Brasil Finanças Governamental/Legal Mercado

Rota 2030: Associação de Comércio Exterior diz que aprovação após Livre Comércio com Europa é incoerente

vw-fabrica-parana-1-2 Rota 2030: Associação de Comércio Exterior diz que aprovação após Livre Comércio com Europa é incoerente

Mauro Laviola, vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), disse que é incoerente a intenção do presidente Michel Temer de só aprovar o Rota 2030 após o fechamento do acordo de livre comércio entre União Europeia e Mercosul. O executivo diz: “Não dá para entender esse condicionamento de acordo entre os blocos e o Rota 2030, porque o setor automotivo está dentro da negociação com a UE e, teoricamente, deveria seguir as regras do livre comércio. Há uma incoerência nessa posição”.



O argumento levantando por Laviola se refere ao fato de que após fechado o acordo de livre comércio com a Europa, o Brasil não poderia criar novas regras para o setor automotivo, especialmente com imposições de tarifas ou taxas adicionais para os setores que fazem parte do acordo. Isso significa que, se o Rota 2030 foi instituído após a assinatura do tratado entre Mercosul e União Europeia, a nova política automotiva pode ser denunciada junto à OMC, pois estaria infringindo as regras de comércio da organização, avalia Laviola.

Na visão do vice-presidente da AEB, criar uma nova política interna que entre em conflito com as regras do acordo de livre comércio, parece inviável. Após 18 anos, é esperado para o dia 10 de dezembro, o anúncio oficial do tratado de livre comércio entre os dois blocos, algo que se tornou prioridade no governo Temer. Já o Rota 2030, anunciado em abril, vem enfrentando dificuldades para sair do papel.

Com o cronograma apertado, o Rota 2030 era para ter sido aprovado em agosto e, após atraso, em setembro. A última chance foi em novembro, e nada saiu. Embora tenha sido feito em tempo muito curto, o problema principal da nova política automotiva é a tributação, que seria alterada para evitar primeiramente mais acusações de protecionismo, como acontece com o Inovar-Auto, e também permitir que a indústria tenha melhores condições para poder crescer, assim como o mercado.

No entanto, uma das mudanças seria alteração a tributação do IPI de tamanho do motor para eficiência energética, bem como cobrar impostos da cadeia produtiva apenas na hora da venda do veículo. Diante desses e de outros detalhes, o Ministério da Fazenda segurou o Rota 2030, pois acredita que haverá desoneração fiscal, outro ponto que o governo não abre mão. Para contornar o problema, as montadoras recorreram diretamente ao presidente, a fim de obter a aprovação das novas regras o mais rápido possível.

Se o argumento acima, colocado por Saviola, realmente tiver sentido em termos legais, então o Rota 2030 está condenado. A Argentina já implementou diversas mudanças em sua política para o setor automotivo, objetivando alcançar produção de um milhão de veículos por ano, visando principalmente as exportações.

Sem as novas regras, o Brasil pode voltar ao mesmo patamar fiscal de 2011, sem qualquer incentivo para investimentos em engenharia, pesquisa e desenvolvimento, produção, segurança veicular e eficiência energética. O que se comenta é que valeria as alíquotas de IPI vigentes legalmente antes do Inovar-Auto, mas que ainda assim, seria necessária uma medida provisória do governo até 31 de dezembro.

  • Junior_Gyn

    De uma coisa disso tudo aí podemos ter a certeza. Perder a boquinha o governo não vai querer nem deixar.

    Irão inventar um plano pro setor sem que se desonere nada, continua do jeitinho que está. Apenas mudando o nome do Inovar. Enquanto isso, nos bastidores, a gastança dos políticos continua.

    Que delícia de país.

    • V12 for life

      Gastança não, ladroagem mesmo.

      • Filipe

        Nada vindo de algum político brasileiro é pensado para o benefício do cidadão. Repito: NADA!!!

    • Cosi fan Tutti

      Nas duas hipoteses, isso é impossivel. Não tem como manter as atuais taxas pq foi condenado na OMC, e a Uniao Europeia não aceitaria o acordo, infringiria as regras do bloco. Então o Brasil não pode mais impor nenhuma taxação além dos 35% de importação da OMC.

      • Edson Fernandes

        Não… mas o negócio é assim: O Brasil não iria impor mais taxa, iria “liberar” para ter o acordo com a Europa e depois taxar em até 15% de IPI até ir diminuindo a 0%. Ou seja… teria inicialmente uma taxação de IPI de 15%. Mas ainda assim é absurdo já que vc assina um tratado em que tem livre comércio né ?

        • D136O

          Pelo que li esse acordo entre os blocos é progressivo então de inicio não mudaria muita coisa.

  • No_Name

    Rota 3020… Chegando lá sai do papel rsrsrs.
    Melhor que não saia mesmo.

  • 1 Raul

    Não sei o que vai rolar, só sei que o preço dos carros não vai cair, pelo contrário, qualquer mudança será um novo pretexto para continuar subindo os preços…

    • Jean Soares Costa

      Concorrência segura/diminui preços! Efeito de mercado competitivo!

      • oscar.fr

        Exatamente. A violenta queda nas vendas de carros no Brasil está aí para mostrar a perfeição do mercado. Vendas caíram e os preços acompanharam as vendas. Todos os carros baixaram de preço.

        • 1 Raul

          Baixaram? Veja o top 10 e diga quantos baixaram…

          • oscar.fr

            Ironia, meu amigo.

        • Schack Bauer

          Os preços reais estavam caindo até 2011, quando a Diuma baixou o inovarauto. De lá pra cá, os preços voltaram a subir acima da inflação. Não é a toa que a Anfavea esteja tão desesperada por esse Inovarauto 2030.

          • Raul Pereira

            Isso porque ela é economista, mas sabe como é, lobby e oligopólio da indústria ‘nacional’ hahahah

      • 1 Raul

        Concorrência sim, oligopolio não

        • Cosi fan Tutti

          Sem um programa de proteção não existe oligopolio, senão nao existiria Inovar Auto.

  • Sérgio Barbosa

    Ainda bem que esse Rota 2030 é incompatível com o acordo com a UE. Se o Brasil quer mesmo entrar no primeiro mundo, tem que deixar esse protecionismo de lado.

  • V12 for life

    Ou seja, já era, e quando a fase de carência do acordo de livre comércio acabar, ainda teremos uma indústria defasada que será engolida por produtos de primeiro mundo, embora do jeito que andam as coisa o carro mais barato do país em 2032 estará custando 200 mil ou mais.

    • Edson Fernandes

      Se é que esse acordo durará muito tempo. Porque com essa insconstancia… dificil.

      • Osni Duarte

        Basta um novo governo de esquerda e babau.

        • Edson Fernandes

          Esquerda e direita… vemos que o desrespeito é igual. Se fosse algo que tivesse mudança, o Temer já arrumaria alguma que está na casa. Mas está tudo igual ou as vezes até pior.

          • Osni Duarte

            Primeiro, respeitosamente, quero lhe dizer que Temer não é de direita. No máximo pode ser chamado de centro, ou Social Democrata. Alguns projetos ditos de direita tratam-se na verdade de medidas que já deveriam ter sido tomadas há mais de uma década e que terão um papel muito importante no futuro, mas não foram tomadas por medo de desgaste político-eleitoral. Lula e Dilma tiveram base de apoio como nenhum governante brasileiro jamais teve nos tempos da República, poderiam deixar seus nomes positivamente na história se fossem realmente corajosos e comprometidos com o futuro do Brasil. Segundo, com o pouco tempo disponível para Temer, cerca de 2 anos para governar, é exigir demais que dentre tantas coisas realmente importantes fosse dada prioridade ao setor automotivo. Terceiro, e não entrarei no mérito, Temer tem passado 2017 às voltas com denúncias, defecções na sua base e as velhas raposas tentando aproveitar o momento para desestabilizar ao máximo seu governo para colher frutos eleitorais daqui menos de um ano. É incrível na verdade o que conseguiu fazer até agora.

            • Edson Fernandes

              Mas se reparar, o que mais acontece com qualquer presidente? A propria Dilma sempre foi cercada, o que ajudou de fato foram os discursos que ela inclusive comete gafe até hoje.

              Mas sinceramente, vc vê diferença entre os governos no sentido de realmente querer melhorar o Brasil?

              • Bom, isso depende de outra pergunta: o que é “melhorar o Brasil”?

                • Edson Fernandes

                  Bem…. eu acho dificil definir em poucas palavras.

                  • Verdade: até porque cada um terá sua resposta.

  • truco

    ué, adequa a rota 2030 com o que vier no acordo com a UE e mercosul.
    “o Brasil não poderia criar novas regras para o setor automotivo, especialmente com imposições de tarifas ou taxas adicionais para os setores que fazem parte do acordo.”

    Que ótimo , o famoso nao mudar a regra no meio do jogo, coisa que o legislativo e judiciario – STF, diga-se – estao acostumados.

  • Robert Dniro

    “”Ministério da Fazenda segurou o Rota 2030, pois acredita que haverá desoneração fiscal””,outro ponto que o governo não abre mão.

  • invalid_pilot

    Eu quero saber mesmo é se o preço de carros e autopeças vão ser coerentes ou vai continuar tudo a mesma coisa ?
    Incrível como automóvel por aqui é tratado como luxo!

  • Cosi fan Tutti

    De uma coisa temos certeza, não haverá mais IPI majorado nem cotas pra importação, acabou, finitto, fino. Pelo menos uma vantagem do acordo com a União Européia nesse início, alem do aumento das exportações. Voltaremos a ter um equilibrio entre importados e nacionais ano que vem.

    • Edson Fernandes

      Copnhecendo o Brasil como é? Esse acordo pode ser positivo mas o Brasil pode furar ele. O proprio Mercosul foi um acordo que somente Brasil e Argentina se respeitavam. O resto não praticava o que tinha no acordo.

      Ou seja, se o Brasil fizer isso, ele em um primeiro momento “ganha” pela sacanagem, mas perde no futuro.

      • Algo me diz que a jogada é substituir o Rota 2030 por esse acordo.

        • Edson Fernandes

          Ah mas tem muita coisa em jogo em uma politica automotiva. Mas o que o Brasil precisa é de ter planos reais e fixos para evitar essa dúvida que passa nesse meio (assim como investir no Brasil é complicado e aqui não se aplica vender por quantidade).

  • D136O

    o que o governo tem feito de coerente? hahaha

  • Schack Bauer

    A melhor coisa pra indústria nacional quem fez foi o Collor, quando abriu as importações. Colocou esses gatos gordos da Anfavea pra trabalhar e melhorou sensivelmente o nível dos carros produzidos no Brasil. Protecionismo só serve pra gerar atraso e subdesenvolvimento.

    • Eng Turbo

      Aquilo literalmente foi um tratamento de choque, virou tudo de ponta-cabeça e em pouco tempo o setor automotivou teve uma evolução inacreditável.

  • Estou achando que querem fechar o acordo e abandonar o Rota 2030, deixando tudo como está até segunda ordem.

    • Licergico

      ‘tudo como esta’ , acaba por lei em 31/dez/17 .

  • Fabão Rocky

    Sempre achei incoerente. Como diz o ditado: O q tem a ver o c* com as calças?

  • octavio cesar godoy

    gostaria de ver todas as fabricas fechando aqui, como o governo iria se virar, aí sim esses governos corruptos iriam se virar

  • Andre Henrique Melo

    Resumo da tragédia Grega…banana para consumidores…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend