Comprando e Vendendo Mercado

Seis dicas simples para não errar na escolha de um carro usado

kia-cerato-usado-semana-21-700x393 Seis dicas simples para não errar na escolha de um carro usado

De 2012 para cá comprar um carro usado se tornou menos comum no Brasil, devido à facilidade de se adquirir um carro 0km. Outro problema, esse já antigo, é a dificuldade de se achar um veículo usado de qualidade. Dentro deste segundo motivo, encontramos ainda mais uma barreira: a quantidade de pessoas ou lojas querendo vender gato a preço de lebre. E em 2014, o aumento no valor dos carros novos levará muitos consumidores a optar por opções mais baratas, mesmo sabendo dos riscos.



Que é mais garantido comprar um carro novo todos nós sabemos, mas o carro usado pode sim se tornar um bom negócio se você souber administrar a compra. Fique esperto: se a sua garagem está tão vazia quanto o seu bolso e você quer mudar essa situação, a matemática é relativamente simples. Trouxemos algumas dicas que te darão boas chances de uma boa compra.

1º – Planeje-se

Antes mesmo de começar a procurar busque colocar no papel o que você quer (marca, modelo, segmento, ano, valor, cor, etc.) e nem pare para olhar opções que fujam do que você listou. Financeiramente, saiba quanto você tem para dar de entrada (caso não compre à vista) e não se esqueça de deixar um dinheiro reserva para documentação, combustível, seguro ou alguma manutenção mais simples.

Se você está pensando em dar sua moto de entrada, saiba que, nesses casos, chegam a oferecer por elas até 50% a menos do valor da tabela FIPE, e você não conseguirá muito a mais do que isso. Nesse caso, aumente um pouco as prestações e prefira continuar com ela, o que será uma boa pedida para o dia a dia.

2º – Dê preferência por um veículo “particular”

As chances de fechar um bom negócio em questão de valores e qualidade são maiores se a compra for de um modelo particular, de preferência “único dono”. Vale até arriscar dar aquela “pechinchada”. Mas não esqueça que você não terá a quem reclamar em caso de problemas. Por isso, preste atenção na próxima dica.

3º – Faça um check-up completo

Não deixe de mostrar desconfiança. Peça para ver documentações e o histórico do carro pelo site do departamento de transito local. Confira detalhes como número do chassi, pintura, falhas nas portas e capô (podem indicar que o carro foi batido), pneus e equipamentos de segurança. Também use sistemas que vendem checagens completas pela internet, por um valor. E não deixe de dar uma volta dirigindo o carro antes de fechar negócio.

Que tal aproveitar a saída e leva-lo a um mecânico de confiança? Combine um horário com ele e leve o carro e o atual proprietário junto. É bom que ele saiba de sua preocupação. Essa é a principal dica de todas, e pode valer mais a pena do que você imagina.

4º – Não quer incômodos? Dê preferência por uma autorizada

Nada contra outras lojas, mas se não encontrar um bom carro particular ou simplesmente optar por comprar em uma loja, dê preferência por autorizadas, de preferência da marca do usado que está comprando. Você pagará um pouco a mais, mas deve saber que a mecânica desses carros é revisada já nos primeiros dias na loja. E em casos de problemas mais sérios, você tem um vendedor a quem recorrer.

Falando em vendedor, não dê tanta confiança a conversas do tipo “dava pra vender como se fosse novo” ou “por cinco anos, você não vai se incomodar”, principalmente se você não for amigo de longos carnavais de quem lhe atende. Vendedores honestos existem, mas “picaretas” ainda batem à nossa porta, e pode ter algum cheio de vontade de te fazer levar um problema para casa. E lembre-se de que, independente da loja que você comprou o veículo, é possível recorrer ao PROCON e à Justiça em casos de problemas, desde que você tenha nota fiscal do carro comprado.

5º – Cuidado com os conselhos e não de ouvidos a certos mitos

Jargões do tipo “carro usado não presta”, “carro 1.0 com ar-condicionado não anda”, “carro é questão de sorte”, entre outros, são tão comuns quanto inúteis. Há quem diga que “se arrancar em terceira quer dizer que o carro está bom”, mas perceba que se fizer isso para testar, você pode danificar e até fundir o motor que até agora funcionava perfeitamente, e pode ter de arcar com os prejuízos.

O mais clássico é aquele que diz que carro usado perde muito valor. Analise comigo: qualquer carro perderá o valor, desde o Chevette dos seus avós até a Ferrari dos seus sonhos. Não tente fugir dos custos: o conforto tem seu preço.

Esqueça opiniões sem valor como as citadas acima e tantas outras (e você ouvirá muitas). Chame seu mecânico de confiança que será de mais valia. E não peça a opinião de toda a sua rede de amigos, e sim procure perguntar a duas ou três pessoas que já tenham tido ao menos dois carros para um prazo de no mínimo cinco anos, de preferência do modelo escolhido. Alguém que tenha tido muitos carros em pouco tempo talvez tenha trocado por ter caído em muitas compras ruins, e alguém que comprou seu primeiro há menos de um ano dificilmente conhecerá bem do assunto para dar bons conselhos.

6º – Aproveite as oportunidades

Fique atento ao que aparenta ser um bom negócio e tente não o perder, especialmente se você estiver em dia com as dicas acima. E se o medo de comprar um usado já te fez perder mais de uma oportunidade, tenha certeza: está na hora de buscar um 0km mesmo. As chances de acertar são infinitamente maiores.

Por fim, não esqueça que você está comprando uma máquina, que como qualquer outra, está sujeita a defeitos. No geral, você não poderá prever que um carro dará problemas, mas poderá diminuir as chances de erro, desmentindo quem diz que carro é questão de sorte. E não pense apenas nos custos, mas também no seu conforto e nos benefícios que o carro trará a você.

Enfim, dependerá mais de você do que de sua sorte. Mire sempre um bom negócio.

Por Gilberto Belin

  • alemaomoreira

    fundir o motor por arrancar em terceira?

    • Essa foi novidade pra mim. Nunca ouvi falarem isso.

      • MecanicoDigital

        Pois é amigo, funde sim…. Hoje em dia é mais difícil isso acontecer, pois a injeção eletrônica corta o combustível quando o giro entra na faixa vermelha do conta-giros. Mas se o motor não estiver lá essas coisas, ou até mesmo se o óleo do motor estiver frio, com nível baixo, velho ou vencido, isso pode acontecer.

        Outra coisa importante é procurar sempre testar o carro com o motor na temperatura ideal de funcionamento, pois assim também dá pra saber como anda o sistema de arrefecimento, parte elétrica, correias, etc.

    • Zergling

      Também não entendi. Como manter o giro a, digamos, 3000 RPM e ir soltando a embreagem mantendo os giros vai fundir o motor?
      Alguém pode explicar esse meu caso?

      • Edson Roberto

        Mas nesse caso vc está a 3000rpm quando? Em que situação?

        Uma coisa é vc estar a 3000rpm em primeira e jogar terceira marcha… mas talvez o "arrancar" seria sair em terceira com o motor dando tranco para tudo qto é lado, isso poderia causar algum problema… mas fundir? É mais facil dizer que manter um giro alto constante (6000rpm) sim poderia fundir pois o motor foi feito para explorar esse valor sem se manter nele o tempo todo. (digamos 15 minutos em 6000rpm e não segurar o carro durante um periodo de serra nesse valor).

        • Zergling

          Olha o que eu escrevi. Suponha que estou em um sinal fechado. Ele abriu. Engato a terceira com o carro imóvel, subo giros pra 3000 rpm, e vou soltando a embreagem, de forma a manter os giros em 3000 rpm até uns 40 kmph. Nesse caso, não consigo imaginar como isso estragaria o motor, mas entendo que a embreagem iria sofrer um belo de um desgaste.

          • Edson Roberto

            Ué…. eu li, só que vc não disse será da imobilidade ou com o carro em movimento.

            Eu acho que vc vai realmente acabar com a embreagem, mas o motor funcionará e se for um motor como os Familia II 2.0 da GM, em pouco tempo vc nem precisará mais ficar trabalhando na embreagem.

          • MecanicoDigital

            Nesta situação, obviamente vc não danificaria o motor, embora a embreagem, como vc mesmo citou, sofreria um desgaste que diminuiria a vida útil deste sistema.

            Mas acredito que o editor se referiu a outros casos, onde o motorista eleva os giros além deste limite.

            Em todo caso, este procedimento não atesta nada, somente que o carro está sendo posto em movimento com a marcha errada.

        • OzzyBR

          Isso é falacia, e parece a besteira que aquele cara do autoesporte disse de não passar dos 3 mil rpm.
          Não existe isso de 15 minutos em 6 mil rpm. O motor é feito para trabalhar em um determinado regime de giros, e se não fosse assim motores estacionarios explodiriam…

          O que não pode é o OverRev, pelo menos não sem preparação do motor ou consciência dos limites do motor, por exemplo, um AP 1.6 poderia ter 7500 rpm como rotação normal, poderia até sair de fabrica (com comandinho "bravo" e tucho ou molas corretas)… já um AP2.0 de bloco baixo já estaria no limite de 20 m/s no pistão.

          A dica simples: se tiver contagiros é por ele que você vai se basear, e o ponteiro não vai exceder a linha vermelha, se não tiver contagiros, e for um carro com injeção eletronica, não se preocupe, nunca "explodirá", a propria injeção fará o corte no maximo de giros toleravel pelo carro.
          Carro carburado, com ignição eletronica, alguns fazem o corte de giros tambem mas é mais raro então carburados sim deve-se ter mais cuidado… Se tiver o manual, veja a velocidade maxima em cada marcha.
          então o maior perigo é o carro não ter contagiros e não ser a injeção, porque se for carburado e tiver o contagiros (mesmo que for um acessorio) você pode ver no manual ou ficha tecnica qual é a rotação de potencia maxima. Adicione 500 rpm e terá o maximo de giro que você pode colocar sem medo de ser feliz, e se o motor tiver bom (em dia) e bem refrigerado, pode ir na rotação de potencia maxima por uma autobahn inteira, porque é pra esse trabalho que ele foi feito.

          Isso vale muito, mas muito mesmo pra quem tem carro mil, pelo amor de Deus, não tenha medo da rotação!! Vou repetir de novo, se seu carro for 1.0, não tenha medo de faze-lo berrar!! É assim que ele vai andar, não seja um tranca rua…

    • Dcattini

      Se o carro estiver parado e vc acelerar em terceira para comecar a andar, e obvio que pode fundir o motor pois a rotação vai subir mto e dependendo de onde você estiver você não vai conseguir andar com o carro. Alguns caros tem marchas mto longas e a terceira não tem força suficiente para fazer o carro andar. Ele não está falando de carros 1.0 que geralmente tem uma relação de marchas mais curtas e sim de carros com motores maiores. Obvio que tudo isso é no geral e você pode ter um carro 1.0 com marchas mais longas ou um carro com motor maior com marchas mais curtas, mas não é o mais comum.

      • rafa_marcao

        O carro pode não conseguir sair em terceira marcha por falta de força, mas fundir o motor não vai.

      • jao_simonetti

        Cara, eu saía em quarta com minha S10 4.3 V6 (cabine dupla, pesada), quando eu era moleque. E ela não reclamava… Isto não existe, ok?

        • MecanicoDigital

          Hehehehe … também né….

          Agora tente fazer isso numa subida, com um Mille 1.0 e vc, o vendedor e um amigo dentro do carro.

          • Lucas

            kkk exagerou em, tem subia que em 1ª marcha que o 1.0 sofre imagina de 3ª kkk, pra sair de 3º em 1.0 só se for reta ou descida.

      • alemaomoreira

        cara nunca que o motor vai fundir só pq voce arrancou em terceira. o máximo que vai acontecer é queimar embreagem.

    • Victorio Lopes

      é, tipo, pq fundiria? se a rotação do motor estaria BEEEM abaixo do nescessario? .-.
      cada coisa que agt escuta hein z/

      • Edson Roberto

        Segundo alguns, trabalhar em rotação sem estar na margem correta pode sim causar problemas. Agora…. independente disso, vc pode ter aumento de consumo, entre outros… mas não fundir. Fundir só se o motor estivesse vem ruim e, usado totalmente incorreto.

        Esse tipo de situação seria aqueles que vc joga uma marcha em um regime tão baixo a ponto do mesmo sair dando tranco o que mesmo assim, é dificil de acontecer.

        • MecanicoDigital

          Exato. E nada de ficar acelerando o motor sem carga. Quando eu digo "sem carga", quero dizer câmbio em ponto morto. Quando eu trabalhava em oficina mecânica, vi meu chefe fundir o motor de um Monza Classic SE azul show de bola, painel digital, com pouco mais de 20.000km, fazendo isso….. E ele estava justamente avaliando um carro que o cliente dele, interessado na compra, levou pra ele dar uma olhada…

          • Edson Roberto

            Ele não deve ter "acelerado" ele deve ter AFUNDADO o pé. Ainda assim, eu já fiz isso, mas praticamente dá para contar nos dedos de tão chato que sou.

            Fiz isso em carro cujo parecia estgar "sujo", mas com o tempo nem faço mais. Acho só gasto de combustivel ao fazer isso. O mesmo para quem fica "bombando" o acelerador para sair em uma arrancada mais forte. Quer arrnacar forte? Acelera um pouco antes para deixar o giro alto e depois vai soltando a embreagem… senão nem adianta.

            • MecanicoDigital

              kkkk … foi mais ou menos isso…. Ele abriu o capô, enfiou a mão debaixo do purificador de ar, e acionou a borboleta no pé do TBI…… Acelerou até o talo, o motor passou o giro e estourou…. Resultado: batida de pino e uma cara de bocó olhando a kagada q fez…..

              Existem carros q nem deixam subir o giro quando estão sem carga. Os da VW por exemplo, tem limitador pra evitar essas coisas…

              Esse lance de ficar bombando o acelerador me fez lembrar de uma saveiro quadrada do pessoal da manutenção, que a 100km/h não segurava aceleração constante, ficava oscilando….. por causa do cara q andava nela, sempre desse jeito, "bombando" o acelerador, mesmo quando estava parado no semáforo…

              Mania de quem andava em fusca velho com o platinado desregulado, kkkkk

        • thales_sr

          Fundir é algo bastante extremo.. Mas se o cara quiser teimar de sair em terceira, e ficar queimando embreagem um tempão pra fazer o carro vencer a inércia, pode encurtar a vida útil do componente a toa.

      • OzzyBR

        Pode não fundir, mas a carga excessiva na embreagem pode danifica-la.
        (Vai ter que colocar giro alto e "queimar" a embreagem pra sair) Se já estiver gasta, com certeza ela vai se desfazer, e voar pedaços pra todo lado… vai dar prejuizo.

    • O_Corsario

      Exato, pode até QUEBRAR, mas fundir…

  • RTEC29

    Boa matéria!
    Muitos não tem condições de comprar um zero km ou preferem comprar um semi-novo mais completo ou simplesmente acham um absurdo o preço dos zero km.

  • lucasfs87

    A oferta de seminovos de 2012 pra cá aumentou muito, pois quem comprou carro 0km em 2012, com o IPI reduzido, agora quer passar pra trocar por um 2014. O mercado tá lotado de carros 2011/2012

  • Danilo

    O problema é quem não têm um "mecânico de confiança" para consultar, e acaba dependendo da "sorte" no mecânico que levar para dar uma olhada.

  • Zergling

    "Mas não esqueça que você não terá a quem reclamar em caso de problemas. Por isso, preste atenção na próxima dica."
    Completamente errado. De acordo com o código de defesa do consumidor, até mesmo compra de veículos com pessoa física, ela é obrigada a responder por possíveis problemas em até 3 meses, salvo erro no prazo.

    • Renato_Valente

      Zerling, na verdade a negociação de veículos entre particulares não caracteriza uma venda propriamente dita. Na verdade se trata de uma transferência de bem. No caso da concessionária sim, se trata de uma venda.

      • Zergling

        Verdade, eu me enganei no ponto: Não é pelo CDC, mas sim pelo Código Civil. E ainda é pior, a garantia pode ser de até 6 meses:
        "Quando a pessoa compra um veículo diretamente de outra pessoa, como através de anúncio em jornal por exemplo, ela deve saber que conta com uma garantia assegurada pelo Código Civil/02.

        Se o veículo apresentar defeitos no prazo de 30 (trinta) dias da compra, o vendedor pode ser obrigado a devolver o valor pago e receber o veículo de volta. Se ele estava ciente dos problemas, ainda pode ser condenado em perdas e danos. Se os defeitos forem, por exemplo, internos no motor, a garantia é estendida em até 180 dias.

        O comprador também pode optar por ser ressarcido das despesas que fizer com o conserto do veículo ou obter a devolução de parte do dinheiro pago em caso de desvalorização do veículo por algum reparo de pintura ou acidente mal feito, por exemplo."
        http://www.direitolegal.org/diario-forense/se-o-v

        • Renato_Valente

          Então, o problema é que ai o processo vai se arrastar por anos. Eu comprei meu carro ano passado e o mesmo deu diversos problemas, e só foram resolvidos quando coloquei uma reclamação no Reclame Aqui. No mesmo dia o vendedor me ligou desesperado falando pra eu levar o carro lá que eles iam dar um jeito.

      • Ricston

        Ambos estão errados.

        Primeiro, a relação entre pessoas físicas não é tratada como relação de consumo, mas sim regida pelo Direito Civil convencional.

        Segundo, a transação continua sendo uma compra e venda, mas regida pelas regras do direito comum, como eu disse acima.

        Sobre o que o colega disse abaixo, se constar do contrato que o comprador teve a oportunidade de vistoriar o carro e o aceitou no estado em que se encontra, então pode até entrar com ação, mas, dificilmente, ganhará.

        • Renato_Valente

          Só para vc ter uma ideia mais clara do que estou dizendo:

          SECRETARIA DA JUSTIÇA E DEFESA DA CIDADANIA
          FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR – PROCON/SP

          Nome: Renato Valente
          Email:
          Município: Ribeirão Preto
          Estado: SP
          Data da compra ou assinatura do contrato: 20 de Janeiro de 2013
          Sua dúvida refere-se ao tema: Produtos
          Fornecedor(empresa): Nova Chevrolet
          Produto ou serviço contratado: Chevrolet Astra Hatch Advantage 2.0 (Seminovo)
          Descrição do caso/problema apresentado:
          boa tarde, gostaria de saber como funciona a garantia sobre veiculos seminovos, pois em janeiro comprei uma veiculo seminovo e o mesmo apresentou problemas no mesmo dia que retirei. esses problemas iniciais foram resolvidos, porém menos de um mês passado com o carro, o mesmo já apresentou outros problemas. por isso venho pedir um orientação sobre o funcionamento da garantia (o que cobre, como deve ser solucionado o problema, etc.)
          Resposta:
          Renato,

          De acordo com o artigo 26 do Código de Defesa do Consumidor, na compra de bens duráveis o consumidor tem o prazo de 90 dias para reclamar de defeitos de fácil constatação.

          A garantia legal de 90 dias abrange todas as peças que compõem o carro, e não somente motor e câmbio, e o fornecedor não poderá se eximir da obrigação de responder por todo o produto, conforme prevê o artigo 24 do mencionado Código:

          "A garantia legal de adequação do produto ou serviço independe de termo expresso, vedada a exoneração contratual do fornecedor".

          Assim, no caso apresentado, entendemos que deverá ser observado o que dispõe o parágrafo 1º do artigo 18 do mesmo Código de Defesa do Consumidor:

          "Não sendo o vício sanado no prazo máximo de trinta dias, pode o consumidor exigir, alternativamente e à sua escolha:

          I – a substituição do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso;

          II – a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos;

          III – o abatimento proporcional no preço".

          Caso a questão não venha a ser regularizada diretamente com o fornecedor, sugerimos que apresente cópia da documentação envolvida (entre outras o comprovante da compra e recibo de pagamento) em um dos nossos canais de atendimento, para melhor análise e, se for o caso, providências cabíveis. Os endereços poderão ser verificados em nosso site, no link "Formas de Atendimento".

          Os postos de atendimento pessoal (Poupatempo Sé, Santo Amaro e Itaquera) trabalham com sistema de agendamento de horário e distribuição de senhas. Se optar por um desses canais, antes de dirigir-se ao local é conveniente contatar o Poupatempo, através do telefone 0800 772 3633, a fim de informar-se sobre as condições para distribuição de senhas e agendamento de horário.

          Se não residir em São Paulo recorra, preferencialmente, ao órgão de defesa do consumidor de sua cidade. Se for um município do Estado de São Paulo, é provável que o Procon local seja conveniado a esta Fundação. Para verificar o endereço acesse em nosso site o link "Procons Municipais".

          Atenciosamente,

          Eneida
          Atendimento Eletrônico

    • Fabio

      Aí é que está, compre um carro e não uma briga.
      Se não for algo muito grave como esconder um motor fundindo com óleo grosso acho que não vale a pena brigar, é tomar o prejuízo e ser feliz assim.

      Não sou vendedor de carros, sou comprador. Por isso para não cair em uma armadilha ou até mesmo numa furada que nem o vendedor sabe, deve verificar muito o carro e entender o que está fazendo. Entrar em uma briga é a pior coisa que tem.

  • Anderson_sp

    O quesito que faltou aí e é o principal é SORTE, tá cheio de carro maquiado tanto de particular tanto de loja.

  • laguiar

    Outra dica: não fique 15 dias fazendo a lista dos possíveis carros e deixe pra vê-los só quando terminar a lista, quando vc ligar pra agendar uma visita todos podem ter sido vendidos já! :( #MeFuuuuu

    • Edson Roberto

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Aí é sacanagem… fazer uma lista dos carros que vc gostou.

      Eu esses dias pesquisando sobre um dos modelos, infelizmente não pude fechar pois devido ao que estou fazendo agora, não teria como compra-lo, mas era um i30 preto, com 22000km 2011…. ele era o modelo topo de linha… o cara pedia R$41000 por ele. Todas as revisões carimbadas e ainda o cara me passou detalhes de fotos de cuidado com o carro. Confesso que esse foi um achado e infelizmente vendido uma semana depois de ter feito anuncio. Fiquei triste de infelizmente não compra-lo. Pior que esse só um Fusion 2.3 2008 com 41000km rodados de um senhor…

      • MecanicoDigital

        Acontece Xara, kkkkk

        Eu tb já passei por isso….. Em 99 eu estava de olho no Monza Classic de um senhor, o carro era lindo, pouco rodado, tudo que eu queria naquela época…. demorei pra decidir, e o cara vendeu o carro pra outro…..

      • Ricston

        Isso já aconteceu comigo também. Foi decepcionante (para não usar um termo mais chulo).

    • hugogyn94

      Eu sou rápido mano eu faço uma lista ate 25 carros em 3 dias.

  • As Css que vendem modelos usados nem vale a pena. Muito caro, mais a tentação nas famosas 'garagens' são muitas. Mais como o texto mesmo citou, as chances de levar bomba é maior. Conheci o caso de uma moça que comprou um Classic de garagem todo bixado, ela teve que processar o dono pois ele não queria assumir o prejuízo de jeito nenhum.

  • Renan21

    Sempre que procuro carro usado eu pego a placa e vejo se todas as revisões foram feitas, ou se tem algum problema no detran. Além disso, se eu gostei do carro, eu sempre levo em um mecânico de confiança.
    Uma dica que ele me deu que sempre faço, é fazer o test drive em uma rua de paralelepípedos. Se o carro fizer muito barulho de "grilo", de peças saindo do lugar, é porque com certeza ele foi maltratado pelo antigo dono. O essencial é seja o mais silencioso possível.
    E a outra coisa é sempre procurar um carro com KM baixa. (Eu só procuro carros com no MÁXIMO 30.000 KM)

    Sempre segui esses passos e nunca me deu mal na compra de um carro usado. (E foram muitos)

    • fschulz84

      O grande problema da km é que na maioria dos casos, ela é adulterada…

      Ai vai a pessoa conhecer o carro que está comprando para saber se a km está de acordo com o relatado.

      Meu ex-Focus, eu o vendi com 86000kms, ai um conhecido falou que foi na loja para o qual o vendi e o carro estava com 42000kms…

      • Louis

        E se no manual do proprietário tivesse um carimbo de revisão de 60 mil km, como eles fariam? Será que falsificariam outro manual ?

        • fschulz84

          Quando já tem o carimbo, não sei qual é o esquema… Mas se você pegar os carros de maior rotatividade no mercado de usados, a maioria tem 1 ano de garantia, ou seja, se você procurar um carro de 2-3 anos, terá no máximo 2 carimbos de revisão.

          Agora o que já fiquei sabendo que é feito pelos picaretas (normalmente lojas multimarcas) é mandar carimbar revisões com "contatos" dentro de concessionária… Eu vi um Sandero assim, era um modelo 2009, a revisão dos 10000kms tinha sido feita 3 meses depois do carro ser comprado, a dos 20000kms, 6 meses depois e a dos 30000kms já estava em 2013… E o carro era "único dono", no mínimo é de se desconfiar.

      • Edson Roberto

        Alias, a grande maioria dos usados 2009, 2010, 2011 e 2012 estão com quilometragens por volta dos 40000~50000km. Tem que ficar ligado mesmo no que é original.

        Nem dá para confiar nas carimbadas de revisão que pode dar no mesmo que fizeram no seu Focus.

        • fschulz84

          Exatamente… Meu atual Focus é 2009, no anúncio constava 33000kms… Eu fiquei muito desconfiado, mas as condições do veículo em geral estavam de acordo… E era CCS Mercedes, então acredito eu que eles não iriam querer se queimar com um carro que sequer é o foco de vendas deles…

          • MM_

            É isso mesmo. Alguns anos atrás eu fui ver um Focus MK1 em uma loja multipartas. O que me chamou atenção foi o anúncio que dizia que o carro tinha 20.000km. Dei uma olhadinha e o carro aparentemente estava impecável.

            O problema começou quando notei o excessivo desgaste nas borrachas dos pedais, além do BURACO no tapete de borracha do motorista. Comecei a analisar melhor e notei que o carro tinha 2 pneus de cada marca. Quando olhei o estepe, BINGO: lisinho. Totalmente careca.

            Chamei o cara da loja (GILCAR em São Bernardo) de picareta e fui embora.

            • fschulz84

              Rapaz, essas lojas de São Bernardo devem ser as mais pilantras do planeta…

              Essa loja fica na Faria Lima né? Se não me engano já fui há alguns anos atrás olhar um carro lá, acho que era um Clio Privilége 2007… O carro estava (segundo o vendedor) com 36000kms, mas haviam três marcas de pneus diferentes no carro haha

              Sem contar que fiz o test drive, o carro trepidava inteiro…

              Eu sinceramente tive uma só experiência com lojas multi-marcas que ainda não foi traumática (meu ex-Mégane vendi com 70000kms e não tive nenhum problema), mas a mesma loja que comprei o Mégane (na época com 35000kms) adulterou a km do Focus que dei na entrada… Então não recomendo…

      • MecanicoDigital

        Olha brother, tem muita gente sacana mesmo…. Um carro de uso normal, roda entre 15.000~20.000 por ano. Menos que isso, só se vc conhecer o dono e o carro, ou tiver outra forma de atestar o km. Levando na autorizada, por exemplo, dá pra saber se o km do computador bate com o do painel.

        • MM_

          Concordo, mas tem muita gente que não tem uso normal. Uns rodam 50 mil/ano e depois adulteram a quilometragem. Outros rodam bem pouco. A Megane GT da minha esposa vai fazer 3 anos no mês que vem e está com 22.000km. :)

      • Nícolas

        Quando estava procurando meu primeiro carro, fui olhar primeiro carros usados com baixa quilometragem. Fui em uma autorizada de uma das quatro grandes e a vendedora me mostrou um Peugeot 307 com apenas 30mi km. Ao entrar no carro estava na cara que o odômetro havia sido adulterado: pedais excessivamente gastos, a borracha no volante estava solta e os bancos – de tecido – bem gastos. Saí correndo da loja.

        Também encontrei um Punto com 22 mil, de particular, que não tinha feito nenhuma revisão ou troca de óleo. Ao ligar e perguntar das revisões o vendedor abateu 2 mil do valor do carro, até hoje não sei se era alguém preocupado em vender o carro ou alguém desesperado para passar uma bomba.

        • fschulz84

          Eu já vi cada cena… Uma pior que a outra… A pior delas acho que foi uma Duster que fui ver com meu pai… O carro estava com 11000kms cravados no hodômetro… Mas até os bancos estavam com aparência de velho… Estepe já quase careca, dois pneus dos que rodavam eram Goodyear e outros dois eram Pirelli (se não me engano da duster original é Bridgestone).

      • Ricston

        Se for Audi, de uns tempos para cá é bem difícil. Um mecânico me disse que, para "alterar" a km, você tem que obter uma senha específica, que só vem direto da fábrica da Alemanha.

    • Rafael

      Então precisa rever seus conceitos. Carro não se compra pela kilometragem.
      Um carro que rode 200 km por dia em rodovia livre está em melhores condições que um que roda 20 km por dia no trânsito de São Paulo.
      Precisa ver melhor os carros que compra;

    • Marcio

      Se as revisões foram feitas todas na Concessionária, dependendo da marca, as chances do carro estar zoado são bem altas. Revisão em CC já é motivo pra descartar a compra, na minha humilde opinião.

      • _oliveira

        Me explique seu raciocínio…

    • ttdark

      Cara, a maioria dos carros hoje acabam com grilos nos primeiro 10k, as ruas são muito zoadas, pra dizer o mínimo…

      • Renan21

        Exatamente! Mas depende do cuidado do motorista.
        Aqui tem um sentra (40.000 km), Peugeot 207 (35.000), jetta (30.000), Outro peugeot 207 (30.000): E todos totalmente silenciosos.
        O mais barulhento é uma Captiva com 60.000 que parece que tem um ninho de grilo la dentro
        O Cunhado tem um sonata com 10.000 rodados (comprou 0 km) e o carro parece que ta desmontando, parece que ele anda mirando nos buracos kkkkkkk

    • rsanvido

      Olhar km é ó para quem não conhece carro!!! km não diz nada… como vários já disseram, a maioria é adulterada. Meu Fusion atual comprei com 142.000km… rodado, mas muito conservado. Tá beirando os 200.000km e continua inteirão!!!

      • Renan21

        Quando eu falo KM baixa, é para REVENDA, pois é muito mais fácil de vender.
        Por exemplo, tenta vender o seu fusion de 200.000 km, depois adultere a km dele e tente vender com 20.000 km.
        É disso que eu estou falando.
        Comprando carro com a km baixa, provavelmente na hora de vender não estará tão alta.
        Eu sei que é muito fácil adulterar uma km… trabalho em uma oficina e esse serviço não dura 30 min.. (Ainda mais se for painel digital) Existem aparelhos que permitem isso.

  • Legal o texto, muito bem escrito. Porém, a número 4 é a única que eu não concordo. Me fez lembrar do caso de uma concessionária aqui de Porto Alegre, a qual até eu já me incomodei com eles. http://www.youtube.com/watch?v=6xsw3vyxI0Q

    • Renato_Valente

      Dudu, mas se vc considerar que comprando de autorizados vc é amparado pela lei, é sim um melhor negócio do que comprar de um particular, onde a lei é bem clara que não existe garantia nessa operação. Eu mesmo comprei meu carro em Janeiro de 2013 numa concessionária e tive diversos problemas com o mesmo no início,e toda vez que ia na concessionária o gerente me falava que eles só davam garantia de motor e câmbio. Porém, antes mesmo de comprar o carro, eu fui ao Procon e fui orientado que a garantia de 90 é para TODOS os itens do carro que apresentem defeitos de fácil constatação, e para defeitos de difícil constatação e comprovadamente já estavam no carro no momento da compra, não há limite de tempo. No final das contas, todos os problemas foram resolvidos, ai te pergunto…. E seu eu tivesse comprado de um particular?

      • Pelo que eu entendi, ele disse que é melhor escolher concessionárias a lojas multimarcas, não foi isso?

        • MecanicoDigital

          Olha, eu vou te dizer uma coisa: eu NUNCA MAIS compro nada nessas lojas de rua, do tipo "joão multimarcas"…
          Meu primeiro carro comprei numa dessas, uma Ford Belina 82, o carro era tão detonado que no primeiro dia já me deixou sem freios em plena Dutra, na primeira semana fundiu o motor, e no primeiro mês foi-se embora o câmbio….
          Depois disso, ainda fundiu o motor mais duas vezes…. O dono da loja me enrolou mais que papel higiênico, e como eu era novo, sem experiência nenhuma com esse tipo de gente, tomei na cabeça bonito…
          Aprendi na marra.

          Picareta, pra mim, nunca mais. Passo.

      • MarcosBittencourt

        Isso se chama vício redibitório, só para complementar

    • Pedro_Rocha

      Faltou uma regra importante para compra de carro usado: nunca compre carro automático com o câmbio AL4! Isso se aplica a todos os franceses (a Renault tem alguns modelos com câmbio AL4).

      Até mesmo vendedores de usados têm antipatia por esses carros. Lembro-me de um vendedor da ala de revendas multi-marca de uma css Toyota, na qual um cliente comprou um Corolla e deixou um 207SW Escapade como pagamento: o próprio vendedor criticava o carro "beberrão" e com câmbio "travado". Para não dizer que ele era preconceituoso com franceses, estava reclamando também de uma Montana modelo de entrada (sem nenhum opcional) de geração anterior que não estava conseguindo vender.

      • Edson Roberto

        Só um detalhe: A Escapade não teve cambio automatico. No caso desta era apenas manual.

        Entretanto, é aquela coisa… eu vejo mta gente optando por modelos autoamticos da PSA pelo custo do usado. Pode ser uma bomba por causa do cambio? A depender do qto pagou…. nem tanto.

        • Pedro_Rocha

          Ou minha memória está falhando nos detalhes da conversa ou o vendedor viajou! =D

          Considerando também que a PSA faz "recall branco" e repara, quando em garantia, esses câmbios-bomba, realmente pode ser interessante.

          Melhor um AL4 meia-boca a um Easy-tranco igualmente problemático e tecnologicamente inferior.

    • ctnmartins

      O número 4 é defensável, uma vez que as concessionárias sempre selecionam os melhores carros (aqueles que eles julgam ter menor risco de apresentar defeito) e repassam as bombas para lojas multimarcas. Essa é a prática de mercado. Alguns donos de concessionárias abrem lojas "B" multimarcas, só pra tentar vender as bombas.
      Isso significa que todo carro usado vendido em concessionária é bom e confiável? Absolutamente. Mas o risco é menor e cobra-se a mais por isso.

  • luizcrjr

    Juro que pensei que era meu carro, que por acaso está a venda também em uma foto muito parecida com essa e com a placa apagada. ;-)

  • Willian Souza

    eu procuro pedir opnião pra quem teve o carro que estou procurando.
    no momento estou atrás de um fusion 2.3,entrei na página do face,conversei com amigo que teve pra saber como o carro é,pra depois decidir mesmo,nada melhor do que a experiencia de quem já teve um

    • fschulz84

      Exato… Este seria o melhor conselho que eu daria para quem procura um usado, caso seja possível… Nem sempre nós conhecemos o veículo, então tente pedir conselhos ou até mesmo levar junto uma pessoa que tem ou já teve o carro para poder ter uma segunda opinião… Um mecânico de confiança seria ótimo, porém tem que se certificar que ele conhece a mecânica do carro em questão…

      Em 2011 passei por isso… Fui comprar um Focus usado (2008 MK1,5 ainda) e meu mecânico foi sincero em me dizer que não conhecia completamente a mecânica, porém meu irmão já teve um idêntico (só mudando o ano) então o levei e ele atestou que o carro estava em boas condições.

    • gcarlos

      E esperar que ele seja bem honesto. Alguns donos de carro são complemente cegos. Não querem ver defeitos ou escondem de tão apaixonados que são.

      • ttdark

        Por isso é bom pedir opinião pra quem já TEVE o carro, o cara que ainda tem não é lá tão confiável…

  • Cristiano

    Outras dicas!
    1-Tente financiamento pelo seu banco!
    Estou pagando um carro em 24x com 0% de entrada, por taxa de 1,4% pelo Banco, a concessionária estava me oferecendo 2,69%!
    2-Não compre carros perto dos 60.000km, é quando o carro mais carece de manutenção, por isso vendem.
    3 – Olhe a pintura do carro por todos os ângulos contra a luz, se encontrar verniz diferente saia pelo lugar que entrou, nunca acredite em "foi só um arranhão".
    4 – Chore preço, independente da forma de pagamento, não deixe o vendedor colocar qualidades no carro, responda com defeitos! Pneus, costuras soltas, marcas de uso(volante/marcha/porta), bateria aparentemente velha, borrachas ressecadas, farol embaçado, ar-condicionado apenas fresco, tudo!

    • thales_sr

      1,4% ao mês! Queria receber isso pelos investimentos que faço! Eu ia ser o cara mais feliz do mundo!

      • Cristiano Pires

        Fiz pelo Santander, mas se quiser 1,4% ao Mês no seu bolso, abra uma conta no Citibank, tem os melhores rendimentos disparado!

  • saosao

    Meu pai sempre disse para comprar de concessionária, pois eles não aceitam carros com algum problema em documentação, então eu sempre fui na dele, pagava mais caro mas tinha garantias e tudo mais.
    Outra garantia que eu achava que tinha era que concessionárias não adulteravam o odômetro do carro. Ledo engano… isso acontece em qualquer lugar, seja particular, loja ou css…

    Mas também acredito no fator sorte. Como se sabe, alguns carros podem ter passado despercebido pelo controle de qualidade e simplesmente tem algum problema crônico, seja no motor ou em qualquer peça. Numa dessas vc pode ser o premiado, e aí já era, não tem jeito…

  • Joeylbj

    A melhor dica para se comprar um carro usado é levar para fazer uma vistoria completa, se houver algum problema na documentação ou na mecânica do veículo você vai ficar sabendo. Tudo bem que é um gasto a mais mas pode te poupar de muita dor de cabeça.

    • FabioH

      Concordo, ao menos aqui em SP são comuns as empresas que realizam serviço de emissão de laudo, se você não conhece um mecânico de confiança que possa te acompanhar na vistoria do auto, talvez seja uma boa realizar esse laudo técnico antes de fechar negócio, lá eles fazem todas as verificações necessárias (no Detran e demais orgãos), além de possíveis adulterações em câmbio, motor, chassi e outras estruturas.

  • José Márcio Santos

    Este reportagem serve para aqueles que acham que usados são a solução para os problemas de preço no mercado. vejo muito disto aqui no site.. o cara comenta:" vou esperar pra pegar um usado" e coloca um "ashashash", como se tivesse levando uma grande vantagem e o primeiro dono fosse um otário. é um bem usado, com defeitos como qualquer outro. afinal, o quem vende conhece o carro, quem compra não. e o problema dos preços é uma questão de demanda geral, e não dos novos apenas…sem esquecer que muita concessionária de usados ganha muito, tanto em cima da troca, quanto na hora da venda.

  • Liste os mimos que você acha indispensáveis, mas dentro disso, compre o mais simples porém mais novo possível. Conselho do meu pai, que eu já contrariei e me ferrei 2 vezes.

  • ViperRR_Kimble

    E essas empresas que te enviam um laudo do carro baseado na placa/ chassi ou fazem uma vistoria do carro, compensa? Não tenho um mecânico de confiança e quero comprar meu próximo carro semi-novo, então o medo de pegar uma 'bomba' grande.

    • Joeylbj

      Compensa sim, é um gasto a mais mas você fica completamente tranquilo pois se tiver alguma irregularidade na documentação, na mecânica ou se o carro já tiver batido, você vai ficar sabendo. Pode te poupar de muitos problemas futuros.

  • Anônimo

    Essa de arrancar em terceira está errado, é um teste pra saber se a embreagem está boa ou está na hora da troca, é só engatar a 3 com o carro parado e em marcha lenta e soltar a embreagem de soco, se morrer está boa, se sair normalmente (mesmo a trancos) está na hora da troca.

    • thales_sr

      Características do motor e relação de câmbio não contam nada?

  • Journeyer

    É, comprar um carro em bom estado não é fácil, as vezes você até esquece de um detalhinho (ele não sendo um detalhe grave….. ) mas é sim importante cobrar, porque isso pode ficar caro dependendo do que for…

  • FelipeLange

    Ótimo texto.

  • Dieg_o

    essa lista de dicas merecia uns acréscimos referente a documentação.

  • granrs78

    Concordo com praticamente tudo o que foi dito a respeito de comprar carros usados, mas não concordo somente com o segundo item: Comprar carro de particular, pois acho muito arriscado nos dias de hj comprar carro de particular, pois depois fica muito dificil encontrar o antigo dono se aparecer alguma multa pendente, ou mesmo algum defeito sério. Prefiro comprar usados em lojas de nome, ou autorizadas, mesmo pagando um pouco mais que de um particular, mas pelo menos se eu tiver qualquer problema, terei onde reclamar.

  • MarcosBittencourt

    Coitado de quem comprar meu carro.
    Uso até "acabar"
    HAHA

  • alexhmoraes

    VENDO POLO SPORTLINE 1.6 Mi 2008/2009 PRATA COMPLETO

    • Hugo

      Não, obrigado, próximo.

  • Diegorji

    comprei meu bravo absolute por 42 mil Reais completo com menos de 25 mil km de um particular, na nota do carro o 1º dono pagou 66 mil Reais pelo carro, no momento o carro está com 38 mil km, devo vender por volta de 50 mil km e pegar um Fusion v6.

    Comprar carro 0km só se estiver sobrando muita grana e o indivíduo participar do seleto grupo dos empresários que vendem serviços ou produtos inflacionados, desta maneira não se tem prejuízo.

    Assim que a maioria que realmente pode comprar um carro 0km de luxo procede, estão pouco se lixando com valor final do veículo.

  • tiago20102010

    as vezes compensa mais comprar um carro zero do que um seminovo,o problema ´que quando o brasileiro vai financiar ele só vê o preço inicial do carro e nunca vê o valor total financiado,sendo assim um carro de 25 mil fica quase ou as vezes até mais caro do que um zero de 30 mil

  • tiago20102010

    E outra,essa de pedir opnião só serve se o carro for realmente bom,pois quem tem um carro ruim jamais vai admitir que ele é ruim

  • Visitante

    “se arrancar em terceira quer dizer que o carro está bom, mas perceba que se fizer isso para testar, você pode danificar e até fundir o motor'' … Parei de ler nesse momento !!!

  • PEDRO_HAWK

    Tava indo bem até a dica #4… Depois de lojas multimarcas, eu ponho as concessionárias como o maior número de embusteiros por m². Quando procurava um Focus, cheguei a me encantar com um sendo oferecido por uma concessionária Ford. O preço estava R$ 1.500 abaixo do que um particular pedia no seu. O da concessionária tinha 25.000km e o do particular 47.000km.

    Pedi pra ver as OS's e eles, passando bem rápido, não conseguiram me esconder que o carro havia sido batido. E feio. Radiador, motor de arranque…

    "Mas foi tudo feito aqui, com peças originais".

    Já se vão 18 meses que comprei o do particular e até agora só manutenção preventiva. E fora da concessionária, claro.

  • P500

    Está mais pra fundir a embreagem do que o motor. E essa dica de sair de 3ª é verdadeira. Mas apenas para saber o estado da embreagem. Quando nova, o carro tende a morrer e não sai. Quando muito gasta, o carro se movimenta sem o motor querer morrer.

    Vejo comentários de pessoas que nasceram na era da injeção eletrônica, esses dificilmente saberão o que é mandar em um carro e dominar a máquina…

    P500

  • Mc_

    Meu carro é 1.0 com ar-condicionado e realmente não anda

  • Pedro_Lourenco

    Infelizmente a cultura do brasileiro é de manutenção corretiva e da malandragem. Por isso carro usado sempre vai ser um risco.

  • Romis_gtr

    Eu acho que usado só vale com no máximo 2 anos de uso, no máx. 2 donos (de preferência 1) e se for pago à vista.

    Fora disso é perder dinheiro com financiamento (a não ser que se consigo um muito bom) e manutenção preventiva/corretiva.

    O usado demanda um "carinho" maior na sua procura…0km tu chega na loja, faz o test-drive e se gostou faz a compra, sabendo que ele será realmente "0km"…agora com usado, tem q fazer o test-drive e analisar com muito mais cuidado os detalhes do negócio.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend