Finanças Governamental/Legal Manutenção Segurança

Susep: seguro automotivo com peças usadas está liberado

Susep: seguro automotivo com peças usadas está liberado

O custo do seguro para carros no Brasil é bem elevado. O alto índice de roubos e o custos de peças e serviços, torna o serviço pouco atrativo para o consumidor no geral.


Não por acaso, apenas 30% de todos os automóveis em circulação no país possuem seguro. Também, com uma enorme frota de carros antigos rodando pelo país, um mercado muito distante de ser consolidado, ter seguro barato o ideal para todo mundo.

Pensando em reduzir esse custo, a Susep – Superintendência de Seguros Privados – autorizou as seguradoras à proceder a reparação de carros batidos com peças usadas. No entanto, é preciso que o consumidor seja informado quanto ao emprego de peças e componentes de segunda mão no conserto do veículo.

A confiabilidade de uma peça usada em detrimento de uma nova, original, está sendo questionada pelos reparadores. O motivo é a vida útil da mesma, que naturalmente será inferior na peça de segunda mão. Rafael Scherre, diretor da Susep, argumenta:


“O seguro com peças originais pode continuar sendo oferecido sem problemas, mas também podem ser oferecidos seguros com peças novas não-originais, nacionais e importadas, outras opções que tornem o seguro mais barato. Peças usadas também podem ser utilizadas”.

Susep: seguro automotivo com peças usadas está liberado

Ou seja, além da peça usada, agora pode-se também usar peças paralelas de fabricação nacional ou importada, cujo custo é bem menor que as originais. Mesmo assim, as oficinas dizem que a vida útil desses produtos mais baratos é menor, mas será o consumidor que determinará se o melhor é ter uma peça boa, porém, mais cara. Ou realmente ir numa mais em conta, mas de durabilidade menor.

A Susep espera que o custo do seguro caia em média 10% com a nova determinação. Como se sabe, as peças usadas serão adquiridas em desmanches certificados e fiscalizados, com os itens identificados e registrados, a fim de evitar roubos e o mercado negro. Porém, essa fiscalização tem de ser feita pelos Detrans.

No caso do custo em si, pode não ser assim tão simples a redução. O professor Renato Porto, especialista em direito do consumidor, diz: “Ao longo do tempo, o que vai acabar acontecendo: esse preço vai voltar a ser o que sempre foi, e a apólice de peças originais, provavelmente, o preço vai disparar e o consumidor não vai ter mais condições de fazer o que já fazia.”

Outra determinação da Susep é que o período de vigência da cobertura agora pode ser de acordo com a escolha do cliente, que determina o tempo de acordo com suas necessidades, podendo ser de um ano ou pelo tempo que achar necessário.

[Fonte: G1]

Susep: seguro automotivo com peças usadas está liberado
Nota média 4.7 de 3 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Chris

    Isso é uma aberração, um absurdo. Já havia fraude antes, imagina agora. Baixar impostos para facilitar a aquisição de seguro nada né, o preço do seguro não irá baixar, irá continuar o mesmo preço mas com peças usadas, e para emprego de peças novas ficará mais caro ainda, essa é a verdade.

    • Fabrício Sanches

      Falou e disse.

    • Julio

      Verdade, ademais a intenção de baixar apenas 10% no preço do seguro para peças usadas chega a soar uma piada.

      • leomix leo

        Não é piada, é as seguradoras chamando o povo de burro, agora tinha que ter um boicote, e o cliente tem que exigir peças novas, já não basta ser caro, tem que ter peças velhas.

  • Hendrewf Bezutti

    Semproblema algum… Ainda mais se o cliente opta por qual peça usar. Muitas usadas em bom estado são melhor que paralelas de má qualidade. E lógico tendo garantia do serviço prestado caso de problemas, nada contra…

  • durango

    Mais um entulho burocrático removido das nossas costas!

  • Yuri Lima

    Vai baixar o seguro para o cliente? NÃO
    Vai aumentar a margem de lucro da seguradora? SIM

    Cara, nem sei se é vantajoso. É uma economia de palito de dente, porca.
    Em 2018 bateram na lateral de um Nissan Versa que eu conduzia, o condutor que bateu não tinha seguro, mas tinha “associação de proteção veicular” (seguro tabajara).
    Eu teria de trocar a porta dianteira do passageiro. A “”””SEGURADORA”””” (com todas as aspas possíveis) do cara queria me oferecer uma porta “”semi nova”” (leia-se, usada) para o carro. O preço de mercado de uma porta usada era de 1.200,00 reais. Sabe-se lá se essa porta não teve reparo (mínimo que seja) eu não aceito. Pago seguro (que não é barato) para ter o carro com qualidade e tudo novo.
    Na concessionária Nissan, uma porta nova custava 1.450,00 reais já com frete incluso.
    Foram 3 meses de briga com essa empresa, e eu rodando com um Versa Veloster (só com 3 portas que se abriam).
    Depois de muita dor de cabeça, aceitaram pagar a porta nova.

    • Emanuel Schott

      TODA ação de desburocratizar ou reduzir imposto vem com essa história de “não vai reduzir, vai aumentar o lucro, mimimi”. Fica do jeito que tá então.. tá uma maravilha né?

      • Yuri Lima

        Quero muito que você tenha razão. Mas, pelo que já passei e como é o modus operandi das empresas aqui nesse país, é de uma ingenuidade pueril achar que o consumidor vai ter vantagem alguma nisso porque está “desburocratizando”.

        • Emanuel Schott

          Vou te dar só dois exemplos de como desburocratização não foram esse apocalipse que você cita:

          1 – Em um ano, ultra banda larga cresceu 75% no país após a Anatel liberar pequenos provedores (até 5000 clientes) de licença específica.
          2 – Após a criação das “contas de pagamento” que podem prestar alguns serviços bancários, tivemos um boom de maquininhas e contas gratuitas que fizeram várias pessoas sem acesso a cartão e conta bancária passar a ter acesso sem pagar nada.

          • Saulo Bezerra

            E o que falar das malas de companhias aéreas???

            Ficou o mesmo preço, senão mais caro, e um serviço pior.

            O que vc flw acima foram exemplos de desregulação, e o exemplo da notícia é de sucateamento das normas.

            E poxa, toda notícia tu critica como se só vc soubesse a verdade.

            • Emanuel Schott

              Procura aí outra resposta minha que você vai ver que reduziu sim.

            • rodrod

              vc merecia mais de uma curtida

  • Bruno_Mgá

    Acho a ideia interessante, SE realmente o preço do seguro cair.

    MAS acho praticamente impossível o preço cair. A verdade é que as próprias seguradoras promovem o roubo de veículos no Brasil. Explico: Se uma seguradora multinacional, com altissimo poder de compra, acha inviável reparar um veículo batido e o manda para leilão, como que alguém vai comprar esse veículo no leilão, arrumar e vender obtendo lucro? simples: Peças roubadas. Não existe magica. A seguradora sabe que o veiculo que ela manda para o leilão será consertado com peças de outro veiculo igual roubada. Ela mesma mantem o ´´sistema“ girando.

    Se TODO veiculo indenizado fosse para leilão como SUCATA, os roubos diminuiriam substancialmente, afinal, sobrariam peças usadas no mercado, pois obviamente um carro sucata seria desmanchado.

    • RodrigoABC

      Conhecendo o Brasil, o preço do seguro para peças novas vai subir e o preço do atual vai ser para peças usadas.

      Nem me surpreendo com esse tipo de notícia.

      • Yuri Lima

        Exatamente por aí, meu caro!

  • Sonfav

    As empresas oferecem… cabe aos consumidores analisar se vale a pena ou não.
    É só não contratar o seguro.

  • Caio Elisei

    Só para deixar claro: Esse seguro com peças usadas para reparo é um produto à parte, novo, a ser lançados pelas seguradoras (até o momento apenas a AZUL Seguros possui esse produto já à venda).
    No produto tradicional mantém-se a obrigatoriedade de sempre ser usado peças novas e originais de fábrica para reparos.

  • Samluzbh

    Muitas oficinas já fazem isso por debaixo do pano com lataria e para-choques, recebem da seguradora o valor da peça nova e reparam ou colocam seminova.

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    Vai “cair” o preço igual aquela desculpa de tarifar as bagagens faria aumentar a concorrência entre as aéreas e o preço iria baixar, tudo no Brasil que falam que o consumidor vai ter algum benefício não passa de utopia, o que vai rolar de peças “duvidosas” tanto em qualidade, durabilidade quanto origem e várias certificadas com selos falsos não vai estar no gibi, eu acho um erro nisso aí.

    • Emanuel Schott

      Entra no Google Flights, compara o preço da Gol com a da Sky na rota São Paulo – Santiago, depois volta aqui pra dizer se caiu ou não.

  • Will

    Que comentário mais irresponsável do tal professor de especialista em direito do consumidor.
    Qual a base pra dizer isso?

    • Leonardo

      Tipo eu não suporto os especialistas da vida, porém com esse eu tenho que concordar isso é Brasil, vão criar dois tipos de apólice a dos produtos usados (mais baratos) e a dos novos (mais caros), e com o tempo esses valores vão aumentando, assim como colocam carros inferiores no lugar dos melhores e assim inflam os preços dos melhores a exemplo do que farão com o prisma novo ai, ele chegará inflando o preço do cruze, assim como já ocorreu com o jetta…

    • Mikoyan

      Base: Brasil, país dos especialistas em levar vantagem. “eu poderia ter colocado palavras bem mais pesadas para definir”

  • Freaky Boss

    Acho uma boa. Digo acho porque certeza mesmo é só com o troço “rodando”.
    Creio que deva ser uma modalidade separada e vai tornar seguro de carro mais acessível a quem hoje não pode pagar. Para quem é rico ou classe média alta não muda nada, mas para quem tem menos grana e não quer correr risco, tende a ser uma boa.

  • Ubiratã Muniz Silva

    Qual será a “fonte” dessas peças usadas?

    Aí é que mora o perigo. Aumento de furtos e roubos e, como resultado… já sabemos.

  • Leonardo

    Se já havia a indústria do roubo de veículos e desmanche agora que a farra vai ser boa, mais um absurdo.

  • Miguel

    Sim, o preço das passagens de avião também iria cair quando as bagagens fossem despachadas…

    Isso só piora pro consumidor, não acho que vá ter algum efeito prático principalmente para carros mais caros.

    É a mesma coisa que a nossa querida “Associação dos planos de saúde” quer fazer: planos que incluam somente algumas opções escolhidas pelos clientes, próteses mais baratas dependendo do seu plano, não serem responsabilizados em caso de não atendimento ao cliente… Tudo pra termos planos “mais baratos”. Uma vergonha.

    • Emanuel Schott

      Onde era permitido entrada de novos concorrentes (no mercado internacional) teve queda sim. Compara o preço das companhias brasileiras e da Sky nas rotas que a chilena opera. Ou compara o preço da rota Rio – Londres antes e depois da entrada da Norwegian (a TAP derrubou seus preços depois da entrada da companhia britânica).

      E mesmo no mercado doméstico, os preços não subiram no mesmo ritmo do dólar ou do preço dos combustíveis.

      Mas deixa os preços caros e a burocracia do jeito que tá mesmo. Vocês parecem muito satisfeitos já que toda tentativa de reduzi-los é a mesma choradeira de sempre.

      • Miguel

        Sim, um mochileiro viaja muito bem, obrigado!

        Nem estou falando das estrangeiras, elas sempre trabalharam assim, é uma coisa óbvia (Low cost), estou falando da dupla Latam-Gol, por exemplo.
        Não vejo muita diferença na ponte aérea ou indo pro sul.

        Jeitinho brasileiro nunca reduz burocracia, só aumenta.

        Menos Bolsoliro e mais Guedes pode ser uma boa, já poderíamos reclamar menos…

        • Emanuel Schott

          As extrangeiros não trabalhavam assim não. Nunca existiu low cost mesmo em rotas internacionais.

  • Emanuel Schott

    Galera merece preços caros e burocracia. Toda tentativa de reduzir impostos ou burocracia é a mesma choradeira “ain, não vai reduzir”, “ain vai aumentar o lucro” (aqui vemos o espirito socialista enrustido da galera).

  • Magnamox

    Eu fui em um martelinho de ouro a 2 anos atrás que atendia por seguradora e particular, ele me mostrou as peças que as montadoras mandava pra ele usar….Porta moida, paralama amassado, tudo bagaçado…..Ai ele recuperava tudo na mão e quando não tinha jeito ele informava e a seguradora mandava outra. O cara fazia milagre com as peças e eu fiquei surpreso com isso por achar que as seguradoras sempre mandavam peças zeradas.

  • carnero

    Como já dizia a grande pensadora moderna Ivete:

    “E vai rolar a festa, vai rolar… o povo do gueto mandou avisar…”

  • Paulino Lino

    Um belo fomento ao roubo de carros e aos desmanches clandestinos! É o mesmo que cuspir no prato antes de guardá-lo na prateleira.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email