Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Rota 2030 atrasou por impasse com Ministério da Fazenda

S10-fábrica Rota 2030 atrasou por impasse com Ministério da Fazenda

Era para ter sido anunciado em 3 de outubro, mas agora não se sabe quando irá sair. Essa é a situação atual do Rota 2030, programa industrial para o setor automotivo que irá substituir o Inovar-Auto, que sai de cena em 31 de dezembro. A data era um limite legal para que a nova política seja implementada no setor. No entanto, o atraso se deu por conta de um impasse com o Ministério da Fazenda.



Em nível jurídico, não há mais tempo hábil para sua introdução em 1 de janeiro de 2018. Agora, não se sabe exatamente o que acontecerá após o dia 31 de dezembro. Após esse período, o país não terá uma política industrial para o setor automotivo até que o Rota 2030 entre em vigor. De acordo com a Constituição Federal, é preciso 90 dias de antecedência para que os diversos setores do governo se adaptem à alteração fiscal e novas regras de mercado.

Segundo uma fonte do MDIC, o texto do Rota 2030 já estaria pronto, exceto por questões fiscais. O impasse surge exatamente na questão da tributação. O temor da Ministério da Fazenda e do governo é que haja desoneração fiscal, algo impensável para Brasília em suas pretensões de limitar os gastos públicos e também para manter o nível de arrecadação anunciado para 2018.

Por ora, o mercado acredita que o Rota 2030 contemple de fato um modelo onde o IPI majorado de 30% será reduzido para 10%, a fim de incentivar as empresas a investirem em engenharia, pesquisa, eficiência energética e segurança, dentre outros, englobando cinco questões relativas ao setor, onde cada uma valerá 2% de IPI. Assim, se todas cumprirem as determinações da nova regra, o IPI volta ao patamar anterior. O desconto passaria a valer tanto para marcas com fábricas no país quanto para importados.

O problema para o governo e o Ministério da Fazenda é que juridicamente, se houver desoneração fiscal por qualquer motivo, não existe uma lei que estipule um prazo mínimo para a vigência de novas regras. A única hipótese que está sendo considerada no momento é que o governo atrase ainda mais o anúncio oficial do Rota 2030 para ganhar tempo, a fim de acertar os detalhes referentes à arrecadação.

No entanto, em termos jurídicos, se ficar entendido que houve um aumento de zero para 10% de IPI, já que após 31 de dezembro não existirá mais a atual regra de 30% de IPI, a Justiça pode obrigar o governo a cumprir um novo período de 90 dias após o anúncio, pois a interpretação será a de que houve uma alteração tributária no país e a Constituição ordena uma antecipação de 90 dias para vigência da nova regra fiscal, o que deixaria o país sem uma regra para o setor bem no começo de 2018.

Sem uma política regulatória para o país, não haveria de fato regras para o setor automotivo. Considera-se que o governo irá evitar uma Medida Provisória para impor o Rota 2030 antes do tempo, pois isso é visto como um retrocesso. Outra questão é o caso da OMC. Com o fim do Inovar-Auto, mas sem uma nova regra de mercado no país, os importadores que não investiram em desenvolvimento ou que não possuem plantas de produção no país não terão como descontar 3% dos 10% de IPI adicionais. Isso poderia levar a reclamações junto à OMC por discriminação tributária para determinado setor.

 

 

  • V12 for life

    Tudo dentro do esperado, o dia que algum governo fizer o que é melhor para o país, o mundo acaba.

    • leomix leo

      Esses sanguessugas nunca fazem nada a favor da população, somente benefícios para eles próprios, não vejo nada de investimento em saúde e segurança, e quando fazem, gastam mais com propaganda para poder se amostrar, do que o próprio investimento na área.

    • Raul Pereira

      Tem vários governos competentes por aí ao redor do mundo. O nosso que é um lixo mesmo.

  • Lagarto Véio

    Essa frase resume tudo: Segundo uma fonte do MDIC, o texto do Rota 2030 já estaria pronto, exceto por questões fiscais.

    O MDIC só esqueceu de combinar com os “russos” o regime tributário e fiscal que pretende adotar. Só tem gênio!

    • Só “esqueceram” de combinar com a Constituição e com o Ministério da Fazenda. Apenas isso.

  • Louis

    Olha aí um bom exemplo de insegurança fiscal / jurídica. Aqui as regras mudam toda hora, eles mesmo não sabem o que fazer.
    Depois não sabem por quê as empresas precisam de margens maiores para investir nesta pocilga.
    Bota na conta do custo Banânia.

    • leomix leo

      O grande problema é a arrecadação, não se pode reduzir drasticamente, pois ocorrendo isso, os sanguessugas ficam sem dinheiro para suas regalias. Observe que tem que haver contenção de despesas em tudo, menos nas regalias dos mesmos, eles nunca falam em reduzir o próprio salário, bem que eles poderiam suprir suas necessidades como combustível, aluguel, roupas, telefone, e tudo mais com o próprio salário, que já é astronômico, mais não, ainda recebem vários auxílios e tem vários assessores para nada.

      • Louis

        Sim há um corporativismo, são uns grandes f d p. E não falo só do executivo, incluo principalmente o legislativo e judiciário.

      • Eles estão é aprovando mais verbas, como esta para financiar as campanhas, os partidos vão receber gordos valores, antes eram das empresas em forma de caixa1 e 2, agora será do proprio governo vindos dos impostos. Irão se perpetuar no poder.

      • Danillo Santos

        Penso que deveria haver menos regalias sim, porém os salários dos políticos devem ser altos sim, dada a importância do cargo. Agora, falar pra qualquer um reduzir seu salário é hipocrisia! O Brasil é um país de hipócritas e desonestos, a classe política é um espelho da sociedade, simples assim…

        • leomix leo

          Discordo de seu pensamento generalista, eu mesmo trabalho com contabilidade a 20 anos e observei que clientes antigos e novos estavam com dificuldade em honrar seus honorários, entrei em acordo e reduzi em até 40% os valores para não poder perder o cliente e o mesmo poder honrar com suas contas. Não estou em dificuldades pois tenho outro comércio que me deixa mais tranquilo. Agora vc dizer quem nem todo mundo quer que seu salário seja reduzido e ainda dizer que uns analfabetos que não sabem nem o que estão votando, merecem ganhar bem, me poupe. Esses caras não deveriam ganhar mais que 4 salários mínimos. Vejo pai da família com 3 filhos se sustentar com 1 salário mínimo.

          • Danillo Santos

            Legal, um país com tendências históricas à corrupção pagar 4 mil reais aos deputados, senadores, etc……. Pára um pouquinho e pensa no que vc falou!
            Além disso não disse que nem todo mundo quer que seu salário seja diminuído, disse que NINGUÉM quer isso! Vc não reduziu seu ordenado por benevolência, reduziu pq sabe que é melhor pingar do que secar!
            Reitero, teremos um país melhor quando diminuirmos nossa hipocrisia

            • kkkkkkkk kra eles roubam mesmo ganhando 40 mil! O que faz o kra roubar não é o gordo salário no fim do mês, e sim escrupulos, ética, e o principal, punição. Pesquisa na Finlândia, Suécia etc.. como funciona o setor público, quanto ganham, qual disparidade de salários, vc vai se assustar, juizes, deputados, etc. não tem regalias , não tem salario alto, como eu disse ganham poucas vezes mais que um lixeiro ou domestica. Ae vc se pergunta, o que faz uma pessoa querer ser politico ou juiz nestes países? Eu respondo: a vontade de ter uma sociedade organizada. Não existe por ex. vereador, o cargo é de um representante de cada região das cidades que não ganham nada pra levar as demandas para as autoridades, e pra que? Pra resolver os problemas da região, e precisa ganhar 15, 20, 30 mil pra isso? Não!
              Uma outra questão que acontece também é que as leis funcionam em países desenvolvidos na maioria das vezes, aqui sabemos como é, o nosso Congresso é o 2º mais caro do planeta, perdemos apenas para os EUA que tem uma economia 10x maior, e o nosso judiciario é o mais caro e mais lento do mundo e beneficia a classe mais rica.

        • O problema não é o salário deles ser alto, é a disparidade entre salários, pq um juiz ganha tantas vezes mais que um lixeiro? Dependendo ele pode ganhar ate 60x o que um lixeiro ou uma domestica, ou até 30x o que um professor de ensino médio por ex. Em países desenvolvidos essa diferença não chega a 10x, em países melhores como Canadá e Austrália cai pra 7x ou menos, por isso que estes países não tem as mazelas que o Brasil tem, pois são igualitários, e isso começa nos salários. Agora aqui o proprio setor público é extremamente desigual. Ae aumenta violencia, pobreza, etc.. Deveria ter um limite para o salário dos políticos e autoridades, ou atrelar ele ao salário mínimo por ex… não podendo nenhum servidor ou autoridade ganhar mais de 20 salários mínimos seria um bom começo, e só poder aumentar se aumentar o mínimo também, ae a sociedade sempre será igual.

          • Danillo Santos

            Primeiro: de onde vem esses dados, cita a fonte pra gente
            Segundo: esses países não tem as mazelas do Brasil por causa do equilíbrio entre os salários ou é o oposto?
            Terceiro: porque alguém iria se preparar por décadas para ocupar um lugar de destaque se ganhasse 1/7 desse salário sem nunca sentar o bumbum numa cadeira de escola? Imagina se o maior salário do país fosse 70 mil, alguém sem qualificação nenhuma ganharia 10 mil? Essa conta não fecha hein

            • é obvio que é oposto, os dados salariais de cada páis vc encontra na internet mesmo, e conversando com pessoas que moram lá, a Austrália por ex. não sei se sabe tem o maior salário mínimo do planeta. Como tu acha que um país chega a igualdade social sem altos salarios desde a camada mais baixa? Vc nunca conversou com gente que foi pros Eua ou Europa e disse que lá mesmo uma domestica ou um lixeiro, entregador de pizza tem renda compatível pra adquirir bens e serviços (geralmente ganham mais que o mínimo). Ae quando vc analisa os altos salários, não estou falando das empresas, elas são livres pra pagar o que quiser, mas no caso do setor público, a disparidade é altíssima com o Brasil. O Brasil é um dos que tem as maiories distancias entre salários do mundo. E pelo fato do mínimo ser baixo, isso se reflete também nas empresas.
              Sobre sua segunda pergunta, pq alguem vira medico? Pq alguem vira engenheiro? Pq alguem vira juiz? Apenas para ganhar mais ou pra satisfação pessoal??? Então se um lixeiro tivesse o mesmo carro ou morasse no mesmo bairro que vc sendo um juiz ou algo assim vc iria virar lixeiro pois era melhor?

      • Daniel

        E são burros, pois, com a desoneração, aumentariam as vendas, e a arrecadação geral aumentaria, assim como aqueceria a economia (fabrica contratando mais… logo, mais pessoas com dinheiro pra comprar carro e por ai vai).

        Mas, esses malucos querem estado minimo (vendendo o patrimonio nacional a preço de banana) com impostos maximos…

        • leomix leo

          Isso mesmo Daniel, recolheria mais tributos e movimentaria a economia.

        • Danillo Santos

          Algum país de primeiro mundo se destaca por ter grandes empresas estatais?
          Argumento meramente esquerdista, sem comprovação histórica, estatística, econômica, lógica, etc… Modelos de estado máximo, centralizador, populista, estatizante, etc naufragam desde que o mundo é mundo! Não há um único caso de socialismo bem sucedido e duradouro

          • Daniel

            vou citar só dois: Alemanha e Japão.
            Se quiser pode pesquisar mais sobre outros países, principalmente na europa.

            O problema aqui no Brasil, é a corrupção. E ela é generalizada, da empresa publica a empresa privada, do dono da empresa ao mais baixo salario da empresa.

            As estatais são extremamente importantes para o país.
            Enquanto empresas privadas buscam apenas o lucro acima de tudo, as estatais funcionam para integração nacional, tem importante papel social, etc. Isso pq o objetivo de uma estatal não deve ser medido por “lucro”.
            Por exemplo: Hospitais, não podem visar apenas lucro, tem que visar atendimento com excelência mesmo para quem não pode pagar, esse é o papel social.
            Aeroportos: são para a integração e mesmo para a defesa da soberania nacional. Um aeroporto na amazonia ou na divisa do Brasil com o uruguai não tem demanda de passageiros que justifiquem manter uma cara estrutura de terminal de passageiro, controladores de trafego aereo, agentes de alfandega, etc. Mas, eles precisam estar ali.
            Quando vc passa para a mão do privado, que só visa o lucro, tudo que não der lucro vai ser retirado, e então se perde muito da segurança, atendimento social e integração nacional.
            Sobre o Petroleo, deixar o preço aos caprichos do “mercado” é extremamente perigoso para a economia, o governo tem que ter como controlar isso. Se ele não tiver uma petroleira e falar que o preço tem que ser baixo, as petroleiras vão rir dele e parar de vender, paralisando o país.
            Bancos publicos, são eles que tem que regular a economia, não precisa forçar muito a memoria pra lembrar que só houve alguma redução dos juros pra financiamento imobiliario pq o governo interveio por meio dos bancos estatais, fora isso, seriam ainda maior os recordes de lucro dos bancos a cada semestre (as custas de esfolar o cidadão que precisa de credito).

            Mas, não adianta falar isso pra alguém com pensamento tão binário e limitado “esquerda – direita” “coxinha – mortadela”, etc. E não percebe que o que temos entre os politicos é um bando de camaleão que se molda aos discursos da moda, mas que só estão preocupados em encher os bolsos. (e nada mais facil pra politico encher o bolso que uma privatização ou concessão… as comissões são gordas e muitas vezes movimentadas lá no exterior mesmo, depois que passam a ser privadas, o TCU, CGU e outros “U”s não tem mais acesso para investigar as contas, e o que sabemos é que tudo fica mais caro… e pior

            • Danillo Santos

              Alemanha e Japão se aventuraram no populismo há um certo tempo e se ferraram… Venezuela tá indo pelo mesmo caminho.
              Pra fazer integração nacional não precisa de estatais gigantescas, corruPTas e falidas. Elas só servem para barganhas políticas por cargos e esquemas de corrupção. Aliás, a política de administração da Petrobrás no governo Dilma foi desastrosa, incompetência pura. Subsidiar combustíveis é uma tolice primária, o que tem que prevalecer é o preço de mercado
              Sistema de telefonia no Brasil foi privatizada e ficou mais cara???? Ficou pior??? Qualquer adolescente pobre tem celular!!
              Enfim, apelar para o argumento da dicotomia é um recurso batido e fora de moda

              • Alemanha e Japão se ferraram? Sério kra? Como se mantém então como 3ª e 4ª economia mundial ha muitos anos, as vezes revezam mas não saem dae (O máximo que mudou ao longo dos anos é que a China entrou em 2º). O Brasil chegou a ser 7ª maior economia e hoje caiu pra 11ª. Acho que vc precisa rever seus conceitos, aliás, Alemanha e Japão continuam sendo os maiores exportadores do planeta.

                • Danillo Santos

                  Me referi a um passado trágico desses países… Mas para entender essas referências é preciso um pouco de leitura

              • Daniel

                A telefonia ficou pior (veja as empresas que mais tem reclamações no procon e ação na justiça) e ficou mais caro. Após as privatizações tivemos um pico de aumento de preços, depois veio caindo por causa dos avanços tecnologicos (surgiu a concorrencia dos sistemas VoIP e similares). Se vc pesquisar, vai descobrir que, no Brasil, temos as tarifas das mais altas do mundo para as comunicações (e tbm temos os piores serviços).
                As melhorias foram devido ao avanço da tecnologia. Antes das privatizações, nem nos EUA era comum ter celular.

                Alemanha e Japão se ferraram? Estatais = Populismo?

                A Venezuela é outra historia, acharam que o preço do petroleo só ia subir e bancar todas as despesas do país, dai veio o petroleo do xisto nos EUA, diminuiram a compra da OPEP, e a OPEP jogou o preço do petroleo lá pra baixo… Isso quebrou a Venezuela e ferrou a Petrobrás tbm. Não quebrou o Brasil igual a Venezuela pq o Brasil é muito mais solido e não depende do petroleo como a Venezuela.

                Pra prevalecer o preço de mercado, dai, mais ainda que tinha fortalecer a estatal, para evitar que o mau humor da OPEP, ou algum bombardeio em algum lugar jogue o preço nas alturas e pare o país pq os combustiveis dobraram de preço do dia pra noite…

            • Existe um certo exagero, eu acho que certas áreas não podem/devem ficar nas mãos do estado, como por ex. alta tecnologia, hoje o Brasil so tem praticamente pesquisa cientifica nas univers. públicas e as maiories compradoras dessa tecnologia são as estatais. Teria de se inspirar nos Eua por ex. nesse lado, parceria publico-privada, incentivo as empresas etc.. E no caso por ex das telecomunicações, quando era estatal sabemos que era péssimo, mas o problema não é estatal exatamente, e sim falta de concorrencia. Não pode ter apenas a empresa estatal controlando o setor, mas pode ter sim a estatal ali como concorrente, igual no caso da Telebras que tinha um projeto de levar Internet para os rincões do Brasil onde não tem a preços baixos ou gratuito no caso de escolas etc.. uma pena que nada sai do papel e a corrupção come tudo!

          • VW foi criada por HItler, portanto estatal (20% ainda pertence ao estado da Baviera), Renault ja foi estatal e ate hoje tem o estado como sócio. PSA francesa também tem parte do estado frances e da DongFeng chinesa, que por sua vez é estatal como sócia. Chery é estatal, GM em 2008 na crise tecnicamente se tornou estatal, ja que o governo comprou parte dela e também da Chrysler pra salva-las (51% no caso da GM), e emprestou também pra Ford. Na Inglaterra a MG Rover e outras eram estatais, hoje nas mãos dos chineses da SAIC (outra estatal). A Alfa Romeo era estatal, tanto que ela tinha comprado a FNM brasileira, estatal de motores do Getulio Vargas, e quando a Alfa Romeo foi vendida do estado italiano para a Fiat, esta fechou a FNM e o Brasil ficou sem montadora. A AvtoVAZ da Rússia, dona da Lada, era estatal e. venderam parte pra Renault mas ainda tem o governo como sócio. Vc perguntou qual pais se destaca por ter grandes empresas estatais? Eu respondo, China!

            • Pai Nosso

              VW foi criada por Hitler mas quem pagou a festa foi a população alemã através de um esquema tipo consórcio, que era praticamente compulsório. Depois da guerra não tinha proprietário legal; então as ações foram entregues ao estado da Baixa Saxônia (norte da Alemanha) que vendeu a maior parte no mercado de valores, conservando uma parcela por legislação específica. Renault, desapropriada em 1944 por influência de partido comunista, estava quebrada nos anos 80 e sua privatização tornou-se imperativa. PSA nunca foi estatal e a presença do governo foi imposta pelos sindicatos. GM e Chrysler estavam falidas por má administração e custos trabalhistas estratosféricos; entre causar um colapso econômico em Detroit e salvar os empregos de seus eleitores, a União preferiu emprestar o dinheiro que lhe foi devidamente devolvido quando as empresas foram saneadas pela iniciativa privada. MG Rover sob administração pública foi à bancarrota; mesmo destino da Alfa Romeo e da AutoVAZ. Os respectivos governos ficaram satisfeitissimos em livrar-se delas. Se os leitores tiverem complacência escrotal suficiente, posso abordar em outro comentário a situação chinesa.

              • Destas que vc citou praticamente todas ainda tem forte presença do Estado em suas decisões, além de sócios (no caso dos franceses e russos) veja, não estou defendendo apenas o kra pediu pra citar eu citei, praticamente todas as grandes marcas mundias tem ou tiveram influência ou apoio estatal direto ou indireto. Até mesmo os chaebol da Coréia e conglomerados japoneses tem a bençâo do Estado e créditos facilitados, acesso a mercados, etc… Agora se quiser fale da China, o modelo chines parece estar dando frutos pois as montadoras chinesas em poucos anos já estão atingindo o patamar dos grandes players.

    • Raul Pereira

      Na banânia temos dois pesos e duas medidas para tudo, depende da capacidade de uma mão lavar a outra

  • Vinicius Maciel

    Tomara que não saia essa programa protecionista. A melhor e mais rápida maneira para trazer inovação e redução de preço, que ajuda o povo, è a abertura do mercado para os importados!

  • vicegag

    Brasil e redução de imposto, nunca combinam.

    • leomix leo

      É uma utopia isso aí. Vão é aumentar mais para poder suprir suas regalias .

      • Nâo podem aumentar, é ilegal e o Brasil sofreria sanções na OMC.

  • Leonel

    Arrecadar para quê? Para encher os próprios bolsos? Porque eu não vejo o dinheiro dos impostos sendo usado para o povo. Saúde, segurança, infraestrutura (estradas e afins), ensino e etc, tudo sucateado! Se não querem fazer nada por nós, ao menos não nos atrapalhem!

  • Mauro Schramm

    O que esperar de um plano escrito a quatro mãos por governo e montadoras?

  • Fernando

    boa notícia. teremos um gap de dias ou até semanas sem tributação. bom para quem quer aproveitar para comprar por importação direta, ou aproveitar alguma eventual promoção de algum importado. tomara que o governo perca mais tempo e se enrole bastante.

    • Alexandre Volpi

      Seria utópico nesses 90 dias a Kia trazer alguns lotes do Rio e Rio Sedan com 0% IPI pra vender por pouco menos que os primos HB20/HB20S. Eu compraria sem dúvidas.

      • Fernando

        utópico? seria sensacional isso sim. estou guardando só pra ver o que vou conseguir comprar. só apostando na lentidão do governo, o que é uma aposta pra lá de segura.

        • Matheus

          Acho que ele quis dizer épico…

        • Alexandre Volpi

          Utópico no sentido de difícil acreditar. Mas complemente possível e, corroborando o que você disse, sensacional.

          No caso eu sugeri esses produtos só como exemplo, pois assim podem finalmente lançar um carro previsto desde 2011 (e que será definitivamente lançado ano que vem???) e de quebra podendo apresentar um preço inicial bem agressivo por conta da ausência desse imposto e cotas.

          Se o Rio Sedan viesse na faixa do antigo Cerato, 50-75k, certamente teria vendas excelentes.

          • O Kia Rio virá do México, então pode esperar sim valores próximos ao do Polo. Mas eu esperaria o preço daquele Suvinho deles o tal de Stonic.

            • Fernando

              pensando um pouco mais longe. mesmo que não seja a realidade da maioria e tão pouco a minha. pense em quem quer ter um camaro ou um mustang do mais caro por exemplo. hj o camaro sai por mais de 300k. Agora imagina o valor de um desses sem o super ipi e todos mais impostos. Diferença de quase metade do preço. Então vamos dizer que eu possa por importação direta comprar um mustang por, vamos supor 150k? vc imagina isso? então toda demora do governo nesse assunto pra mim é bem vinda e é lucro pra quem quiser comprar e tiver dinheiro na mão, mesmo que esses carros citados até estejam um pouco longe do meu alcance.

              • Sim sim, mas acabou de sair na Exame “….O governo prevê que, em dois anos, 25% dos carros vendidos no Brasil sejam importados..” Então é um caminho sem volta, finalmente vamos entrar na rota internacional. Pode pensar em investir sim, vamos aguardar os preços que a propria Ford vai por no Mustang, sem o Super IPI e as cotas, pra saber se importação direta compensaria mais.

              • afonso200

                vantagem pra quem quer importar independente, tenho 3 amigos que vao fechar negocio com ferrari, bentley ou aston martin nos primeiros dias de janeiro e mandar pra ca la dos EUA, pra nao pagar super imposto, vao poupar mais de 400mil e no caso da ferri mais de 600mil em imposto vao poupar

              • Daniel

                Mas, o Camaro não paga super IPI. ele vem dentro da cota.
                Alias, ninguem vende carro com super ipi. Eles preferem não vender.

            • Alexandre Volpi

              Soa como música aos ouvidos essa informação!

              Espero que a Kia faça um bom trabalho, já que produto ela tem. Já tive o antigo Cerato e sei que é um ótimo produto, embora a manutenção fosse relativamente cara à época. Poderiam até se aproveitar da fama que a Hyundai estabeleceu por aqui.

              Estou no aguardo do Rio
              Sedan, visto que o Virtus não terá (até onde sei) o 1.4TSI, e o Jetta equivalente fica a um preço proibitivo para mim. Aspirado por aspirado, ficaria com o melhor equipado daí.

              • Sim pode esperar preços bem competitivos da Kia e outras marcas, e a vinda de várias chinesas que estavam apenas aguardando a confirmação do governo. Segundo artigo da revista Exame em 2 anos espera-se que o mercado tenha 25% de importados, ou seja, os mesmos patamares de 2011 quando a Kia chegou a ser a 10ª marca mais vendida, mesmo com tudo importado. Vamos torcer para que ano que vem não entre um presidente propenso a propinas e que aceite pressão das montadoras, pq senão em 2019 isso tudo vai pro ralo.

        • De qualquer forma haverá redução, eles estão negociando se pra 10 pontos percentuais ou 15, mas não tem como manter os atuais 30 pontos ou aumentar, nem as cotas, e nem discriminar as “nacionais”, quem tem fábrica, das que importam, isso que a OMC regulou e se o Brasil manter vai sofrer sanções, o que seria péssimo agora que precisamos exportar mais.

      • Daniel

        dai eles trazem e os caras seguram no porto até passar a valer o novo imposto… hehe

    • Raul Pereira

      Difícil, do jeito que somos país tupiniquim, a fazenda barra tudo nos portos e ficamos sem abastecimento. Aqui nada funciona, mas se for pra dificultar a vida do cidadão, aí você tem alguma ação do estado.

      • Fernando

        uma vez comprado e pago, ja era. nem que demore 6 meses pra chegar. vou comprar algo descente sem pagar impostos absurdos.

        • Raul Pereira

          Ah, sim. Mas se segurarem o meninão na alfândega at[e sair uma lei, você pode acabar tendo um adicional de preço, mesmo já tendo pago. Eu sei que é ilegal, além de uma abominação fiscal, mas sabe como as coisas funcionam aqui…

    • Danillo Santos

      Aí sim hein!! 👍👍

  • Raul Pereira

    “O temor da Ministério da Fazenda e
    do governo é que haja desoneração fiscal, algo impensável para Brasília
    em suas pretensões de limitar os gastos públicos”
    Ou seja, continuamos a pagar as contas dos mais ricos (ricos de verdade, não gente que precisa trabalhar pra ganhar dinheiro). Fala isso o governo cujo CARF perdoou bilhões em dívidas de grandes conglomerados de empresas, onerando as menores; que ontem aprovou 1,7 bilhão para financiamento eleitoral de campanha; que reduz direitos trabalhistas e aposentadoria; e cujo presidente interino e toda a cúpula dos três poderes está envolvida em escândalos de corrupção desenfreada. Engraçado é que nunca mais ouvi ninguém bater panela.

  • SK15

    Segundo outras matérias que li eles estão querendo tentar implantar só no 3º trimestre de 2018 essa Rota 2030 que ta virando “Contra-mão 2030” e quando chegar em 2030 continua na contra mão, e nesse tempo enquanto a Rota 2030 não entra, vão forçar uma regra ‘intermediaria’ pra não perder a arrecadação claro. Ou seja nada ocorre feijoada tudo continuara assim e pior rumo a um popular de 100k.

  • Na verdade como não haverá aumento dos impostos no caso o super IPI, o governo não precisa obedecer a regra dos 90 dias, bom este é o entendimento jurídico. Então se até o fim do ano o Ministerio resolver manter os 30 pontos de IPI maior, ele poderia, na teoria, começando em 01 de janeiro. Mas ae esbarra na OMC e nos processos de retaliação que o Brasil possa sofrer que é ruim para as exportações, agora que o país engrenou e está exportando relativamente bem. Hoje os importados não chegam a 3% do mercado geral, se chegar a 20% ainda assim seria saudável para o país, o problema é que as “nacionais” não querem ter de lidar com livre concorrencia e carros mais atraentes/tecnológicos a preços convidativos vindo de todas as partes (leia-se principalmente China).

  • Schack Bauer

    Não duvido nada de esticarem um pouquinho mais o impostar auto da Dilma. O recurso que o Brasil apresentou na OMC pode demorar até seis meses pra ser analisado, daí basta o governo fazer corpo mole até lá…

    • Mas ae não irão arrecadar no período, a não ser que façam as pressas um programa tapa-buraco que mantenha os 30 pontos, mas seria muito amadorismo.

      • Schack Bauer

        O ponto é arrecadar os 30% a mais enquanto der, enquanto a OMC não mandar derrubar de novo, o que pode acontecer só lá pra março-abril, e não 1º de janeiro, como tá todo mundo comentando

        • Daniel

          ninguem tá pagando o 30% a mais. todos os importados são vendidos dentro da cota. Só estão vendendo menos.
          O preço só baixaria um pouco por conta de aumento de oferta, não por conta de mudança de impostos

          • Schack Bauer

            Não sei se consigo explicar em tão poucas linhas, mas mesmo vendido dentro da cota, as empresas não são obrigadas a praticar um preço específico. Se vc tem uma cota de 4800 carros por ano, você naturalmente ajusta o preço pra vender abaixo dessa cota e não pagar dinheiro pro governo. Acabando a cota, aumenta a competição e a tendência é sim cair os preços.

            • Daniel

              Foi o que eu disse. só vai baixar um pouco (se baixar), por aumento da oferta, mas os 30% de super ipi ninguem está pagando.

        • Não podem manter os 30% de IPI maior se não for dentro de uma política industrial como o Inovar, e com o fim do Inovar em dezembro, se não botarem nada no lugar, não tem como manter. Mas eles sabem que isso não é competitivo e tem de equiparar importados x nacionais, isso já foi falado, vão manter uma taxa sim mas cobrar igual e sem cotas.

  • Rodrigo

    Desapontado mas não surpreso…

    • Fernando

      desapontado? eu estou e dando graças a deus pela demora do governo.

  • Tochio

    Brasil sendo brasil !!

  • afonso200

    so resolvem as porcarias de roubalheira, mas o que é importante ninguem resolve

  • Sasaki

    O governo olha os precos que vao ficar e pensa “ue mais vai ficar mais barato os carros(coisa que nem deve acontecer)para a populacao,ta errado isso parem as maquinas”

  • Luiz Felipe S. Silva

    Espanta a falta de organização e planejamento… Desde 2011 eles sabiam que o programa ia acabar em 2018. Parece que só se lembraram que precisariam de um novo programa em julho.

  • RRN

    Fico imaginando como os altos executivos dessas e de outras empresas multinacionais olham o Brasil.
    O cara tem que decidir se investe em uma unidade em nosso país ou em outros, que envolve uma amortização de anos a frente, planejamento, investimentos, aplicação de recursos das mais diversas naturezas, assinatura de contratos, acordos regionais com sindicatos, fisco, disponibilidade de mão de obra qualificada e uma porrada de outros fatores seríssimos, mas ele não sabe se amanhã ainda vai existir o Brasil! Brincadeira.

  • octavio cesar godoy

    Esse país é feito por gente imconpetente, o melhor é sempre no bolso desses animais

  • MIN💀S

    Paísinho sem vergonha!

  • Will

    Melhor coisa que pode acontecer é não ter política nenhuma.

  • Daniel

    Na verdade, ainda estão discutindo como os fabricantes e importadores vão pagar as propinas, já que não podem mais fazer “doações para campanha”…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend