Crossovers Esportivos Hatches Lançamentos Renault Sedãs Test Drive

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A Renault decidiu atualizar sua linha de compactos de entrada, importantes para o objetivo da montadora francesa, que é ter 10% de market share no Brasil. Então, enquanto não chega uma geração nova, o agora trio Sandero/Logan/Stepway muda levemente o visual e adiciona importantes alterações na segurança, assim como em conectividade.


De olho em aproveitar a baixa nas vendas da Ford, cujo portfólio foi reduzido recentemente, bem como aproveitar os preços ainda altos de algumas rivais, a Renault lançou mais duas tabelas de preços para a linha 2020 de Sandero, Logan e Stepway. Assim, a marca foca nos planos de financiamento e em troca do usado pelo novo.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Dessa forma, os preços no financiamento pelo Banco Renault caem R$ 1.000. No caso do Troca Fácil, a redução é de R$ 2.000 na tabela de valores sugeridos, já divulgados aqui no NA. Fora isso, o foco da empresa foi centrar as atenções no câmbio CVT, que chega mesmo a ofuscar as alterações visuais nos modelos.


O CVT chega tarde aos Logan e Sandero, mas em tempo de aproveitar a boa fase da marca, que emplaca bem o hatch e o irmãozinho Kwid. O câmbio, direcionado para conforto ao dirigir e economia, era a aposta lógica da Renault para esse segmento, especialmente depois do boom nas vendas para clientes PCD.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Com quase a metade do mercado com vendas diretas, a Renault quer aproveitar para emplacar esses três modelos, sendo que os preços na média ficam no limite de R$ 70.000, salvo as versões mais caras de Sandero e Logan, um pouco acima do teto. Apenas o Stepway 2020 não consegue entrar nessa faixa de isenção plena, exceto se tiver algum desconto de revendedor.

Impressões visuais

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A Renault trouxe um novo conjunto ótico para os três modelos, destacado com suas luzes diurnas em LED. Lembra muito o Duster, mas dá um destaque diferenciado aos Sandero e Logan, bem como ao Stepway.

O para-choque tem visual comportado no hatch e no sedã, mas o pseudo-SUV se destaca por um conjunto mais moderno, empregando um protetor central estilizado e bem integrado com os faróis de neblina.

Na traseira, as lanternas mantiveram a base das anteriores, mas ganharam lentes maiores, que agora avançam sobre a tampa do porta-malas. Elas possuem luzes de LED e máscara escurecida, mas no Logan, permanece as anteriores, apenas levemente atualizadas.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

O para-choque fica mais limpo no Sandero e no Logan, mas o Stepway adiciona molduras laterais que reforçam sua proposta aventureira. A tampa do bagageiro nos hatches ganham um botão de abertura elétrica dentro do losango da Renault. As rodas de liga leve ficam bem mais interessantes.

No Sandero R.S. 2.0, as mudanças foram mais limitadas, centrando-se na traseira, igual às demais, exceto pelo para-choque diferenciado e escape duplo cromado. As belas rodas esportivas aro 17 polegadas parecem até maiores com as pinças de freio vermelhas e os pneus de perfil baixo. O esportivo ganhou também saias laterais mais envolventes. O defletor de ar traseiro em cor preta também chama atenção.

Nas alturas

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Como mencionado anteriormente, os Logan 2020 e Sandero 2020 com transmissão CVT ficaram mais altos. O motivo é que o novo câmbio é mais baixo e necessita de vão livre maior para evitar bater nas lombadas e depressões da vida… Só que isso, aliado à inserção de molduras nas saias de rodas e laterais, quase transformam a dupla em aventureiros urbanos.

A altura maior é bem perceptível nos dois, mas o Logan é que chama atenção, podendo-se ver parte da suspensão traseira pelas laterais e olhando por trás. Quem não gosta de carro elevado como uma picape, pode pensar na versão manual, que manteve o vão livre anterior e parece mais “normal”.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

No Stepway, o efeito foi o contrário. Com CVT, o vão livre foi rebaixado, devido ao câmbio. Porém, como já era um carro alto, não foi preciso subir mais sua suspensão. Agora, para raspar Logan 2020 e Sandero 2020 na lombada, será muito difícil.

Por dentro, a Renault mudou basicamente três coisas em estética. Uma delas foi o volante, que realmente é bonito, embora empregue apenas piloto automático em botões separados, tendo o acionador mudado (felizmente) para o painel. No Sandero R.S. 2.0 2020, o volante ainda é o antigo, com aro menor, couro e logotipo R.S. num fundo vermelho.

Outra alteração foi na multimídia, que agora tem os mais confiáveis Google Maps e Waze no lugar do navegador da TomTom. Isso vem junto com Spotify, mensagens do Whatsapp, etc. O ruim é que o conector USB permanece no painel e o fio passa bem na frente da tela. A Renault só lembrou disso no Kwid Outsider…

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Os bancos ficaram mais confortáveis e ganharam padronagem melhor, especialmente em versões mais caras de Stepway e no Sandero R.S. 2.0. Ainda falta apoio de braço para o condutor. E a terceira coisa é o teto, junto com as colunas, em revestimento preto, tornando o ambiente mais agradável.

Chama atenção a alavanca do CVT com marchas indicadas no pomo cromado, tal como o antigo Easy´R. No mais, o ambiente adicionou mais acabamento nas portas (couro ou tecido) e cintos de três pontos para todos. Além disso, tem terceiro apoio de cabeça atrás e airbags nas laterais dos bancos dianteiros.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A Renault disse que os reforços estruturais melhoraram a segurança e a rigidez torcional, ampliando em 14 kg o peso do conjunto. Mais adiante, vamos conferir como Sandero 2020 e Logan 2020 foram no teste do Latin NCAP.

Falando nisso, apenas as versões a partir da Zen, possuem controles de tração e estabilidade, além de assistente de partida em rampa, algo que a entidade cobra muito das marcas. Ainda assim, nem tudo mudou…

Impressões ao dirigir

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Campinas-SP – Andamos em três propostas distintas de Sandero, Logan e Stepway. Começamos pelo Logan Iconic 2020. Embora pareça um aventureiro, na Renault ele é somente a versão mais completa do sedã compacto. Alto, o modelo chama atenção quando parado no trânsito, visto seu vão livre de SUV.

E com razão, já que as molduras reforçam essa ideia. O Logan Iconic 2020 tem o mesmo motor 1.6 SCe de antes, que entrega 115 cavalos na gasolina e 118 cavalos no etanol. O torque é igual para todos: 16 kgfm. Ainda com tanquinho, ele não tem novidades, mas o câmbio CVT é a bola da vez.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A transmissão “importada” da Nissan parece ter casado bem com o propulsor da Renault. A calibração é bem esperta nas saídas normais, passando a mensagem de um bom torque do motor. Porém, como todo CVT, ele desliza se o pedal for exigido, elevando o ponteiro para 3.500 rpm ou além.

Isso não significa resposta imediata e o barulho do 1.6 SCe se acentua de forma ruim. Há pouco revestimento acústico. Para uma condução moderada, do dia a dia, ele responde bem e fica na faixa entre 1.500 rpm e 2.000 rpm, trocando de posição por aí. Como não tem marcha de verdade, o seletor simula seis velocidades.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A linearidade no Drive é uma coisa boa para quem busca conforto e economia, não exigindo muito do motor. Mas, saídas rápidas, acelerações longas, ultrapassagens e subidas íngremes, exigirão mais giros, ruídos indesejáveis e certa lentidão, típica desse tipo de câmbio.

No modo manual, o interessante é que a Renault deu liberdade para ir até o limite de corte, um pouco além dos 6.000 rpm. Pode-se fazer isso desde a primeira marcha. Nessa primeira impressão, o Logan 2020 com CVT se mostrou agradável.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

No trânsito, passa por lombadas e buracos com desenvoltura de crossover, mas nas curvas, sua altura elevada prejudica, pois ele inclina além do normal, mas nada que não se acostume. Na estrada, ele pula bastante nas depressões de asfaltos ruins, mas é comportado. Atinge 2.000 rpm a 110 km/h.

No Stepway 2020, que é essencialmente o Sandero CVT 2020 com adornos e vão livre menor que o manual, o comportamento também é bom. Mesmo com rodas aro 16 polegadas, ele curva de certa forma bem e vence a buraqueira das nossas ruas sem reclamar.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

O propulsor 1.6 SCe e o CVT tornam a condução agradável no meio urbano. Na estrada, fica devendo um pouco devido ao conjunto motriz (mesma coisa no Logan), mas é aceitável.

Nos dois, ruim de fato é a direção eletro-hidráulica, que de eletro só tem o nome! É dura, pesada e está longe de ser o ideal. Se fosse hidráulica de 30 anos atrás, seria ainda melhor. Os freios atuam bem, mesmo com a elevação no Logan.

Foguetinho

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Seu motor é antigo e desatualizado. Podemos dizer que está com o “pé na cova”, mas ainda assim entrega o que o Sandero R.S. 2.0 necessita, performance. O 2.0 16V de até 150 cavalos e 20,9 kgfm (no etanol) não foi mudado localmente, tendo inserção de DNA da Renaultsport, de Dieppe, França.

Então, se a Renault separou o Stepway do Sandero, poderia fazer o mesmo com o R.S. 2.0 2020, já que ele é outro carro em comparação com o hatch popular. O hot francês já era bom no que se propunha, mas agora recebeu nova calibração de suspensão, que o torna mais firme e grudado no chão.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

Nem se ressente do fato de ter mantido a frente anterior, mas é andando que ele mostra que nem precisava de alteração visual. Nada de F4R ou Dacia, o Renault Sandero R.S. 2.0 2020 é um “foguetinho” com arranques realmente bons e uma dinâmica de condução mais apurada, na mão.

Direção direta, freios potentes, suspensão bem firme e um conjunto motriz empolgante, o hot hatch agrada, mesmo quem não goste do Sandero. Com programação específica, o 2.0 16V no modo normal, já está com muita disposição, ainda mais com um câmbio manual de seis marchas curtinho e bem escalonado.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

A embreagem bem ajustada, ajuda nesse casamento, que faz o bólido popular ir de 0 a 100 km/h em 8,0 segundos e ter máxima de 202 km/h. Os números podem até não impressionar, mas por menos de R$ 70.000, o que ele oferece é realmente diversão com custo-benefício. Nas ruas, curvas rápidas e desvios de trajetória são cumpridos com rigor.

Na estrada, a aceleração é vibrante e o ponteiro passa tão rápido de 6.000 rpm, quando corte pouco depois, que é preciso manter uma mão sempre próxima do câmbio.

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir

No modo Sport, a coisa fica mais interessante, com aumento expressivo na resposta, assim como no Sport+, onde até o controle de estabilidade sai para dar uma volta. Rodando “calmamente” a 110 km/h, em sexta, o ponteiro tá nos 3.000 rpm. Mas a calmaria dura pouco, pois, o Sandero R.S. 2.0 2020 instiga o condutor a pisar um pouco mais fundo…

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020 – Galeria de fotos

Evento a convite da Renault. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Renault Sandero, Logan e Stepway 2020: Impressões ao dirigir
Nota média 4.7 de 6 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Rodolfo Deo

    Dentro da limitação do segmento é uma opção decente, melhor que um Gol ou Ka.

    • David Diniz

      ´Por que melhor que um KA?

      • Bill Waishington

        Rapaz…pra começar o Sandero é muito mais espaçoso e o porta malas bem mais generoso. Tirou nota fraca na segurança?tirou sim ! Mas e o Ford K? lata de sardinha e ja chegou a zerar teste de colisão. Então da no msm aff

      • JCosta

        Tem muito mais espaço, por exemplo.

    • Bruno Silva

      Discordo. O Ka tem direção elétrica, e é muito melhor ao volante em dinâmica. Tbm acho o acabamento melhor.

      • David Diniz

        A Direção elétrica do KA é muito leve mesmo e a dinâmica(por ser “baixo”) é muito boa também e o 1,5 é um KApeta com os seus 136cv e 16Kg de torque…

        • Thiago Ramos

          Já disseram várias vezes por aí que os 136cv passam longe das rodas. Comportamente é pouca coisa superior ao do antigo 1.5, sem desmerecer claro, o desempenho é bem bom.

          • Tosca16

            No Ecosport ficou nada demais, no KA ao menos tinha lido que o motor era ok, com relativo bom desempenho.

          • David Diniz

            Quem disse isso com certeza nunca dirigiu um.

            • Thiago Ramos

              Foi uma ironia. Eu mesmo to dizendo. Já dirigi e não parece ter os 136cv divulgados. Meu Fox 1.6 16v é mais forte. Arranca melhor, desenvolve velocidade com mais facilidade e tem 120cv, porém com mais torque.

        • Samluzbh

          Andei nesse carro, pode me chamar de exorcista pois o KApeta sumiu, não parece ter 136cv, lento pra acelerar e retomar, acho que deve ser relação do cambio que prioriza consumo, sem falar que em velocidade a direção fica “boba” muito perigoso pra inexperientes.

      • Tosca16

        Também prefiro o KA mas quando ao acabamento, ao menos agora, os Dacia, estão em pé de igualdade… e do KA, temos que falar do mal encaixe e vãos na carroceira, coisa que é recorrente nos Ford fabricados em Camaçari.

        • Bruno Silva

          Na linha 2019 o Ka deu uma boa melhorada na montagem, pode conferir. Temos um 2015, o carro só faz um pequeno barulho no cinto, de resto nada de barulhos.

          • Vanesso

            Isso de “deu uma melhorada na montagem”. eu já escuto desde 2008, quando comprei um K, com todo respeito. O meu veio com faróis, lanternas e porta-malas desalinhados, parecia batido! Levei na css e o técnico disse que era melhor não mexer, e ficou desse jeito.

    • Robinho

      melhor que Ka? ta bom…

    • Flávio Ba

      Adquiri recentemente um prisma 18/19 ltz automático por 56.600,00 ja emplacado 2019, após muita negociação.
      Estava cogitando aguardar o sandero cvt para comprar, mas acho que fiz um negócio melhor!!

    • TchauQueridos

      Projeto mais recente, mais conteúdo e preço menor, fico com Ka.

    • Não é melhor não, no conjunmto o Ka vence. Tem direção elétrica, acabamento melhor, motor mais forte, central multimídia numa melhor posição e com software mais evoluído também. ùnica coisa que o Ka perde é no espaço interno e no porta malas.

  • Eng. Mecânica 2014

    Um amigo possui um Sandero 1.6 2009 com 380 mil km, originais, sem fazer o motor e sem maiores problemas (ele vai e volta de Belém para São Paulo com muita frequência). Eu só cri quando vi o hodômetro pessoalmente e com isso me despi, de certa forma, do preconceito que tinha com a marca. O carro continuava com poucos barulhos de acabamento e com praticamente o mesmo desempenho e economia de quando era mais novo.
    Isso faz cerca de dois anos, acredito que o carro já tenha ganho mais uns bons milhares de km…

    • Lucio Adriano Mendonça

      Se ele vai de carro por medo de avião eu garanto que se ele for num tupolev será muito mais seguro.

      • Eng. Mecânica 2014

        Ele vai de carro porque é bastante simples economicamente, não tem condições de pagar passagem pra 4 pessoas de ida e volta duas ou três vezes por mês. Ninguém em sã consciência percorreria 3500 km de Sandero se pudesse fazer o mesmo trajeto em 3 horas de avião…

        • Cesar

          Pior que faço isso de vez em quando. Gosto de dirigir em estrada e o avião não te dá a oportunidade de entrar em locais desconhecidos e parar para conhecer outros lugares.

          • Eng. Mecânica 2014

            Mas o seu caro com certeza não é um Sandero com quase 400 mil km hehe. Deve ser uma experiência agradável em um carro melhorzinho.

    • Dod

      Podem falar o que quiser dos Renault-Dacia menos que não são carros resistentes. Meu cunhado é representante comercial e teve um Sandero Stepway por 7 anos como carro de trabalho, tirado zero, que rodou pra caramba na mão dele pelos interiores do RN, PB e PE, não sei a quilometragem exata mas foram mais de 100 mil tranquilamente. Nunca teve problemas, paradas só para fazer as manutenções preventivas. Ele gostou tanto que trocou por um Duster, que segue sem problemas.

      • Tosca16

        O problema é acabamento, espartano. Dacia Duster e a dupla Dacia Sandero e Logan precisavam mesmo deste refino e melhora em materiais, mas como nem tudo são flores ainda continua meio que “datado” internamente.

        • RodrigoABC

          Se disser isso num toyota são justificações, mas nos Dacia/Renault são críticas. Já tivemos 3 renaults em casa (Megane 2.0, duster 4×4 e sandero 1.6 AT4), nenhum deu problema em 200mil km acumulados. E por mais que seja um acabamento simples, não tinha barulho nem grilo interno….

          • Vanesso

            Pois é, depois um cidadão disse que tenho m***a na cabeça ao ter um Duster ao invés de um Golf. O Duster é o carro que tenho há mais tempo na vida inteira, desde 2012. Geralmente trocava de carro no máximo a cada 4 anos, e agora não tenho vontade de trocar. Teria que voltar agora no mínimo 50k pra ter um carro na faixa de 80k, o que ainda não é um carro perfeito. O Duster tem seus defeitos, tem, mas atende minhas necessidades. O Golf, qualquer um compra, mas e pra manter? Se fosse olhar apenas pelo lado de motor e acabamento, sem o lado financeiro principalmente, lógico que o Golf seria uma opção mais racional. Mas, vê se vende? Eu e mais uns 2000 cabeças de m***a todo mês preferem Duster.

        • fabio

          POLO tambem tem acabamento espartano e ate peças mecanicas espartanas (vide o liquido d earrefecimento )

          • Tosca16

            VW tem acabamento pobre visualmente, com excessivos ruídos pós quilometragem mediana, mas não tem vãos nem frestas, algo que nos Ford é feio de doer.

      • Freaky Boss

        concordo. Conheço pessoas próximas (irmã, etc) com carros da Renault e os relatos são sempre de muita robustez e confiabilidade. Alguns já estão no 3o Renault em sequência, na garagem.

    • leomix leo

      Tem logan de taxistas do Rio, COM 400/420 mil rodados e sem retifica.

      • TchauQueridos

        Meriva, Zafira, Siena tb tem muitos.

    • MauroRF

      Ano passado, meu vizinho aqui do prédio vendeu um Clio Campus 2010 com 350 mil km que funcionava perfeitamente. Ele viajava bastante com o carrinho. Comprou um Kwid para a esposa e um Captur para ele. Em 1 ano, já rodou 30 mil com o Captur e 20 mil com o Kwid. O Kwid deu um problema elétrico logo no começo, depois nunca mais deu nada. Eles não trocam Renault por nada.

    • TchauQueridos

      Rodar muito com pouca manutenção nao é exclusividade da Renault.

      • Eng. Mecânica 2014

        Tem carro que custa 5 vezes mais e não roda 50 mil km hoje em dia sem dar dor de cabeça ao dono. Tive problemas com os bicos injetores da minha antiga SW4 2013 com 42 mil km (inclusive tem relato sobre ela aqui no próprio site), com o cardã da Amarok High 2013 de apenas 40 mil km (também tem relato no site), com todo o setor de direção hidráulica e EGR de uma Dakar também 2013 com 37 mil km… E por aí vai. Então sim, eu considero que quase 400 mil km sem dor de cabeça num veículo francês de entrada seja algo supreendente.

      • RodrigoABC

        É exclusividade da toyota né? rsrsrsrss

    • andrei petreira

      Nunca tive carro da marca, mas vejo tantos motoristas de aplicativos com logan e sandero que acredito que essas carros tenham uma certa resistência.

  • Edson Fernandes

    Estou impressionado com os detalhes citados aqui. Quem diria o Best Cars não fosse apontar todos os itens tidos pelo Sandero.

    E já prevejo que a linha Zen será a grande sacada nas vendas. Agora…. Renault precisa maneirar nos preços pq está surreal. O Ka que apesar de menos equipado, tem um conjunto legal e pode ser um problema no quesito preço a Renault.

    Esse pulo de preço dela não justifica pelas poucas melhorias aqui apresentadas. Fico até feliz qu eo carro tenha alguns de outros, mas sinceramente eu não pagaria num Sandero o que posso ter num Polo por exemplo.

    • TchauQueridos

      Polo e Virtus projetos muito mais recentes e estão com descontos.
      A Renault exagerou.

      • Edson Fernandes

        Mas se vc olhar o preço tabelado do Polo, ele disputa diretamente com esse Sandero tendo praticamente os mesmos itens.

        A partir do Polo 1.0 TSI Comfortline com pacotes, ele já passa a ter mais itens que o Sandero. Agora voltamos a ver com descontos…. piora ainda mais a situação para o Sandero.

        Acredito que o SAndero fará sucesso nas versões CVT qdo estiver abaixo de R$60000. Pq nos atuais valores, está mto alto o preço.

        • oscar.fr

          Não é de hoje que a Renault está com preços de tabela exagerados, aí é depender da boa vontade do vendedor. Eu não contei com ela e não teve negócio no Captur. Atualmente, algumas CSS de Porto Alegre estão anunciando uma nova versão mais básica da Captur com câmbio CVT e central multimídia por 72 mil. Se não tivesse feito negócio no Cactus, eu iria tentar aproveitar essa. Renault para mim é um carro muito superior em termos de manutenção que outras marcas, experiência própria.

          • Edson Fernandes

            /bem…. eu tenho um Fluence… devo te dizer que concordo contigo.

            Apesar do C3 ser barato de manter(e mais que o Fluence obviamente), o Fluence nos médios tem um custo de manutenção bem baixo para a categoria.(e é uma das coisas que me causa “problema” em pensar de trocar no futuro)

  • Tosca16

    Ainda acho que pra Renault do Brasil ter no Kwid seu modelo de maior saída é meio que ruim pra imagem da marca, por mais que a dupla Dacia Sandero e Logan tenham muito que melhorar, seria o Sandero minha escolha pra ser carro-chefe no país. Faltava sim esse refinamento de materiais, claro que nem tudo melhorou, tem alguns pontos que poderiam ser revistos e o interior ainda tem ar de “datado”. Agora sou chato quando vejo uma montadora estabelecida, das líderes de vendas no Brasil, ainda ter tanquinho de partida a frio; coisa que nem uma Chery, antes mesmo da Caoa, tinha no New QQ Flex (até então o carro mais barato do mercado).

  • RKK

    “Como mencionado anteriormente, os Logan 2020 e Sandero 2020 com transmissão CVT ficaram mais altos. O motivo é que o novo câmbio é mais baixo e necessita de vão livre maior para evitar bater nas lombadas e depressões da vida”

    -> O Nissan Versa e March tem o mesmo câmbio CVT e não precisaram de elevação da suspensão. Em tempo, um câmbio CVT que berra ao acelerar (como padrão), definitivamente não é o Jatco CVT7 D-STEP do Nissan Kicks.
    E agora que o Sandero CVT tem suspensão elevado, o Stepway perde seu sentido de existência.

    • Natán Barreto

      March e Versa foram carros projetados pra ter esse câmbio desde a concepção. A Nissan o vende em outros mercados. São carros, que mesmo sendo populares têm projeto superior, pois vendem em mercados mais exigentes, inclusive o americano.

      Logan e Sandero são carros pensados pra população pobre da Europa sob bandeira Dacia, pra América Latina, Índia sob Mahindra e Rússia com Lada. Por que vocês acham que demorou tanto? Porque os engenheiros daqui tiveram que quebrar a cabeça pra remendar esses carros com o objetivo de atender a demanda de automáticos no Brasil.

      • Cesar

        Sandero é vendido na França, Inglaterra, Itália entre outros.

        • David Diniz

          Dacia Sandero

        • Alaor

          Mercados em que o Dacia Sandero é o carro mais barato à venda (ou um dos) e não tem nem opção de câmbio automático porque europeu prefere manual, ainda mais se tratando de um carro tão barato (lá). Simples.

  • Natán Barreto

    Eu não gosto de carro esportivo, mas sou justo. Acho que o RS é o que tem melhor custo beneficio. Pelo que se propõe, não tem nada similar nesse preço. O Polo TSI tem torque, mas não tem versão manual, essencial pra quem curte o esportivo. Onix, Ka, HB20 (turbo com torque ridículo) e concorrentes não tem uma proposta realmente esportiva. Então ponto pra Renault.

    As demais versões são deprimentes e perdem pros concorrentes. Prefiro um Voyage Tiptronic com menos espaço, mas conjunto melhor que esse monstro do Logan nessa suspensão.

    • Bruno Silva

      Não sei não, acho que em conjunto o Logan 1.6 + CVT deve andar mais e beber menos que Voyage 1.6 Tiptronic, sem falar em mais equipamentos e espaço. O lance é, Virtus frequentemente é vendido na versão 1.6 MSI AT com bons descontos, deve sair até mais barato que o Logan, pois a diferença na tabela é pequena.

    • th!nk.t4nk

      Porém, o Sandero RS é bateu-morreu. Colocar motor forte num projeto desses é uma insanidade completa.

      • Se o receio é pelo fato de que a pessoa ande rápido com o carro por ele ter motor de 150 cv acho irrelevante, já que os crash test são feitos a 60 km/h. Um Mercedes Benz com 300 cv colidindo a 120 km/h não é mais seguro que um Sandero colidindo a 60 km/h. Qualquer carro, mesmo com 5 estrelas, em colisão de barreira fixa com pouca deformação (poste, murro, veículo de grande porte no sentido contrário) acima dos 100 km/h possui poucas chances de sair ileso do acidente, e qualquer carro atinge essa velocidade de forma bem rápida.

  • Hugo Victor

    O que me impressiona na reestilização:
    – Porque não usar direção elétrica?
    – Porque não mudar sequer o grafismo do painel?
    – Porque não aproveitar essa tela do painel com mais de uma informação por vez (só mostra, ou o km total, ou o parcial, ou o consumo, ou a hora… Etc);
    – Porque não mudar o farol do RS (poderia usar o mesmo do Sandero sem a função DRL dentro do farol);
    – Porque não trocar um ‘A’ da traseira do Logan (Sequer um desenho novo da lanterna);

    Triste a Renault ter tido tanto tempo (essas alterações se arrastaram por mais de um ano) e entregar o carro com alterações mínimas. Parece uma reestilização pré-nova geração, (só pra dar fôlego) mas não creio que o Sandero NF chegue tão cedo, então, merecia sim reestilização mais profunda.

    • Anderson Trajano

      Hugo, entendo e concordo com você. O grande problema é que esse projeto nasceu como de baixo custo e para mudar, com certeza não compensaria, visto que a Renault mira numa faixa de consumidores que é muito sensível a preço. Eu assisti um executivo dizendo que só para colocar ajuste de profundidade do volante, eles teriam que alterar todo o projeto de direção e trocar o ferramental da montagem.

      • Hugo Victor

        Mas entenda que, o que ponderei, são medidas simples, e não estruturais como seu exemplo.
        Alterar o grafismo de um painel, o layout de uma lanterna ou uma pequena tela no painel, não encareceria em quase nada o projeto e não passaria a sensação de que a reestilização foi feita às pressas ou sem vontade.

        O farol do RS essa só tirar um e colocar o do novo;
        O grafismo era só redesenhar;
        As lanternas traseiras eram só redesenhar;
        A direção elétrica era só tirar o hidráulico por polias e colocar o motor elétrico. Bem melhor do que adicionar outro componente o tornando ‘eletrohidraulico’.
        Já achei muito a Renault ter adicionado mais dois airbags… Mas faltou capricho nos detalhes.

        Ah, e falo isso por ter sido um feliz proprietário de um Sandero entre 2015 e 2018, comprado 0km e rodado até 80mil km, tendo nesse meio tempo trocado dois pneus dianteiro e uma lâmpada do farol. Zero manutenção corretiva.
        É triste sair de um Sandero 2015 e entrar no ‘novo’ e se deparar com os mesmos problemas do lançamento anterior.

        • Tosca16

          No RS ao menos vi a alegação que ele já tinha no para-choque a assinatura em led; sendo que teriam que fazer uma nova peça, e por isso ele ficou como estava anteriormente.

    • MonHoe

      Era só acabar com os local dos LEDs diurnos da RS ou apenas utilizar LEDs como faróis de neblina, ficaria mais bonito e harmônico com a linha, aquele painel vc tem que advinhar o que ta escrito no computador de bordo, nunca sei o que ele quer dizer, aquele media nav é responsivo, mas tem um layout velho e ultrapassado, nem colocaram uma chave melhor, uma chave cartão do Captur ficaria ótimo, rebatimento dos retrovisores seria legal, por mais de 70 mil esse Stepway ta caro demais

  • Rodrigo Ruano

    Nossa… muito alto.. que gambiarra, hein Dna Renault?

    • Flávio Ba

      Ficou feio mesmo. O Logan ficou estranho demais.

  • Eskarmory .

    Bons carros, mas simplesmente intragáveis.

  • Darlon Anacleto

    Credo! Aquele interior mequetrefe continua igual.

  • th!nk.t4nk

    Senhores, olhem bem a altura desse Logan Stepway, combinado com essas mini-rodinhas. Não, sério: WTF! É esdrúxulo demais!

    • Gilberto Mariani

      Também achei feio, mas se formos parar pra pensar está alinhado com o mercado, sedans com mini rodas, olha o Virtus e o Yaris, lembra bem viu…

      • MarcosGojira

        O Corolla também foi um dos que adotou aro 17″ séculos depois de todos os concorrentes. Aquelas 16″ ficam parecendo rodinhas de kart.

  • Zé Mundico

    É o tosco sem culpa.

  • Rodolfo

    Quando li que ainda usa tanquinho para dar partida a frio já desanimei na hora.

  • Carlos Eduardo Cabral Silva

    Eu gosto da Renault. Meu pai teve a primeira geração do logan (feio que dói). Passamos 7 anos com ele até chegar na minha mão.
    Fiquei mais dois anos e incríveis 250mil km rodado sem retifica nem “fumaça”. O que me impressionou foi o acabamento espartano interno, onde não se ouvia um “grilo”.
    Hoje meu irmão tem um KWID escola de samba que faz tanto barulho que é irritante. Suspensão batendo com menos de 20mil km fora diversos outros problemas. Pode ter sido azar, mas eu nao compro KWID nem a pau.
    Meu pai comprou um sandero novo (3cil) e eu particularmente gostei do carro. Tem bom arranque e retomada, mas infelizmente perdemos em uma enchente.
    Enfim, ja trabalhei em concessionária da Renault, tive muita proximidade com os carros dela e, minha vontade seria de ter um logan novamente.

  • TchauQueridos

    Nao desmerecendo o Sandero.
    Mas nessa faixa de preço tem muita coisa melhor!
    Agora novo hb20 e Onix passa de 50k versao de entrada…

  • Yuri Lima

    O texto começou mais formal, porém, no fim, o Ricardo empolgou com o RS que dá pra ver no último parágrafo a animação. heheheh

  • Felipe Gonçalves

    Pessoal, vi bastantes relatos do óleo ”sumir” nesses motores SCe 1.6. Alguém sabe me dizer se esse problema já foi solucionado? Achei bacana as alterações realizadas na dupla, mas claro, os preços são complicados rs

  • Ric53

    SETENTA MIL REAIS NO RS

    CÊ TENTA, CONTINUA TENTANDO

    • Jurandir Filho

      Nunca tive Renault, nem tampouco sandero e não pretendo ter, mas o que se compra (pelo que anda) por 70 mil reais? não venha me falar em carro usado…

      • Ric53

        Rapaz se vc não pede, eu já ia falar do carro usado que atualmente é o único possível para mim kkkk.
        Nunca compraria “carrinho” usado por 70 mil, mas tem razão, pelo preço, infelizmente não existe concorrente, INFELIZMENTE

        • Jurandir Filho

          Pra mim carro zero também não dá mais, kkkk
          Agora pra quem quer um carrinho rápido e pode pagar por um zero, acho que é a melhor pedida…

          • Ric53

            kkkkkkk tem q se virar com oq dá

  • El Gato!

    Preço nas alturas. Carro manco por carro manco, ficaria com o KIA CERATO. Carro completinho, mil vezes melhor acabado e confortável. Está saindo 73 mil. Se o caboclo não liga para casamento, é um negócio bem melhor.

  • Daniel Furtado

    Podem falar o que for mas no geral o Sandero é um belo carro!
    Tive Clio Campus 2010, fiquei com o carro por 4 anos e nunca me deu um problema, dai eu vendi e peguei um Sandero 2011 com 55 mil rodados e fiquei exatamente 5 anos com o carro e vendi na semana passada, com exatos 115 mil rodados e o que eu tive de problemas em quase 10 anos de Renult ? Nenhum problema com esses carros, e sim somente as preventivas. Tenho que concordar que o acabamento é bem defasado e talvez não muito moderno mas que os carros são resistentes são sim!!!

    Agora melhor que o KA nao é mesmo! A Ford tem um acabemento muito mais refinado e dão atenção pra isso, essa motorização de 2018 p/ cá está excelente e não tem o que falar pois o carro é muito esperto mas eu não posso afimar como é ficar com Ford por 5 anos pois não tive essa oportunidade ainda mas pode ser que aconteça.

    Muitas pessoas olham feio para a Renault e acredito que isso está mudando cada vez mais, e falando sobre as vendas dos meus dois carros nesse período longo foram rápidas, O Clio com 24horas de anuncio no Webmotors eu consegui vender, o Sandero com uma semana e meia no OLX também consegui vender e ainda recebi diversas mensagens dps até a hora q eu pausei o anuncio, vendi e deletei o mesmo. Então em relação foi tudo tranquilo.

    Infelizmente a Renault deu uma pisada de bola nesse modelo novo, podiam ter colocado uma direção elétrica, melhorado o painel, a tonalidade do plastico que eles usam é bem feia, e essa multimídia que é terrível!!

  • daRio

    o stepway parece um trator com aquela altura exagerada

  • Fabão Rocky

    Ainda continua c/ visual interior de carro dos anos 90.

  • Bill Waishington

    Ta caro ?? Ta sim…Mas fazer o que…a concorrencia ta igual ou pior..Ford K a 70 mil! Ainda prefiro mil vezes um Sandero muito mais espaçoso e robusto do que esses Onix e Gol da vida caro e apertado. ja tive Sandero e o bixinho e um tanque! É o que eu acho…

  • Freaky Boss

    Estamos precisando é atualizar o portfolio de motores dos carros aqui no Brasil. Tudo muda, menos a gama de motores na maioria das marcas.

  • Rogério R.

    Da gama Sandero, eu sou fãzaço do RS, mas eu acho que a versão Zen é a mais amigável para o bolso e vem bem equipado até para uma versão intermediária onde hoje em dia o tal do pacote de opcionais impera em algumas marcas. Vou te falar, ainda não vi ao vivo, mas pelas fotos e vídeos que vi até agora o visual me agradou bastante. O carro ficou bem mais elegante e esportivo ao mesmo tempo. Só não gostei de não terem mexido no painel, com exceção que agora tem o marcador de temperatura no computador de bordo, disso eu gostei bastante.

  • marcosCAR

    Independente do Kwid não poder ser canibalizado, acho que o Sandero teria que partir de um preço menor… Claro que seria sonho 39.900, mas a reestilização não irá ajudar muito nas vendas partindo de 46 mil sem multimídia.

  • Luiz Felipe S. Silva

    Realmente essa suspensão ficou estranha no Logan, olhando de lado parece que a roda traseira tem aro menor que a dianteira

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email