*Destaque *Featured Mercado Renault Sedãs

Renault Fluence sai de linha no Brasil; marca vai focar em crossovers e SUVs

renault-fluence-gt-line-NA-3 Renault Fluence sai de linha no Brasil; marca vai focar em crossovers e SUVs

Modelo mais caro e equipado da linha da Renault no mercado brasileiro, o Fluence deixa de ser ofertado por aqui. O anúncio do fim de linha do sedã médio foi feito pela fabricante francesa durante um evento realizado em São Paulo (SP), onde a empresa apresentou seus planos para os próximos cinco anos na América Latina. O motivo? O domínio dos crossovers e SUVs e também a liderança isolada dos japoneses Toyota Corolla e Honda Civic e do Chevrolet Cruze.



“O público do segmento de médios não está mais interessado em hatches e sedãs. Ele quer SUV. E por isso vamos apostar no Duster e no Captur. Temos dois modelos, algo que nenhuma outra marca possui”, disse o diretor de vendas e marketing da Renault, Ricardo Gondo. “O segmento está caindo. E o que se sustenta está ligado bastante ao produto, no caso Corolla e Civic”, afirmou o presidente da empresa, Luiz F. Pedrucci.

renault-fluence-gt-line-NA-4 Renault Fluence sai de linha no Brasil; marca vai focar em crossovers e SUVs

A expectativa é que a Renault ofereça em breve outros dois crossovers em sua linha. Isso inclui o médio Koleos e também o novo Kadjar, que é oferecido na Europa. Porém, a estreia deste segundo não deve acontecer antes de 2022.

No acumulado deste ano, o Renault Fluence conseguiu emplacar somente 890 unidades, o que corresponde a quase quatro dias (em média) de vendas do Toyota Corolla, que registrou 54.085 vendas de janeiro a outubro no mercado nacional.

renault-fluence-gt-line-NA-8 Renault Fluence sai de linha no Brasil; marca vai focar em crossovers e SUVs

Portanto, as unidades do Fluence disponíveis são dos estoques das concessionárias. O carro era ofertado nas versões de acabamento Dynamique Plus e Privilège, ambas equipadas com um motor 2.0 litros flex de 143 cavalos de potência e transmissão automática do tipo CVT. Os preços do modelo variavam de R$ 99.350 a R$ 108.300.

A Renault já afirmou que não tem intenção de oferecer um novo sedã médio para ocupar o lugar do Fluence. Vale ressaltar que a marca oferece lá fora a nova geração do Mégane.

[Fonte: UOL Carros]

  • No_Name

    Eles têm sim dois “SUVs”, que NÃO são médios (como dá a entender a citação) e que não valem 1 “SUV” bom.

    • DiMais

      e nem é a única marca, já que esqueceram da Jeep com seus Renegade e Compass muito mais vendidos que a dupla dela.

      • Um compacto e outro médio, no caso da Renault são 2 compactos.
        Um por segmento a Honda tem também, Hyundai idem, etc.

        • DiMais

          “O público do segmento de médios não está mais interessado em hatches e sedãs. Ele quer SUV. E por isso vamos apostar no Duster e no Captur. Temos dois modelos, algo que nenhuma outra marca possui”

          • Wilson Junior

            Achei bem engraçado….mas falar papagaio também fala

    • Dia

      GM tem Tracker , Equinox e Trailblazer.

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        E ainda vem uma menor que a Tracker

      • Cristiano_RJ

        É que ele queria dizer que só a Renault tem dois SUV com direção hidráulica, volante que só regula em altura e tanquinho de partida a frio com etanol. Nenhuma outra marca tem.

        • Edson Fernandes

          E a unica que oferta até só 4 air bags e a unica que tem dois “SUV” com motor 2.0 e cambio de 4 marchas. Pois é… isso abala um pouco meu convivio com o Fluence, mas minha troca será por outro modelo de porte médio e não será altinho…

          • Mr. Pennybags

            Tá pensando em pegar o quê, @edsonfernandes:disqus ? Tb fiquei assim por causa do meu tuba. Tô pensando em dar ele pra quitar um imóvel, mas aí teria que ver o que pegar. O fo#a é achar outro carro no nível do Fluence pelo mesmo valor. Em termos de custo benefício é raro ter algo na mesma linha.

            • Edson Fernandes

              Pois é… penso exatamente igual. Confesso que estou meio sem chão pela noticia…rs

              Sei que a descontinuidade iria acontecer, mas a falta de um modelo para dar continuidade é o que torna terrivel pensar nisso.

              • Zeca Piroto 🤘🔥

                Exatamente, é complicado. Agora resta o Nissan Sentra, com mesma mecânica e acho que usado está numa boa faixa de preço, também. Talvez o Mitsubishi Lancer e não sei como é que está o Citroen C4 em questão de valor manutenção. Essas são as opções que acredito estarem num valor mais tranquilo no mercado de semi-novos.

                • Edson Fernandes

                  É o que eu tenho sempre pesquisado. Minha opção inicial seria o Fusion. Mas para minha realidade, seria uma compra emocional, porque ele nõa me atende racionalmente e eu teria mta dor de cabeça com ele.

                  • delvane sousa

                    Também to de olho no Fusion, mas qual seria a dor de cabeça dele? o fato de ser muito baixo?

                    • Edson Fernandes

                      Para o meu caso sim. Passo por muitos locais com valetas e lombadas irregulares, além do que locais em que há sobressaltos no asfalto que rasparia em baixo do carro.

                      Com o C3 eu já raspava muito a frente, com o Fusion seria muito pior. E ainda tive 3 vizinhos sendo 2 Fusion (um 2.3 e outro 2.5) e 1 kia cadenza. O kia era cuidadoso mas andava super devagar na cidade, mas os demais, frente e o meio do carro raspados. Com o Fluence eu tenho que sair de lado, mas não raspo.

              • Wagner Oliveira

                E eu com esperança de voltar a versão GT turbo…

                • Edson Fernandes

                  Essa esquece. Antes a promessa era do motor 1.3 turbo com potencia proxima do GT (160cv) agora vem essa noticia…

            • Daniel

              Olha, pelo preço atual do Fluence, o custo beneficio dele tava bem ruim! (99-108mil)
              Pelo mesmo preço vc tinha o best seller Corolla (que agora já vem bem equipado), o Civic 2.0 e o Cruze 1.4 Turbo. Pra ficar em algo “tiozao”, Jetta 1.4T com promoçôes muito boas.

              O Fluence é um bom carro, mas, estava parado no tempo há alguns anos… só o preço que se atualizou…

              • Mr. Pennybags

                Eu me expressei mal, chefe. Quis dizer custo benefício do usado. O novo tava péssimo!

              • Zeca Piroto 🤘🔥

                Exatamente, boa parte da culpa dessas baixas vendas é da própria Renault, elevou demais o preço do carro, mesmo sabendo que ele não estava estável no mercado… complicado isso.

              • José Barbosa

                Eu discordo quanto a bom carro. Embora muito confortável, é grandão e ruim de manobrar demais da conta. Vez ou outra, tinha que dirigir o do trabalho. Aliás, sempre me perguntei quem comprava um Fluence 0km que não um órgão público: no mesmo preço dos desejados, e tecnicamente inferior em vários quesitos. Para quem vai pegar um com dois ou três anos de uso, tudo bem, que o mercado ajustava o preço. Mas mesmo assim, não teria um: detesto a direção excessivamente suave.

                • Daniel

                  Ele é tão ruim de manobrar e tão grande quanto um corolla. Que ninguém reclama.
                  Sem considerar preço, é um carro confortável, seguro e com desempenho adequado. Por isso, considero um bom carro. Agora, quanto ao preço, desvalorização, etc… são fatores mais mercadológicos e que afetam o custo x beneficio dele.
                  Temos caso de carros que são bons custo x beneficio, mas, não são bons carros!

                  Mas, entendo o que vc diz… Já há alguns anos, a compra dele era bem dificil de “justificar”…

          • From Rivia

            Acho um sedã médio uma escolha mais racional que um SUV. Melhor consumo, manutenção mais em conta, seguro também, e em geral mais espaço. E uma perua é melhor que ambos, pra quem curte os ‘espichados’.

            • Edson Fernandes

              Depende.

              Eu tenho um Fluence, a não ser pelo pneu, o duster tem muita peça mais em conta. Estou citnado porque ele está a um tempo no mercado junto do Fluence.

              Velas, bobinas, peças de motor, são realmente mais caras no Fluence. Nisso nem se compara. Preços de amortecedor é ligeiramente inferior no Duster. E olha que ele tem reforço no amortecedor por ser altinho.

              Onde eu vejo que pega no Duster é o alto consumo e nos pneus que além de se desgastarem mais rapido, sõa bem mais caros.

              • From Rivia

                Verdade, mas acho que o fluence, dentro dos sedans, está uma categoria acima do que está a duster dentro das suv’s. Acredito que se você tomar um Corolla e um RAV4 ou uma Hilux, o Corolla tende a ter peças mais em conta, a ter melhor consumo, seguro mais barato, etc….

                • Edson Fernandes

                  Sim sem duvida. O Fluence é médio enquanto o Duster é compacto. Eu mesmo nunca trocaria meu Fluence por um Duster.

          • Pensador

            O Captur já vem com CVT no modelo 1.6, então este argumento não vale… mas tem outros que vc pode usar, o que não falta é argumento kkkk

            Problema da Renault é que eles são ruins de propaganda… eu vejo produto de outras montadoras, lá de Betim/MG, inferiores e conseguem vender…. sinceramente são um desastre as estratégias da Renault no Brasil.

            • Edson Fernandes

              Concordo. O problema do Captur mesmo 1.6 CVT, se chama Kicks.

              É um produto mais moderno, com mais recursos (ainda que o Captur tenha o desejado controle automatico de velocidade e o encosto central) que chama mais a atenção das pessoas. E olha que curioso… eu gostei do Captur, mas ele por ter 2,67m de entre-eixos (o Fluence tem 2,70m) achei ele mais apertado do que poderia supor. Não é pequeno, longe disso, mas mal aproveitado. O Duster me parece ser mais espaçoso internamente. E o Kicks por ter banco pensados na ergonomia, são menores, mas apoiam coxas melhor que na Captur e tem solução de espaço interessante ainda que seja em medida menor que o Captur. (além de ser mais economico e mais leve).

              Enfim, vai ser dificil a Renault se virar com esses produtos, como vc viu, tem opções no segmento e ela precisa de velocidade para isso.

    • Roberto

      Qual o conceito de SUV médio?
      Se for parecido com o de hatch e sedã, sim ela tem dois “médios”.
      O Compass é maior, então a Jeep tem um “médio” e um “maior”

      • Roberto

        olhei aqui, o Compass não é tão maior assim…

      • No_Name

        Ora, ora, um carro médio tem que ser baseado em outro médio de verdade, trazendo pra si os mesmos atributos de refinamento, powertrain, tecnologias, segurança, porte (não basta só ter comprimento) etc que são desejados e ofertados nesse segmento. O que a Renault tem aqui são carros baseados em compactos e compactos low cost para piorar tudo. Nunca serão substitutos do Fluence.

        • Eduardo

          Exato!
          Duster = Sanderão
          Captur = Sanderão de luxo

          Jamais compraria nenhum até pq o Duster sempre foi HORROROSO!!

          • Edson Fernandes

            Sabe a dureza? Se o Captur fosse um Sanderão de luxo seria otimo, porque seria no nivel de interior, itens de série, entre outros do Fluence, mas nem isso…

        • Roberto

          Dizem que o Renegade pegou como base a plataforma do Punto europeu…
          Logo, Renegade, Compass e Toro são compactos e não médios rsrsrs
          Mas entendi seu ponto.

          • Edson Fernandes

            Em teoria é uma plataforma mas que poderia ser utilizada em muitos modelos porque tbm é modular. Além disso é dificil que seja do Punto porque o modelo italiano usa compartilhamento de plataforma com o Corsa.

            • Gambixx

              É exatamente esta plataforma antiga, compartilhado com o antigo Corsa. Logicamente foi atualizada, mas a o origem é o bom e velho Punto.

          • Fernando Souza

            A plataforma deles não é a do Punto, mas sim do Fiat 500L, que não temos aqui mas que é pouca coisa maior que o Punto.

            • Roberto

              Isto mesmo. Usaram a do 500l, que era derivada do Punto europeu.

        • Leon Gonçalves

          O Creta, que tem plataforma de elantra, sequer é considerado médio, como a Dacia, quer dizer, renô brasil quer chamar aquelas duas porcarias dela?

          • Angelo Lucca

            O Creta não é plataforma do HB20? (estou perguntando, não zoando hein?)

            • Robert Dniro

              Não, a plataforma é do Elantra para ter melhor espaço interno.

              • Rodrigo

                Acho que é a do Kia Soul alongada.

                • Plataforma de Elantra. Não há discussão quanto a isso. Mas daí para ter maior espaço interno que os demais do mercado… não é essa a realidade. Os concorrentes possuem plataformas menos modernas e mais simples, mas conseguem oferecer (guardadas exceções como Renegade, Tracker, 2008) espaço interno semelhante ao que o modelo da Hyundai oferece.

              • Edson Fernandes

                Outro motivo para a “plataforma de elantra” é o fato de ter uma eletrônica embarcada superior e mais facil de aplicar ao carro. Foi isso que eles focaram ao criar o Creta.

            • Leon Gonçalves

              Elantra mesmo, para ver como ele de fato é superior neste quesito a HRV (fit), kicks(March), captur(duster), eco(fiesta). Se pararmos para pensar, tirando o powertrain muito melhor e o comprimento da lataria mesmo do GM, teria plataforma nível equinoxx (cruze).

              • Edson Fernandes

                Ter a plataforma de um médio não o faz superior aos demais. Tome o exemplo do ka que em teoria teria a mesma plataforma do Fiesta que é segura em outros mercado e olha aí. Cada carro um caso.

          • Rodrigo

            A plataforma do Creta tem como base a do Kia Soul alinhada, não?
            Pelo menos foi isso que lembro ter lido na ocasião do lancamento…

            • Rogerio Pereira

              Elantra

            • Gambixx

              Elantra, Cerato, Sportage, Soul, Tucson utilizam a mesma plataforma.

          • Gambixx

            O Creta virou um paralelepípedo com rodas para não concorrer com o Tucson. É bem equipado para sua faixa de mercado.

        • Thales Sobral

          Tem que ser baseado em outro médio?

        • Gambixx

          A primeira cagada foi tirar o Megane GT para apostar somente no Duster. Aquela perua é linda até hoje.

          • Mr. Pennybags

            Quem pegou aquelas unidades de fim de vida por 44k não quer nem saber de vender.

        • Daniel

          Pior é que o povão é tosco, e é bem capaz da clientela do Fluence estar migrando pra Captur…
          A Megane GT (carrão e com excelente custo-beneficio) morreu pq o pessoal migrou para o “SUV” Duster…
          Não sei como o pessoal tem coragem…

      • Em termos de tamanho e espaço interno, Duster e Captur tem tamanho muito semelhante ao Compass. O Renegade é muito pequeno, em especial em seu porta malas.
        Agora, em termos de materiais de acabamento interno… aí há um mar separando os modelos da Renault dos Fiat – Jeep. Mas convenhamos, também há uma diferença de preço gigante entre os modelos das duas montadoras.

        • Roberto

          Exato.
          Mas eu gosto disto, temos muitas opções.
          Olha o mercado de carros médios, praticamente não tem opção.
          Já no SUV tem para todos os gostos: Renegade, Compass, Duster, Captur, Creta, HRV, 2008, Tracker, Ecosport, Kicks e eu devo ter esquecido de alguém.

          • dogmarley

            aí que tá
            plataformas de carros inferiores (sandero, nfiesta, 206, march) sendo vendidos à preço de sedã médio
            *só pq é altinho*

          • Pois é. Mas temos muitas opções de um modelo de carro que não me agrada, isso aí que convencionaram chamar de “SUV”, mas que não é mais que um hatch com uns 5 cm a mais de altura e um design que delega um ar de robustez.
            Nas demais categorias de mercado estamos ficando sem opções.

      • Gambixx

        Compass usa plataforma de Punto esticada, então nunca será um médio de verdade, embora tenho porte muito próximo.

    • Mr. On The Road 77

      Imagina o custo de produção de um Fluence (que é um Megane III Sedan). Agora imagina o custo de produção de um Captur ou Duster.
      Fica fácil entender, ainda mais num segmento em que o líder vende mais que o dobro da soma dos concorrentes.

      • Edson Fernandes

        Mas abrir mão de um sedan médio? Ao invés de vc trazer um concorrente de peso vc simplesmente tira e diz que vale a pena os altinhos apenas? Eu sou um que possivelmente não terei um Renault durante muito tempo. (tenho um Fluence, mas não terei produto de escolha na troca na marca porque não gosto de altinhos e são bem inferiores ao Fluence).

        • Roberto

          Acho uma decisão razoável para a empresa.
          Ela poderia tentar importar algum modelo melhor e tal, mas talvez o volume não justifique manter uma rede de assistência, garantia, etc.

        • Gambixx

          Me nego a pegar SUV de mentirinha compacta. Na dúvida fui de sedan médio para médio-grande.

          • Edson Fernandes

            O meu problema nesses produtos é a altura deles. Os sedans médios ganham aumento de altura na tropicalização que esses não possuem e eu só poderia ter um desses se meu plano de me mudar para o interior se concretizar. Caso contrário, aqui seria um martirio ter um carro superior.

        • fschulz84

          Exato meu caro…

          Eu seguirei o mesmo caminho… Infelizmente após o tuba, dificilmente volto pra Renault.

          E para complementar, essa @#!@#! dessa modinha “SUV” vai acabar com tudo :(

          • Mr. Pennybags

            Somos 3!

          • Edson Fernandes

            Vai mesmo. Confesso que a noticia me desanimou. E eu que ouvi do vice presidente que o megane viria, mais um balde de agua fria. Era para vir motor 1.3 turbo, um carro ainda melhor, mas cortaram, acho um erro grave, mas não continuo na Renault depois do tuba tbm.

        • Mr. On The Road 77

          Supondo que trouxessem o Megane IV Sedan (que é lindo e um excelente carro).
          Será que venderiam 1000 unidades por mês??
          Não adianta, neste mercado de médios, só há espaço pro Corolla. Ninguém que saber de outro. Olha o Cruze aí pra provar. Moderno, seguro, bonito, motor turbo, bem equipado, com o tradicional nome Chevrolet nas costas e não faz frente ao Corolla.
          É lógico que eu queria um ter um Megane IV Sedan à venda no Brasil. Mas tenho que reconhecer que é complicado…

          • Edson Fernandes

            Eu penso que o erro da Renault é subestimar o mercado. Ela veio subestimando um mercado avido por novidades e tbm, sem dar conta da demanda inicial. Isso para os médios mina o desejo de compra.

            Se ela fizer o trabalho correto com um proximo médio, visando melhorar sua venda (que seja de 1000 unidades mas que tenha como atender aos anseios disso) ela tem tudo para se dar bem. O Fluence foi mto bem criticado na midia qdo tinha diferenciais. Ele passou a ser o patinho feio po não acompanhar a evolução.

            E o carro atual no preço certo tem tudo para continuar vendendo bem. Mas a tabela não deixa isso ocorrer. Compra quem realmente gosta do produto. E eu conheço 2 pessoas no clube do Fluence que fizeram essa compra por gostar demais do produto. (nem acreditei, mas ambos são dynamique plus e eu conheço por fora do grupo um unico Privilege 2017 comprado, branco ainda…).

            • Stéfano

              O mercado de sedãs médios não anseia por novidades.

              Não adianta ser bem criticado, nem evoluir, pois o mercado de sedãs médios não tá nem aí pra isso.

              Não tem essa de “preço certo”. O mercado de sedãs médios não tá nem aí pra isso tb.

              O Corolla é um produto muito racional, eu admito. A Toyota tb faz o dever de casa no pós venda. Por esses motivos, um círculo virtuoso é gerado, o mercado de usados o deseja, seu preço segura e por assim vai até reinar sozinho. Não dá pra competir assim não, seria uma estrategia de 10 anos até consolidar o nome de um produto nesse segmento.

            • Mr. On The Road 77

              Eu estou no clube do Fluence e comprei um Dym Plus 16/17. Talvez seja de mim que esteja falando. kkkk
              No meu entender, não vale o investimento.
              Quem sabe com o Rota 2030 não sobra um espaço em cotas de importação e tragam alguns Megane IV Sedan?
              Só assim mesmo, porque fabricando na Argentina, até por ser uma plataforma nova, eu não acho que valeria muito a pena.

              • Edson Fernandes

                Mas o curioso é… eles irão fabricar lá…rs

                Só não irão querer vender aqui…rs

    • Jonas

      Ia comentar exatamente isso! Kkkk

    • Marcelo Cordeiro

      Eu acho o Duster um SUV robusto e bem honesto. Ele não te promete o “céu e as estrelas” como a Captur. Tem problemas de ergonomia e acabamento simplório, mas tem preços interessantes. Já a Captur é um embuste. Você acha lindo e moderno por fora e ao adentrar a cabine, parece que está num Sandero. Eles desistiram do Koleos????

      • No_Name

        Sim, o acabamento do Captur BR é praticamente o mesmo do Sandero. Parece que o Koleos subiu no telhado sim.

  • Rodrigo Pasini

    108 mil reais num fluence? UAHAuhuahHUAhuaHUAuhaUHAuaUHauhAUHauh
    depois não sabem por que não vende.

    • Wilson Junior

      Só pode ser piada kkkk

    • Guilherme Sanches Pastre

      Putz, pior q eu vejo vários na rua, mas o modelo não tão novo. Aí fui olhar o Ranking da Fenabrave, o Fluence tem 890 emplacamentos acumulados no ano!!! N tá vendendo nada mesmo, uahuah

      • thi

        Isso o Jetta vendi em um mes ,imagine o lider

    • Edson Fernandes

      Pior que o primeiro aumento de preço não justificou nada porque não mudaram o conteudo do carro em nada.

      O carro custava respectivamente R$66000 e R$95000. (depois teve aumento para R$73000 e R$99000) Aí do nada muda para R$92000 e R$101000. E olha o preço agora, realmente não vai vender. Por mais que o preço real de venda fique abaixo dos R$90000 (privilege) e abaixo dos R$80000 no dynamique plus, muita gente não vai atrás porque o preço de tabela faz a pessoa optar pelos modelos atuais. Fica claro porque não vende.

      • Rodrigo Pasini

        Eu nunca compraria um fluence privilege por mais de 90 mil, pelo carro que é, no máximo 80 mil, e quando digo 80 mil não são 81, 85, etc, é 80 mil redondo. Se for pra pagar mais que isso, há muitas outras opções no mercado que eu considero melhores que o fluence, imagina pagar 108 mil reais.

        • Mr. Pennybags

          Nem vc nem ninguém. Tem MUITA opção melhor por esse preço. O povo só pagaria isso no Fluence se trocasse o diamante pelo touro na grade frontal.

        • Mr. On The Road 77

          Os Dyn Plus 16/17 estavam saindo em valores entre 70 e 72 mil. Não tinham mais o Privilege.

        • Edson Fernandes

          Bem, vai depender da epoca. Atualmente eu nunca daria isso. Em um tempo atrás era bom sim R$80000. Alias o primeiro dono do meu pagou R$78000 em 2011.

    • Junoba

      Por isso a algum tempo ele vinha vendendo tão pouco, a marca já estava planejando em parar de vende-lo, por isso o preço alto, não fazia diferença se iria vender ou não…

  • Matthew

    Absurdo! Mais uma vítima desses malditos SUV. Antes dos aumentos exorbitantes que praticamente mataram o carro no mercado, era um dos melhores custo-benefício da categoria. Tão triste quanto o fim da Grand Tour.

    • Louis

      Melhor assim, que a maioria compre SUVs, assim quem gosta de sedan vai ser exclusivo hehehehe

      • Cristiano_RJ

        Que nada. Quem gosta de sedan vai é acabar sem opção e se vendo a comprar Corolla ou migrar de segmento.

        • Edson Fernandes

          Exatamente! Muito triste o encolhimento de opções. E meu leque de opções diminuindo…

    • Dario Lemos

      Essa decisão passa a impressão de que é o primeiro “tiro mortal” no segmento dos sedãs médios.

      • Gambixx

        O próximo será o 408.

        • Draga

          C4 Lounge tb…

          • Leo

            E acho que em algum momento a Ford abandona a versão sedã do Focus…

    • Gran RS 78

      Não tem nada a ver com os suvs e sim com os preços completamente fora de noção que a Renault estava cobrando pelo Fluence. Se a marca tivesse mais visão de mercado, teria preços realmente baixos, pois iria vender muito bem, lembrando que muitos consumidores ainda gostam de sedans médios, inclusive o próprio Fluence vendia bem quando tinha preços condizentes, o mesmo vale para o Sentra, que vendia bem quando tinha preços agressivos, depois que a marca subiu os valores, os clientes optaram por outros modelos. Os únicos modelos que os clientes aceitam pagar mais caro são os Corolla e Civic, que já tem um público cativo e que aceita pagar caro por eles.

      • isnardcsn

        Exato! temos um aqui em casa, ano 2011. Custou na época 67k completo: 6ab, CVT, banco de couro, ar bizone, chave presencial, etc.. O preço que tavam cobrando parecia até brincadeira.

        • Gran RS 78

          O meu pai comprou um Fluence Dynamic plus Okm 2015 com cvt, couro e Gps com isenção de impostos e pagou 54 mil reais. O mesmo modelo era oferecido por 74 mil reais para consumidores “normais”, sem desconto, o que já era um preço interessante, tanto é que ele chegou a brigar pela terceira posição dos sedans médios mais vendidos naquele ano. Depois de um ano, simplesmente os preços saltaram para 88 mil reais e foi só subindo. Depois disso, as vendas despencaram e a marca vem com esse papo furado que é por causa que os cliente só querem suvs. Balela, o mesmo vale para os hatchs médios, que não estão vendendo nada justamente por causa dos preços que subiram demais e passam dos 100 mil reais hj.

          • Schwantes

            Pois é. Também casei com Um fluence, digo, comprei rsrs… como tinha um alvará de taxi por ser inventariante comprei com isenções de ipi, icms e desconto de fabrica… o privilege de 86 saiu por 58 em jan 2015. Nao pretendo trocar… ta com 35k km… carro com teto solar, xenon, controlez de tração e estabilidade etc etc… se vrndo nao acho 60mil… ai compro um prisma? Ou assalto um banco pra por mais 50 ou 60 e comprar um compativel. Nao penso em trocar nos proximos 10 anos. Mais sabio economicamente fazer a manutencao q trocar. (A despeito do pneu aro 17 ser facada de 700 cada por conta do perfil baixo)

            • Edson Fernandes

              Se vc acha o perfil 55 do Fluence baixo, é que não olhou os outros médios que se baseiam sempre em perfil 45 ou 50…rs

              Mas vc está certo quanto ao preço. Eu sinceramente fico triste porque meu leque de opções reduziu bem. E pelo preço que quero pagar, sei que os produtos que terei a disposição serão poucos. Ainda mais com extinção.

            • fschulz84

              Eu tenho um Privilége 2011 e passei pelo trauma da troca de pneus hehe

              Mas tive que mudar a medida, troquei por 215 55 R17 e consegui Michelin Primacy LC (original do Altima) por 420 reais cada

          • Gambixx

            Se colar o preço no trio Corolla-Cruze-Civic nunca iria vender mesmo. E foi o que fizeram.

      • Mr. On The Road 77

        É falta de interesse da Renault em manter o carro. Ela aumentou os preços para não criar competição interna com o Captur, que está mais ou menos na faixa de preços que o Fluence deveria estar.
        Só que o Fluence é muito mais caro de fabricar que um Captur.

        • Gran RS 78

          Só que o Fluence vinha da Argentina, portanto entrava sem pagar imposto no Brasil, diferentemente do Captur, que tem que pagar impostos, sindicato etc.

          • Fernando Souza

            Ops!!! O carro vindo da Argentina paga exatamente os mesmos impostos que os produzidos aqui. E além disso tem o frete e as despesas com importação. Não estou justificando os exorbitantes valores de tabela do Fluence, mas dizendo que o Captur não vale o que custa.

        • Edson Fernandes

          SAbe do pior? É que o nicho do Captur não sofre canibalização do Fluence. E o Fluence não sofreu canibalização pelo Captur. Se algum carro aqui pode sofrer canibalização é o Captur com a Duster. O Fluence subiu de preço a um inaceitavel pelo produto que é hoje. Eu tenho um, mas ele precisaria se modernizar em motorização para seguir os demais do segmento, é uma grande pena, porque o carro é muito bom.

      • Lyn

        Discordo. Tem tudo a ver com SUV. Vende-los é mais lucrativo para a renault alem de ser uma demanda do mercado. O segmento é relativamente novo tbm o que ajuda qualquer montadora a ter chance de sucesso no segmento diferente dos sedans medios.

        • Matthew

          Exatamente! A Fiat Toro é o maior exemplo disso, Desde o Tempra que a marca não consegue emplacar um sedã médio no mercado, segmento dominado pela GM nos anos 1990 e posteriormente pelas japonesas. Mas quando praticamente inaugurou um novo segmento de picapes (apesar da Oroch aparecer um pouco antes) arrebentou em vendas. As francesas sempre tiveram dificuldades de disputar no segmento de sedãs médios, e é muito mais lucrativo vender um Sandero anabolizado do que o Fluence.

          • Edson Fernandes

            Mas perceba o risco de percepção do consumidor frente a marca Renault. Além dessa má impressão de carros em teoria feitos para consumidor de paises subdesenvolvidos, ela não terá por um certo tempo um carro de representatividade em relação a conforto ou até mesmo luxo.

            Aí vai me inventar de parar de ter um sedan médio, mas vai me trazer um Crossover médio a preço de R$140000 com um buraco gigantesco entre os demais produtos? Vai ser outra marca mal falada nesse mesmo sentido, que então vai levar a redução de vendas do modelo mais caro.

            Mas eu mesmo na linha Renault digo…. sem opção de um médio, menos um cliente potencial.

          • Roberto

            Exatamente. A Fiat vendia umas 6 mil Strada por mês… invetou a Toro, que imaginavam que ia tomar o lugar da Strada, agora vende 5k de Strada e 5k de Toro… continua vendendo Strada para trabalho, para lazer e agora vende Toro para trabalho mais pesado que a strada, para lazer… e inclusive para quem pensava numa S10 de entrada, pode agora comprar uma Toro diesel e ter um uso até melhor..

      • Matthew

        A coisa não é tão simples assim. Todos os modelos do segmento subiram de preço e o aumento da Renault foi proposital, já prevendo que logo tiraria o Fluence de linha. Tem TUDO a ver com os SUVs, ainda mais dos tipos que são vendidos aqui. É muito mais lucrativo vender um Duster ou Captur do que o sedã médio importado da Argentina. Hoje o único sedã médio que vende bem no mercado é o Corolla com 5 mil unidades mensais. Até o Civic que até pouco tempo era o seu arquirrival, não passa de duas mil unidades no mês. A ideia desses SUVs é vender Sandero pelo dobro do preço. E tem dado certo. Com o mercado andando de lado ainda é natural concentrar a produção nos modelos de mais alta rentabilidade por unidade.

        • FrankTesl

          Bem por aí mesmo. Houve tempo em que Corolla e o Civic disputavam palmo a palmo, mas parece que a atual onda de crossovers e SUVs tomou mais clientes do Civic do que do Corolla, até mesmo porque a Honda tem o HR-V, que meio que canibaliza o Civic.
          A Toyota já adiou a chegada do CH-R, e acho que vai querer planejar direito para não canibalizar o Corolla, carro chefe da empresa.

        • Gran RS 78

          Concordo em partes com vc. O Civic sofreu canibalização desde o lançamento do City, o que se agravou com o HRV. Veja por exemplo o Cruze, que vende bem hj, inclusive chegou a vender mais que o Civic em alguns meses, sem contar o Cruze sport6, que nesse mês vendeu mais de 600 unidades, justamente por causa do preço inferior aos concorrentes diretos e tbm pelo belo visual e tbm pelo motor turbo. Existem mercados para todos os segmentos, o problema é que um suv, mesmo um suv compacto tem mais presença que um hatch médio ou mesmo um sedan médio, esse é o principal motivo na queda nas vendas desses modelos, pois tem os mesmos preços ou custam até mais caro que os suvs compactos que estão na moda hj em dia. Mas como vc mesmo disse, para as montadoras é muito mais lucrativo vender um HRV que um Civic, ou um Captur que um Fluence.

      • Vinícius

        Amigo, é só ver que apenas Corolla e Civic estão vendendo… O resto não está vendendo! Parece meio óbvio que os SUV acabaram com o segmento de sedan e Hatch médio. Tem vários sedans fazendo promoção, valores entre 69 e 75 mil e simplesmente ninguém compra! Focus, C4L, Sentra, Cerato, Elantra, Fluence, tão tudo vendendo menos de 600 unidades mês .

        • Edson Fernandes

          Vender menos não quer dizer que não compre. Ninguem quer gastar mais combustivel, ter espaço interno piorado para isso. E pode ter certeza que se o mercado recepciona bem o Corolla, é porque tem alguma estrategia correta da marca para isso. E as demais deveria olhar isso ao invés de culpar o mercado pela baixa venda dos produtos.

        • Gran RS 78

          Vc se esqueceu que o Cruze tanto o sedan quanto o hatch estão vendendo bem, mesmo com a forte concorrência dos suvs. O motivo principal é oferecer algum diferencial, como um bom motor turbinado, itens de série e de segurança e claro, um visual moderno e bonito, mas um dos principais motivos é o preço mais interessante que os concorrentes diretos. Os sedans médios franceses nunca foram bons de venda, com exceção do Fluence que vendeu bem quando tinha preços bons.

      • Rodrigo

        Melhor leitura. E digo mais: mesmo custando caro o Fluence não oferecia nada a mais em relação aos outros médios. Nem motor melhor, nem câmbio melhor, nem equipamentos a mais, … talvez espaço interno maior e melhor acabamento. E só.

  • André A

    O Fluence foi vítima do preconceito do brasileiro com carro francês e da escalada vertiginosa de preços que teve de alguns anos pra cá. É um ótimo carro, mais espaçoso que os rivais e confortável que a maioria dos rivais.. A versão manual era divertidíssima, com câmbio de 6 marchas curto e de encaixes precisos.

    • É uma boa opção, mas custa no mínimo 15k a mais do que deveria para tentar competir com os japoneses.

    • Wilson Junior

      Fluence foi vitima da própria Renault
      É bem básico no mercado que não da pra concorrer com Corolla e Civic. Mas parece que só a Renault e a FIAT não sabiam.

      • Gran RS 78

        Exatamente. Quando ele tinha preços bons, vendia muito bem, inclusive chegou a brigar pela terceira posição entre os sedans médios.

      • Schwantes

        Verdade. Na geracao atual o fluence ficou pra tras… antes era show comparado aos demais em equipamentos… mas soh veio facilite sem agregar nada substancisl com uma multimidia horrível

  • Fabio Marquez

    E o fim da linha para os sedans médios, começou com os micos, mas podem esperar o fim dos que encabeçam a tabela.

    • DiMais

      vamos viver de Prisma, Cronos, Logan, Virtus e afins.. no andar de cima só Corolla, Civic e Cruze (precisa ter nome com letra inicial C pra ser sucesso?) e logo acima, mas ainda competindo com algumas versões desses, o Fusion.

      • zekinha71

        Esquecerem de colocar o C4 no clube do C.

        • DiMais

          focaram tanto na letra C que esqueceram de dar um nome completo haha

        • Vinícius

          Mas esse logo sairá do mercado brasileiro tbm, por isso não foi citado. No último mês vendeu menos que 400 unidades.

      • Edson Fernandes

        O Jetta terá continuidade. Então será o C fora dela…rs

        • DiMais

          tem continuidade, mas e os volumes de vendas frente ao trio principal?

          • thi

            vender 900 carros em media mes pra um modelo com desenho ja a anos ta ruim??
            em agosto foram 1157 unidades e setembro 900 unidades,esse mes deve voltar a ficar na casa dos 1000

            • DiMais

              vamos ver como isso vai seguir após a chegada do Virtus, que como de costume entre todas as marcas vai canibalizar as vendas do modelo maior e posteriormente ocupará a mesma faixa de preços.
              assim como o Polo que basicamente vai substituir o Golf por aqui, já que não tem espaço no mercado para tantas opções de produtos.

          • Edson Fernandes

            O importante é ter concorrencia e nisso me anima.

    • Wilson Junior

      No meu ver a fala da Renault está bem equivocada….assim como ela esteve muito bem equivocada achando que Fluence entraria como concorrência com o Corolla. Lamentável minha cara Renault. Sendo que a FIAT foi um bom exemplo disso, mas parece que a Renault não se importou ou não quis aprender com erro da FIAT, mas se nem a FIAT aprendeu com o próprio erro kkkk

      • carroair30

        Mas qual o ERRO de uma montadora ofereçer um seda medio? isso nao tem nada haver,o problema é o BRASILEIRO que “poe na cabeça” que seda medio e COROLA E CIVIC e nao muda ,impaca igual a burro velho,por isso que TOYOTA e HONDA cobram o que querem,sem concorrencia fica dificil e o pior,isso se volta contra o consumidor

        • Gran RS 78

          Não, o erro foi a Renault cobrar caro pelo Fluence, inclusive ele já era um modelo defasado perante a concorrência. A marca tinha que ter preços mais baixos ou trazer logo o novo Megane pra cá.

    • Gu92

      Acho que é por isso que a Toyota ainda não trouxe o CH-R para o Brasil, medo da canibalização das vendas do Corolla!!

    • FrankTesl

      acho que Corolla ainda resiste por possuir um público conservador, por enquanto menos sensível aos apelos de crossovers e SUVs.
      Mas vejam que até o Civic já andou sentindo as mordidas canibalescas em suas vendas por parte do HR-V.

      Não duvido que até mesmo alguns fiéis consumidores de Corolla talvez se bandeiem para um CH-R se a Toyota o lançar no Brasil, por isso a Toyota-BR vai querer planejar direitinho o posicionamento desses modelos para evitar que as mordidas no mercado do Corolla sejam tão fortes assim. Talvez seja uma das explicações para adiarem o lançamento do CH-R no Brasil por mais alguns anos.

  • ObservadorCWB

    Daqui a pouco Renault sai de linha no Brasil. O que era minimamente bom sai do mercado. Só sobraram as tranqueiras caras. Embora com “embalagens bem bonitinhas…”kkkk

    • Já saiu faz tempo, quando MEgane saiu de linha, só temos Dacia aqui.

      • ObservadorCWB

        Pensando pelo lado do “conglomerado” você esta absolutamente CERTO…..

  • Cleidson

    Ótimo carro. Mas 108 mil na versão Privilege? Não dá, né?

    • Mr. Pennybags

      Na realidade eles estavam oferecendo por 85 por aih e ainda demoravam maos de 40 dias para entregar.

  • Luccas Stringger

    Por isso não compro qualquer carro da linha da Renault .O sujeito que comprou recentemente um Fluence como fica ? São marcas que não mantem no país um prestigio como as tradicionais e fazem isso,tiram carros de linha.Nunca comprei Renault e pretendo nunca comprar.

    • Ric53

      há tempos praticamente 100% das vendas do Fluence são pra frotista

    • Newton Freitas

      É um veículo com quase 7 anos de mercado. O segmento está dominado, logo, não é necessário um substituto para este modelo,

      • Wilson Junior

        Na verdade não deveria nem ter nascido

        • carroair30

          Que BURRICE isso que vc diz,sem concorrencia nao ha preços mais baixos,agora TOYOTA e HONDA vao cobrar altos valores e o BRASILEIRO vai continuar comprando esses sedas realmente o BRASIL nao é para AMADORES

          • ViniciusVS

            E desde quando a Toyota e a Honda estão preocupadas com o Fluence?

            Kkkkkkkkkkkkk

        • Gran RS 78

          Que comentário mais sem noção o seu.

    • Matthew

      A Chevrolata também já deu várias dessas. Abandou o segmento de sedãs grandes depois do Omega, o de sedãs médios-grande pós o Vectra e hoje o maior carro da marca é o Cruze, um médio-compacto de padrão norte americano (leia-se: projetado pra ser barato, lá, é claro). Pra não falar dos importados como o Sonic que virou uma bomba na mão dos proprietários.

    • Louis

      E a VW que tirou a Kombi de linha! Nunca mais compro VW!

      • thi

        Toyota o lixo da bandeirantes .tb nao compro

    • Igual quem comprou Fiat Linea, Chevrolet Astra, Uno Mille, …

    • Gran RS 78

      E quem comprou Astra? Vectra? Linea? Santana? Amigo, o Fluence foi lançado em 2007 no Brasil, portanto ele ficou por 10 anos em linha. O erro na minha opinião é que a Renault não irá ter um sedan médio no lugar dele. Só isso.

      • Nhego

        Fluence foi lançado em 2010 modelo 2011.

        • Gran RS 78

          Verdade. Obrigado pela correção.

      • Uranium

        Foi lançado em 2011, amigo. A Renault podia tranquilamente ter tirado de linha antes, desde que substituísse por outro sedan. Agora, muitos que tem Fluence não tem como trocar por um Renault médio 0km e vão ter carros de difícil revenda, sem falar no sumiço das peças do mercado… Simplesmente lamentável.

        • Edson Fernandes

          E acredite… eu como dono de um digo que isso vai antecipar meus planos de troca de carro.

          • fschulz84

            Pois é… O projeto Forester XT deverá ser iniciado antes do previsto no meu caso.

            Odeio crossovers mas acho que terei um (eca hehe)

            • Edson Fernandes

              Bem… desse vc sempre curtiu né…rsrs

              Então menos mal. Eu até gosto de alguns altinhos, mas eles não servem para meu bolso…rs

              A ideia dos medios no meu caso é a condição de mante-los. Forester e afins, já deixam o seguro mais caro, peças mais robustas, porém mais caras… consumo do carro maior, aí é me apertar sem ter para onde eu ir…rs

              • fschulz84

                Exato, você está correto… Seguro é bem caro (eu diria que o dobro do Fluence) e realmente as peças são caras, mas pelo que andei pesquisando, as de manutenção preventiva não são tão mais caras que as do tuba… Mas se quebrar um farol, ai ferrou hehe

                Na verdade, minha meta seria ter dois carros, um urbano só para vir e voltar do trabalho e um para os fins de semana, quem sabe pegar umas trilhas leves, mas infelizmente minha realidade atual não permite :(

                Quero viajar mais, essa vida de só trabalhar está me deixando bem velho aos 33 anos hehe

                Uma outra opção que comecei a considerar (pelo preço) é a Ssangyong Korando. Diesel, 4×4 e é possível encontrar umas 2012 por menos de 60k. Mas minhas opções se limitam a estes dois!

                Estes pseudos crossovers trilheiros de shopping não me atraem nem um pouco.

                • Edson Fernandes

                  Então estamos na mesma. Ao adicional que quero morar no interior…rs

                  Então para realizar todos esses gostos, vai levar um tempinho…rs

                  Entretanto, se isso acontecer, eu quero ter um terceiro carro com preparação voltada a trackday mesmo.

          • Uranium

            Vai acontecer com o ele o mesmo que aconteceu com o R19 e as duas gerações do Megane no Brasil: primeiro, desvalorização imensa, depois, escassez de peças devido à demanda relativamente baixa do mercado, que provoca desinteresse da indústria de autopeças. Por fim, vai começar a cair nas mãos de gente que não pode manter, terminando em sumiço do mercado, pois a maioria das unidades vai deixar de circular. Tudo isso em nível pior, pois R19 e Megane tiveram sucessores…

            • Edson Fernandes

              Pois é. E eu estou pensando nisso. Eu estou pesquisando para uma possível troca, mas agora eu irei é procurar para uma possível troca. A unica chateação minha é que é dificil de achar um carro com os mesmos itens de série como ele.

  • Daniel

    Symbol, Fluence… No quesito “segurança de não sair de linha”, da Renault hoje eu só compraria o Sandero.

    • Gran RS 78

      E Parati, Linea, Vectra e Astra? Impossível saber se o modelo que a pessoa compra Okm terá tbm um fim de linha desses. Nenhum modelo está imune a isso, mesmo os mais vendidos.

      • Daniel

        Olha o tempo que o Symbol e o Fluence ficaram no mercado em comparação com Parati, Vectra e Astra. Esses três todos foram produzidos por mais de 10 anos. O Fluence por exemplo vai dar 6 anos e pouco e o Symbol coitado, não deve ter ficado 3 no mercado.

        • Gran RS 78

          O Fluence foi lançado em 2007, portanto ele ficou por dez anos no mercado. Vou dar outro exemplo pra vc: O Linea, que foi lançado em 2008 e sai de linha em 2013. E o Sonic da GM? Dois anos e deu adeus.

          • Daniel

            2007? Fluence é de dezembro de 2010 amigo. Pode dar um Google aí. Quanto ao Línea e ao Sonic é verdade, mas ainda assim acho que neste quesito fico mais com o pé atrás com a Renault. E olha que não é preconceito com francês. Meu carro atual é um PUG 208.

            • Edson Fernandes

              Pra mim o unico problema do produto da Renault é uqe não terá continuidade. Pois os demais que sairam de linha das demais fabricantes muitas vezes tiveram continuidade com outro nome de produto exceto a Fiat. Mas a Chevrolet entendeu o mercado na epoca que retirou os produtos e está aí vendendo mto compacto. E o forte dela está sendo nos compactos, mas oferta médio e crossover médio, além de um SUV de verdade (e médio).

            • Gran RS 78

              Vc está certo a respeito do ano do lançamento do Fluence que foi no final de 2010. Valeu pela correção.

          • Daniel

            Linea foi de 2009 a 2016

  • tjbuenf

    Triste é a Renault achar que vai se sustentar com esses SUVs meio boca de padrão Dacia. Como carros mais baratos, Sandero e Logan até enganam. Mas muita gente que paga R$ 90 mil num carro não quer aquela pobreza dos carros para emergentes que a Renault vende aqui.

    • Gran RS 78

      Concordo com vc. Entrei em um Captur e fiquei de boca aberta pela falta de requinte interno do modelo, que por fora até passa uma imagem de sofisticação, mas por dentro é plástico duro da pior qualidade por todos os lados. Que decepção.

      • Yan b souza

        lembrando que o Captur nacional usa base do Duster! O que o torna ainda mais inferior que o europeu!

      • nbj

        Também tive a mesma sensação quando entrei dentro de um Captur. Por fora é lindo, mas por dentro parece carro popular, mesmo a versão com revestimento em couro.

    • Ducar Carros

      Você esqueceu do Kwid.

      A Renault está usando como referência a Fiat, vice-líder do mercado só oferecendo carros simples (com exceção da Toro). E está dando certo, pois é a francesa que tem as maiores vendas.

      • tjbuenf

        Eu penso que sua leitura da situação está totalmente equivocada, principalmente porque estamos falando de carros de categoria superior (R$ 90 mil) e a Fiat em automóveis está indo à bancarrota, sendo salva no geral pelos comerciais leves.

        • Ducar Carros

          Você que parece que não entendeu: a Renault assumiu que, aqui no Brasil, o que funciona é vender Dacia (carros simples) + SUVs (que, na Fiat, é deixado para a Jeep, pelo valor da marca). E está dando certo, está disputando o quinto lugar no ranking de montadoras, veja como estão a Peugeot/Citroen, com posicionamento distinto.

          Tal como a Fiat, a Renault não terá mais sedã médio (hatch médio já não tem), só hatch e sedã compacto barato. E, aqui no Brasil, a Fiat não está tão mal assim, se você analisar junto com a Jeep.

  • Piston head

    Fluence a partir de 59,990 com 6 airbags chegou a emplacar mais de 1,5k mensal em 2011/2012…

    • Cesar

      Era mais barato e completo que o Corola e mesmo assim nem cocegas fazia nas vendas. Comprei um em 2011, mesmo a versão mais básica, vinha com sensor crepuscular, sensor de chuva, 6 airbag, etc. Meu irmão pagou 10k a mais em um corola que não tem um misero usb.

  • Chris

    Se tirar o Captur também de linha, jaja pode mudar o nome para Dacia – Brasil. (Particularmente acho o Captur o “suv” mais bonito externamente abaixo de 100k)

    • Roberto

      vendeu 2K este mes, agora com CVT deve aumentar ainda mais.

    • Leonardo

      Também acho, e é impressionante como ele fica bonito em qualquer cor, ainda mais com os DRLs acesos

      • Chris

        Justamente ficou muito bem acertado o design dele, peca um pouco em acabamento, diria que fica intermediário. Das opões em câmbio manual diria que ele é o melhor.

    • Cesar

      Tem o Kwid que é Renault e não Dacia.

  • M7

    A Renault conseguiu acabar com o Fluence, caso tivesse mantido o preço promocional na versão de entrada a R$ 69.990 e não aumentado para patamares de Corolla e Civic, o carro ainda teria mercado!!!

    • TSI

      Caramba, não me lembro dele custando isso!
      Com esse valor hoje em dia você só anda de populares como Prisma, Voyage, HB20s…

      • M7

        Meu amigo comprou a versão Dynamique CVT 0Km no início de 2016 por R$ 69.990 na cor Branca, infelizmente a Renault acabou com as versões de entrada.

      • Edson Fernandes

        O Fluence chegou a começar a partir de R$54000 lá em 2011. Os aumentos até R$2016 (começo dele) era preços realistas para o produto (que o Sentra tbm acompanhava) e do nada esses preços pularam só para acompanhar o preço de mercado. Deu no que deu.

    • Vinícius

      Quem acabou com o Fluence foi o consumidor! Tá cheio de sedan aí sendo ofertado pelo preço que vc citou ou pouco a mais e não vendem nada. Brasileiro só compra Corolla e está matando a maioria dos sedans médio que estão ficando sem mercado.

      • M7

        Concordo em partes contigo, muita gente deixou de comprar um Fluence CVT ou C4 Lounge Origine 1.6 Turbo por R$ 70.000, para comprar Toyota Etios Sedan Platinum por tbm R$ 70.000, um carro muito inferior. Mas, além da BURRICE do brasileiro, as montadoras tbm não investem em propaganda e divulgação em concessionárias dos produtos citados, deixando assim o produto definhar.

  • Ricardo

    Brasileiros reclamam da falta de variedade de sedans, mas também, só compram Corollas!

    • Mr. Pennybags

      É a mesma turma do save the wagons. Idolatra, pede pra trazer e qdo vem não compra.

      • Edson Fernandes

        Mas a que preço ? Ok vc vai me dizer do Corolla, mas a que preço vem uma perua?

        Fica facil entender a não opção por elas. Sobre os sedans, só acho que as empresas do setor, estão se esquecendo de um produto que faz uma base importantissima entre os produtos de entrada e os produtos superiores a ele. E isso poderá ser um ponto que a Renault precisaria pensar seriamente.

        Eu mesmo não serei cliente dela por um bom tempo depois que vender o Fluence.

  • Fernando

    “…vamos apostar no Duster e no Captur.” 2 suvs meia boca que não valem o que custam?. vão ter que remar muito, até pq esse nicho ta cada vez mais cheio de concorrentes. eu acho uma pena o fluence sair de linha. não pq ele fosse algo excelente, mas pq era uma alternativa. o problema que ficou só a renault com o powetrain desatualizado. a PSA ja tinha eliminado o 2.0 de linha para ficar só com o 1.6thp no c4l e no 408. agora a renault parece ter preferido tirar de linha do que colocar um motor turbo. teria deixado ele atualizado com a tendência ao menos.

    • DiMais

      investir pra continuar não vendendo? o problema no segmento não são as opções nem o preço, mas o consumidor abraçou um único produto e ponto final.
      os demais realmente partiram para os utilitários esportivos ou ainda foram para marcas premium.

    • Roberto

      Cara, Duster, Captur e Oroch venderam quase 5k neste mês de outubro.
      Pode ser meia boca, pode ter gosto duvidoso, pode ter cambio AT4, pode não ter 4×4 nos dois últimos, mas tá vendendo.

  • Daniel Silveira de Oliveira

    Ao invés de baixar um pouco o preço, a Renault prefere tirar o carro de linha. LAMENTÁVEL

    • Roberto

      era vendido antigamente a 69999 e mesmo assim vendia pouco.
      O Sentra custa 79999 e ng compra…

      • Rafael Neves

        Pois é, daqui a pouco a Renault Nissan tira o Sentra de linha tb para focar no Kicks… aí vai ficar muito ruim mesmo!

        • Roberto

          A reclamação sobre o Kicks é não ter motor 2.0…
          se colocarem o 1.3 turbo, pode ser que o Sentra dance mesmo…

          • Rafael Neves

            Se trouxerem o Juke nem precisa trocar o motor do Kicks e ainda mata o Sentra… Anote aí que eles vão fazer isso..

        • Benny Blanco

          E o Sentra é da hora hein. Muito confortável e espaçoso.

      • Gran RS 78

        Quando a Renault reestilizou o Fluence e manteve os preços na faixa dos 68 mil reais, ele vendia muito, inclusive chegou a brigar pela terceira posição nas vendas dos sedans médios.

        • Roberto

          Lembro, mas ano passado, quando ela acabou com as versões de entrada, ele já não vendia tão bem.
          Focou apenas na versão completona e piorou nas vendas.

    • Zé Mundico

      Não tem porque a fábrica ficar gastando tempo, dinheiro e esforço num produto que ninguém quer. Se não vende é melhor cair fora mesmo.

  • Gu92

    Agora já podem utilizar o câmbio CVT do Fluence no Captur 2.0!!

    • Roberto

      E no Duster e Oroch tbm…

  • Christian Balzano

    Sinto um tremendo pesar de não ter o Megane europeu por aqui. A SW então nem se fala de tanto que é linda.

  • Mario

    Demorou! Nem taxista compra. Na lista dos ‘SUVs’, esqueceram do kwid..kkkkkkkkkkkkkk

  • Piero

    A afirmação “O público do segmento de médios não está mais interessado em hatches e sedãs. Ele quer SUV.” não é totalmente verdadeira, posto que o segmento tem uma venda consistente ainda.

    Mais correto seria dizer “A Renault BR não consegue oferecer um médio atrativo no mercado atual”.

    • Esquilo Tranquilo

      O carro é atrativo, convenhamos. Mas o preço espanta até assombração, 100 mil num fluence? pqp

    • Vinícius

      Venda consistente? Acho que não! O Civic que é o segundo mais vendido está emplacando 30, 40 % do que antigamente. Posso citar ao menos uns 4 ou 5 sedãs médios que estão vendendo 200, 300 unidades/mês. E Hatch médio está ainda pior! A venda do Corola está consistente, do Civic esta aceitável e Cruze no limite. O restante está pifeo e cada vez pior (C4L, Lancer, Fluence, Elantra, Sentra, etc).

      • Piero

        Considerei como consistente ainda ter vendas já que os preços nessa categoria, que já não tem mais tanto apelo, começam em 90mil. Mas entendo e concordo também com teu ponto de vista.

    • Robson Rogerio

      Pelo jeito é um caminho sem volta:

      https://www.noticiasautomotivas.com.br/eua-marcas-de-luxo-preocupadas-com-leasing-de-sedas-perua-e-cupes/

      Por conta da gasolina barata, os americanos estão buscando mais SUVs e igualmente mantém o ritmo bom de vendas de picapes. Mas, quando se considera o leasing praticado nos EUA, surge então um problema. Quem vai querer luxuosos sedãs, peruas e cupês seminovos? Acontece que há três anos, a preferência pelos utilitários esportivos era grande, mas não tanto quanto agora.

      Isso significa que o consumidor americano está se afastando de outros tipos de automóveis para se concentrar nos grandinhos ou grandalhões com tampa no bagageiro e bons ângulos de ataque e fuga. Por isso, agora que os contratos de leasing de três anos estão se encerrando, as marcas de luxo se preparam para uma enxurrada de devoluções (sem ônus para o cliente, diga-se de passagem) de sedãs, peruas e cupês.

  • Tochio

    Não são 3 ? e o mega SUV Kwid ?

  • Lucia C.

    Que pena, eu tava indo comprar um!

  • V12 for life

    E la vai o primeiro.

  • Zé Mundico

    Tem jeito não. A Toyota é a dona absoluta da faixa de sedãs no Brasil. Honda apenas participa como coadjuvante.
    Dias atrás eu expliquei isso mas vai um resumo:
    Lá pelos anos 90 e início dos anos 2.000, Ford, Vw, GM e Fiat estavam tropeçando e batendo cabeça, mais preocupadas em fabricar e vender carrinhos populares 1.0.
    Enquanto isso, Toyota e Honda chegaram e acharam melhor não bater de frente com as 4 trapalhonas. Trouxeram seus sedãs e trataram de comer pelas beiras, mantendo o foco num público mais endinheirado e exigente, que ainda preferia sedãs a ratoeiras 1.0.
    O resto a gente já sabe no que deu.

  • Tibúrcio

    Eu tive um Fluence Dynamique 2014. Comprei usado no finalzinho de 2015, com 40mil km.
    Excelente! Muito bom o carro. Paguei 42 mil na época.
    Vendi por 37mil para trocar de casa um ano e meio depois.
    Melhor ver um usado em bom estado, pois 0km não vale mesmo tudo isso (entre 99 e 108 mil) apesar de ser excelente veículo.
    A Renault matou mesmo o carro quando resolveu gourmetizar o preço.

  • Lyn

    Sensatos. O corolla só vende o que vende nesse segmento pq a toyota ainda não lançou seu crossover/SUV compacto, quando lançar as vendas do corolla vão cair. Sem contar que o segmento dos crossover/SUV compatcos deve dar muito mais lucro que o de sedãs medios.

  • CanalhaRS

    “…E por isso vamos apostar no Duster e no Captur. Temos dois modelos, algo que nenhuma outra marca possui…”
    Duas tranqueiras defasadas e caríssimas, pelo que oferecem…

  • Freaky Boss

    faz sentido.
    pragmatismo

  • João Cagnoni

    Dirigi o modelo antes mesmo do seu lançamento. Era um carro acima da média, hoje talvez não tenha o mesmo nível do Corolla e Civic, mas até a geração anterior desses 2 ele era. Até hoje é um carro que deve nada pra nenhum outro. O grande pecado da Renault foi ter subido os preços desta maneira, mas ainda considero um custo X benefício melhor que um Civic de 110k.

    • Esquilo Tranquilo

      Deve só no consumo, ô carro pra gastar cara. Tá certo que o automatico “ajuda” nisso aí mas 6,5km/l é sacanagem, isso na mijolina. De resto é um excelente carro, colocaria melhor que civic e corolla ainda.

      • Edson Fernandes

        Olha o consumo dos demais sedans e, olhe dos compactos, vc vai se assustar em ver que o consumo deles são similares…rs

        • Esquilo Tranquilo

          Realmente, mas o civic por exemplo ainda consegue marcas melhores mesmo sendo 2.0, ou pode ser que eu esperava muito do carro quando tive o meu privilege… Mas me assustou demais kk

          • Edson Fernandes

            Acredite, o Civic 2.0 anterior ao atual. O modelo CVT tem consumo totalmente semelhante.

    • Antonio Pacheco

      Tive um Fluence 2013 e agora estou com um Corolla 2015 e posso te dizer sem medo de errar que o Fluence era melhor queo atual Corolla. Corolla apesar dos inúmeros elogios sobre o seu conforto, é mais duro que o fluence. Fluence é muito confortável e silencioso, só peca no consumo em relação ao Corolla, como disse o Esquilo Tranquilo aí acima. O meu fazia média na estrada de 12, 12,5 km/l enquanto o Corolla nunca fez menos de 13 km/l nas mesmas condições.

      • thi

        Ja andei e achei fraco de tudo. Ergonmia ,painel, suspencao etc

    • Renato Freire

      Uma pena a Renault tirar esse carro no Brasil… Agora Renault só vende Dacia no Brasil.

  • SDS SP

    Infelizmente faz sentido, até porque ninguém quer manter formada toda uma estrutura de vendas, pos vendas e mercado de reposição de um veículo cujo o volume de vendas não justifica.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Guinada muito rápida para SUV e picapes. De sedã restou apenas o Logan

  • Renault Fluence

    Fiquem com Corolla então. Adeus Brasil.

    • thi

      Kkkkkkkkkkkkkkk

  • yurieu

    Puxa, eu achava feio por fora, agora é primeira vez que vejo uma foto do interior e realmente, uma monstruosidade. Incrível o gosto de brasileiro para coisas feias.

    • thi

      Verdade

    • José Santos

      Para mim também foi a primeira vez que vi o interior do Fluence. Desse jeito não vende mesmo. Feio por fora e pior ainda por dentro.

  • delvane sousa

    Dia triste para os amantes de sedans como eu. Em breve teremos so Corolla ou praga das SUVs. Prefiro andar a pe.

  • Marcos Pastori

    “O público do segmento de médios não está mais interessado em hatches e sedãs”.

    Na verdade, está sim, só que apenas no Toyota Corolla.

  • Danilo

    Deviam focar em sair do pais… so fabricam lixo.

    Eu moro na Europa…. aqui a Renault eh completamente diferente dai. Tem as porcariadinha tambem, Duster, Captur e Clio. Mas tem umas condução mais ajeitada que ja vi rodando. So que nem me atento muito pq Renault neh… bom nao tem la aquela força aqui.
    Aqui eh Audi, BMW, Mercedes, Mini, VW e Porsche que eu vejo em massa. Depois vem as outras.

    • Allan Barcos Taveira

      Não sei em qual país você mora, mas nos que eu visitei o que mais vi foi Renault, Peugeot, Mercedes, BMW e Seat, com destaque pras 2 francesas. E achei o Clio um carro muito interessante pra proposta dele no velho continente.

      • Robson

        Tb não sei a qual país ele se refere, mas quando estive em Paris em 2015, notei que na cidade é basicamente o trio Renault/Peugeot/Citroen nas ruas e em Londres vi muito carro da Renault (Clio e Megane principalmente), até me surpreendeu.

        • thi

          o mano paris nhe!!! claro q vai ter mais carro de marca francesa…. mas do resto ele esta certo ,tanto q a vw é lider na europa e sem falar na audi,bmw e mercedez ainda tendo skoda aos monte

          • Robson

            Sim, em Paris é obvio. Mas em Londres também vi demais, tanto que fiquei até surpreso com a quantidade, e acredito que Reino Unido seja um mercado importante também. A VW é a líder, mas as francesas não podem ser desprezadas nesse cenário não, com o “ninguém quer” porque não é bem assim.

      • Mr. On The Road 77

        Ele deve morar em San Marino.

  • Daniel Augusto

    Tenho dó de quem comprou um fluence, pois agora ele vai desvalorizarar como usado, e sendo fabricado já era difícil de encontrar algumas peças a disposição nas concessionárias, imagina agora que parou de ser fabricado.Sem falar que isso foi a melhor notícia que a Toyota e Honda ouviram pois é menos um concorrente para brigar.

    Falta de respeito por parte da Renault, dê aqueles que são fans da marca e apostam nela, ficarem sem a opção de um sedã médio da marca.

    • Evandro

      amigo, o fluence já perde valor por natureza, isso é só mais um fator…. Qto a Toyota e Honda terem um concorrente a menos para brigar nem conta, pois isso não é briga, é massacre….

  • thi

    Ainda tem o Jetta

    Agosto -1153 unidades
    Setembro-932 unidades
    Outubro-781 unidades

    Ficando em uma media de 955 /1000 carros mes.

    • Evandro

      No entanto, vendo os últimos 3 meses vem perdendo mercado…

      • thi

        normal ,mudança de geração ,esse mes talvez volte as 1000 por mês a vw vai dar um desconto bom e eu queria muito um 1.4 azul

  • Natán Barreto

    Ninguém quer realmente um sedã médio com projeto com certa idade a 100 mil reais. Pq o óbvio é investir em preço quando vc não tem algo a altura da concorrência.

    Lembram de Focus da primeira geração e Astra antes de sair de linha? Eram muito vantajosos por causa do preço. A GrandTour da própria Renault chegou a ser a mais vendida antes de ir embora.

  • Dreidecker

    Agora 100% Dacia do Brasil !!

  • Wagner Lopes

    Sai carro de verdade e ficam os carroções bem ao gosto do brasileiro…viva a banânia!

  • Darlan Einstein Livramento

    um bom carro, com preço estratosférico! Posicionamento errado de preços (opinião).

  • Matafuego

    “Vamos focar no Duster e no Duster com roupa diferente”.

  • afonso200

    em 2010 vendia muitooooooooooooo

  • Silvio

    Depois de 3 excelentes Renault em sequência, essa notícia só reafirma que não tem mais nada de interessante na marca para mim. Exceção é apenas o Sandero RS, mas é um carro de nicho, não para o dia-a-dia.

  • gcaraujo

    Pensando friamente… melhore a plataforma desses “SUVs” deixe mais seguro, diminua seu peso e faça um downsizing no motor, com turbo e alta performance e visando economia com câmbio automático que não estraga! Pronto…

  • Evandro

    um carro desses começando em 99k só poderia ser um fiasco mesmo… vai tarde….

  • André Neves Lima

    Fluence, Megane,…
    Mais um mico na mão de quem acreditou na Renault. Por essas e outras que marcas mais tradicionais quem mantém um modelo atualizando-os por anos, acabam sendo mais valorizadas. Exemplo disso é Honda e Toyota com Civic e Corolla respectivamente. Mesmo veículos antigos ainda são muito bons para compra e venda.

  • Já vinha dizendo isso a algum tempo: sedãs médios tendem a ir desaparecendo aos poucos. O Honda já viu as vendas do Civic minguarem após a chegada do H-RV (a nova geração do Civic, que a princípio viria para mexer com o mercado, vende tanto quanto a anterior em seus últimos dias). A GM ainda não passou por esse efeito pelo fato de ainda não oferecer um “SUV” compacto competitivo na praça (o Tracker vem importado, é pequeno em suas dimensões internas). A Toyota evita falar em C-HR por aqui, pois sabe que vai apenas criar um “mata Corolla”, que é um produto campeão de vendas e com margem de lucro muito boa para a marca. Se lançar um concorrente para o H-RV, tira vendas do seu campeão imediatamente.
    Sedãs médios no Brasil (e em boa parte do mundo, sejamos justos) tendem a ter o mesmo rumo de peruas e hatches médios. Isso é um caminho sem volta. Esses “crossover – SUV’s – utilitários esportivos (no fundo, hatches com suspensão elevada e apliques de plástico) são quase unanimidade entre os consumidores. O “povo” pede, as empresas atendem. É isso aí que vamos ter na praça.

    • Edson Fernandes

      Fico triste porque estou ficando sem opção para futura troca. Vamos ver como será.

      • Eu é que não me rendo a SUV pra uso próprio… rs. Pra patroa, vá lá, pode ser que seja viável em algum momento. Mas pra mim, não serve. Acho que por ter 1,95m de altura, esse negócio de querer ficar uns 20 cm mais alto não cola, kkkkk.

        • Edson Fernandes

          Nem fala. Penso igual.

          E olha que gostaria de um carro turbo para proximo carro. Mas prevejo que da forma que as coisas estão, cada vez mais eu vou me anulando as escolhas.

    • Lucas086

      O Civic não vende mais pq a Honda deve ganhar muito dinheiro nele, que não reduz os preços, prefere ganhar na unidade. O Civic sport é mais caro e não vem nem com couro. O exl não tem nenhum equipamento relevante e custa mais que xei e ltz.

      • Sempre foi assim. As japonesas sempre primaram em trabalhar com uma margem de lucro boa em seus sedãs, uma vez que o preço salgado nunca atrapalhou suas vendas. E sempre vendia perto do Corolla, até o dia em que lançaram o H-RV. Aí vende 5000 H-RV e 2000 Civic.

        • Lucas086

          Verdade, mas eu penso que se a Honda pelo menos equipasse mais o civic, poderia vender mais, ele é N carro mais que o Hr-v e vendi pouco.

          • Que é mais carro que o H-RV, nem se discute. Mas para a própria montadora acaba módico vender um carro com custo de produção inferior pelo mesmo preço de outro mais sofisticado, e ainda assim conseguir ótimas vendas.

            • Lucas086

              Tudo por causa da moda, um Fitzao mais caro que um sesan medio.

  • Gambixx

    Que burrada. Não vende, mas serve como carro de imagem já que é o único não Dacia da linha.

    • Hoffmann

      É um Samsung coreano com o logo trocado para ser vendido nos mercados fora da Coreia do Sul, portanto continua não sendo um Renault legítimo.

      • fschulz84

        Sim, é um Renault legítimo. Desenvolvido quase inteiro pela Renault. Porém, quem começou de fato a comercializá-lo foi a Samsung.

        Por isso muita gente acha que a Samsumg que desenvolveu, mas ela só foi a pioneira a vendê-lo.

    • Ducar Carros

      Carros de imagem serão o Koleos e Kadjar, importados a conta-gotas da Europa. Não precisa de um Fluence caríssimo (para ela, por não ter escala) fabricado no Mercosul.

  • Malvino Jose Moreira Junior

    Os Suv de shoppings estão matando os sedãs médios , daqui a pouco só vai existir focus***, cruze***, civic , corrola e jetta. *** se sobreviver também!

  • Malvino Jose Moreira Junior

    Outro ponto que matou o Fluence foi o fogo amigo, antes tínhamos o Fluence 1.6 nessa faixa , que hoje é ocupada pelo logan , com menos equipamentos e requinte. Alias antigamente tinha Astra , Polo sedan , Linea , foram substituidos em faixa de preço pelos compactos grandes gransiena, voyage***, cobalt,etios,prisma,versa então muita gente que compravam os respectivos carros nessa faixa, preferem pagar mais uma graninha aos Suv de shopping do que os sedas compactos grandes. Quantos fiesta sedans , city ,etios sedan e cia venden?

  • RBuriti

    Foi um carro bom em sua época. No lançamento (final de 2010) era o único da categoria com 6 AirBags de série na versão mais barata.
    Procurei ter um desse, principalmente a versão GT que não vende mais…..

  • Vattt

    Infelizmente faz muito sentido!!!

  • Leonardo M. G.

    Baixa o preço, como fez com a Grand Tour aquela vez. Quero ver se não aumentam as vendas.

  • Sassá

    Sabe quem esta vendendo bem na renault? Duster orock express. 55.700k com ar condicinado e vidros, caçamba com revestimento e liso por fora sem plasticos, peladão. 30 dias para chegar e varias cores. Um chegado meu comprou, pelo preço tá bom demais, ele sem os apliques fica ate aceitavel. Olhei de novo e continua o mesmo preço na renaut ipiranga.

  • Walter S.

    Estou no meu 2o. Renault Fluence. O carro é excelente. A mecânica é 10 !! Sinto com a noticia. O mercado dos Sedans desta categoria vai permanecer, mesmo na presença dos SUVs. A Renault deveria trazer o novo Megane, lançado na Europa, acompanhado de um bom trabalho de marketing. Cairia no gosto do consumidor Brasileiro. Não ter um carro no segmento do Fluence/Megane tira um pouco do requinte da marca. Será este o posicionamento mais correto? Me pergunto se de fato o problema é que a Renault não tem mais capacidade de produção, considerando-se as plantas no Parana e Cordoba e a linha de carros sendo produzida na America do Sul.

  • Hoffmann

    Verdade seja dita, o Fluence era um sedã sem apelo há algum tempo, tanto que as míseras 2 unidades que ele vendeu no varejo em outubro não me deixam mentir. Motor defasado demais (o mesmo que vem sendo usado pela Renault desde o Megane de primeira geração), preço alto, interior antiquado… não vejo motivos para lamentar a morte dele. Em 2010 era um bom carro, em 2017 é apenas um modelo superado por quase todos os concorrentes (exceto pelo Lancer, que fica no mesmo nível) e que já estava fazendo tempo extra.

    • Mr. Pennybags

      Sentra tb….

    • fschulz84

      Somente corrigindo um ponto. O Fluence não utilizava o motor F4R 2.0 Renault como o Mégane.

      Ele usa o motor 2.0 Nissan (o mesmo do Sentra, com bloco de alumínio) e o mesmo câmbio CVT do co-irmão japonês.

  • Eduardo Edu

    Sedans médios em declínio? O Corolla é o quinto carro mais vendido. A Renault que não sabe fazer carro.

  • Draga

    Como ele nao tem a fama do Corolla e Civic, que vendem custando o que custar, tinha que ganhar no custo beneficio… Como aumentou demais de preço, esse seria o destino inevitavel, assim como 408 e C4 Lounge… Se eu fosse a Renault / Nissan e PSA tb nao apostaria mais nesse segmento, ate GM e Ford deveriam repensar tb…

    • Ducar Carros

      Para a Nissan, talvez ainda compense ficar no segmento, por vir o Sentra do México, sob o acordo automotivo.

      Já a GM e Ford, como dividem vendas com os hatches e vendem mais no BR+Argentina (especialmente GM), ainda dá para ir ficando…

  • Lucas Ranfer

    O Megane sedan europeu é muito lindo. É falta de vontade de investir no Brasil, ou nao quererem correr o risco.

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    Então a Renault no Brasil será SUVnault ?

  • Marcio Lenz

    MERCADO TÁ FICANDO MUITO CHATO.

  • Fernando Vilela

    Já tive um por 2 anos e 6 meses. Modelo 2015/15 Dynamique. O carro é muito bom em acabamento, itens de série e conforto ao rodar. O câmbio CVT e o motor 2.0 ainda dão um caldo. Mas a concorrência está bem mais atualizada vide Cruze turbo, Jetta Turbo, Civic turbo etc. Infelizmente a Renault nunca deu a atenção que o Fluence merecia. Uma nova geração seria muito bem-vinda e daria fôlego ao modelo mesmo com esse preço atual. Imagina um Fluence GT (que já existiu), automático e em uma nova geração? Dona Renault a senhora deu um tiro no pé.

  • Victor Porto

    É um carro bacana, interior simplório (padrão Renault), mas que parou no tempo, apesar de ainda poder ser equiparado a alguns concorrentes em termos de tecnologia embarcada, no entanto não se justifica 98k a 108k nesse carro.

  • Marcus Vinicius

    O jeito é tornar o Logan um sedan melhor com bons atrativos como adotar o 2.0 do Sandero RS numa futura versão top de lina ou esportiva para preencher a lacuna deixada pelo Fluence !

  • Luciano Costa

    Não vende por que ninguém confia em uma marca que descontinua os carros a seu bel prazer como fez com o Mégane.

  • João de Matos

    Tragam o Renault TALISMAN! Isso sim é carro de homem!

  • Fernando Souza

    “Renault Fluence sai de linha no Brasil; marca vai focar em crossovers e SUVs”…
    E quando é que ela vai lançar um???

  • Aristarco Pederneiras

    Mais um automóvel de verdade se foi… Não vai durar muito e os demais carros da categoria também vão embora. Vai sobrar só o Corolla até a Toyota lançar um “fake SUV médio” igual as demais.

  • Fernando Souza

    Bom, “dona Renault”, sou feliz proprietário de um Fluence, meu segundo Renault (tive um Clio logo quando ele foi nacionalizado, e também fui muito feliz com ele). Mas apesar da ótima experiência, não terei outro Renault por um bom tempo (no mínimo!). Ao contrário de alguns aqui não tenho nada contra SUVs ou Crossovers, mas um carro, para mim, tem que valer o quanto custa, e a “senhora” não tem hoje, em sua linha, nada que se encaixe nessa exigência.
    Poderia, de um ponto de vista puramente teórico, comprar um Captur, mas isso seria teórico porque eu só o faria se 4 “pequenas” coisas fossem mudadas nele: motor, transmissão, direção e todo o interior… Como vocês não irão fazer isso, vou passar longe.
    O certo é que vocês realmente conseguiram: Em um país onde muita gente tem preconceito com os carros franceses, vocês conseguiram expulsar um cliente que realmente gostava da marca. Se essa era a intenção, bom trabalho!!!

  • Fernando

    Carro muito bonito por fora mas extremamente sem graça por dentro

  • Hodney Fortuna

    É fogo no futuro virmos apenas dois ou três sedans médios a venda no brasil! Creio que até a Ford vai abandonar esse segmento focando apenas no Fiesta e Ka! Se não duvidar até o Fusion bate as botas do mercado dentro de dois anos!
    Nos EUA as montadoras já começam a deixar o segmento de veículos de passeio sedan de lado e dedicando-se mais nas SUVs e Pickups!

    • Cesar

      Fusion? Este está para Corola no segmento dele ou seja: Só da ele entre os sedans grandes. Então não creio que a Ford irá abandoná -lo. É a galinha dos ovos de ouro.

  • Fábio A.

    Errou feio Renault, sou consumidor de carro médios e não quero nem saber de SUV, menos ainda quando esses SUV possuem plataforma, tecnologia e motorização de compacto. É um baita negócio para os fabricantes.

    Meu sedan médio será substituído por outro sedan ou hatch médio.

    Lamentável decisão. Renault, uma marca a menos para o meu leque de opções para próxima troca de carro.

  • renato dantas

    Agora só falta a Citroen e Peugeot se mancarem e tirar do mercados o C4 lounge e o 408, pois a dupla niponica são imbativeis no ramo sedâ médio.

  • Wolfpack

    A Renault fazendo o que ela sabe de melhor Renaulzisse… Vai ter um planejamento de produto ruim assim na China… O Fluence é um excelente carro, mas os caras ficaram loucos e começaram a aumentar muito seu valor. Como brasileiro é um consumidor de segunda categoria, paga caro pelos Captur e Duster da vida e mantém a margem de lucro para os franceses. No Brasil não existe competição entre as montadoras mas sim um acordão de quem tira a maior quantidade de sangue do consumidor entregando a pior porcaria possível.

  • Tetsuro Kagava

    O problema da Renault do Brasil é ser Dacia. Se seus crossovers e SUV’s continuarem sendo Dacia ela continuará a amargar péssimas vendas. De produtos ruins e caros o mercado já está cheio e o diferencial seria sair dessa vala comum.

  • Pensador

    A Renault tem o Megane novo lançado na Europa que é muito bacana… Até o Clio que hoje é vendido na Europa é muito bacana… mas os caras vem para o Brasil e só joga água fora da bacia… Eu gosto dos carros pq a mecânica não dá problema, eu tenho 2 na minha casa….

  • Leo

    Se não houvesse protecionismo absurdo no setor, o Brasil poderia importar carros de segmentos cuja fabricação não é viável aqui. Continuaríamos tendo acesso a carros que não sejam somente SUVs…

  • fabricioaguirre

    Some-se aos motivos a péssimo desempenho no Campeonato Brasileiro de Marcas, onde mesmo colocando rios de dinheiro em uma equipe oficial nunca conseguiu muito sucesso.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Brasileiro_de_Marcas_e_Pilotos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend