Argentina Elétricos Hatches Renault Segredos-Flagras

Renault Zoe tem nova geração flagrada na Argentina

Renault Zoe tem nova geração flagrada na Argentina

O Renault Zoe começou suas vendas no Brasil por R$ 149.990, em novembro de 2018, quando foi anunciado como surpresa no Salão do Automóvel. Apesar de o hatch elétrico estar rodando no país há bastante tempo, em contratos da montadora com empresas e órgãos públicos, o modelo só agora chega ao consumidor final, mas já com data de vencimento.


Isso porque na Europa, a Renault testa a nova geração do Zoe, cujo lançamento do modelo atual ocorreu em 2012. De lá para cá, o produto se tornou o carro elétrico mais vendido da Europa, ampliando enormemente o mercado desse tipo de veículo por lá. Então, a chegada do modelo devidamente atualizado é aguardado com expectativa.

Renault Zoe tem nova geração flagrada na Argentina

Já visto em testes no norte da Europa, o Novo Zoe foi apanhado também rodando nas imediações da fábrica da Renault em Córdoba, Argentina. Duas unidades foram flagradas com camuflagem semelhante ao observado nos veículos que rodavam no velho continente.


A Renault Argentina teria confirmado que o Novo Zoe será vendido no país vizinho. O novo hatch será o segundo modelo elétrico da marca por lá, onde o Kangoo ZE é oferecido aos consumidores comuns, diferente daqui, onde é visto em parcerias do fabricante.

Renault Zoe tem nova geração flagrada na Argentina

Por ora, pouco se sabe sobre as intenções da Renault quanto ao Zoe na Argentina. O compacto elétrico bem que poderia ser montado localmente, mas isso significaria que o governo local, assim como o brasileiro, concordariam em mais incentivos fiscais, o que está fora de cogitação no lado de cá da fronteira.

Por aqui, no entanto, algumas ações no sentido de ampliar a participação de elétricos já foram dadas, como a mudança nas regras do programa automotivo nacional, que no Rota 2030, contempla IPI de 7% a 18% para a categoria, além de incentivos localizados, como a isenção de IPVA no Paraná e em alguns estados. Neste último, a intenção é zerar o ICMS. Se conseguir junto ao Confaz, abrirá um precedente para que outras regiões o façam.

[Fonte: Autoblog Argentina]

Renault Zoe tem nova geração flagrada na Argentina
Nota média 5 de 1 votos

  • th!nk.t4nk

    Difícil entender como um carrinho popular de 20 mil € vai pra 150 mil R$. Enfim, sua proposta é boa, mas como um veículo urbano de baixo custo, barato de manter. De outro modo, a proposta perde todo o sentido.

    • 20 mil x 5 (valor com a segurança do “se subir”) + 50% de impostos?

      • Cesar

        E ainda tem custo de seguro, transporte e rede.

      • Zubaedah

        veja “Us” com a melhor qualidade (1080p HD) todos os filmes disponíveis aqui, completos com todas as línguas !!
        copie aqui: BANANAHD9.BLOGSPOT.COM

    • Hodney Fortuna

      Pura verdade! É para proteger o monopólio da PTrobrás como também os supersalários por lá ganhos, e ainda adicione o cartel dos postos de gasolina e distribuidores. Assim foi e sempre será na história da Bruzunganda!

      • Raimundo A.

        O partido que está no governo é outro e até onde se sabe, a proteção que o anterior fazia beneficiava os consumidores evitando os aumentos no mercado externo, também como forma de influenciar na inflação, e prejudicava a Petrobras, que sempre teve salários altos.

        Carro importado aqui em raras exceções teve preço melhor que o nacional e a mania de protecionismo é antiga. Não adianta ter indústrias fazendo smartphones, por exemplo, cujo preço é salgado, modelos são simples, a ponto de quem não ver problema importa da China produtos melhores e a preço bem menor.
        Enquanto houver uma cadeia produtiva com altos tributos e concorrência controlada, os preço só vão subir a agradeço a maioria dos consumidores que aceitam.

        • Hodney Fortuna

          Nunca achei vantajoso se produzir no Brasil. Desde que mundo é mundo que produtos feitos no Brasil são tão ou mais caros que se fossem importados e de durabilidade reduzida! Existe uma legislação protecionista que impede que brasileiros tenham acesso a produtos de bem de consumo vendidos a preço justo por causa da alta carga tributária e a politica protecionista industrial movida por um cartel mimizento. Infelizmente Bolsonaro não tem como acabar com isso já que os mesmos possuem um seleto grupo na política que os protege.

      • R. Rover

        Hodney Fortuna.
        Vai arrumar uma CTPS e trabalhar.
        Esse papo de bozzominion não cola mais.
        Tá todo mundo pulando fora do barco e daqui a pouco vai muita gente cana.
        Aperta que dá uma família toda em um camburão só.
        kkkkkkkk

        • Hodney Fortuna

          O loula tá preso, bebeca!

          Eu nem preciso seguir teus conselhos postianos, sou MEI há mais de 5 anos. Se vc for sindicalista tens toda razão por estar revoltado com o atual governo pois a mamata da boa vida acabou, meu caro! Nem vai mais andar de R.Rover. Se acostume com o Trabant!

      • Augustus do Aveiro

        tira o pt do coo rapaz, desde 2015 que eles não estão mais no Governo, a Familícia ta ai fodendo o País e vc batento palma

        • meneghelli1972

          A esquerda vem assaltando o Brasil a mais de 30 anos e você quer que o Bolsonaro transforme isso aqui na Disney em 3 meses?? E não adianta vir com esse papo que ele foi deputado a 27 anos e não fez nada, pois ele mesmo disse que já deu várias canceladas mas fez o que pode. Vamos ser sensatos e deixar ele trabalhar, pelo menos por 1 ano.

          • Augustus do Aveiro

            A Esquerda governou o País de 2003 a 2015, período em que o PT esteve no poder, já a Direita dos “bons costumes” esteve no poder desde 1964 através do golpe militar até 2003, ou seja por 39 anos! período esse o mais assombroso da nossa história, com gente morrendo de fome, inflação de 2 dígitos, corrupção mascarada pela ditadura entre outras barbáries e exatamente isso que estamos começando a viver novamente com esse BOZONARO que esta há mais de 30 anos como deputado e nada fez pro RJ, muito menos pelo Brasil! deixa de ser hipócrita e assuma que se o Brasil é uma m3rd4 a culpa é deste miliciano e da turma militar de direita

    • Raimundo A.

      Não é difícil! Por simples conversão, o preço já bate em absurdos quase R$ 90k. Claro, o bem importado não vem a preço do consumidor europeu, mas a preço de custo que será menor. Tem as despesas com seguro, transporte, infraestrutura aqui para bancar o atendimento a esse produto, tributos, e como os veículos daqui tem preço salgado por natureza, vão cobrar mais sem pensar duas vezes porque as vendas serão pequenas até pelo porte do veículo. Quanto menos se vende, mais tende o preço subir para sustentar a operação.

      Eu só não gente reclamando ao comprar uma lata de cerveja por R$ 5 em festas de ruas sabendo que o preço no atacadista é R$ 2, nem os altos valores cobrados em restaurantes. Se é justo quem presta um serviço, tem despesas de MOB, quer lucro, passa a cobrar mais caro por coisas que outros locais são mais em conta, compra quem quer e é válido o valor maior.

    • Roberto

      Um iPhone vem a 10x o preço em dolares, logo, tá “barato”.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Zoei vocês

    • Vinícius Sza

      Boa

  • CarloAndreiDiniz

    Visual bem resolvido bonito, bem interessante, só tem 2 pontos que pesam os malditos impostos que não deveriam existir para incentivar os elétricos e desenvolvimento da malha de carregamento e de tudo que possa se criado ao em torno dos carros elétricos e a baixa km rodada que em um país com dimensões geográficas gigantescas, afinal alguns vão dizer: A mas a proposta do carro é urbana, ninguém compra um carro por que só vai andar na cidade, e quando for fazer uma viagem? Meu critério é de que enquanto os carros elétricos não possuírem carregamento rápido (porque hoje vc vai na esquina enche o tanque e sai rodando) ter estações de recarga e possuírem quilometragem iguais e superiores ao combustível, eu particularmente não compraria, seja o preço que for.

  • Ricardo Blume

    150k! Brasil, sil, sil, sil, sil!

  • El Cabron

    Por que devemos dar incentivo aos carros elétricos??? Eco por Eco já temos o etanol… Uma boa parte do preço da gasolina é por conta da carga tributária… Que naturalmente migrará para energia elétrica para compensar… Se o carro elétrico for o caminho, ok, mas que seja pelos seus méritos, que reconheço existem, mas aí subsidiar, não ne!!!! O governo, para dar a alguem, tirou de outro alguém, simples assim… É minha justa opinião.. que venha por vias naturais, não forçado, como a tábua de salvação do mundo.

    • Concordo em parte. Acho sim que o etanol deve ser visto com melhores olhos pelos brasileiros. Mas tirando o “eco” vem outras questões, como domínio da tecnologia e o baixo custo de manutenção desses veículos. Hoje os elétricos são caros, e muitos países buscam independência do petróleo e melhor qualidade de vida nas grandes cidades, por isso os incentivos que não são necessários no Brasil, visto o etanol. Mas outros países buscam prosperar nesse mercado e por isso estão incentivando o consumo também. Pode-se notar pelas altas apostas dos grupos automotivos e o movimento do mercado internacional. O que pode se tornar um grande diferencial caso se concretize a redução de custo por escala e preço das baterias. O baixo custo de manutenção dos elétricos e a possibilidade de uso em veículos pesados pode provocar uma migração rápida num futuro de médio prazo. Não sei se é interesse do país crescer nesse mercado ou se tem bala na agulha para esse tipo de investimento, mas se tiver será um grande risco ficar de fora agora, principalmente para as exportações.

    • Drax

      Além do que o colega @raniere comentou, existem outras formas de se produzir energia, como solar, eólica, utilizando o movimento do mar (esqueci o nome) e etc. Enquanto a gasolina tem como fonte somente o petróleo, que fica cada vez mais caro.

  • Michelle Fan

    tem que ser muito otario pra jogar fora 150 mil reais numa joça dessa…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email