Europa Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas Seat

Seat está em situação delicada na Espanha por conta da Catalunha

seat-arona-2018-1 Seat está em situação delicada na Espanha por conta da Catalunha

A anunciada, mas não efetivada, declaração de independência da Catalunha, uma região localizada no nordeste da Espanha, está colocando o maior fabricante de veículos da península ibérica em uma situação bastante delicada, já que é em Martorell, uma cidade próxima de Barcelona – capital da região – que fica a sede da Seat, marca do grupo Volkswagen.



O peso sobre os ombros da empresa é enorme, pois ela representa 0,8% do PIB da Espanha e emprega em torno de 100 mil pessoas na Catalunha, entre empregos diretos e indiretos. Além disso, quando se fala em fabricante de veículos espanhol, o primeiro nome que vem à mente é a do fabricante catalão.

Como se sabe, a Seat tem tradição em nomear seus produtos com nomes de cidades do país e o próximo modelo será um SUV de sete lugares, que será feito em Wolfsburg, Alemanha. O anúncio estava marcado para o dia 15 de outubro, mas diante da crise política instaurada após plebiscito realizada na Catalunha e declaração de independência por parte da mesma, a situação se complicou ao ponto de adiarem a divulgação, afinal, será mais um nome de cidade da Espanha e na altura dos acontecimentos, só acirraria alguns ânimos por lá.

Agora, de acordo com o jornal El Mundo, a Volkswagen deu aval para que a Seat decida se manterá sua sede na Catalunha ou se partirá para outra província espanhola. Desde o começo da questão da independência, a montadora de Martorell se posicionou a favor de manter-se onde está, na Catalunha. Várias empresas da região já se retiraram, inclusive dois bancos.

A questão para a Seat é mais importante do que o mercado catalão. A região não tem apoio de União Europeia e vários estados do continente já anunciaram que não reconhecerão a Catalunha como um estado independente do reino da Espanha. Isso traria enormes complicações para as empresas instaladas no país, especialmente a Seat. Além disso, manter-se em Martorell significaria dizer que apoia a separação e isso teria reflexo imediato nas vendas dentro do mercado espanhol, essencial financeiramente e também em termos de imagem.

Há também a questão dos cargos executivos e também da arrecadação de impostos. A Seat, no entanto, tem em Martorell sua maior e mais importante fábrica que, inicialmente, não deverá ser prejudicada com o corte de investimentos já anunciados pelo grupo Volkswagen, algo em torno de 3,3 bilhões de euros até 2019. De lá sairá a próxima geração do Audi A1, por exemplo.

[Fonte: El Mundo via Diário Motor]

  • th!nk.t4nk

    A essa altura o mais lógico seria transferir a fábrica pra algum país do leste europeu, como todas as outras já fizeram. Os espanhóis não vão deixar de comprar SEATs por isso, eles sabem que a empresa é alemã, e nessa crise olham muito mais o custo x benefício do que a origem do produto.

    • Jose Borges

      É aí que você se engana, o nacionalismo é algo importante entre os europeus e a Seat é uma empresa espanhola. Acredito que para a empresa se manter onde está após a separação é algo preocupante pois, como o novo estado não fará parte da UE, a tributação poderá complicar a vida da Seat no mercado europeu. Além disso, poderá sofrer boicote por parte dos espanhóis. É uma situação bem complexa e, por esse mesmo motivo algumas empresas estão decidindo deixar a Catalunha.

      • André

        A UE diz agora que não aceitará a Catalunha, mas se a separação de fato acontecer, coisa que eu duvido, vão aceitá-la, é a parte mais rica da Espanha. A não inclusão iria gerar mais problemas para a já complicada UE.

        • Ducar Carros

          Você está muito enganado: a UE não vai aceitá-la de jeito nenhum, ela será isolada para servir de exemplo para outros movimentos nacionalistas na Europa (todo país de lá tem ao menos um).

          A Catalunha tem menos de 8 milhões de habitantes (o PIB é equivalente ao de Portugal, país periférico na Europa), e um pedacinho dela fica na França, que foi a primeira (fora a Espanha) a dizer que ela não entra para a UE de jeito nenhum.

          Se já é difícil consenso na UE com 28 países, imagine com 50! Por isso, esquece, se a Catalunha se separar, servirá de exemplo! E será muito mais difícil para ela perder o mercado espanhol e europeu do que o contrário.

      • th!nk.t4nk

        Nao concordo. Moro há bons anos na Europa e afirmo que os espanhós dificilmente se importariam a médio prazo. Eles não são nem de longe tão nacionalistas quanto os brasileiros imaginam em relaçao a bens de consumo (creio que a questao da Catalunha tenha confundido muita gente a esse respeito). Europeu é nacionalista pra coisas bem específicas, mas nao de uma forma geral como os brasileiros pensam (até porque praticamente tudo o que consomem é importado). Além disso carros da SEAT são modelos mais populares, de baixo custo, voltados pra classe média-baixa. Pode ter certeza de que estas pessoas não estao nem aí pra origem de um carro popular, querem é pagar barato.

      • thi

        AMIGO TODO MUNDO SABE Q A SEAT É UM VOLKSWAGEN

    • FocusMan

      Não acho que devam fazer isso. A contrução e venda de carros é algo as vezes passional. As pessoas compram realmente os carros produzidos em seus países as vezes mesmo sabendo que não são os melhores.

      Geralmente os produtos feitos no leste europeu feitos pelas empresas do main stream são carros com baixo volume, ou carros que vão abastecer o mercado local do leste europeu. Cito como exemplo o Audi TT feito na Hungria.

      • th!nk.t4nk

        A Skoda vende pra caramba na UE. Aliás, praticamente todas as montadoras européias produzem no leste europeu. O volume na realidade é bem grande. Nao é pra mercado local nao, é pra exportar justamente pro oeste europeu. Ninguém tá nem aí se o carro vem do país X ou Y, o que as pessoas se importam é com a qualidade do produto.

        • Jackson

          Concordo contigo, pois já morei na Europa e a grande maioria quer é pagar pouco, carro é mero meio de transporte.

        • FocusMan

          Engano seu, o Europeu é bem preconceituoso quanto a isso. Idem nos EUA. Vamos ver o que vai acontecer com o Focus nos EUA agora que ele vai ser chines. Vamos ver tb como vai ser a venda do Ecosport Indiano por lá.

          A Skoda vende pra caramba pra locadoras. É o carro padrão da Hertz, ThreeFifty e outras. É o carro de frota de diversas empresas. Não conheço muita gente que compraria um Skoda Octavia no Lugar de um Passat para economizar 1000 Euros. Empresas compram porque compram 10 mil carros e 1000 x 10000 é muito dinheiro.

          • th!nk.t4nk

            FocusMan morei nos EUA e moro na Europa há bons anos e sou justamente do ramo automotivo. Devo viver num universo paralelo então pra não saber da realidade daqui 🙂 A marca que mais vende pra locadora na UE atualmente é a Ford, pra você ter ideia. Skoda vende muito mais pra pessoa física mesmo. Há países com mercados mais específicos (como o UK), mas no geral o povo de baixa renda compra felizão carro fabricado em outros países. E 1000 Euros de diferença entre um Octavia e Passat? Cara, a Skoda dá descontos enormes, a diferença de preço é enorme. Você pega um Octavia completo por MENOS que um Passat básico na prática. Nas áreas mais pobres da UE isso faz toda a diferença (confira os números de vendas por si mesmo).

            • FocusMan

              Eu acabei de voltar da Europa. Não foi isso que eu vi. Passei 3 meses a trabalho e fui em vários paises. Eu n vi muitos Skodas a não ser na Alemanha e leste europeu.

              • th!nk.t4nk

                3 meses na Europa e viu poucos Skoda :) Agora dá uma olhada no ranking de vendas. Pra onde estão indo todos estes carros? Será que se esconderam justamente quando fez sua eurotrip? Seria o ranking de vendas uma mentira? Uma alucionação coletiva? Seria eu vivendo há bons anos na Europa o maluco que faz esses rankings? Hehe.

      • oscar.fr

        Eu também não concordo. Nacionalismo é o meu tema de estudos em ciência política e o que jamais faltou foram pessoas para decretar a sua morte ou superação. Não é um mero acaso que as marcas nacionais vendam melhor em seus mercados respectivos nacionais. Não compartilho do argumento que o espanhol compre Seat apenas pelo custo benefício, ele poderia conseguir isso escolhendo Dacia, Fiat, Skoda ou uma marca coreana. Mas escolhem Seat e Citroën, marcas vistas como nacionais, uma pois de fato é e a outra pela extensa produção nacional.

    • Ducar Carros

      Provavelmente vai transferir a sede para alguma grande cidade próxima da Catalunha, como várias empresas e bancos estão fazendo. Esse arroubo independentista vai custar muitos empregos aos catalães.

      O problema é a fábrica, os carros terão de pagar tarifa para serem exportados para o resto da Espanha e UE, e não é fácil transferir uma fábrica grande. A população da Catalunha é muito pequena para sustentar sozinha a demanda da fábrica.

  • Daniel

    Empresas nacionais que mantiverem suas principais atividades na Catalunha darão um tiro no pé. A questão não é somente a vontade dos catalães na separação, mas também a forma como o resto do país vê isto. Basta observar o tratamento dado recentemente ao jogador Piqué. Certamente tais empresas seriam boicotadas por grande parte da população espanhola.

  • Luis Burro

    Nossa como o humano gosta de complicar!
    Q q tem a ver permanecer com apoiar?Olhe só como é dispendiosa qlqr mudança e além disto ela não é catalã,então não tem nd q sair de lá!

  • A independência da Catalunha já nasce morta. Se ficar apenas na diplomacia, a Espanha vence.

  • FocusMan

    Que merda a gente saber que estamos no século 21 e ainda as pessoas continuam a agir como cães, dermacando territórios com urina e latindo para quem se aproxima dos seus domínios.

    • Pedro Evandro Montini

      Por acaso você mora numa casa sem muros?

      • FocusMan

        Quando eu estava fora do Brasil eu morava.

    • Jackson

      A catalunha e o país basco possuem um idioma bem diferente do espanhol. Eles querem a separação pois não estão de acordo em sustentar o país.

      • Ducar Carros

        Motivo mais egoísta, impossível! E olha que a Catalunha nem sustenta a Espanha tanto assim, tem 20% do PIB e 16% da população da Espanha.

        Os próprios bascos hoje estão muito mais calmos, viram que não faz sentido pedir para sair da Espanha (onde já estão há séculos, e têm bastante autonomia, como a Catalunha) e ficar na UE, onde seriam irrelevantes. E a renda per capita deles é maior que a da Catalunha, ou seja, sustentam mais o país que ela.

        • Marcel

          Conversei com um espanhol de Madri meses atrás e ele me falou que os catalães que reclamam do Franco, que ele os oprimia, não falavam nada que o mesmo Franco que foi responsável por tornar a região rica colocando empresas na região como a fabrica de carros Seat e de motos que não lembro o nome entre outras, ele falou que quando vai falar em espanhol com catalães eles dizem pra ele que não entendem, que não querem falar espanhol, concordamos que os catalães se acham superiores mas eu sou favorável a qualquer separação, ainda mais se é o desejo tão majoritário como parece ser.

          • Ducar Carros

            Discordo sobre o interesse majoritário: o referendo não teve valor algum, não teve nenhuma fiscalização (quem garante que não foram forjados votos?), e nem controle sobre quem votava: o mesmo “eleitor” podia votar várias vezes em seções diferentes. E mesmo assim, só atingiu 40% dos eleitores, proporção muito frágil. Para algo do tipo, é preciso a aprovação mínima de 2/3 dos eleitores, para que não reste dúvidas sobre a vontade popular (pois não tem volta).

            Separar-se para ficar irrelevante? Juntos com a Espanha, os catalães fazem parte de um país que é a 14° economia do mundo e estão na UE; separados, serão tratados como Peru (PIB próximo), país periférico no mundo, e devem ficar fora da UE. Será bom negócio?

            O mundo precisa de mais união, e não de segregação (se sentir superior a outra pessoa em quê?)! Separar-se tem de ser exceção, e não a regra.

            • União Européia que o diga ne kkk

            • leitor

              Outro ponto a considerar é que a Catalunha PERTENCE à Espanha. Precisa de aprovação dos espanhóis para sair e essa consulta não foi feita. Os catalães não podem dizer que a região é somente deles e tomarem uma decisão unilateral. Isso é regra lá e em muitos outros países no mundo. No Brasil por exemplo tem mais rigor ainda.

      • MMM

        Genebra e Zurich possuem idiomas totalmente diferentes e nem por isso se separam da Suica. Idem para as provincias canadenses. Até a pequena Belgica. Isso não dizmuita coisa.

        De qqr maneira a Catalunha não sustenta o pais e se a separacao ocorresse ela perderia parte consideravel do pib e dos beneficios de comercio com a UE.

      • FocusMan

        Igual ao que os Paulistas e Sulistas pensam sobre o resto do Brasil?

        E o que fazer com todo o investimento em infra estrutura que o pais fez nesses lugares?

    • Ducar Carros

      Só faz sentido um povo pedir a independência caso se sinta fortemente discriminado no próprio país: foi o caso dos irlandeses na Grã-Bretanha, dos muçulmanos na Índia (criando o Paquistão e Bangladesh) e da fragmentação iugoslava (que foi um país criado artificialmente na Primeira Guerra). Atualmente, é o caso do Iraque, um país artificial onde a pessoa é primeiro sunita, xiita ou curda, vai ser difícil o país se manter junto por muito tempo sem uma ditadura tipo Saddam Hussein.

      Não é o caso da Catalunha (há mais de 500 anos na Espanha), que já tem bastante autonomia e pode usar até a língua própria junto com o castelhano (que é a língua franca, já que o catalão é falado só por dez milhões de pessoas no mundo, a maioria como segunda língua).

  • Se essa divisão acontecer, pode gerar uma reação em cadeia com o País Basco, a região entre Bélgica e Holanda entre outras regiões na mesma situação, pode até dar um ânimo para a Irlanda…

    • Alexandre Volpi

      Quiçá até para os bocós que pedem a separação dos “Estados Unidos do Sul” aqui no Brasil…

      • Kkkkk verdade, são pessoas bem barulhentas que acreditam que os coronéis daqui são melhores que os de Minas, Maranhão e Bahia e que o novo país seria de primeiro mundo, há quem diga que até o idioma oficial seria outro hehehe… Mas ninguém leva a sério essa gente por aqui, que dirá no resto do país.

      • kravmaga

        Pois é, graças ao Império e ao Exército Brasileiro o Brasil se manteve unido e isso é uma das maiores riquezas do Brasil em relação ao resto da América Latina.

        Espero que a Espanha não deixe a Catalunha de separar, nem que tenha que intervir na região e mandar tropas do exército espanhol.

        • Marcel

          Qual o sentido de conviver com quem não gosta de vc? Conviver a força? Tosquice. Sou favorável a qualquer separação desde que seja o desejo majoritário.

  • Marcus Vinicius

    E fábrica da bélgica que audi fabrica atualmente o A1 vai fabricar o que posteriormente ? Se a produção for para catalunha.

  • leitor

    O que interesses políticos estão fazendo no mundo não é pouca coisa. Tudo isso não passa de interesses políticos jogados na população para manipular e olho grande em tirar proveito da direção de um novo país para ser formado. O que importa é dominar a Catalunha, ter controle, mesmo que as perdas da região sejam consideráveis. Para quem governar ainda com todas as perdas locais, o controle da região é um lucro imenso.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend