Crossovers Mercado SUVs

SUV passa a ser considerado automóvel de passageiro a partir deste mês

jeep_renegade_22-700x525 SUV passa a ser considerado automóvel de passageiro a partir deste mês

A partir deste mês de janeiro de 2015, os crossovers e SUVs vendidos no Brasil deixam de pertencer ao segmento de comerciais leves e passam a fazer corretamente parte dos automóveis de passeio, pois realmente o são.



A mudança já havia sido anunciada em 2014. A Anfavea defendia essa mudança de categoria dos SUVs, pois alega que havia distorção nas análises de vendas há cerca de 10 anos. A mudança só será percebida quando os dados do mercado de janeiro de 2015 forem divulgados no começo de fevereiro de 2015.

Em 2014, os automóveis tiveram queda de cerca de 9,4% com um total de 2,5 milhões vendidos, enquanto os comerciais leves cresceram 1,6% com 829 mil vendidos. Em torno de 300 mil vendidos eram utilitários esportivos, que se estivessem no segmento dos carros de passeio, reduziriam a queda para 8%. Já os comerciais teriam uma pequena alta de apenas 0,4%.

Os utilitários esportivos vem crescendo nas vendas. Eles cresceram em torno de 4% em 2014 e espera-se uma alta ainda maior em 2015, já que pelo menos 10 novos modelos de SUVs surgirão, apesar do fim anunciado do Mitsubishi TR4. Destes, pelo menos dois poderão ter grandes volumes de vendas, sendo eles o Jeep Renegade e o Peugeot 2008, que serão importantes players do segmento.

peugeot-2008-urban-cross-700x393 SUV passa a ser considerado automóvel de passageiro a partir deste mês

mitsubishi-pajero-tr4-oneill-1-700x466 SUV passa a ser considerado automóvel de passageiro a partir deste mês

[Fonte: Auto Data]

  • Gustavo73

    Os Crossover eu entendo. Afinal são derivados diretos de carros de passeio. Mas os SUV, aqueles que merecem a denominação eu não sei…

    • Kadu

      Acho que a maioria esmagadora dos SUVs, até os mais radicais, são comprados para uso equivalente ao de um carro comum, então faz sentido. As pick-ups um pouco menos, já que tem muito produtor rural e outras pessoas que pegam terra que realmente compram eles como utilitários.

      Acho que faz sentido do ponto de vista mercadológico essa mudança.

      • Gustavo73

        Mas aí é que está, eles são vendidos para o fim que foram criados. Afinal SUV (sport utility vehicles) ou veículos sportivos ou recreatios derivados de utilitários. Pra mim não estariam desviados de função.

        • Kadu

          A categoria é “comercial leve”. Difícil imaginar um único SUV vendido no mercado nacional que seria usado por uma empresa para fins comerciais. Todos os compradores usam esses supostos veículos “comerciais leves” como veículos de passeio e uso particular.

          Como disse, as pickups são outro caso. Muitos compram pickups para usar como carro de passeio, mas muitas pessoas jurídicas também compram para fins comerciais como transporte de carga.

          • Gustavo73

            Muitas SUV também são vendidas para empresas e organizações do governo. Tendo em alguns casos uso misto. Por isso epas acabm meio no limbo. Mas como derivam de pickups eu teria a tendência de classificá-las no mesmo grupo. Veja é só uma opinião.

          • Pablo Lourenço

            Na alphaville usa-se tr4 para deslocamentos internos. Seria uma empresa usando um SUV?

            • Diggo

              Passeio não quer dizer só pra lazer, pode ser com finalidade de trabalho, mas somente para carregar pessoas. Se fosse assim aquele carro que é utilizado diariamente para ir ao trabalho deveria mudar de categoria.

              • Marco Antônio

                Tipo o Gol e o Palio?? Acho que a decisão é mais pelo uso majoritário do que por carroceria. SUV não pode ser comprado por qualquer um, é mais seleto no nosso débil mercado, e se vc compra um SUV para uso “Comercial” são outros 500 (não é o carro da fiat não..). E sobre o uso misto…. Isso é Brasil, Maior parte do povo só tem um carro. Pra trabalhar, pra ir pra roça, pra ir no shopping… Então acho que os SUV na categoria de passeio se encaixa melhor do que como um comercial leve.

                • Diggo

                  Também acho. E o suv é o melhor dos dois mundos, carro confortável e com maior capacidade de enfrentar dificuldades, tanto aqui quanto na Europa, pois o segmento é vedete em quase todos os mercados.
                  Não vale a pena ter um sedã baixo, quando se sabe que nas férias teremos que ir visitar aquele parente que mora no sítio.

                  • Junoba

                    Se não tiver um SUV, então pede pro parente que mora no sítio te visitar, invés de você.

                    • Diggo

                      Aqui não tem aonde utilizar a vara de pescar.

                    • Commenter

                      Pode parecer preciosismo, mas quando eu tinha automóvel pequeno…pensava várias vezes antes de pegar uma estrada de terra. E quando ia, sempre me arrependia.

                    • Rubem

                      eu não..rs. nunca tive problema nem estético em todos carros que ja tive ( não possuo suv nem pick up) que uma limpesa não resolva, so não entrava em estrada onde só pick up 4×4 entra.

                    • Commenter

                      Eu sou chato….ao quadrado….só a poeira já me tira o sossego. Quando ando em estradas assim, limpo tudo, até o motor, por baixo do carro…tudo mesmo.

                  • Alessandro Lagoeiro

                    Mas ter um carro mais alto, com pior comportamento dinâmico, que ocupa um espaço maior externamente sem justificar isso internamente, pior consumo pelo maior arrasto aerodinâmico… 355 dias do ano por causa de 10 dias que irá para um sítio? E tem certeza que aquele seu primo chegará lá do mesmo jeito de Palio, Gol, Monza…
                    Essa é a síndrome do “vai que precisa”, comum no Brasil e em outros países, como o EUA. O cara quer um carro grande, com tração 4×4, pagando a mais por isso, para andar o maior tempo possível sozinho em estradas planas porque “vai que” um dia um meteoro caia na terra, tenho que levar a família inteira, preciso fugir de um alagamento…

                    • FabioH

                      Rs… é bem por aí Alessandro, o pessoal compra carro pensando naquela necessidade que representa 1% do seu uso, 99% dos que justificam a compra de um SUV porque algum dia precisarão colocar o carrinho na lama provavelmente o fariam da mesma forma com outro modelo de outra categoria, mas parece que vão disputar um rally por semana.

                    • Diggo

                      Por ser brasileiro não tem essa “vai que precisa”, pois o off road virou sinônino de on road, pela quantidade de buracos.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Hehehe… Aí eu concordo contigo…
                      Mas nesses buracos todos os dias estão passando nossos Palios, Unos, Gols, Celtas… levando as pessoas onde elas precisam ir. Será que um Focus daria mais manutenção ao longo dos anos em relação ao Ecosport?

                    • Commenter

                      Não uma Eco, mas outros SUV de verdade não correm tanto risco de entortar uma roda ou estourar um pneu. Agora…Celta? Me nego a andar em um destes. E quem mora em SP anda precisando de um anfíbio. ..Então, quanto mais alto, melhor.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      “.Então, quanto mais alto, melhor.”
                      Opinião de usuário de carro, como eu. Quem gosta de dirigir irá preferir ficar mais perto do chão. Mas isso é um detalhe.
                      E vamos lá: Se você falar em “SUV de verdade”, você está falando, pela definição, de SW4, TrailBlazer, Everest… Pois o que vejo muito aqui é gente é distorcendo a lógica, dizendo por exemplo que Duster, que “descende” de um compacto tanto quanto o Eco, é um SUV e o Eco não. E também, Edge, Tucson, ix35… Também não são SUV de verdade….

                    • Commenter

                      Sim, quando falo SUV de verdade me refiro aos modelos com chassi e carroceria separados. Eu sou tão usuário quanto, e prefiro os mais altos. E gosto de dirigir… Sobre os SUV: não adianta ser grande, mas ter pouca altura do solo e principalmente usar rodas 18″ ou maior e pneus de perfil baixo…Pra mim, não serve.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Bem, acredito que você possa me ajudar… Não é diretamente para mim, que estou falido, se você tivesse como passatempo pegar trilhas nas cidades da região onde mora, nada muito pesado, mas tivesse com dó de colocar seu sedã médio na terra, e não queria fazer isso mais sem ter medo de chuva, mas com um carro que fosse razoável para chegar até a trilha, qual veículo você compraria? Vi alguns da década de 90 sendo oferecidos, mas em resumo acredito que as questões são:

                      S10 4×4: Geralmente surradas demais. Manutenção tende a ser fácil
                      Ranger 4×4: Também muito surradas. Não acredito em manutenção barata da Ford.
                      Kia Sportage: Geralmente mais acabadas que as pickups. Caso não fosse isso, teria o equilíbrio perfeito de chegar até a trilha e entrar nela
                      Cherokee: Acho que são mais próprias para as trilhas que a própria Grand Cherokee. E geralmente estão em melhor estado. E a manutenção dessa dupla? Conheço uma a que ficou DOIS ANOS parada por problemas no câmbio.
                      Wangler: Geralmente mais caro, e em melhor estado que os Cherokee. Os problemas de manutenção devem ser da mesma ordem.
                      Ecosport 4×4: Ainda não atingiu um índice de desvalorização que permitisse incluir na conta.
                      Classe M: Idem ao Ecosport

                      Aliás, parte da minha revolta com o mercado de usados vem desses veículos. Quando a pessoa me pediu ajuda, fui pesquisar e achei lixos que deveriam estar em um ferro-velho por 18, 20 mil reais. Isso é grana! Já seria demais se os carros tivessem inteiros, e geralmente estão surrados. Além disso, acredito que para deixá-los inteiro, teria que gastar os 20 mil reais que custam, e por 40 mil se acha coisa mais nova e inteira…

                      Sei que não falei de veículos trilheiros, mas essa não é a intenção. É apenas poder ficar apreciando a vista sem ter medo que a chuva atrapalhe a volta. Qual sua opinião e dos amigos aqui? Eu iria de Palio ED 96!

                    • Commenter

                      Hoje tenho duas Sorento (07 MT e 09 AT). Confortável, espaçosa, 4×4 com reduzida e relativamente econômicas, principalmente a MT. No mês passado vendi uma Sportage 01, diesel, também 4×4 com reduzida. Peguei R$25 mil nela. Foram quase 5 anos com este carro e nunca deu um problema sequer, só manutenção preventiva. Mas estava muito inteira…tivemos que procurar bastante na época.

                      Destas que tu citou, já tiraria da minha lista a S10 e a Ranger. A Cherokee é boa mas tem esta questão da manutenção, mas não é coisa de outro mundo. Eco e Classe M também não estariam nas minhas possíveis escolhas. O Wangler é um carro que eu gosto, mas tem a questão da manutenção, que deve ser pior que a Cherokee.

                      Eu iria de Sportage, que ainda dá pra fazer um lift leve, mas não precisa. Ou dá uma olhada nas Sorento.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Valeu amigo! Excelente ajuda. E pelo jeito é aquilo que pensei mesmo, não ia conseguir fugir da Sportage. As Sorentos se enquadram na categoria de Ecosport, Classe M e outras que não tinha citado, como Rav4, Hilux, Pathfinder… Todas muito caras.
                      Aliás, aproveitar o comentário para fazer um desabafo: Como tem LIXO nessa faixa de valor (12 a 20 mil reais)! Carros que não deveriam custar 5 mil, sendo vendido por 3 vezes o preço natural. Já tinha reclamado aqui quando fui comprar um carro para mim, de que carros da década de 90, completamente acabados, com problemas de acabamento que dificilmente teriam peça de reposição, estavam custando milhares de reais, sendo que para mim nem deveriam estar rodando no estado em que se encontravam. Essa faixa também tem muito carro pelado dos anos 2000 já, mas nesse caso a explicação para aquisição tem uma justificativa clara: O que eles não tem não quebra, e o fato de serem mal equipados torna-se até um trunfo para aquisição, para quem está com grana curta e não pode depender de transporte público. Entendi que você e o @zeuslinux:disqus estão em outro patamar, mas essa faixa é a realidade de muita gente. Por isso é completamente compreensível a aquisição de Corsa, Fiesta, Gol, Palio, Mille, 206, Clio em vez de Mazda, Kia, Mitsubishi, Nissan, Mercedes, BMW… Nessa faixa de preço.. Como pode alguém cobrar 16 mil reais em um carro que um problema de motor ficaria nessa faixa de preço para consertar? Muita gente defende o mercado de usados, mas acho que ele é tão injusto quanto do zero km. O mercado diz que minha amiga terá que gastar uns 20 mil reais para ir na cidade vizinha em estradas de terra, com um fôlego a mais que no Cruze. Para mim, tanto ela quanto o pai de família que precisa trabalhar e que pode gastar até uns 20 mil para comprar um carro básico 2004, 2005 não deveriam gastar nem 5.

                    • Commenter

                      Carro usado, um pouco mais antigo…está complicado. Ou é acabado, ou é pelado. Minha esposa tirou a CNH agora é eu quero comprar um carro com manutenção relativamente barata, pequeno, mas que não seja pelado, até ela ter segurança no trânsito (e eu também). Está difícil. …ou não fica na faixa do que quero pagar, ou não tem o mínimo que eu quero….

                    • José Barbosa

                      Não é coincidência. Quem tem um pouquinho mais de capacidade financeira aproveitou a onda de preços baixos até 2013 e não tem necessidade de trocar, por enquanto. E os carros mais velhos ficaram para quem talvez nem tinha carro, e também surfou na onda do crédito, mas sem verificar os custos de manutenção. Isto resulta em carros depenados. Hoje é raridade pegar um carro com dez anos de uso que esteja inteiro.

                    • Marcos Souza

                      Suzuky Jimmy é 4×4 e não ficaria preso numa barroca… Tem motor 1.3 e o usado teoricamente é mais barato que os citados. É um verdadeiro carro de trilha apesar do motor mais fraco

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Não, ele é mais caro, porque é mais novo. Ele também parece mais apto ao fora da estrada que os outros (Minha opinião, sem conhecimento técnico, com exceção do Wangler e do Troller, que também está fora de cogitação por valor) e menos a vontade na estrada no dia a dia, o que não seria o foco.

                    • Daniel

                      Em compensação, a cada troca de pneu do SUV (que gasta mais pneu, principalmente os 4×4!) vc trocaria uns 15 jogos de pneu de um carro popular…

                    • Commenter

                      Primeiro: um pneu aro 15, 195/60r15, que é o tamanho mais comum hoje, custa por volta de R$400. Cada pneu da minha custa R$600. E não, não gasta mais pneu coisa nenhuma…Troquei um jogo com 80mil km, e ainda tinha borracha pra gastar….média normal para um jogo de pneus.

                      Segundo: não levo em consideração carro popular pois jamais compraria um. Então carro com aro 13…14…não entrariam na minha garagem. E não é por uma escolha minha, hoje até “popular” vem com aro 15.

                      Terceiro: enquanto tu troca um pneu por ano rasgado…eu não troco nenhum. E coloca junto a roda. Quando comprei eu sabia que o valor de cada pneu era mais alto, mas não me importa.

                      Se for para fazer este tipo de comparação, eu compraria dois ou três populares com o valor que eu paguei na minha camioneta. E não estaria no que eu quero…

                    • Daniel

                      Olha, não sei aonde vc compra 195/60r15 por R$400… mas, vou te avisando! tão te metendo a faca! Essa medida custa pouco menos de R$300. Os aro 14 custam 200 contos…
                      E, pneu de SUV de verdade é mais caro… 265/70r16 (l200, hilux e derivadas) custa cerca de 700reais. E sim, gastam mais rapido. 30mil km e já tão lisos

                      Sobre pneu rasgado, só troquei uma vez na vida, por conta de um pedaço de panela de freio de caminhão na estrada (mas aquilo cortou até mesmo pneu de algumas carretas que passaram por cima).

                    • Commenter

                      Pneu durando só 30mil km? Deve fazer bem mais do que andar normalmente. Tenho carro grande em casa a anos… Nunca paguei mais de 600 reais por um pneu. E não compro pneu de segunda linha. Nunca trocamos pneu com menos de 80mil km. Não gasta com 30 mil km nem a pau.

                    • Rubem

                      ai depende, a plataforma do fiestão é melhor que a do focus?..rs

                    • Alessandro Lagoeiro

                      A resistência está muito além da plataforma. Troque o amortecedor do seu carro por amortecedores de baixa linha, por exemplo. Você terá a durabilidade dos componentes comprometidas, sem mudar a plataforma do carro. E além da questão da qualidade de componentes, temos também a qualidade da montagem, materiais usados. Lembro de alguns casos como Variant que era comida pela ferrugem, Ômega que estourava os vidros do carro como o Gol G5, Scort com trincas no monobloco, as longarinas do Opala/Caravan que não aguentavam o peso do motor.

                    • CorsarioViajante

                      Outro caso desta síndrome é a fobia do “casei preciso trocar de carro”. Nunca vi, o cara casa e acha mil motivos para comprar um trambolho imenso. E quando tem filho então…

                    • Commenter

                      Tu está simplificando demais. Da mesma forma que alguns gostam de carro duas portas, outros gostam de SUV. E o espaço interno é muito maior sim, mas não estou me referindo a estes pseudo SUV como é o caso da Ecosport.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      O Ecosport é um Crossover compacto. Não tem a premissa de ser espaçosa. Você deveria avaliar a proposta do veículo.

                    • Daniel

                      pois é… eu já falei pra um monte de gente: é pra isso que existe LOCADORA… só o que se economiza de IPVA e combustivel paga uns 2 meses de aluguel pra ir pro sitio! hehehe..

                    • ObservadorCWB

                      Penso bem por aí. Para mim o principal motivo de ter um SUV hoje seria a segurança. Por um lado é mais fácil se acidentar com um SUV por tudo que vc falou..mas por outro, sendo um motorista cauteloso, e tendo o outro motorista como causador do acidente…..preferia estar a bordo de um SUV a estar a bordo de um golzim….principalmente nos acidentes mais fatais, que são as colisões frontais.

                    • Marcos Souza

                      Acho que eles estão mais preocupados com um apocalipse zumbi… Vai que…re

                  • Holandes Louco

                    Toda vez que eu leio “melhor dos dois mundos” eu lembro do pato.
                    Não voa direito como um passarinho e não nada direito como um peixe.

                    • Diggo

                      Mas faz os dois. Agora põe o peixe fora da água pra ver como ele se sairá.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Mas Diggo: Nos 355 dias longe do sítio, ele não terá consumo, desempenho, estabilidade, nem espaço de sedã. Então ele não tem “o melhor dos dois mundos”. E dependendo do sítio, um Azera vai sem problema.

                    • zeuslinux

                      Vou mostrar o meu caso particular. Eu tenho hoje uma Captiva, que é um crossover médio, e antes tinha um Corolla (sedã médio).

                      O comprimento dos dois carros é muito semelhante, porém a Captiva é um pouco mais larga (largura de um sedã grande em vez de médio), o que dá mais conforto e tem um entre-eixos 10 cm maior que o Corolla antigo e igual ao Corolla novo. Então digo que em termos de espaço para passageiros, a Captiva é ligeiramente melhor, por ser um pouco mais larga.

                      A maior diferença está mesmo na altura. O porta-malas da Captiva sem rebater os bancos é um pouco menor, porém consigo carregar volumes bem maiores do que um sedã e maiores até do que um hatch médio (pela maior altura, o que gera uma abertura maior da entrada).

                      O desempenho dos dois é semelhante. O peso bem maior é compensado pelo motor maior e mais potente (motor 2.4, usado geralmente em sedãs grandes) e pelo câmbio AT com mais marchas (6 contra 4). O consumo é que é obviamente maior, mas para mim que rodo pouco o gasto com combustível nunca foi significativo.

                      A menor estabilidade por ser mais alta é compensado parcialmente com a presença do controle de estabilidade (que o Corolla não tem) e pela suspensão ser independente nas 4 rodas (mais moderna do que a do Corolla, que balança muito mais em curvas rápidas).

                      Enfim, digo que nem sempre um carro alto como uma SUV pode ser uma escolha pior ou mesmo agir na prática (dinamicamente) pior do que um hatch ou sedã médio de mesma categoria.

                      Era melhor eu ter pego um sedã grande tipo Fusion ou Azera ?! Para mim não, porque seria um carro ainda maior (pouco prático para o dia-a-dia) e menos versátil. Mas entendo que prefira.

                      Eu adoraria ter um Porsche Macan/Cayenne ou um Audi Q5/Q7, mas infelizmente não posso. Seriam carros de desempenho quase esportivo e bem práticos para usar todo dia.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Mas aí, você tem que comparar carros de perfis semelhantes, ou então, de valores semelhantes (Acho mais válida a comparação com o Cruze, que se não me engano é a base da Captiva. Ou se o foco for valor, comparar o Corolla com o Duster ou Ecosport. Claro que minha comparação ficaria afetada se a comparação fosse um Corolla com uma Edge, mas também, olha a diferença de preço entre eles! Mas por outro lado, acho válida a comparação do Corolla com o Duster, porque independente de categoria, a questão talvez seja “O que de melhor eu posso comprar com 70, 80 mil?”)
                      Mas vamos lá: Eu também iria preferir um Crossover no lugar de um sedã, por gosto pessoal. Mas nunca iria achar que um Crossover de valor semelhante a um sedã médio teria a mesma estabilidade que o carro mais baixo.
                      Minha referência de tamanho foi a SantaFe, que achei pequena demais por dentro para o tanto de lata lá fora. O porta-malas de um crossover será sempre mais prático que de um sedã, que em termos de praticidade perde até para um Hatch.
                      E assim, o certo seria comparar carros com motorização semelhantes, ou como disse, com preços semelhantes, porque as vezes não é categoria, mas o melhor que meu dinheiro pudesse comprar. Quanto andaria um Cruze com motorização semelhante? Ou será que o Cruze com a motorização atual já não anda junto? Sua comparação é válida e mostra o quão a Captiva se encaixa mais dentro das suas necessidades (E acredito que o mesmo valeria para mim). Mas qual a diferença de preço entre essas opções?

                    • Commenter

                      Acho que o conforto e o espaço são muito mais importantes que o “andar junto”. E em algumas situações o Cruze ficaria para trás, já que não teria capacidade de passar. É uma questão de escolha pessoal, que não sei porque incomoda a tantos.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Incomodar? De forma alguma. Apenas uma discussão saudável. É para isso que se propõe um fórum (E não apenas para concordarem com a opinião dos outros, que é que parece que as pessoas enxergam).
                      Aliás, você leu que eu também teria preferência por crossovers? Não, não é?
                      De maneira alguma eu desrespeitei opção pessoal, até porque tenho a mesma que ele (E que você, por sinal). Apenas coloquei um contraponto. Ninguém está falando o que é mais importante para um ou para outro, mas um carro com desempenho e consumos melhores que outro nas mesmas situações constituem uma vantagem, não? Independente se em outros quesitos ele for inferior, nesses ele leva vantagem.

                    • Commenter

                      Até não me referi a teus comentários, é mais uma observação geral. O pessoal reclama tanto, chegam a xingar quem compra, que parecem incomodados….ou outra coisa.

                    • Commenter

                      E sim, li o comentário onde tu cita tua preferência. Como te disse, comentei dentro da discussão de vocês, mas não direcionado a ti.

                    • zeuslinux

                      A Captiva não usa a plataforma do Cruze e não é derivada dele. A plataforma é compartilhada somente com outros SUVs. O motor 2.4 dela era usado no Malibu, que era um sedã grande da Chevrolet. O motor V6 3.6 era usado no Ômega australiano, que era um sedã gigante da Chevrolet.

                      Paguei um pouco mais na Captiva do que no Corolla, mais precisamente 11 mil reais (com 2 anos de intervalo entre cada um, o que diminui um pouco a diferença de preço em termos reais). Hoje a Captiva subiu muito de preço e talvez não a compraria mais, mas achei que foi uma boa compra na época e não me arrependo. É um carro superior em tudo ao Corolla, que a meu ver sempre foi supervalorizado demais por causa de fama.

                      E mesmo que fosse comprar um outro sedã médio, certamente não compraria um Corolla. Há opções melhores.

                      Eu concordo que o modismo dos SUVs está os tornando caros demais e que os fabricantes estão criando muitas aberrações para vender como SUV.

                    • radiobrasil

                      Eu tive varios Vectra e parti tambem pro Captiva. 100% satisfeito, como o colega disse, consigo transportar objetos que não consegui no sedan.
                      Consumo? O Captiva até hj foi sempre mais economico que meu ultimo Vectra MANUAL (N.E 2.0 “fréquis”). Vectra com a mesma quantidade de pessoas e mesmo trajeto rodoviário nunca fez mais que 10,5km/l. No Captiva consigo até 12,5 no consumo em estrada, SEM o auxilio do cruise control. Com ele vai pra 11,5.

                    • ObservadorCWB

                      Esse carro SEMPRE aparece nos comentários. Acho que o Azera (até 2011) deve ser uma das poucas unanimidades no nosso mercado de carros. Pessoal levou carro de nível mundial para casa a preço de Civic/Corolla e Vectra.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      A melhor definição para mim foi da Quatro Rodas: “Mirou as estrelas para acertar aviões”. Esse era o Azera

                    • Edson Fernandes

                      E ainda bebe mais coisa que o pato não faz…rs

                    • Alex Dusfri

                      E até pra andar o pato anda como se estivesse mancando e bem devagarinho. rsrs

                  • Rubem

                    nem tanto. minivan é a melhor configuração para conforto. altura total de suv com altura de piso de um carro sedan = interior mais espaçoso. ja “visitei” parente no sitio de monza, zafira e idea e nunca tive problema. onde sedan não anda nem suv mete a cara, só uma pick up 4×4

                  • zeuslinux

                    Não é só sítio não. Onde moro, a calçada é tão alta em relação ao asfalto que mesmo saindo bem devagar, se o carro (um Corolla) estivesse com 3 pessoas ou mais, SEMPRE raspava na saída da garagem (usando a rampa).

    • Marcelo Nascimento

      Tendo a concordar, mas quais são os SUVs que merecem a denominação? Só consigo pensar nos Jipões…

      • Gustavo73

        Olha a definição “clássica” de SUV são veículos sportivos (recreativos) derivados de utilitários. Então a principio seriam aqueles que tem chassi e carroceria separados. Então em teoria todos os veículos monobloco seriam Crossover. Mas até empresas como a Land Rover lançaram “jipões” com monobloco. A coisa ficou mais difusa. Mas eu iria pela definição. Deriva de um utilitário é SUV. Não deriva entra na categoria carros de passeio.

        • dougkmt

          Não por coincidência eu costumo citar o segmento como “SUV”/Crossover, rsrs.

          • Gustavo73

            Pois é. Mas hoje muita gente reclama que Crossover não é SUV. Normalmente pela capacidade off-road. Por isso as coisas fucaram mais confusas.

            • Commenter

              No meu ponto de vista, comercial leve são só os de carga, então entrariam só as pickups. O resto vai pra categoria dos automóveis.

    • Diggo

      Não vejo nenhum SUV como verdadeiro utilitário. Todos são para passeio. Mesmos os verdadeiros jipes são de passeio, pra mim utilitário são carros usados para trabalhar e, sendo assim, nenhum se incluiria nesta lista.

    • Pedro Henrique

      mas eis a questão agora, se fica como automóvel de passageiro, pode usar motor diesel? ou isso não tem nada ver?

      • Gustavo73

        Não tem nada haver. Para usar diesel o veículo precisa ter tração integral e reduzida, ou capacidade de carga acima de determinado peso(não lembro o número exato).

        • Navaman

          Também tinha esta dúvida. Então o Renegade diesel não está ameaçado.

          • Gustavo73

            Não seria nem anunciado. Se pairasse alguma dúvida.

          • Realmente não está ameaçado, lembrando que já existe algo semelhante na categoria dele sendo comercializado no Brasil, que é o SsangYong Korando, que é a Diesel e 4X4, sendo que é um carro de porte similar ao do Hyundai ix35.

        • Luis LC

          Hoje em dia a maioria das montadoras usam o expediente da primeira encurtada e homologam no diesel

    • Heitor Borba

      a pergunta o que seria realmente um SUV(Utilitário esportivo Tupiniquim)?
      Concordo como você disse, veículos derivados de carros de passeio, vide: Fiesta>Ecosport, Sandero>Duster, Sonic/(Gsv)>Traker, Fusion>Edge e etc são crossOvers…
      Na minha singela visão, 1)um SUV de verdade deveria ter capacidade de carga de pelo menos 1T, como requisito para além de receber motorização Diesel receber classificação de Utilitário ‘esportivo’, e 2)não compartilhar plataforma com veículos de passeio.

    • Deadlock

      Tomara que o governo tb não mude, pq aí podem proibir SUVs a diesel, o que não é muito difícil com a Petrbrás capengando..,

      • Gustavo73

        O Governo pode realmente mudar as regras ao seu bel prazer. Ainda mais aqui..

    • ObservadorCWB

      E agora ? Como vai ficar o “furo” na lei que a dona Ford usava para não colocar Air Bag no Troller ? Quero ver o bando de gente que me criticou dizendo que não era viável colocar AB em aventureiro “de verdade”, quando o Troller 2016 passar a contar com o equipamento.

      • Gustavo73

        Vão fingir que não é com eles. Se até a velha Defender tem 2ab,nunca ouve motivo real para o Troller não ter.

  • Bruno Silva

    Finalmente. Chega de distorções!!

  • Ric53

    Ótima notícia!

    • Semola

      Depende. O IPVA destes vai passar de 2.5% para 4% em SP, como exemplo.

      • Alex Dusfri

        E agora que são considerados carros de passeio vão ser proibidos de ter motor a diesel?

  • Mr. Car

    Demorou.

  • Marcelo Nascimento

    Podiam aproveitar e acabar com as distorções causadas pela soma de veículos diferentes com o mesmo nome…

    • Gustavo73

      Também com carros de uma categoria contabilizados em categoria superior como o Punto que aparece como médio. Ou o CrossFox que tem contagem separada do Fox…

      • Eduardo Brito

        Faz tempo que o Punto não conta como médio

        • dougkmt

          A Fenabrave “discorda” de vc. Olhe na página 10 do relatório mensal de emplacamentos e verá que o Punto foi o primeiro colocado de 2014 dos hatches médios. Focus em segundo, Cruze Sport6 em terceiro, e assim por diante…

          Ou seja, o Fiat Punto ainda permanece contabilizado na categoria errada.

          • Gustavo73

            Não costumo ver as vendas. Mas volta e meia alguém comenta sobre o caso do Punto. E não tem muito tempo falaram novamente.

          • Eduardo Brito

            Nossa, pensei que eles ja tinham mudado isso…

      • FaloNaCara ¯ _ (ツ) _ / ¯

        E o Fit, que é um hatch mas contabilizado como minivan compacta.

        • Marcus

          Fit nunca foi hatch. Tentaram empurrar essa categoria pra ele, e cai quem quer. Ao pé da letra é um monovolume.

          • Junoba

            Pra que essa confusão toda? A Honda devia dizer qual é a categoria do carro, e pronto.

          • Alessandro Lagoeiro

            Empurrar essa categoria? Cai quem quer? Que diferença faria na prática para uma pessoa a categoria do carro? “Ah, eu quero um carro com bom acabamento, com interior versátil e motorização acima de 1.0, e gosto da Honda. Poderia ser o Fit, mas ele é uma Van, eu queria um Hatch”. Ele é um hatch sim. E não é questão de cair, é questão de buscar no carro o que ela procura, mesmo que seja status, versatilidade… Independente da categoria. E você está confundindo formato da carroceria com categoria. Idea é monovolume e é Minivan. C3 Picasso é Minivan e tem dois volumes. Lamborghini é super esportivo e é monovolume.

            • Rodrigo

              Concordo! E, diga-se de passagem, o C3 Aircross é considerado SUV por essa classificação maluca. Só olhar os rankings de mais vendidos…

            • Holandes Louco

              Lamborghini monovolume? Santo Deus!!! Onde foi que você leu esse absurdo? Só conheço tratores, coupés, roadsters e um SUV deles..

              • Alessandro Lagoeiro

                Ler?
                Não é questão de ler, mas entender o que cada termo significa.
                O que é um monovolume? É o formato que não permite distinguir frente e habitáculo. Exatamente como a Murciélago. E de certa forma, o mesmo acontece com o Fox, Fit, Meriva, Zafira, C4 Picasso… A questão é que o pessoal resolveu considerar monovolume como a categoria minivan, mesmo que tenhamos exemplos de que não é bem assim, como Fox e Fit (“Ah, mas eu consigo diferenciar os dois volumes do Fox”. Eu também diferencio da Picasso, Meriva… Para mim, monovolume só a Kombi!). Você não precisa ler em lugar algum o que significa cada termo, apenas saber o que significa. Claro, temos alguns exemplos de carros que não se encaixam bem em categoria alguma, como o Mustang antigo e o Scort. E aí vai uma curiosidade: O Fusca antigo era considerado um sedã? Ridículo, não? Não! A definição de sedã fala sobre porta-malas saliente. E o pequeno VW surpreendentemente cumpre o requisito!

                Abraço.

                • Edson Fernandes

                  Bem… essa discussão é tão complicada quanto falar de “design”. Um Designer uma certa vez me disse dessa forma: Design, é quando o cara faz o desenho do produto, logo, vc falar do “design” do carro é errado. O certo é falar das formas ou do desenho do carro, porque o design já foi realizado pelo Designer que entregou a fabricante o que era esperado.

                  Depois disso, sempre me refiro ao desenho do carro e não ao “design” de produto, pois esse é só os esboços ou quando muito um ultimo desenho que o Designer fez para a construção real do carro.

                  O Focus teve uma versão inteira feita em prototipo, ou seja, um desenho do produto que posteriormente passou a sua versão final e de fabricação.

                • Alex Dusfri

                  Alessandro, o Escort e o Kadett, assim como o Passat fabricado no Brasil nos anos 70 e 80 se encaixam na categoria fastback ou nothback. Essas denominações são pouco utilizadas aqui mas existem. No mais, concordo com tudo que vc disse.

                • Holandes Louco

                  Cara, eu discordo.

                  Um Lambo moderno seria pelo menos um 2 volumes, assim como uma VW Sharan também é 2 e não monovolume…

                  http://www.the-blueprints.com/blueprints-depot/cars/vw/volkswagen-sharan-1998.gif
                  http://www.the-blueprints.com/blueprints-depot-restricted/cars/lamborghini/lamborghini_murcielago-22357.jpg

                  é bem nítida a diferença do capô frontal para o habitáculo.

                  • Alessandro Lagoeiro

                    Olhando as imagens, apenas por elas, a Lambo representa muito mais o monovolume que um Fit. Olhe o capô do Fit: Ele tem a região do fim do junto do início do parabrisa (A região da grelha) levemente afundada, o que denuncia o segundo volume. Claro, para mim isso não muda nada, nos seus exemplos, um é um monovolume super esportivo, outro uma van. Eu não deixaria ou compraria um carro pelo formato da carroceria, e sim se ela se encaixasse no que eu precisasse. Na antiga Classe A, a diferença de volumes é mais difícil de perceber, como na Meriva e Idea, mas pegue uma Zafira, a Livina, Aircross e principalmente a Spin, e veja se não é claro e evidente o segundo volume. Mas muitos acreditam que ela é monovolume apenas por ser uma van! Monovolume mesmo, só a Kombi, e talvez a Xsara Picasso. Façamos um exercício agora: Imagine que coloquemos em um Gol, uma régua que vá do ponto mais alto do parabrisa na parte de junção do teto, unindo o mesmo ao ponto mais alto do capô, em frente ao carro. Imagine agora que vamos subir a grelha até encostar nessa régua, fazendo o parabrisas ficar reto em relação ao capô do carro. Pronto, temos um monovolume. Mas o que mudaria? Teríamos um capô mais em cunha, um parabrisas mais inclinado e internamente um painel mais alto talvez. Mas ainda teríamos a mesma altura do solo, o banco afundado, a mesma distância entre-eixos e talvez uma melhora aerodinâmica. O Gol seria um monovolume. Mas continuaria longe de ser uma minivan. Assim é o Fit para mim.

            • Marcus

              Cara, vc não sabe nada. Fit é e sempre foi monovolume. Isso é um fato. Nunca foi hatch. Pra ser hatch tem que ter 2 volumes. Quer que eu desenhe melhor? Procure se informar mais na mídia especializada.

          • FaloNaCara ¯ _ (ツ) _ / ¯

            Ser monovolume não impede de ser hatchback, que é um carro sem traseira proeminente. Eu tive um Fit e TUDO nele é de hatch. Acho muito mais enganoso falar que é minivan, que ele não tem nada.

            • Edson Fernandes

              Mas vc sabe né…. muita gente “acha” que ele é minivan pelo teto alto e espaço interno otimizado.

              Quando eu ouço alguem pessoalmente falar comgio (e que tenha intimidade), sempre brinco que então o City deve ser uma Minivan com “bunda”…rs

              Assim como o C4 Pallas deveria ser considerado um médio-grande já que tem medida para isso…. (mas ele está ocupando o local certo, o de carros médios).

              • Alessandro Lagoeiro

                Mas uma coisa é verdade. As vezes o termo “compacto” não expressa bem a categoria do carro. Como pode Sandero e Cobalt serem considerados compactos?

                • Marcus

                  Tá aí uma verdade. Concordo plenamente contigo. Realmente algumas categorizações levam a algumas incoerências.

                  • Alessandro Lagoeiro

                    Algumas definições incorretas são oriundas de análises equivocadas (Os exemplos que eu dei), mas a classificação da Fenabrave, por exemplo, é de responsabilidade do fabricante! O fato do Punto ser médio, se não me engano o Focus II era considerado compacto Premium, a separação do Fox e CrossFox, C3 Picasso e AirCross…. São todas classificações do fabricante. Pior foi um material da VW, que certa vez classificara a finada Parati como SUV! heheheh

                • Edson Fernandes

                  Nesse caso o que conta é o conjunto. Esses carros tem a mesma “sindrome” do Linea: Tem a largura estreita (e que o identifica como compacto, além disso em concepção técnica, tem uma bitola menor que significa uma rodagem até diferente de um médio).

            • Alessandro Lagoeiro

              Vai tentar explicar para esses que sabem tudo da “mídia especializada”. Ele ainda não entendeu a diferença entre formato do carro e categoria do mesmo.

              • Marcus

                Não, meu caro. Vc q não entendeu, ou teima em discordar por puro bel prazer. Não pode ser tão difícil aceitar um fato amplamente sabido.

                • Alessandro Lagoeiro

                  Não se preocupe, vou ler mais a “mídia especializada” e aprender mais coisas que desafiam a lógica. Afinal, está na internet, só pode ser verdade!

                  Abraço.

                  • Marcus

                    Talvez você não tenha entendido a lógica. Pense nisso.

            • Marcus

              Impede sim. Hatch tem 2 volumes, o que não é o caso do fit.

              • Gustavo73

                Explica isso lá na Europa aondo o Honda Jazz(Fit) está e é comparado com Fiesta, Polo e etc…

                • Marcus

                  Uma coisa não implica na outra. Explica então, por exemplo, como aqui o Fit é comparado com Idea, como era comparado com a saudosa Meriva em suas versões anteriores. Como também é comparado com o Nissan Note… e por aí vai. A impressão que dá é que algumas pessoas acham que ser monovolume é algo horrível, digno de xingamento, e combatem ferozmente tal classificação. Por acaso é um demérito ter um monovolume? Não estou nem entendendo o volume dessa discussão, que é tão óbvia. Só não enxerga quem não quer, e acabam procurando pelo em ovo.

  • ObservadorCWB

    Parece-me mais uma daquela MAQUIADAS que o governo faz com as contas públicas, com o índice nacional de desemprego e coisas afim….. querem mostrar que a coisa não está tão preta…..quando na verdade continua negra.

  • Wagner Lopes

    E por mim pagariam o dobro de IPVA pois consomem e poluem muito mais (na maioria dos casos) desnecessariamente pois as pessoas os utilizam da mesma forma que utilizariam um compacto por exemplo (também na maioria dos casos).

    • Alex Dusfri

      Estou contigo. São mais pesados e tem pneus mais largos, por isso bebem mais. São maiores que subcompactos ou hatchs dos quais geralmente derivam e por isso ocupam mais espaço nas cidades. Esses pseudoaventureiros custam em média 15% mais que seu equivalente hatch (plataforma). Geralmente são usados por mulheres para buscar filhos nas escolas, ir a academia, ao cabeleireiro ou fazer pequenas compras no shopping. Deveriam sim pagar mais IPVA.

      • zeuslinux

        Mas eles já pagam mais IPVA porque custam mais…

        Não sei porque tanta gente parece ter raiva de SUVs nesses blogs. Ou é inveja ou já levou uma batida de algum deles.

        • Alex Dusfri

          Bem, esta tua alfinetada não serviu pra mim, pois não tenho inveja nenhuma de quem tem SUV e nunca bateram em mim com um. O único veículo até hoje que já bateu no meu carro foi um ônibus e nem por isso eu tenho raiva deles, pelo contrário, eles são de fundamental importância num ambiente urbano. Vc que se sentiu tocado porque tem um SUV, só que eu não sou contra eles, apenas acho que ocupam mais espaço e poluem mais.

  • Diggo

    Eu acho que na verdade três venderão bem, Renegade, HR-V e 2008. Inclusive o HR-V seria o que mais venderia entre os três, pois a Honda é competente com a família Fit.

  • CorsarioViajante

    Acho coerente, mudança bem vinda.

    • Marco Antônio

      Mas será que muda na conta do IPVA??

      • Edson Fernandes

        Muda! Em SP, veiculos comerciais pagam 2,5% de IPVA e agora passarão a pagar 4%. (sendo veiculos de passeio)

        • Tito Reis

          De onde você tirou que “veiculos comerciais pagam 2,5%”

          pois eu sempre paguei os mesmos 4% pelo meu “considerado” veículo comercial leve, isso é mais uma balela da Anfavea bem como essa FIPE que deveria acabar, pois eles acabam desvalorizando todos os carros e beneficiando somente as seguradoras na hora das indenizações.

          Abaixo texto da Secretária da Fazenda sobre IPVA em São Paulo:

          As alíquotas do imposto permanecem inalteradas. Os proprietários de veículos movidos a gasolina e os bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal. No caso de veículos que utilizarem exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, a alíquota é de 3%. As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões e caminhões-trator pagam 1,5%.

      • CorsarioViajante

        Ah! Aí vc levantou uma lebre hein! Acho que os comerciais pagam menos IPVA. Mais um motivo para fazer a mudança, pois era uma distorção grave.

        • Commenter

          No RS todos pagam 3%. Mas em estados com cotas diferenciadas, é golpe.

        • Marco Antônio

          Também concordo. A mudança era necessária. Até porque agora é mais dinheiro para o governo manter nossas estradas e vias públicas em ótimo estado de conservação e trafegabilidade.

  • Piantino

    Ótimo para o governo! Pois agora vão pagar mais IPVA. Aqui em MG os SUV pagavam 2% ao invés de 4% dos automóveis.

  • Gian

    Muda algo em imposto?

    Se não, isso não muda nada na nossa vida.

    • Junoba

      Estão falando que o IPVA vai aumentar, mas como eu não tenho carro( e nem posso atualmente ), isso não vai mudar nada na minha vida !

  • CanalhaRS

    Se a Honda não enlouquecer no preço, acho que o H-RV vai ter filas de espera, venderá muito.
    2015 será o fim do reinado do Ecosport, do Duster nem vou comentar….

    • Danilo Fernandes

      Preço inicial de 80 mil reais. Tá bom pra vc?

      • CanalhaRS

        Cite a fonte, amigo.

        • Danilo Fernandes

          A fonte é o próprio NA só não vou lembrar em qual tópico comentaram. Acho que num do Renegade. De qualquer forma creio que seja especulação visto que o carro ainda não lançou. Agora, você acha mesmo que a Honda vai lançar o HRV a preços muito menores que isso? Duvido!

          • Alessandro Lagoeiro

            Foi um comentário e você acredita que seja uma fonte confiável????

            • Danilo Fernandes

              E onde foi que eu disse que sabia que o preço seria esse? Muito menos que tinha uma fonte confiável? O carro nem lançou! Nem a própria Honda deve saber quanto vai pedir nele. Uma coisa é certa! Pouco é que não vai ser. Todos os carros da Honda são superfaturados, porque este não seria?

              • FabioH

                Eu entendi na sua resposta ao CanalhaRS que foi uma afirmação, ou estou incorreto?

        • No lançamento saiu uma noticia aqui no Na que o ecosport não era de sua categoria pelo fato do hrv ser de categoria superior segundo o diretor da honda… Logo…

          E está aí, se era absurdo os compactos premium, teremos SUV compacto premium…

    • Junoba

      Quando o novo Ecosport chegou, eu pensei que as vendas do Duster iria despencar, mas eu estava errado, e o Renault chega a vender até um pouco mais que o Ford em alguns meses.

      • CanalhaRS

        Eu também, Junoba. Errei nesta minha previsão. Brasileiro é mais ingênuo do que eu imaginava.

        • Junoba

          Brasileiro é meio doido mesmo, posso falar porque sou um deles. Já tive vontade de sair atirando em todo mundo que eu vejo pela frente, de tão sem noção que é esse povo, e se deixa levar por ´´conversinhas“`, como dizer que carro da Toyota da Status, isso me deixa com raiva….. acredito que você já teve essa vontade.

    • Ric53

      Pior q eu acho q a Honda não quer vender muito, não quer ser o líder do seguimento, ela quer vender poucas unidades a preços exorbitantes como o amigo falou.. Afinal no Brasil qualquer porcaria tem ar de exclusividade

    • FaloNaCara ¯ _ (ツ) _ / ¯

      Segundo a própria Honda ele terá preço de Civic, entre 68 e 85 mil, a depender da versão. Ou seja, preço de Tracker, EcoSport e Duster que já passa dos 70 mil.

    • Duster??? Nem vai comentar… nem custa lembrar que desde Outubro de 2014, o Duster é o SUV mais vendido mês a mês, perdendo pro Ecosport apenas no acumulado do ano… agora com as atuais promoções da Renault, a tendência é que ele comece 2015 na liderança.

      Prometeram que a GM teria “tarimba” pra enfrentar a dupla Ecosport e Duster, com o Tracker, antes o Tucson, mas até agora nenhum venceu os dois imbatíveis, até o momento. Seria interessante um revezamento.

      Talvez pelo intervalo de troca de gerações, o Duster não seja líder esse ano, pois a Renault sempre perde muitas vendas por um trimestre inteiro a cada mudança de geração, sabe-se lá o porquê, mas creio que o carro estará revigorado para se manter ao menos em segundo com tranquilidade, pois o público cativo do Renault Duster não é abarcado em totalidade pelos proprietários de SUV Crossover comum, como o Ford Ecosport, GM Tracker, Peugeot 2008 e Honda HR-V, mas sim em grande parte pelos potenciais adquirentes de Mitsubishi TR4, Hyundai Tucson (pelo porte e tamanho), Lifan X60, Suzuki Gran Vitara e futuramente pelo Jeep Renegade.

      • Gran RS 78

        O Duster realmente está surpreendendo em vendas, e como vc mesmo disse, ele ganhou do Ecosport alguns meses. Estou vendo várias promoções do Duster 2.0 a preço de 1.6, e Duster automático, com preço de manual. Isso irá dar um salto nas vendas, especialmente pelo preço cobrado pelo Ecosport, que está bem caro, e o modelo é menor que o Duster. Só vou te corrigir em uma coisa: O Novo Duster não será uma nova geração, e sim uma reestilização do atual modelo. Abs.

        • Concordo que, de fato, é apenas uma re-estilização, todavia, trato como nova geração, pois a Renault o está tratando como “novo”, tal qual a VW fez com o Gol G5, que ao re-estilizá-lo, considerou G6.

          Essas montadoras… risos. Um grande abraço.

          • Gran RS 78

            Só porque e Renault está tratando como “novo” não podemos aceitar que seja uma nova geração, pois leva ao erro muitos leigos no assunto automotivo, pois é exatamente isso que as montadoras querem que muitos consumidores acreditem nisso.O mesmo vale para os “premium” como Novo Fiesta, Punto etc, que de premium não tem nada.O Novo Gol, quem tratou de chamar de G6 foram os concessionários, pois a VW sempre anunciou somente como Novo Gol. Grande abs.

    • Gran RS 78

      A Honda já está louca faz tempo com os preços de seus carros. E para variar, o preço do HRV já foi “ventilado” para alguns jornalistas, e segundo a marca, o HRV DX irá começar um pouco abaixo dos 80 mil reais, portanto pode esperar o top, EXR, perto dos 100 mil.

  • Semola

    Esta mudança é para aumentar a arrecadação de IPVA nos estados. Exemplo: hoje um Ecosport que paga 2.5% em SP, vai passar a pagar 4%. Alguém ainda acredita que este tipo de mudança é apenas mercadológica? Sempre há um porém oculto, que leva ao aumento da contribuição e arrecadação dos governos e para o resto ninguém liga.

    • Louis

      Mas se parar pra pensar, por que o dono de um SUV deveria pagar menos IPVA que o dono de um automóvel baixo ?
      Concordo que 4% é altíssimo, principalmente porque não há retorno dessa grana. Mas todos devem pagar a mesma coisa, exceto os verdadeiros comerciais (caminhões e ônibus)

      • Junoba

        Podia colocar 50% do valor do veículo, e continua barato, já que o brasileiro é rico.

    • FabioH

      É real isso mesmo Semola, Ecosport paga 2,5% de IPVA?

  • 1945_DE

    Só uma observação. Troller Jimny, TR4 e Wangler não são SUVs. Estes são Jeeps. Ainda teremos distorçoes.

    • Commenter

      A Sorento e Sportage antigas também são jeep, consta no documento.

      • 4lex5andro

        tinha uma matéria do n.a. diferenciando isso ..

        sport-utilitário e jipes tem chassi sob carroceria e os crossovers adotam monobloco (como nos carros de passeio) ..

        ou seja, pra variar, o intento do governo é tão somente o de aumentar arrecadação de IPVA, como fora citado ..

        o critério técnico ficou em segundo plano ..

    • Luis LC

      Grand Vitara também

  • Commenter

    O pessoal levantou a questão do IPVA. Tem que ver se a classificação usada pelos Detran e a mesma da Anfavea. Senão, não muda nada.

    • Luis LC

      Pago 4% no Grand Vitara, já faz quatro anos

  • Gran RS 78

    Isso não vai mudar nada , na minha opinião.

  • Anderson

    agora vão ter que instalar airbag nosTroller

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend