Só eletrificados: BYD é segunda mais vendida na China

byd han 1 1

Na China, atualmente a BYD só vende carros híbridos e elétricos, mas com 113.768 vendidos em maio, a marca se tornou o segundo fabricante mais vendido no país asiático.


Segundo a associação local dos fabricantes de veículos, que contabiliza separadamente as joint-ventures e montadoras independentes, a BYD só foi superada pela FAW-Volkswagen.

Obviamente que, em termos de marca, ela ainda está longe de ultrapassar a VW, mas o feito é significativo, uma vez que não tem mais modelos apenas com motor a combustão.

byd tan 2022 7

Apenas oferecendo híbridos plug-in e elétricos, a BYD cresceu 159% em vendas no mês passado, um resultado impressionante realmente. Nesse ano, a BYD já cresceu mais de 91% no mercado interno.

Foram 397.420 carros vendidos até abril, o que a colocou também como marca de veículos eletrificados mais vendida, superando a Wuling da Shanghai-GM e a Tesla.

Não por acaso, a BYD é um dos players mais importantes do mercado de carros elétricos e híbridos, sendo um concorrendo direto da Tesla em volume. Aliás, ela até fechou parceria com Elon Musk recentemente para fornecer as células de lítio-fosfato de ferro.

Desde meados da década de 2000, a BYD vem apostando nesse tipo de bateria, ainda que tenha se aproveitado das regras chinesas para colocar diversos modelos estrangeiros, notadamente da Toyota.

byd truck

Ainda assim, paralelamente foi desenvolvendo sua tecnologia, que atualmente é seu ativo mais precioso, levando-a a se tornar a terceira marca de carros mais valiosa, ficando apenas atrás de Tesla e Toyota.

Com mais de 1,9 milhão de veículos elétricos e híbridos, incluindo caminhões, além de 70.000 ônibus movidos apenas por energia, a BYD assume uma posição de destaque global em eletrificação.

Segundo a BYD, mais de 11 milhões de toneladas de CO2 foram cortados em mais de 70 países e 400 cidades do mundo, representando o equivalente ao plantio de 896 milhões de árvores.

Aqui no Brasil, a BYD agora está apostando em carros elétricos e híbridos plug-in, após entrar com ônibus, caminhões, painéis solares e baterias.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.