Governamental/Legal Trânsito

São Paulo: corredores de ônibus são liberados para carros nos feriados

avenida-23-de-maio-faixa-excluiva

Rodar pelos corredores de ônibus em dias de feriado agora está liberado. De acordo com a portaria publicada no dia 4 de outubro no Diário Oficial do município, os automóveis não serão mais multados nesta condição.

Até então, trafegar pelos corredores exclusivos era proibido em qualquer dia da semana, fosse feriado ou não. Com isso, espera-se melhor fluidez e liberdade para o trânsito em dias de feriado.

A portaria também inclui mudanças para o trânsito de táxis. Agora, estes veículos comerciais poderão trafegar nos corredores exclusivos de ônibus sem passageiros no período entre 20h e 6h em dias de semana e livre circulação nos fins de semana e feriado. Antes, somente com passageiros.

A autorização para carros trafegarem nos corredores exclusivos de ônibus entre 23h e 4h em dias da semana e das 15h de sábado até 4h de segunda, foi renovada pela prefeitura de São Paulo. Nos feriados, o período está liberado. O corredor Cupecê também foi liberado para o tráfego.

pistola-radar

 

 

Multas

As multas aplicadas para invasão de corredor ou faixa exclusiva de ônibus na capital paulista totalizaram quase 500 mil entre janeiro e junho, de acordo com o site Mobilidade Segura, que mapeia a aplicação de infrações em São Paulo. Em 2015, foram 300 mil autuações.

O sindicato dos taxistas de São Paulo diz que a liberação dos corredores de ônibus para táxis sem passageiros já deveria ocorrido antes, pois inclusive ajuda o passageiro que está esperando pela corrida, alega o presidente da entidade Natalino Bezerra da Silva.

Para o Simtetaxi, outra entidade da categoria em São Paulo, a liberação dos corredores ajuda no retorno rápido de corridas feitas para o aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos, por exemplo.

Ao longo do ano, os taxistas realizaram vários protestos contra a atual administração municipal por conta da liberação do funcionamento do Uber na capital paulista. Além do aplicativo, a cidade dispõe de outros serviços acessados por smartphones, inclusive alguns que incluem também os próprios taxistas.

sentra-preto

 

 Táxi Preto

Falando em táxis, a prefeitura de São Paulo criou um serviço diferenciado de táxi há alguns meses, que pode ser chamado por aplicativo. Ele é batizado de “Táxi Preto” e teve 5.000 licenças para motoristas, mas metade foi sorteada para os profissionais que alugam táxis ou alvarás para trabalhar.

A outra metade foi reservada para quem tem cadastro para atuar como taxista, o Condutax. Motoristas do Uber puderam entrar nesse grupo, mas desde que tivessem essa autorização.

A licença para trabalhar com esse serviço pode chegar a custar R$ 60 mil. Hoje, um alvará de taxista custa em média R$ 100 mil na capital paulista, embora estejam em queda.

O Táxi Preto é um serviço diferenciado em relação aos táxis comuns. Os carros em geral são de luxo e na cor preta, tendo ar condicionado e navegador com a rota percorrida. Não haverá taxímetro e as corridas devem custar em média 25% mais, mas os condutores podem dar descontos.

O usuário chama o “Táxi Preto” por um dos apps cadastrados e avalia depois o serviço. O condutor será identificado já no app, mas o carro não poderá circular nas faixas exclusivas. Taxistas podem migrar para o serviço se desejarem. A licença do serviço tem validade de 35 anos.

[Fonte: Folha]

Agradecimentos ao Lincoln Ferraz.







Send this to friend