Finanças Governamental/Legal Trânsito

São Paulo: prefeitura quer arrecadar com multas que ainda não foram aplicadas

pistola-radar-1 São Paulo: prefeitura quer arrecadar com multas que ainda não foram aplicadas

A prefeitura de São Paulo pretende dar como garantia em empréstimo obtidos junto a investidores, algo bem diferente do usual. Mas o que seria isso? Multas. Mas, não aquelas já aplicadas e que ainda não foram pagas pelos motoristas, mas as que ainda nem foram aplicadas. A garantia da administração do prefeito João Dória Jr. (PSDB) é pagar os empréstimos com multas de trânsito futuras. A ideia é emitir debêntures – títulos de dívida – dando como garantia as multas aplicadas em infrações de trânsito na capital paulista.



O projeto sugerido pela Secretaria Municipal da Fazenda, daria ao poder público municipal a chance de arrecadar fundos para a prefeitura com infrações que os motoristas paulistanos e de fora da cidade, ainda nem cometeram. É mais ou menos como apostar no erro do outro para se beneficiar.

A explicação de Caio Megale, secretário da pasta é de que “[há] uma diferenciação entre usar radares e multas com o fim exclusivo de aumentar a arrecadação e usar as multas, usar a arrecadação, para educar no trânsito, para melhorar a qualidade de vida de quem usa o viário público”. De acordo com o secretário municipal, a promessa é de acabar com a chamada “indústria da multa” não se contradiz com o uso da renda gerada por ela no orçamento da metrópole paulista.

Com emissão até abril de 2018, a prefeitura espera arrecadar com as debêntures da “indústria da multa” entre R$ 350 milhões e R$ 450 milhões. Elas têm prazo para pagamento de quatro anos e taxa de juros de 10% ao ano. A prefeitura irá definir ainda o banco de investimentos que coordenará a emissão dos títulos da dívida paulistana.

De acordo com Nelson Marconi, especialista em finanças, apesar de estranho e inédito no mercado nacional de capitais, a estratégia da administração de São Paulo faz sentido financeiramente, apesar de passar ao munícipe uma imagem contraditória da prefeitura que, defende o fim da industrialização das multas, mas ao mesmo tempo quer se beneficiar dela.

Marconi avalia que “se a Prefeitura está usando a multa como uma receita, ela está dizendo que, ao longo do tempo, ela espera continuar tendo uma receita de multas. Então, não parece que ela está trabalhando para diminuir as infrações, mas sim continuar arrecadando com esse instrumento”.

Na administração anterior, do prefeito Fernando Haddad (PT), a prefeitura recebeu uma ação judicial por se beneficiar do dinheiro das infrações de trânsito. Agora o autor da ação, o promotor Marcelo Milani, amplia as críticas à atual gestão alegando que o prefeito e seus secretários de Fazenda e Transportes podem responder por improbidade administrativa.

Em 2017, com a retomada da velocidade limite em uma pequena parte das vias da cidade, as multas em São Paulo caíram 12%, passando de 7,8 milhões para 6,8 milhões, numa comparação com o mesmo período de 2016. Ainda assim, as infrações geram aos cofres da metrópole nada menos que R$ 1,8 bilhão, o que representa 4% do orçamento da cidade. Então, a emissão de debêntures nem deve afetar tanto assim a arrecadação com multas na capital paulista, não é mesmo?

[Fonte: G1]

  • José Barbosa

    Contando os segundos para alguém dizer que “não existe uma indústria de multa”.

    • João Cagnoni

      Não existe uma indústria de multa. Rodei muito este ano nos mais diversos tipos de locais e estou com a carteira zerada.

      • SDS SP

        Eu já estou com 12 pontos, mas isso não faz de quem está zerado ser um bom samaritano.

        • João Cagnoni

          Seja franco. Esses 12 pontos foram culpa sua ou foi “sem querer querendo”? Pode detalhar quais multas foram essas? Pra não dizer que não tenho multas, esses dias parei em um estacionamento e os manobristas estacionaram meu carro na rua em um local proibido…

          • SDS SP

            Claro que foi culpa minha e assumo o erro. Foram três multas (médias – 4 pontos). Uma na nove de julho e duas na marginal. Velocidade acima do limite.
            Acostumado a andar 90% em ciclo rodoviário, acabei me dando mal na cidade.

          • José Barbosa

            Para demonstrar como funciona a tal indústria, numa determinada rodovia, a polícia só fiscaliza ultrapassagens proibidas em locais que há até pouco tempo a ultrapassagem era permitida, e mudam a rodovia sem qualquer justificativa razoável. Até porque se houvesse estudos sérios sobre o tráfego, outras intervenções deveriam ser feitas (duplicação, 3as faixas, adequação de velocidade etc).

            • João Cagnoni

              Se a sinalização estiver de acordo, é muito fácil perceber que uma via foi duplicada ou mudou de velocidade. Se não fosse assim, cego poderia dirigir.

              • José Barbosa

                É uma questão interessante. Nestes locais, é até fácil de você identificar. A placa de proibição de ultrapassagem está no final da reta, e não no começo. Quando da referida mudança, deveriam ter no mínimo a decência de reposicionar a placa logo no começo da reta, para reforçar o alerta. Uma das rodovias que sei de cor, literalmente, teve como única melhoria ao longo de praticamente 20 anos apenas um pequeníssimo trecho de 3a faixa. Foram adicionados radares, quebra-molas, criados novos cruzamentos em nível, mais radares e quebra-molas. Há um trecho num distrito que é um verdadeiro inferno (literalmente vira uma rua), em que não há sequer meio fio, quando o MÍNIMO seria transformar numa avenida, que não seria uma intervenção cara e melhoraria o fluxo para todos. Em MG, há um nível ridiculamente baixo de rodovias duplicadas para a topografia e tráfego. Como eu sempre citei de comparação, tanto a 040 como a 381 no RJ e SP, numa dada topografia, é feita por túneis e viadutos. Em MG, “cortam o morro” e fazem curvas perigosas. A MESMA via. Huezil não é para amadores.

                • João Cagnoni

                  É claro que existem exceções pra tudo isso, e já aconteceu comigo. Uma vez estacionei na rua e a placa de proibido estacionar estava após uma leve curva e coberta por uma árvore. Enviei um recurso e reverteram a multa. Se você reparar, a maioria das pessoas daqui estão querendo rodar livremente sem radar na velocidade que quiserem.

            • João Cagnoni

              E digo mais, acredite, mas pouca gente sabe o significado de uma faixa contínua ou tracejada, assim como preferenciais. Tem uma ponte aqui em casa que é mão dupla, devidamente sinalizada, eu já cansei de passar alí e me deparar com um carro vindo tranquilamente pela contra-mão pensando que alí é mão única. Isso é triste.

              • A verdade é que o brasileiro é muito “mal acostumado”. Somos tão propensos a não seguir as regras que qualquer fiscalização um pouco mais efetiva pega motoristas aos milhares.

          • Dario Lemos

            Recebi duas multas por estar “estacionado na calçada” mas tem um detalhe: o endereço onde consta a infração é a de minha garagem. Então, como eu faço para entrar na minha garagem e estacionar meu carro dentro dela? Será que tenho que entrar “voando” por cima da calçada? Um outro exemplo: em 1997, adquirimos um Tempra 16V e quando fui renovar o documento do veículo havia uma multa em aberto, a data da infração era de 05 dias antes da data da NF de compra do veículo. Não me recuso a pagar uma multa se eu REALMENTE cometi a infração mas receber esses tipos de notificação só corroboram ainda mais que a indústria da multa existe. Vai de você acreditar se existe ou não.

            OBS – em relação à multa relativa às datas, a mesma foi cancelada; em relação às outras duas, estou aguardando o resultado dos dois recursos.

      • Deadlock

        Eu também, uso o Waze. Não dou dinheiro para esses canalhas.

      • José Barbosa

        Pelo simples fato de que algumas infrações são muito mais fiscalizadas que outras, é óbvio que há. Por exemplo, mesmo já havendo infra-estrutura pronta, conhece alguém que foi multado por andar abaixo da mínima?

        • João Cagnoni

          Por isso que eu digo que a prefeitura deveria multar muito mais. Vejo dezenas de infrações diariamente que passam batido sem punição.

          • José Barbosa

            Na verdade, se fiscaliza o que é “lucrativo”. O que é um princípio contraditório ao próprio Estado.

            • João Cagnoni

              Opa, é aí que você se engana… Veja quanto custa uma multa por passar no farol vermelho, andar na contra-mão ou fazer uma conversão proibida, é muito maior do que uma multa por velocidade e ainda assim vejo constantemente nas ruas. A prefeitura deveria aumentar a fiscalização.

              • José Barbosa

                A questão é que um radar escondido vai pegar muito mais multas do que este outros tipos de infrações. Excesso de velocidade é algo simples: basta determinar algo abaixo do que seria a velocidade confortável/segura de uma determinada via.

                • João Cagnoni

                  Radar escondido é proibido de acordo com o nosso código de trânsito, mas isso é uma coisa que eu discordo. Radar deveria sim ser escondido, hoje os motoristas tem o hábito de andarem rápido e freiarem em cima do radar, acabando completamente com o propósito do radar.

                  • José Barbosa

                    Se as velocidades fossem adequadas, tudo bem. Mas a maior parte das vias tem velocidades ridiculamente baixas. Aqui em Goiás tem uma rodovia absolutamente reta em que já fiquei MEIA HORA sem vir um carro na contra-mão, e que o limite de velocidade é de 80 km/h. E não estou exagerando sobre a meia hora. Eu e minha esposa estávamos indo por este caminho pela primeira vez e pensamos que iríamos parar num cenário tipo massacre da serra elétrica.

                    Acho que o fim da indústria da multa partiria por algo muito razoável: dosiometria de multas, baseados em dois critérios. Renda OU valor do veículo, o que for maior; e frequência daquela punição. Desta forma, teríamos efetiva justiça da multa “incomodar no bolso”, e evitar a reincidência numa determinada conduta. Hoje, enquanto um pobre sua para pagar algo até por não ter “esperteza”, e sofre com isto, uma pessoa abastada pode se dar ao luxo de assumir o risco, e TALVEZ ser multado. Acho que alguém com “cartão amarelo” não ficaria andando rápido para arriscar frear em cima do radar, se precisasse do carro. Só que este modelo não é “lucrativo”. Reduzir multas para o grosso da população e majorar apenas para uma pequena parcela. Infelizmente, é assim que o Estado funciona hoje em dia.

                    • Mas até onde sei se for rodovia não duplicada o limite máximo é de 80. Acima disso somente rodovias duplicadas pelo que sei.

                  • Rodrigo Inacio Hernandes

                    Se esconder, muitos irão passar em alta velocidade e até causar acidentes sem saber que existe radar. Todos passando e vendo claramente o radar, 99% irão respeitar.

              • Dario Lemos

                Algo que eu discordo são as arrecadações proveniente de infrações de trânsito serem de responsabilidade das Prefeituras.

          • Pedro Cunha

            Multam normalmente condutas previstas em artigos do CTB que dificultam recursos, e naturalmente, se revertem em lucro certo, pois cedo ou tarde, o infeliz terá de pagar.
            Como você mesmo disse, há centenas de infrações cometidas á cada segundo e á todo momento, muitas com muito maior potencial ofensivo quê, por exemplo, parar em fila-dupla, dirigir até 20% acima do limite de velocidade, estacionamento irregular, etc, porém a fiscalização é TREINADA e DIRECIONADA para fiscalizar situações onde o sujeito não tenha alegações plausíveis(independente do potencial ofensivo da conduta) para defender-se e livrar-se de entregar seu dinheiro ao estado.
            Onde moro, por exemplo, a maioria dos “motoristas” dirige sem cinto, não respeita placas de parada obrigatória, não respeitam preferenciais, rotatórias e frequentemente andam com o celular nos ouvidos, mas diariamente vejo duplas de agentes com radares nas vias principais de acesso e saída da cidade, nos horários “inversos aos de pico”(quando há boa fluidez no trânsito) ou então no centro da cidade, entre 10h e 17h, multando aqueles que não pagam o estacionamento rotativo ou param em fila-dupla, etc.
            Estranhamente, no período do inverno, não vejo blitz da “lei-seca”, como se as pessoas dirigissem bêbadas só no verão, bem como na estrada que dá acesso ao balneário(que é uma rodovia estadual) desaparecem os policiais e qualquer mínima fiscalização, ao passo que no verão, há praticamente uma viatura para cada carro na estrada.
            Então, realmente só me resta lamentar pelos bucéfalos que acreditam que o estado protege e se preocupa com seus cidadãos.

      • Todos os dias ando na marginal tiete, e digo com propriedade, a culpa nao é so do motorista: todos os dias temos acidentes como motos e pedestres – primeiro que deveriam ter passarelas aos pedestres, e o proprio pedestre nao deveria se arriscar atravessando uma via daquele porte, 2 – motos estao sempre na velocidade acima dos veiculos e sao mais vulneraveis – porem, so o motorista dos veiculos é multado. alem do mais, vias esburacadas, etc, etc.. 3 – porque a prefeitura nao constroi uma passarela ? Se todos fizesse as devidas partes, o mundo seria mais justo, mas nao é o caso – a prefeitura arrecada com o que é mais facil – multar os carros ponto !

      • Lucas g.

        Tirei a carteira 5 anos atrás, nunca levei uma multa.

        • João Cagnoni

          Quantos motoristas você vê na rua acima da velocidade, fazendo conversão proibida e andando na contra-mão? Não adianta nada você fazer sua parte de andar com prudência se a qualquer hora pode vir um cara desses e bater no seu carro. As multas precisam aumentar.

    • Huang Sen

      Se não existia, agora existe oficialmente.

    • Aristeu Junior

      existe sim, a matéria prima é a ignorância dos motoristas
      fica 3 minutos num cruzamento com semáforo que eu duvido você conseguir contar quantos motoristas vc vai flagrar falando ou mexendo no celular enquanto dirige.

      tem uma reportagem na internet que a PRF fez uma blitz educativa, chamou motoristas pra conscientizar da importância de não ultrapassar nos locais proibidos e o que eles fizeram logo em seguida? advinha! ultrapassaram em local proibido e foram multados! que absurdo né? os motoristas tinham esquecido que não podiam ultrapassar ali…

    • Zé Mundico

      Sinceramente, indústria da multa existe por quem comete a multa, isso é, o motorista negligente, desatento ou imprudente.
      Sabendo dessa “característica” do cidadão, evidente que o governo vai se aproveitar disso. Mas quando se toma a segurança como primeiro valor, a multa é necessária para educar o mau motorista, que infelizmente é a maioria.
      Punir também é uma forma de educar.

    • Raul Pereira

      Entrei na matéria só pra comentar exatamente isso

    • Retrato do Papai

      agora a verdade de verdade: se todas as infrações cometidas fossem revertidas em pontos na habilitação, o contingente de motoristas seria reduzido a uma fração do que é hoje

  • SDS SP

    Era só o que faltava.
    Esse prefeito é o mais do mesmo. Hipócrita metido à celebridade de rede social.

    • João Cagnoni

      Que o prefeito é hipócrita não há dúvidas, mas também é hipócrita aquele que leva multas e diz que não fez nada.

      • SDS SP

        A questão não é nem essa e sim o artifício de utilizar o valor arrecadado com multas como garantia para emissão de títulos.
        Eu nem sei se isso é juridicamente legal.

        • João Cagnoni

          Ele pode provar a constância dessas multas, assim como um autônomo consegue crédito.

      • Mario Souza

        Já levei várias multas na vida, entre elas algumas que não cometi, dentre elas algumas que recorri e ganhei e outras que perdi e outras não me atrevi a perder o tempo para recorrer. Nesse país tudo deve ser suspeito, Vamos dizer que hipoteticamente próximo ao vencimento da debênture esteja faltando uma parte do valor, o que acha que acontecerá?

    • Huang Sen

      Pois é, onde fica o interesse em educar para melhorar o trânsito ?

      Tipo, tenho um filho viciado em drogas, ao invés de gastar com recuperação, vou aproveitar a situação e colocar o guri pra comercializar uns ácidos e reforçar o orçamento da casa.

  • FearWRX

    Aí que vai começar a multar mais ainda pra cobrir essas multas que não existem.
    País das bananas regido por macacos, merecemos o que temos.

    Ou melhor, que não temos.

    • João Cagnoni

      Amém. Se eu pudesse multar, aplicaria pelo menos 100 multas/dia só no tempo que estou dirigindo, todas por uma causa integralmente justa. Conversão proibida, direção perigosa, trafegar pelo acostamento, ultrapassagem proibida, excesso de velocidade… É mais fácil apontar quem está dirigindo corretamente. Costumo rodar entre Cotia, Osasco e São Paulo, quem conhece as Marginais, Raposo Tavares e Castello Branco sabe do que estou falando.

      • Olha, já pensei no seguinte. Qualquer cidadão poderia aplicar uma multa tendo como prova uma filmagem (multa por estacionamento irregular, ultrapassagem proibida, usando celular ) e o cidadão receberia 50 por cento do valor da multa. Duas coisas iriam acontecer, primeiro até quem é contra multas ia começar a multar kkk, segundo talvez uma loucura dessas realmente faria todos os motoristas respeitarem a lei. Mas seria um caos.

        • Edson Fernandes

          Seria um caos generalizado. Pense quantos iriam sacanear para vc tomar multa. Não dá certo.

        • João Cagnoni

          Achei a idéia sensacional! Mas existem barreiras: 1- As pessoas podem fazer alguma edição no vídeo. 2- Se agridem até os agentes de trânsito, imagine um cidadão comum multando o outro… Mas acho que essa idéia deveria ser levada adiante!!

      • catucadão

        paga pau do estado… sem chances de conversa

        • João Cagnoni

          blz

  • João Cagnoni

    Não votei nesse sujeito, mas acho que a atitude é correta. Ele está transformando sujeira (infrações) em dinheiro.

    • Fernando

      Só pode estar de brincadeira né, amigo?

      • João Cagnoni

        Eu acho que a prefeitura não está multando 1/10 do que deveria. Você costuma rodar aqui em SP?

        • Fernando

          Você deve ser funcionário da prefeitura, ou melhor, da CET.

          • João Cagnoni

            Sim, estou anotando o seu IP e enviando uma multa por comentar antes de pensar… Peraí…

            • Fernando

              Você pensa bastante mas deveria sair da casinha. A indústria de multas só serve a um interesse, o de políticos corruptos e funcionários mal preparados que tem interesse direto na arrecadação, nada mais. Sinto-me ultrajado quando sou multado numa rodovia como a Av. Bandeirantes a 60 km/h. Isso é repugnante.

              • João Cagnoni

                Na Bandeirantes que tem 1 farol a cada 20 metros?

        • klaus

          tem um estudo (não lembro se aqui em Porto Alegre ou nível nacional) de q a multas aplicadas correspondem a pouquíssimo por cento em relação ao total das infrações cometidas.

    • Edson Fernandes

      A atitude sempre foi a de aumentar a fiscalização. Disso não se discute. A finalidade de se utilzar a multa é totalmente questionavel.

      É como você levar seu carro numa concessionaria e ela fazer do seu carro uma carona para as pessoas andarem nele e as pessoas da concessionarias se locomoverem com aquilo que é seu. E veja, não estou aqui dizendo para não ter multas, mas não utilizar essa de forma inadequada.

    • Felipe Barreto

      Deve ser cria do Haddad, né? Só pode… As leis de trânsito nesse país são ridículas, criadas por políticos corruptos, os limites de velocidade são impostos por achismos e teoria generalizada banal. Não há compromisso nenhum por parte dos governos de qualquer esfera com relação aos motoristas, mas em contrapartida há muitas cobranças e ônus ao motorista. Não vejo ninguém se movimentar por maior segurança nas vias, por melhor qualidade dos pavimentos, por melhor sinalização nas vias. Só vejo cobranças. Os agentes são mal preparados, arbitrários, sádicos e não estão de fato se preocupando com o trânsito. Cada dia que passa há uma nova tecnologia no ramo da indústria da multa, mas não há a metade dessa inovação tecnológica nas escolas e na segurança pública. Há várias câmeras de trânsito espalhadas por aí para punir o infrator, mas não vejo quase nada em proporção de câmeras nas ruas para coibir o criminoso. Enquanto diariamente milhares de armas e toneladas de drogas passam pelas nossas divisas nas estradas, o policiais rodoviários estão se preocupando em quem está 20% acima da velocidade em uma via com limite artificialmente imposto por quem não faz estudo nenhum. Se de fato houvesse preocupação dos governos em melhorar o trânsito e salvar vidas, trânsito seria matéria escolar em todas as séries, os nossos carros teriam segurança a nível internacional e rigorosa, haveriam campanhas de reeducação de trânsito, haveria publicidade constante com dicas, seria mais criteriosa e menos $$$ burocrática a forma de se tirar uma habilitação. Mas não vejo nada disso. E só vim até você comentar isso, pois vejo que você é um defensor das multas, do estado e isso é nítido pois a cada comentário contrário ao seu, aparece você indo contra. Não estou aqui pra mudar sua maneira de pensar e nem para ser antagônico como você fez diante dos comentários dos outros, mas precisava deixar essa observação para quem tanto defende que o cidadão seja cada dia mais vítima do estado. E não pense você que sou um motorista pra lá de impudente ou que eu seja contra a punição, pelo contrário, eu sou, mas aqui no Brasil tudo serve para ferrar com o cidadão (vide lei do farol durante o dia). Não adianta dizer que tem que se cumprir porque é a lei, pois você sabe quem criam as leis aqui no Brasil? E começam por eles a não cumprir e só tem a missão de ferrar com a vida do cidadão, induzindo o mesmo ao erro para encher os cofres de dinheiro para que possa se praticar mais corrupção. Na minha opinião, é lamentável que alguém pense dessa forma aqui no Brasil.

      • João Cagnoni

        Eu acho totalmente válido todos os seus pontos, porém você está sugerindo algo como um 8 ou 80, ou seja, ou consertamos todas as rodovias e melhoramos os carros da noite pro dia ou então removemos todos os radares e multas contra os motoristas. Será que isso faz mesmo sentido? É óbvio que não, as multas são uma excelente medida educativa. Já que você quer mesmo saber em quem eu votei, na penúltima eleição foi no Russomanno, pois foi um sujeito que participou da criação do CDC do qual eu acho essencial nos dias de hoje. Já na última eleição eu votei no Major Olímpio, pois vi que de nada adianta as leis existirem se ninguém tem peito de aplicá-las. Eu acredito que uma formação militar é capaz de resolver isso, mas por outro lado eu não gosto do Bolsonaro (saudades, Enéias).

  • Fernando

    Isso é inacreditável, além de ilegal. Coisa de terceiro mundo, da bananalândia mesmo. O Estado sempre e cada vez mais insaciável por dinheiro. Adivinha quem sempre paga a conta? O mamute estatal cada vez mais paquidérmico e ineficiente sempre vai saquear a população de todas as formas que puder. Quem puder caia fora desse atoleiro chamado Brasil.

    • João Cagnoni

      Não é por que existe um enorme problema insolucionável chamado corrupção que devemos jogar merda no ventilador e falar que tudo o que existe está errado. As multas estão corretas, é óbvio que metade desse dinheiro está indo pro bolso deles, mas as multas são um artifício educativo muito eficiente se aplicado corretamente.

  • Pedro Cunha

    Surpresa se a noticia viesse de um país SÉRIO.
    Em termos de brasil, lugar onde o sujeito é gravado em áudio e vídeo cometendo crimes e segue livre, leve e solto, não me causa surpresa alguma o estado tomar dinheiro dando como garantia infrações de trânsito.
    Por isso não vejo nem dou a mínima credibilidade á essas supostas “autoridades de trânsito” ao darem entrevistas dizendo buscar um “trânsito seguro e consciente”… furada! O estado brasileiro enriquece quanto mais insegurança e balbúrdia houverem nas ruas, por isso ninguém fala nem pressiona em reformar(de verdade, desde as bases) a lei penal, ninguém pressiona em rever o processo de obtenção de CNH´s(a adição dos CFC´s colabora para a corrupção e cobrança de taxas pelos detrans), ninguém admite que essa “democracia-republicana” instaurada em 1988 faliu(ao meu ver nem nasceu, foi um golpe em cima do golpe de ´64).

  • Marcelo Nascimento

    Eu concordo com o @joocagnoni:disqus quando ele diz que muitas das infrações que poderiam gerar muito dinheiro e que são extremamente irritantes para quem tá certo não são fiscalizadas.
    Aqui no Rio, saiu da Zona Sul, Centro, Tijuca e Barra, é terra sem lei, cada um faz o que quer.
    Moro numa rua com pouco movimento, mão única. A quantidade de motoristas que andam pela contramão é absurda! E ainda tem uns que reclamam quando precisam desviar de mim, que estou na mão certa! E tenho que ouvir do síndico do meu prédio, com duas filhas pequenas no carro dizer que faz a contramão porque as vezes leva 10 minutos pra dar a volta no quarteirão.
    É muita falta de educação que poderia render um dinheiro temporariamente (começa a multar pra ver se não para?)

    • Um exemplo disso é estacionamento em vagas preferenciais, praticamente ninguém obedece. E esse tipo de conduta denota a má educação do infrator.

  • Lyn

    Oficializou a industria da multa.

  • predadordemarea .

    Depois criticam quando falam indústria da multa.
    O principal objetivo dessa indústria é arrecadar e não educar.

  • Zé Mundico

    No mundo da economia, o nome disso é antecipação de receitas, tipo contar com o ovo no fonga da galinha.
    A receita com multas de trânsito constitui uma carteira ou rubrica que será devidamente “empenhada” como garantia de futuros empréstimos da administração.
    Até aí, nada de mais. Estados e países fazem isso rotineiramente separando uma determinada verba futura para pagamento de investimentos ou amortizações.
    E temos um exemplo bem recente: alguns anos atrás o congresso nacional aprovou uma lei determinando que um percentual da exploração do pré-sal seria diretamente usado na educação e saúde públicas. Se não me engano, era 50%. Quer dizer, 50% das receitas com impostos sobre a produção do pré-sal, já ficam devidamente empenhados e “amarrados” para educação e saúde.
    O ruim de empenhar multa futura é o pessoal começar a ter um surto de bom-mocismo e começar a obedecer a sinalização e cumprir a lei.

    • Retrato do Papai

      “O ruim de empenhar multa futura é o pessoal começar a ter um surto de bom-mocismo e começar a obedecer a sinalização e cumprir a lei.”

      na terra do povo que compra produto roubado porque “político também rouba”, sabemos que isso jamais irá acontecer…

      • Fanjos

        E se acontecer não se preocupe que mesmo assim vai brotar multa de qualquer lugar

  • Yuri Lima

    Acelera, São Paulo!

    João Dória= best gestor ever.

  • Senhor Andante

    Prefeito que não trabalha trabalhando. Quer “trabalho” melhor que usar nosso dinheiro pra ganhar mais dinheiro? Quem sabe não vai aplicar esses recebiveis nas licitações de cartas marcadas que estão rolando por aí… O luxo todo com o dinheiro de vocês eleitores..

  • Ricardo Blume

    Os caras já não sabem mais como fazer dinheiro neste país. Só falta eles meterem o pé na nossa porta e confiscar tudo alegando ser para um bem geral da nação. Não adianta pessoal, moramos em um país incompetente e ficarmos surpresos com tudo isso é perda de tempo. Esse Dória é igual a todos.

  • zeh

    …indústria da multa está pra prefeitura /São Paulo, …assim como a Petrobrás está pro políticos corruptos de Brasília….e o motorista está errado até que prove ao contrário, depois de pagar pela infração…e recorra se puder….

  • alemãoVP

    Mas o da multa não era o anterior?! O tal do “RADARd? mas que coisa rapaz! não vejo agora determinados veículos de imprensa horrorizados com tal notícia…. abram o olho, é tudo farinha do mesmo saco! e o bonequinho de bolo de casamento ainda vai sair candidato a presidente hein!

    • Fanjos

      Foi bom o cara se mostrar só mais um lixão socialista, a população já esta cansada desse tipo de sem vergonha, já perdeu antes de começar

  • Louis

    Por quê ao invés de reclamar, vocês não investem nestas debêntures? 10% a.a, nada mal com a selic a 8,25 com tendência de baixa.

  • Vattt

    “usar a arrecadação, para educar no trânsito,” Ué, mas não é para dar como garantia em empréstimo obtidos junto a investidores??? O famoso político gilette que corta dos dois lados, o dele o dos parceiros dele!!!

    • Fanjos

      Socialista Fabiano…incoerência faz parte do pacote, é o comunista que terminou a faculdade de Filosofia

  • Leonel

    A avaliação de Marconi foi perfeita, no meu ponto de vista. Se multa resolvesse algo, não mataríamos mais no trânsito do que verdadeiras guerras que ocorrem pelo mundo. Além disso, um exemplo básico é que ninguém mais iria beber e dirigir. Enfim, é só um meio de arrecadar dinheiro e isso é bem nítido.

    • Zé Mundico

      Então vamos deixar todo mundo fazer o que quiser e liberar geral. Pelo menos sai mais barato.

      • Leonel

        Não devo ter me expressado bem para tu chegar a esta conclusão. Eu quis salientar que a multa, isoladamente, nada resolve, apenas arrecada dinheiro. Tal dinheiro que não volta como retorno em educação, segurança no trânsito e afins.

        A multa é importante, mas outras ações também são. Punições mais severas e afins, por exemplo.

      • Fanjos

        O que mais se precisa é educação, HuEzeiro em regra parece um babuíno dirigindo (e em todo o resto), sem educação, respeito, nunca da preferencia, anda grudado no outro, se vê alguém tentando atravessar a rua até acelera, agressivo, irresponsável desrespeitoso, etc.
        Da uma volta pelo EUA e vê a diferença que é, principalmente na parte da educação, la praticamente ninguém respeita a velocidade a risca, se esta 40 milhas, andam a 45…50 sem problemas principalmente se a rua esta vazia e ninguém morre por isso, é só usar bom senso, claro que se vc abusar um policial vai aparecer atras de vc, mas como falei, o critério é o bom senso.
        Já aqui no huEzil que esta mais para um país comunista/estadista/socialista o Estado parece um mendigo viciado em craque tentando arrancar trocados de todos lados e de todo mundo, sedento por qualquer taxa, multa ou cobrança, nunca esta satisfeito, nunca é o suficiente, um país sem prioridade, sempre prioriza o lado errado, sempre investe naquilo que não é importante sempre se preocupa com o que deveria ser em ultimo lugar.
        HuEzil é um país sem nenhum futuro, tem que aceitar isso ou procurar o aeroporto internacional mais próximo, pois mesmo que começasse hoje uma mudança radical geral pelo país inteiro ainda levaria centenas de anos para isso aqui virar alguma coisa.

  • saulo

    Krai, estão se superando, multas que ainda nao foram dadas…..

  • Fabio Marquez

    Eu não moro em Sampa, mas pelas notícias que chegam aqui o tal prefeito revolucionário deles parece ser tão político quanto o prefeito da minha cidadezinha do interior de Minas, nada novo sob o sol.

  • Abdallah

    Já disse várias vezes… se os politicos pararem de roubar vai sobrar dinheiro demais.!!

  • zekinha71

    Tai a prova que apresentador de O aprendiz, não presta nem pra prefeito, muito menos presidente.

  • Fanjos

    Ainda bem que esse esquerdista colocou as patas para fora antes de tentar se candidatar a presidente, assim não engana ninguem.

  • Samuel Justus

    Eu já tomei duas multas por “dirigir sem tomar as devidas precauções ” próximo á rua 25 de Março…pra mim pior que ser multado é esse negócio de pontuação: alguém sabe se isso existe em mais algum lugar do mundo? Pq já que o caráter é simplesmente arrecadar dinheiro e não educar pq não acabam com isso de uma vez?

  • Marcos Drawer

    Pronto! Criaram a multa pré-paga!
    “Oi, eu queria pagar uma multa pré! De que valor vc tem ai?”
    “Temos as leves, médias, graves e gravíssimas. Qual o sr quer?”
    “Ah, me veja ai, cinco leves e duas médias por favor!”
    “Pois não! O Sr. não quer levar uma grave? vai que precise…”
    “Ah, deixe pra próxima!”

    É o fim da picada…

  • jkpops

    Tô com a Habilitação zerada no momento mas onde sei que não há radar sento o pé sem dó não há sensação melhor que subir a av. Interlagos sentido bairro à 100km/h é errado ? é mas e daí com tanta safadeza que vemos por aí o que é dar uma acelerada a mais. Já peguei multa na dutra onde é 110 passei à 145 fazer o que paga a multa e acabou assume o B.O e já era. Mesmo usando Gps. waze as vezes te pegam de surpresa..

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend