Avaliações Hatches Populares Volkswagen

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

A gente não precisou nem de sair com o carro para descobrir que o Fox havia perdido um cilindro. Bastou ligar a ignição para o carro começar a vibrar um pouco, sintoma que se manifesta também nas acelerações. Com o Fox BlueMotion, a Volkswagen mira na economia de combustível, e isso o modelo entrega. Mas há um efeito colateral: a vibração do motor de três cilindros não é exatamente um incômodo, mas é perceptível. A economia compensa o leve desconforto? Vamos analisar.


Antes de ligar o carro, o primeiro desconforto aparece no momento da compra. Isso porque a versão BlueMotion custa R$ 750 a mais que o Fox 1.0. A nova versão, que chega como linha 2014, custa R$ 32.590 com duas portas, ou R$ 34.090, com quatro portas. Então, você leva um cilindro a menos e paga mais? Espere um pouco, porque a conta não é tão simples.

Para começo de conversa, o termo “perde um cilindro” não diz tudo sobre o carro, porque esse motor é novo, e não apenas um corte no motor 1.0 de quatro cilindros. Batizado de EA211, ele será utilizado no up!, e traz avanços em relação à atual linha de motores da VW. Como exemplo, tem quatro válvulas por cilindro, bloco de alumínio e comando variável. A empresa não oferecia nada disso em sua linha “popular”.

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia


E no que isso muda sua vida? Vamos virar a chave para descobrir. Então, viro a chave e nada acontece, a não ser uma mensagem no painel. O Fox avisa que é preciso pisar na embreagem para o motor funcionar. Mas por quê? Como no Polo BlueMotion (o primeiro da família “econômica” da VW), este Fox tem partida assistida. Basta um toque na chave para que o dispositivo complete a ignição, sem que seja necessário segurar a chave. Por isso, caso o veículo esteja engrenado, há o risco de ele se movimentar. Daí a necessidade de pisar no pedal.

Motor ligado, você começa a receber as vibrações, que continuam na saída e depois desaparecem. A partir daí, o hatch agrada bastante. Na maioria das situações, o Fox BlueMotion nem parece 1.0. Enfrentou subidas com ânimo, fez ultrapassagens com facilidade e raramente mostrou sinais de anemia. Você só precisa evitar rotações muito baixas, situação em que ele se comporta como um autêntico 1.0 e empaca. O truque é manter giros de 3.000 rpm em diante. Acima de 2.500 giros, percebe-se nitidamente uma estilingada, e o carro ganha disposição.

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Sua vez de vibrar

Nessa condição, quem começa a vibrar é você, porque o Fox BlueMotion é muito econômico. O computador de bordo denunciou médias 19 km/l na estrada e 13,6 km/l na cidade, com gasolina. Além de beber pouco, o modelo tem comportamento bem agradável. O câmbio MQ200 continua a ser um dos melhores do segmento: é aquela manteiga de sempre, com engates suaves e fáceis. E a direção eletro-hidráulica (de série) está bem calibrada: leve e obediente. O volante também é o velho conhecido do “Passat CC” (opcional). Tem revestimento de couro e comandos ao alcance dos dedos. E ainda pode ser ajustado em altura e profundidade.

Falemos um pouco de números: o motor de três cilindros rende 82 cv com etanol e 75 cv com gasolina. É uma boa evolução em relação ao 1.0 de quatro cilindros, que gera 76/72 cv. O torque é quase o mesmo. Com gasolina, ambos têm 9,7 kgfm. Com álcool, o quatro cilindros tem um pouquinho a mais (10,6 kgfm, ante 10,4 do BlueMotion).

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Adeus, tanquinho

Por ter um cilindro a menos, o motor EA211 tem menos componentes (pistão, bielas, mancais), o que significa menor perda de força para seu funcionamento. A Volkswagen declara que ele pesa 24 kg a menos que um equivalente de quatro cilindros. Mas as melhorias vão além. As velas estão colocadas no centro dos cilindros, o que aumenta a eficiência na queima. O coletor de escape está integrado ao cabeçote. Com isso, o motor atinge mais rapidamente a temperatura ideal de funcionamento, melhorando o consumo (na fase fria, o gasto de combustível é alto). Completa o pacote a eliminação do tanquinho de partida auxiliar.

O Fox BlueMotion traz uma evolução do sistema E-Flex, lançado no Polo em 2009. Ele aquece o combustível em câmeras instaladas ao lado das válvulas injetoras, e opera em temperaturas abaixo de 17,5 graus, quando houver etanol no tanque e o motor estiver frio. O hatch da Volkswagen é o primeiro 1.0 a eliminar o tanquinho.

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Pacote econômico

O conceito BlueMotion não se restringe às alterações no motor. O pacote inclui mudanças nos pneus, na aerodinâmica, no câmbio e até no visual. Começando pelos itens visuais e aerodinâmicos, o destaque dianteiro vai para a grade quase fechada, no mesmo conceito da que equipa o Polo BlueMotion. Também com o objetivo de melhorar a fluidez do ar, além de criar uma identidade levemente esportiva, o modelo vem com aerofólio na traseira.
Os pneus são mais finos, altos e cheios de pressão. Em vez do 195/55 R15 do Fox 1.0, o BlueMotion vem com a medida 175/70 R14, que oferece menor área frontal (benefício aerodinâmico), tem mais sílica (menor resistência à rodagem) e anda com maior pressão: a VW recomenda 36 libras na frente e 34 na traseira. A suspensão foi recalibrada para compensar a perda de estabilidade (há menos borracha em contato com o chão), mas o motorista percebe facilmente que nas curvas os pneus começam a cantar antes, um aviso para dar uma maneirada de leve. A VW garante que até as calotas têm desenho para privilegiar a aerodinâmica.

A transmissão foi alongada em cerca de 10%, mas na prática você sente um carro bem esperto. A montadora declara 0 a 100 km/h em 13,2 segundos e 167 km/h de máxima, com etanol. Com combustível fóssil, 13,5 s e 166 km/h, respectivamente. São números bem aceitáveis para um modelo 1.0.

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Fator humano

Afora tudo o que o carro traz, a Volkswagen espera que o motorista também faça sua parte para obter economia. Por isso, por meio do I-System (opcional), o condutor pode receber no quadro de instrumentos recomendações para dirigir com economia. Ele informa o momento ideal para troca de marchas, e expõe mensagens como “Não acionar o pedal do acelerador com o veículo parado” e “Feche os vidros”, para evitar perdas aerodinâmicas. Se você quiser pôr o copiloto para dormir é só tirar o I-System do modo Eco Comfort.

Entre os principais itens de série, estão freios ABS, direção eletro-hidráulica, computador de bordo e air bags frontais. O modelo traz também chave canivete, banco do motorista regulável em altura, conta-giros e encosto traseiro rebatível. Completo (som, comandos no volante, ar-condicionado, vidros elétricos, banco traseiro corrediço, faróis auxiliares, etc.), o modelo salta para R$ 41.977, mas aí já não é preço de carro 1.0. Por melhor que ele seja, pagar demais para economizar não faz sentido.

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Volkswagen Fox BlueMotion 2014 – Ficha Técnica

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia

Fotos Fábio Aro

 

Regra de 3: Fox BlueMotion perde um cilindro para ganhar em economia
Nota média 4 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email