EUA Governamental/Legal Manutenção Segurança

Takata: 65% dos 46 milhões de airbags de recall não foram consertados

airbags1 Takata: 65% dos 46 milhões de airbags de recall não foram consertados

Cerca de 65% dos 46 milhões de airbags da Takata que passaram por um recall nos EUA, não foram corrigidos, segundo o senador americano Bill Nelson, da Flórida. O motivo é a falta de peças de reposição. O que acontece é que o proprietário vai até a concessionária, mas esta apenas desativa a bolsa inflável e marca uma nova data para sua substituição.



Nos EUA, pelo menos 8 milhões de consumidores esperam ver seus dispositivos de segurança substituídos por novos componentes, que segundo a Takata, estão sendo feitos por novos fornecedores. Com lentidão no processo, o país vê o risco de novos acidentes terminarem de forma mais grave, já que o acionador da bolsa dispara com força maior que o necessário, expelindo peças metálicas para o interior do veículo, ferindo os ocupantes.

Pelo menos 16 mortes e 180 feridos são atribuídos ao problema, contabilizados desde o início do recall em 2008. Com custo mais baixo que o de outros fornecedores, os airbags da Takata foram e continuam sendo usados nas mais variadas marcas de automóveis pelo mundo, incluindo as mais recentes, entre elas a Tesla. A empresa disse que já distribuiu dois terços de 26 milhões de kits para os fabricantes de veículos.

Estes, por sua vez, além do recall, estão indenizando seus clientes. Em maio, US$ 553 milhões foram pagos a 16 milhões de clientes das marcas BMW, Mazda, Subaru e Toyota nos EUA. A Takata pagou uma multa de US$ 1 bilhão e está em crise. Um fornecedor chinês está interessado em salvar a companhia japonesa, cuja filial americana já entrou no Capítulo 11 do Tribunal de Falências.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Send this to a friend