Stellantis não descarta produzir irmãos do Novo C3 na Argentina

Stellantis não descarta produzir irmãos do Novo C3 na Argentina

O Novo C3 chega no próximo ano, embora seja um carro inteiramente pronto. A única questão que pode estar adiando sua chegada, além da falta de semicondutores é a motorização, uma vez que a Stellantis revelou ser necessário um período de pelo menos 18 meses de desenvolvimento e testes para alocar um novo propulsor.


Como aqui, diferente da Índia, o negócio é compartilhar o powertrain, o Novo C3 terá de esperar até a engenharia resolver a questão. Enquanto isso, a marca francesa explora outras possibilidades e uma delas é reforçar a produção argentina em El Palomar.

Federico Frascaroli, Diretor de Marketing da Citroën Argentina, deu uma entrevista durante o lançamento do C4 Cactus X-Series no país vizinho e comentou que a Stellantis não descarta a produção de outros membros do projeto C-Cubed em El Palomar.

Stellantis não descarta produzir irmãos do Novo C3 na Argentina

No momento, apenas o Citroën Berlingo é feito no país e a marca do duplo chevron nunca chegou nesse nível de ter apenas um carro sendo feito por lá. Como se sabe, é claro, o fabricante parisiense é muito mais popular na Argentina que aqui, onde só chegou de fato nos anos 90.

Então, existe essa questão do prestígio da marca por lá, onde a Stellantis inclusive vende a DS Automobile, que retirou dos planos brasileiros. Assim como a Peugeot, os argentinos gostam de Citroën e ter produtos novos feitos por lá reforça os laços dos franceses com os hermanos.

A menção de que os produtos podem ser feitos em qualquer planta da Stellantis, feita por Frascaroli, apenas suaviza a questão, já que não pode ampliar o assunto, que é estratégico dentro do grupo. El Palomar, antes de Porto Real, recebeu investimentos para fazer a base CMP, padrão do C-Cubed.

Stellantis não descarta produzir irmãos do Novo C3 na Argentina

Então, diante do fato, podemos esperar que pelo menos um dos novos Citroën venha de lá. Sobre estes, sabe-se que é necessário um sucessor para o C4 Cactus e não será o Novo C4 europeu, embora a base seja a mesma. Terá de ser um projeto de baixo custo e ter outro SUV, mesmo que um SUV cupê de porte médio (o 376 da Fiat é compacto) seria interessante e não gera fogo amigo.

Já o terceiro membro poderia ser um sedã compacto de estilo, visto que o Cronos é bem compacto e nas marcas da Stellantis por aqui, não existem mais sedãs (C4 Lounge e 408 saíram de cena). Então, com a base CMP e um conceito de cupê quatro portas com porte de 4,49 m a 4,59 m (limite visto no projeto da CMP), com 2,65 m de base, seria interessante. Esperemos…

[Fonte: Autoblog Argentina]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.