História Japão Montadoras/Fábricas Suzuki

Suzuki, a japonesa que partiu da tecelagem para automóveis e motocicletas

suzuki_suzulight

Suzuki Suzulight

Em 1909, uma pequena aldeia no litoral de Hamamatsu, Japão, viu surgir uma empresa fabricante de teares para a indústria da seda, chamada Suzuki Loom Works. A companhia fora fundada pelo inventor Michio Suzuki.

Cerca de 20 anos depois, Michio inventaria um novo tipo de máquina de tecelagem, que seria exportado para todo o mundo. O negócio prosperou e Suzuki acreditou que poderia expandir as áreas de atuação da empresa.

suzuki_free-power

Suzuki Free Power

Por volta de 1939, chegou a desenvolveu vários protótipos de automóvel. Todos eles eram movidos por motores modernos, dotados de cárter e câmbio em alumínio. Tinha 0.8 litro e entregavam 13 cv. Mas, a Segunda Guerra Mundial interrompeu a evolução da Suzuki nesse segmento.

Após a guerra, a Suzuki se beneficiou da importação de algodão, mas o setor se estagnou em 1951. Assim, decidiu-se focar novamente em veículos, mas agora com projetos mais simples, baratos e fáceis de manter. Uma bicicleta motorizada chamada Free Power foi o primeiro produto da marca em 1952.

suzuki_carry

Suzuki Carry

Suzuki Motor

No ano seguinte, a Suzuki Motor Company foi fundada e no ano seguinte, já produzia 6 mil motos por mês. Somente em 1955 a empresa iniciaria de fato no mundo das quatro rodas com o modelo Suzulight. Ele era revolucionário, pois tinha tração dianteira, direção por cremalheira e suspensão independente nas quatro rodas. Seu motor era dois tempos de 360 cm3.

Dois anos depois, Shunzo Suzuki assume a direção da companhia, com seu pai Michio como conselheiro. Em 1959, uma versão comercial do Suzulight é lançada, mas o tufão Vera destrói a fábrica da empresa, que só foi reerguida em março de 1960. A Suzuki começou a focar mais no mundo das duas rodas, produzindo modelos que fizeram história dentro e fora das pistas.

suzuki_alto

Suzuki Alto

Em 1965 surge o primeiro motor de popa da empresa e em 1968, um clássico dos comerciais leves apareceu, o Suzuki Carry. No começo dos anos 70, a Suzuki expande a produção com novas plantas de automóveis e motocicletas, localizadas dentro e fora do Japão. O começo dessa década veria o lançamento do famoso Jimny, um jipinho de inspiração americana.

Em 1977, surge um dos mais interessantes carros da Suzuki, o compacto Cervo. Mas, o maior sucesso da Suzuki sobre quatro rodas é o compacto Alto, que apareceu em 1979. Osamu Suzuki assume a presidência da empresa um ano antes. No começo dos anos 80, a companhia passa a atuar no segmento de geradores.

suzuki_vitara

Suzuki Vitara

Parceria com a GM e entrada nos EUA

A GM assume 5,3% da Suzuki em 1981, como parte de um acordo para produção de pequenos carros para o grupo americano e em parceria com a Isuzu. Um ano depois, a Suzuki perde Michio, seu fundador. Ela também estabelece com o governo indiano a fundação da Maruti, uma joint-venture que até hoje é a principal filial do segmento automotivo dentro do grupo.

Em 1983 é lançado o Swift e o sedã Cultus. Jitsujiro Suzuki assume a chefia do grupo. Já em 1986, a Suzuki se estabelece oficialmente nos EUA, reforçando a parceria com a GM. Em 1988, surge o Vitara, um SUV compacto que faria muito sucesso nos anos seguintes. Em 1990, a Suzuki se adapta rapidamente às novas regras do segmento kei car, agora com motores 0.66.

suzuki_wagon-r

Suzuki Wagon R

Com produção em praticamente todos os continentes, a Suzuki tinha uma boa posição nos anos 90. O monovolume Wagon R surgiu em 1993 e se tornou o Carro do Ano. No ano seguinte, 1 milhão de carros foram produzidos na Índia. O acordo com a Isuzu acabou em 1995.

Três anos depois, a GM fechou um novo acordo com a japonesa, alcançando 10% das ações. Ryosaku Suzuki assume a direção da empresa. Em 1999, 40 milhões de motos são atingidas e o Wagon R comemora 1 milhão só no Japão. Um acordo com a chinesa Changhe abre as portas da China para a empresa, cujos produtos foram dos mais clonados na história.

suzuki_lapin

Suzuki Alto Lapin

Em 2000, o Vitara passa a ser feito na Argentina como Chevrolet Tracker. Surgia também o crossover Ignis. Modelos como Liana e Twin apareceram logo após nos mercados global e japonês, respectivamente. Em 2003, a Suzuki comemorou 30 anos de liderança no segmento kei car. Como a GM tinha um acordo com a Fiat, a Suzuki acabou por ter um relacionado mais próximo com a italiana.

suzuki_swift

Suzuki Swift

Parceria com Fiat e casamento com VW

Isso resultou no SX4, vendido como Fiat Sedici. Além disso, os motores diesel Multijet passaram a equipar vários modelos da Suzuki. Em 2008, o Splash surgiu como opção ao Opel Agila. Em 2009, uma parceria com a VW é estabelecida após a saída da GM. São adquiridos 20% da empresa japonesa.

Nesse mesmo ano surge o Kizashi, um sedã grande para suceder o “coreano” Verona, que nada mais era do que um Daewoo Magnus. A Suzuki, no entanto, já sabia há anos que segmentos superiores não eram seu forte. Por isso, cada vez mais surgiam compactos populares na Índia e a liderança entre os kei cars no Japão estava mais do que solidificada.

suzuki_kei

Suzuki Kei

Nos anos seguintes, após a crise mundial de 2009, a Suzuki sofreu uma enorme queda nas vendas nos EUA, o que culminou com sua saída do mercado americano em 2012. Nesse mesmo ano, iniciou-se uma batalha jurídica para encerramento da parceria com a Volkswagen. Em 2015, a alemã foi obrigada a se desfazer de 19,9% das ações da japonesa.

Mais recentemente, a Suzuki apostou na renovação do Vitara, assim como no crossover S-Cross e no retorno do Ignis. O foco continua nos carros compactos, produto que havia atraído a VW. Entre os fabricantes de motocicletas, a Suzuki ainda mantém sua boa posição como um dos quatro grandes fabricantes japoneses e na Índia, a Maruti é líder de mercado há décadas.

suzuki_jimny

Suzuki Jimny

Brasil

A Suzuki chegou oficialmente ao Brasil nos anos 90, mas através de importadores separados. Um para motos e outro para automóveis. No caso dos carros, a marca retirou-se no começo dos anos 2000, ficando apenas o Tracker (Vitara) da Chevrolet.

No fim da década, a marca nipônica volta através do Grupo HPE (ex-MMC) e estabelece uma linha de montagem para o Jimny em Itumbiara/GO, sendo recentemente transferida para Catalão/GO. SX4, S-Cross, Grand Vitara e Swift também são outros modelos vendidos aqui. Entre as motos, a representante é a J. Toledo.





  • Eduardo Brito

    Falta aqui um carro como o Ignis, acredito que venderia bem por aqui:

    • Rodrigo

      O Ignis já fora vendido aqui, na primeira vez que a Suzuki chegou.
      Se não me engano tinha até tração 4×4.

  • Pipo pipo

    Aqui em casa temos o Grand Vitara 4×2 auto, 52000 Km e nada a reclamar. Manteve a integridade de 0 Km apenas com manutenção básica e gasolina comum. Trocado os 4 pneus aos 51000 Km. Recomendo aos que pretendem manter o carro por períodos longos como eu e priorizar outras áreas. Está com 3 anos.

  • Adilson Ayala

    Tenho um SX4 ano 2011 faz 3 anos, hj com 91.000 km, é um ótimo carro, ótimo não excelente. As revisões comuns tem um preço compatível com carros nacionais, porém peças mais específicas tem um valor maior (amortecedores, etc) mas acho que pelo valor pago pelo carro vale a pena.

  • V12 for life

    O documentário do Nat Geo sobre a Suzuki também é muito bom, mas não fala sobre a divisão de automóveis, ótima matéria.

    • Rafael Filgueiras

      Voce sabe dizer se esse dicumentario que mencionou tem no youtube ?

      • V12 for life

        Nunca procurei mas a maioria está, procure por mega máquinas Suzuki.

        • Rafael Filgueiras

          Muito Obrigado !

          • V12 for life

            Tem documentários sobre a Kawasaki, MV Agusta, Bimota e Alpinista em um episódio, e vários sobre carro como X3, Múrcielago SV e Rapide, da muitas horas de diversão.

  • Gian

    Adoro essas histórias dos fabricantes.

    No discovery Turbo tem um programa que conta a história dos fabricantes de motos.
    A história da BMW, da Yamaha e da Honda são as que achei mais interessantes.

  • Marcio Almeida

    Pq não vem pra cá tem grande expertise em compactos.

  • pedro rt

    qria q a suzuki vendesse aqui o BALENO seria melhor opcao q o ignis, e uma marca muito boa q ninguem da o devido interesse na compra

  • Marcos Souza

    Suzuki tem fama de carros resistentes. Pena que não deu atenção especial ao Brasil. Vários carros da marca poderiam fazer sucesso se fossem fabricados aqui para conseguir um preço mais acessível.

  • Felipe Santos

    tenho um suzuki, suzuki samurai



Send this to friend