Vale a pena passar o motor do carro para gás (GNV)?

Vale a pena passar o motor do carro para gás (GNV)?

Os carros com motor a gás (ou GNV, sigla correspondente a Gás Natural Veicular) estão cada vez mais comuns nas ruas de nosso país. Sobretudo no Rio de Janeiro (entre os taxistas, principalmente), os veículos movidos a gás se destacam por oferecerem um menor consumo de combustível.

O Gás Natural Veicular (GNV) é um tipo de combustível mais eficiente em praticamente todos os sentidos. Como já citado, ele consegue entregar um consumo menor e ainda é menos poluente que os combustíveis líquidos (como diesel, etanol e gasolina).

Atualmente, não há nenhum carro que saia de fábrica com GNV de série. A Fiat já chegou a oferecer o Siena Tetrafuel, que era capaz de “beber” etanol, gás natural, gasolina misturada com álcool e gasolina pura (usada em alguns países da América Latina e Europa).

Todavia, qualquer proprietário de veículo pode fazer a conversão de um motor monocombustível ou flex para o GNV, fazendo com que ele possa ser abastecido com dois ou três tipos de combustíveis diferentes. Isso é possível com a instalação de um kit exclusivo para automóveis.

Mas será que é realmente vantajoso colocar GNV no motor do carro? Confira abaixo as vantagens, desvantagens e como instalar:

Vantagens do gás GNV no motor do carro

1 – O risco de combustão é muito menor, pois o gás só queima a 620º e seu abastecimento não põe o produto em contato com o ar.
2 – Sua queima não libera fumaça.
3 – Permite aumentar o intervalo de troca de óleo.
4 – Por ser mais limpo e seguro, é um combustível que prolonga a vida útil do motor.
5 – Os cilindros de armazenamento de gás natural são resistentes a choques, colisões e até armas de fogo.
6 – As principais montadoras de carros do mundo estão produzindo veículos especialmente preparados para usar o GNV.
7 – O gás natural está em condições de garantir uma reserva de 65 anos enquanto a quantidade de petróleo no mundo garante uma reserva de aproximadamente 40 anos.
8 – Os proprietários deste tipo de automóvel em estados como o Rio de Janeiro, só pagam 1% de IPVA, enquanto os modelos flex desembolsam 4%.
9 – Não existe gás pirata ou batizado.
10 – O kit pode ser removido e instalado em outro veículo.

Vale a pena passar o motor do carro para gás (GNV)?

Desvantagens do gás GNV no motor do carro

1 – Seu carro pode ter perda de potência de até 10%.
2 – Caso tenha problemas no motor, seu carro perderá a garantia de fábrica.
3 – O cilindro pode reduzir em até 60% o espaço de bagagens.
4 – Dificuldade em achar postos GNV em muitas localidades.

Como passar o motor do carro para GNV?

Antes de fazer a instalação do kit do GNV no seu carro, é preciso buscar por uma oficina homologada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Para conferir a lista completa, basta acessar o site do Inmetro.

Ao chegar na oficina, seu carro passará por uma avaliação técnica, garantindo que você não terá nenhuma surpresa desagradável no futuro. Nesse momento, pode ser que algumas peças do seu automóvel (como cabos, bobina e velas) sejam substituídas, visto que o GNV trabalha numa tensão muito mais elevada na ignição e precisa que tais componentes estejam em perfeito estado.

Há também a verificação de outros componentes, como filtro de ar, sonda lambda, correias e atuadores, além da checagem de ruídos e outros parâmetros do carro. Caso haja algum item em más condições, ele deverá ser substituído antes de fazer a conversão.

Depois disso, é instalado o kit GNV. Atualmente, o kit custa cerca de R$ 4 mil (valor correspondente ao kit Geração 5, considerado o mais atual). Os cilindros são posicionados no porta-malas do carro, o que acaba prejudicando o espaço do compartimento.

Vale ressaltar ainda que a conversão do motor para o gás GNV acaba gerando a perda de garantia de fábrica cedida pela montadora do carro.

Exija sempre a nota fiscal dos produtos e serviços e o certificado de homologação do Inmetro. Após isso, basta agendar uma vistoria no Detran e levar os documentos exigidos.

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 15 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.