Hatches Renault Segredos-Flagras

Renault Kwid terá duas opções de motor no Brasil, segundo site

renault kwid 1

A Renault prepara para o Salão de São Paulo, entre os dias 10 e 20 de novembro, a apresentação do novo Kwid ao público. O modelo chegará para se posicionar como o modelo mais em conta da linha da marca, ocupando o lugar do velho Clio, com preço inicial na casa dos R$ 30 mil. E um dos atrativos do hatch será a gama de motores, que contará com duas opções.

O novo Renault Kwid será equipado com o mesmo motor do “primo” Nissan March, um 1.0 litro flex de três cilindros, que rende 77 cavalos de potência e 10 kgfm de torque. Além dele, o modelo vai dispor do propulsor 0.8 litro SCe (Smart Control Efficiency) que equipa o modelo indiano, de 799 cm3 e três cilindros, com 54 cv e 7,3 kgfm de torque. Ambos terão câmbio manual de cinco marchas.

renault kwid 2

Na Índia, o Kwid equipado com o 0.8 litro consegue entregar consumo médio de 25,17 km/l.

O motor menor havia sido descartado da versão brasileira do Kwid por ser considerado simples demais, além de não se adequar às expectativas do consumidor. No entanto, a Renault voltou atrás e vai oferecer o bloco em versões com melhor acabamento e conteúdo, além de possíveis reajustes para dispor de maior desempenho.

A novidade da Renault vai brigar com o novo Fiat Mobi e também com o Volkswagen up!.

renault kwid 3

[Fonte: Quatro Rodas]





  • Victor Hugo

    Podiam ter colocado uma opção mais potente.
    Tem que saber o peso deste carro, pois com pouca potência e torque, se tiver carregado ” não sai do lugar”

    • Wellington Myph13

      Na India, bem depenadão pesa 740kg, aqui com alguns ajustes, airbags e talz, deve chegar nuns 800kg… Leve, mas ainda assim, acho totalmente desnecessário o uso do 0.8…

      • Japao é 0.6 kkkkkkkkkkk. Baixo peso, motor com boa curvatura, e gasolina boa, o resultado é bem satisfatorio. (embora eu prefiro 0.6 turbo). Eu só quero ver esse Kwid com a mijolina.

        • André

          Com etanol não vai ficar pior que com gasolina boa.

        • Wellington Myph13

          Ta louco, 0.6… Carro tem que pesar 600kg ou menos pra ser aceitável…

          • Maçaranduba o Porradeiro.

            Tem KeyCar nipônico que desenvolve 74cv com turbo e pesa 800kg e o motor é 0.6…
            Depende da engenharia, VW tá prometendo um 1.0 turbo com 150cv logo para o final 2017 que vai estar no Polo GTI e uma versão mais potente que chega a 185cv, mas acho que essa última é para competição apenas… Sem falar da versão de estudo que chega aos 272cv, um sonho para um motor 1000cm³

        • Douglas Afonso Bonin

          Kwid pesa 660 kg, potência no etanol vai chegar aos 60 cv, peso potência está quase a 11 kg/cv. Querem mais o quê?
          Tem muitos carros por aí com mais de 13 kg/cv

          mesmo carregado ele não vai pesar o mesmo que o Mobi ou outro qualquer desses 1.0, que pesam quase 1000 kg vazios.

          O peso é a chave para o bom consumo, para a racionalidade de gastos de energia, para subir bem uma ladeira, e para fazer bem ao planeta (menos combustivel), e para o bolso.

          e porta malas suficiente de 300 litros

          Estou aguardando esse carro! muito bom

        • afonso200

          0,6 e 0,66 com cambio CVT

        • Deadlock

          Até preferiria que a potência e torque fosse o mesmo do indiano, pois para uso na cidade é suficiente, a não ser que nossa gasolina tenha octanagem maior que o da Índia, aí pode aumentar a taxa de compressão e o rendimento vai aumentar. Do contrário, para aumentar um pouco de potência e torque, o consumo vai ser sacrificado.

      • Luis_Zo

        Discordo.

        Tive um Clio, peso divulgado 865kg, 1.0 8V, 58cv e 8.3kgf.m – 104kg/kgf.m

        Se Kwid vier com 800kg e esse motor: 0.8, 54cv e 7.3kgf.m, daria 109kg/kgf.m

        Baseado na minha experiencia com o Clio, super atende (sem grande emoções), principalmente se a oferta desse torque estiver bem “plana”, em rotações mais baixas e a relação não for muito alongada. Veja bem, SE.

        Acho que o problema maior que esse motor vai sofrer é o preconceito do consumidor brasileiro. Esse que fez a Honda colocar uma opção 2.0 no Civic (pois o Corolla era 2,0 – logo, estupidamente falando, “melhor”) ou aquele preconceito que 1.0 é carro de pobre, o que seria então o 0.8???

        • th!nk.t4nk

          Você tem razão, mas em termos de alíquota de imposto é igual, e em custo de produção também. A vantagem será ser um pouco mais econômico, em troca de desempenho mais fraco. Parece bom. O problema é que num país com relevo tão acidentado, acho exagero. Um 1.0 tricilídrico bem calibradinho já deveria ser o mínimo aceitável. Lembre-se de que brasileiro nunca anda sozinho, ele compra esse tipo de carro pra andar com a família toda e ainda pega estrada. O conceito de city car infelizmente não se aplica no Brasil.

          • Luis_Zo

            É o que eu comentei acima:

            Desempenho/consumo não depende só do motor. Depende de outras variáveis do veiculo também, então a principio não podemos dizer que terá um desempenho pior só pq um é 0.8 e outro 1.0 (ou seja, “menos”).

            Sobre custo e produção, as vezes sai mais barato tropicalizar o 0.8 Renault do que construir ou adaptar uma linha de produção pra receber mais 1.0 Nissan, por exemplo.

            É, diria que hoje AINDA não se aplica no Brasil, mas estamos em vias de começar a repensar isso. Ja existem algumas iniciativas rolando, veículos elétricos compartilhados por exemplo. Eu mesmo compraria um carro “tipo Smart”, se fosse ofertado por um preço atraente.

          • Douglas Afonso Bonin

            “Lembre-se de que brasileiro nunca anda sozinho”, isso é uma piada?
            vá na rua e fique olhando os carros passarem, e verá que o brasileiro sempre quase anda sozinho no carro

        • Wellington Myph13

          Eu falei que acho desnecessário o uso do 0.8, não que seria ruim…
          Acredito que a relação peso/potência dele deixe no mesmo patamar de 1.0 bons como Up e Ka… Mas desnecessário, pois se tem 1.0 ai, da Nissan, na prateleira, pronto pra ser usado, vai dar uma melhorada em desempenho e ainda assim vai continuar bom de consumo, pois o 0.8 estaria no “Limite” do peso/potência ideal, e pegando alguma subidas aqui e ali, exigiria mais do motor 0.8 do que do 1.0, deixando um consumo muito parecido no final das contas…
          É isso que acho, que não tem porque a Renault gastar com o desenvolvimento desse 0.8 aqui, já que não tem incentivo nenhum de impostos, não vai ter nenhuma redução de preço pra chamar atenção…

          • Franco da Silva

            É, tem esse detalhe: o carro precisa ser significativamente mais econômico que os outros, não adianta fazer 1km/L a mais… teria que fazer uns 5 a mais pelo menos, e é difícil…

          • Daniel

            vamos esperar os testes do inmetro?

          • Luis_Zo

            Eu discordo novamente.

            Ter o motor de prateleira não significa que o mesmo é mais barato. Como produto talvez, mas como capacidade produtiva talvez não. As vezes sai mais barato tropicalizar o 0.8 Renault do que construir ou adaptar uma linha de produção pra receber mais 1.0 Nissan.

            Mas diria que só depois do lançamento e aceitação de mercado é que vamos ver se foi “desnecessário” ou não.

        • meneghelli1972

          Em outro site fala em 60cv no 0.8 e diz que o 1.0 vai ser um motor 100% Renault, se com esse 0.8 rodar de boa na cidade fazendo 25,0 km/l tô dentro, vamos esperar.

          • Luis_Zo

            Cara, conselho. Não se baseia a compra na potência do carro. Um carro com 60cv não é necessariamente melhor que um de 55cv; O que vale mesmo é o torque e a faixa de rotação que ele esta disponível, além do peso do carro dividido pelo torque.

            Potência é puro marketing pra quem não anda cortando giro.

            • meneghelli1972

              Sem problemas, na verdade não citei qual motor deva ser melhor que o outro o que eu me preocupo hoje é com consumo de combustível.
              Se um carro acelera de 0 a 100 em 11s e outro em 15s eu não ligo pra isso não, ando sempre de boas até controlando o giro do motor priorizando o consumo.

        • Caio Alcântara

          Cara tenho um deste modelo e assino em baixo o que vc falou.

        • Diria que um motor 0.8 fazer sucesso ele precisa ser muito econômico. Se chegar a uma média de 24 na estrada e uns 16 na cidade vai ser um carro para frotas tá desde que manutenção em conta também. Pois se a economia for grande as empresas com certeza vão analisar a viabilidade de adquirilo.

          • Luis_Zo

            André,

            Lance que pro carro ser bem econômico, não é só motor.

            24 na estrada vai depender muito também de aerodinâmica e uma relação longa da ultima marcha. da pra fazer um carro consumir 24 na estrada com “motor de monza” (to exagerando aqui ok), mexendo só nos dois fatores acima.

            16 na cidade já vai mais do lado do peso e pneu com baixo atrito de rolamento.

            Eu imagino que se tem algum frotista que calcula a TIR da compra, entra só o valor de investimento (que vai der depreciado a 20% ao ano) e o valor residual (de revenda), do que os custos fixos (gasolina). E também condições de pagamento, mais que consumo. A nãos ser que o frotista esta realmente preocupado com sustentabilidade, o que infelizmente ainda acredito serem poucos no brasil.

        • Vagnerclp

          Este 0.8 seria pro pessoal do bolsa família, tipo um bolsa canguru, saca?!

          • Luis_Zo

            poisé, sad but true! hahah

      • Diego Ávila Monteiro

        Pra nós é desnecessário, mas pra Renault não. Vai colocar esse 0.8 de entrada por 30 mil e jogar o 1.0 la pros 45 mil.

        • celso

          O 0.8 não será de entrada. A matéria fala que as versões com esse motor terão melhor acabamento e mais conteúdo, ou seja, serão versões mais caras.

          • Diego Ávila Monteiro

            Mas daí comprar carro com melhor acabamento com um motor de mobilete é pra loucos hein.

      • Stéfano

        Na índia pesa 670!!

        • Wellington Myph13

          Putz, eu achava até que era 760kg, confundi a ordem dos números…
          Chegar aqui bem “equipado” com 740kg vai ser leve pacas…

      • Daniel Saraiva Vila Nova

        Errado. Na índia ele pesa 660 kg! Aqui deve vir com uns 700 kg…

      • Rafael

        Pra quem usa totalmente na cidade é uma ótima opção se o consumo for realmente bom. Como não é meu caso eu passo.

      • Iran Borges

        Só isso de peso? Mas como fica a estrutura? será que é segura?

        • Wellington Myph13

          Vamos esperar, mas não deve ser ruim por se tratar de um projeto novo.
          Mesmo sendo pra mercado emergente…

    • Rafael Henrique Arruda

      Na boa, a proposta desse carro é ser um city car, n faz sentido comprar um carro 0.8 e querer andar com ele carregado. Cada comprador precisa avaliar suas necessidades, se vai encher o carro, opte por outros veículos mais potentes. Eu compraria ele, pois ando sempre sozinho ou com um passageiro. Brasileiro compra carro no impulso depois fica reclamando. Meu tio anda com 4 pessoas no carro, foi lá e comprou um logan 1.0, agora fica chorando que o carro n anda e gasta muito.

      • fbl

        Entao deveriam tambem proibir esses carros 1.0 aspirados de pegar estrada rsrsrs ja que o povo mete a família inteira mais muita carga e sai por aí trancando rua e passando sufoco com as carretas

        • Maçaranduba o Porradeiro.

          Se fosse o casso motos com 500cc deveriam ser proibidas de andar na estrada.

          • Debraido

            500cc não que andam muito bem, as 50cc são proibidas.

          • fbl

            Se as pessoas as fizessem tambem de burro de carga e as deixassem imensamente lerdas tambem.

      • Maçaranduba o Porradeiro.

        Finalmente alguém entendeu…

      • Franco da Silva

        Boa! Chega de preconceituosos e/ou gearheads que só querem “cavalos”. A realidade atual é de uso urbano, com velocidade média abaixo dos 30 km/h parado em semáforos e congestionamentos. Se esse carrinho fizer 20/L na cidade vai fazer sucesso! Além disso, até o início dos anos 2000, essa era a potência de todos os 1.0

        • Matthew

          Pra você vê que retrocesso. Nos anos 2000 os nossos 1.0 já eram mais potentes do que isso. Esses valores são de carro mil da década de 1990. Só estamos retrocedendo uns 20 anos na história. E quando o carro 1.0 surgiu, a proposta dele era a der um carro popular em equipamentos e preço.
          Agora esse Kwid 0.8 vai chegar por no mínimo uns R$ 31.000,00 peladão e quem quiser o motor mil vai precisar partir pra versão intermediária que vai pra uns R$ 35.000,00. E nunca que esse carro vai conseguir fazer 20 km/l na cidade. Se conseguir na pista já será um grande êxito.
          É por aceitar esse tipo de coisa e ainda achar graça que as montadoras deitam e rolam aqui no Brasil. Vende carro indiano do pior tipo que existe por mais de 9 mil dólares e a galera acha que é um carro honesto. Meu primo tem um Corsa Wind MPFI que quando zero tinha 60 cavalos declarados. Como o motor tá cansado já deve tá rendendo pouco mais do que 50 cv. Mesmo usando ele só na cidade eu passo nervoso. Por menor que seja o limite de velocidade da via é bem difícil acompanhar o fluxo, tem que trocar marcha no limite do giro. Portanto, não é só uma questão de “cavalos”, amigo. É questão de comodidade e segurança ao dirigir.

          • th!nk.t4nk

            Estão de novo cometendo o erro de só comparar números de potência galera… Esse assunto já foi muito discutido.

          • Daniel

            O pessoal reclama de consumo… mas não vê que nossos carros só são beberrão pq a galera quer 100cv no 1.0 aspirado… dai é claro que vai beber um monte!

            Vamos esperar o carro chegar, dai a gente testa ele e então diz se é bom ou ruim?

            Eu tenho um BR 800 89 com 32cv. Está com pouco uso pois fica na casa dos meus pais. Mas, pra cidade, o carrinho é perfeito. Consegue ser agil mais que o suficiente, facil de estacionar e super economico!

          • Daniel Saraiva Vila Nova

            O grande lance desse carro é o peso. Na índia ele pesa 660 kg. Mais leve que o mais leve dos fuscas… O Mille fire com 55 CV e seu peso na casa dos 800 kg andava bem já.

      • André

        Exatamente, escolher o carro de acordo com o que realmente precisa, isso é uma coisa que poucos sabem fazer. Quando morava em São Paulo, teria um Kwid 0.8 fácil, desde que meu outro carro que minha esposa usa fosse mais potente e maior para viagens. Para ficar horas no transito, não precisa mais que um som e um bom ar condicionado.

        • Matthew

          O problema é que no Brasil a maioria das pessoas só têm condições de ter um único carro. Não significa que eu não tenha discernimento pra escolher o carro mais adequado ao meu uso. Se eu só posso ter um único carro na garagem, este tem que ser o mais versátil possível. Se pelo menos fosse pra lançar um carro ridículo desses por no máximo uns R$ 23.000,00, até pensaria. O problema é que vai chegar esse 0.8 por no mínimo 31 mil pelado de tudo, e quem quiser uma versão com o motor de um litro vai ter que partir pra versão intermediária que já vai pra uns 36 mil. Depois o pessoal reclama que carro no Brasil tá caro e não sabe por quê.
          Acorda! Vão empurrar um motor ainda menor do que uma unidade 1.0 pra diferenciar versões do carro.

          • th!nk.t4nk

            Finalmente falou tudo. No Brasil poucas pessoas podem se dar ao luxo de ter mais de um carro (e muitas das que têm 2, têm 2 fraquinhos ou um deles velho e pouco confiável).

            • Daniel

              Bom, quem pode se dar ao luxo precisa de opções!

              E, outra, eu ja fiz as contas e vi que pra muitas pessoas, vale mais a pena ter um carro compacto e economico para o dia a dia e ALUGAR um carro maior/mais potente quando for viajar. Eu mesmo estou tentado a fazer isso… só não fiz ainda pq viajo bastante e o carro que eu comprei pretendo guardar pra coleção…
              Mas, do ponto de vista RACIONAL, hj era pra eu ter um up! da vida e na hora de viajar, ou ir de avião e alugar outro compacto por lá, ou alugar um médio e cair na estrada.

              Faça as contas das despesas de manutenção, seguro, ipva, etc de um carro maior/mais potente e veja se não faz sentido…

          • Debraido

            Isso explica a onda dos SUVs.

          • Caio Alcântara

            A Renault sempre pratica preços melhores do que as “nacionais” sendo assim não deve chegar pelo mesmo preço do Mobi, Teremos que esperar para ver.

            • Gabriel Mariano

              Só no começo, porque depois que o modelo emplaca, ela aumenta. Vide Sandero a R$ 41 mil o mais barato.

              • Miro Saraiva

                Em fortaleza tem por muito menos disso. Onde vc mora?

                • Daniel

                  só olhar no ofertas renault que tem bem mais em conta e com taxa 0

        • cepereira2006

          Tem gente que pega estrada 10 dias por ano, se muito, e nos outros 355 dias fica andando dentro da cidade com carro pesado, grande e gastão, se ferrando todo para estacioná-lo na rua e nas garagens de prédios, que estão cada vez menores. Não seria mesmo muito mais racional priorizar a economia e praticidade do dia-a dia? Nos dias de estrada, leva pouca bagagem e pega a pista da direita e vai na manha. Não vai cair pedaço chegar meia hora mais tarde. Na Europa a gente vê direto neguinho pegando estrada com city car e não dá nada. Mas brasileiro é metido. Tá na eme, mas pega financiamento para comprar carro maior, nem que seja para mostrar para o vizinho ou impressionar mulher.

          • Daniel

            cara, 10 dias por ano vc aluga um Focus ou Duster da vida (se precisar de mais portamalas) e vai numa boa

            • cepereira2006

              Concordo. Só que tem muito nego nessa situação que torce o nariz. Nem pensa e se ferra todo para pagar combustível.

            • ViniciusVS

              E somando tudo não paga nem metade do valor do IPVA, logo não preciso nem colocar na balança Seguro, revisão e outros gastos… de longe é mais vantagem ter um compacto e alugar um médio quando precisa.

              Mas aqui é beleza em primeiro lugar e tem que ser um carro grande ( quanto maior melhor) e com motor grande também ( abaixo de 2.0 não presta)

              Tem o tipo que fica no dia a dia com um SUV beberrão 4.0 de 40kgfm de torque andando a 20km/h atrás de um uno e raramente coloca o carro na estrada pois viaja para fora do País de avião.

              Outros compram Sedan médio 2.0 e usam para o dia a dia, quando tem oportunidade de viajar em feriado pega trânsito em rodovia e fica atrás de carro 1.0…

              Enquanto compacto tiver a imagem de “Carro de pobre” na cabeça do Brasileiro que não sei por qual razão se acha rico por ter uma tranqueira 0km, ou pior ainda os que preferem comprar um Semi velho 2.0 com 10 ~15 anos de uso beberrão em vez de um compacto moderno e econômico, nada mudará.

              Eu juro que queria entender alguém que vive em um País emergente, com esse pensamento arcaico de querer ser o que não é e não ter condição de pagar algo melhor. talvez por esse motivo temos esses motores grandes do século passado.

              Uma pessoa criticar um 0.8 simplesmente porque é menor… sei lá.

          • Douglas Afonso Bonin

            muito pertinente seu comentário, pura verdade!

          • André

            Nossa, falou tudo! Primeiro que nem vai chegar meia hora mais tarde, porque mesmo o Kwid 0.8 chega nos 120km/h e segundo que se realmente precisar de carro maior e mais potente para viajar uma ou uas vezes por ano, pode alugar um.

      • Leonel

        Exatamente Rafael, concordo plenamente. E eu achei a eficiência dele excelente ! Só acho que não é um carro para determinadas cidades, as que possuem muitas laderas. Aqui, daria para andar com tranquilidade.

        P.s: apesar de razoavelmente mais caro, eu cogitaria o UP ou o próprio Kwid com o 1.0 três cilindros.

      • IRA

        Cara, nem sempre é uma questão de opção. A grande maioria das pessoas compra o carro que pode. Muitas vezes o 1.0 (Gol, Pálio ou Celta) é o carro da família e pau para toda obra (trabalho, estudos e passeio). Eu mesmo já passei por isso e nem a cor era opção, já tive carros branco, preto e vermelho porque eram as cores que não tinham acréscimo no preço dependendo do fabricante.

    • Douglas Afonso Bonin

      660 kg na india

    • Bruno Wendel Marcolino

      Imagina quando ligar o AC…

    • Douglas Afonso Bonin

      Eu tenho um Twingo 1.0 8v, 59 cv, com seu peso de próximos 820 kg,
      andando em média 110 km/h em viagem, 4 passageiros mais bagagens não
      deixa a desejar, é só o cara saber usar o giro do motor. E ainda faz
      médias de 18 km/litro. Não tenho o que reclamar.
      Este 0,8 do Kwid tem mais torque e potência que muitos 1.0 fabricados até
      começo dos anos 2000, e ainda tem um porém: o peso do Kwid é
      ligeiramente mais leve (aproximadamente 700 kg); e ainda na versão flex
      deverá ter mais potência no etanol. Tem vídeos na internet mostrando o
      Kwid indiano fazendo de 0 a 100 em próximos a 12 segundos, ou seja, já
      anda mais que o Mobi e outros. Teve um teste que o Mobi gastou 16
      segundos de 0 a 100.

      Como o Kwid é leve, mesmo carregando 4 adultos e umas bagagens, ele
      dificilmente vai passar de 1000 kg. hoje o Up, o Mobi, Palio, Gol, etc,
      pesam quase 1000 kg sem nenhum passageiro.

      E para os mais exigentes como estes que estão de mimimi, virá tbm versão 1.0, mais potente. Mas por mim poderia vir somente esta de 0.8.

    • Leo

      Por que não 0,8 turbo? Daria uns 90cv com 12kgf de torque?

  • Rafael Henrique Arruda

    Esse 0.8 para usar na cidade vai ser ótimo. Com um câmbio curtinho vai entregar o necessário e com um baixissimo consumo.

    • Wellington Myph13

      Desnecessário… O 1.0 já tem baixo consumo no March que é leve, imagina nele que vai ter por volta de 800kg?
      O 0.8 vai fazer 12km/l na cidade, enquanto o cara com o 1.0 vai fazer 11,7km/l… Pouta vantagem…

      • Maçaranduba o Porradeiro.

        Na matéria diz que ele faz 25km/l e não 12km/l…

        • Wellington Myph13

          Usei números de exemplo…
          Se for assim, o 0.8 faz 25km/l e o 1.0 vai fazer 24km/l…

          • Maçaranduba o Porradeiro.

            Melhor ainda, quanto mais econômico melhor…
            A proposta desse carro não é ser um foguete… Tá mais pra um camelo.

            • Wellington Myph13

              Mas não reclamei de ser foguete ou não.
              Veja que estou falando do fato do motor ser Desnecessário…
              0.8 e 1.0 vão pagar a mesma taxa de IPI, então não tem incentivo extra pra fazer nem pra vender ele mais barato
              O 1.0 vai ter desempenho mais condizente e não vai ser ruim de consumo… Não existe maneiras desse motor 0.8 fazer mais da metade de km/l do que o 1.0 faz, então não vai ter tanto impacto assim…
              A Renault faz o que ela quiser com o dinheiro dela, mas continuo achando desnecessário…

              • Maçaranduba o Porradeiro.

                Espera lançar o carro primeiro…
                Não tem como afirmar nada ainda por causa desse motor, até mesmo por que nos anos 1990 a maioria dos carros tinha desempenho semelhante e o mundo não acabou por causa disso.

                • Wellington Myph13

                  Ta batendo na tecla errada comigo, kkkkk
                  Eu não estou contra o desempenho desse carro, até acho que ele vai andar tanto quanto os melhores 1.0 do mercado como up! e Ka…
                  O que não entendo e acho desnecessário é a Renault querer fabricar aqui um motor que tem o mesmo custo operatório de um 1.0, e pra piorar, que já tem na prateleira com a Nissan, E QUE na verdade VAI ser usado…
                  Então não vejo visão alguma pra ter um 1.0 e um 0.8…
                  Era mais viável investir em maquinário pra ajudar a Nissan fabricar os 1.0 12V e 1.6 16V e substituir os 1.0 8V e 1.6 8V deles…

                  • Rodrigo Alves Buriti

                    Nisso concordo, unifica mais os motores Nissan/Renault que aí sim vai ter redução de custos e peças de reposição mais acessíveis e disponíveis.
                    Agora, por mim o 0.8 poderia um turbo, iria vir com um torque bacana e um bom desempenho para a cidade, além de um consumo também legal.

                  • Edson Fernandes

                    Wellington o motor 1.0 da Renault é 16v.

                    • Wellington Myph13

                      Verdade. Falha nossa. kkkk

              • André

                Veja se entende os motivos pelos quais o 0.8 faz sentido.
                0 0.8 pode ser bem mais barato que o 1.0, mesmo sem vantagens tributárias, porque a Renault terá uma margem absurda de lucro nesse Kwid, Não se esqueça, que na India, um Kwid 0.8 custa a metade de um Nissan March e isso que o March básico lá nem ar condicionado tem, o que para a nossa realidade, seriam menos de 20 mil reais. Ou seja, se o Kwid 1.0 custar uns 31mil e o 0.8 custar uns 26mil, ainda terá muito lucro.
                Para o momento de crise que vivemos, preço de carro faz diferença sim, consumo também. Tem muito motorista que tem 2 carros, ou nunca pega estrada. Tem também muitas empresas (teles) que só usam sua frota na cidade.

                • th!nk.t4nk

                  Não tem lógica o 0.8 custar menos. Não pela cilindrada.

                  • Daniel

                    E me diga qual a logica de um Focus 1.6 custar menos que um 2.0? se os 2 estão na mesma faixa tributaria? O que muda no motor pra custar tão mais caro?
                    e a Fiat que tem 1.4, 1.6 e 1.8? pq não só o 1.8 então?
                    a GM com o 1.4 e 1.8 no cobalt?
                    E, por ai vai… se existe é pq tem mercado

                • Matthew

                  O custo de produção é o mesmo pra Renault. Poderia ser até o mesmo bloco do motor com o curso dos pistões encurtado pra virar 0.8. Duvido que a Renault vai vender esse carro aqui no Brasil por 26 mil. O 0.8 vai começar na faixa dos 30 mil e o 1.0 por ser um carro “superior” (a que ponto estamos chegando) será vendido por 35 mil. Depois não quero ver neguinho reclamando que carro 1.0 bateu os 50k.

                  • André

                    Não tem como a Renault vender o Kwid 1.0 mais caro que um Mobi 1.0 ou up! Acredito que o Kwid 1.0 tenha preços similares ao do Mobi, o 0.8 será mais barato que todos, até mesmo para vencer o pre conceito.

                    • Wellington Myph13

                      Pode escrever ai, o 0.8 vai ser o mesmo preço do 1.0
                      E a Renault ainda vai deixar o 1.0 de Entrada mais barato que o 0.8…
                      Vai ser algo como
                      Kwid Authentique 1.0 – 31.990,00
                      Kwid Expression 1.0 – 34.990,00
                      Kwid Expression 0.8 – 34.990,00 (Com uma CMM no lugar do som)
                      Kwid Dynamique 1.0 – 38.990,00
                      Kwid Dynamique 0.8 – 38.990,00 (Com alguma perfumaria a mais do 1.0)

                      É isso que a Renault vai fazer (se vier)…
                      De acordo com o Site, vão PRODUZIR o 0.8 aqui, o que significa que tem o mesmo custo operatório de um 1.0, não existe formas dele ser mais barato. No máximo, a Renault vai cortar o Lucro nele, o que mais uma vez, não tem lógica…

                  • Guilherme Soltys

                    Disse tudo Matthew! Vão começar a vender 0.8 no Brasil, beleza. Mas vão cobrar o valor dos atuais 1.0 e subir o preço dos 1.0, que ficariam em “outro patamar”.
                    0.8 amigos, teria que custar abaixo de 30.000, mas duvido!

              • Miro Saraiva

                O 1.0 Nissan não é lá esse maravilhoso todo. O 1.6 sempre teve muito mais destaque por torque e eficiência sem ser beberrão. Sempre ofuscou o 1.0. Esperaria uma diferença mais significativa entre as opções cogitadas

              • Daniel

                Consultei aqui e a diferença vai ser 4km/l na cidade… quanto tá dando na sua bola de cristal?

                • Matthew

                  Se motor 1.0 ou menor que isso fosse realmente bom existiria em outros mercados parecidos com o do Brasil, como Argentina e México. No Brasil só existe por causa da questão tributária e o consumidor brasileiro aceitar qualquer porcaria que lhe enfiem goela abaixo. Enquanto essa mentalidade de ficar justificando carro 0.8 a 30 mil pratas permanecer, só porque supostamente ele vai atingir média de 25 km/l, continuaremos com esses carrinhos indianos sendo vendidos a preço de compacto premium europeu.

                  • Daniel

                    No Brasil, antes da questão tributaria já tinhamos veiculos com motor menor que 1.0.
                    Tudo é uma questão de opção.
                    Em casa, durante 17 anos tivemos lado a lado um Br800 e uma Caravan. De um lado, conforto, espaço e desempenho… carro otimo para estrada, do outro lado, um carro extremamente racional, compacto, simples, economico, agil.
                    Qual era o melhor carro? Bom, depende… pra rodar no centro de São Paulo, meu pai preferia deixar a caravan na garagem e ir com o Br800, quase uma moto pra driblar o transito e para estacionar, gastando muito menos combustivel. Pra viajar? Com certeza a Caravan era muito melhor e mais confortavel, mas, sempre cobrou a mais por isso.

                    Hoje eu tenho um Hatch 2.0 automatico, veloz, confortável, etc… mas, extremamente DESPROPORCIONAL para o meu trajeto casa-trabalho-casa.
                    Um Kwid 0.8 com AC estaria ótimo para meus deslocamentos urbanos diarios. se vier pelos 30mil, capaz de o carro se pagar só com a economia de combustivel e manutenção em relação ao C4

      • Debraido

        Mas ele entra para a média das novas normas de emissões, e da margem para manterem os gastadores dentro da marca (entenda 2.0 do Duster).

        • Wellington Myph13

          AI SIM esta uma teoria diferente que não tinha pensado…
          Mas será que o 0.8 faz TANTO a menos de emissões assim?
          O 1.0 12V já tem menos emissões do que o 1.0 8V que eles tem, e o 1.6 16V da Nissan também… Só de substituir estes dois (como já tem planejado) já resolveria tudo, não?

          • Marco Antônio

            Marketing ambiental politicamente correto?

      • Daniel Saraiva Vila Nova

        A questão é que o Kwid pesa 660 kg na Índia… Mas lá ele não tem air bag nem ABS. Talvez com uns ajustes deve chegar por aqui com 700 kg…mais leve que o mais leve dos fuscas e do tamanho de um Mille fire. Com porta malas de 300 litros. Esse carro vai surpreender. Tenho certeza…

        • Douglas Afonso Bonin

          top carro para brasileiro

      • Douglas Afonso Bonin

        Só que não, precisa engordar muito pra chegar a 800 kg, na índia tem 660 kg

    • Poperon

      Será ótimo para ladeiras, iguais as que são encontradas em muitas cidades Brasil à fora, principalmente nas ladeiras de são paulo. Imagina que maravilha, o carro morrendo e descendo a ladeira descontrolado. Delícia cara

      • Zé- Dirty work

        Vai ser melhor ainda se tiver com ar ligado e 5 pessoas dentro hahaha

      • Ubiratã Muniz Silva

        duas letras pra você:

        bê e agá

        • Wellington Myph13

          Rapaiz, tem letra demais ai, kkkk

        • Rafael Rodrigo

          Imagina nego parar na ladeira da contorno com afonso pena kkk, o que vai dar de embreagem queimando kkkk

          • Stéfano

            Kkkk subir eu até acho q sobe, mas ia penar no morro atras da PF do Gutierrez (2 pessoas e vazio)

        • Marco Antônio

          kjkkkkkk Falo tudo cara.!

      • Marco Antônio

        Noss. Aqui em BH e na RM .. que tragédia,. kkkk Só vai se ouvir urros de kiwi.!

      • Daniel Saraiva Vila Nova

        Vc só nao está contando com um detalhe. O Kwid na índia pesa 660 kg! Pra vc ter ideia o extinto Mille fire na versão mais básica pesava uns 820 kg. 54 CV pra 660 kg é melhor do que muitos 1.0 por aí…

  • DINEIROO

    Praticamente uma moto esse 0.8. Se houvesse um turbo… aí sim.

    • Daniel Saraiva Vila Nova

      O carro na índia pesa 660 kg cara… Quase 200 kg mais leve que o nosso extinto Mille fire 4 portas… O peso reduzido já é um turbo

  • Zé- Dirty work

    Quando tava lendo vi la que iam ser duas opções de motores… quando falou que um ia ser 1.0, pensei que o outro ia ser 1.4 ou 1.6 sei la, aí quando vi que seria 0.8 demorei um pouco pra acreditar… até achei engraçado sobre a versão mais portente ser um 1.0 aspirado hahaha
    se bem que o motor 0.8 tem a mesma potencia e torque que o meu ford ka 1.0 1998 kkk

  • Renato Alves

    A Renault está apostando alto em um motor não tradicional, mas pelo menos esse Kwid de certa forma trás alguma inovação, bem diferente do Fiat Mobi que é apenas um Uno menor

  • Eduardo Brito

    Imagina esse carro com motor 0.8 na estrada…

    • DINEIROO

      Imagina ele na rampa sinistra que alguns shoppings têm.

      • th!nk.t4nk

        Vai andar semelhante aos 1.0 de uns 15 anos atrás. Ou seja, bem fraco, mas deve subir rampas numa boa (desde que não esteja totalmente carregado). Chuto algo semelhante ao primeiro Palio Fire, que partia de 55 cv.

        • DINEIROO

          Ou seja, estamos retrocedendo.

          • th!nk.t4nk

            Cara, cheguei a dirigir esse Fire de 55 cv, e o de 65 cv. Sinceramente, são iguais. A cavalaria adicional só vem em altíssimas rotações. Foi uma mera maquiagem num motor antigo. O motor do Kwid é o oposto: moderno, mas exibindo cavalaria baixa. Resultado: deve andar semelhante a um 1.0 de maior potência, mas de tecnologia antiga. Prova disso são os novos tricilíndricos: em termos de potência só não brilham, mas o desempenho é bem superior.

            • Daniel Saraiva Vila Nova

              Fora o peso do Kwid ser de 660 kg…

        • Matthew

          Há 10 anos atrás o Fire já atingia 65 cv e o VHC da GM 71 cv. Pra mim isso são prestações de 20 anos atrás.

        • Daniel Saraiva Vila Nova

          Com a diferença que o Kwid pesa cerca de 200 kg a menos. Ele pesa 660 kg na Índia. Isso faz toda a diferença

          • Matthew

            Na Índia… quanto pesará aqui? Daqui a pouco vão falar que se colocarem um motor de 2 cilindros, 500 cm³ e 36 cavalos de potência dá e sobra também, porque nossos avós andaram de Fusca na década de 1960 com essa potência e nem por isso morreram cedo. E tudo bem se custar 25~28 mil reais, porque é capaz do carro fazer 30 km/l.

      • Daniel Saraiva Vila Nova

        Não será nada. Potência por si só não diz nada. Vc sabia que esse carro pesa 660 kg na Índia? Pois é…

        • th!nk.t4nk

          Aí pensa: um motor de baixo atrito, feito pra render bem em baixas rpm, combinado a um carro super leve. Não tenho dúvidas de que será melhor que um 1.0 antigo qualquer. Não vai ser carro pra subir a serra carregado com a família, lógico, mas pra cidade deve dar conta.

  • Mario

    Meu Deus!!! Esses motores não são melhores que o 1.0 fire dinossauro!!!

    • Artur

      Qualquer motor 1.0 do mercado é melhor que o Fire. Acho que só o 1.0 da GM é pior ou parecido.

    • Maçaranduba o Porradeiro.

      São sim.

  • Handlay P.B.

    Imagina subir uma ladeira com um Kwid 0.8, com 5 pessoas dentro e ar-condicionado ligado…

    • Poperon

      Saudades embreagem

    • Daniel Saraiva Vila Nova

      O carro pesa 660 kg, fera… Isso ajuda que é uma blz em arrancada!

      • invalid_pilot

        Ou seja, caixão ambulante,cadeira elétrica e outros adjetivos.

        Espero que a nossa versão seja melhor feita

  • Wellington Myph13

    Des-ne-ces-sá-rio…
    1.0 fazendo 11,7km/l na cidade, dai vem o Milagroso 0.8 fazer 12km/l…
    Até porque, não adianta falarem que vai fazer muito melhor que isso, pois com menor potência, precisa exigir mais do motor em algumas situações…

    E ainda nem faz sentido a Renault falar que vai fazer um 0.8 com Mais itens pra chamar mais atenção, pois vai sair mais caro, e o resultado nem vai ser absurdo em consumo pra compensar isso…

    Deviam investir é em maquinário pra ajudar a Nissan a fazer mais motores 1.6 16V pra suprir a demanda e substituir de vez esse 8V deles…

    • Matthew

      Não duvidaria nada se o consumo do motor 0.8 for até maior que o do 1.0. Puta besteira achar que só de reduzir a cilindrada o carro ficará ridiculamente econômico. O Pure Tech da Peugeot tá aí pra provar: 1200 cm³, equipa o 208 e é tão ou mais econômico que a lata de sardinhas UP. Esse 0.8 tem valores de potência e torque que o Corsa Wind monoponto tinha em 1994. Ridículo a Renault cogitar a hipótese de oferecer esse motor aqui.

      • cepereira2006

        Esse 0.8 seria interessante se fosse bicilíndrico. Não diz isso na matéria. Seria bem mais leve, menos peças móveis, menos atrito que o 1.0 tricilíndrico. Em um carrinho leve, seria uma revolução e daí eu acredito nos 25 km/l.

      • Daniel Saraiva Vila Nova

        O pulo do gato desse carro é o peso. Ele pesa 660 kg na índia. Por isso que tem esse motor tão pequeno…

        • Matthew

          660 kg? Mais uma informação que prova que esse carro é no mínimo suspeito. Não é só Air Bag e ABS que aumenta o peso de um veículo. Se ele receber reforços estruturais na carroceria fica bem acima dos 800 kg. 660 kg num carro desses nos dias de hoje tenho certeza que vai levar pau em teste de colisão.
          Enfim, se vocês se contentam em receber carro destinado ao mercado indiano a preço de ouro, não posso fazer nada. Eu não me satisfaço e ponto final. Só faria sentido se fosse ridiculamente barato, tal como é na Índia. No máximo uns R$ 22.000,00 tava bem pago num carro de 660 kg — só fico imaginando o tipo de artimanha que eles utilizaram pra baixar o peso de um carro de baixo custo; metais nobres e leves na estrutura é que não é.
          Se a Renault for muito generosa e agressiva nos preços, esse carro chegará por no mínimo uns 29k (tão falando em algo torno de 30 mil na imprensa).
          Triste fim a do nosso mercado: pessoas que acham justo um carrinho de 700 quilos com motor 0.8 custar a bagatela de 30 mil moluscos e o motor “top” de mil cm³. Qualquer país sério na Europa ou nos EUA repudiaria uma aberração dessas.

    • dogmarley

      achei mico só as versões mais cara com esse motor, também

  • Artur

    Será que entendi corretamente? É o 1.0 3 cilindros do March nas versões de entrada e o 0.8 3 cilindros menos potente nas versões mais caras? o.O

    • Maçaranduba o Porradeiro.

      Na matéria não diz nada disso.

      • Artur

        Sério? Releia, por favor:
        “O motor menor havia sido descartado da versão brasileira do Kwid por ser considerado simples demais, além de não se adequar às expectativas do consumidor. No entanto, a Renault voltou atrás e vai oferecer o bloco em versões com melhor acabamento e conteúdo, além de possíveis reajustes para dispor de maior desempenho.”

        • Maçaranduba o Porradeiro.

          Então atualizaram…

          • Artur

            Opa, sem problemas!

    • th!nk.t4nk

      Não… É que a matéria tá mal escrita. Tentaram dizer que o 0.8 não será tão depenado quanto o indiano, só isso. Imagine algo como o Mobi básico.

      • Artur

        Acho que é isso mesmo.

  • Khusller

    Quero ver o Crash Test disso daí…

  • Maçaranduba o Porradeiro.

    O carro mal foi lançado e os pilotos de Ferrari e Lamborghini já tão sentando o pau nele, vamos ver como ele se comporta antes de lascar a cacetada no carrinho, vai que o consumo seja de 20km/l seria uma baita de uma mão na roda nessa crise onde a média de preço por litro está na casa dos R$3,89.

    • Marco Antônio

      Espero que a cara deles queimem. Tipo quando todos diziam que sandero RS vinha por menos de 60k os magos da previsão diziam “”impossível vir por menos de 70, 65 .. etc”.

      • Franklin Diego

        Os magos da previsão.. HUAHUAHUAHUA

        • Marco Antônio

          kkk só pode uai. ou os das “fontes confiáveisseguras”.. Magos.

  • Matthew

    Aeeee Reanult! Motor 0.8 com desempenho de carro mil da década de 90, por apenas 32.000 mangos.

    • invalid_pilot

      Era melhor deixar o Clio em linha

      • Tonho da Lua

        po, aquele design tem 20 anos, vamo renovar

        • invalid_pilot

          Kkkk ou então nao lançar nada tao tosco quanto esse 0.8

    • Daniel Saraiva Vila Nova

      Vc só não sabe que o kwid indiano pesa 660 kg.

  • carnero

    Cade o comentário querendo V6 twinturbo 3.0 nesse carro?

    • Maçaranduba o Porradeiro.

      Já tem um monte…
      Já tem gente querendo é um V8 5.0 aspirado carburação dupla de 600cv…

    • Mr. Car

      Não vai ter V6 Twinturbo 3.0 no Kwid? Pronto. Satisfeito, he, he?

  • fbl

    Na boa.. Carro 1.0 aspirado nao deveria nunca ter existido, salvas rarissimas exceções em carros muuuito leves. So servem pra encher o saco. É pouco pra qualquer carro. Os valores de torque chegam muito tarde e sao lerdos sempre. So sao bem vindos quando são lançandos, que ai a mídia vem falando bem, etc. Dá 1 ano já começam a falar a verdade, que vibra, que falta motor, etc. A Renault deveria ofertar a 1.6 como segundo opção nao esse raquítico motor. Certo fez a toyota que disponibilizou logo o 1.3 de entrada e a vw com seu TSi. Penso no veneno que um troço desses carregado vai passar com as Scanias na estrada.

    • Matthew

      Exato! A única coisa que justifica essa aberração dos motores de 1 litro é alíquota menor de IPI pra essa faixa de cilindrada. E só. No máximo em carros como o Up ou o Mobi esse motor faria algum sentido técnico. Sedãs familiares como Logan, Prisma e Siena é piada de mal gosto.
      E ainda tem gente crente de que este 0.8 da Reanult será uma revolução e fará 20 km/l. Só se for no vácuo de uma carreta a 90 km/h, porque por esforço próprio terá dificuldade em manter 120 km/h.

      • fbl

        Sinceramente? Nem up nem mobi. Aspirados, teriam que ser pelo menos 1.2 ou 1.3 pra ter um torque razoavel a baixas rotações. Melhor que isso so turbo mesmo, aí sim tem força pra nao passar sufoco na cidade e na estrada podendo ser 1.0 ou menos. Repare que quando são lançados esses 1.0 aspro sao sempre elogiados. Passa o tempo, a midia nao sei pq cai na real e passa a dizer que o carro é realmente fraco. É sempre assim.

        • invalid_pilot

          Up! e Ka andam bem pra 1.0, sei pq tive um Celta VHC 70cvs e a diferença entre ele e os citados é be razoável.

          Nem sempre motor pequeno é bomba, depende do uso e de quem usa

          • fbl

            Falou tudo. Andam bem PRA 1.0. Andariam bem pra qq situação se fossem pelo menos 1.2 ou 1.3. É questao de tributação mesmo, senao teriam motores um pouco maiores com mais torque em baixa e bebendo menos.

            • invalid_pilot

              Concordo,mas pra uso urbano e em rodovias duplicadas, um Up ou Ka dão conta do recado.
              No Japão os KeiCars são comuns, alguns usam motor de moto com 600cc , pra cidade ta ótimo.
              Problema que aqui no Brasil, carro é multi uso

            • Gustavo73

              Na Europa o.Up.só tem 1.0(o Tsi só chegou depois do nosso) e com potências até inferiores. Quem não consegue se virar com um 1.0 de 80cv melhor não ter nem.carteira de motorista.

              • fbl

                Se virar ne.. É isso aí. Carro meia boca pra motorista meia boca. Deve ser dentista pra gostar de motorzinho rsrs. Na europa as condicoes de cidade e estrada sao infinitamente diferentes das nossas, bem mais favoraveis e mesmo assim, carro 1.0 aspirado gasolina sempre foi raro la, primeiro pq eles usam diesel (mto mais torque) e segundo pq a tributação deles nao favorece um 1.0 aspirado em detrimento de um 1.2 ou 1.3. Nao é pq no brasil se vende mini bugre que isso é certo.

                • Gustavo73

                  Sou dentista sim,mas nossas alta-rotação estão mais para os TSi e Ecoboost. Motoristas meia boca não vonsehue andar nem com carro 2.0, é só ver os braços dirigindo por aí. No 1.0 é só usar o câmbio, que está lá pra isso, e o carro anda tranquilamente à 80/100km/h dem problemas. Mas subidas é só reduzir que vai também. Claro que a economia se vai. Falando em 1.2 europeu e seu desembaçador e economia. A 4R testou o 1.2 no 208, o mesmo da Europa. Os números de conaumo são bons os de desenho nem tanto. Mas o europeu não me parece frustrado com ele.

                  • fbl

                    Cara, o problema é que vc ta falando de um carro vazio. Coloca um porta malas e encha esse carro de bagulho pro cidadão pegar a estrada com a familia. É uma porcaria. E to falando obviamente de 1.0 ASPIRADO. Mesmo na cidade o 1.0 falta, é obvio que seria mais adequado um 1.2 ou 1.3. Mais uma vez, esses carros 1.0 so existem por questoes tributarias que ja deveriam ter morrido e estarem basedas em consumo de combustivel. O 208 1.2 3c pode ter decepcionado em desempenho frente ao 1.5 anterior mas bebe muito menos e provavelmente esse motor num carro de porte e peso equivalentes a um Up ou Ka seria talvez tao economico quanto e com desempenho superior.

                    • Gustavo73

                      Sem dúvida assim ele vai sofrer, mas sabendo conduzir não passará nenhum susto e nem atrapalhará o fluxo. Mas pra isso ele precisa saber os limites do carro, e saber que terá que ficar na pista da direita por maos tempo. Aí brm o problema, o ego ppde deixar ele frustado por ser ultrapassado eventualmente até por caminhões. E que terá que abrir mão do consumo baixo e usar o câmbio em subidas até leves se forem um pouco mais longas, tendo que usar a quarta marcha ou até a terceira. Não tem mágica. Quanto ao PureTech meu comentário não é uma critica, a proposta é ser econômico e sem dúvida ser maior e mais pesado que Up e Ka não ajuda. Mas também torna o carro mais confortável para os ocupantes. Eu teria um tranquilamente para usar na cidade.

    • Wellington Myph13

      O problema não é o 1.0 ser pouco pra qualquer carro. Ele serve, e muito bem, pra cidade… Estrada com no máximo 2 pessoas…. Independente do carro, ele vai…
      O problema esta nas pessoas que compram esses carros e precisam colocar a familia inteira dentro, e ainda não tem noção do carro, e sai fazendo ultrapassagem que nem deveria cogitar…
      O problema esta na falta de noção das pessoas, e não no motor.
      Eu tenho um 1.0 e faço tão bem quanto qualquer 1.6 na cidade faria, não fico atrapalhando em subida nem tentando fazer loucura… Sei o que tenho na mão… Mas outros não…

      E isso tem mão contrária também… Os mesmos sem noção, compram um carro 2.0 e andam a 120km/h de uma esquina a outra dentro de bairros…
      Uma vez tinha uma Ecosport atrás de mim, me empurrando, e eu a 80km/h já, numa rua de bairro com espaço só pra 1 carro encostado mais a pista… Quando chegamos num cruzamento com outra rua, que tinha Pare, eu mal parei e ela já jogou do lado e saiu cantando…

      Infelizmente não tem jeito, independente da potência/tamanho do carro, sempre tem o que vai atrapalhar ou fazer loucura…

      • fbl

        Isso, por isso que seria melhor so vender 1.2 o 1.3 (obviamente em se falando de aspirados ja que turbo a historia muda) pra frente, dados os carros pequenos e seus pesos de hoje em dia. Assim teriam o minimo pra andar em qualquer lugar, independente do bom senso do dono.

        • Wellington Myph13

          Concordo. Mas ai requer uma revisão na tabela de impostos…
          Porque só de mudar de 1.0 pra 1.2 um carro de 40mil vai pra 44mil…
          Não pula apenas de 7% pra 11%… Isso é o IPI BASE, tem ainda as peças, lucros e etc…

          • fbl

            Com certeza

  • Leonel

    “consumo médio de 25,17 km/l.” bom hein ? Só ACHO que se colocar dois adultos “mais pesados” e ligar o ar, ele não sai do lugar, mas posso estar enganado. Imagina ele em Belo Horizonte, com aquela quantidade de laderas rsrs…

    • Marco Antônio

      Cara não paro de pensar nisso. Uno sobe morro tudo urrando nessa cidade, imagina isso ai.!

    • Matthew

      Nem carro híbrido atinge essa média no Brasil. Os caras tão achando que vai fazer 23,8 km/l no trânsito de São Paulo só porque ele pesa menos de 700 kg.

  • Ramon Oliveira

    Motor 0.8 em Salvador é impraticável, em cada esquina tem uma ladeira

    • th!nk.t4nk

      Aquele momento em que a opção 1.0 é o “motor maior” e o cara tem que pagar a mais pra levá-lo… Caramba.

      • Matthew

        Depois vão lançar a versão RS com motor 1.2 e incríveis 80 cavalos de potência kkkkkkkkkkk

    • Matthew

      Incrível mesmo, um carro de baixo custo pesar 660 kg em pleno século 21. Imagina as artimanhas que eles utilizaram pra conseguir isso. Devem ter reduzido a espessura dos vidros e da lataria no carro inteiro.

  • Mr. Car

    Acho que a Renault vai ter dois trabalhos com este 0.8: lançar, e “deslançar”. De resto, vai ter que caprichar no interior, principalmente o painel. Fui ver o Mobi (Like On) e o interior me agradou bastante, bem mais que o do Kwid.

    • Wellington Myph13

      Interior de Renault nunca foi de agradar… Duvido que comece no Kwid…
      O Mobi TEM que ter interior decente, porque de resto, não vale 1 centavo do que é…

      • rodrigomalc

        Opa… Os interiores dos clios 2000 eram muito bons. Megane idem. Os interiores péssimos são da Dacia BR.

        • Wellington Myph13

          Bom e péssimo é outro atributo.
          Nunca foram bonitos, mesmo no Megane… meu pai tinha um, e era tão normal quanto é hoje o dos Sandero/Logan.

          Eu até me simpatizo com o interior do Fluence, mas não é o mais bonito do segmento…
          Já dentro da própria Renault, com certeza…

    • invalid_pilot

      Por mais tosco que seja o Fire, ele é muito melhor (na ficha técnica) que esse 0.8… So aceito esse 0.8 se vier custando 25k com ar e direção

      • Mr. Car

        Eu, nem assim. Só para ficar na marca, por este valor, procurava um Symbol Privilège 2013, que não deixa de ser um Clio com outra roupa. Só não procuraria o próprio Clio pois se não me engano, 2009 foi seu último ano com versão de acabamento Privilège, e o motor 1.6 16v.

        • invalid_pilot

          Se abrir o leque pra usados, tem muita opção na casa de 35mil.

          Mas entre esse 0.8 e o Fire moribundo, sou mais o Fire

          • rodrigomalc

            Depois reclamam que o Fire é pré-histórico e blablabla. Povo não sabe o que quer…

            • th!nk.t4nk

              Cara, mas estão viajando. Um tricilíndrico de baixo atrito rende bem melhor em baixas rpm que um 1.0 antigão. É provável que andem bem parecido, mas com uma enorme vantagem: o novo vai ser bem mais econômico. Eu pensaria num público de frota. Tem apelo. Pra uso privado no Brasil eu não cogitaria, mas…

            • invalid_pilot

              Na realidade de hoje é melhor que um 0.8 com 54cv

              Mas eu sou critico número 1 da Fiat, inclusive vira e mexe sou taxado de fanboy VW kkkk

              • Wellington Myph13

                Olha….
                Esse 1.0 da Fiat leva 16,6s pra fazer de 0-100 no Mobi…
                Talvez num carro mais leve como o Kwid ele seria melhor mesmo que o 0.8.
                Mas se comparar os CARROS que utilizam o motor, o 1.0 da Fiat é pior que esse 0.8…. kkkk

                “Em nossa pista, o Mobi reforçou que não quer ser um carro de velocidade. Ele precisou de longos 16,6 segundos para chegar a 100 km/h, valor bem superior aos 13,8 segundos divulgados pela Fiat”
                Fonte: Revista Auto Esporte

                • invalid_pilot

                  Mas nessa mediocridade toda o torque ,mesmo que baixo do Fire faz diferença.

                  Duvido o Kwid 0.8 ser melhor que esses 16s

                  • Wellington Myph13

                    Sei não. Imagino o Kwid por aqui pesando uns 760-790kg… Chuto fazer o 0-100 em 15s ou menos.
                    E o 1.0 na casa de 12s

                    • invalid_pilot

                      Veremos… Tbm tenho curiosidade pra saber sobre o motor novo da Fiat

                    • Wellington Myph13

                      Eu também… Tenho até medo na verdade… 1.0 6V? Vai ser bizonho…

                    • invalid_pilot

                      Aposto que vai ser econômico se andar em cidade, na estrada vai beber mais que o ex presidente alem de morrer cedo (torque bom só perto do giro máximo)

  • Jad Bal Ja

    Querem saber de uma coisa? Se fizer mesmo 25 km/l tô na fila…

    • Franco da Silva

      Eu tbm, mas tem que ser 25 de média (20 cidade, 30 estrada), pq 25 na estrada já tem carro melhor bem perto disso.

      • rodrigomalc

        Sim, mas esse carro melhor vc compra zero por 30 mil?

      • Franklin Diego

        Caramba, 20 km/l na cidade? Acho que se chegar a fazer 15 já está bem satisfatório, não?

        Agora, com relação ao consumo rodoviário, sabemos que depende do pé, mas se fizer pelo menos 25 km/l numa média de 80km/h também acho que está mais do que bom.
        Só não esqueça da qualidade da nossa mijolina…

        • Franco da Silva

          Os 1.0 modernos já fazem 14 e até 15 na cidade, esse 0.8 tem que fazer muito mais pra valer a pena.

          • Franklin Diego

            Que cidade você se refere? São Paulo? Curitiba? Porto Alegre? Rio de Janeiro? Belo Horizonte? Ou cidades do tipo Brasília que tá mais pra trecho rodoviário do que urbano diferente de vários “para-e-anda” e diversos sinaleiros?

            • Franco da Silva

              Na minha cidade tem que parar a cada 100m para uma lombada, semáforo, sinaleira… Nunca conseguia mais que 10/L, até a chegada dos motores 3 cilindros.

    • delvane sousa

      Na estrada a 70 km/h, sem ar e correndo o risco de ser atropelado por uma carreta ate faz. Na cidade esquece.

  • Alisson Bona

    vai andar junto com renegade e toro 1.8

    • Marco Antônio

      kkkkkkkk vai andar junto dos “carrões”

    • rodrigomalc

      E CRV tbm.. pode subir o preço pra 80 mil pois os jogadores de super trunfo vão concordar sim!!

    • EJ

      Já leu reviews do Kwid indiano no 0-100? Veja vídeos e volte pra comentar…não é crítica a seu post, é sério. Irá se surpreeender o que o pesoXpotência fez nesse 0.8. Só pra vc ter idéia, ele bota entre 4 e 5 segundos no 208 1.2 Puretech recém lançado, q fez na casa de 17s

      • Alisson Bona

        Nunca falei do 208 falei do renegade e do toro, e nenhum destes faz em 17…
        E sim nao compraria nem o 1.0 imagine o 0.8.
        Mas pode ser solução para quem anda pouco!
        Ao menos que seja econômico

      • gustavo

        Esse teste tem que ser na real, na pista tem muita propaganda editada e não aferida aparecendo em todo lugar !! ainda mais se for Indiano !!

        • EJ

          Ah sim…porque tooodo mundo tem interesse em dizer que um carro com 800 cilindradas de potência faz menos de 13s em um teste de 0-100… último requisito que um comprador de Kwid quer. O foco desse tipo de comprador de carro é economia, claramente. Não vejo motivos pra desacreditar os vídeos (tanto que nem quis botar fonte, mas estão aí…só procurar algum que atenda). A questão é que antes de qualquer pessoa falar besteira, pense em peso X potência antes.

          • gustavo

            Tem e que rir vc querer que um motor de mobilete de 799 m3 ande com um motor 1.2 da Peugeot !! peso x potencia tem um limite aceitavel, tu esta delirando?

            • EJ

              Sabe ler, amebinha? Kwid com motor de “Mobilete” sim, com 800 cilindradas, percorre 0-100 km/h mais rápido do que o Peugeot 208 1.2 Puretech 4 cilindros, lide com isso e não me amole mais. Note que em momento algum falei de velocidade máxima.

              Compra a 4 Rodas desse, pirateie o scan da internet, se vira. E espera o Kwid Mobilete chegar e tira um patético e melancólico racha de carros desse tipo. Mas vá no Renault indiano com motor de Mobilete, senão você passará muita vergonha e talvez precisará criar um novo perfil fake por causa da vergonha em admitir o que não eu escrevi, mas o que é fato sobre a aceleração dos 2 carros, testado por outras pessoas, mas em breve aí no Autoentusiastas….NA e demais mídias.

              • gustavo

                Que discurso !! rs rs rs

  • The Monster Man

    0.8 apenas para cidade é bom, mas para a estrada com os caminhões trafegando muitas vezes acima de 110km/h será um perigo.

  • CÁSSIO

    ja tinha visto este motor eu outro site ma acho pouco provável ele vir ao Brasil tendo em vista o custo de produção igual ao 1.0 acredito que se for produzido seja para exportação em algum país do mercosul , mas vamos ver vai que a RENAULT surpreenda no lançamento agora é só esperar .

  • Junior_Gyn

    Prevejo acidentes nas estradas brasileiras de mão simples com esse motor 800 cc. Já que até carreta 380 Hp carregada deve andar mais que esse carrinho aí. Já que numa reta da trabalho até pra carro 1.0 ultrapassar

    • rodrigomalc

      Mas esse carro não é pra estrada.
      O que muita gente não entende é que a PROPOSTA do carro é estritamente urbana. É pras capitais engarrafadas.. Rio, SP, POA , BH… Claro, se for o único carro da família vai encarar uma estrada de vez em quando, mas isso é exceção. Exceção não faz regra. A pessoa vai viajar 2x por ano e vai comprar um v6 pra passar 4 caminhões por ano??

      Aí em contrapartida, quando o cara compra uma Triton Diesel e mora numa dessas capitais, o povo chama de cowboy de shopping… Fala q o 4×4 é pra subir rampa de garagem.. Aí fica complicado entender essa galera… Tem crítica sempre, pra tudo…

      • Lucas Irrthum

        Aplausos, meu jovem, aplausos. Concordo com tudo o que você disse. É impressionante a quantidade de especialistas e de engenheiros que existem nesse fórum. O pessoal esquece que existe relação peso/potência, deixam de considerar vários fatores para sair por aí falando merd@.

        • Junior_Gyn

          Realmente tem a relação Peso/Potencia, mas já que os ostros falam merda e vc é o SABIXÃO, então quer dizer que o 0.8 tá ótimo pra viajar com 4 pessoas dentro. Vai andar que é uma beleza, mto mais que o 1.0. Se não for tomar seu tempo, dê uma aula pra nós do Fórum. Lhe agradecerei

          • Lucas Irrthum

            Me mostre aonde eu disse que sou especialista? Eu apenas não sou idiota de criticar algo, antes mesmo de conhecer.

      • Junior_Gyn

        Então vai dizer isso pra quem for comprar o carro e por ser o mais barato foi o que ele conseguiu comprar, ai ele pretende por a familia pra viajar e ir visitar um parente no interior. Você diz como se a pessoa que fosse comprar este carro, o preferiu por estar pensando em dirigi-lo só na cidade, e não pq ele ta comprando por ter sido o que lhe coube no bolso.

        Não precisa comprar V6 pra viajar, 1.4 ou 1.6 já é o mínimo suficiente pra ter segurança em viagens.

        • rodrigomalc

          Então a sua crítica não é ao carro em si. É ao uso dele.

          É a mesma coisa de quem compra um Fiat 500 e depois reclama que não dá pra levar adulto no banco de trás. Haja paciência né?!
          Comprar uma picape e depois reclamar que não acha vaga nas cidades grandes…
          Comprar um conversível e reclamar que tá muito sol na careca….
          É complicado. O povo só critica.
          O carro tá lá. Compra quem quiser/puder. Se não puder não compra.
          E outra, mesmo com um 0.8L dá pra andar na estrada sim. Pros limites de velocidade de 110, esse motor de dentista vai conseguir fazer o carro chegar aos 110. Se o motorista vai ou não apostar numa ultrapassagem apertada a ponto do motor fazer tanta diferença, o problema está na cabeça do motorista que cortou pra ultrapassar na hora errada.

          • Junior_Gyn

            Olha, vc que está interpretando errado as coisas, pq eu NÃO CRITIQUEI o carro, só disse que acho que é perigoso um carro de baixa potência para viajar, por experiência própria, eu já fui dirigindo no carro do meu irmão que é 1.0 com 4 pessoas dentro e que demanda muito espaço para poder ultrapassar uma carreta que anda a 90 – 100 km/h e vc deseja andar a 110 – 120 km/h que é o que td mundo costuma andar. Sendo este 0.8 que tem uns 20 cavalos a menos que um 1.0, carregado com 4 pessoas o risco é bem maior.

  • Marcelo

    Putz motorzinho ( zinho mesmo) totalmente dispensável. Se fosse turbo pelo menos…
    Esses carros com motor muito pequeno se saem super bem em testede consumo de revista e do Inmetro pois o teste é controlado. Na vida real, tendo que esgoelar o motor ate 7 mil rpm pra acompanhar o transito o consumo e sempre bem pior…

  • Vanderlei Santos_JAC_J6_2012

    Carrinho para a cidade um motor mais econômico deve ser uma boa opção. Quer mais tem 1.0. Quer mais tem sandero 1.6, quer mais tem o sandero rs. Querem pagar barato e ter motorzão? Aqui é Brasil não rola. Nem todo mundo é piloto de fuga para andar correndo por ai. Nessas vias de 50km/h vamos ver como vai se sair.
    Quem quiser mais potencia tem porsche pra vender.

  • Stéfano

    Motos 300cc já vão bem na estrada. Tudo vai depender da relação peso potência desse carro. Naturalmente uma versão flex teria maior cavalaria, com algum acerto adicional chegando perto de uns 60~62 cv e pesando uns 750 kg(visto que o indiano pesa 670), teria desempenho melhor que muito 1.0 atual.

    • Daniel

      Tenho um BR 800. 32bufalos selvagens para 650Kg. E cambio de 4 marchas! Na cidade é super agil, e na estrada acompanha o fluxo (e até mesmo surpreende muita gente).

      Seria interessante uma versão turbo desse 0.8 calibrada para a economia…

  • vi.22

    Esse carro tem um estilo propio.. Aparentemente robusto.. Vai fazer sucesso…

  • Daniel

    hmmm será que esse 0.8 supera as medias do meu BR-800?

    por 30mil é uma opção interessante para usar na cidade e economizar combustivel

    • th!nk.t4nk

      É, esse deve surpreender sim. Vai ter um consumo incrível, pois caso contrário a Renault não se atreveria a lançar o 0.8 (tendo o 1.0 pelo mesmo custo). Acho que vai cair o queixo de muita gente.

  • Daniel Saraiva Vila Nova

    Galera, esse carro com motor 0.8 pesa inacreditáveis 660 kgs. Não acredita? Pesquisem no Google. 54 CV é bom para ele. O motor 1.0 vai deixar ele bem fortinho! Vai andar parecido com o Uno 1.4. Outra coisa inacreditável. Ele tem 300 litros de porta malas.

  • rodrigomalc

    Mas tbm quando os engenheiros brasileiros meterem a mão no motor pra tornar ele flex, certeza q esse consumo vai ser o dobro rsrsrsr

  • Daniel

    Pela foto o volante será do lado direito… será que ao aliado ao retrocesso do Kwid, teremos mão inglesa aqui no Brasil?

    • Efulefante

      Essa foto é do Kwid indiano, por isso o volante do lado direito

  • Gabriel Ferreira

    Vão usar o 0.8 ? Entao coloquem turbo e injeção direta! “Por 54 cv a minha bicicleta tem”!

  • Efulefante

    Primeiramente, quero dizer que não estou acompanhando muito bem as notícias do Kwid e sou leigo nos assuntos mais técnicos. Dito isto, segue minha dúvida:
    Vi em outro site que o tamanho dele ficará entre Gol e Up, ou seja, maior que o Mobi. Mas o que mais me impressiona é o peso, abaixo dos 700kg, não imagino como é possível ter uma boa rigidez estrutural e baixo peso ao mesmo tempo.
    O finado Mille, até 2005 usava o Fire 1.0 de 55cv, o que sei que empurrava bem o carro para os 820kg que tinha (pelado, salvo engano). Apesar da boa resistência dos parachoques, o mesmo elogio não pode ser feito à carroceria dele. Era um projeto antigo, tudo bem.
    O Mobi, dizem por aí que é apenas um “Uno cerrado”, mas a Fiat afirma que, do monobloco, só herdou a parede de fogo (a divisão entre o cofre do motor e a cabine – fonte: FiatPress). O mesmo texto ainda afirma que uma das mudanças no monobloco visa melhor resistência em impactos. Resultado: Uno Vivace pesa 909kg, Mobi pesa 906kg, mesmo sendo um bocado mais curto, e o Up pesa aproximadamente 950kg. Isso me leva a crer que é praticamente impossível ser muito leve e seguro ao mesmo tempo (sem recorrer a técnicas inviáveis no segmento popular).

    Alguém tem algum comentário a mais para fazer sobre o peso dele, “possíveis” bons resultados em crash-tests, erros do que eu escrevi e etc? Esta é a minha opinião, por enquanto.

    • Boleta7

      Correto, meu caro.
      Como estamos falando de carros populares, o peso pode denunciar sim o uso de materiais de alta resistência de impacto e afins.

    • Matthew

      Finalmente um comentário sensato! Pra atingir este peso eles devem ter reduzido a espessura até do chicote elétrico do sistema de som, assim como os vidros e a estamparia. Pessoal vive reclamando aqui que o consumidor médio brasileiro não leva a segurança em conta na hora da compra, mas só da Renault anunciar a produção de um carro indiano que pesa menos de 700 quilos o pessoal já acha o máximo, que o carro vai fazer 25 km/l no trânsito de São Paulo na hora do rush e que 30 mil pratas por um carrinho desses é um preço justo.
      Meu palpite é que esse carro receberá reforços estruturais no mercado brasileiro pra não passar vexame no Latin NCap, o que certamente fará o peso passar dos 800 kg. Na Índia o Sandero usa vidros de espessura menor do que o nosso, por exemplo.
      Finalmente, no caso do Mobi acho que o que mais afetou o peso do carro foi a tal tampa traseira de vidro. A Fiat diz que ela é 6 quilos mais leve do qque uma de aço equivalente, mas essa dieta é perdida no reforço que tiveram que fazer no painel traseiro conta colisões. Por isso que o porta-malas ficou tão fundo.
      Não tem milagre, o pessoal se ilude muito fácil. Foi a mesma história do Mobi, que todo mundo achou que viria por 30 mil com ar e direção. Deu no que deu.

  • Francisco

    Tomara que lance logo, po Renault!! Quero comprar um kwid semi-novo no ano que vem!!! =]

  • Bruno Wendel Marcolino

    Putz, esperava ler que a Renault lançaria o 1.0 3c turbinado, mas esse 0.8 é dispensável, por mais que faça 25km/l, se não andar nada não adianta, imagina ligando o AC como que fica…hehe

    • ####Carlao GTS

      AC?????

      • Victor Porto

        Ar-Condicionado..

        • ####Carlao GTS

          Kkk…. foi o que eu disse…

          • Victor Porto

            Foi mal, achei q tava perguntando o q era “AC”.. heheheh
            Vlw..

      • Bruno Wendel Marcolino

        Sim, pelo menos como opcional essa b0sta tem que ter AC né kkkkkkk

  • ####Carlao GTS

    Sou Propietário. O UP!? no Brasil ? Tá no sal. Saudades um certo do UNO fire…2006… Bom porta malas , estepe no motor q fazia ás vezes do air bag.rsrs

  • Douglas Afonso Bonin

    Eu tenho um Twingo 1.0 8v, 59 cv, com seu peso de próximos 820 kg,
    andando em média 110 km/h em viagem, 4 passageiros mais bagagens não
    deixa a desejar, é só o cara saber usar o giro do motor. E ainda faz
    médias de 18 km/litro. Não tenho o que reclamar.
    Este 0,8 do Kwid tem mais torque e potência que muitos 1.0 fabricados até
    começo dos anos 2000, e ainda tem um porém: o peso do Kwid é
    ligeiramente mais leve (aproximadamente 700 kg); e ainda na versão flex
    deverá ter mais potência no etanol. Tem vídeos na internet mostrando o
    Kwid indiano fazendo de 0 a 100 em próximos a 12 segundos, ou seja, já
    anda mais que o Mobi e outros. Teve um teste que o Mobi gastou 16
    segundos de 0 a 100.

    Como o Kwid é leve, mesmo carregando 4 adultos e umas bagagens, ele
    dificilmente vai passar de 1000 kg. hoje o Up, o Mobi, Palio, Gol, etc,
    pesam quase 1000 kg sem nenhum passageiro.

    • gustavo

      Vc acha que esse motor de 799 cm3 vai andar na frente de um Mobi motor Fire vc esta delirando !!

    • Matthew

      Qualquer motor nacional 1.0 dos anos 2000 tinha mais potência e torque do que esse 0.8. 700 quilos no mercado indiano, né, que é tão ou menos exigente que o brasileiro. Duvido que chega aqui por este peso. Provavelmente a Renault será obrigada a aplicar reforços estruturais se não quiser passar vergonha nos testes de colisão.
      E você deve ter muita paciência mesmo pra dizer que um carro de 59 cv vai bem a 110 km/h com 4 passageiros e bagagens. Na minha família tem um Corsa Wind MPFI de 60 cavalos, sozinho na Dom Pedro as carretas tentam passar por cima de mim a 110 km/h. Só reduzindo pra terceira e socando o pé no acelerador pra conseguir se esquivar delas.
      E mesmo no trânsito urbano é um carro irritante.
      Sei lá, como vc bem disse, um Twingo que provavelmente deve ser do final dos anos 1990 e não deve valer mais quase nada hoje, assim como o Corsa da minha família. Não vejo o menor sentido em pagar 30 mil reais num carro que terá um desempenho pouco melhor do que carros da década de 1990 que hoje são quase sucatas. Por essas e outras que os carros estão com preços absurdos. Nós aceitamos essas aberrações e ainda acha 30 mil um preço honesto, as montadoras deitam e rolam.

      • Douglas Afonso Bonin

        eu tbm tive corsa wind mpi e sim, vc tem razão ele é muito amarrado, depois do corsa a 2 anos adquiri o Twingo 1.0 8v, e o motor é outros naipe, o corsa não passava de 12 km/l e andava bem menos, já o Twingo não baixa de 15 km/l, com ar ou sem ar, cidade ou estrada, pesquise um pouco, vc vai certificar isto. o motor dele é bem solto, pessoas que pegam ele acham que é mais que 1.0. em baixa rotação tem mais resposta que 1.0 do gol (que eu tbm dirijo aqui).

        Há, e se vc a 110 km/h as carretas estavam passando por cima, seu medidor de velocidade devia estar desrregulado então.
        Eu falei 110 de média, eu andei em viagem. em baixadas colocava 130, em subidas caia para 100 ou 90, mas nada que atrapalhava o fluxo dos outros, pois na região tem faixa dupla, e pra testar coloque 4ª numa subida e coloquei 120 e nem pisava tudo. É claro, motor bem revisado. amaciado 130.000 km.

  • Cesar Mora

    Acho engraçado… falam.. ahh esse motor de 54cv é fraco.. bla bla bla… o carro é leve.. bem leve.. vai andar sim junto com os 1.0 de mercado… é que parece que é vergonha ter um carro com motor menor.. 0.8.. gostam de ostentar o numerozão la na tampa do porta-malas…

    lendo os comentários percebi que em Salvador, BH, não deve ter nenhum corsa wind com seus 50 cv, nem gol 100 cht… nem fox 1.0, fiesta rocam… pq falam como se esses carros não subissem uma ladeira… para né.. no japão que não é nenhum planalto os key cars foram durante anos 0.6 aspirados, hj a maioria é turbo, mas eles sempre andaram…

    eu acredito que o Kwid vai fazer sucesso como sandero e logan fazem… e se essa média de 25 km/l for aplicada aqui tbm, é o carro ideal para fazer par com minha geladeira 4×4 hahahaha

    • Matthew

      Eu tenho um Corsa Wind do multiponto ainda por cima, com 60 cavalos, e posso te garantir que é sofrível o desempenho dele. Nem adianta falar que eu sou braço e não sei extrair a força dele, porque ele tá na minha família há 15 anos e eu o dirijo há 8. E ele ainda é da época que os câmbios não eram extremamente curtos. Na cidade, vazio, com paciência até vai. Na estrada, qualquer aclive por mínimo que seja, você pode colocar 4a marcha a fundo que ele não passa dos 110 km/h.
      E de novo, todos os carros que você citou são do fim da década de 1990, início dos 2000. Ou seja, estarei comprando um carro em 2016 com padrão de potência do século passado, pela bagatela de R$ 30 mil. E esperar média de 25 km/l é delírio. Nem o Prius que é híbrido atinge essa média.

      • Cesar Mora

        mas são propostas.. é um carro para a cidade… não precisa andar a mais de 110km alias, a maior parte das estradas de são paulo vc não pode nem passar dessa velocidade… é comprar um carro para usar no dia a dia… com economia de combustível… ja andei nestes citados, não colam você no banco na arrancada, mas não atrapalham o transito… para andar a 50 km/h no max que é o que se pode andar na cidade, qualquer um desses não fica devendo em desempenho…

        sobre pisar fundo, subir giro.. é característica de motor.. mas brasileiro acha que o carro tem que ter torque em baixa para trocar marcha a 2.000 rpm pq tem medo de usar a faixa de torque…

      • Douglas Afonso Bonin

        eu tbm tive corsa wind mpi e sim, vc tem razão ele é muito amarrado,
        depois do corsa a 2 anos adquiri o Twingo 1.0 8v, e o motor é outros
        naipe, o corsa não passava de 12 km/l e andava bem menos, já o Twingo
        não baixa de 15 km/l, com ar ou sem ar, cidade ou estrada, pesquise um
        pouco, vc vai certificar isto. o motor dele é bem solto, pessoas que
        pegam ele acham que é mais que 1.0. em baixa rotação tem mais resposta
        que 1.0 do gol (que eu tbm dirijo aqui).

        Há, e se vc a 110 km/h as carretas estavam passando por cima, seu medidor de velocidade devia estar desrregulado então.
        Eu
        falei 110 de média, eu andei em viagem. em baixadas colocava 130, em
        subidas caia para 100 ou 90, mas nada que atrapalhava o fluxo dos
        outros, pois na região tem faixa dupla, e pra testar coloque 4ª numa
        subida e coloquei 120 e nem pisava tudo. É claro, motor bem revisado.
        amaciado 130.000 km.
        experiência: já tive 2 GM, 2 Fiat, 2 VW, 1 honda civic,

        já tive motor 1.0 (corsa mpi, uno 94, e dirigi muitos outros), 1.6(gol ap e tipo ie) , 1.7(civic), 1.8 (montana e apollo)

        • Matthew

          Eu também suspeitei que o marcador de velocidade estivesse marcando errado, embora todos tenham uma margem de erro de uns 5%. Mas tenho certeza que era isso porque na Dom Pedro o limite da via pra carro é 100 km/h e pra carreta 80 km/h. Aí todo mundo vai tocando a 110 km/h, quando chega no radar reduzem pra 70 km/h com tudo. Por isso é muito comum ter engavetamentos nessa via, sobretudo nas entradas e saídas da pista. Isso considerando que é uma rodovia boa, com 3 faixas de rodagem e vias marginais. Aí até dá pra andar de boa com um carro 1.0. Mas basta ir um pouco mais pro interior pra pegar aquelas estradinhas com uma única faixa e caminhão subindo aclive a 50 km/h pra você sentir o drama de viajar num 1.0
          De fato nunca tiver a oportunidade de dirigir um Twingo, mas motores 3 cc por construção são mais bem dispostos em baixa rotação do que um motor 4 cilindros com o mesmo deslocamento volumétrico, mas apaga logo acima das 3 mil RPMs, enquanto o Corsa continua crescendo.
          Entenda, não quero dizer com isso que seja impossível se virar com um carro “mil”. Só acho absurdo o preço que pedem por esses carros, sendo que é um modelo pensado pro mercado indiano e custar pouco, portanto. Se custasse na faixa dos 20 mil reais pra ser o 3o, 4o carro da família, ou então o primeiro carro de um estudante pé rapado, passava. Mas custando 30 mil e atendendo a muitas famílias, acho palhaçada.

    • Guilherme Batista

      Em BH tem esses carros sim, mas vai perguntar pra alguém que tenha se eles gostam. Aqui em casa mesmo tivemos um Fiesta Rocam, o carro que ficou menos tempo na garagem. Isso porque em duas situações o carro simplesmente não subia o morro. A comparação com o japão é até valida, mas lá existe um trabalho de construção de vias bem superior que o daqui. Aqui tem umas ruas que parecem que só tacaram asfalto em uma ribanceira e ficou bom.

      • Cesar Mora

        Sim, concordo que temos muita rua ruim por aqui… eu citei os exemplos de carros com menor cavalaria e pior peso x potência para exemplificar… mas pensando que esse carro é bem leve, ele tem uma relação peso x potência muito proxima de um Punto 1.4 que não é rápido tbm, mas para a cidade vai numa boa… o Uno sempre foi leve, e com seu motor Fiasa de 55cv dava conta muito bem… aqui em São Paulo mesmo o fiesta ( que eu andei uma vez e realmente achei muitooo fraco ) vai tranquilamente…

        • Guilherme Batista

          Realmente o Uno Mille sempre deu conta do recado, sempre gostei do desempenho dele, mas o Fiesta cara, eu nunca gostei, sempre ficava com um pé atras ao arrancar em morro, ainda mais que nessa época eu andava boa parte do tempo com o carro pesado

          • Cesar Mora

            o Fox 1.0 era fraco, mas talvez o ótimo câmbio livrava um pouco a cara dele, pq era lento como um Sandero 1.0… agora o fiesta de fato, principalmente o Rocan que era mais pesado, tinha um desempenho sofrível.. fiz um teste drive uma vez e até achei engraçado a diferença entre o barulho que o motor fazia e o quanto andava rs…

  • Ubiratã Muniz Silva

    o problema vai ser quando o pessoal que não tem como comprar nada melhor resolver pegar estrada com o 0.8 carregado com bagagem pra um mês, a família toda, filho, brinquedo, cachorro, bicicleta.

    tamo virando Índia meu.

  • Gian

    Eu acho que esse Kwid vai fazer sucesso por aqui.

    Sobre o 0.8L, fico com um pé atrás.
    Deve ser uma maravilha em consumo, mas deve ser complicado pra andar.

  • EJ

    Só tem velocidade máxima baixa. Faz 12 segundos no 0-100km/h. Tempo melhor que o obtido pelo Etios 1.5 com motor renovado, porém com auto-4.

  • Matheus Marques da Silva

    Não me atrevo dizer que não vai vender nesse caso específico, mas numa cidade serrana como Caxias do Sul, onde eu moro, acho que não verei esse 0.8. São vários os porquês (problemas), mas é muito morro pra esse carro dar conta e o povo aqui dirige muito mal, não respeita pista da esquerda pra velocidade maior, etc. Carro de conceito urbano serve pra um povo menos ignorante do que encontramos aqui.

  • Estou na espera desse Renault, acho que vai ser um divisor de águas no segmento. Se o consumo rodoviário ficar na casa dos 25 km/l, será um excelente carro urbano.
    Quem acha que 0,8 cc é insuficiente, vejam o chevrolet spark 0,8 que vendem lá fora. O bichinho é valente e não reclama de subida…

  • Miguel

    Esteticamente já ganhou do Mobi, porque esse virou o novo Agile, né?
    Parece bem honesto, espero que venha com um acabamento mais Renault e menos Dacia. Quanto a esse motor, parece ser interessante, mas não sei como se comportaria com nossa mijolina…

  • José Cardoso Ferrão Neto

    Bem mais harmonioso e bonito que o Fiat Mobi!

  • Fabão Rocky

    25km/l??? C/ a nossa mijolina deve fazer metade disso!



Send this to friend