Ford História Pickups

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo
Ford Ranger Cabine Simples

A Ranger Cabine Simples é uma versão que hoje não existe mais na picape da Ford.

Lançada originalmente nos Estados Unidos, a Ford Ranger nasceu como uma proposta de picape menor aos modelos da linha Série F, com dimensões inferiores, mais leve e mais prática para o dia a dia.


A Ranger Cabine Simples, por exemplo, chegou como um modelo ideal para serviços mais leves e para o uso no perímetro urbano.

No Brasil, a primeira Ford Ranger chegou no ano de 1994 já na segunda geração da picape.

O modelo foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro de 1994, mas começou a ser vendida somente em fevereiro do ano seguinte.


A versão Ranger Cabine Simples foi ofertada durante praticamente toda a “vida” da picape média da Ford no Brasil.

Por outro lado, o utilitário com caçamba mais ampla deixou de ser ofertado recentemente com a chegada da linha Ranger 2020. Hoje a picape pode ser encontrada somente com carroceria Cabine Dupla e motorização turbodiesel.

Porém, ainda dá para encontrar alguns exemplares da Ranger com carroceria Cabine Simples 0 km nas concessionárias, bem como o modelo de versões e gerações anteriores entre os carros usados e seminovos.

Confira abaixo os principais detalhes e a história da Ford Ranger Cabine Simples no Brasil:

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Ranger Cabine Simples – história

Lançamento da Ranger Cabine Simples em 1994

A primeira leva da Ranger estreou em 1994 duas versões de acabamento.

Estas eram a XL, no caso da Ranger Cabine Simples e com acabamento mais simples, e a STX, na Ranger Cabine Estendida, essa com um visual mais sofisticado com detalhes cromados e rodas de alumínio e ainda um interior mais refinado.

Todas elas eram importadas diretamente dos Estados Unidos.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

De série, a primeira Ranger contava com freios traseiros com sistema ABS (antitravamento) e ar-condicionado.

O motor era um 4.0 litros V6 a gasolina, capaz de desenvolver 162 cavalos de potência, a 4.200 rpm, e 30,4 kgfm de torque, a 3.000 rpm, com câmbio manual de cinco marchas e tração traseira.

Comparada com as rivais japonesas da época, como a Toyota Hilux e a Mitsubishi L200, a Ranger Cabine Simples tinha uma proposta diferente.

Focava mais no conforto ao rodar e no refinamento, enquanto as demais tinham uma proposta mais “bruta”, com foco no trabalho.

Tanto é que a Ranger era a picape que mais se aproximava de um carro de passeio.

Além disso, graças ao motor V6, a Ranger CS conseguia entregar um bom desempenho: podia acelerar de 0 a 100 km/h em cerca de 11 segundos e atingir velocidade máxima de 171 km/h.

Nas dimensões, 4,67 metros de comprimento, 1,76 m de largura e 1,55 m de altura, com entre-eixos de 2,74 m. A picape oferece ainda capacidade de carga para 650 litros.

Cerca de três anos após sua chegada ao Brasil, em 1997, a Ford Ranger passou a ser fabricada em Pacheco, na Argentina.

A versão “hermana” da picape trouxe ainda outras mudanças, como o motor 2.3 litros a gasolina (importado do Brasil), com quatro cilindros, injeção multiponto e duas velas por cilindro, com 114 cv, a 5.400 rpm, e 18,7 kgfm, a 3.200 rpm.

Nova geração da Ford Ranger em 1998

Já em março de 1998, a Ford anunciou a chegada da nova Ranger.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Considerada uma nova geração, a picape recebeu uma série de mudanças para evocar um espírito mais voltada ao trabalho, com maior altura do solo, capacidade de carga de 1.090 kg no modelo Ranger Cab.

Simples, novo motor turbodiesel, opção de tração 4×4 e uma gama maior de versões.

A Ranger Cabine Simples de nova geração recebeu uma cabine alongada em quase 8 centímetros, tendo como objetivo aumentar o espaço para pequenas bagagens atrás dos bancos.

Por isso, a Ranger Cabine Estendida foi descontinuada – este modelo voltou a ser oferecido em 1999 com duas pequenas portas traseiras com abertura tipo “suicida”.

Entre os motores, seguiu com o 4.0 V6. Porém, adotou um novo 2.5 litros a gasolina de 121 cv e 20,2 kgfm, e um 2.5 litros turbodiesel de 115 cv e 29 kgfm, este último até com tração 4×4.

Porém, em 2001, a Ford fez novas mudanças nos motores.

Chegou um novo 2.3 litros quatro cilindros a gasolina, com 137 cv e 21,2 kgfm, ao passo que a Ranger V6 teve sua potência ampliada para 210 cv e passou a contar com a opção de câmbio automático de quatro marchas.

Em 2002, outra mudança nos motores.

A Ford Ranger ganhou a opção do motor 2.8 International turbodiesel de quatro cilindros, com turbocompressor de geometria variável, de 135 cv e 38,2 kgfm – havia também o 2.8 com turbo convencional, de 132 cv e 36,2 kgfm.

Reestilização da Ford Ranger em 2005

Mais tarde, em julho de 2005, a Ford Ranger recebeu novas mudanças visuais com inspiração no modelo vendido nos Estados Unidos.

Entre as novidades, a picape adotou uma grade frontal mais robusta, com formas parecidas com a da Ford F-250.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Além disso, a Ranger passou a contar com novos faróis, para-choques redesenhados, novos para-lamas, capô retocado, novos retrovisores nas laterais e novas lanternas traseiras.

Por dentro, as novidades ficaram por conta do interior com bancos e consoles mais largos, novos porta-objetos e banco traseiro mais alto (na Ranger Cabine Dupla).

Ainda entre as mudanças, a Ranger 2005 recebeu mudanças na suspensão para ficar mais confortável. Ganhou ainda um novo motor 3.0 litros com injeção common-rail, turbodiesel, de 162 cv e 38,7 kgfm.

A Ranger 2005 podia ser encontrada nas carrocerias cabine simples e dupla, nas versões XL, XLS, XLT e Limited, com preços entre R$ 63 mil e R$ 98 mil.

De série, itens como direção hidráulica, ar-condicionado, vidros e travas elétricas, retrovisores elétricos e alarme antifurto desde a versão mais em conta.

Novas mudanças visuais na Ranger 2010

As últimas alterações da antiga geração da Ford Ranger foram anunciadas em julho de 2009.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Com um visual um tanto quanto controverso, a picape passou a exibir faróis com linhas mais retas e formato quadrado, ampla grade frontal com barras horizontais e acabamento cromado, lanternas traseiras com lente translúcida e ainda novos para-choques.

O interior adotou apenas detalhes de acabamento na cor preta, bancos com novo padrão de revestimento e painel de instrumentos com novo grafismo e aeros prateados.

Para completar, um novo volante de quatro raios.

A Ford Ranger 2010 foi anunciada em quatro versões (XL, XLS, XLT e XLT Limited), com carroceria simples ou dupla e dois tipos de tração (4×2 e 4×4).

Os preços variavam de R$ 45,9 mil a R$ 96,8 mil.

Nova geração global da Ford Ranger em 2012

Em julho de 2012, a Ford apresentou a Ranger de nova geração aos brasileiros. Importada da Argentina, a picape evoluiu consideravelmente e ficou bem maior, mais espaçosa, confortável e moderna que sua antiga geração.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Para se ter uma noção, ela cresceu em 21 centímetros no comprimento e passou a comportar 1.800 litros na caçamba da Ranger Cabine Simples (345 l a mais).

A nova Ford Ranger foi anunciada com um motor 2.5 litros Duratec flex de 173 cv e 24,7 kgfm, 2.2 litros turbodiesel de 125 cv e 32 kgfm (que passou para 150 cv e 38 kgfm em 2014) ou 3.2 litros Duratorq turbodiesel de cinco cilindros, com 200 cv e 48 kgfm, este último com opção de câmbio automático de seis marchas.

Ela chegou em quatro versões de acabamento (XL destinada somente a frotistas, XLS, XLT e Limited), com cabine simples ou dupla, motores flex ou dois turbodiesel, câmbio manual ou automático e tração 4×2 ou 4×4.

Todos esses modelos somam 13 configurações diferentes.

Além da caçamba bastante ampla, a Ford Ranger Cabine Simples de nova geração oferece capacidade de carga para 1,4 tonelada.

Desde a versão de entrada, a Ranger 2012 já contava com airbag duplo, freios ABS com EBD, banco do motorista e volante ajustáveis e altura, ar-condicionado, direção hidráulica, alarme, computador de bordo, rodas de alumínio de 16 polegadas, vidros elétricos, sistema de som com tela de 4,2 polegadas no painel, entre outros.

Veja abaixo os preços da nova Ranger 2012:

  • Ford Ranger 2.5 Flex XLS 4×2 CS: R$ 61.900
  • Ford Ranger XL 2.2 Diesel 4×4 CS (frotistas): de R$ 77.900 a R$ 92.500
  • Ford Ranger XLS 3.2 Diesel 4×4 CS: R$ 97.900

Mais tarde, em 2014, chegou a Ranger Sport Cabine Simples por R$ 67.990.

Trazia aplique plástico frontal, faixas laterais, adesivos Sport, soleiras de porta e santoantônio. O motor era o 2.5 litros flex.

Ford Ranger 2017 com visual reestilizado

As primeiras mudanças da Ranger de nova geração chegaram em abril de 2016. Porém, na ocasião, a picape não ofertou a carroceria cabine simples.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

A então nova Ranger 2017 ganhou uma nova grade trapezoidal, faróis com formato mais longo e espichado, faróis de neblina redesenhados e novos para-choques. Adotou também novas rodas.

O interior foi o ponto da picape que mais mudou.

Lá, a Ford Ranger ganhou um painel totalmente redesenhado, agora com linhas mais horizontais e novos recursos, como o sistema multimídia SYNC com tela sensível ao toque e até um painel de instrumentos com duas telas digitais configuráveis.

Todas as versões passaram a contar com três airbags (na Ranger Cabine Simples) ou sete airbags (na Ranger Cabine Dupla), controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas e diferencial traseiro blocante nos modelos 4×4.

A respeito dos motores, o 2.5 Duratec flex abandou o tanquinho de partida a frio, enquanto o 2.2 a diesel passou a gerar 160 cv (10 cv a mais) e o 3.2 a diesel seguiu com 200 cv, mas agora com turbo e válvulas diferentes e novos injetores.

Além disso, a picape abandonou a direção hidráulica para adotar a direção elétrica.

Retorno da Ranger Cabine Simples em 2018

Ausente desde o lançamento da Ranger reestilizada, a Ranger Cabine Simples voltou a ser uma opção em 2018. A picape chegou com a maor capacidade de carga da categoria, podendo levar até 1.234 kg na caçamba.

O novo modelo chegou com o motor 2.2 litros Duratorq turbodiesel de quatro cilindros, de 160 cv e 39,3 kgfm, acoplado ao câmbio manual de seis marchas, tração integral 4×4 e diferencial traseiro blocante.

A Ranger Cabine Simples chegou na configuração XL, com diferencial traseiro blocante eletrônico, direção elétrica, controle adaptativo de carga, controles de estabilidade, tração e anticapotamento, assistente de partida em rampas, controle automático de descida, assistente de frenagem de emergência, sistema de som, volante multifuncional, piloto automático, entre outros.

O preço da Ranger XL 2.2 Cabine Simples era de R$ 129.300.

Tal modelo, porém, foi descontinuado no início de 2019.

Recentemente, a Ford Ranger 2020 estreou com retoques visuais, novos equipamentos e melhorias mecânicas, mas só na carroceria cabine dupla.

Ranger Cabine Simples – detalhes

Assim como acontece com toda picape destinada ao trabalho, a Ford Ranger Cabine Simples tem como destaque sua capacidade de carga e a ampla caçamba.

A atual geração da picape média com carroceria cabine simples tem capacidade para 1.800 litros na caçamba e capacidade de carga de 1.455 quilos.

Esta caçamba da Ranger Cabine Simples permite carregar os mais variados tipos de objetos, como cargas e volumes de trabalho e até motocicletas, por exemplo.

Em determinadas versões, a picape dispõe do santantônio, que facilita a acomodação e amarração de cargas mais compridas.

A caçamba da picape dispõe também de oito ganchos para amarrar bem os objetos.

Todavia, ela não sai de fábrica com recursos como protetor de caçamba, que evita amassados e arranhões na lataria do compartimento de carga.

De resto, ela segue a mesma linha das demais versões da Ranger. O interior é amplo e bem acabado.

Além disso, a picape é bem equipada e conta com recursos interessantes, como direção elétrica, ar-condicionado, sistema de som com Bluetooth e comandos de voz, piloto automático, controles de estabilidade e tração, assistente anticapotamento, controle adaptativo de carga (que ajuda a manter a estabilidade da picape em frenagens ou manobras quando ele possui carga na caçamba), entre outros.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Ranger Cabine Simples – versões

A Ford Ranger Cabine Simples saiu de linha. Todavia, o último modelo oferecido foi a Ranger XL Cabine Simples, equipada com motor 2.2 litros turbodiesel e câmbio manual.

A atual geração do modelo foi ofertada também nas versões Sport 2.5 Flex e XLS 3.2 Diesel.

Ranger Cabine Simples – preços

Como a Ford Ranger Cabine Simples saiu de linha em 2019, não há preços do modelo 0 km.

Porém, selecionamos alguns exemplos de Ranger CS seminovas e usadas com base nos preços da Tabela Fipe.

Confira:

  • Ford Ranger Sport 2.5 Flex CS 2016: R$ 64.950
  • Ford Ranger XL 2.2 Diesel CS 2015: R$ 69.500
  • Ford Ranger XLS 3.2 Diesel CS 2015: R$ 77.500
  • Ford Ranger XLS 3.0 CS 2011: R$ 47.400
  • Ford Ranger XL 3.0 4×4 CS 2005: R$ 31.200

Ranger Cabine Simples – motor, câmbio e desempenho

A extinta Ranger XL Cabine Simples 2019 usa um motor 2.2 litros Duratorq de quatro cilindros, com turbocompressor, injeção direta e intercooler, capaz de entregar 160 cavalos de potência, a 3.200 rpm, e 39,3 kgfm de torque, a 1.600 rpm.

Ele está combinado a um câmbio manual de seis marchas e tração nas quatro rodas.

De acordo com dados da Ford, a Ranger Cabine Simples 2019 pode acelerar de 0 a 100 km/h em 15 segundos. Já a velocidade máxima da picape é de 164 km/h.

Há também outros modelos da Ranger Cabine Simples de atual geração.

A Ranger Sport CS, por exemplo, oferece o motor 2.5 litros Duratec flex de quatro cilindros, que rende 168 cv na gasolina e 173 cv no etanol, a 5.500 rpm, e torque de 24 e 24,7 kgfm, respectivamente, a 4.250 rpm.

Ainda de acordo com a Ford, a Ranger CS 2.5 Flex pode alcançar os 100 km/h em 12,3 segundos e velocidade máxima de 172 km/h.

Outro modelo é a Ranger XLS 3.2 CS, ofertada até meados de 2015.

Esta picape usa o 3.2 Duratorq turbodiesel de cinco cilindros, neste caso com 200 cv, a 3.000 rpm, e 47,9 kgfm, a 1.750 rpm, combinado ao câmbio manual de seis marchas e tração 4×4.

A Ranger 3.2 CS pode acelerar de 0 a 100 km/h em 11,4 segundos. Já a velocidade máxima é de 181 km/h.

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Ranger Cabine Simples – consumo

Confira abaixo os números de consumo da Ranger Cabine Simples:

Ford Ranger XL 2.2 Diesel Cabine Simples 2019

  • 9,3 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada com diesel

Ford Ranger Sport 2.5 Flex Cabine Simples 2015

  • 4,1 km/l na cidade e 6 km/l na estrada com etanol
  • 5,3 km/l na cidade e 7,7 km/l na estrada com gasolina

Ford Ranger XLS 3.2 Diesel Cabine Simples 2015

  • 6 km/l na cidade e 9 km/l na estrada com diesel

Ranger Cabine Simples – manutenção e revisões

Veja abaixo os valores das revisões da Ford Ranger 2.2 2019:

  • 10.000 km: R$ 499
  • 20.000 km: R$ 849
  • 30.000 km: R$ 1.049
  • 40.000 km: R$ 964
  • 50.000 km: R$ 691
  • 60.000 km: R$ 1.441

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo

Ranger Cabine Simples – ficha técnica

Motor

2.5 Flex

2.2 Diesel

3.2 Diesel

Tipo

Dianteiro, longitudinal, Etanol e Gasolina

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

5 em linha

Cilindrada em cm3

2488

2.198

3198

Válvulas

16

16

20

Taxa de compressão

9,7:1

15,5:1

15,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Direta

Direta

Potência Máxima

168 cv (gasolina) e 173 cv (etanol) a 5.500 rpm

160 cv a 3200 rpm

200 cv a 3000 rpm

Torque Máximo

24 kgfm (gasolina) e 24,7 kgfm (etanol) a 4.500 rpm

39,3 kgfm a 1600 rpm

47,9 kgfm a 1750 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de 5 marchas

Manual de 6 marchas

Manual de 6 marchas

Tração

Tipo

4×2

4×4 com reduzida

4×4 com reduzida

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e tambor (traseira)

Disco ventilado (dianteira) e tambor (traseira)

Disco ventilado (dianteira) e tambor (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Elétrica

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Traseira

Eixo rígido

Eixo rígido

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 17 polegadas

Aço de 16 polegadas

Liga-leve de 16 polegadas

Pneus

265/65 R17

255/70 R16

255/70 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

5.354

5.354

5.351

Largura sem retrovisores (mm)

1.850

1.860

1.850

Altura (mm)

1.806

1.806

1.806

Distância entre os eixos (mm)

3.220

3.220

3.220

Capacidades

Caçamba (litros)

1.800

1.800

1.800

Tanque (litros)

80

80

80

Carga útil (kg)

1.455

1.234

1.219

Peso em ordem de marcha (kg)

1.745

1.966

1.981

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

ND

Ranger Cabine Simples: história, detalhes, motor, desempenho, consumo
Nota média 2.5 de 2 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Marcus Vinicius

    A primeira Ranger contava com freios traseiros com sistema ABS ,ar-condicionado e também airbag-duplo já que era importada dos EUA sendo que na sua época a única que batia de frente com ela era a dodge dakota paranaense igualmente equipada como a ranger da época.
    A cabine estendida da Ranger podia voltar para disputar mercado com Strada e Saveiro Cabine Dupla.

  • Robinho

    tirando o modelo 2010, sempre foi na minha opnião a picape mais bonita do mercado brasileiro.

    • Unknown

      Concordo, mas eu gosto da simplicidade das linhas do modelo 2010.

  • El Gato!

    A Ranger 2010 entrou para a história como uma das maiores gambiarras da história da Ford. Aquele aplique plástico na lateral tinha o objetivo de esconder a diferença de altura entre os vincos inferiores da porta e da caçamba, originada por uma falha do projeto.

    • Mikoyan

      No modelo cabine simples 2010 usaram a cabine nova com a caçamba dos modelos antigos, ai ocorreu esse problema da diferença no desenho dos vincos.

  • zekinha71

    Tive uma XL 2.3 97, na época ela estava beirando os 10 anos, mas estava totalmente zerada, fiquei quase 3 anos com ela e me diverti muito, uma delícia, mas infelizmente tive que vender pois não tinha onde guardar.
    Minha tristeza foi ver ela depois de 6 meses totalmente destruída, depois descobri o porque do estado lastimável, o animal que comprou não sabia dirigir e comprou pra aprender e ostentar, isso tudo no meio de São Paulo, na primeira semana o cara bateu num poste e o passageiro estava sem cinto voou pelo vidro, quando eu vi estava o buraco no parabrisa onde o mané voou e pelo jeito o cara não ia trocar o vidro.
    Se não tivesse vendido ia estar com ela até hj.

  • JCosta

    A cabine estendida com portas suicidas foi, de longe, a mais bonita e funcional.

    • Leonardo Nunes

      Exatamente, sempre quis ter uma cabine estendida, pro que preciso hoje me atenderia demais, porém a Cabine dupla é mto grande e a Simples me faltaria espaço na cabine, mass enfim agora somente usada :(

  • Cebobina

    O consumo do diesel 3.2 impressiona nevativamente.

  • Fabão Rocky

    Gostava mto dakela versão de cabine estendida da Ranger. Acho q deveriam fazer picapes c/ cabine estendida nesse novo segmento de picapes como o da Fiat Toro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email