Finanças Governamental/Legal Segurança Trânsito

São Paulo: só 11 carros devem R$ 80 milhões em multas e impostos

bmw-serie-3-2012-vitrine-2 São Paulo: só 11 carros devem R$ 80 milhões em multas e impostos

É um verdadeiro time de futebol, com todos os 11 integrantes registrados no mesmo clube, que no caso é o dos devedores do poder público. Esse grupo também tem um valor milionário, assim como os jogadores do esporte mais tradicional do país. O elenco vale R$ 80 milhões, mas em dívidas com multas, taxas e impostos não recolhidos. O grupo “atua” apenas na capital paulista e tem como destaque mais recente um BMW 328i 2012, que tem uma dívida de R$ 7 milhões.



Mas ele comente muitas faltas, registrando 1.118 infrações de lá para cá. A maioria das autuações é por excesso de velocidade e desrespeito ao rodízio municipal. Apreensão do veículo ocorreu na segunda-feira e surpreendeu pela quantidade de multas e pelo valor acumulado. Para pagar essa dívida toda, o dono do passe (uma empresa em realidade) provavelmente verá o veículo ser leiloado para pagamento de parte do montante, ficando o restante em nome da proprietária. Caso não pague, ficará com restrição.

Mas esse ainda não é o artilheiro nesse time de carros devedores em São Paulo. No começo do ano, um Ford Escort 1996 foi apreendido com um acumulo de R$ 17 milhões em multas e impostos não recolhidos. Os débitos são referentes a 1.788 infrações. A maioria delas foi por excesso de velocidade. O veículo também estava em nome de pessoa jurídica e o motivo dos altos valores em débitos com o estado é por conta da não indicação do condutor responsável pela infração.

Quando o condutor não é indicado, a multa se repete para pessoa jurídica. No entanto, num prazo de 12 meses, o valor da autuação é multiplicado pelo número de vezes que a mesma infração foi cometida no período. Ou seja, se passar no sinal vermelho por 11 vezes no ano, o valor da multa será de 11 vezes maior que o normal, que no caso é de R$ 293,47. Então, ela custará ao proprietário R$ 3.228,17.

Nesse time, também já foram flagrados e apreendidos outros carros comuns com valores astronômicos em débitos. Em dezembro, um Volkswagen Gol 2007 tinha nada menos que R$ 16,2 milhões em multas e impostos não recolhidos, somando 2.118 infrações. Um mês antes, a fiscalização se deparou com uma picape Peugeot Hoggar 2011/2012 com R$ 9,1 milhões em dívidas. Na Grande São Paulo, por exemplo, um Fiat Ducato 1997, de Osasco, foi apreendido com nada menos que R$ 24,7 milhões em débitos. Um Fiat Mille 2007 foi apreendido com 1.614 infrações e pouco mais de R$ 9 milhões em dívidas de trânsito.

[Fonte: G1]

 

  • Rodrigo

    “A multa tem caráter educativo”
    “Brasileiro só aprende quando põe a mão no bolso”

    Adianta?
    É uma pena que no Brasil ninguém vai preso por dever (exceto pensão alimentícia), mas está aí a prova que quando se quer se burla o Estado…

    • Deadlock

      Não dá para generalizar, a maioria cumpre a lei para preservar o bolso. 80 veículos não significa nada num universo de dezenas de milhões, se bem que milhões são multados todos os anos, por distração. Porém, multa nunca educa nada, apenas estressa, quem educa é a educação, desde a tenra idade, mas a educação pública está um lixo (com exceções), o que a torna nosso maior problema. Esse sistema de multas é simplesmente arrecadatório.

      • Rodrigo

        Não fala isso que logo vem a turminha do lacre dizendo que nao existe industria da multa, pois quem anda certo não é autuado.
        Igual a tiazinha flagrada num radar a mais de 200 km/h no seu Golzinho bola.

        • Deadlock

          Nossa, tive um golzinho bola e ele não chegava nem perto disso. A tiazinha deve ter turbinado o bolinha… Mas, agora estão estabelecendo limites de velocidade cada vez menores. Em Curitiba, a maioria das multas ocorrem em locais nos quais a velocidade máxima é de 40 km/h. E há locais em que o limite é 30 km/h. Em estradas não é incomum ver limites de 60 km/h, além de radares de 80 km/h logo depois do pedágio, em descida, quando a maioria quer acelerar, após perder um tempo pagando por aquilo que o Estado deveria fornecer e não fornece. Estamos sendo escravizados ao máximo.

          • eduardo_

            essa é a nova senzala moderna. Eu particularmente enxergo isso á tempo.
            Brasil, literalmente uma senzala colonizada pelo sistema sistematicamente sistematizado.
            Mas como dizia uma bela canção NÃO MUITO NOVA, ooo oooww, vida de gado, povo marcado e, POVO FELIZ.
            ISSO NUNCA VAI MUDAR.
            PONTO. PRÓXIMA LINHA, PARÁGRAFO, LETRA MAIUSCULA, POR QUE A CONVERSA FIADA SEGUE.

      • Mas aqui cabe uma observação. Muitos que cometem infração de trânsito e inclusive crime como atropelamento e fuga estudaram em colégios particulares (e talvez seja a situação do dono dessa bmw). Não creio que a escola seja culpada, e vale lembrar que o pessoal da direita quer que a escola só ensine português, matemática e outras matérias exatas. Nada de matérias como sociologia, filosofia ou qualquer que aborde ética e entre na seara da discussão sobre a situação política ou social.

        • Cara quem educa é a família. A escola da instrução ( inclusive de ética, filosofia e etc).

          Temos que assumir a educação dos nossos filhos. Eu mesmo só fui entender isso depois de ter os meus e perceber que quem educa ele sou eu e minha esposa. Sou eu quem fura o sinal ou não com ele no carro, sou eu que pago Net ou tenho gato e por ai vai. Não adianta aula de ética na escola com um pai, que é o espelho para a criança, que faz só o errado em casa.

          • Ygor Soares

            Exatamente!

    • Ygor Soares

      Com um galo você resolve qualquer problema de documentação! Triste realidade…..

    • Juarez Veras

      Rodrigo eu complemento você com uma indagação que os veículos de imprensa não fazem. O detran só divulga os devedores, não divulga os campeões de multas pagantes. Tenho amigos que se consideram acima da lei em muitas coisas, incluindo as leis de trânsito. Seus carros estão em nome das empresas e portanto, não precisam declarar o condutor, apenas pagar o valor em dobro. E quando são pegos em estradas que não dá para ocultar o condutor eles recorrem e não sei como, ganham.

  • Me parece um tanto impossível um veículo comum acumular tanto assim em multa. Será que estes valores não são produtos de fraude? Por exemplo, já li em algum lugar sobre um esquema de repassar pontos para outro condutor ou veículo.

    • Raul Cotrim de Mattos

      É estranho mesmo… mas também não é impossível. Se uma pessoa cometer 3 inflações por dia durante um ano, já tem mais de 1000 multa, por exemplo… ou uma multa a cada dois dias por 5 uns anos

      • Romualdo Vieira

        É muito estranho. A pessoa tem que viver pra ser multada. Veja o caso do BMW, pois é de 2012. São 1,4 milhão por ano. R$ 3.835,62 por dia de multa, levando em consideração que o carro não ficaria parado nenhum dia de nenhum ano. Algo está totalmente fora dos parâmetros.

      • Matheus

        Se você desrespeitar o rodízio toda semana, são 2 multas por semana, 104 multas no ano.
        Com o multiplicador de não indicação de condutor, a primeira multa você paga 2 vezes, a segunda 3 vezes, a terceira 4 vezes…
        Em um ano serão 5564 multas de rodízio! Considerando o valor de R$ 130,16 por multa, isso dará um total de R$ 724.210,24 por ano.
        Se o cara não respeita o rodízio, imagina então os radares de velocidade e sinal vermelho, onde o valor da multa é mais alto e ele pode tomar várias por dia…

        • André

          É isso aí, esse sistema completamente perverso que se o carro estiver em nome de P.J não precisa indicar o condutor mas o valor da multa se multiplicam proporcionalmente ao numero de multas obtidas. OOOOOOObviamente que é uma politica arrecadatória e não educativa.

          • Pedrob

            Cara, a medida é extremamente severa exatamente para que os “espertos” que usam o carro em nome de PJ para fazer do trânsito o que bem quiser, desrespeitando os outros condutores e muitas vezes pondo em risco inocentes, se vejam forçados a indicar o condutor e não se valham do fato de não serem pontuados em sua CNH.

            • GABRIELCSFLORIPA

              Eu sempre ponho os carros em nome de PJ justamente por ter a opção de não indicar o condutor.
              Se o radar me pega a 91 km/h na rodovia em um trecho sinalizado a 60 km/h, pela lei além da multa e devo ter minha CNH suspensa. Com o carro em nome de PJ, eu posso optar por pagar o dobro do valor da multa mas não ter a CNH suspensa.

              • xyzR2

                Definição de “esperto”: Rodar a 91 km/h na rodovia em um trecho sinalizado a 60 km/h.

                • Edu

                  Viu só? É o famoso jeitinho brasileiro.

              • Raul Cotrim de Mattos

                Isso que eu acho sacanagem… tenho empresa, mas não faço isso e tenho uma tática muito mais eficiente: não fazer nada de errado e não ser multado!

              • Pedrob

                Exatamente isso que to falando. Essa é uma forma que você usa para burlar a lei. Minha pergunta é: se a multa fosse 10x ou 100x mais cara se não indicar condutor, talvez você não usasse dessa estratégia. Não discordo que há uma indústria da multa, mas não dá pra simplesmente dizer que o fator multiplicativo é medida arrecadatória quando temos ciência de que se não fosse assim seria ainda pior.

              • ALVIN_1982

                Qualquer um pode fazer uma empresa fake no nome de algum laranja, e pronto… Eu conheço alguns laranjas que não tem perspectiva nenhuma de vida e só vive disso…

                • GABRIELCSFLORIPA

                  Mas nesse caso é para quem não tem intensão de pagar as multas, eu ponho em nome de PJ por causa do pontos, mas pago as multas.

            • André

              Mas esse é justamente o problema, se fosse severa, não haveria opção da não indicação, a preço nenhum. Porque os PJ tem tratamento diferenciado? Isso está errado e geram esses absurdos com carros com milhões de dividas impagáveis, que continuam barbarizando no transito até serem apreendidos.

              • Daniel

                A solução é parar o carro quando comete a infração, além do sermão, já observa o meliante, faz bafometro, já apreende o carro, prende o infeliz, etc. Quando vc parar o carro, não haverá nenhuma pessoa juridica no banco do motorista, pode ter certeza disso!

                Mas, enquanto o negocio é fotografar ou só anotar a placa, continua assim…

                Vai ver lá nos EUA… pisou um pouquinho na bola já te mandam encostar e resolvem tudo ali mesmo. Não tem como ficar sem indicação de condutor.

              • Pedrob

                Concordo com você, mas enxergo que nenhuma medida normativa ou lei é perfeita. Hoje se você ingerir bebida alcoolítica e dirigir pode facilmente ir preso, como prevê a lei. Entretanto, quantos ainda bebem e dirigem? Quantos se recusam a fazer o bafômetro e respondem à justiça em liberdade? Da mesma forma, acho que sempre tem espaço para melhorar, e acredito que possam sim existir medidas mais efetivas, mas nenhuma perfeita (ainda lidamos com seres humanos).

          • O ideal seria o governo ter poder para bloquear os bens da empresa nessa situação.

            • ALVIN_1982

              Empresa fake, amigo, só procurar qualquer político que eles te ensinam…

          • Não vejo assim. Para mim é uma forma de tentar impedir o que o @gabrielcsfloripa:disqus falou ali em cima ( sem julgar nem nada Gabriel pois é seu direito mesmo, quem sou eu). Acho que depois de 2 ou 3 multas ele vai estar bem respeitoso. rs

            Já o cara que leva milhares de multas não esta nem ai mesmo e deve ser empresa em nome de laranja e etc.

            • Daniel

              Olha, há alguns anos atras, tomei uma multa a 93km/h (num trecho de 110km/h mas que colocaram safadamente um radar de 60km/h escondido). Bom, acima de 50% do “limite”, suspensão da CNH.
              Pra ter uma ideia da sacanagem, outros 2 amigos meus que passaram um pouco depois no mesmo trecho no mesmo dia também tomaram as multas. Mas, como os carros deles estavam no nome da empresa, só pagaram o dobro e, vida que segue… No meu caso, tive que entrar com recurso, despachante, etc para ter a suspensão anulada (e nem fui atras de receber os 400 e tanto de volta, de tanta dor de cabeça e gastos pra isso). No final das contas, saiu muito mais barato pra eles pagando o dobro e não esquentando a cabeça.

              • Mais pelo que entendi vai multiplicando a cada nova multa. Pode ficar bem caro isso ao ponto de pagar a dor de cabeça.

                • Daniel

                  vai multiplicando se repetir a mesma infração dentro de 1 ano… como eles não são colecionadores de multa, fica muito mais tranquilo..

                  Mas, como mostra a reportagem, tem quem colecione milhoes em multa e que se dane o mundo… depois abre falencia e fica tudo por isso mesmo, vão lá e abrem uma nova empresa com a mesma atividade, mesmo endereço etc, mas com outro nome e tá tudo “de boas”…

              • Pedrob

                Em diversas situações abrimos mão de nosso direitos pelo simples fato de não querer aborrecimento, é bem verdade!

        • Francisco Helio

          Efeito bola de neve…

  • afonso200

    os cara botam um laranja pra abrir uma empresa, e sai fazendo entrega, se todo dia ele passar 2 radares a cima da velocidade em um ano ja vai ter mais de 700 multas, e ninguem pega, e o laranja “dono” da empresa, é um pobre que nao tem nem um Fusca pra sustentar, e dai como se resolve, kkkk

    • Mas poderia bloquear os bens da empresa. Se possui uma Bmw com certeza tem movimento financeiro e outros bens no nome.

  • Felipe

    Se juntar os principais automóveis infratores de cada estado, já dá pra contratar o Neymar…

  • Zé Mundico

    Se for de pessoa jurídica, pode entregar para Deus. A empresa já faliu, o registro na junta comercial já caducou e fica por isso mesmo.Quando muito fica o registro na Dívida Ativa do Município, que depois de um tempo é cancelado.

    • Schack Bauer

      Agora os caras tinham que ter pelo menos apreendido esses carros há muito mais tempo. OCR já tem há bem mais de dez anos. Como esse Escort conseguiu ficar tanto tempo rodando sem ser pego é um troço inexplicável.

      • Daniel

        O radar lê a placa… Mas, não tem ninguem pra parar.
        Não temos fiscalização de transito, temos “multação de transito”. Só isso.

  • Leonel

    São por estas e outras que eu digo que existe uma indústria da multa. Se quisessem de fato educar, teriam punições sérias. Fica a dívida no nome do cidadão (que se faz isso, o nome dele é o que menos importa) e o carro vai a leilão. Fala sério, né?

  • GABRIELCSFLORIPA

    OFF TOPIC:
    Koenigsegg divulga vídeo onde o Agera superou em mais de 5 segundos o record tão alarmado pela Bugatti.
    https://www.youtube.com/watch?v=R1g07RpTPFE
    Imagina então o que o Regera fará.

  • GABRIELCSFLORIPA

    Eu sempre ponho os carros em nome de PJ justamente por ter a opção de não indicar o condutor.
    Se o radar me pega a 91 km/h na rodovia em um trecho sinalizado a 60 km/h, pela lei além da multa e devo ter minha CNH suspensa. Com o carro em nome de PJ, eu posso optar por pagar o dobro do valor da multa mas não ter a CNH suspensa

    • zekinha71

      Esse é o “geitinho brasileiro” de passar a perna, depois deve reclamar dos políticos que não prestam.

      • GABRIELCSFLORIPA

        Estou infringindo alguma lei ao fazer isso?
        Pelo menos não sou hipócrita como vc que fica julgando sem antes olhar para o próprio umbigo.

        • xyzR2

          “Estou infringindo alguma lei ao fazer isso?”
          “91 km/h na rodovia em um trecho sinalizado a 60 km/h”

          • Rafaelprado

            Ele se referiu ao fato de preferir pagar o dobro ao invés de não indicar o condutor.

            • “Perguntador”

              Mas ele está infringindo pelo ato de não indicar o condutor, a segunda multa é uma punição por uma infração (não apresentar condutor).

              Art. 161. Constitui infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito deste Código, da legislação complementar ou das resoluções do CONTRAN, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas indicadas em cada artigo, além das punições previstas no Capítulo XIX.

              Art. 257. As penalidades serão impostas ao condutor, ao proprietário do veículo, ao embarcador e ao transportador, salvo os casos de descumprimento de obrigações e deveres impostos a pessoas físicas ou jurídicas expressamente mencionados neste Código.
              § 8º Após o prazo previsto no parágrafo anterior, não havendo identificação do infrator e sendo o veículo de propriedade de pessoa jurídica, será lavrada nova multa ao proprietário do veículo, mantida a originada pela infração, cujo valor é o da multa multiplicada pelo número de infrações iguais cometidas no período de doze meses.

  • Schack Bauer

    Essa estória de estar registrado em nome de empresa é só jogadinha pro motorista não levar os pontos na carteira.

  • Rafaelprado

    Sabe como se resolver isso, bloquear o registro de novos veiculos para empresas que possuam débito outros carros.

  • Fabricio

    Eu acho que tinham que inventar um joguinho.. tipo aquela caça ao Pokemon… E a galera que achasse esses carros de vagabundos e irresponsáveis, ia ganhando pontos no joguinho… Todo mundo ganha!

  • Rafael Trindade

    Brechas na lei! Nada surpreso.

  • Vincule a placa ao motorista/cpf.

    Iria ajudar bastante… daria pra burlar, claro, mas ajudaria a diminuir como nesse caso.

  • yurieu

    Por que não sai uma notíca sobre o quanto de impostos e multas o governo deve aos brasileiros?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend