Hatches Matérias NA Renault

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

O Sandero Stepway surgiu como uma versão do hatch francês, destinado a competir no segmento dos chamados aventureiros urbanos.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)


Seu relativo sucesso no Brasil veio com a mesma receita usada pelo Sandero, ou seja, oferecer um modelo honesto, robusto e com bom espaço interno.

Além disso, seu visual diferenciado cativou muitos que procuravam um compacto estiloso, capaz de enfrentar com mais facilidade as dificuldades “off-road” das péssimas vias brasileiras.

Sandero Stepway – história e detalhes

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

O Sandero foi lançado no Brasil no final de 2007, ocasião onde ainda não existia o Sandero Stepway. Ele chegou aqui depois de aparecer no Salão de Frankfurt daquele mesmo ano. Ele veio como produto de uma parceria entre a engenharia da marca no Brasil e na Romênia (onde são vendidos pela marca Dacia).

Com objetivo claro de ser um hatch compacto para mercados em desenvolvimento, como é o caso dos países no Leste Europeu e na América Latina, o Sandero chegou para substituir o Clio e ser o principal produto da marca por aqui.

Apesar de manter o Clio como um modelo de entrada, a Renault apostava forte no Sandero. Suas vantagens eram claras, pois ele continuava sendo um modelo com bom custo-benefício e com um espaço interno muito melhor, algo que sempre foi criticado em relação ao antecessor.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

Apesar de ser meio grandalhão e não muito carismático, o Sandero logo se tornou uma opção interessante para os brasileiros, em parte devido a seu amplo espaço interno, e esse sucesso se refletia nas vendas. Aliás, é assim até hoje.

Em 2017, por exemplo, ele emplacou 67.344 unidades no Brasil, terminando o ano como o 6º carro mais vendido.

Parte disso se deve à grande variedade de versões oferecidas pela Renault, sendo o Sandero Stepway uma das principais. Tanto é que a marca costuma se referir a essa versão como um modelo independente, o Renault Stepway, apesar de suas diferenças serem apenas estéticas.

Stepway na onda dos aventureiros urbanos

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

A chegada do Sandero Stepway ocorreu em outubro de 2008, pouco tempo depois do lançamento do hatch em nosso mercado. Sua missão era enfrentar vários concorrentes que estavam no segmento dos aventureiros urbanos há mais tempo, principalmente o VW Crossfox.

Como todo veículo com apelo off-road, o Sandero Stepway não economizava nos detalhes visuais que o diferenciavam das versões convencionais. A dianteira recebeu para-choque imitando o formato de um quebra-mato, e a traseira ficou mais encorpada.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

O uso de apliques plásticos era visto em toda a carroceria, que também tinha a opção de vir com adesivos de diferentes temas (incluindo as opções Eletronick, Flower, GPS, Sport, Street e Tattoo).

Estribos, molduras laterais, rack de teto, faróis com máscara negra e rodas de 16 polegadas completavam o visual externo.

A verdade é que os modelos com apelo off-road não tinham nenhuma capacidade real para enfrentar as piores estradas de terra ou trilhas, mas sua suspensão elevada (com 185 mm de altura do solo, no caso do Sandero Stepway) acabava sendo muito útil para as vias urbanas brasileiras, tão malcuidadas que nos fazem lembrar de trilhas dignas de um Troller.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

E, convenhamos, o visual da versão Stepway deu ao Sandero algo que as versões comuns não tinham: personalidade. Junte isso ao bom conjunto mecânico do modelo, seu espaço interno e a robustez conhecida dos modelos da Renault, e passamos a entender alguns dos motivos que levavam muitos a colocar um Stepway na garagem.

O único motor disponível para o Sandero Stepway, naquela época, era o 1.6 16V Hi-Flex, que entregava 110/112 cv e 15,1/15,5 kgfm de torque, associado a um câmbio manual de cinco marchas.

Seu preço de lançamento começava em R$ 43.490.

Veja também tudo sobre o Sandero RS.

Sandero Stepway – novidades ao longo dos anos

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

O tempo foi passando, e a ideia do público sobre um modelo desse tipo continuou praticamente a mesma.

O que mudou, na verdade, foi a força da concorrência, especialmente com a chegada da dupla Chevrolet Onix e Hyundai HB20 (ambos receberiam, mais tarde, suas versões aventureiras Activ e HB20X).

Ainda em sua primeira geração, o Sandero Stepway recebeu novidades que lhe deram mais fôlego diante dessa forte concorrência. Em sua linha 2013/2014, por exemplo, o modelo passou a contar com o novo motor 1.6 8V Hi-Power, que vinha em sua versão de entrada, com 98/106 cv e 14,5/15,5 kgfm de torque.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

Além disso, nesse ano os retrovisores e maçanetas externas passaram a vir na mesma cor da carroceria, enquanto as saídas de ar no interior eram pintadas de vermelho. Algumas versões especiais foram lançadas, como a Stepway Rip Curl e Stepway Tweed, esta última limitada a apenas 1.900 unidades.

O Sandero Stepway Tweed veio apenas com alterações estéticas, como o padrão xadrez nas laterais dos bancos e nas portas e um contraste de cores no painel de instrumentos. No exterior, o modelo vinha apenas nas cores branco ou preto, com detalhes que também contrastavam com a cor da carroceria.

Nova geração do Sandero Stepway chega com grandes melhorias

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

A principal novidade, porém, ocorreu quando o Sandero ganhou a sua segunda geração. Ela foi  lançada na Europa pela Dacia em 2012, mas acabou chegando ao Brasil apenas em junho de 2014.

Apesar da demora, quem queria o Sandero viu que valeu a pena esperar.

O novo hatch manteve suas boas características e melhorou exatamente onde deveria, como, por exemplo, no visual. Na dianteira, ele recebeu novos faróis com dupla parábola, grade com destaque para o símbolo da Renault e vários detalhes cromados.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

A lateral ficou um pouco mais ousada com os vincos na parte inferior, enquanto a traseira recebeu novas lanternas. Já o interior, talvez a parte mais insossa da primeira geração, ficou bem mais moderno.

Vários comandos foram reposicionados e o painel de instrumentos também foi atualizado, deixando de ter instrumentos com leitura confusa.

E o que dizer do espaço interno?

Esse sempre foi um dos pontos altos do Sandero, e a segunda geração apenas acentuou essa qualidade. Com entre-eixos de 2,59 m e 1,54 m de altura, o hatch levava com tranquilidade seus cinco ocupantes.

As bagagens também cabiam tranquilamente, já que o porta-malas continuava sendo um dos melhores do segmento, com seus 320 litros.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

Três meses depois, tudo isso chegou ao novo Sandero Stepway, que foi apresentado ao público no Salão do Automóvel de São Paulo de 2014. O modelo vinha com 190 mm de altura do solo, algo importante mesmo dentro da cidade (e um item interessante para quem gosta de dirigir numa posição mais alta).

A lista de itens do Sandero Stepway também melhorava, já que ele vinha com central Media NAV 1.2, piloto automático, sensor de estacionamento e ar-condicionado automático como itens de série. Além disso, como parte de uma ação em seu lançamento, o modelo ganhava ainda a câmera de ré.

O motor utilizado era o 1.6 8V Hi-Power, associado ao câmbio manual ou automatizado, ambos com cinco marchas. Na época, o sucesso do Sandero Stepway era muito grande. A versão respondia por 30% das vendas gerais do Sandero e já havia acumulado 100.000 unidades vendidas desde o seu lançamento.

Tecnologia também evolui

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

Nos anos seguintes a Renault continuou evoluindo alguns aspectos do Sandero Stepway, como seu lado tecnológico. Em meados de 2015, por exemplo, a versão aventureira ganhou a central Media NAV Evolution, que já equipava o novo Duster.

Esse sistema de navegação e entretenimento vinha com tela sensível ao toque de 7 polegadas e várias funções, como GPS, Bluetooth e rádio. Além disso, a central podia dar informações do trânsito em tempo real e sugestões de pontos de interesse nas proximidades, através do aplicativo Aha.

Seu uso era bem intuitivo, em parte pelos grandes ícones na tela inicial. Apesar disso, porém, as funções do equipamento no Sandero Stepway acabavam sendo um pouco limitadas, perdendo nesse quesito para outras centrais multimídias em modelos concorrentes.

Versão especial Rip Curl volta ao Sandero Stepway

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

Em novembro de 2015, a Renault decidiu trazer de volta a versão especial Rip Curl, limitada a 4.600 unidades e feita em parceria com a marca australiana de moda surfwear.

Visualmente, a versão do Sandero Stepway se diferenciava pela cor cinza inox nos retrovisores, rodas e barras no teto, além de alguns adesivos na lateral. Por dentro, os bancos tinham um revestimento exclusivo inspirado no neoprene, com detalhes em vermelho.

A mesma cor era vista nas saídas de ar e no velocímetro.

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

O motor continuava sendo o 1.6 8V Hi-Power, e os únicos opcionais oferecidos eram o câmbio automatizado Easy’R e as rodas de liga leve.

Novos motores Renault trazem economia de até 21%

No final de 2016, a Renault apresentou uma importante melhoria em sua gama de motores (incluindo as opções 1.0 e 1.6), e isso afetou também a linha do Sandero Stepway.

Chamados de SCe (Smart Control Efficiency), os novos propulsores traziam uma economia de até 21%. Além disso, a marca divulgava um detalhe interessante: os novos motores seriam lançados primeiro no Brasil, para depois seguir para a Europa.

No caso do Sandero Stepway, o novo motor utilizado foi o 1.6 16V SCe, que trouxe mais potência que o anterior 1.6 8V. Ela subiu de 98/106 cv para 115/118 cv, o que o levava de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos. Além do câmbio manual, o hatch aventureiro também poderia contar com o automatizado Easy-R (que havia sido incorporado à linha em 2014).

Sandero Stepway – versões

  • Renault Sandero Stepway Expression 1.6 16V
  • Renault Sandero Stepway Dynamique 1.6 16V

Cores disponíveis: Vermelho vivo (sólida); Branco Glacier (R$ 650); Prata Étoile, Laranja Ocre, Vermelho Fogo, Cinza Acier e Preto Nacré (R$ 1.400).

Sandero Stepway – equipamentos

Renault Sandero Stepway Expression 1.6 16V – motor 1.6 16V SCe, de 118 cv e 16 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas ou automatizado Easy’R.

ITENS DE SÉRIE: Air bag do condutor, Air bag do passageiro, Alarme perimétrico, Alerta do cinto de segurança do motorista, Ar-condicionado, Banco traseiro rebatível 1/1, Barras longitudinais, Coluna central com acabamento na cor preta, Comando de satélite no volante, Computador de bordo, Desembaçador do vidro traseiro, Direção Eletro – hidráulica, ESM – sistema de regeneração de energia, Farol de Neblina, Fechamento pela chave, vidros traseiros com função one touch e sistema antiesmagamento, Freios ABS, Iluminação do porta – malas, Indicador de troca de marcha, Isofix, Limpador do Vidro Traseiro, Luz permanente no painel, Maçanetas internas cromadas, Maçanetas na cor da carroceria, RADIO 2DIN, MP3, USB, entrada auxiliar/iPod e Bluetooth, Retrovisor na cor da carroceria, Retrovisores elétricos com repetidores, Sensor de estacionamento, Sistema CAR, Sistema Stop & Start, Travas Elétricas, Vidros dianteiros com função one touch e sistema antiesmagamento, Volante com regulagem em altura.

Renault Sandero Stepway Dynamique 1.6 16V – motor 1.6 16V SCe, de 118 cv e 16 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas ou automatizado Easy’R.

ITENS DE SÉRIE: Air bag do condutor, Air bag do passageiro, Alarme perimétrico, Alerta do cinto de segurança do motorista, Ar-condicionado Automático, Banco traseiro rebatível 1/3 – 2/3, Barras longitudinais, Coluna central com acabamento na cor preta, Comando de satélite no volante, Computador de bordo, Desembaçador do vidro traseiro, Direção Eletro – hidráulica, ESM – sistema de regeneração de energia, ESP + HSA (controle eletrônico de estabilidade/assistente de arrancada em subida), Farol de Neblina, Fechamento pela chave, vidros traseiros com função one touch e sistema antiesmagamento, Freios ABS, Iluminação do porta-malas, Indicador de troca de marcha, Isofix, Limpador do Vidro Traseiro, Luz permanente no painel, Maçanetas internas cromadas, Maçanetas na cor da carroceria, Retrovisor na cor da carroceria, Retrovisores elétricos com repetidores, Sensor e câmera de ré, Sistema CAR, Sistema multimídia Media NAV com tela touchscreen 7’’ e navegação GPS, Sistema Stop & Start, Travas Elétricas, Vidros dianteiros com função one touch e sistema antiesmagamento, Volante com regulagem em altura, Volante revestido em couro.

OPCIONAIS: Banco revestido com couro (R$ 1.200), Rodas em liga leve aro 16″ Panache (R$ 900).

Sandero Stepway – preço

  • Renault Sandero Stepway Expression 1.6 16V – R$ 61.490
  • Renault Sandero Stepway Dynamique 1.6 16V – R$ 64.490

Sandero Stepway – câmbio, motor e desempenho

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)

A linha 2013 do Sandero Stepway foi a que ganhou a primeira grande novidade em termos de mecânica. Isso aconteceu quando o novo motor 1.6 8V Hi-Power foi incorporado à linha.

Segundo a marca, foram necessários 36 meses de trabalho para se chegar ao produto final, além de 7.000 horas em laboratório e 40 protótipos testados. Com o objetivo de ter um torque mais linear e, é claro, mais economia, o novo propulsor recebeu 51 novas peças.

Entre as principais modificações no Sandero Stepway, destaque para a nova taxa de compressão (9,5:1 para 12:1), pistões otimizados, junta de cabeçote mais robusta (com 3 folhas de vedação), motor de partida mais eficiente, biela fraturada com eixo flutuante e bucha no olhal menor da biela, bronzinas de biela com material mais resistente à fadiga e desgaste e cabeçote com novas sedes de válvula de admissão e escapamento.

O resultado foi um propulsor com 98 cv de potência com gasolina e 106 cv com etanol (10% mais potente com esse combustível). O torque também melhorou, subindo para 15,5 kgfm com etanol, com 85% de força disponível logo aos 1.500 giros.

Na pista, o Sandero Stepway equipado com o motor Hi-Power vai de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos, com velocidade máxima de 174 km/h. Em termos de consumo, a melhora foi de 10% na cidade e 5% na estrada.

Depois disso, no final de 2016, chegaram os novos motores 1.0 e 1.6 SCe (Smart Control Efficiency), com promessa de serem até 21% mais econômicos.

No caso do propulsor usado no Sandero Stepway, que tem 1,6 litro, a marca decidiu manter os 4 cilindros e comando variável de válvulas apenas na admissão. Como dito acima, a potência subiu para 115/118 cv e o torque para 16 kgfm. Isso fez o tempo de aceleração até os 100 km/h baixar 3,7 segundos (ficando em 10,3s) e o consumo cair 21% (graças, também, ao uso do sistema start/stop).

Sandero Stepway – consumo

O consumo de combustível, com o motor 1.6 SCe e câmbio manual, é de 8,3 km/l (A) e 12,0 km/l (G) na cidade e 8,5 km/l (A) e 12,1 km/l (G) na estrada.

Já com o câmbio automatizado Easy’R os números pioram para 7,7 km/l (A) e 11,5 km/l (G) em trechos urbanos e 8,3 km/l (A) e 12,0 km/l (G) em trechos rodoviários.

Sandero Stepway – manutenção e revisão

As revisões do Sandero Stepway fazem parte do programa “Preço Fechado” da Renault. Pelo site da montadora é possível ver os valores e os itens trocados em cada revisão. Elas devem ser feitas, como de costume, a cada 10.000 km ou 1 ano, o que ocorrer primeiro.

Veja abaixo os custos de cada parada do Sandero Stepway:

  • 10.000 km – R$ 419,90
  • 20.000 km – R$ 399,20
  • 30.000 km – R$ 419,90
  • 40.000 km – R$ 635,80
  • 50.000 km – R$ 440,60
  • 60.000 km – R$ 440,60
  • 70.000 km – R$ 523,40
  • 80.000 km – R$ 1.419,40
  • 90.000 km – R$ 523,40
  • 100.000 km – R$ 523,40
  • 110.000 km – R$ 523,40
  • 120.000 km – R$ 755,40

O valor total para as revisões, levando em conta todos os valores fornecidos, é de R$ 7.024,40.

Elas incluem, dependendo da revisão, itens como mão de obra especializada Renault, 1 ano de garantia das peças trocadas, Diagnóstico eletrônico Renault, Verificação de 40 pontos de controle, Checagem de freios, Lubrificante EVOLUTION RN-TECH 10W40, Filtro de Óleo, Filtro de Combustível, Filtro do Habitáculo, Filtro de Ar e Anel.

Sandero Stepway – ficha técnica

Motor

1.6 16V SCe

Tipo

Dianteiro, Transversal e Flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.597

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,7:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

115/118 cv a 5.500 rpm

Torque Máximo

16 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual ou automatizada, sempre com cinco marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e tambor (traseira)

Direção

Tipo

Eletro-hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independentes, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Roda de 16 polegadas

Pneus

205/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.066

Largura (mm)

1.761

Altura (mm)

1.559

Distância entre os eixos (mm)

2.590

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

458

Tanque (litros)

50

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.102

Peso bruto total (kg)

1.560

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

n/d

 

Sandero Stepway – fotos

Sandero Stepway: história, preços, consumo, motores (e detalhes)
Nota média 4.4 de 11 votos

  • Felix Sehnem

    Possuo o Sandero Stepway ano 2010. Peguei ele 0 km e um excelente carro. O meu já tem 135.000 rodados e a manutencao e apenas a basica. Nunca tive nenhum problema com ele.

    • JOSE DO EGITO

      Ja trocou a correia dentada ?

      • Felix Sehnem

        Troquei uma vez com 70.000.

        • catucadão

          meu tio compro um prata pego hoje dia 18/07/2018 mano o carro é muito daora e bonito

        • Unknown

          Já está chegando a hora de trocar de novo… rs

          • Felix Sehnem

            ja deveria ter trocado

  • delvane sousa

    Versões vendidas no exterior tem controle de estabilidade. Mesmo assim se deram mal no teste de estabilidade (Manobra do Alce)

    • Piston head

      Em uma das últimas fotos da matéria (Rip Curl branco) quase capotou no ensaio fotográfico.

      • Retrato do Papai

        e um stepway de fato capotou em um comercial na terra dos hermanos hahaha

        definitivamente esse negócio não foi feito para fazer curvas

  • Filipe Casagrande

    Tenho um Stepway 2011, comprei com 3 anos de uso e já gastei muito com ele com manutenção. Minha amiga tem uma versão acima da minha (ainda com design antigo, mas com a grade da frente em preto e os vidros elétricos na porta e não na área central) e ela nunca se incomodou. Acho que não tive foi sorte, principalmente no motor de arranque que já troquei e agora tá ficando pesado pra ligar com o motor quente de novo.

    Acho o carro com um design muito bonito por fora, realmente é espaçoso, mas acho o painel seco e pouco atraente. Fora o consumo na estrada que é péssimo. O meu faz 11km/l (chorando) numa BR viajando a 110 km/h. Quando ia de Peugeot 307, também 1.6 e ano 2007, o mesmo fazia 14,5 km/l na mesma velocidade. Assim que tiver condições pretendo trocar o meu stepway que tem dado alegria e dor de cabeça na mesma medida.

    • Retrato do Papai

      sobre esse detalhe do motor de arranque ficar “pesado” com o motor quente, veja se fazendo um reforço do negativo dele resolve o problema… tenho um fox que sofre do mesmo mal, nos fóruns dizem que esse reforço no negativo resolve o problema… ligar um cabo de 10mm entre o negativo do arranque e da bateria já é suficiente… um bom eletricista deve fazer isso de forma rápida e barata, então, mesmo sendo carros diferentes, creio que valha a pena testar…

      • Filipe Casagrande

        o eletricista que fui também fez um reforço nos cabos e na época melhorou, mas depois de um tempo voltou dar sinais de desgaste. Carro é parecido com aparelhos eletrônicos, uns tem sorte e outros não por mais cuidado que tenha.

        • Unknown

          Carro usado é, quase sempre, um tiro no escuro. A não ser que o(s) dono(s) anterior(es) tenham cuidado bem dele, senão a bucha sempre vai estourar na mão do próximo dono.

  • Paulo Matos

    Temos um Sandero Stepway 2017/2017 e me vejo obrigado a discordar em dois pontos. O primeiro é que o espaço interno não é bom. Dependendo da pessoa que senta na frente, viajar no banco trazeiro é um sofrimento.
    É o segundo ponto é sobre o preço das revisões. Já estamos indo pra quarta revisão e as 3 primeiras foram, em média, 700 reais cada. Segundo a concessionária (Renovel, ARACAJU-SE), toda vez aparece alguma coisa “não prevista” e o preço da revisão quase dobra. Outros usuários também comentam a mesma situação na sala de espera.
    Tivemos a versão anterior do Stepway e o nosso veredito é que a versão atual “só” melhorou duas coisas: Aparência externa e consumo.

    • IPZ.4

      Cara, o motor melhorou muito. Temos os 2 motores na família, e o antigo é muito frouxo, o SCe da uma bengala nele.

      • catucadão

        se vc ta falando do k4m vc ta errado é um belo motor usando tbm pra competição

        • IPZ.4

          Kkkkk “vc esta errado” é uma boa forma de trocar ideia. Filhão, pela engenharia ele pode sim ser versátil e competente, porém, na configuração que usaram nos carros civis, ele é fraco. Potencia, torque e desempenho de arrancada e retomada demonstram isso. Tambem basta dirigir os 2 e compará-los. Normal.

          • catucadão

            tive um clio 2000 com mesmo motor 1.6 16v e o carro anda muito bem geralmente esse carros desses anos peugeot citroen e renault ja andava muito bem com motor 1.6 então falo porque ja tive se pudesse teria de novo kkk

            • IPZ.4

              Ah, mas aí tem que ver a config que usavam nesse motor, além de considerar a relação peso/potência e peso/torque. Não duvido que no Clio ia bem, o bixo é levinho. Tenho um Corsinha 1.6, e é bem divertido dirigi-lo.

        • Unknown

          Esse motor é bom mesmo. Aliás, em questão de motores, a Renault é excelente! O problema nestes “Dacias” que trazem para o nosso mercado é o acabamento e a dirigibilidade.

    • Unknown

      É só pedir a revisão básica! Sem aceitar a empurroterapia…

  • Leonardo Macedo

    Kkkk Inacreditável, paguei $ 38,500,00 em um Privilege 1.6 com o motor atualizado ja, completo na epoca fevereiro de 2013, hoje não compra nem um kwid decente kkk chorando e rindo ao mesmo tempo@__@

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email