Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Rota 2030: redução de consumo deve ficar entre 10% e 12% nos próximos cinco anos

Volkswagen-Virtus-fábrica-São-Bernardo-do-Campo-7 Rota 2030: redução de consumo deve ficar entre 10% e 12% nos próximos cinco anos

O Rota 2030 é um programa automotivo que visa ter regras claras para o setor com efeito nos próximos 15 anos, mas um dos pontos que até o momento não tínhamos conhecimento era as metas de consumo para os fabricantes e importadores no Brasil. No entanto, a AEA – Associação de Engenharia Automotiva, revelou as metas propostas para a nova política.



Participante das negociações para criação do Rota 2030 a pedido do governo, a AEA esteve em mais de 130 reuniões para definir os detalhes do programa e revelou as metas propostas para redução de consumo médio nos carros vendidos no Brasil. Segundo Edson Orikassa, presidente da entidade, os limites ainda não foram definidos, mas deverão ficar entre 10% e 12%. A ideia é que o programa se baseia no que foi exigido no Inovar-Auto, que foi 12% de melhoria na eficiência energética dos veículos.

De acordo com Orikassa, mesmo mantendo o percentual de 12% para os próximos cinco anos, que é o período proposto para uma das três fases do Rota 2030, a meta será desafiadora para os fabricantes e importadores. Isso porque várias melhorias já foram introduzidas nos carros a fim de alcançarem uma redução média de 12%. Pneus de baixa resistência à rolagem, por exemplo, foi uma das alternativas para as montadoras.

Volkswagen-Virtus-fábrica-São-Bernardo-do-Campo-7 Rota 2030: redução de consumo deve ficar entre 10% e 12% nos próximos cinco anos

No entanto, para se reduzir em mais 12%, os fabricantes deverão introduzir tecnologias mais caras, como o Start&Stop, citado como exemplo por Orikassa. Ainda assim, mesmo esse dispositivo que desliga o motor com o carro parado e engatado já foi implementado por algumas marcas no país, a fim de atender exatamente ao que exigia o Inovar-Auto. Ou seja, com a nova meta, outra tecnologia terá de ser acrescentada para baixar outros 12%.

O engenheiro observa que nesse caso, mais modelos de carros terão de portar essa tecnologia para reduzir a média de consumo do portfólio de cada marca. No entanto, ele não sabe dizer quanto será a meta para as categorias de veículos. Isso é devido à criação de três grupos de categorias, sendo um para automóveis de passeio, outro para picapes e SUVs, bem como um terceiro para veículos diesel. Assim, as metas seriam traçadas de acordo com as categorias acima.

Volkswagen-Virtus-fábrica-São-Bernardo-do-Campo-7 Rota 2030: redução de consumo deve ficar entre 10% e 12% nos próximos cinco anos

Segundo Edson Orikassa, não se pode falar nessas metas sem antes saber como ocorreu a evolução dessas categorias no Inovar-Auto, que ainda não foi encerrado. Com base nesses dados, então serão definidos os objetivos para estes tipos de veículos. Estas e outras metas exigidas, deverão gerar confiança e previsibilidade no setor, o que faz a AEA acreditar no Rota 2030.

Na questão tributária, porém, a entidade não teve acesso, mas fontes revelaram aos engenheiros que a sobretaxa entre 10% e 15% para compromisso com investimentos no país está praticamente descartada, visto o caso da OMC com o Inovar-Auto e porque algumas montadoras são contra esse tipo de tributação no programa atual.

A AEA defende também o fortalecimento do setor de autopeças para dar suporte à Industria 4.0, que permitirá aos produtos nacionais alcançar o mesmo nível de países desenvolvidos, o que será de grande importância com o acordo de livre-comércio entre Mercosul e União Europeia.

COMPARTILHAR:
  • MIN💀S

    Esqueçam!!!
    Somos um povo primitivo.
    Preferimos uma conectividade com tela de 29″ do que 7 Air Bags.

    • ObservadorCWB

      E incentivo a elétricos e híbridos NADA. Painéis solares caseiros ? NADA. É só imposto, imposto e mais imposto.

      • João Holmes

        Painéis solares e inversores, ou seja o kit fotovoltaico, já são isentos de imposto de importação, ICMS e IPI. O que mais você quer, ganhar de graça?

        • Romualdo Vieira

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • leitor

          E o dólar nas alturas. Foi uma conta por outra.

        • ObservadorCWB

          Andou lendo nota do Senado de 2015 ? – (IPI), de PIS/Pasep e da Cofins – Você sabe que ICMS é estadual não ? Fale mais sobre o imposto que realmente pesa: o de Importação. A Comissão de Finanças e Tributação aprovou o Projeto de Lei 8322/14, do Senado, que isenta do imposto sobre importação os equipamentos e componentes de geração elétrica de fonte solar. Pela proposta, a isenção somente será aplicada quando não houver similar nacional0 o PROJETO DE LEI até 12/2017 ainda NÂO FOI VOTADO – está com o Miro Teixeira do RJ.Leia sobre ICMS do paraná (meu estado). Mas tire os dedos do teclado e vá colocar todo o seu telhado com célula fotovoltaica e depois volte aqui para mostrar a tabela da “isenção de impostos”.

          • João Holmes

            Já está atrasado. Tenho 18 painéis solares no meu telhado gerando 600 Kwh/mês. Inclusive já disse aqui que quero comprar um carro elétrico para melhor aproveitar essa energia. Aproveite os benefícios oferecidos e compre logo o seu. No Brasil, o preço de um kit instalado sai mais barato que nos EUA, mesmo lá podendo recuperar 30% do preço pago como dedução do imposto de renda. É tão bom para ser verdade que qualquer hora isso acaba.

            • George George

              Nos temos aqui em casa painéis solares fotovoltaicos, realmente estamos devolvendo energia para a rede elétrica e economizando para o Todinho das crianças no final do mês. Valeu o investimento!!!!
              obs: Moro no meio da roça kkkk!!!!

      • Filipe

        Alguém tem que bancar os privilégios e corrupção do Brasil!!!

  • ObservadorCWB

    Porque a JJosta do governo não melhora a qualidade do combustível ? A indústria está se lixando para as metas. No final é o consumidor que paga a conta mesmo. Precisa Start&Stop ? Agrega ao valor. Vai colocar um Kers em automóvel de rua ? Agrega ao valor e pronto. Depois o dono do FIAT descobre que a bateria original passa dos R$ 2.000,00 e vai ter saudades do seu carro um pouco mais beberão. Pessoal joga Super Trunfo e sai dizendo asneiras sobre carros.

    • Rafael Rodrigo

      Comprador de carro Zero não liga muito pra quanto vai custar o preço de peças de desgaste como bateria, suspensão, etc… Geralmente usam o carro até os 60k ou menos e colocam apenas gasolina no tanque, o próximo dono que se lasque!

  • SK15

    Das duas uma ou continua tudo na mesma (melhor hipótese) ou sobe os preços mais ainda pra por essas “novas tecnologias” que na realidade são mega velhas, de qualquer jeito a gente perde …

    O que deixa sem entender é que na Europa/EUA as metas de consumo e emissão são muito mais severas que a o do Inovar-Auto e nem essas eles conseguiram cumprir tudo é feito nas coxas e já tão chorando de não conseguir cumprir de novo.

  • João Holmes

    É fácil atingir essa meta de redução de 12% de consumo, basta poder compensar o consumo no mix de vendas com produtos híbridos e elétricos, ou seja, isso acabaria sendo um incentivo para trazer ou fabricar aqui esses veículos.

    • Danilo Melo

      “O engenheiro observa que nesse caso, mais modelos de carros terão de portar essa tecnologia para reduzir a média de consumo do portfólio de cada marca.”
      Pelo que eu entendi já é assim, se trouxerem híbridos e elétricos estaria “resolvido”. Acredito devem fazer um percentual dos carros vendidos, então vender 1000 gastão e 1 hibrido não deve resolver..

  • alex

    Esses acordos de livre comércio a toque de caixa são muito perigosos. Os EUA hoje sofrem com uma balança comercial desequilibrada com a China que está concentrando toda a produção, empregos e conseguindo muito em breve o desenvolvimento de tecnologias. Os países importadores tem como “benefício” preços mais baixos escorados em redução de impostos. Uma vantagem muito pequena ou nenhuma.

  • Franco da Silva

    Matar esses 12% será bem fácil para a GM, que segurou aquele motor mais que velho só na base das “evoluções” nos últimos anos. Mas e a VW e a Fiat, que lançaram motores bem mais eficientes?! Difícil melhorar um consumo dos 3 cilindros. Esse start/stop prometia muito e, quem testa, só diz que atrapalha e quase não muda o consumo. Só o sistema híbrido “leve” pra salvar.

    • rgrigio

      E o Fiat Fire 1.4? E os Etorqs? hehehe
      Vw com Ea-111…
      E outras…

    • Allysson Santos

      Peugeot 1.2 Puretech mandou lembranças…

      Se trazer a versão turbo dele já aposenta a 1.6 flexstart também é melhora o consumo em uns 20%

      Todas as montadoras podem fazer algo semelhante:

      Ford trazer os 1.0 e 1.5 ecoboost, Fiat trazer os Firefly turbo ( no planejamento de 2008 era para já termos os multair turbo, mas descartaram e colocaram etorq na linha inteira e depois desenvolveram os Firefly); Renault tem os 0.9 e 1.2 TCe e assim vai… A lista eh longa!

      Todas as montadoras já tem os motores com melhor eficiência, mas nem cogitam trazê-los, preferem meter gambiarra nos “feitos para o Brasil”

  • Fanjos

    Esquece essa mer#$ ai, por$%.
    Encosta essa #%&&# rachada ai num canto!

  • Marcondes Barroso de Oliveira

    Não consigo entender qual a dificuldade de escalonar imposto por consumo. A metodologia atual favorecerá as fabricantes que usam motores jurassicos (GM?), que só terão que usar as tecnologias que os concorrentes ja usam que vão cumprir a meta de 12%. Já quem andou se esforçando vai ter que usar uma tecnologia mais cara pra bater a meta. No mais, algumas pessoas falam em descontos para hibridos. Seria mais um equivoco, o desconto tem que ser baseado no consumo, afinal não há vantagem em dar desconto em um hibrido que faz 12km/l (salve engano o gm volto nos eua) e sobre taxa um carro a gasolina que faz 14km/l (como o up).

    é inacreditavel essa redução percentual:

    “No entanto, para se reduzir em mais 12%, os fabricantes deverão
    introduzir tecnologias mais caras, como o Start&Stop, citado como
    exemplo por Orikassa. Ainda assim, mesmo esse dispositivo que desliga o
    motor com o carro parado e engatado já foi implementado por algumas
    marcas no país, a fim de atender exatamente ao que exigia o Inovar-Auto.
    Ou seja, com a nova meta, outra tecnologia terá de ser acrescentada
    para baixar outros 12%.

    O engenheiro observa que nesse caso, mais
    modelos de carros terão de portar essa tecnologia para reduzir a média
    de consumo do portfólio de cada marca. No entanto, ele não sabe dizer
    quanto será a meta para as categorias de veículos. Isso é devido à
    criação de três grupos de categorias, sendo um para automóveis de
    passeio, outro para picapes e SUVs, bem como um terceiro para veículos
    diesel. Assim, as metas seriam traçadas de acordo com as categorias
    acima.”

  • Eng Turbo

    Somente esclarecendo algumas duvidas:

    1 – A meta de consumo será referente a massa do veiculo (Peso)
    2 – Montadoras que investiram em tecnologias já estão praticamente aptas a se enquadrar no Rota 2030
    3 – A média de consumo é o valor ponderado do MERCADO e não da montadora, sendo assim, a empresa que usa motores obsoletos e ineficientes terá um grande problema (R$).
    Ps: A Fiat está BEM pior que a GM, acredite se quiser
    4 – Veículos que são pesados, como SUV e Pickup ou esportivos, terão um fator de correção para se enquadrarem nas regras.
    5 – A sequencia para se atingir tal nivel de emissões/consumo, de forma simplificada é a seguinte:
    Redução do peso do veiculo, pneus verdes, arrasto aerodinamico, otimização do cambio (6,7,8 e ate mesmo 9 marchas) e por fim, somente se nada disso for o suficiente, ai sim teremos alteração nos motores, injeção direta, turbo, etc. Por que por ultimo o motor? Simples, porque ele é o que custa muito por pouco resultado, se comparado ao resto.
    6 – Existirá uma regra (Ainda não mencionada) sobre a eficiência do álcool quando comparado a gasolina, pois é possivel produzir um motor a alcool com os mesmo números de consumo e eficiência ao da gasolina, porém não há interesse nessa produção (A UNICA, usineiros, pode te explicar melhor)

    • João Holmes

      E o consumo dos veículos elétricos teria uma equivalência em km/l para efeito do cálculo da redução do consumo?

      • Eng Turbo

        A parte de elétricos e Hibricos está completamente em aberto. O governo não decidiu absolutamente nada. Eu já havia comentado aqui, o carro eletrico no Brasil será coisa de nicho, porém o hibrido com motor 100% alcool será uma realidade nos proximos anos.

  • Haroldo

    Já vejo uma enxurrada de hatch com suspensão elevada para dizer que são SUV bons no consumo… Esse pseudo hatch deveriam tem uma categoria separada. Como pode um veículo que tem como grande diferença 3cm a mais de altura do solo de um FIAT Stilo ser chamado de SUV (confere as dimensões do Stilo e do HRV, basicamente 3 cm de altura em relação ao solo a mais). Acho o HRV, Creta, Renegate, etc. muito bons, mas não são mesma categoria de CRV, Outlander, Santa fé, etc.
    O problema disso é que quem precisa de um carro maior para viagem vai pagar mais imposto para madame andar de pseudo SUV na cidade, e o consumo de combustível total que se dane…

    • Gilberto DePiento

      Na prática, os SUVs compactos como Renegade, HRV e EcoSport são meros hatches mais altos, enquanto CRV, SantaFe, Duster são peruas mais altas e com pneus maiores. Se adicionar um pouco mais de altura interna e altura do solo num Civic 10, colocar rodas grandes, temos um “SUV coupé”.

      • Haroldo

        Concordo em partes. Na origem do termo SUV tem chassis (Trailblaser, SW4), os crossovers seriam a mistura de duas categorias, não sendo simplesmente botar um pneu mais alto. Nesta categoria de crossovers eu considero o Outlander, SantaFe, Sorento. Tem os crossovers mais compactos também como IX35, Duster, Tucson antigo. O Renegate a diesel também considero por ser uma mistura com offroad. Mas Renegate a gasolina, HRV, WRV, Creta, etc são jogadas de marketing, não passam de ratch com suspensão elevada, e estes que vão se dar bem na categoria “SUV”. Daki a pouco, UNO Way, gol Rally e renault kwind viram SUV pois tem suspensão elevada…

  • Ricardo

    Temer odeia carros econômicos, terá que aumentar mais ainda os combustíveis para repor os seus rombos.

    • afonso200

      senado só anda de Azera V6

      • Ricardo

        Eles tem auxílio combustível.

  • Fabão Rocky

    poderiam n colocar álcool na nossa mijolina p/ nossos carros ficarem mais econômicos.

    • Ricardo Blume

      E acabar com essa piada de flex também.

  • Filipe

    Outro cartelzinho sem vergonha e que onera o preço dos automóveis aqui no Brasil, é o das autopeças! Tido mundo sabe mas ninguém faz nada!

    • leitor

      Já viu como é o preço das baterias de carros híbridos e elétricos? Quando precisar trocar a bateria o carro pode ser sucata. A bateria para repor será mais cara que o resto do carro todo.

  • leitor

    Os automóveis poderiam sair prontos a receber o GNV em relação a consumo, ou mesmo já instalado. A poluição é bem menos, consumo bem menos, está mais próximo que o elétrico, é um aproveitamento de um recurso natural que está pronto a ser utilizado por um bom tempo ainda.

  • FrankTesl

    Nesta reportagem do UOL
    https://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2017/12/14/brasil-promete-acordar-para-carro-eletrico-em-2018-e-para-autonomo-em-2022.htm

    fala que já foi decidido que o Rota2030 vai reduzir a alíquota de IPI dos carros elétricos para 7%? É fato ou ainda são só rumores não comprovados?

  • Ricardo Blume

    Tecnologia para essa meta de redução de consumo eles já possuem, só tomar como base o que vem sendo feito na Europa nos últimos anos. O que me preocupa é o preço que o consumidor brasileiro irá pagar por tudo isso; e como se nossos carros não fossem caros.

  • Adriano Lius II

    Vai dar na mesma, o carro gasta menos e a gasolina sobe mais. haihaihaiua.

  • Bruno Rodrigues

    Estou a espera do fim do inovar-proteconista para ver se o mercado melhora, e eu possa comprar um novo carro.
    Não sou idiota o suficiente para dar o dinheiro q estao pedindo nessas banheiras do BR.
    As vezes tenho inveja dos idiotas, acho q conseguem ser menos raivosos no BR.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email