Sem chips, VW reduzirá produção e jornada na Anchieta

vw anchieta

A falta de chips continua atingindo forte a Volkswagen, que tomou mais uma ação para manter a produção e os empregados na planta da Anchieta, em São Bernardo do Campo.

Com 4,5 mil funcionários na linha de produção, a fábrica paulista reduzirá produção e a jornada dos trabalhadores, sendo um corte de 24% no turno e 12% nos salários.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a nova programação – aprovada pela entidade – começará em 7 de julho, quando os empregados voltam de 10 dias de férias coletivas.

Nesse caso, os funcionários que estarão em férias coletivas, ficarão mais quatro dias em casa, quando a produção retornará, com os demais ficando cinco dias a mais em casa.

Segundo acordo entre sindicato e montadora, prevê que a redução na jornada em até 30% e de salário em até 15%.

Wellington Damasceno, diretor administrativo do sindicato, informou ao site Auto Data, que a VW pretendia suspender o turno, porém, encontrou nessa forma, a possibilidade de manter o pessoal trabalhando.

Damasceno informou que o sindicato negociou a redução da jornada para proteger empregos e também garantir a produção, bem como o abastecimento da cadeia de suprimentos.

O sindicalista comentou: “Essa situação tende a ser levada por um bom tempo, mas temos um acordo que estabelece previsibilidade, traz ferramentas de flexibilidade para momentos como este, garante investimentos e a permanência da fábrica em São Bernardo.”

Sem previsão de retorno à normalidade, Damasceno comentou sobre a situação do país: “Nós não temos uma política industrial que garanta que parte dos produtos que importamos sejam feitos no Brasil”.

Ele finalizou: “Política industrial não é o que esse governo faz de zerar imposto para a importação para trazer de fora carros elétricos e ônibus que poderiam ser produzidos aqui gerando empregos.”

A Volkswagen, por sua vez, emitiu um comunicado confirmando as mudanças na operação fabril da Anchieta, em nota abaixo:

“A Volkswagen do Brasil informa que adotará novas medidas de flexibilização da mão de obra na unidade de São Bernardo do Campo, previstas em Acordo Coletivo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, durante o mês de julho, em razão da falta de componentes”.

[Fonte: Auto Data]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.