Mercado Pickups Renault

Renault poderia fazer uma picape grande? Desejo interno não falta…

Renault poderia fazer uma picape grande? Desejo interno não falta...

A Renault poderia ter uma picape grande para disputar o enorme mercado dos EUA? Talvez. Não é o foco da marca no momento e nem nos próximos anos (ou décadas), mas desejo dentro da montadora, existe sim.


Isso é o que conta o designer francês François Lebione, que integra a equipe de estilo da Renault, liderada pelo renomado holandês Laurens van den Ackers.

Quando questionado pelo site Cars Guide, a respeito de projetar uma picape grande para a marca, Lebione ficou empolgado.

Citando o atual portfólio, focado nos segmentos leve e médio, o designer disse: “Mas como designer, eu adoraria desenhar uma picape, especialmente uma grande, é um velho sonho de designers europeus. Não os vemos nas ruas, os designers adoram trabalhar em algo a que geralmente não são expostos.”

Renault poderia fazer uma picape grande? Desejo interno não falta...

Lebione explicou que a Renault atualmente conta apenas com duas picapes, sendo elas Oroch e Alaskan. “Para a Renault, as picapes são um campo limitado”, afirmou. A primeira, baseada na geração anterior do Duster, parece promissora para a Austrália.

Já a segunda atua no segmento médio europeu e, por ora, está ausente no Mercosul, onde seria produzida na Argentina. O projeto foi suspenso após a desistência da Daimler com sua Mercedes-Benz Classe X. Para a Renault, infelizmente, o mercado americano é algo distante.

Fora dos states desde o início dos anos 90, a Renault não tem ambições para a “América”, diferente de sua irmã Nissan, que logo terá uma nova geração da cansada Frontier local.

Contudo, esta também tem a Titan, uma picape grande que exibe um belo V8 5.0 diesel da Cummins e outro V8 5.6, só que movido por gasolina. Obviamente, qualquer tentativa da Renault nos EUA, seria baseada nesse produto, facilitando a vida de Lebione.

Como o segmento de picapes grandes é centrado nos EUA, produzir um produto exclusivamente para atuar em outros mercados é inviável.

[Fonte: Cars Guide]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Dudu Pimentel

    Acho que a Renault poderia transformar a Nissan Titan em Renault, caso a RAM 1500, RAM 2500 e F-150 façam sucesso por aqui. E aproveitando, a Toyota poderia trazer a Tundra, a Honda o Ridgeline e a GM a Chevrolet Silverado 1500 e 2500…iria ser uma briga boa.

    • 😎.

      A Honda não é do mesmo segmento da Ram , a picape Sinoamericana tem 5.33 metros de comprimento ( 3cm a mais que a Hilux ) enquanto a Ram tem 5.91 metros .

      • Dudu Pimentel

        Ok, de qualquer forma, acho que a Honda poderia tentar…se não der certo, só retirar de linha.

        • 😎.

          A sim, também concordo que a Honda poderia tentar , mas sem o diesel seria difícil concorrer com as estabelecidas , e se retirar de linha vai prejudicar os donos pois a desvalorização vai ser bem alta.

          • Dudu Pimentel

            É…retirar de linha deve ser só em caso de não estar dando lucro para a empresa, que é o todos nós que faríamos se tivéssemos no lugar do presidente da Honda do Brasil ou de qualquer outra filial ou mesmo da matriz, lá no Japão.

            • 😎.

              Sim, por isso um produto antes de ser oferecido ao consumidor tem que ser bem estudado , clínicas com potenciais clientes é essencial .
              Defendo a Redgeline no Brasil apenas se ofertar além do motor a gasolina algum diesel ,poderia ser da Cummins .

    • Sino Weibo

      Briga boa na faixa dos 300 mil? kahahaha

  • Natán Barreto

    Nem combina com o estilo da Renault. Eu já acho que a Alaskan è uma picape sem identidade.

    • Dudu Pimentel

      A Renault fabrica caminhões na França e são tão consagrados quanto os da Mercedes-Benz na Alemanha (pelo menos eram), a Honda fabrica robôs e aviões e são tão bons quanto os carros, a GM fabrica caminhões e ônibus nos EUA e não deve nada para as concorrentes e BMW fabrica motos com um nível de qualidade e desempenho tão bons quanto os carros, a Lamborghini começou a fabricar carros esportivos quando antes fabricava só tratores agrícolas (hj faz os 2) e fez um puta sucesso e faz até hj, entre outros casos…não é pq vc está acostumado a ver um certo tipo produto da marca, que ela não é capaz de fazer um produto de outra categoria que faça sucesso. Acho válido a empresa tentar a sorte em outra categoria de produto. O problema do brasileiro é achar que uma marca só consegue fabricar produtos que ele tem conhecimento…e acha ela que uma marca não poderá ter sucesso fabricando outros tipos de produtos, por preconceito ou por achar mesmo que ela não capaz de fazer sucesso com outros segmentos só pq ele nunca ouviu flar.

      • Paulo Lustosa

        Renault Trucks desde 2001 é uma subsidiária da Volvo.

        • Dudu Pimentel

          Não sabia desse detalhe…mas de qualquer forma, acho que a Renault poderia tentar a sorte em outras categorias de veículos.

          • Paulo Lustosa

            Pode sim, know-how ela tem de sobra, até porque mesmo tendo vendido a Nissan Trucks e a Renault Trucks pra Volvo, eles ainda sabem como desenvolver linha pesado.

  • Rogério R.

    Acho pouco provável, pois a Renault abriu mão da Renault Trucks e da Mack Trucks para poder adquirir as ações da Nissan e assim conquistar mais lucros com os mercados norte americano e asiático, além de priorizar os veículos de passeio e comerciais leves de até 1t. Na minha opinião a Renault atualmente deveria focar na reestilização da Oroch e lançar a sua versão 4×4 aqui. Quanto a Alaskan, acho que seria mais cauteloso trazê-la para cá do México assim como fazem na Colômbia(que não vende tão bem por lá segundo os números do Andemos) para ver primeiro como seria a sua aceitação no Brasil.

  • Rogério R.

    Acabei de ler(vale a pena) uma entrevista do Uol Carros com o presidente da GM intitulada “Aumento de 4% nos preços dos carros ainda é pouco, diz presidente da GM”. Eles realmente estão querendo falar com o governo para postergar o Rota 2030, pois não terão caixa tão cedo para novos investimentos, além que provavelmente haverá novos aumentos, pois as dividas e os prejuízos serão estrastosféricos.

  • Haggard

    Só uma correção à matéria.
    A geração atual da Titan não utiliza mais o Cummins 5.0 V8, permanecendo somente com o 5.4 V8 à gasolina.

    • Paulo Lustosa

      5.6

      • Haggard

        Isso… sei lá daonde tirei esse 5.4 kkkkkkk

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email