Esportivos Hatches História Renault

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

O Renault Sandero RS é o esportivo mais acessível de nosso mercado, fruto de um pensamento diferente da marca francesa.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado
Sandero RS

A Renault finalmente acabou com um problema que vinha de longa data. Não podemos negar que grande parte dos brasileiros infelizmente não tem acesso a carros esportivos de verdade (não modelos que simplesmente tem um visual esportivado).


Seja pela falta de tradição desses automóveis em nosso mercado, pelo menos dos anos 2000 para cá, pelos preços elevados cobrados pelas marcas ou pela configuração que não se dá muito bem com o nosso território, com seus pavimentos péssimos.

Por isso, a chegada do Renault Sandero RS há alguns anos atrás foi uma surpresa muito bem vinda.

Sandero RS, uma surpresa em 2015

O Sandero RS começou a ser vendido no Brasil no fim de 2015 e se posicionou como o primeiro automóvel preparado pela Renault Sport (divisão de carros esportivos da fabricante francesa) a ser fabricado no Brasil.

Além disso, surpreendeu o fato do lançamento de uma versão RS a partir de um carro que não é exatamente um Renault legítimo – o Sandero nada mais é que um Dacia (marca romena de carros de baixo custo do grupo) com logotipos trocados e outras alterações.

Porém, apesar de todas essas diferenças, o Renault Sandero RS é um carro digno de nota e capaz de arrancar bons sorrisos daqueles que são realmente apaixonados por automóveis e apreciam uma tocada mais agressiva ao volante.

A transformação do RS

Para transformar um Renault Sandero – que na verdade é um hatch compacto popular com apelo mais familiar devido ao amplo espaço interno e que preza também pela versatilidade – em um automóvel esportivo, a marca promoveu alterações importantes sobretudo na mecânica.

O Sandero RS adotou um motor inédito que até então era encontrado somente em carros mais caros da Renault, além de novidades no câmbio, suspensão, freios, estética e acabamento interno.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

O novo modelo foi desenvolvido e desenhado pela Renault Sport em conjunto com as equipes de design e engenharia da Renault da América Latina.

Como resultado, o Sandero RS é capaz de acelerar de 0 a 100 quilômetros por hora em somente 8 segundos! O menor tempo entre os carros 0 km abaixo de R$ 70 mil.

Porém, como já é de se imaginar, o Sandero RS não foi capaz de aumentar consideravelmente as vendas do Renault Sandero no mercado.

Assim como praticamente todos os outros esportivos à venda no País, o modelo francês é um carro de nicho, feito para atender somente uma parcela dos consumidores, sem a pretensão de registrar volumes elevados de venda.

Nesse caso, o preço não é um dos grandes problemas. Conforme mostra o site da Renault no fechamento desta matéria (metade de agosto de 2018), o Sandero RS pode ser adquirido na rede de concessionárias por R$ 66.490.

Para efeito de comparação, o Sandero GT Line é vendido por R$ 59,5 mil. Este modelo é um dos “esportivados” à venda no mercado, com apelo agressivo somente no visual. Ou seja, por quase R$ 7 mil a mais você leva um outro Sandero, mas com conjunto mecânico mais afiado e interior com acabamento exclusivo.

Ainda como comparação, entre os carros compactos com apelo diferenciado, há o Chevrolet Onix Activ, que em sua configuração com câmbio manual de R$ 62.990.

Tudo bem que este tipo de carro atende um público totalmente diferente, que visa um veículo mais confortável para o dia-a-dia. Porém, ainda assim são compactos e com preços diferentes, sendo que neste caso trata-se apenas de uma versão com decoração exclusiva.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – detalhes

Na parte estética, o Renault Sandero RS não esconde as origens. Todo o conjunto é bastante semelhante com o do Sandero convencional. Em contrapartida, o hatch esportivo traz uma série de adereços para denunciar sua experiência diferenciada ao volante logo de cara.

Ele é dotado de um para-choque dianteiro mais agressivo, marcado com lâminas que lembram a máscara dianteira usada nos carros de Fórmula 1; faróis com máscara negra; grade com desenho interno exclusivo e a inscrição “R.S.” na parte central e luzes diurnas em LED como exclusividade na gama Sandero.

Nas laterais, as diferenciações ficam por conta das rodas de liga-leve de 16 polegadas do tipo Pit Lane ou as de 17 polegadas do tipo Grand Prix (opcionais), saias, faixas na parte inferior das portas, capa dos retrovisores pintadas na mesma cor preta das rodas, entre outros.

Já a traseira exibe um aerofólio bastante pronunciado. Esta peça consegue melhorar a estabilidade e a aerodinâmica.

De acordo com a Renault, o aerofólio do Sandero R.S. permite mais 25 kg de “downforce” em alta velocidade.

Há também um difusor de ar também inspirado nos carros de Fórmula 1, dupla saída de escape do lado esquerdo e emblemas R.S..

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Pulando para o interior do Sandero RS, há também um retrabalho em boa parte das peças para seguir com a aparência de um carro verdadeiramente esportivo. Os bancos são exclusivos, com desenho específico para os dianteiros que conseguem oferecer sustentação lateral diferenciada, algo que contribui sobretudo em curvas.

Eles são dotados ainda de apoios de cabeça com a assinatura “R.S.”. O revestimento traz tecido em dois tons de cinza, com pespontos na cor vermelha e uma faixa vertical igualmente vermelha na parte central.

Além disso, o volante do Sandero RS é exclusivo, com diâmetro 10 milímetros menor que o do Sandero Dynamique. Ele traz revestimento em couro preto pespontado em vermelho. A tonalidade vermelha está presente no painel de instrumentos, que exibe ainda itens em cinza e preto.

Há também mostradores do painel, saídas de ar e maçanetas na cor Dark Metal. As pedaleiras são de alumínio e incluem ainda um descanso para o pé esquerdo do motorista.

De resto, o Sandero RS segue o mesmo padrão do Sandero convencional.

O acabamento interno, inclusive, traz plástico por todos os lados e não mostra muito esmero. Sendo assim, não espere por muito refinamento, mesmo num carro que custa acima de R$ 66 mil.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – novidades

Lançamento do Sandero RS no Brasil

A Renault anunciou a chegada do Sandero RS ao mercado brasileiro em setembro de 2015, dois meses após ter sido apresentado no Salão do Automóvel de Buenos Aires, na Argentina. O novo hatch compacto mais “apimentado”, fabricado em São José dos Pinhais (PR), foi comercializado por aqui com preço inicial de R$ 58.880.

Na época, o único equipamento opcional disponibilizado na gama do Sandero RS eram as rodas de liga-leve de 17 polegadas com pneus 205/45, ofertadas por R$ 1 mil a mais.

O único e principal concorrente do Sandero RS era o Fiat Punto T-Jet, que já saiu de linha. Ele era mais refinado, com preço de R$ 67.010 e um motor 1.4 litro turbo de quatro cilindros capaz de gerar até 152 cavalos de potência, atrelado a uma transmissão manual de cinco velocidades.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS Grand Prix Concept para o Salão do Automóvel

Durante o Salão do Automóvel de São Paulo de 2016, uma das atrações da Renault foi o novo Sandero RS Grand Prix Concept.

Como o próprio nome indica, trata-se de uma versão conceitual baseada no hatch compacto que tinha como inspiração o Lotus 97T de Fórmula 1 usado por Ayrton Senna em sua primeira corrida na categoria, em 21 de abril de 1985, em Portugal.

Desenhado pelo estúdio de design da Renault em São Paulo, o Sandero RS Grand Prix Concept contava com pintura dourada nas pinças de freio, friso dos para-choques, capa dos espelhos retrovisores, difusor de ar traseiro e faixas laterais.

Estas, inclusive, eram exclusivas com o nome “Renault Sport” e o número 12 usado por Senna no Lotus. O número estava presente também na traseira.

Por dentro, este Sandero RS especial repetia o motivo em preto e dourado. Havia ainda bancos revestidos em couro do tipo matelassé e pespontos dourados. Entretanto, este modelo nunca chegou à linha de produção – embora seja bastante interessante.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Nova série especial Sandero RS Racing Spirit

A última grande novidade da gama Renault Sandero RS é a série especial Racing Spirit, anunciada em maio de 2017. Ele foi anunciado como um modelo limitado a 1,5 mil exemplares e ainda continua disponível no configurador online da marca, o que indica que nem todas as unidades foram comercializadas.

Entre as novidades, o Renault Sandero RS Racing Spirit, ou RS RS RS ;) trazia rodas de liga-leve de 17 polegadas calçadas com pneus Michelin Pilot Sport 4 205/45 R17, o mesmo usado em modelos premium como Mercedes-AMG A 45, CLA 45 e GLA 45, além do Maserati Gran Turismo. Interessante, não?

Fora isso, ele conta com uma série de itens pintados em um vermelho bastante chamativo, como é o caso dos frisos dos para-choques, pinças de freio, calotas centrais das rodas, capa dos retrovisores, faixas na parte inferior das portas, entre outros.

Já no interior, a novidade fica por conta também de detalhes vermelhos, que neste caso podem ser encontrados nas soleiras de porta, moldura das saídas de ar nas extremidades do painel, anel central do painel de instrumentos e faixas dos bancos.

Há ainda teto com revestimento em tecido escurecido ao invés do cinza presente no Sandero RS convencional. Outro detalhe exclusivo é uma plaqueta numerada de 1/1500 a 1500/1500 e com o desenho do circuito tcheco de Brno, que fez parte do calendário da Renault Sport Series.

De resto, o carro segue o mesmo padrão do RS normal. Ele foi lançado com preço de R$ 66.400.

Entretanto, agora ele está disponível nas concessionárias por R$ 69.930.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – versões e equipamentos

Renault Sandero RS 2.0: equipado de série com airbag do motorista, airbag do passageiro, freio a disco nas quatro rodas com ABS, Isofix para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro, controle eletrônico de estabilidade, controle eletrônico de tração, assistente de partida em rampas, alarme perimétrico, alerta de não uso do cinto de segurança do motorista, coluna central com acabamento na cor preta, maçanetas na cor do carro, maçanetas internas cromadas, adesivos laterais, retrovisores em preto brilhante, volante revestido em couro, vidros dianteiros e traseiros elétricos com função one touch e sistema antiesmagamento e indicador de troca de marcha.

Há ainda computador de bordo, limpador e desembaçador do vidro traseiro, sistema multimídia Media NAV com tela sensível ao toque de sete polegadas e navegador GPS, sensor de estacionamento traseiro, câmera de ré, ar-condicionado automático, comando de satélite no volante, banco traseiro rebatível, travas elétricas, retrovisores elétricos com indicadores de direção, direção eletro-hidráulica, volante com regulagem de altura, modos de condução, rodas de liga-leve de 16 polegadas “Pit Lane”, luzes de condução diurna em LED, soleiras nas portas dianteiras, banco do motorista com regulagem de altura, sistema de som com quatro alto-falantes, entre outros.

Como opcional, há as rodas de liga-leve de 17 polegadas “Grand Prix” por R$ 1 mil a mais.

Renault Sandero RS Racing Spirit 2.0: sai de fábrica com os mesmos recursos do modelo de entrada, mas se diferencia pelas rodas de liga-leve de 17 polegadas “Grand Prix” calçadas com pneus PS4 Michelin, pinças de freio pintadas em vermelho, monograma “R.S.”, capa dos retrovisores pintadas em vermelho, calota central das portas em vermelho, adesivos laterais exclusivos, para-choques com friso central em vermelho, revestimento interno do teto na cor preta, detalhes de acabamento vermelho, entre outros.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – preços

  • Renault Sandero RS 2.0: de R$ 47.769 (2015) a R$ 59.012 (2018)
  • Renault Sandero RS Racing Spirit 2.0: de R$ 58.745 (2017) a R$ 60.545 (2018)
  • Renault Sandero RS 2.0: R$ 66.490 (0 km)
  • Renault Sandero RS Racing Spirit 2.0: R$ 69.390 (0 km)

Preços com base na Tabela Fipe em agosto de 2018

Sandero RS – motor, câmbio e desempenho

Esses são, sem dúvidas, os pontos mais interessantes do Sandero RS. As duas configurações do hatch esportivo são equipadas com o mesmo motor das versões mais caras do Duster. Trata-se de um 2.0 litros flex F4R de quatro cilindros e 16 válvulas. Porém, ele recebeu algumas mudanças para ser usado no compacto.

Entre essas alterações, há um coletor de admissão com dutos mais largos em 20%, pressão de injeção ampliada para 4,2 bar, mapas da ECU redesenhados, novo sistema de escape com 5 mm a mais no diâmetro, dupla ponteira e silenciador esportivo, entre outros.

Com isso, o Sandero RS é capaz de desenvolver 145 cavalos de potência com gasolina e 150 cv com etanol, a 5.750 rpm. Já o torque é de 20,2 e 20,9 kgfm, respectivamente, a 4.000 rpm.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Ele está associado ao câmbio manual TL4 093 de seis velocidades, todas elas sincronizadas. Para o Sandero RS, esta caixa foi retrabalhada e recebeu um reescalonamento das marchas, com a terceira e quarta marcha encurtada.

Como resultado, o novo Sandero RS consegue acelerar de 0 a 100 km/h em somente oito segundos. Já a velocidade máxima é de 202 km/h.

Há ainda o sistema R.S. Drive de modos de condução, que pode ser alterado por meio de um botão no console central do painel. Há o modo Standard (ESP fica ligado e o indicador de trocas de marchas prioriza uma tocada mais esportiva), Sport (ronco do motor mais esportivo, pedal de acelerador mais ágil, desaceleração mais lenta, marcha-lenta ampliada para 950 rpm e alerta sonoro de trocas de marcha) e Sport+ (itens do Sport, mais desligamento dos controles de tração e estabilidade).

Ainda na mecânica do Sandero RS, há uma suspensão mais esportiva, com barras estabilizadoras frontais 17% mais rígidas, eixo traseiro 65% mais rígido, novas molas mais firmes em 92% na frente e 10% atrás, amortecedores hidráulicos exclusivos com batentes em poliuretano e distância do solo 26 mm menor.

O sistema de frenagem do RS também é novo. Há um pedal com curso mais curto. Trata-se ainda do primeiro Sandero a usar freios a disco nas quatro rodas, com 280 mm na frente (22 mm a mais que os do Sandero Dynamique) e 240 mm atrás.

A direção é eletro-hidráulica, com fluxo de óleo gerenciado por uma bomba elétrica, que atua independentemente da velocidade do motor. Deste modo, a necessidade de assistência é determinada conforme a velocidade do carro.

Ele oferece também outros itens exclusivos da linha Sandero, como o assistente de partida em rampas (que entra em ação quando o carro encontra-se em uma inclinação superior a 3º) e controles eletrônicos de estabilidade e tração.

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – consumo

  • Consumo na cidade – 6,9 km/l com álcool e 9,9 km/l com gasolina
  • Consumo estrada – 7,7 km/l com álcool e 11,1 km/l com gasolina

Sandero RS – manutenção e revisões

Ao contrário do que acontece com as versões convencionais da linha Sandero, o Renault Sandero R.S. tem um pós-venda diferenciado. Nesse caso, as revisões são mais curtas, realizadas a cada 8 mil quilômetros rodados. Sendo assim, para beirar os 60 mil km, o carro precisa de uma revisão a mais, totalizando sete revisões, sendo que a última delas é de 56 mil km.

Entre as revisões, a mais cara é a de 32 mil quilômetros, que inclui a troca de itens como anel de vedação, filtros de combustível, ar, óleo e habitáculo, substituição do óleo lubrificante 5W30 e velas de ignição, além da checagem de freios, verificação de 40 pontos de controle, diagnóstico eletrônico Renault e mão de obra especializada.

Ao todo, as sete revisões totalizam R$ 3.850,60, um valor até que competitivo em relação aos hatches compactos tradicionais.

Confira abaixo as revisões do Sandero RS 2.0:

Revisão

Custo

Quilometragem

Preços

8.000 km

R$ 513,50

16.000 km

R$ 492,80

24.000 km

R$ 513,50

32.000 km

R$ 645,40

40.000 km

R$ 534,20

48.000 km

R$ 534,20

56.000 km

R$ 617,00

Total

R$ 3.850,60

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado

Sandero RS – ficha técnica

Motor

2.0 16V

Tipo

Dianteiro, transversal e flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

1.998

Válvulas

16

Taxa de compressão

11,2:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

150 cv a 5.750 rpm

Torque Máximo

20,9 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de seis marchas com embreagem monodisco a seco

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Eletro-hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 16 polegadas

Pneus

195/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.068

Largura (mm)

1.733

Altura (mm)

1.499

Distância entre os eixos (mm)

2.590

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

458

Tanque (litros)

50

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.161

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,35

Sandero RS – galeria de fotos

Sandero RS: todos os detalhes do esportivo mais barato do mercado
Nota média 5 de 2 votos

  • luis

    Tive um RS durante 2 anos, infelizmente tive de vendê-lo devido a problemas financeiros. O carro é realmente especial, dirigibilidade incrível e suspensão muito boa. Carro muito rápido e de grande agilidade, porém achei o consumo exagerado, o que acaba não sendo um grande problema. Parabéns a renault pelo excelente carro. quem sabe futuramente não irei comprar um outro RS e quem sabe já com o motor turbinado.

    • Lucas

      O consumo é alto, mas pelo desempenho do carro até que não é tão ruim não

    • Rodrigo

      A não ser que tenha ficado sem carro, não vejo vantagem em trocar por outro carro, o Sandero (mesmo na versão RS) tem a manutenção barata.

  • Guilhe

    A Renault poderia ter lançado um RS sem firulas, pra quem realmente quer explorar o carro nas pistas, poderia ter rodas de aço, sem AC automático(ou sem AC mesmo), bancos sem essas costuras diferenciadas, sem adesivos, sem pisca no retrovisor, sem DRL, sem CMM. Eu arriscaria comprar por uns 50-55k.

    • catucadão

      concordo tipo um carro para track day ou alguma categoria de base…

    • Creio que nunca lançariam uma versão assim, pois do jeito que é nosso mercado, isso queimaria o filme do carro como versão topo de linha e toda “chique” Renault Sport. Aqui não temos essa cultura de um carro pelado de fábrica só para andar em track day e similares.

      • TchauQueridos

        Não temos essa “cultura” principalmente pelos altos preços dos carros eo baixo poder aquisitivo da população.
        Diferente de mercados de primeiro mundo, onde um Camaro custa 15 salários mínimos nos EUA por ex.
        No Brasil “apenas” 335 salários mínimos.

    • Helder

      A ideia eh excelente , mas aqui o sanderão rs da massa normal , já vende pouco , imagina esse pra track day ? Não temos público pra isso infelizmente

  • catucadão

    esse carro é muito daora… vi de perto é lindo mesmo

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    A matéria faltou mencionar o Peugeot 208 GT como concorrente atual dele não só o extinto Punto TJet.

    • FREDRED

      Não falou pq são carros abaixo de 70 mil.

  • Ricardo

    Único defeito do Sandero RS é ser da Renault. Espero que o Polo GTS venha com a opção manual para competir.

  • FREDRED

    208 Gt e Sandero RS não são carros usados para o dia-a-dia, são direcionados para um público que tem pelo menos 2 carros na garagem(tirando os mais jovens e solteiros) , tipo o do marido, e da esposa uma SUV, Cross etc que esse seria usado para viagens e idas a mercados, shopping etc.

    • Joao Santos

      Eu uso meu Sandero RS no dia a dia. Sou casado, tenho duas crianças pequenas e elas adoram o carro. Já ultrapassei os 100.000km nele e até agora só alegria, muita alegria.

      • Ivan Garcia Donoso

        Eu tenho um Racing Spirit e uso no dia a dia, carro muito divertido, assusta muitos carros beemm mais caros na estrada :)

  • poderiam ter caprichado um pouco na potencia do motor, o mesmo passava dos 170 cv no velho clio rs
    ao final nem aumentou tanto assim, achei que fosse mais caro atualmente

    • Samluzbh

      Tem fanáticos tirando 300cv desse motor!

  • REDDINGTON

    Um carro de nicho, como tal vende MUITO pouco, mas quem tem gosta.

    • Filipe Augustus

      Não sei se vende tão pouco assim, quase todo dia eu vejo algum na rua!!!!!

      • REDDINGTON

        A Renault esperava vender 200 ao mês, vende menos de…60. Vc considera esse valor ao menos razoável??? Eu não. BEM abaixo do que era esperado certo!

        • Filipe Augustus

          Eu não considero nada, só disse que eu vejo o carro todo dia na rua! Vai saber se os 60 vendidos são tudo onde eu ando uahuauhauhuha

          • REDDINGTON

            Kkkkkk boa.

  • André Ferreira

    minha próxima aquisição será um 208 GT, se não fosse esse, certamente seria o RS, o carrinho é muito divertido de dirigir e por menos de 70k vc vai enxergar 90% da frota brasileira pelo retrovisor.

    • Ivan Garcia Donoso

      Pura verdade ! Tenho um e é isso mesmo!

  • JCosta

    Conjunto mecânico interessante, sem falar que o Sandero tem o design mais acertado entre os veículos “de entrada” à venda no Brasil.

  • Alexandro Vieira Lopes

    adorei o desing do grand prix
    esse aí dá vontade de comprar!

  • Cromo

    Eu prefiro um Logan RS a um Sandero RS. Seria fácil e barato para a Renault fazê-lo, inclusive justificaria + o investimento em desenvolver estes RS.

  • Alvaro

    Um excelente carro, perfeito para sua proposta de ser um carro de entrada invocado. Um único detalhe que particularmente desagrada é esses adesivos nas laterais de gosto duvidoso no meu ver. O detalhe sutil do “RS” na grade e “Renault Sport” na saia lateral já são mais que suficientes. Um carro desse não precisa provar nada! Deixa isso para as versões “esportivadas”.
    Embora imagino que o consumidor não espera discrição, quer todos os apetrechos visuais para demonstrar que é um carro topo de linha e que pagou a mais por isso.

    No próximo facelift (se ainda eles manterem o RS), poderiam eliminar esses adesivos mas colocar os leds com disposição do quadriculado da bandeira como nos irmãos Megane e Clio RS.

    • Filipe Augustus

      E lançar aquele amarelo metálico como opção de cor tbm!

    • th!nk.t4nk

      Tô aqui tentando entender como é que um bateu-morreu com péssimo isolamento acústico e ergonomia sofrível possa ser “um excelente carro”. É rápido, mas só isso mesmo.

      • Alvaro

        Como falei, está excelente dentro da sua proposta, um colírio para saudosistas de hot hatches derivados de carros populares, considero muito mais carro que os Sporting da vida. E só. Mais por falta de concorrente para comparação e o seu preço razoável pelo conjunto que o carro acaba levando a excelência na minha opinião pessoal. Com certeza, mudaria se tivéssemos mais opções como um Polo GTi, Argo T-Jet, Fiesta RS e etc…

      • Joao Santos

        É um carro muito gostoso de dirigir. A questão do isolamento acústico só me perturbou depois que fiz uma viagem nele ao nordeste, depois de rodar mais de 3000 km o barulho constante na cabine começou a dar dor de cabeça. No dia a dia não me incomoda. A ergonomia é ruim mesmo, mas ajustando bem o banco e o volante dá para tolerar. O banco me veste muito bem por sinal. O carro tem muito para melhorar se a Renault quiser, mas do jeito que está ainda me arranca sorrisos.

      • Ivan Garcia Donoso

        Bater carros é para quem não sabe dirigir e quem compra RS COM CERTEZA sabe dirigir ou compraria um “esportivo de adesivos”

  • el punidor

    Nunca nenhuma publicação ou site chegou perto desses aclamados 8 segundos. Parece propaganda paga!!

    • Ivan Garcia Donoso

      Fiz várias vezes 0 a 100 em 8 s. Com álcool e no modo sport ativado aferido no GPS, cheguei até a fazer 7,8s., As revistas testam na gasolina e no “modo normal”

  • coice de mula

    Esse carro é o “mustanguinho” dos pequenos brasileiros. o Racing S´pirit é Sensacional!!
    Ando o dia inteiro na cidade, pra tudo que é lado. Não tem pra ninguém, nem pra motos!! O gasto em combustível justifica o ganho de tempo.
    É o maior papa múmia do trânsito!!! Detalhe, gasto menos com alcool do que com gasolina.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email