Top 10: Sedãs mais fracos do Brasil (2022)

HB20S está com preço de hatch e Creta tem IPVA ou combustível grátis

Existem diversos motivos para comprar ou desistir de um carro, e isso certamente inclui o que ele oferece debaixo do capô. Pensando nisso, você sabe quais são os sedãs mais fracos do Brasil em 2022?


Falando sobre esse segmento, nosso mercado continua oferecendo diversas opções com motor 1.0. Ainda que eles sirvam bem em carros menores, tais propulsores costumam sofrer para empurrar um sedã compacto.

Além do peso do próprio carro, eles normalmente andam carregados com mais pessoas e alguns itens no porta-malas, afinal esse é o objetivo de comprar um carro maior.

Mas você também vai notar que a lista abaixo inclui sedãs com motores maiores (1.3, 1.5 e 1.6) e até com alguma ajuda extra, como os híbridos ou turbinados. Ou seja, não estamos falando exatamente de um carro fraco, mas eles ainda entram no ranking dos menos potentes.

Para ordenar a lista, usamos sempre a potência com gasolina, que é a menor no caso dos modelos flex. Além disso, incluímos outros detalhes de seu conjunto mecânico, equipamentos de série e preços atualizados.

Confira nossa lista e nos diga nos comentários qual modelo você compraria e qual você jamais colocaria na sua garagem!

Veja também: SUVs mais fracos do Brasil

10) Honda City 1.5 – 126 cv

Confira as mais de 150 listas Top 10 que temos no nosso site!

Antes de falar sobre diversos sedãs com motor 1.0, nossa lista inclui algumas opções com propulsores maiores que também figuram entre os mais fracos do segmento.

Um deles é o novo Honda City 1.5 i-VTEC, que entrega 126 cv e 15,5/15,8 kgfm, sempre com câmbio CVT. Sua aceleração até os 100 km/h ocorre em 11,3 segundos, com máxima de 175 km/h. Ou seja, não é um desempenho tão ruim.

Vendido nas versões EX, EXL e Touring, o City vem de série com 6 airbags, controle de tração e estabilidade, câmera de ré, piloto automático, ar digital, multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, entre outros.

Os preços variam entre R$ 109.000 e R$ 125.000.

Confira: Avaliação: Novo Honda City tem proposta equilibrada

9) Toyota Corolla Hybrid e Chery Arrizo 5e – 122 cv

A nona posição tem um empate entre dois modelos que podem enganar quem olha apenas para sua potência. Estamos falando do Toyota Corolla Hybrid e do Chery Arrizo 5e, ambos com 122 cv.

O primeiro atua como a opção mais cara do sedã médio, com motor 1.8 de 98/101 cv e 14,5 kgfm ligado a dois propulsores elétricos de 72 cv e 16,6 kgfm. Assim, ele leva 11 segundos até os 100 km/h e tem máxima de 180 km/h.

Partindo de R$ 177.590, ele vem com o pacote Safety Sense (frenagem automática, ACC, farol alto automático, entre outros), 7 airbags, faróis e lanternas em LED, ar digital, multimídia com câmera de ré, entre outros.

Veja também: Avaliação Corolla Altis Hybrid 2020: economia com etanol

Já o Chery Arrizo 5e custa R$ 159.900 e é bem mais raro nas ruas, entregando 122 cv e 28,1 kgfm. A marca informa que ele chega aos 50 km/h em 4,8 segundos e tem máxima de 152 km/h, números que indicam sua preferência pelo ambiente urbano.

Ele vem de série com teto solar, A/C automático, bancos com revestimento premium, freio de estacionamento eletrônico com Auto Hold, painel digital, monitoramento de pressão e temperatura dos pneus, multimídia de 10 polegadas, entre outros.

8) Volkswagen Virtus 1.0 TSI – 116 cv

Voltando a falar sobre sedãs convencionais, a oitava posição destaca o Volkswagen Virtus 200 TSI. Essa é sua motorização de entrada, pois a marca retirou de linha a opção 1.6 nesse e em outros modelos.

Aqui temos o conhecido 1.0 TSI de 116/128 cv e 20,4 kgfm, sempre com câmbio automático de 6 velocidades. Ele chega aos 100 km/h em 9,9/10,4 segundos e tem máxima de 194/189 km/h, respectivamente com etanol e gasolina.

A opção de entrada Comfortline (R$ 113.250) vem com direção elétrica, sensores de estacionamento, quatro airbags, A/C, controle de tração e estabilidade, rodas aro 15, VW Play de 10 polegadas, start/stop, entre outros.

Sua gama ainda conta com as opções Highline 1.0 TSI (R$ 129.410) e GTS 1.4 TSI (R$ 148.560).

7) Nissan Versa 1.6 – 114 cv

O novo Nissan Versa atualizou seu visual, ganhou mais equipamentos e se tornou uma opção muito mais interessante no segmento. Por outro lado, ele manteve o mesmo propulsor, perdendo a chance de se igualar aos rivais com motor turbo.

Com isso, todas as suas versões são 1.6 e entregam 114 cv e 15,5 kgfm, com câmbio manual de 5 marchas ou CVT. O japonês leva 10,7 segundos para atingir 100 km/h e alcança 180 km/h (ou 10,8s e 185 km/h na versão manual).

Sua opção de entrada vem com seis airbags, sensor de estacionamento traseiro, piloto automático, chave presencial, assistente de partida em rampa, rodas aro 15, A/C, direção elétrica, controle de tração e estabilidade, entre outros.

Seu preço inicial é de R$ 101.990, valor referente à versão Sense CVT. Mesmo sem nenhum anúncio oficial, aparentemente a Nissan retirou de linha a configuração com câmbio manual.

6) Toyota Yaris Sedan 1.5 – 105 cv

Rival direto do Nissan Versa, o Toyota Yaris Sedan é outro sedã com números discretos quando abastecido com gasolina. Aliás, ele fica bem abaixo de seu concorrente quando vemos sua ficha técnica.

O motor usado pelo Yaris Sedan é o 1.5 16V de 105/110 cv e 14,3/14,9 kgfm de torque, sempre com câmbio CVT de 7 velocidades. Ele leva 12 segundos para chegar aos 100 km/h e tem máxima de 186 km/h, priorizando o conforto e consumo com essa transmissão.

Desde sua versão de entrada, ele vem com sete airbags, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, A/C, direção eletroassistida, multimídia Toyota Play+ de 7 polegadas, rodas aro 15, entre outros.

Vendido nas versões XL, XS e XLS, ele custa entre R$ 96.890 e R$ 117.590.

Confira: Yaris 2023 amplia segurança a partir de R$ 92.190

5) Fiat Cronos 1.3 – 101 cv

Abrimos a segunda parte de nossa lista com o último modelo com motor maior que os sedãs 1.0. O Fiat Cronos aparece atualmente apenas com o propulsor 1.3, já que as versões 1.8 saíram de linha em meados de 2021.

Com isso, ele entrega 101/109 cv e 13,7/14,2 kgfm de seu propulsor Firefly, acelerando até os 100 km/h em 11,5 segundos e com máxima de 183 km/h. O câmbio é sempre manual e tem cinco marchas.

Sua versão de entrada custa R$ 83.790 e vem com A/C, computador de bordo, direção elétrica, lanternas de LED, alerta de pressão dos pneus, rodas aro 15, vidros e travas elétricos, mas sem qualquer opcional.

Já a opção Drive (R$ 89.490) acrescenta multimídia de 7 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, controle de tração e estabilidade, volante multifuncional, entre outros equipamentos.

4) Renault Logan 1.0 – 79 cv

A parte final de nossa lista tem apenas modelos 1.0, motor que ainda é bastante usado pelas montadoras em seus sedãs compactos. Mesmo não sendo o ideal, isso ajuda a ter produtos mais baratos.

Na quarta posição temos o Renault Logan, que tem o propulsor 1.0 12V SCe de 79/82 cv e 10,2/10,5 kgfm, sempre com câmbio manual de 5 marchas. Seu desempenho é mais fraco, com 0 a 100 km/h em 13,2 segundos e máxima de 164 km/h.

Vem de série com quatro airbags, direção elétrica, luz de LED diurna, ar-condicionado, start/stop, vidros elétricos dianteiros e travas elétricas, além de um generoso porta-malas de 510 litros.

Ele é vendido nas versões Life e Zen, que custam R$ 84.290 e R$ 87.790.

3) Chevrolet Onix Plus 1.0 – 78 cv

O nosso pódio começa com o Chevrolet Onix Plus, que usa o motor 1.0 aspirado de 78/80 cv e 9,5/9,8 kgfm apenas em sua versão de entrada, associado ao câmbio manual de seis marchas.

Com esse conjunto, ele leva 13,3 segundos até os 100 km/h e atinge 167 km/h de máxima. Todas as outras versões tem o propulsor 1.0 turbo de 116 cv e 16,8 kgfm, que obviamente apresenta um desempenho muito melhor.

De qualquer forma, o Onix Plus tem como destaque sua extensa lista de equipamentos de série. Ela vem com seis airbags, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, ar-condicionado e direção elétrica progressiva.

Ela segue com banco do motorista com regulagem de altura, multimídia MyLink de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, Bluetooth com 2 conexões simultâneas, rodas de 15 polegadas, entre outros.

Os preços do Onix Plus começam em R$ 80.610 e chegam a R$ 107.760, já com o motor turbo.

2) Volkswagen Voyage 1.0 – 77 cv

Sim, o Volkswagen Voyage ainda é vendido pela marca alemã, sendo um dos carros mais antigos em nosso mercado atualmente. E depois da saída do motor 1.6, já citada no caso do Virtus, sua linha ficou apenas com a opção mais fraca.

Estamos falando do propulsor 1.0 12V de 3 cilindros, que entrega 77/84 cv e 9,7/10,4 kgfm de torque. Com câmbio manual de 5 marchas, ele chega aos 100 km/h em 13,5 segundos e tem máxima de 170 km/h.

Sua lista de equipamentos é bem enxuta, com ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura, chave canivete, direção hidráulica, rodas aro 14 e vidros elétricos, além dos itens básicos de segurança.

Como opcionais aparecem as rodas de 15 polegadas (R$ 320), a central Media Plus (R$ 1.430) e o pacote Urban Completo (R$ 8.030), que agrega sensor de estacionamento, multimídia Composition Touch, lanternas escurecidas, entre outros.

Seu preço inicial é de R$ 85.770.

1) Hyundai HB20S 1.0 – 75 cv

Hyundai HB20S 2020

A primeira posição, quem diria, é do Hyundai HB20S, um sedã compacto que oferece muitos equipamentos e uma motorização moderna. Isso tudo, porém, nas versões mais caras, enquanto a mais barata tem uma situação diferente.

Nela, o sedã oferece o propulsor 1.0 Kappa, de 75/80 cv e 9,4/10,2 kgfm, associado ao câmbio manual de 5 marchas. Com ele são necessários 14,5 segundos para atingir 100 km/h, antes de chegar à máxima de 162 km/h.

A boa notícia é que sua lista de equipamentos é interessante, com quatro airbags, rodas aro 15, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, A/C, direção elétrica, chave canivete e multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay.

O preço inicial do Hyundai HB20S é de R$ 79.690, mas esse valor pula para R$ 109.390 na configuração mais cara.

Top 10: Sedãs mais fracos do Brasil (2022)

  1. Hyundai HB20S 1.0 – 75 cv
  2. Volkswagen Voyage 1.0 – 77 cv
  3. Chevrolet Onix Plus 1.0 – 78 cv
  4. Renault Logan 1.0 – 79 cv
  5. Fiat Cronos 1.3 – 101 cv
  6. Toyota Yaris Sedan 1.5 – 105 cv
  7. Nissan Versa 1.6 – 114 cv
  8. Volkswagen Virtus 1.0 TSI – 116 cv
  9. Toyota Corolla Hybrid e Chery Arrizo 5e – 122 cv
  10. Honda City 1.5 – 126 cv

Autor: Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 18 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.

Deixe um comentário