Renault Segredos-Flagras Veículos Comerciais

Sucessor do Kangoo no Brasil, Dacia Dokker é flagrado no Paraná

dacia-dokker-kangoo-flagra Sucessor do Kangoo no Brasil, Dacia Dokker é flagrado no Paraná

O Renault Kangoo já está há muito tempo no mercado brasileiro e ainda faz parte da primeira geração do comercial leve francês. Mas, agora o modelo será substituído por um novo modelo e não a geração atualmente em produção na Europa. Nesse caso, a escolha da marca francesa é óbvia, o Dacia Dokker.



Desenvolvido na Romênia e fabricado em Marrocos, o comercial leve tem custo de produção bem mais baixo que o comercial francês, compartilhando a plataforma do Logan. Nesta imagem, feita pelo leitor Fernando Zamariolli, o Dokker roda quase sem camuflagem em uma rodovia na cidade de São José dos Pinhais-PR.

O comercial leve deverá ser produzido na Argentina, onde a Kangoo atual é feito. Com 4,36 m de comprimento e 2,81 m de entre-eixos, o Dokker tem 1,75 m de largura e 1,81 m de altura, sendo assim bem maior que o modelo original da Renault, que tem 4,03 m de comprimento e 2,60 m de entre-eixos. Com mais volume interno e capacidade de carga, o modelo – que pode adotar o nome Kangoo no Brasil – deve bater de frente com o Fiat Fiorino, que tem 4,38 m de comprimento e 2,71 m de entre-eixos.

dacia-dokker-kangoo-flagra-b Sucessor do Kangoo no Brasil, Dacia Dokker é flagrado no Paraná

Por ora, não se sabe a motorização, mas o mais provável é o uso do propulsor 1.6 SCe com até 118 cv, agregando talvez Start&Stop para redução do consumo e outras melhorias introduzidas nos Logan e Sandero, recentemente. A transmissão manual de cinco marchas é algo certo.

Airbag duplo, ar-condicionado, direção eletro-hidráulica, freios com ABS, vidros e travas elétricos, sistema de áudio, farão parte do pacote. Com o Dokker, a Renault reforça o time comercial, que tem como destaque a van Master, líder do segmento no mercado nacional. Proteção da bateria e recuperação de energia nas desacelerações, pneus de baixa resistência à rolagem, entre outros, podem ser alguns dos dispositivos para ajudar na redução do consumo, fundamental em um carro para uso comercial.

Apesar dos vidros, já que possui uma versão para passageiros, o Dacia Dokker deve focar mais em entregas e por isso a opção furgão deverá ter um mix maior de vendas. Com o fim do Kangoo antigo, a Renault tirará de cena o último modelo oriundo da fase inicial da marca no Brasil. Em comum com a gama europeia, a empresa só terá no país a van Master. Todo o restante é derivado da Dacia, mesmo o Captur, já que sua plataforma é a mesma do Duster. Bem ou mal, foi com essa gama que a francesa virou o jogo por aqui.

Agradecimentos ao Fernando.

 

 

  • Tosca16

    Menos Renault, mais Dacias nas ruas …
    Brinc’s, me parece um carro bom e adequado a nossa realidade; se tiver preço bom, tem tudo pra vender.

    • carroair30

      Finalmente um CONCORRENTE da DOBLO !

      • Tosca16

        Se ela não for já finada … aí seria substituta .

      • André Luis Versiani

        Doblo indo embora tem que aproveitar e se consolidar no mercado, preço agressivo e política de revisão boa igual a MB anda fazendo com as Sprinter.

        • Tosca16

          Outro segmento mas vale sim a comparação, entretanto hoje a Master da própria Renault desbanca a Sprinter especialmente em custo benefício; a MB perdeu a mão à muito tempo já kkk.

  • Bruno Gomes

    Já podem mudar o logotipo da marca para Dacia. Esse excesso de redução de custos ainda vai dar dor de cabeça para a Renault, visto a rápida atualização da concorrência com produtos melhores montados e com mais requinte. A Captur é aquele típico bolo de mercado, lindo por fora e horrível por dentro, o Kwid até fica perdoado por conta dos concorrentes em sua faixa de preço, de resto só tem carro de baixo custo. O culpado? Os consumidores que durante anos rejeitaram os legítimos Renault. Queria muito ver o Clio em sua nova geração por aqui, mas, ficará só no desejo.

    • ViniciusVS

      E desde quando Dacia é um problema? São todos do mesmo grupo Renault-Nissan, inclusive na Europa o Duster vai usar emblema Renault… se apegar em emblema é uma bobagem e puro preconceito.

      O que consolidou a Renault aqui foi justamente a linha Dacia que tem sim o perfil que o Brasileiro gosta, são carros que caíram no gosto do consumidor e foram um divisor de águas para a Renault no Brasil.

      Kwid foi bem melhor que muito carro queridinho no Crash Test mesmo sendo um carro de baixo custo, Captur foi bem também foi, Logan é um excelente carro quando se entra em CxB pois tem um bom espaço interno, amplo porta malas, bom desempenho e atende as necessidades dos seus consumidores.

      Tem muito o que melhorar? Claro que tem, precisa aposentar o AT4 e o 2.0 antigo, melhorar posição de botões e acabamento pois o interior é bastante deficiente…no resto são carros honestos.

      Um modelo que seria interessante no Brasil é o Niva para brigar com o Jimny… Poderia ter o emblema Renault e focar no cxb

      • Uranium

        Problema em si não é. No fim das contas o que a Renault faz é desovar a produção encalhada com vendas diretas pra PJ e descontos enormes. A questão é que a Renault tem tomado baile da concorrência em segmentos importantes (especialmente SUVs), porque tem produtos tão empobrecidos que até o consumidor brasileiro ficou incomodado e resolveu ir para a concorrência. Detalhe: os produtos pobres, com acabamento de popular e cheios de cortes de custos visíveis não custam mais barato que os concorrentes. O resultado é claro. Para cada Sandero vendido para PF, a Chevrolet vende 9 ou 10 Onix. Para cada Captur novo, são vendidos 3,5 unidades de HR-V, Creta e Kicks, cada um. Não tem como olhar pra isso e enxergar um resultado minimamente positivo.

        • carroair30

          Vc disse que a cada SANDERO se vende 8 ou 9 ONIX ate ai vc esta certo mas ninguem fala que o MOTOR do SANDERO é muito mas muito mais moderno que o JURASSICO MOTOR DO ONIX,e que a frota da POLICIA de muitos estados é composta de LOGAN,carro quen aguenta o PAU dia e noite rodando.

          • Uranium

            Mas essa linha Renault no Brasil é isso aí mesmo, carro de frota, pra moer até estragar e depois jogar fora. Não é carro pro consumidor comum, porque não tem nada de atrativo. Os carros são resistentes, mas tão tosquinhos que poderiam levar a marca Lada na grade tranquilamente.

        • ViniciusVS

          Desovar produção encalhada? Ta certo…

          • Uranium

            Se for mentira…

      • Tosca16

        O Kwid é a prova viva que tudo pode ir do lixo do lixo ao aceitável se tiver boa vontade da montadora… acho que esse pessoal ainda acha que “fazer” carro é como antigamente, meia dúzia em dois ou três países e o restante sem industria kkk. O nome “montadora” já mostra que na verdade é só saber por bons fornecedores e ter um cuidado a mais com a montagem, sem querer generalizar porque o projeto é importe, requer investimento e leva tempo no desenvolvimento.

      • Dula Bude

        Perfeito Vinícius!

        Esse papo de Dacia vs Renault é puro mimimi.
        O importante é termos carros com bom custo benefício. E isso a linha Renault/dacia tem.

        Se é romeno ou francês, pouco importa!

        • ViniciusVS

          Até porque no fim das contas são todos nacionais.

      • Luis Burro

        Niva não é Lada?Estes dados do crash do Kwid não me convenceram,pq na própria matéria dizia três estrelas no impacto lateral pra crianças,em lugar nenhum falava pra adultos.

        • ViniciusVS

          É Lada sim.

          Basta entrar no site do Latin ncap que temno resultado, deu 3 estrelas para adultos e 3 para crianças.

    • Luis Burro

      A culpa é da própria marca q só traz caieira,e qndo trazia uma coisa melhor pelava tanto q qlqr concorrente ficava bom!

  • Wagner Lopes

    Sai mais um Reno de verdade que não vende nada e entra mais um dacia low cost…agora sim. Vai vender muito pra brasileiro!

    • Dula Bude

      Fala como se o Kangoo fosse uma jóia refinada.
      Ah tá!!!

      • ViniciusVS

        É o tipo de gente que nem entende a proposta do carro…

        Quer luxo em carro de trabalho sendo que o que ganha é aquele com melhor CxB em preço, manutenção, revenda, etc… nessa categoria quanto mais sofisticado é pior para o real consumidor. Fiorino é o exemplo.

  • MIN💀S

    A versão passageiro, com certeza, iria roubar clientes da Spin.

    • Louis

      Sim, mas teria que dar uma refinada no interior, com equipamentos e um cambio AT bacana, acho que haveria espaço.
      Tem também a Dobló, mas esta é antiquada e cara.

      • Hoffmann

        Dizem que o Doblo já deixou de ser fabricado. Ele ainda está como modelo 2017 no site da Fiat, assim como os outros que já tiveram a morte confirmada, como Palio e Punto.

        • Schack Bauer

          Onde vc leu essa noticia sobre a Doblo? (não estou duvidando, apenas queria ler mais sobre o assunto)

    • Rafael Pereira da Silva

      a Nissan vacilou demais não mantendo o Livina em produção; outros três erros da nipônica foi não ter trago o Note (iria bater de frente com o Fit), não ter renovado o Pathfinder (apesar que ela própria matou a Frontier) e não ter trago o Pulse (importado do Mexico, se este for produzido lá, iria vender pouco, mas faria bem para a imagem e para as vendas do Sentra).

  • Zé Mundico

    Para entregar pão tá bom demais.

  • Hoffmann

    Poderia vir uma versão de passageiros com câmbio CVT, um furgão desses é um carro excelente para PNE, especialmente as que são cadeirantes.

  • Malvino Jose Moreira Junior

    Se vier a opção passageiro , os taxistas (para levar cadeira de rodas são otimos) vão cair dentro e pode ser um bom concorrente para a spin.

  • Malvino Jose Moreira Junior

    E a Dacia Lodgy , seria uma boa opção para o Brasil também , pois tem 7 lugares e é bonita? Apesar que a Renault já pensa em um Duster de 7 lugares!

  • Wilber

    PRESTE ATENÇÃO DONA RRRRRRRRRRRENAULT! O Mercado espera por 7 lugares.

    • Daniel

      E, digo mais… Dava até pra fazer uma versão 8 lugares e substituir muita Kombi por aí!!!

  • Allan Marconato Marum

    Parece ser uma excelente opção para quem ter padaria, mercearia… Minha mãe tem uma Kangoo com 12 anos de idade, a Dokker pode ser uma opção para substituir a cansada Kangoo. Se vier com kit dignidade por um preço competitivo, poderá até dominar esse segmento esquecido e com poucas opções.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    É um modelo com algum futuro na versão furgão, pois no Brasil os multivans sucumbiram frente aos SUVs, junto com os minivans e os SW, diferente da Argetina onde a funcionalidade deste tipo de carro é apreciada e outros fabricantes oferecem opções modernas. Assim talvez a Renault esperasse apenas a FIAT aposentar o Dobló para herdar algumas viúvas com a versão de passageiros. Mas é um modelo que chega sem grandes pretensões no mercado, talvez em volumes limitados para compensar as trocas entre Renault Brasil e Renault Argentina, assim não devemos ter ilusões com preço, que deverá ser maior do que o praticado pelo Duster básico. O que é uma pena, pois aprecio este tipo de carro.

  • Schack Bauer

    Realmente espero que a Renault traga a versão 7 pax do Dokker pro Brasil. Spin e Dobló precisam de concorrência.

  • Pedro Evandro Montini

    Alguém que tenha um Kangoo atual, sabe se ele comporta uma MTB aro 29 montada??

  • Luis Burro

    Ah tá, Renault não existe mais!Deviam colocar o logo da Dácia na fábrica no PR.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend