.

                  • Luciano RC

                    Fiscalização nunca é demais. O problema é o radar só saber multar. Quem tem dinheiro e carro no nome de empresa, dane-se a multa. O correto é abordagem, colocar na carteira e ainda ter um esporro pra aprender.

                • Danillo Santos

                  Se houver sinalização indicando, concordo plenamente

                  • Luciano RC

                    Sempre tem que existir sinalização. Mas o problema do nosso trânsito é educação.

          • Nilton Fabiano

            Velocidade pura e simples não é causa preponderante de acidentes. Fosse assim, a Alemanha teria o maior índice de acidentes do mundo, com suas vias sem limite de velocidade. A velocidade incompatível com o local, sim! E a incompatibilidade de velocidade é inibida por radares visíveis e bem sinalizados.

            • Elizangela Oliveira

              Acredita mesmo que esse exemplo é aplicável aqui? Acredita que todo motorista tem percepção (como deve ser lá, visto que é comum veículos trafegarem a 200km/h ou mais) para identificar um veículo se aproximando num limite muito acima do permitido e não realizar uma manobra que possa causar um acidente? Será mesmo “seguro” trafegar a 40, 50km/h acima do limite da via e a 70, 80km/h acima da velocidade de outros veículos (visto quer nem todos andam no limite máximo). Considerando que quem comete esse tipo de infração ainda comete outras como ultrapassar pela direita, colar no veículo da frente para forçar a ultrapassagem, faze zigue-zague na pista e etc., nada com radares bem escondidos para coibir esses abusos. E sim, a sinalização de radares em curvas perigosas ou áreas com travessia de pedestres, por exemplo, é louvável.

              • Nilton Fabiano

                As leis da física se aplicam em qualquer lugar do globo, incluindo Brasil e Alemanha, de modo que o exemplo é perfeitamente aplicável. Falamos de velocidade, considerar outras infrações é mera inferência e podem ser cometidas a qualquer velocidade, sendo esta última tão somente agravante no caso de cometimento delas. Se temos uma população que, via de regra, não respeita limites, é necessário que ela veja que haverá punição para seus erros, o que o radar visível faz. Se eu viajo lá pro fim do mundo, sem sinalização nenhuma e recebo uma multa um mês depois, no que isso coibiu o risco de acidentes? Eu simplesmente vou pagar, mas já passei por lá faz tempo.

                • Elizangela Oliveira

                  “sem sinalização nenhuma”. O que defendo é que onde a sinalização é clara quanto aos limites de velocidade, os radares podem e devem ser escondidos. A exceção para aqueles que devem obrigatoriamente evitar acidentes como os colocados antes de curvas perigosas, áreas de travessia de pedestres, etc… estes não cumpririam sua função se não fossem visíveis. A Lei da física é a mesma, a percepção das pessoas é que muda e isso vc não pode contestar! Lá, como eu já disse, as pessoas estão acostumadas com veículos trafegando a 200km/h ou mais, mas de maneira ordeira, dando seta, ultrapassando pela esquerda, etc, etc… As infrações normalmente cometidas por quem ultrapassa os limites de velocidade (colar no carro da frente, ultrapassar pela direita ou pelo acostamento, não sinalizar as manobras com antecedência, fazer zigue-zague na pista) tomam outra proporção nessa situação, pois a velocidade elevada vai aumentar e muito a possibilidade de um acidente e a gravidade desse acidente tende a ser sempre maior.

                  • Nilton Fabiano

                    Percepção de velocidade e equilíbrio é dada pelo cérebro, com auxílio dos olhos e das estruturas do ouvido interno, responsáveis pelo equilíbrio, que nos alemães funciona exatamente como nos brasileiros. Uma pessoa que seja “treinada e acostumada” consegue uma percepção melhor da ordem de milissegundos apenas.A velocidade em locais compatíveis não causa acidentes. As infrações que você cita são sim agravadas pela velocidade, mas essa é uma questão atinente ao motorista. Os limites atuais, em grande parte, são da década de 60. Estradas e veículos evoluíram, embora a primeira nem tanto. Velocidade compatível jamais causou nem causará acidentes. E sim, as pessoas respeitam pelo medo. E para temerem, precisam ver. Ninguém teme por antecipação, pra receber uma multa 30 dias depois. E eu afirmo isso porque sou policial rodoviário e é exatamente isso que eu tenho visto ao longo dos últimos 12 anos trabalhando nisso

                    • Danillo Santos

                      Perfeito Nilton, falou a voz de quem entende porque trabalha com isso. O problema de excesso de velocidade é complexo e não será resolvido com medidas simples, a questão dos radares invisíveis é simples, eles aumentam o risco de acidente. O argumento de que eles fariam as pessoas dirigirem de maneira prudente em todos os lugares porque não saberiam quando podem ser multadas é uma falácia. Um acidente provocado por uma pessoa que se assusta com um desses radares escondidos e pisa no freio instintivamente, sendo atingido por trás por um caminhão; já invalidaria essa tese de fiscalização “invisível”, além de tirar muitas vidas

            • 82_BD

              Concordo. Rodei ano passado uns 400km entre Munique e a o interior Áustria (Salzburg e região) num Ford Tourneo. Nos locais permitidos eu mandava a bota. 170 a 190… (não deu mais, além de ser uma Jamanta, motor 1.5 diesel não aguentava…). Cara, tranquilo demais. Sem susto ou adrenalina. Tudo depende das possibilidades da rodovia. Fora isso, seguia rigorosamente os limites estabelecidos (ligava o limitador de velocidade).

            • Só uma pequena observação. As auto estradas alemães não possuem limite de velocidade em alguns trechos, não é em toda a estrada. Inclusive é proibido colar no carro da frente e dar sinal de luz só é permitido uma única vez, caso contrário o motorista é penalizado. Outra questão, se você se envolver em um acidente numa rodovia sem limite de velocidade e estiver acima dos 130 km h (velocidade sugerida pelo governo ) a seguradora não precisa cobrar os custos do acidente (é por sua conta e risco andar acima dos 130 km h, apesar de não ser multado se o fizer ) .Por último o limite de velocidade nos grandes centros costuma ser de 30 km h, motivo por qual alguns Bmw e Mercedes possuem uma marcação no velocímetro nessa velocidade.

              • José Barbosa

                Não dá nem para comparar com a Alemanha, lá é outro padrão. Mas se é para pegar uma lição boa, é que lá o cidadão não é sacaneado. As velocidades estão compatíveis com as vias. Logo, andar no centro tem que ser, mesmo, numa velocidade baixa. Até porque lá, diferente de cá, se você viaja entre duas cidades, terá oportunidade de pegar vias expressas, não precisará entrar em roças que tem mais quebra-molas do que pessoas.

              • 82_BD

                30km/h dentro de bairro (ruas de baixo fluxo). Avenidas e corredores 50km/h.

        • Louis

          Mas aí são radares fixos, feitos para serem visualizados. Acho que deve haver os 2 tipos, fixos e ocultos móveis, desde que não seja do tipo “pegadinha”, aqueles colocados logo que se altera a velocidade na mesma rodovia.

      • Elizangela Oliveira

        Radar visível faz com que os infratores tenham a certeza da impunidade: “não estou vendo radares, posso sentar o pé!!!” Muitos terão que sofrer as consequências de um acidente causado por esses infratores para mudar o pensamento. O que precisamos é de vias com sinalização suficiente para que não haja dúvidas quanto ao limite de velocidade. Onde isso ocorre, os radares deveriam ser invisíveis!

        • Frederico Sardinha

          Problema não é só isso, é que a polícia acaba se utilizando de má fé durante a fiscalização, gerando uma fábrica de multas. em goiânia mesmo, eles escondem o carro, colocam o radar em algum ponto cego ou de difícil visualização. Tornando em uma indústria de multa…

          • Elizangela Oliveira

            Como assim má fé? O cara anda a 150 onde o limite é 110 e a policia tá de má fé? Esse pensamento torto vai favorecer apernas que não cumpre a lei. Tem que ter radar escondido sim!! É o jeito de pegar os espertinhos que aproveitam para cometer irregularidades quando acreditam que não estão sendo fiscalizados. O cidadão de bem que respeita a sinalização não tem motivo pra se preocupar.

            • Desde que a velocidade máxima seja realmente viável. Uma velocidade de lesma, como os 50 km/h de São Paulo, não serve para conscientizar ninguém.

              • Elizangela Oliveira

                E não justifica alguém querer andar a 80 e causar acidentes.

            • Frederico Sardinha

              Esses dias passei por um radar móvel da PRF, que não tenho certeza se fui autuado ou não. MOTIVO: Não tinha sequer uma placa de sinalização da velocidade adequada ao trecho. É muito complicado…

              Outra coisa que é absurda é radar em estrada que não tem asfalto em boas condições, devia ser proibido…

              • Louis

                Concordo que há indústria da multa, eu mesmo já tomei em um local que achei que era pegadinha. Mas não acho o caso de proibir radares ocultos. Radar: ruim com eles, pior sem eles.

              • Elizangela Oliveira

                E muitos se baseiam em situações assim para justificar algo que trará muito mais prejuízos a sociedade.
                Quanto ao radar em via mal pavimentada, mais necessário ainda, visto que o risco de causar um acidente será maior ainda, ou não?

              • Lucas de Lucca

                Eu uso o Waze sempre que vou pra local desconhecido e acredito na velocidade que ele coloca lá. Nunca tomei multa, então deve estar funcionando hahahaha. Porque realmente, há locais que a velocidade muda e não tem placa avisando que mudou, uma lástima.

            • 82_BD

              Entendo seu ponto de vista. Mas te pergunto. Qual a real finalidade do radar para você?
              Na minha opinião deveria ser mais uma ferramenta de controle de velocidade do que um instrumento punitivo.
              Se um radar pega um motorista a 150 km/h, a sua função de tentar evitar acidentes deixou de existir (não sei se me entendeu), pois o cara efetivamente passou ali voando baixo, e o risco de acidente grave existiu. Tá, ele vai receber a multa, mas será que isso por si só o colocará “nos eixos”?
              Eu acho utópico pensar que radar escondido educa motorista na base do medo de receber a multa. É tanto que até hoje nunca surtiu efeito. Cada vez mais motoristas são multados e cada vez mais os índices de acidentes sobem.
              Compartilho da opinião de que o radar deve ser utilizado sim, mas de maneira a evitar acidentes, como controle de velocidade.

              • “Perguntador”

                Essa é a questão, a função do radar é punir, a função de alertar os motoristas é das placas de sinalização. Se o cara é avisado/orientado a andar a 100km/h pela sinalização e mesmo assim está a 150km/h já não é mais questão de orientar e sim de punir. A orientação foi dada, mas não foi seguida.

                • 82_BD

                  Mas eu fui claro na minha opinião. Não disse que o radar tem a função de alertar e sim de controlar. E se o condutor optar por passar acima do estabelecido, entra a sua segunda função, a punição.
                  Pensa numa situação:
                  O cara vem pela rodovia voando baixo e é pego pelo radar oculto. Como ele só saberá disso daqui 30 dias ou mais, nada o impedirá de continuar sua viagem do mesmo jeito que passou pelo radar, arriscando a vida dos outros. E isso pode significar a diferença entre a vida e a morte.
                  Concorda?

                  • “Perguntador”

                    Sim. Mas com o radar visível ele diminuirá e nada impedirá de acelerar metros depois e voltar a velocidade anterior, continuará a viagem inteira do mesmo jeito.

                    Mas talvez na próxima viagem ele ande menos por medo de tomar outra multa de um radar escondido.

                    Para mim nada mudará a atitude dele no curto prazo (nessa viagem), mas uma ou mais multas talvez muda para a próxima.

                    O ideal seria tomar a multa e ser parado pela polícia, pois aí ele perderia mais tempo de que se tivesse andando dentro do limite (a maioria anda acima com essa justificativa, de ganhar tempo)

                    • José Barbosa

                      você acha que todos respeitam e pagam suas multas? kkkk

                    • “Perguntador”

                      Não entendi seu ponto de vista. Em nenhum momento disse isso. Sobre o assunto dos radares, se a pessoa não vai pagar a multa não faz diferença alguma o radar estar visível ou não, ele não vai diminuir em nenhum dos casos.

                    • José Barbosa

                      Você supõe “longo prazo” considerando que infratores contumazes, aqueles que realmente representam risco no trânsito, se importam com as multas que lhe são pagas e que isto modificaria o comportamento. Ledo engano. Basta ver dois casos gravíssimos que ocorreram no Brasil este ano: o acidente da Mercedes com o Ecosport, ou do motorista epilético, cujos prontuários apresentavam pontuações altíssimas, não poderiam dirigir, e nem ligaram para nada. Aliás, foi muito curioso o enfoque de alguns meios de comunicação: enquanto uns focavam SÓ no suposto excesso de velocidade da Mercedes (e o que tinha de gente que sabe a velocidade de um carro só de olhar não estava no gibi), outros questionaram também a “vítima”, que estava com a habilitação suspensa e quanto o fato de haver oito pessoas num carro projetado para cinco pode ter contribuído para agravar o acidente.

                    • “Perguntador”

                      O efeito “longo prazo” que vc disse funciona para infratores comuns, pelo menos eu acho que sim, conheço pessoas que diminuíram muito a imprudência depois de levar várias multas.

                      Quanto aos casos extremos, com certeza, não tem multa que dê jeito, esses só vão parar de cometer infração se foram presos ou morrerem. Se a consciência deles não pesa dirigindo sem CNH, causando mortes etc, a multa também não pesará. Felizmente esses são exceções.

                    • 82_BD

                      Claro que nada impedirá dele seguir pisando a frente do radar, mas concorda que pelo menos no trecho com radar visível, você terá uma pequena probabilidade de ocorrência de acidente em virtude de excesso de velocidade? Ou seja, uma chance a menos do pior acontecer?

                      E outra, essa história de que da próxima ele muda (em função da multa) é utópico. É tanto que mesmo com os muitos radares ocultos, os índices só aumentam. Eu até hoje nunca tomei por excesso, mas te garanto que não mudará minha forma de dirigir. Talvez a curto prazo ficarei receoso, mas depois qualquer um relaxa e volta a conduzir como de costume. É a natureza humana.
                      Nem aqui e nem lugar nenhum multa é referência em “educação”.

                      Acho excelente a ideia de radar por média. Como já existe (pelo menos ouvi falar) em SP. Julgo que inibiria os pilotos de fuga.

                      É um assunto bastante polêmico e ninguém tem a receita do sucesso.
                      Abcs!

                    • “Perguntador”

                      O problema é que acaba criando um dependência de ter radar visível em todos os lugar perigosos e isso é difícil e custa muito dinheiro.

                      Sei lá, eu certamente ando mais devagar por não querer tomar multas e quando ando em estradas que sei que não tem radar ando mais rápido. Para mim esse efeito aconteceu, dirijo devagar para não levar multas em radar não visível. Mas posso ser exceção.

                      É complicado mesmo, seria preciso fazer algum estudo estatístico para ter certeza do que é mais eficiente.

                    • 82_BD

                      Sim! Podemos ver essa dependência nos grandes corredores das grandes cidades. É tanto radar visível um atrás do outro que nem compensa acelerar. Se o fizer, logo logo terá que frear. Fora que muitos preferem rodar a uma velocidade de cruzeiro que impede os “pilotos”.

                      Concordo que numa rodovia é diferente, atualmente inviável.

          • Nilton Fabiano

            Polícia só cumpre ordens, amigo.

      • “Perguntador”

        Uma placa antes desse mesma curva informando o limite reduzido alertaria do mesmo jeito, mas tem motoristas que não levam a placa a sério, só o radar, uma pena.

      • afonso200

        pra isso serve LOMBADA ELETRONICA, aquela que mostra velocidade

    • Danilo

      Isso cidadão, isso mesmo, meu vô tomou multa grave por passar numa rodovia duplicada onde o limite perto da cidade era 40km ele passou a 82, meu vo não corre, nem caminhão ele ultrapassa nao tinha como saber do radar, ninguém anda a 40 numa RODOVIA DUPLICADA, radar escondido não foi feito para pegar alguem fora da lei, nunca foi, foi feito apenas para engordar a indùstria da multa, não vem com essas conversinha falsa, a multa é para educar não para LUCRAR, radar escondido foi a coisa mais ridicula que já fizeram, não cumpre a funcão de um radar, só serve para multar…

      • “Perguntador”

        As sinalizações da estrada são feitas para alertar e educar, multa existe para punir (é assim no direito penal, administrativo, civil etc, multa é punição).

    • Lorenzo Frigerio

      O deputado é do PP… entulho autoritário da ditadura (ARENA).

  • dnrote

    É o PT atuando a favor de quem transgride as leis. Olha a justificativa: não ser pego de surpresa. Ora, se estamos em uma via que a velocidade máxima é 60km/h e o cara passa a 80 onde está a surpresa? Nossos políticos são uma lástima. Veja em Vitória no ES, aprovaram uma lei para que a fiscalização sanitária não atue no horário de atendimento ao publico pois constrange o dono do restaurante, ora, e o consumidor, a quem a fiscalização atende, não é o maior prejudicado? Como seria verificado as boas práticas na cozinha? Quando estiver parada? Não vale a pena votar.

    • Elizangela Oliveira

      Mas deve-se coibir a “industria da multa”, ainda que isso custe muitas vidas Brasil afora…

      • Lucas de Lucca

        Como se o maior problema fosse velocidade. Dirigir embriagado, ultrapassagens em locais proibidos, andar pelo acostamento, falta de atenção ao mudar de faixas, má condições das vias, são exemplos que causam muito mais acidentes que a velocidade em si. Se o problema fosse velocidade apenas, nas Autobahn alemãs seria uma chacina, e não é o que acontece.

        • Louis

          O excesso de velocidade é a maior causadora de acidentes. Até porque, quem corta pelo acostamento, faz ultrapassagens arriscadas, etc, normalmente são os que correm muito acima do limite.

          • Lucas de Lucca

            Me explica por que nas Autobahn onde não há limites de velocidades os índices de acidentes são baixíssimos.

            • Louis

              Talvez porque lá eles saibam dirigir em alta velocidade mantendo a distância adequada, sinalizando corretamente as manobras, etc…
              Aqui não, quem corre cola na sua traseira, costura e fica provocando os outros no trânsito.

              • Lucas de Lucca

                Ahhh… ou seja, o problema é a má educação do povo brasileiro em geral, a falta de respeito e a má formação de condutores, afinal tudo aqui, desde o CFC até as multas visam apenas encher os bolsos do governo. Agora chegou no ponto que eu queria, a velocidade em si, não é o problema maior.

                Só uma obervação, detesto apressadinhos que colam na traseira e ligam a seta esquerda ou ficam piscando o farol quando estes o fazem em momentos que realmente não há como sair ou que não sou eu que estou segurando a faixa esquerda, como quando há um caminhão a 80 km/h na frente, mas assim que possível ou mesmo quando estou no limite e alguém atrás vem mais rápido eu dou faixa imediatamente, pois, pior ou tão ruim quanto o apressado de trás é aquele que pensa que por estar no limite não precisa dar faixa pra quem quer andar mais rápido, o que incita a raiva e afobação no de trás, que acaba costurando ou usando o acostamento. Ou seja, tudo questão de bom senso e educação.

              • Nilton Fabiano

                Ou seja, o problema não é a velocidade em si, mas a forma como ela é desenvolvida.

              • Nicolas_RS

                Cola na traseira, pq os patetas acham que são donas da rua, estou cansado de ver carro na faixa da esquerda empacando a via e mesmo dando sera não muda de via.

                • mariostefa

                  vejo isso direto na rodovia Castelo Branco. Não saem da faixa da esquerda nem com reza brava kkk

              • 82_BD

                Sim. Os alemães ão educados no trânsito e respeitam a distância adequada, principalmente na Autobahn. Enquanto o francês é a cópia do brasileiro. Passa “rasgando” acima da velocidade permitida e te xinga!
                E uma pista de mão dupla no sul da França eu optei por andar no limite da via (90km/h) mesmo assim tomei buzina e fui xingado.

            • Elizangela Oliveira

              Compare a mentalidade e educação dos motoristas daqui e os de lá e terá as respostas.

              • Lucas de Lucca

                Ou seja, vocês estão afirmando que o problema é a mentalidade e não a velocidade em si, esse era o meu ponto.

                • Elizangela Oliveira

                  Mas como não estamos acostumados a lidar com isso, todos no limite e pronto! Essa comparação com a Alemanha não cabe. Lá ninguém vai andar segurando outros veículos nas faixas da esquerda, não vai ultrapassar pela direita ou acostamento, não vai costurar no trânsito, mudar de faixa sem dar seta,etc, etc… O que torna a velocidade algo perigoso. E, pela última vez: brasileiro em geral faz errado quando sabe que não está sendo fiscalizado, e esse erro acaba matando quem estava fazendo certo. Sendo assim, se tivéssemos muito mais radares escondidos, diminuiriam os abusos e, consequentemente, os acidentes. A educação será sempre o melhor caminho, mas ela demora um pouco para dar resultados, então, até lá, chicote no lombo dos “espertos” pois o que não dá para quem faz certo ficar se sentindo um idiota simplesmente por ter feito certo!

            • Gil de Piento

              Nas Autobahn, se você se envolve em um acidente e estava a mais de 130 km/h, você passa a ser considerado o principal causador até prova em contrário. E as punições são rigorosas. Mas não só isso: há vistoria do estado de conservação dos carros, e há uma grande diferença entre a qualidade construtiva e de projeto das Autobahn e nossas estradas apertadas e cheias de remendos. Além disso, todos os motoristas daqui e de lá sabem os limites de velocidade e esperam que todos estejam respeitando esses limites – se você estudar acidentes gravados em vídeos, verá que estar numa velocidade muito diferente do fluxo de trânsito é a principal causa de acidentes graves.

        • Elizangela Oliveira

          A questão aqui é radar e excesso de velocidade. Há outras importantes. Dirigir embriagado, por exemplo, deveria dar uns 12 anos de cana, na hora.

          • Lucas de Lucca

            E nunca mais ter CNH novamente.

          • Nicolas_RS

            Não adianta ser crime e não prender, se assassinos e estupradores são tratadores como vitimas, o mesmo acontece para motoristas criminosos, como o filho do Eike Batistas que tinha mais de 20 pontos na CNH e continuava a dirigir.

            • Elizangela Oliveira

              Isso que eu disse: foi pego dirigindo embriagado, prisão em flagrante, sem fiança e uns 12 anos de cana para evitar aquela balela de réu primário, bons antecedentes, endereço fixo, trabalho registrado, etc, etc, que inventam para livrar a cara dos assassinos. Precisamos de leis rigorosas que sejam cumpridas.

              • Nicolas_RS

                Para se cumprir leis, primeiro tem que tirar os ladrões do poder, como a turma do Luladrao e Temer !

    • Lucas de Lucca

      A questão é que muitos trechos eles abaixam propositalmente a velocidade, sem nenhum motivo aparente, apenas para esconder um radar móvel ali e assim multar e multar. Isso é indústria da multa, e não educar. E para com isso de PT isso, PT aquilo… o PT está é preocupado em salvar o Luladrão da cadeia e não com radares…

      • Louis

        Mas o deputado que propõe essas alterações é do PT !
        Todos os partidos têm muitos corruptos, mas no PT não salva 1! 100% de pilantras.
        Corto meu s@co fora se tiver 1 político do PT honesto.

        • Lucas de Lucca

          Sim, tudo bem. Só quero dizer que o pessoal anda bitolado com PT e esquece que a corja é muito maior, não se resume apenas ao PT infelizmente.

          • Nicolas_RS

            Cara o PT é a cara da corrupção, são os maiores, é o que teve os presidentes dos últimos 14 anos. Por isso que é sempre lembrado.

        • Nicolas_RS

          Nunca vi alguém fazendo uma aposta tão segura.

        • Gil de Piento

          Um é do PT e outro do PP. Adivinhe qual desses partidos tem o maior número de envolvidos no Petrolão sem que nenhum deles fosse preso.

      • mariostefa

        Teve uma sacanagem dessas numa estrada na regiao de Jundiaí/SP, envolvendo policiais rodoviários, inclusive quem multava mais, ganhava mais folgas. Deve ter no G1 Jundiaí essa matéria.

  • Lucas de Lucca

    Radar vísivel: coíbe, o motorista realmente diminui a velocidade em trechos perigosos. Ou seja: FUNCIONA!!!
    Radar oculto: o motorista não sabe que tem, aquele que abusa poderá sofrer ou pior, causar um acidente pois não diminuirá a velocidade, e só saberá que foi multado daqui 30 dias. Ou seja: NÃO FUNCIONA!! Afinal, não coíbe, não evita, não educa. Apenas fomenta multas.

    • Mauricio Ferrari

      Exatamente! Encham a estrada inteira de radares, “obriguem” todo mundo a respeitar as velocidades máximas. Mas façam isso com transparência, porque aí diminuiria os Ayrton Sennas genéricos que passam voando por quem obedece.
      Radar escondido acaba pegando mais quem obedece do que quem desobedece.

      • Nilton Fabiano

        E pior ainda é quando o motorista vê o radar escondido, se assusta e finca o pé no freio. Aí o radar acaba servindo pra causar, e não pra prevenir acidentes

        • Elizangela Oliveira

          Por isso sou a favor de radares invisíveis. Vai passar por ele e só saberá quando o aviso chegar em seu endereço. Quem sabe assim depois de umas mordidas no bolso, uma suspensão no direito de dirigir passe a tomar mais cuidado.

          • Lyn

            Não irá. O caso do atropelamento do calçadão do rj e do acidente da mercedes e escorsport em sp ilustram bem o que esta errado com essa robotização da fiscalização.

          • Nilton Fabiano

            E até receber a multa já terá ultrapassado os limites, se exposto e exposto outras tantas pessoas. Como policial, acredito muito mais na eficiência da prevenção que da repressão. É muito mais efetivo prevenir que a infração aconteça do que permitir sua ocorrência para então puni-la.

    • Elizangela Oliveira

      Aí o sujeito passa pelo radar visível e acelera à vontade…. alcança um “locatário de faixa da esquerda” cola na traseira, ultrapassa pela direita, pelo acostamento, sem dar seta, colocando ele os demais em perigo…Ou seja, se os radares forem todos visíveis, o problema do desrespeito aos limites de velocidade vai continuar. Enquanto o transgressor não tiver a dúvida se está sendo fiscalizado ou não, vai transgredir.

      • Lucas de Lucca

        Radar de média de velocidade ué. Na Europa já são realidade e são bem mais honestos e educativos. Aliás, em São Paulo já estão sendo implementados.
        Não adianta, na minhão visão radar oculto é CRIME contra o cidadão, um assalto do Estado aos nossos bolsos e com fins obscuros do dinheiro arrecadado, indústria de multa e nada me fará pensar do contrário. Tem mais é que ser proibido mesmo e ponto.

    • “Perguntador”

      Cara, eu discordo. O radar não serve para alertar, para isso existem as placas informando a velocidade máxima permitida. Se o motorista viu a placa de 60km/h (numa estrada que o limite normal é 100km/h) ele deveria imaginar que é perigoso passar por ali a 120km/h.

      O radar visível funciona somente para aquele local, em todos os outros o motorista vai continuar dirigindo como louco. Sabendo que pode ter radares não visíveis, talvez ele comece a andar mais devagar em todos os momentos e não só perto de radar.

      Eu já tomei multa de radar escondido, é irritante, mas não posso dizer que é injusto, eu sabia que estava acima da velocidade, eu vi as placas, mas decidi andar mais rápido e paguei as consequências dessa decisão.

      • Lucas de Lucca

        Então, você viu as placas e mesmo assim, conscientemente, preferiu assumir o risco de um acidente ou ser multado e andou acima do limite. O radar escondido provavelmente você nem viu, não te forçou a diminuir e a multa só serviu para encher os fartos bolsos do Estado. Agora, se ali houve vários radares visíveis, ou melhor ainda, um desses que medem a velocidade média, bem sinalizado, avisando, você teria percorrido o trecho numa velocidade segura e não seria multada.
        Seu próprio comentário mostra que as placas e seu raciocínio não funcionam.

        • “Perguntador”

          Radar por media sim, mas radar comum não. Eu teria diminuído neles e acelerado logo depois.

          • Lucas de Lucca

            Mas você é safadinho hein? hahahahahaha

            • “Perguntador”

              Só para constar, depois de algumas muitas eu tirei o pé, a última multa que tome foi em 2016. Tenho andando de forma comportada mesmo, não preciso mais diminuir nos radares.

              • Lucas de Lucca

                Ah sim, melhor coisa. Ainda mais se você pega rodovias onde o limite é 120 km/h (como a Bandeirantes), que você pode andar a 128 km/h contando com a tolerância de 7% sem ser multado. Uma velocidade muito boa, segura para a maioria dos carros com a manutenção em dia, e sendo constante a viagem flui que é uma beleza. O duro é algumas que você vê que podia ser 120 tranquilamente e os cara coloca 100 ou 90, putz, aí estressa e o pé coça pra arriscar uma multa hehehe.

  • Nilton Fabiano

    Qual é a finalidade do radar? Multar ou evitar acidentes? Se for meramente multar, ok, pode seguir como está. Mas se for evitar acidentes, ele precisa ser visível. A velocidade pura e simples não é causa preponderante de acidentes, ou a Alemanha teria o trânsito mais violento do mundo. A velocidade incompatível com o local causa acidentes, e pra essa é necessário um radar que imponha ao condutor a necessidade de reduzir.

    • “Perguntador”

      Eu acredito que o objetivo do radar é multar mesmo, para evitar acidentes alertando o motorista que o trecho é perigoso e que ele deve diminuir existem as placas de trânsito. O radar serve exatamente para punir o motorista que não seguiu as orientações de segurança das placas. Agora, nós sabemos que no Brasil essas placas muitas vezes são colocas sem muito critério, aí é outra conversa kkk

      • Nilton Fabiano

        Então, precisamos delimitar a função do radar. Ele tem caráter meramente arrecadatório, aplicando multas sem, em contrapartida, prevenir acidentes ou deve prevenir acidentes aplicando multas a quem, deliberadamente, desobedece o que o próprio radar indica? No caso de radar oculto, você só descobrirá que ele existe 30, 60 dias depois, quando a multa chegar à sua casa, e até receber a multa, você já terá ultrapassado os limites, se exposto e exposto outras tantas pessoas. Como policial há 12 anos, acredito muito mais na eficiência da prevenção que da repressão. É muito mais efetivo prevenir que a infração aconteça do que permitir sua ocorrência para então puni-la. Levando para o lado do Direito Penal, é muito mais efetivo e econômico impedir que o crime aconteça do que arcar com as consequências de sua ocorrência para só então punir.

    • José Barbosa

      Depende do ponto de vista. O Estado te obriga a usar o cinto de segurança como forma de “protegê-lo”. Mas permite que veículos como ônibus coletivos ou motos desenvolvam a mesma velocidade na via, sem que você tenha cinto, o que é um contrassenso.

    • Emanuel Schott

      Aqui perto tiraram um quebra-molas e colocaram um radar de 20Km/h.

      Mas não é pra multar não amiguinho.

  • mariostefa

    Tenho uma dúvida, no texto diz que o Policial Rodoviário não pode ficar escondido. Issso vai servir tambem para as empresas terceirizadas que exploram esse serviço???

    • Nilton Fabiano

      O policial é usado aqui como exemplo de agente de trânsito, mas se aplica a qualquer um na qualidade de agente

  • Fanjos

    O que mais me deixa “put0” é ver um radar de 1 milhão de Hueais a prova de terremoto, maremoto, vulcão, misseis etc, e logo a frente ver a rua toda esburacada para destruir seu carro ou causar um acidente e te matar, então, antes de utilizar qualquer radar caríssimo, todas as vias deveriam estar em perfeitas condições, muito bem sinalizadas com semáforos que não param no primeiro pingo de água, placas cobertas ou apagadas, ou seja, antes de impor “pedágios” que tal o “Sr. Estado” fazer sua parte primeiro?

    • Lucas de Lucca

      Aqui na minha cidade tem uma avenida que tem um radar ultra mega moderno cheio dos pirocópteros, que dá velocidade pisca umas par de luz de led, maior bonitão ele, deve ter custado uma nota. Porém não precisava dele, afinal é impossível andar a mais de 60 km/h ali de tanto buraco que tem, parece uma via lunar literalmente. Toda vez que passo ali me pergunto: WHY GOD!!!??? WHY!!!?????

    • José Barbosa

      tem algo pior que isto: quebra mola antes E escondendo buraco.

  • Lyn

    Interessante se mostrar o custo de se manter os radares e a empresa que os fornece pois sempre tive curiosidade de que essas empresas que fornecem radares tem ligação com algum politico,

    Sobre os estudos tecnicos que justifiquem a instalação duvido muito que serão honestos nesse aspecto. Vão colocar alto indice de acidente na maioria e nem vão precisar comprovar esse fato.

    Sobre os radares moveis, chega a dar vergonha ser necessário se criar uma lei para se evitar que os policiais rodoviarios federais se escondam com radares moveis.

  • Marcio Souza

    Sou favorável a radares, desde que tenham o intuito de salvar vidas. Colocar em áreas com muita movimentação de pedestres, ou trechos de estradas suscetíveis a acidentes com veículos. Será que é difícil?

  • Bruno Costa

    Só a galera tentando justificar o injustificável porque acha que está abalando ao passar na pista de 90 a 110 com o Celtinha 1.4 do papai. Tem que ter radar invisível sim e se reclamar vai multar por velocidade média também.

    • Lucas de Lucca

      Demorou para aparecer um corretão, um isentão hahahahaha

      • Bruno Costa

        Isentão? Jamais. Minha postura é clara: quer brincar de Velozes e Furiosos com o Golzinho da mãe tem que se dar mal.

        • Ananias Anacleto

          Claro, aí você passa por uma estrada com certos trechos com placas de 60km/h em lugares sem justificativa para tal velocidade, e tem um PRF escondido só pra pegar o pessoal que passa na faixa dos 90 a 100km/h. E como se todo mundo fosse “filho do papi e da mami com carrinho dado de presente”, ninguém aqui é um adulto que comprou seu carro com seu próprio dinheiro, e que levou multa em lugares que são claras armadilhas para arrecadar dinheiro. Ou então estradas planas, com longas retas, e com curvas pouco fechadas, onde o limite é de ridículos 80km/h, e que a PRF fica sempre nos mesmos lugares “estratégicos” só para multar o pessoal andando na faixa dos 100 a 110km/h. Cuidado com o telhado de vidro …. sempre tem o dia que a gente morde a lingua posando de “defensor da moral de dos bons costumes”.

          • Elizangela Oliveira

            Tem um jeito fácil de acabar com isso: tem placa de 80, ande a 80; tem placa de 60, ande a 60. Vai chegar o dia em que os guardas desistirão de ficar “na moita” pois não conseguirão “aplicar o golpe” em ninguém! Tem gente que vive no mundo perfeito. O mundo no qual eu vivo é muito diferente: basta uma volta no quarteirão pra ver uma infinidade de erros cometidos por motoristas. Mas sempre reclamarão da industria da multa.

            • Elizangela Oliveira

              É mais comodo terceirizar a culpa!

            • Ananias Anacleto

              Uma coisa interessante seu ponto. Mas percebo que muitos que trabalham na PRF são, digamos, “preguiçosos”. Um exemplo, na BR-285 no planalto médio do RS, existe uma longa reta onde a PRF sempre costumava ficar escondida, onde o pessoal chamava de “os pinheirinhos”, era basicamente um pequeno aglomerado de Pinus Elliottii, que a PRF gostava de ficar com radar móvel, tem sombra e lugar pra esconder o radar atrás das arvores ….. adivinha o que aconteceu, o proprietário da terra em frente aos pinheiros derrubou todas as árvores ….. resultado, não tem mais PRF escondida nesse lugar, ou você acha que eles querem ficar o dia todo no sol??? E esse é um lugar que de fato as pessoas abusam, pois é uma descida longa, seguida de um longo aclive, e muitos passam “voando” por ali, bem acima do limite. Ali naquele local sim, justificaria a PRF estar presente, mas foi só tirar a “sombra e água fresca” que eles sumiram.

          • Bruno Costa

            Não sou defensor de nada, brother. Você faz o que bem entender. Não sou fiscal de faixa e ninguém me paga pra isso. Se eu ver um carro em alta velocidade, vou deixar ultrapassar e ir embora, problema do cara ele correr. Agora ficar com essa hipocrisia sua de “deveria ser maior” não cola. Abre processo no Detran ou órgão equivalente e pede reavaliação da velocidade da via. Faz os trâmites necessários e deixa de ficar chorando essas hipocrisias de quem só quer ser o pilotão de fuga. Se passar do limite tem que se ferrar mesmo. A lei é pra todos. Tem que seguir, concordando ou discordando. É gente como você que se acha o piloto andando numa pista de 60 a mais de 100 que causa acidentes facilmente evitáveis por pura arrogância e imprudência. Tem que ser multado sim e de preferência até perder a carta e aprender a dirigir igual gente.

        • Gil de Piento

          Aqui neste site é comum ver leitores “honestos” comentando o comportamento de seus carros em viagens a 140, 170, 190 km/h com a maior naturalidade. Mas eles não se enxergam como infratores ou corruptos.

    • Ananias Anacleto

      Ah, é claro. Pois só gente com carro velho que anda “abalando” né. Pessoas com SUVs e carros de alto valor nunca correm, só andam dentro do limite…. claro, claro que sim. Ninguém reclamaria de radares escondidos se os limites de velocidade da maioria das rodovias fosse condizente com a realidade, mas o que mais tem são estradas com limites ridiculamente baixos para o pessoal da PRF fazer a festa com multas.

  • Minasi

    Ver gente defendendo multa é o fim da picada! Menos mau que o petista defende acabar com radar oculto!

    • Elizangela Oliveira

      Quando a multa é o único meio de fazer o cidadão respeitar a lei, cabe a nós lamentar. Qual o sentido de obrigar alguém a colocar uma criança na cadeirinha? Não é a lógica um pai ou mãe que ama seu filho protegê-lo com o máximo zelo? É assustadora a frequência com a qual vejo criança “jogadas” dentro de automóveis (em rodovias às vezes)!

    • Gil de Piento

      Você é contra punições para quem escolhe desrespeitar as leis, então?

  • Antunes

    Sou a favor dos radares móveis em trechos que tenha velocidade constante, agora pega a regis bittencourt sp x curitiba começa 110 vira 100 80 110 dnv 80 depois 60, voce fica doido, outra coisa é radar em posto da PRF, eu estava na br101 em SC velocidade 110kmh posto rodoviario vazio na reta, no meio da mureta um radar movel de 60kmh, tem sinalizaçao de 60kmh antes do posto, mas pq mudar de 110 pra 60 se o posto ta vazio?

  • Michel Soares Pintor

    Já que a imensa maioria dos Brasileiros só respeita quando “tem alguém olhando”, radar de velocidade média seria o ideal, mais justo com todos.

  • Emanuel Schott

    Outra coisa: os limites de velocidade precisam ser revistos. As montadores criaram freios melhores, modificaram o design dos carros, criaram novos equipamentos de segurança, mas o governo tá na década de 80 ainda.

    Alguns limites de velocidade são feitos exclusivamente pra multar de tão baixos que são.

    • Gil de Piento

      Um monte de Camaro sofreu acidentes. Sendo um carro tão moderno e seguro, como explicar tantos acidentes? Além do motorista, há a questão das vias brasileiras que não são projetadas para altas velocidades (curvas acentuadas, desníveis, ausência de área de escape e pista dupla etc).

      • José Barbosa

        Você, como a maioria, não sabe nem os princípios de um Camaro: carro esportivo, muito potente, tração traseira, baixa visibilidade e difícil de guiar. O problema não é especificamente a via, mas o carro em si. De fato, o ponto levantado é importante: a lei mudou (duas vezes já), e as pessoas e governantes insistem em 80 km/h em vias retas e sem trânsito que não representam risco. Aliás, muito comumente, é ali que vemos radares, o que não parece ser coincidência, ao passo que muitas curvas, especialmente em subidas, estão esquecidas.

        • Gil de Piento

          Conheço perfeitamente o Camaro, e se você prestar atenção no comentário ao que respondi e no meu, perceberá que eu estava justamente respondendo ao argumento de que hoje temos carros melhores. Eu acho incrível o malabarismo que algumas pessoas tentam fazer para ser contra a obediência a legislação de trânsito e portanto contra multas e radares. Nossa população letrada realmente ama a corrupção.

      • Emanuel Schott

        Acha uma velocidade razoável 60 km/h em um trecho de 20 km de rodovia duplicada, reta e relativamente com pouco transito como é aqui chegando em Porto Velho?

        Aliás, o resto da BR 364 em Rondônia é de pista simples e a velocidade é de 80 km. Outra velocidade ridícula, ninguem anda abaixo disso porque é uma velocidade baixíssima pra uma rodovia sem trânsito pesado, com manutenção regular e com acostamento em quase toda sua extensão.

        Esses Camaros que você cita provavelmente estavam em uma velocidade acima do que a maioria dos carros conseguem atingir.

  • JCosta

    Radar oculto só visa a arrecadação, contradizendo por si só, o objetivo primário da fiscalização.

    • Gil de Piento

      O objetivo primário da fiscalização é evitar descumprimento à legislação de trânsito. Se todos dirigissem atentos à sinalização e à legislação, não haveria tantas multas por excesso de velocidade, furar o rodízio, avançar o sinal vermelho etc.

  • leitor

    Se eu diminuo a velocidade com os avisos e outras milhares de pessoas fazem o mesmo, isso indica que a chance de não haver o acidente previsto vai aumentar bastante. Se o radar está sem aviso indica que o interesse é mesmo em arrecadar e deixar o local próprio para o acidente e que dificilmente ocorre. Sem contar que muitos dos que estão até mesmo avisados estão colocados indevidamente. Velocidades reduzidas para incidência de mais multas, proximidade de passarelas, passagem em zona urbana que cresce indevidamente em torno ou em direção das rodovias sem nenhum regulamento de que certas atividades são inadequadas para a margem de uma rodovia. Um bairro novo é construído do outro lado da rodovia, sem escolas, farmácias, padarias, comércio algum, sem posto de saúde. Outra coisa que provoca acidente é velocidade baixa e nada se faz. Buracos na pista, lombadas físicas de surpresa (pelo que sei é proibido) também provocam vários transtornos.

  • Fuscao

    Corretas as alterações. Se fiscalizassem o que realmente importa, como ultrapassagens em locais sem visualização, tranca-esquerdas, “domingueiros” sem noção nenhuma de estrada, gente dirigindo olhando a porcaria do telefone, etc, a redução de acidentes seria muito maior, mas é muito mais fácil enfiar um radar escondido e pegar “criminosos” andando a 100 numa via de 80 com plena visibilidade e segurança. Velocidade não é o fator mais importante numa estrada, e sim noção de direção, nego pega carteira e no dia seguinte quer ir pra praia, não tem como dar certo…

  • zeh

    …tudo de resume em arrecadação….de preferência, sem controle e vigilância de ninguém….

  • Henrique

    Que bom, poderiam também baixar la na CET, a maior e mais poderosa maquina de multas no Brasil, talvez o órgão publico mais incompetente que conheço e que não faz o seu devido trabalho e obrigações. Educação no transito ? Isso nunca existiu e não vai existir nesse lixo de empresa, que só tem funcionários mesmo para penalizar o cidadão, alem de encherem os cofres deles e o rombo da Prefeitura de SP que todos os anos temos que cobrir. Eu não tenho duvidas que a CET também é um outro antro de negociatas e corrupção. Só falta atitude e vontade para ver, e o pior é que eu como cidadão vejo tudo isso pagando cartismos impostos para essa vergonha e incompetência.

  • Gil de Piento

    A turma daqueles dois que disputavam racha entre um Mercedes CLS e um Camaro, que causou uma batida com mortes em um EcoSport, deve ter adorado essa notícia. Bem como o resto dos riquinhos brasileiros que adoram fazer vídeos para colocar no YouTube suas “máquinas” a 180 km/h em rodovias cheias de carros.

  • Raul Pereira

    É o mínimo. Publicidade é princípio da administração pública e o Detran sempre solta uma nota administrativa dizendo que não é necessário isso ou aquilo (placas antes de radares, por exemplo).
    ALém do mais, indicar porque tem um radar é o mínimo. Aqui em Osasco (prova de que isso é só pra arrecadar dinheiro e não para segurança do trânsito), colocaram um radar de farol/velocidade e um semáforo em uma avenida industrial, onde nunca tem ninguém, nenhum pedestre sequer! Lugar extremamente ermo e perigoso de se parar pela iluminação ruim. Fora que há uma passarela (que nenhuma alma viva usa) que passa por cima da linha do trem, ou seja, o mala te assalta e vai pro outro lado da cidade e já era. Ou seja, você corre o risco de ser assaltado e morto, ou de tomar a multa.
    Dois quarteirões pra cima há um hospital, uma escola e uma biblioteca, sem nenhuma fiscalização :)

  • Allysson Santos

    Eu só quero saber, em rodovias, qual estudo diz que velocidade causa acidente?

    Qual estudo diz isso?

    Os acidentes são causados por falta de atenção, cansaço, uso de substâncias psicoativas, imprudência…

    A Alemanha eh exemplo disso, diariamente milhares de carros cruzam suas rodovias a mais de 300km/h e não ocorrem acidentes exponencialmente maiores que em outros países desenvolvidos com limites de velocidade.

    Mas aqui no Brasil a fiscalização foca 80% (ou mais) de suas autuações em controle de velocidade. Se o foco eh arrecadar está otimo, se eh previnir acidentes eh muito ineficiente.

  • Antonio Falm

    Comentários muito pertinentes, e gostaria de acrescentar um outro dado: a falta de credibilidade de nossa sinalização de trânsito. O motorista muitas vezes não acredita nela, por ser confusa e pouco padronizada. Temos também uma péssima engenharia viária. Junte tudo isso à indústria das multas e temos esse desacerto dos tempos modernos.

  • Mustafa Barbosa

    Não entendo como pode hj o cidadão comprar um carro 2.2 em diante se ainda tem gente defendendo essa máfia das multas, acidente se evita com educao partindo dos pedestres estradas foram feitas para deslocamentos rápidos, carros velozes para correr assim como aeronave para sobrevoar.
    Agora ser irresponsável, as margens da lei é outra história até porque quem tem dinheiro tá pouco preocupado com multas com guardas escondidos ele depois paga para um “laranja” transferir os pontos e boas!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email