ICMS 207% maior vai gerar protesto e paralisação de multimarcas em SP

ICMS 207% maior vai gerar protesto e paralisação de multimarcas em SP

O dia 9 de janeiro será marcado por protestos de lojistas de veículos usados e seminovos no estado de São Paulo. O motivo é o aumento exorbitante do ICMS para a transação de compra e venda na região.


“O objetivo é comunicar à população sobre o aumento brutal que, com certeza, irá prejudicar não só os comerciantes, mas também a população que deseja adquirir um carro usado.” disse Ilídio dos Santos, presidente da Fenauto, entidade de reúne os lojistas do setor.

Com vigência a partir de 15 de janeiro, o ICMS no estado de São Paulo aumentou de 1,8% para 5,53%. O impacto do aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços promete aumentar os preços de carros novos e usados.

Isso acabará acarretando uma diminuição nas vendas de carros usados e seminovos no estado, o termo é gerar desemprego e fechamento de lojas. O aumento de 207% no ICMS faz parte do Pacote de Ajuste Fiscal do governo paulista, que aumentou muitos outros serviços no estado.

No mercado de carros usados e seminovos, a alíquota é calculada sobre 10% do valor do carro em nota fiscal, sendo assim retirada 18% de ICMS. Mas, agora será de 30,7% do valor da nota fiscal para retirada dos 18% do imposto.

Como exemplo, um carro vendido por R$ 50.000 hoje, o imposto incide sobre R$ 5.000, recolhendo a loja R$ 900 (18%). Após 15 de janeiro, com o aumento do percentual do valor na nota fiscal, o mesmo carro de R$ 50.000, que terá R$ 15.350 como base de cálculo, o lojista recolherá R$ 2.763.

Ou seja, uma diferença de R$ 1.863, que evidentemente pode ser repassado ao valor do veículo. Dessa forma, o impacto para algumas lojas com grande volume de vendas será muito maior.

Apesar do aumento no ICMS, compra e venda de veículo usados ou seminovos entre particulares estão isentas de ICMS, assim como as vendas consignadas. Essas modalidades devem aumentar em São Paulo após o dia 15.

[Fonte: Auto Indústria/Estadão]

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

70 comentários em “ICMS 207% maior vai gerar protesto e paralisação de multimarcas em SP”

  1. Toda intervenção do Estado gera uma reação oposta de igual magnitude. O mercado vai se adaptar, com mais negócios entre particulares, com mais opções de car-as-a-service sediadas em Belo Horizonte, ou com formas de comprar, emplacar ou pagar IPVA em outro estado. #impostoÉroubo

    • Meu primo mora em SP e o carro dele é emplacado no Rio, 1% de IPVA, como ele tem parentes aqui no Rio, quando vem visitar, aproveita e faz a vistoria do GNV, paga bem menos IPVA!

  2. Mas isso é normal. Faz um tempo, aumentaram aqui o ticket zona azul de R$1 pra R$ 3. A taxa de limpeza duplicou sendo em vários casos mais cara que o m2. A desculpa pra isso: vários anos, acima de uma década, sem reajuste.
    Carro usado aqui sempre foi caro porque os novos ficam mais caros e quem compra estes aceita.
    É muito imposto e lucro alto na cadeia. Soma falta de concorrentes confiáveis que forcem preços menores. Quem não aceita o preço do novo irá no usado que se torna valorizado. Aumentar tributo deste nenhuma novidade. Reduzir pra todos, sim.

  3. O “Gestor” não saneia as contas públicas? É um “mais do mesmo” apertou, aumenta impostos? Um traíra, despreparado. Os DEPUTADOS ESTADUAIS são coniventes, vamso fazer estes m trabalhar, não vamos os reeleger .

  4. O pessoal achava que pagar o salário de funça que passou boa parte de 2020 em casa (olá professores), ia ser de graça.
    E logo deverá ter novidades do GF, pra cobrir os rombos do corona voucher.

  5. Relamente o percentual aumento é expressivo mas a alíquota de ICMS de SP é muito baixa. Aqui no RS nós pagamos 30% e o estado está quebrado, imagina se tivesse uma alíquota de 5% como agora começou a vigorar em SP.

  6. Eu tento evitar ao máximo comprar carro de loja, entre levar chapéu de loja e no particular prefiro no particular que pago menos e tento pegar alguma coisa com Laudo Cautelar (sinistro, leilão entre outros) e mais a experiência que tenho com carros.

    Mas independente disso, esse aumento ferrou de verde e amarelo os lojistas. Tem muita gente que compra de loja, assim também como tem alguns que trabalham com honestidade (que já era difícil de se manter) agora vai ficar pior.

    • Isso é trágico… Nossa base tributária é toda baseada em tributação sobre o consumo, isso é perverso e ineficiente do ponto de vista social e econômico… Os 15 maiores IDH’s do mundo tributam mais sobre renda e patrimônio e menos, muito menos, sobre consumo… Mas razões políticas e sociais, isso não é aplicado no nosso país… Vou dizer algo que muitos não vão entender, mas quando vão para a Europa e EUA acabam aceitando sem saber: prefiro ter metade da tributação para comprar um carro zero e pagar 5% de IPVA, ou comprar um Playstation e pagar 5% de alíquota de IPTU, ou gastar metade do que eu gasto no supermercado, mesmo pagando 40% de imposto de renda, do que viver nessa selva tributária em que vivemos… Com baixa tributação no consumo, ainda que ajustada com aumento no tributação sobre renda e patrimônio, a arrecadação manteria o mesmo nível (ou aumentaria), mas a carga tributária (que é o que interessa) com certeza diminuiria, pois com maior consumo, maior atividade econômica, menor peso do Estado na economia, sem precisar da União, Estados e Municípios de abrirem mão de sua responsabilidades (educação, saúde, segurança pública, etc.)…

        • Acredito que não são os servidores públicos os culpados disso, só, está culpando as pessoas erradas… Tem o prefeito da cidade que nem deveria ter se emancipado, que quer viver só do Fundo de Participação dos Municípios e da parte do ICMS/IPVA, e não quer mexer na planta de valores do IPTU (veja o valor venal de seu imóvel no carnê deste ano e verifique se você venderia pelo preço estabelecido pela prefeitura, eu não venderia minha casa, por exemplo)… Se os Muncípios cobrassem CORRETAMENTE o ISS e o IPTU, não precisariam, por exemplo, mendigar recursos para construir uma escola junto ao Estado ou União (e puxar o saco do deputado/senador, com aquela emendinha básica no orçamento)… O problema é que todo mundo reclama que a União centraliza a arrecadação de tributos no Brasil, mas isso interessa a classe política, pois existe toda essa indústria do beija-mão em Brasília para conseguir dinheiro para uma quadra de esportes… Poxa vida, essa quadra de esportes, ou a creche, ou o posto de saúde, ou o asfalto na rua do bairro, deveria ser construído com o dinheiro do IPTU, e não do IPI, IR, ICMS, etc… A coisa é muito mais complicada do que direita e esquerda, essa sistemática perversa interessa a todos, do PCO ao Aliança pelo Brasil…

          • São vários componentes aí. Temos sim um estado inchado(em todas as esferas) com um significativo volume de servidores públicos que pouco produzem(quando não são fantasmas) fruto da cultura provocada por este inchaço. Obviamente que também temos uma parcela significativa de servidores que honram o posto que ocupam. Quanto à arrecadação concordo plenamente, uma centralização de verbas que interessa aos políticos que se elegem por força de obras via emendas. Quanto à cobrança de ISS e IPTU concordo que a sonegação de ISS é gigantesca, já o IPTU se fosse cobrado pelo valor real do imóvel(que é o correto) teria que ter alíquota mais baixa. Na verdade nosso sistema tributário é péssimo, e deveria ser bastante simplificado como é nos países mais desenvolvidos, especialmente no tocante à concentrar a tributação sobre renda e aliviar bastante sobre o consumo, isso realmente faria nossa economia girar muito mais e todos ganhariam.

            • Uma coisa é certa: não estaremos vivos para ver isso acontecer: uma reforma tributária de verdade!!! O máximo que vai acontecer é uma meia-sola… Um abraço!!!

  7. Muito barulho por nada, uma tempestade num copo d’água, parem de sofrer… É só a loja, ao invés de o vendedor assinar o DUT para a empresa, integrando ao estoque “oficial”, pedir uma procuração para representar… Aí a transferência, do ponto de vista oficial/tributário, segue entre particulares, isenta de ICMS…

      • Olha, onde eu moro (RS), até concessionária faz assim… Do ponto de vista de fiscalização, teria que ter uma centena de fiscais tributários só para isso, não vale a pena, o montante arrecadado a mais não cobriria os custos da fiscalização… Esse reajuste é só para inglês ver, muito embora, eu discorde, por ser mais uma vez aumento de tributo sobre o consumo…

        • em cidades menores até dá para arriscar, mas em grandes centros o risco é muito alto, tanto para quem vende quanto para o antigo proprietário. Na prática este aumento vai impactar nas avaliações pois vão ter que pagar menos na troca.

        • Isso não funciona quando o cara usa o carro usado na troca por um novo. Mas nas outras situações, você está certo, ou seja, vai ficar ainda pior usar o usado na troca.

  8. Promessa de campanha!

    João Doria promete implantar medidas para reduzir os preços dos pedágios nas rodovias paulistas
    Candidato concedeu entrevista ao Fronteira Notícias 1ª Edição nesta segunda-feira (3).
    Por G1 Presidente Prudente

    03/09/2018 14h00 Atualizado há 2 anos.

    Cara de madeira!

    KKK!

    • Esse Dória é um mentiroso compulsivo, pois um dia antes da eleição para prefeitura de SP, ele gravou um vídeo falando que era fake news que depois das eleições, ele iria fechar tudo, ou restringir a abertura do comercio, e no dia seguinte ele faz tudo o que falou que não iria fazer. Esse cara tinha que estar preso ou sofrer um impeachment urgentemente, pois ele irá acabar com o Estado de São Paulo.

  9. Mundo real:

    ECONOMIA
    Governo de SP autoriza aumento dos pedágios a partir do dia 1º de dezembro
    O reajuste vale para todas as praças do Estado; os índices que variam 1,87% e 2,13%

    RedaçãoPublicado em 7 de novembro de 2020Por Redação
    Pedágios estão mais caros a partir de segundaO reajuste vale para todas as praças do Estado. (Foto: Divulgação)

    COMPARTILHETWEET

    PUBLICIDADE

    De acordo com a publicação no DOE, o reajuste do valor da Base Tarifária Quilométrica para os lotes 28 e para lotes integrantes da 1ª Fase (9 lotes) e da 2ª Fase (5 lotes e Rodoanel Mário Covas – Trechos Oeste, Sul e Leste) do Programa Estadual de Concessão de Rodovias, terá percentual de 1,877703% baseados na evolução do IPCA, entre junho/2019 e maio/2020.

    Já o valor da Base Tarifária Quilométrica do lote 27 do Programa Estadual de Concessão de Rodovias, terá percentual de 2,13242% baseados na evolução do IPCA, entre julho/2019 e junho/20. O DOE não publicou as tabelas com os valores específicos de cada praça de pedágio.

    PUBLICIDADE

    PUBLICIDADE

    TAGS RELACIONADASAUMENTO DE PREÇOPEDÁGIOREAJUSTE
    A SEGUIRPrazo para contestar pedido do Auxílio Emergencial negado termina nesta segunda-feira (9)
    NÃO PERCASorteio da Mega-Sena pode pagar até R$ 22 milhões nesta quarta-feira (4)Você pode gostarCédulas de dinheiro espalhadas
    Bolsonaro diz que vai assinar MP com salário mínimo de R$ 1.100 em 2021

    Refinaria da Petrobras em Paulínia (SP)
    Gasolina fica mais cara a partir desta terça-feira (29)

    Preço dos itens da ceia de Natal ficam mais caros este ano
    Itens da ceia disparam e deixam Natal de 2020 mais caro

    Pedágios estão mais caros a partir de segunda
    Pedágio fica mais caro nas rodovias de SP a partir desta terça-feira (1º)

  10. É… O “pacotão” fiscal aprovado pela ALESP e pelo João Dória veio com tudo… Como se já bastasse tudo o que a população do SP e do BR tem passado, mais isso. Isso sem falar no aumento do ICMS para produtos da cesta básica, agropecuários, agrícola e por aí vai…

  11. Sao paulo ainda teve no segundo turno para prefeitura o Covas e Boulos. Rsrsrs…. Esse governo Doria está sendo péssimo para o empresário, esse cara ainda quer disputar 2022

  12. o aumento de vendas consignadas ira aumentar, a arrecadação extra pretendida pelo governo acabara sendo revertida pela diminuição de vendas direta das lojas, acredito que no final a redução na arrecadação vai ser maior que a arrecadação pretendida, se voltar a alíquota anterior mesmo assim não vai reverter, os consumidores e lojistas já vão ter aprendido o caminho para reduzir custos e aumentar lucros.

  13. Bem certo. O país todo arrebentado pelas péssimas gestões federal, estaduais e municipais e a solução de todos os problemas é aumentar o imposto e criar um modelo francês em que o 1° estado, aqui representado pela classe política, literalmente monta nas costas do 3° estado, o povo.

  14. Quem manda o povo ser passivo e ignorante, agora que aguente! Reduzir salário e/ou usar eficientemente o dinheiro público são outros quinhentos, parar de roubar então, nem se fala!

  15. governos incompetentes só sabem aumentar impostos, o boneco de programa de auditório não tem competência nem inteligência para governar a locomotiva do Brasil.

  16. Em 2007 foi a primeira e única vez que comprei carro em concessionária. Me deu tanta dor de cabeça que agora só compro com particular. Dor de cabeça por dor de cabeça pelo menos pago mais barato comprando diretamente com o dono.

Deixe um comentário