Finanças

Refinanciamento pode ser saída para quem não consegue pagar prestação do carro

concessionaria2811-620x465 Refinanciamento pode ser saída para quem não consegue pagar prestação do carro

Cada banco tem seus critérios, mas é importante saber exatamente de que valor se pode dispor todo mês



Sueli Osório

Se você financiou seu carro, teve algum contratempo financeiro e não está conseguindo pagar as parcelas, não se desespere. Saiba que a renegociação é uma das possibilidades para encaixar a dívida no seu fluxo financeiro.

Segundo Nicola Tingas, economista-chefe da Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), cada instituição financeira define sua política para o refinanciamento e, normalmente, estuda caso a caso. “O importante é que, antes do refinanciamento, o consumidor tenha uma visão clara de seu fluxo de caixa, com meses de antecedência, vendo que valor entra e sai todo mês, para ter certeza de quanto pode pagar pelas parcelas”, explica. “Se pagava R$ 500 de prestação, mas hoje só pode pagar R$ 300, o cliente deve negociar com o banco de forma consciente para que o problema não ocorra novamente lá na frente”, enfatiza.

Segundo Décio Carbonari, presidente da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), para saber como funciona o refinanciamento, os procedimentos e documentações necessários e as taxas cobradas, é recomendado que o consumidor procure a instituição financeira que concedeu o crédito para esclarecer e tirar as dúvidas. Isso pode ser feito por telefone ou pessoalmente.

Novo contrato

A renegociação de dívida requer do banco a emissão de um novo contrato, conforme regras do Banco Central. Carbonari afirma que o procedimento geralmente não é demorado e  o cliente pode ter boa noção de quanto pagará e do novo prazo pela internet. “Muitas instituições oferecem simulação de refinanciamento de veículos online, o que é muito útil para saber o novo valor da prestação, prazo e taxa de juros cobrada, e ver se realmente vale a pena refinanciar o veículo.”

  • fschulz84

    O refinanciamento é uma clara consequência de falta de planejamento do contratante.

    Existem exceções, como pessoas que refinanciam um bem para ter capital em mãos para investir em outra coisa ou emergências e situações imprevistas.

    E o grande porém nisso é o erro de, novamente, só se pensar em valor de parcela… Os juros no financiamento já são altos, em caso de refinanciamento, srão cobrados juros sobre juros, ou seja, de qualquer maneira quem ganha e muito é só a instituição financeira…

    Acho que vou abrir uma financeira, aqui no Brasil dá muito retorno…

    • Gearhead

      Nem sempre é falta de planejamento. Imprevistos também acontecem.

      • Gustavo73

        Sim imprevistos acontecem. E exatamente por isso que se deve pensar muito antes de assumir um compromisso financeiro que não raro chega a 5 anos. Principalmente com um produto que valerá a metade quando vc terminar de pagá-lo. Muitos pensam só na parcela do carro. Se esquecem do seguro, IPVA, revisões, gasolina…
        A não ser que vc seja funcionário público, o imprevisto de perder o emprego sempre existe, Aumento nas suas despesas ao longo dos anos sem que o seu salário acompanhe tb não é nada incomum.
        Infelizmente muitos estão dando um passo maior que a perna, e depois vão reclamar do Banco ( não é santo, mas não colocou uma arma na sua cabeça para vc adquirir um bem)

        • fschulz84

          Exatamente, acho que boa parte da inadimplência vem deste ponto de dar o passo maior que a perna…

          A pessoa vê lá no banco que tem 60000 de crédito liberado, vai lá e quer o carro de 60000….

          Na minha última troca de carro, o banco me liberou uma quantia 5 vezes maior do que eu precisava pra efetivar o negócio, mesmo assim, mantive o mesmo pensamento do negócio que eu queria realizar, dentro do meu orçamento e não me deixei "cair na tentação" de assumir uma dívida que talvez mais pra frente eu poderia não conseguir arcar.

      • fschulz84

        Sim, mas ai entra na exceção, como mencionei…

        Mas a grande questão, como o colega Gustavo73 mencionou, é que muita gente acha que carro é só colocar gasolina e sair rodando e acha que se tem condições de pagar a parcela, tem condições de ter o carro…

        Eu controlo mensalmente todas as minhas despesas com carro… Mesmo quando financio, procuro sempre comprar aquilo que sei que tenho condições de arcar… Sempre dou entrada superior a 60% do valor e financio em no máximo dois anos… Controlo despesas com manutenção preventiva (sempre faço impreterivelmente nos momentos indicados no manual), combustível, IPVA, estacionamento e quaisquer outras despesas que posso ter com o carro e sempre deixo guardado uma quantia para o caso de algum imprevisto..

    • mgbalbo

      1) shit happens
      2) tudo funciona com "juros sobre juros".
      3) dá mesmo

  • _Adriano__

    Se nao pode pagar nao compra, quer andar de carro pra se mostrar pros outros coisa que vc nao é, cria vergonha na cara que é melhor vc ter sustento em casa do que um carro na garagem, povo é muito burro!
    Refinanciamento é a cartada certa pro banco tirar mais dinheiro do trouxa!

    • epicentro01

      Concordo com você. A matéria deveria ser: "Andar a pé é o mais sensato para quem não consegue pagar um carro." ou ainda: "Compre o carro que cabe no seu bolso, não faça m…"

      • Hoosier 559

        Hahaha, com certeza seria o melhor título para a matéria!

    • MFranklin

      Realmente… quem refinancia é porque é "muito burro" ou "trouxa", etc, etc. Falta de planejamento financeiro é um fato recorrente, mas generalizar é demais….

      • DCald

        nem sempre!
        Num passado não distante, tivemos grandes variações na taxa de juros… já esteve abaixo de 1% e acima de 2%…
        Se, por algum motivo, o cidadão precisou comprar um carro na epoca da taxa cara, ele pode sim fazer um refinanciamento com uma taxa melhor (normalmente vai conseguir isso mudando de instituição financeira!).

        Entretanto, contudo, porém… se já está pagando o carro a uns 2 ou 3 anos, pode ser melhor negocio simplesmente comprar outro carro novo, financiado com taxas melhores.

        • MFranklin

          Pois é. Por isso eu usei de ironia no meu comentário acima. Seu exemplo serve para confirmar que a tal "generalização" que algumas pessoas fazem (do tipo "quem compra carro zero é trouxa" e etc) fazem parecer que todo mundo é igual, quando na verdade não é. O exemplo que vc citou demonstra isso bem.

    • Neanderthal_Man

      Todo refinanciamento de banco deveria vir com 2 metros de corda de brinde. Muitos iriam usar.

      • epicentro01

        O pior é que conheci um cara que usou, e foi exatamente por este motivo. Já faz tempo, mas ele "foi pra corda" e na beira da estrada ainda.

  • apneto

    A materia deveria ser " Não é porque o governo baixou o IPI que vc passa a poder pagar um novo carro"

  • Alexandre

    A saída e vê der, mesmo com prejuízo e voltar a andar de ônibus. Ter carro é pra quem pode e não pra quem quer. Infelizmente.

  • Viníciusk

    Trouxa, burro, andar de ônibus, falta de planejamento… é fácil falar, a média de leitores com bons rendimentos é bem grande por aqui.

    Imprevistos acontecem com as pessoas, e infelizmente na maioria das vezes o cidadão é obrigado a entrar para um financiamento. "Compra a vista!" É fácil falar! mas a MAIORIA dos brasileiros não dispõe de 25, 30, 40 ou 50 mil reais para comprar um carro a vista!

    "A solução é voltar a andar de ônibus!" E quem consegue viver dependendo do tranporte público brasileiro? É caríssimo, de baixa qualidade, superlotado e com péssimos horários. Quem tem a mínima condição vai comprar um carrinho econômico e fazer de tudo para fugir desse pesadelo chamado transporte público.

    E por fim, até mesmo grandes empresas com capital milionário ou bilionário fazem financiamentos e às vezes tem problemas. E vai dizer que ninguém aqui nunca fez um financiamento para comprar uma casa, apartamento, para abrir uma empresa ou outra coisa. Quem não precisou é porque ganhou de alguém, ou nasceu em berço de ouro ou não tem nada e mora debaixo da ponte!

    E lembrando que carro nunca é investimento, mas para uma enorme parcela de pessoas é um bem necessário para manter seu emprego.

    • Alexandre

      Temos a cada 4 anos repor nossos governantes, pena que não posso votar, pois não sou brasileiro. O Paîs é o reflexo dos governantes e os governantes são reflexos do povo. Todos vão atras do trio eletrico no carnaval, mas poucos pintam a cara contra os governantes corruptos. Enquanto os votos forem de protesto, sem consciência, votando em qualquer um, nada vai mudar e não adianta ficar reclamando em blogs. Depender de transporte publico nao é tão ruim assim, ruim é não ter nem transporte público. Já quem se enrrola em dívidas foi pq não fez planejamento, foi pelo impulso, pois a mídia diz a todos que tem que ter esse determinado objeto, caso não tenha vc não pertence a esse grupo e assim por diante. Digo isso pq pertenço a um grupo de proprietários de agencia de carro no RJ (vw, gm, hyundai e fiat). Nosso lucro nos carros zero não é tanto assim. Ganhamos no financiamento, mecânica e nos carros usados. O valor de cada bem é feito pelo quanto o consumidor quer pagar e não pelo que ele realmente vale, as isso é outro assunto, mas fique sabendo que normalmente toda compra é feita com apenas 5% de consciência e 95% de emoção e é nisso que o nosso marketing trabalha… Então falta ao cidadão planejamento.

      • riccorreasp

        Se você realmente é proprietário de concessionárias das principais marcas "nacionais", poderia nos dizer qual o verdadeiro percentual de lucro de vocês em cada veículo? Um Cruze, por exemplo…

        • Alexandre

          Tudo depende da motorização e volume. Exemplo vw gol, temos em media de lucro bruto de 20% se for um fusca fica em torno de 30% + ágil (oferta de mercado) e se for algo que esta na moda conforme a cor branca podemos cobrar algo a mais. Qto mais equipado o carro ou mais luxuoso, maior o lucro. Temosmque lembrar o custo fixo de manter as revendas. Ninguém trabalha de Graça. Eu não sou o único dono, não posso decidir nada sozinho, somos um grupo de 6, com com concecionárias em campo grande (RJ), recreio dos bandeirantes, barra da tijuca, Leblon e minas gerais. O que encarece o preco do produto são os impostos e a procura do produto. Vc não vê um carro que nao emplacou com ágil (linea, vitara entre outros)

          • PEDRO_HAWK

            Ágio…

            • Alexandre

              O TABLET "corrige" automaticamente e quem usa passa por burro, mesmo assim ok.

  • Filipe_GTS

    Tive uma boa experiência com um carro usado que comprei. O sujeito financiou determinado veículo, utilizou-o por cerca de 14.000km (1 ano) e não suportou mais o financiamento. Não deu outra, abracei a dívida, renegociando-a e conseguindo algo como um "bem financiado sem juros", pois dei entrada ínfima em dinheiro nas mãos dele e ele já tinha pagado todos os juros e mais um pouco. Baita negócio.
    _
    Dias atrás, uma conhecida passou por situação análoga. Tinha um carro 2006/07 financiado em 60x. Hoje, tal carro vale R$ 16.800 de tabela Fipe. Ela não mais conseguiu pagar o financiamento, atrasou alguns meses, e o banco credor mandou uma proposta de R$ 10.400 pra saldar a dívida. O que ela fez? vendeu o carro por R$ 10.400 (que vale 16.800) e se livrou do maldito financiamento. Sortudo de quem comprou (nem tanto, pois moramos em SC, o carro tinha placa inicial A, era um veículo de entrada, de cor prata, equipado com ar-condicionado, comprado anteriormente de uma revenda multimarcas com fama ruim – conclusão: comprado de locadora em Curitiba, o que me desmotivou a comprar esse carro pra revender por R$ 15mil que fosse).

    • MM_

      Fiz algo parecido em 1997, quando era vendedor de uma CCS Fiat.

      Uma mulher comprou comigo um Palio EL1.5 0km por R$ 18.500,00 em 36x sem entrada e logo que vencia a 1a parcela ela voltou na CCS pq não coseguiria pagar. Fiz um acerto com o banco, ela deu o carro dela na troca por um Uno Mille e refinanciou em 60x, o que obviamente deu uma taxa de juros bem maior, mas a parcela cabia no bolso dela. Eu fiquei com o Palio pra mim, que tinha rodado 1.500km e me custou R$ 15.000,00.

      Essa foi uma boa compra de um usado.

      • Fabio D.

        Boa compra não, bigodaço! hahahahah!

  • O_Corsario

    NOssa, vejo tanto anúncio de gente vendendo carro com menos de um ano pedindo um valor irrisório e passando tanta parcela que fica quase mais caro que o zero…

    • fschulz84

      Sim… Já vi carro de 60000 que o sujeito deu uma entrada quase nula e quer passar o financiamento por suaves 48 x R$ 1700,00 um ano depois

  • Lexus GS300

    Essa questão de refinanciamento é uma forma de quem está com as contas no vermelho. Mas é uma pura jogada psicológica já que mais para frente o endividado voltará a mesma estaca zero quando fez o refinanciamento. Aí ele pula para uma linha de crédito de outro banco para saldar aquela dívida. É a chamada "dança do crédito" onde um credor salda outro credor. Mas o sujeito faz de tudo para não perder o objeto de ostentação. Se for possível, compra farinha com água para alimentar a família e continuar andando de carro novo.

  • rcm88

    Não entendo isso. Tenho dinheiro 'sobrando', compro carro usado pq desvaloriza menos, oferece mais por menos, não pago seguro, nem ipva caro, nem revisão… Pq o cara q não tem dinheiro vai lá e financia um carro zero? Não dá para entender…

    • Louis

      Faço o mesmo que vc. Agora sujeito não tem nem R$ 500 pra pagar por mês na parcela e fala de boca cheia que "conquistou" carro 0km…

    • MFranklin

      Seu raciocínio faz sentido, mas só é válido se o usado, além de estar em bom estado, tiver um custo de manutenção acessível. De nada adianta o sujeito comprar um usado, ainda que inicialmente em bom estado, se o custo das peças e mão de obra for uma facada. Todo carro quebra e o usado, ainda que robusto, também está sujeito a desgaste natural (mais ainda do que um novo).
      Seria burrice, por exemplo, alguém que mal consegue pagar um palio, ir lá e comprar um peugeot usado. A manutenção de certas marcas, como se sabe, não é nem um pouco adocicada.
      É preciso bastante calma e inteligência, além de se conhecer um mecânico bom e de confiança, coisa não muito em sobra hoje em dia…

  • CharlesAle

    Já mexi com tanto financiamento disso,aquilo,enrolada e tal que,hoje,quero distância de carnês,hoje meu carro é um old prisma,não é grandes coisa mas tá quitadinho,sem stress,e carro mais novo,de agora em diante,só a vista,e vai demorar muiiiito,pois tenho de reformar a casa que moro com minha mãe e vai ficar uma paulada,então nem sei quando vou ter outro carro…

  • eduardo_ogg

    Consequência da ganância dos bancos, que ganham no empréstimo e na renegociação.

    Financiar um carro em 60x deveria ser proibido.

    Reclamam de inadimplência, mas fazem uma operação que a garantia perde mais da metade do valor ao longo do empréstimo, e por isso tem que arrebentar a conta dos clientes com spread.

    • MFranklin

      Os bancos fazem o que sempre fizeram há séculos: ganham dinheiro com juros. Afinal, banco nenhum obriga a pessoa a financiar um carro. A responsabilidade é de quem compra.

  • zeuslinux

    Eu que tenho estabilidade no emprego evito ao máximo comprar carro financiado. Se não tivesse estabilidade no emprego eu nunca pegaria nenhum financiamento de carro.

    Só fiz 2 vezes na vida:

    – um financiamento de 30 meses de um Golzinho, já que havia vendido o carro anterior (muito melhor) para comprar o meu apartamento e depois tinha que comprar um carro para poder me deslocar longe para um trabalho extra que arrumei.

    – um financiamento de 12 meses para pagar os 40% restantes de um Corolla, que só comprei porque tinha "juros zero" e porque não tinha condições de comprar um carro desses à vista na época. Meu carro anterior já estava começando na época de precisar gastar mais na manutenção por ter 9 anos de uso.

  • PEDRO_HAWK

    Entendam: é apenas uma repactuação dos vencimentos. Dá-se um prazo maior para diluir aquele saldo devedor. A prestação cai, os juros, na melhor das hipóteses, mantém-se nos originalmente pactuados, mas no final vai se pagar mais do que antes.

    Sem contar que incidirá IOF e as tarifas bancárias. Ou seja: o Banco continua ganhando, e o consumidor…

    • Andre Dias

      O banco sempre ganha, desde que o cliente pague, isso é a lógica do negócio. Mas o excessivo número de renegociações faz com que seja difícil prever balanços, o que contribui para insegurança dos negócios e influencia em última instância o valor de mercado do próprio banco. Um banco onde somente 5% da clientela tem problemas e precisa renegociar dívidas é muito mais seguro do que um no qual 95% dos clientes renegociem dívidas constantemente.

  • Andre Dias

    O fulano entra num financiamento que não poderia pagar desde o princípio, fica inadimplente e depois ainda tem a possibilidade de renegociação. Não me admira que os juros no Brasil sejam altos. O risco do negócio e os custos jurídicos são altíssimos. Tudo graças aos trambiqueiros ou aos que não são trambiqueiros, mas não tem a prudência e a serenidade de planejar seu futuro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend