Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

A Ranger 2018 chegou com duas novas versões e mais equipamentos de tecnologia e segurança, isso tudo sem esquecer do novo visual que havia recebido no ano anterior.


Esse conjunto certamente colocava a picape da Ford como uma das melhores do segmento, apimentando a briga contra Hilux e S10.

Mas será que isso foi suficiente para que ela chegasse ao topo das vendas?

Confira todos os detalhes da Ranger 2018!

Ranger 2018 – detalhes

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Renovada no ano anterior, a Ranger 2018 seguia em sua difícil missão de buscar a liderança no segmento. Mesmo sem a preferência do público em geral, a picape da Ford era reconhecida como uma das melhores entre seus concorrentes.

Um dos motivos era seu visual, que havia recebido alterações pontuais no ano anterior. A dianteira da Ranger 2018 tinha novos para-choques, que por sua vez mudavam o formato dos faróis de neblina.

Além disso, a grade redesenhada invadia o para-choque e trazia acabamentos diferentes em algumas versões, incluindo alumínio na configuração XLS e cromado na topo de linha Limited. Na parte superior, essa peça ainda trazia a inscrição “Ranger”.

Outra grande mudança na parte frontal da picape, talvez a primeira a ser notada quando a comparávamos com o modelo anterior, eram os novos faróis. O conjunto estava mais fino e com um aspecto mais refinado, mas ainda sem xenôn ou LEDs.

Uma última mudança era o capô, que na Ranger 2018 continuava com vincos marcantes e um aspecto mais robusto, além da sustentação por molas a gás. Além dessas mudanças, a Ford também colocou novas rodas de 18 polegadas na versão topo de linha, substituindo as anteriores de 17 polegadas.

Leia também sobre a Ranger 2015.

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Mesmo sem tantas novidades no restante da carroceria, a Ranger 2018 continuava com um visual bem harmônico e robusto. As caixas de roda bem alargadas chamavam a atenção em sua lateral, que ainda contava com um vinco mais pronunciado na base das portas.

Como de costume, vários detalhes mudavam de acordo com a versão, como o tamanho das rodas (que poderiam ser de 17 ou 18 polegadas) e o acabamento das maçanetas e espelhos retrovisores (sempre cromados na opção mais cara).

Já na traseira, a Ranger 2018 não mudava praticamente nada. Continuava com as mesmas lanternas verticais que invadiam bastante as laterais, o para-choque cromado e a enorme inscrição com o nome do modelo na tampa da caçamba.

Por falar no compartimento de carga, a picape sempre contava com 1.180 litros em sua caçamba, já que a linha tinha apenas a versão com cabine dupla (a opção XL com cabine simples só voltou em 2019). A mudança ocorria mesmo quando o assunto era a carga útil, variando entre 1.002 kg e 1.341 kg.

Além disso, a Ranger 2018 tinha uma capacidade de travessia de água de até 800 mm, além de contar com 28 graus de ângulo de entrada e 26 graus de saída.

Interior de picape ou carro de passeio?

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

A tendência que vemos hoje em praticamente todas as picapes, de apresentar um interior cada vez mais parecido aos carros de passeio, já havia chegado à linha da Ford Ranger em 2018.

Nesse caso, isso significava uma forte inspiração no Fusion, assim como a Toyota fazia com a Hilux e o Corolla. A principal semelhança com o sedã da Ford aparecia no painel de instrumentos, que ganhava o mesmo arranjo de velocímetro analógico ladeado por duas telas coloridas.

Além disso, o painel da Ranger 2018 tinha novas saídas de ar, novos comandos para o ar-condicionado e linhas mais retas, apresentando um visual bem mais sofisticado que o modelo anterior. Os bancos em couro da versão topo de linha também foram atualizados e o volante era outra novidade.

Falar sobre o avanço em seu interior também nos leva à melhoria em sua lista de equipamentos. Sim, a Ranger sempre foi uma das picapes mais tecnológicas em nosso mercado, e isso talvez tenha começado exatamente nesse ano.

Como destaque, a picape recebeu o sistema AdvancedTrac, que trazia controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas e controle de descida.

Além disso, ela tinha a direção elétrica como um item que a separava das rivais, que ainda usavam o sistema hidráulico. Segundo a Ford, isso diminuía em 42% o esforço em manobras e ainda aumentava a segurança na estrada, proporcionando mais estabilidade em velocidades maiores.

Outra novidade tecnológica era a central multimídia SYNC 3, com tela de oito polegadas, comandos de voz, assistente de emergência, navegador, Android Auto e Apple CarPlay, um item que estava restrito às versões mais caras XLT e Limited.

A lista de itens de segurança também melhorava com a adição de alerta de colisão, sistema de permanência em faixas, farol alto automático e piloto automático adaptativo. Se esses equipamentos não eram comuns em sedãs e SUVs, imagine no segmento das picapes.

Todos esses itens se juntavam aos sete airbags, monitoramento de pressão dos pneus e Isofix, além de diversos outros equipamentos que compunham a generosa lista da Ranger Limited 2018.

Se a Hilux pode, eu também posso

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

A sede pelo primeiro lugar fez a Ford melhorar ainda mais a Ranger 2018 no Brasil. A picape ficou mais bonita, melhorou seus motores (como você pode ler abaixo) e ganhou diversos itens de tecnologia e segurança.

Com tudo isso, você talvez imagine que ela se tornou a mais cara do segmento, mas a verdade é que a Hilux 2018 quase sempre manteve esse posto. Vendo que tinha um produto mais barato (e melhor, na opinião de muitos na época), a Ford não se intimidou em aumentar os preços de toda a linha. Se a Hilux podia custar caro, a Ranger também queria cobrar mais.

Isso aconteceu pouco tempo depois do lançamento da linha 2018, quando a marca norte-americana anunciou uma nova tabela para sua picape e alterou os valores de todas as versões a diesel, poupando apenas as configurações com motor 2.5 flex.

A opção de entrada XLS 2.2 4×2, por exemplo, ficou R$ 2.420 mais cara e pulou para R$ 139.270. Acima dela, quase todas as outras configurações tiveram aumentos similares, com preços que variavam entre R$ 151.470 (XLS 2.2 4×4) e R$ 165.860 (Sportrac 2.2 4×4).

O maior reajuste, porém, ficou para a XLT, a mais barata com o motor 3.2 e a tração 4×4. Ela subiu mais de R$ 4 mil e chegou aos R$ 178.100. Por outro lado, a versão topo de linha Limited 3.2 manteve seu preço anterior, que era de R$ 190.190 (salgado, mas ainda abaixo da Hilux).

No final das contas, porém, as mudanças da nova linha e as alterações de preço não mudaram o que já vinha acontecendo nos anos anteriores: a Hilux continuava na frente, seguida de perto pela Chevrolet S10.

Ao final de 2018, a picape da Toyota acumulou 39.278 unidades e 19,62% do segmento, seguida pela S10 (31.761 e 15,87%) e só depois pela Ranger 2018 (20.552 e 10,27%).

E, claro, não podemos nos esquecer da líder Fiat Toro 2018, que incomodava (e muito) as picapes maiores com suas 58.477 unidades vendidas no ano. Se ela deveria ser colocada no mesmo segmento ou não é uma discussão para outra matéria.

Ranger 2018 – novidades

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

A principal novidade da Ranger 2018 foi a chegada da versão Sportrac, anunciada em agosto de 2017 por R$ 162.990. Com apelo esportivo e baseada na configuração XLT 2.2 4×4, a nova versão se posicionava como a mais cara com esse conjunto mecânico.

Os diferenciais da Ranger Sportrac eram basicamente visuais e incluíam itens pintados na cor cinza London (como os estribos laterais, soleiras e santoantônio) e adesivos espalhados pela carroceria, além das rodas de liga leve de 17 polegadas pintadas no mesmo tom cinza.

Por dentro, ela tinha apenas o nome da versão gravado no encosto de cabeça. Além disso, oferecia uma boa dose de equipamentos, como controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, ar-condicionado, direção elétrica e sete airbags.

Além dessa nova versão, outra mudança em termos de equipamentos para toda a linha da Ranger 2018 veio com a adição do sensor de estacionamento e da câmera de ré como itens de série. Isso reforçava sua proposta de ser uma picape bem completa em todas as versões.

De olho no crescimento da Fiat Toro, a Ford ainda complementou a linha da Ranger 2018 com a nova versão XLS 2.2 4×2, que passaria a se apresentar como a opção mais barata com motorização a diesel.

Essa versão tinha o motor 2.2 de 160 cv e 39,3 kgfm acoplado ao câmbio manual de 6 marchas, com preço sugerido em seu lançamento de R$ 136.850.

Ranger 2018 – versões

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Confira abaixo a linha completa da Ranger 2018, que oferecia nove versões, três tipos de motorização, câmbio manual ou automático e ainda tração 4×2 ou 4×4.

Vale lembrar que a opção voltada ao trabalho XL, Ranger cabine simples, estava fora de linha, voltando apenas no ano seguinte ao catálogo.

Confira todas as versões:

  • Ranger XLS 2.5 MT
  • Ranger XLT 2.5 MT
  • Ranger Limited 2.5 MT
  • Ranger XLS 2.2 4×2 MT
  • Ranger XLS 2.2 4×4 MT
  • Ranger XLS 2.2 4×4 AT
  • Ranger Sportrac 2.2 4×4 AT
  • Ranger XLT 3.2 4×4 AT
  • Ranger Limited 3.2 4×4 AT

Cores disponíveis: Branco Ártico (sólida); Prata Geada e Prata Viena (metálicas); Cinza Moscou, Preto Gales, Azul Aurora e Vermelho Toscana (perolizadas).

Ranger 2018 – equipamentos

Ranger XLS (disponível com os motores 2.5 Flex ou 2.2 Diesel)

ITENS DE SÉRIE: AdvanceTrac (controles de tração, estabilidade e assistente de partida em rampa), ar-condicionado analógico, banco do motorista com ajuste manual de altura e lombar, cintos de segurança de três pontos e encostos de cabeça para os cinco ocupantes, controle adaptativo de carga, direção elétrica, faróis com acabamento escurecido, faróis de neblina, iluminação na caçamba, piloto automático com limitador de velocidade, rádio com CD, MP3 e Bluetooth, retrovisores elétricos, rodas de liga leve de 17 polegadas, sete airbags, Sync Media System com AppLink e Assistente de Emergência, travas elétricas, vidros elétricos, entre outros.

Ranger XLT (disponível com os motores 2.5 Flex ou 3.2 Diesel)

ITENS DE SÉRIE: itens acima + ar-condicionado automático e digital de dupla zona, central multimídia SYNC 3 com tela sensível ao toque de 8 polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, bancos em couro, capota marítima, monitoramento de pressão dos pneus, volante multifuncional em couro, rodas de liga leve de 18 polegadas com pneus All Season, entre outros.

OPCIONAL: santantônio.

Ranger Sportrac (disponível com o motor 2.2 Diesel)

ITENS DE SÉRIE: itens acima + aplique no para-choque dianteiro, adesivo lateral na caçamba e portas traseiras, santantônio e estribos laterais na cor cinza London, assinatura Sportrac gravada nas soleiras de vinil e bordada nos apoios de cabeça dianteiros.

Ranger Limited (disponível com os motores 2.5 Flex ou 3.2 Diesel)

ITENS DE SÉRIE: itens da versão XLT + banco do motorista com ajuste elétrico em oito posições, piloto automático adaptativo, personalização da luz ambiente em sete cores, sistema de permanência em faixa, farol alto automático, entre outros.

Ranger 2018 – preços

Veja quais eram os preços de lançamento da Ford Ranger 2018, que tinha uma linha completa com três versões flex e seis opções a diesel, nesse último caso divididas em dois motores.

Além dos preços da época, veja também os valores atuais no mercado de usados, conforme a tabela Fipe.

Confira os valores:

  • Ranger XLS 2.5 MT – R$ 106.990 (R$ 97.010)
  • Ranger XLT 2.5 MT – R$ 118.420 (R$ 104.780)
  • Ranger Limited 2.5 MT – R$ 126.490 (R$ 111.220)
  • Ranger XLS 2.2 4×2 MT – R$ 136.850 (R$ 110.320)
  • Ranger XLS 2.2 4×4 MT – R$ 148.850 (R$ 124.260)
  • Ranger XLS 2.2 4×4 AT – R$ 156.700 (R$ 139.270)
  • Ranger Sportrac 2.2 4×4 AT – R$ 162.990 (R$ 141.360)
  • Ranger XLT 3.2 4×4 AT – R$ 174.990 (R$ 155.730)
  • Ranger Limited 3.2 4×4 AT – R$ 188.890 (R$ 170.220)

(Valores atuais conforme a tabela Fipe, em julho de 2021)

Ranger 2018 – motor

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Mesmo sem alterar sua linha de motores, a Ranger 2018 trouxe algumas novidades que foram muito bem recebidas pelo mercado e que melhoraram seu desempenho.

A principal mudança foi a atualização do motor 2.2 diesel, que teve um aumento de potência e torque, passando de 150 cv para 160 cv e de 38,2 kgfm para 39,3 kgfm.

Outro aprimoramento, que também foi aplicado no propulsor 3.2 diesel, foi a adoção de novos bicos injetores, novo turbocompressor e um novo desenho dos cilindros, deixando ambos 15% mais econômicos.

Acompanhando a chegada da direção elétrica, que melhorou a condução da Ranger 2018, a Ford também colocou novos coxins de motor e cabine para reduzir o nível de vibrações.

Com isso, a opção de entrada entre as versões a diesel era o motor 2.2, com disposição longitudinal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, turbocompressor e injeção direta de combustível. Esse motor entregava 160 cv a 3.200 rpm e 39,3 kgfm de torque a 1.600 rpm.

Ele poderia ser acoplado ao câmbio manual de 6 marchas ou, como novidade nessa linha, à transmissão automática de 6 velocidades.

A opção mais potente, porém, seguia com o motor 3.2 de 5 cilindros em linha, 20 válvulas, turbocompressor e injeção direta. Com ele, a Ranger 2018 entregava 200 cv a 3.000 rpm e 47,9 kgfm de torque a 1.750 rpm. Nesse caso, a transmissão era sempre automática de 6 velocidades.

Não podemos nos esquecer, porém, que nessa época a Ranger ainda era vendida com o motor 2.5 flex, algo que hoje não acontece mais na Ranger 2022. Esse motor também era longitudinal, com 4 cilindros e 16 válvulas, mas tinha aspiração natural e injeção multiponto.

Ainda que a preferência do público fosse pelas versões a diesel, seus números não eram ruins: 168 cv com gasolina ou 173 cv com etanol (a 5.500 rpm) e 24,3/25 kgfm de torque, respectivamente (a 4.500 rpm). O câmbio era sempre manual, com 5 marchas.

Ranger 2018 – desempenho

Quer saber como se comportava cada versão da Ranger 2018 na aceleração de 0 a 100 km/h e na velocidade máxima? Confira os números:

  • Ranger 2.5 Flex – 12,5 segundos e 171 km/h
  • Ranger 2.2 Diesel – 15 segundos e 164 km/h
  • Ranger 3.2 Diesel – 11,6 segundos e 180 km/h

Ranger 2018 – consumo

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Veja também o consumo de cada configuração da Ranger 2018:

CONSUMO CIDADE

  • Ranger 2.5 Flex – 4 km/l com etanol e 5,2 km/l com gasolina
  • Ranger 2.2 Diesel 4×2 – 10,5 km/l
  • Ranger 2.2 Diesel 4×4 MT – 8,5 km/l
  • Ranger 2.2 Diesel 4×4 AT – 8,4 km/l
  • Ranger 3.2 Diesel – 8,3 km/l

CONSUMO ESTRADA

  • Ranger 2.5 Flex – 5,9 km/l com etanol e 7,6 km/l com gasolina
  • Ranger 2.2 Diesel 4×2 – 12,2 km/l
  • Ranger 2.2 Diesel 4×4 MT – 10,5 km/l
  • Ranger 2.2 Diesel 4×4 AT – 10,4 km/l
  • Ranger 3.2 Diesel – 9,5 km/l

Ranger 2018 – manutenção e revisão

Ranger 2018: detalhes, preço, versões, ficha, motor, consumo

Uma boa notícia para quem estava interessado na Ranger 2018 era o aumento em sua garantia, que passou de três para cinco anos. Além disso, as revisões programadas passaram de 6 para 12 meses ou 10.000 km, o que ocorresse primeiro.

Além do tempo maior de garantia, a mudança nas paradas obrigatórias tornou a manutenção da picape mais barata. Segundo a Ford, a redução foi de 34% nas versões 3.2 e até 39% nos modelos 2.2. Confira abaixo os valores:

Revisão

Custo

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 2.5 Flex

Preços 2.2 Diesel

Preços 3.2 Diesel

10.000 km

R$ 839

R$ 999

R$ 1.019

20.000 km

R$ 839

R$ 999

R$ 1.019

30.000 km

R$ 1.679

R$ 1.359

R$ 1.519

40.000 km

R$ 929

R$ 1.149

R$ 1.119

50.000 km

R$ 929

R$ 1.149

R$ 1.119

60.000 km

R$ 2.019

R$ 1.429

R$ 1.619

Total

R$ 7.234

R$ 7.084

R$ 7.414

Ranger 2018 – ficha técnica

Motor

2.5 Flex

2.2 Diesel

3.2 Diesel

Tipo

Dianteiro, longitudinal, Etanol e Gasolina

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

5 em linha

Cilindrada em cm3

2488

2198

3198

Válvulas

16

16

20

Taxa de compressão

9,7:1

15,5:1

15,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Direta

Direta

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 168 cv @ 5500 rpm / Etanol: 173 cv @ 5500 rpm

Diesel: 160 cv @ 3200 rpm

Diesel: 200 cv @ 3000 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 24,3 kgfm @ 4500 rpm /Etanol: 25 kgfm @ 4500 rpm

Diesel: 39,3 kgfm @ 1600 rpm

Diesel: 47,9 kgfm @ 1750 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 5 marchas

Manual ou Automática de 6 marchas

Automática de 6 marchas

Tração

Tipo

4×2 (traseira)

4×2 ou 4×4

4×4 com reduzida

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Direção

Tipo

Elétrica

Elétrica

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Braços sobrepostos

Braços sobrepostos

Braços sobrepostos

Traseira

Eixo rígido

Eixo rígido

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 17 ou 18

Liga Leve aro 17

Liga Leve aro 18

Pneus

265/65 R17 ou 265/60 R18

265/65 R17

265/60 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)

5354

5354

5354

Largura sem retrovisores (mm)

1860

1860

1860

Altura (mm)

1815

1815

1815

Distância entre os eixos (mm)

3220

3220

3220

Capacidades

Porta-malas (litros)

1180

1180

1180

Tanque (litros)

80

80

80

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

1261 a 1341

1114

1002 a 1032

Peso em ordem de marcha (kg)

1859 a 1939

2086 a 2168

2086  2168

Ângulo de entrada e saída (graus)

28/26

28/26

28/26

Ranger 2018 – fotos

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 17 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.