Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Temer não quer sancionar Rota 2030 até livre comércio com Europa ser aprovado

BMW-Group-Planta-Araquari-116 Temer não quer sancionar Rota 2030 até livre comércio com Europa ser aprovado

O presidente Michel Temer não quer sancionar o Rota 2030, nova política para o setor automotivo, pelo menos não neste momento. De acordo com fontes ligadas ao governo federal, a prioridade é fechar o acordo de livre comércio com a Europa. Comenta-se que esse seria o maior feito do governo atual e por isso as novas regras para a indústria automotiva ficarão em segundo plano, até a aprovação do acordo entre os dois blocos econômicos.



Segundo os argentinos, o fechando do acordo será anunciado oficialmente no dia 10 de dezembro. Ou seja, se a data for mesmo confirmada, então o Rota 2030 deve ser instituído através de medida provisória até o último dia do próximo mês, quando o Inovar-Auto será encerrado. Do lado argentino, o empenho para que isso ocorra parecia bem maior que do lado de cá da fronteira, mas a decisão de Temer de segurar a nova política automotiva, mostra que ainda há interesse em um comércio livre de tarifas com o velho continente.

Negociado há 17 anos, o acordo de livre comércio entre Mercosul e Europa só terá redução tarifaria a partir de 2026, caindo gradualmente até zerar em 2032. Enquanto isso, o Rota 2030 aguarda, mas não sem pressão. Mesmo com a decisão de Brasília de esperar pelo acordo comercial com os europeus, as montadoras querem que Temer aprove as novas regras, fundamentais para a indústria.

No entanto, o próprio presidente estaria com dúvidas sobre a interpretação que o mercado internacional possa dar ao Rota 2030, que prevê descontos de dez anos para IPI, quando a empresa cumprir metas de eficiência energética, segurança veicular, pesquisa e desenvolvimento, investimentos industriais, entre outros. Porém, para dar desconto de IPI, é necessário aplicar uma sobretaxa, que se espera ficar entre 10% e 15%. Ela só seria imposta para as empresas que não cumprirem os requisitos do programa.

Como o governo não considera de forma alguma desoneração fiscal, então não pode haver um desconto sobre as alíquotas vigentes por lei. Ou seja, tem de ter a sobretaxa, mas esta pode ser também considerada ilegal pela OMC. O motivo é que empresas que não possuem fábricas ou que não tenham planos para investimentos ou plantas de produção no país, possam ficar em desvantagem. Diante disso, Temer estaria inclinado a aprovar um programa de curta duração, diferente da proposta do Rota 2030, que abrange 15 anos.

Mesmo que Temer seja simpático ao Rota 2030, ele suspeita que o programa possa interferir de alguma forma no acordo de livre comércio com a Europa. Isso sem contar os aspectos tributários que motivam o MF a não querer aprovar o programa. O MDIC se posiciona de forma contrária, dizendo que a política é nacional e que o setor automotivo não faz parte direto do acordo bilateral, não interferindo neste. Além disso, o temor de uma nova acusação da OMC teria sido eliminado com a constituição de regras que evitam a diferenciação entre produtos nacionais e importados.

[Fonte: Folha]

Agradecimentos ao Francesco.

  • Junior_Gyn

    Prefiro mil vezes que seja assinado o acordo de livre comércio em detrimento ao Rota 2030. Afinal, a partir de Jan 2018, cai essa maldita barreira de importação que fechou nosso mercado para os produtos de qualidade.

    Deixando as montadoras aqui nadarem a favor da correnteza visando lucro alto contra carro pelado e inseguro.

    • Costarlc

      Concordo e acredito que com o livre comércio com a Europa o mercado e a concorrência fortalecerá os produtos com maior qualidade e segurança, tecnologia e eficiência…

    • Filipe

      Como sempre o governo ávido por dinheiro para manter o sistema de corrupção funcionando em prol deles e dis grandes empresários.

    • Edson Fernandes

      Fechar não fechou, mas com certeza afetou o lançamento de vários produtos por aqui.

  • Filipo

    É uma escrotidão sem fim! Este país é uma lama, não tem jeito. Tudo em benefício dos políticos e o povo que toma… Mas isso tudo é culpa do próprio povo. Acho que nós devemos ser, se não os mais, um dos povos mais ignorantes do planeta.
    Mas no futebol, o Brasil tem que dar exemplo. A ética e a responsabilidade são deixadas de lado no dia a dia, pois o que importa é se o clube do coração vai ganhar o jogo do final de semana ou da quarta feira. E assim vai.. O povo morrendo de fome, mas gasta-se horrores em estádios e etc. Isso sem falar na corrupção.
    Ai chega em ano de eleição e o povo vota NOVAMENTE no ladrão. Povo gado, povo otário!
    Desculpem o desabafo.

    • Pedro Henrique

      ele ta segurando um programa que é bom, não é mil maravilhas mas é bom pra aprovar algo ainda melhor…
      e você ta achando ruim ambos? não entendi
      apesar dos pesares que eu não gosto do temer, você que admitir que ele ao menos ta mexendo em alguma coisa que “aah mas é mais pra gringo ver pq não muda muita coisa” muda, o pouco que muda já ta sendo algo que ninguém mete a cara pra fazer porque não da ibope e o temer da cag@ando e andando pra ibope

      • Allysson Santos

        O melhor eh ficar sem regra nenhuma, cair o inovar auto e não vir nenhuma outra regra.

        Isso seria o melhor para o consumidor, mas não eh o interesse de ninguém!

        • Raimundo A.

          Melhor para o consumidor seria ver os impostos caírem pela metade, e seria pouco comparado a países de primeiro mundo com abundância de produtos com padrão superior.

          Em outras matérias já disseram que o Inovar Auto saindo não esperem redução significativa dos preços e pode não ter nenhuma, principalmente por parte de fabricantes com plantas locais que estão cobrando o mesmo valor ou mais livres de tributos quando traziam importados.

          Uma vez que o produto de padrão elevado é montado aqui, passa a nivelar o preço de outros importados e reduzir o preço do local pode prolongar o prazo sobre o investimento se as vendas não compensarem. Logo, há um efeito cascata.

          • Schack Bauer

            A indústria fica dizendo que não vai ter redução de preço pra ver se conseguem manter o preço no gogó. A lógica econômica é que caindo a sobretaxa/cotas, os preços vão cair: maior oferta=menor preço.

        • Raul Pereira

          Até nisso deram um gato, o governo já se pronunciou que se nenhuma medida entrar no lugar do Inovar, vai manter a mesma taxação.

        • T1000

          Sem dúvidas, inclusive foi neste cenário de nenhuma regra que vieram as chinesas, o que afetou o mercado, então o governo Dilma correu fazer alguma coisa para proteger os amigos, surgindo daí o Inovar Auto.

      • Filipo

        O acordo co,m a europa na teoria é o maravilhoso, o melhor dos mundos para nós, mas na prática, sou cético quanto ao seu funcionamento. Muitas águas ainda vão rolar até 2026! E apenas em 2026 vislumbraremos alguma redução tarifária, que deverá ser mínima e que, conforme o texto nos diz, só deverá zerar em 2032. Como já disseram por aqui outro dia, quando (e se) zerar as alíquotas, a europa não deverá mais aceitar veículos a combustão.
        Outrossim, para mim, isso de que o Presidente da República está esperando a assinatura do acordo para formalizar o “Rota 2030” é balela. Primeiro porque já sabemos que o acordo com a UE já foi por anos debatido entre as partes e já se encontra finalizado para ratificação interpartes, e em segundo que não vejo conflitos entre os dois programas. O com a UE começaria de fato em 2026 (antes disso não terá impacto quase algum em ambos os lados) com a redução, ainda que ínfima das tarifas e só teria sua plena eficácia em 2032, após o fim do Rota 2030.
        Portanto, vejo mais como mais um factoide para empurrar a batata quente (culpa), que estava nas mãos do Ministério da Fazenda, o qual estava segurando o acordo por mais de mês já, para o acordo com a UE e o Presidente da República.

      • No_Name

        Com 3% de aprovação ele deve estar se lixando pra qualquer um mesmo kkkkk.

        • Pedro Henrique

          e até o ano que vem eu aposto com você que esse número baixa mais kkkk

      • Pedro, tem muita gente nos fóruns que pensa: “que se exploda a indústria nacional, eu quero é ter carro de qualidade”.
        Se esse pessoal montasse a política brasileira, fatalmente o desemprego explodiria.

        • T1000

          Não explodiria pois o Brasil não é dependente da indústria automobilística. O Brasil é dependente da indústria petroquímica. Você viu só com o desdobramento da lavajato, caiu a economia toda, inclusive setor automotivo.
          Por isso sou a favor de conceder todos os ativos Petrobras (refinarias, oleodutos, plataformas, etc). Desaparece o risco de parar a cadeia toda poque o governo resolveu roubar a empresa que detém o monopólio do setor.

          • Observador

            Caraca você é um Jênio!! Se o paciente está gripado a solução é dar um tiro nele?
            É por isso que esse pais é uma desgraça, desde quando “privatizar” é solução pra tudo? ta ai exemplos de empresas privadas como a Odebrecht, Vale (caso Mariana) e Globo (sonegação e corruptos c/ compra dos dirigentes do futebol), que são modelos de gestão, eficiência, compliance . Mas fiquemos tranquilos, já estão pilhando todo o patrimônio nacional, o último, leilão salvo engano, foi 6 Bilhões o arrecadado, mas a prostituição com o dinheiro público pra salvar o maçom sem-vergonha foi de 32 Bilhões em emendas pra compras as putas do congresso.

            • Hodney Fortuna

              Telefonia a quem diga! Antes uma linha telefônica custava o preço de um carro quando estatal, hoje as empresas estão oferecendo de graça a linha para que você pague a mensalidade. Se o mesmo tivesse ocorrido com esse paquiderme Petrobras hoje não estaríamos pagando percaptamente a pior e mais cara gasolina do Mundo, graças ao monopólio de produção e fornecimento.

              • Observador

                UÉ! mas quando a gasolina (e o diesel) eram subsidiados pela Petrobras não era um barulho na mídia e entre os bocós que diziam que errado? otários, paguem agora R$ 4,50 sem reclamar, sob o argumento falacioso que o preço deve estar pareado com o mercado internacional…

                OBS: detalhe: o barril do petróleo ainda está em valores ridículos comparado às máximas históricas, ou seja, brasileiro continua sendo feito de trouxa, e pensa que o aumentos são devido a roubalheira.

                Deu na mídia (internacional, é claro) que o Misshell tá fez lobby pra leiloar, digo doar os poços do pré-sal.

                O Povo precisa parar de ser trouxa, e ficar como massa de manobra de político à esquerda ou à direita.

                A Petrobras sempre investiu em tecnologia de ponta sendo estatal, basta leis mais rígidas com relação a estrutural da empresa pra evitar o loteamento político e não precisa dar o patrimônio estratégico do Brasil de bandeja.

          • Fábio

            Queira me desculpar mas o Brasil é dependente de venda de Commoditys. A indústria ainda não é nossa locomotiva. Tirando a Embraer não me vem a cabeça uma marca brasileira de peso como sendo industrial. Deixando o mercado automotivo livre o consumidor só tem a ganhar. Agora emprego e etc…. acha mesmo que com o brasileiro desempregado vai continuar a consumir carro importado? A economia é um ser vivo, independente e indomável! Os empregos se ajustam.

          • Hodney Fortuna

            Discordo! O brasil hoje é muito mais dependente de matérias primas e do agronegócio que é o setor que está fazendo o brasil sobreviver.

        • Cláudio Modesto

          Isso é uma falácia. As montadoras e o governo inventam essas estórias de que a indústria automotiva gera milhões de empregos.
          Em 2013 eram menos de 150 mil empregos.

          http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/07/n-de-empregados-na-industria-automotiva-e-o-menor-desde-2012.html

      • Alexandre Viotto

        Mete a cara pra fazer? Ele está preocupado é com a desoneração, você não entendeu ainda? Arrecadação é a única coisa que importa para este governo que já está no vermelho faz tempo!

        • Pedro Henrique

          mas ele ta fazendo mudanças pra desoneração, fosse outro governo empurrava cm a barriga e deixava a divida subir e dale inflação
          quantos e quantos anos estavam falando em reforma da previdência, desde os anos 2000 que cara dizendo que tem q fazer, entra o cara nada muda, nada mexe…
          não só previdência, reforma educacional também e principalmente uma que ainda ngm mexeu, reforma tributária que precisa sim de uma limpa, acaba com essas palhaçadinha de cascata que o rota 2030 ja quer dar um tapinha no setor mas chegou no MF e ta la pegando um paranho…
          além de algumas mudanças no setor trabalhista, como sindicatos e agora aquele negócio que dar mais liberdade pro empregador, isso são coisas que já deviam ter entrado em pauta la nos anos 2000 depois da reforma do real
          aaah claro e não pode esquecer a privatização de algumas empresas, como a eletrosul que tem mais gente mamando do que ela consegue aguentar…
          ta no vermelho porque nada fizeram pra arrumar o rombo que tava vindo e ninguém venha me dizer que eles não sabiam que o rombo tava vindo porque eles sabiam, eles fazem as contas todos os anos e sabem certinho como as coisas andam

          • leitor

            Reforma da Previdência é uma tremenda roubada. Não tem o menor fundamento num tempo de crise econômica e recessão precisando de solução urgente e ser a primeira medida que se fala em um setor que diz que o prejuízo virá em mais de dez anos se continuar como está. Isso é olho grande de banqueiros que têm um representante no governo de anunciar prejuízos contando até com a inadimplência de bancos com lucros astronômicos.

            • Pedro Henrique

              sim, apressaram um pouco, apertaram as regras um pouco mais que o necessário, mas, veja bem, se os prejuízos vem só em mais de 10 anos, qualquer mudança nela também leva esse tempo, vide o plano de aumento da idade que vai levar quase 1 década pra chegar no ponto final, se faz isso porque seria muito ruim pras pessoas que estão prestes a se aposentar, então tem q ser algo gradual e não no curto prazo…

              • leitor

                Não tem indicativo que virá nem em mais de dez anos. Isso é o que esses políticos dizem, com projeções falsas. Querem privatizar a previdência porque dá lucro e muito. Se não desse o representante dos bancos não se interessaria. Já o que é de urgente não se faz. Índice de crescimento de 0,1% não é indicativo de recuperação. Quando a Argentina teve recessão a recuperação veio com quase 20% em pouco tempo.

    • Louis

      O povo que está morrendo nas filas dos hospitais, é o mesmo que aplaude quando o governo mete dinheiro em estádios (coloca só metade, porque a outra metade é desviada). Então quero que se f….Cada um que se vire, a cada dia fico mais realista e egoísta.

      • zekinha71

        Sempre que vejo alguém reclamar da saúdeducação, mando na lata: vc ficou todo feliz com a camisa da selezinha amarelona, ficou feliz por não ter que trabalhar nos dias de jogos, então toma, vai estudar e se tratar no estádio.

        • MauroRF

          Eu torço… contra a seleção brasileira. Eu fico estupefato com esse negócio de parar o país para ver um time de futebol jogando. Eu faço minha parte: como sou autônomo, continuo trabalhando normalmente.

        • leitor

          O país tem um prejuízo trilionário se parar num feriado. Mas quando não tem feriado tem prejuízo do mesmo jeito. Parar em hora de jogo que se compensa depois dá prejuízo? Conversa pragmática de empresário que só visa lucro em cima de lucro e se alguém precisa de alguma coisa que se lasque.

      • Filipo

        Sim, Louis. A questão é que vivemos em um sistema, e querendo ou não fazemos parte dele. Então se a situação piora para alguns, piora também para todos, ainda que em menor grau. E assim caminharemos só piorando…
        A piora da economia (balanço das coisas) gera aumento do desemprego gera aumento da criminalidade, que gera aumento de despesas. E assim vai!

      • MauroRF

        E o pior, o cara passa fome, mas fica perdendo tempo com futebol, isso quando não vai ao estádio perder grana. E também quando ele não fica causando por aí, atrapalhando o sossego alheio ou causando destruição. Odeio futebol e quero que esse tipo de gente se lasque também. Tenho um primo que é cheio de querer dizer que é certinho, mas já inventou de fazer doação de sangue em jogos de finais do corintians trocentas vezes para pegar atestado e ir ao estádio, aí eu falo as verdades e o cara fica todo “nervosinha”. Brasileiro típico ele, isso sim.

        • Está comprovado: dá mais dinheiro investir em bobagem do que em coisa séria.

      • Matafuego

        Não é egoísmo, é a vida nua e crua. Quem acredita que políticos podem resolver suas vidas vive uma ilusão. Políticos não podem dar nada sem antes ter tirado da própria pessoa.

    • Alexandre Viotto

      E Vai Corinthians, hepta campeão!!!!

      • MauroRF

        O pior é a baderna que essa gente faz. Gostaria de ver esse empenho deles para exigir saúde, educação e tudo o que está errado. Mas não, o cara é fanático, só pensa nisso, trabalha pensando nisso, e o país está nessa maravilha. Eu precisava levantar cedo na quinta, pergunta se os torcedores estavam preocupados comigo e com o próximo. Vou mais longe: pergunta se o brasileiro está aí com o próximo. Está nada. Começa pelo próprio prédio onde moro: síndico querendo dar uma de esperto, os condôminos que não se mobilizam, o vizinho de cima fazendo barulho fora de hora e por aí vai.

    • EDU

      Ohhh amigo pera aiii .Se desculpar de que? De dizer a verdade! Certissimo o que disse.

    • MauroRF

      Assino embaixo o que escreveu. Por isso que detesto futebol e carnaval, é o pão e circo formados. Aqui, a cultura de levar vantagem é que impera e é ela a causa de todos os nossos males. Brasileiro é individualista e só se preocupa com besteira, não é produtivo e só quer direitos. O resultado é esse aí.

  • No_Name

    O Temer tá achando que vai conseguir empurrar produtos agrícolas, pecuários e matérias primas a torto e a direito para a Europa. Santa ingenuidade rsrs.

    • Faz parte do trabalho de um Presidente da República fechar bons acordos para seu país.
      Ou a alternativa seria ficar confiando apenas em mercado interno, como se fez antes do InovarAuto?

      • No_Name

        Essa tratativa de acordo já vem de antes do Temer. É uma tentativa válida sim, mas a Europa é muito fechada para o mundo externo, afinal eles já possuem um bloco econômico inteiro para administrar com quase 700 milhões de pessoas e que podem negociar entre si sem tarifas.

        • Concordo. Governar, contudo, também é garantir o desenvolvimento – e fechar acordos bons para o país (ainda que nossa mentalidade de “consumidor especialista” pense que isso é bobagem).

        • Alexandre Viotto

          Sim, mas a situação econômica deles não está tão boa, comparada à dos States e China, portanto a expansão comercial poderia ser boa para os dois lados…

    • Raul Pereira

      Então, o que ele quer saber é justamente de favorecer esses setores, que são os únicos que o apoiam no poder. Se isso vai causar um caos no resto ele não quer nem saber. Assim como todo presidente, ele chegou no poder por um X da população (no caso dele, bancada agrícola/do boi), e agora tem que cumprir as metas e responder para quem o colocou no poder. Essa meta sendo alcançada, ele cai, pois já serviu ao seu propósito. Arrisco dizer que se ele tivesse aprovado as reformas da previdência e trabalhista exatamente do jeito que queria, seus próprios patrocinadores já teriam providenciado outra troca de poder, pois ele já teria atingido o objetivo. De modo geral, o Brasil República sempre funcionou assim.

    • Schack Bauer

      Se o acordo for bem costurado, a gente pode mandar motor 1.0 3 cilindros pra eles, carros mais simples, como o Polo, ou o Fit, e receber, Passats e CRVs fabricadas na Europa. É um ganha ganha. Esse negócio de querer fabricar toda a gama de carros no Brasil é o governo insistindo nos mesmos erros do Delfim Netto nos anos 70.

    • Bruno Costa

      A Austrália faz isso e tem dado bastante certo…

      • A Austrália fechou um acordo de livre comércio com a Tailândia para produção de carros.
        Os tailandeses invadiram o mercado australiano, e não se interessaram pelos V8 da terra dos cangurus.
        Resultado? A indústria automobilística australiana acabou – sem choro, nem vela.

        • Bruno Costa

          E quem exatamente liga para a indústria automobilística brasileira? Esse é o ponto: você não precisa produzir localmente.

          • Mas precisa produzir para garantir uma indústria para seu país (ou achar vagas para aqueles que perderão seus empregos com tais medidas).

  • Jefferson Ferreira

    é um país que vive de programa… e nós todos somos as put….

    • leomix leo

      E muito mal remuneradas, ainda deixamos mais da metade para o cafetão, mais 25% para a casa da luz vermelha.

  • Difícil dizer o que é pior: ficar sem indústria, como a Austrália, ou ficar com indústria defasada.
    Pelo visto o Rota 2030 vai virar Rota 2020 – e olhe lá.

    • No_Name

      Rota 3020 você quis dizer, né… Kkkkk!!!

    • Schack Bauer

      Austrália é país de primeiro mundo, e super próspero, logo…

      • Depende… o que você prefere: ficar desempregado num país próspero, ou empregado, num país como o nosso?

        • Schack Bauer

          Taxa de desemprego na Austrália: 5,4%. Taxa de desemprego no Brasil: 12,6%.

        • Alexandre Viotto

          Pode ter certeza que muitos desempregados na Austrália tem uma condição de vida bem melhor do que muitos empregados no Brasil! Kkkkkkkkk

          • MauroRF

            kkkkkkk, mas é claro que é isso. Tenho um primo que mora lá, e ele diz que a preocupação com segurança deles é de furto de bicicletas, kkkkkkk. Ele me contou que, mesmo em Sidney, andar de noite na rua em pleno verão é bem seguro, são raros os casos de assaltos. Em Dublin, na Irlanda, a mesma coisa: meu irmão estudou 1 ano lá e disse que as coisas mais graves eram também furtos de bicicletas e atos de baderna de uns grupos de rua (ele falou o nome desses grupos, não lembro agora). Ele disse que era muito comum ver gente dentro dos carros, estacionados nas ruas mesmo, e as pessoas tomando seu café da manhã e lendo seus jornais. Tente fazer isso aqui numa grande cidade… (e numa pequena também, te digo que no interior de SP já andam tendo muitos assaltos).

            • Alexandre Viotto

              O Fábio Peres está por fora do quão ruim é o nosso País, comparado aos de “Primeiro Mundo”! Rsrsrs

              • Alexandre, reconheço que tudo o que está sendo escrito aqui é verdade. Infelizmente, porém, quem faz política pública no nosso país está se lixando para esses detalhes – eles querem construir um país dos sonhos, não o país que a população deseja (aliás, alguém sabe o que a população quer mesmo?).

                Além disso, agir em benefício do bem comum é uma coisa que ninguém quer – essa é a verdade.

                • Alexandre Viotto

                  A população quer “pão e circo”! Infelizmente não tenho nenhuma esperança de dias melhores para o nosso País… Quem quiser algo melhor que mude de País…

      • Cyro Pistola

        O Brasil é o 7º maior PIB do mundo;

        A taxa de desempregados do Brasil é a mesma da Itália
        (menor que a da Espanha) — em tese países de “primeiro mundo”;

        O crescimento do Brasil para o ano que vem é projetado em 1,5% (o da França este ano é o mesmo, 1,5%) – Fonte FMI;

        Porém, o Brasil é um dos Países em que há uma maior diferença entre o salário do chefe mais chefão da empresa e o empregado mais ralézin da empresa… Por isso o IDH é tão baixo (80º) mesmo sendo um País tão rico (7º PIB), mesmo com reservas de petróleo (pré sal) aptas a disputar com os árabes, potencial hidráulico incalculável, riquezas naturais e minerais exuberantes etc, ainda assim os mais ricos ficam com quase tudo e os mais pobres chupando o dedo.

        A produção agrícola na Alemanha é 80% cooperativada; no Brasil somente 30%, o restante fica na mão dos famosos latifundiários (poucos donos de 70% das terras do País)

        Em suma, o problema é a falta de programas sociais,especialmente educação, desenvolvimento das pessoas, qualificação etc, é preciso uma reforma tributária para melhorar a distribuição de renda (obrigar os ricos* a pagarem impostos, e desonerar os os pobres**) etc

        * = gente que se parar de trabalhar, continua enriquecendo
        ** = gente que ganha até 10k/mês

  • Raul Pereira

    Cara, Brasil não consegue deixar de atravancar o progresso. Andei estudando bastante de história nessas semanas para uma prova e dá até urticária ver como a coisa não mudou em muito tempo, salvo alguns saltos que tivemos, o modo de se fazer política é sempre o mesmo

  • Schack Bauer

    Ótima notícia. Esse Rota 2030 era um Inovarauto 2.0 mal disfarçado.

  • Alvarenga

    Não acredito que o governo queira algum acordo de livre comercio com a europa, principalmente se envolver comercio sem protecionismo e sobretaxas.

  • Cyro Pistola

    O Brasil está recuperando em apenas 6 meses o que caiu nos últimos 5 anos.

    O melhor para a economia do País é ter a liderança de políticos experientes, bem relacionados e de pulso firme.

    Aí está a prova.

    Uns dirão: “Ah, mas falta moralidade”, “Chega de ‘rouba mais faz’
    Que a Justiça continue cumprindo seu papel. Estou falando de crescimento econômico

  • V12 for life

    Esse país tem que falir pra tomar jeito.

  • Zé da Silva, o Brasileiro.

    As montadoras não trabalham com seriedade aqui no Brasil.
    Sem querer defender, mas a coisa fica difícil para o governo também.

    Os estudos sempre dizem que a taxa de investimento das montadoras aqui no País é muito baixa em relação aos lucros que elas remetem para as matrizes no exterior
    (é coisa de 2,5 bi dólares investidos por ano x 5 bi dólares enviados pra fora por ano).

    E mesmo mandando esse monte de lucro pra fora, recebem subsídios fiscais aos montes (a FCA entrou só com 20% do investimento na planta de Pernambuco, para fazer Renegade, Toro e Compass) e vendem os automóveis mais caros do mundo.

    Temos altos impostos que afetam o preço do produto? Sim, IPI, ICMS, nos quebram… Mas isso só acontece porque o Brasil é o um dos únicos países do mundo onde os sócios são ISENTOS no imposto de renda sobre dividendos das empresas. Pouco importa o faturamento.
    Na França, Alemanha, Itália, Bélgica isso gira em torno de 35%. Aqui são ISENTOS.
    Isso até seria justo para microempresas… Mas AMBEV, Unilever, TV Globo, montadoras…?

    Claro que alguém tem que pagar essa conta… (os consumidores).

  • TijucaBH

    Muitos defendem a total liberação das importações com a Europa desde já. Como consumidor, eu concordo 100%, porem pensando de maneura mais ampla, nao é bem assim.
    Ok, as montadoras no Brasil ganham muito dinheiri e isso é fato. E na Europa, será que também nai ganham? A nossa maior barreira é o maldito custo Brasil. Aqui os sindicatos engessam as coisas, is impostos sao de fato mais altos, o cuato do frete é maior. Em relação ao frete, nao sei se todos sabem, mas uma cegonha que sai de SP com destino à Bahia com carros da GM por exemplo, nao podem carregar de Ford zero KM em Camaçari pra aproveitar o frete de retorno porque o sindicato dos cegonheiros proíbe, só podem viltar com carros usados ou carros pt de seguradora, por isso viajando ve-se tantas cegonhas rodando vazias. Enquanto issi na Europa os carros sao na sua grande maioria transportados de trem com com frete baixíssimos e como o risco de acidente também é baixo, o seguro segue a mesma linha. No velho continente, o custo da energia para a industria é mais baixo que o nosso e também nao existem tantos processos trabalistas que impactam no orçamento. Na Europa, o custo da garantiabpor carro é muito menor que o nosso, tendo em vista a pavimentação impecável (quem nunca teve um carro novo com grilos causados por nosso asfalto lunar?). E nossas tarifas e prazos portuários? Outra piada!
    Enfim, sao tantas variaveis que tornam o carro europeu mais competitivo que o nosso, que se o giverno abrirba importação sem taxas sem preparar o mercado local, todas montadoras que fabricam aqui, vao preferir trazer os carros de fora mantendo ou aumentando suas margens de lucro. É uma questão ampla e que mais do que uma assinatura, exige im amplo debate e melhor so que taxar os importados, é tornar nossa indústria competitiva pois assim alem de importar menos, exportaremos mais!

  • octavio cesar godoy

    Tinha que fazer livre comercio com os Estados Unidos, tem coisa que la fora é tao normal, aqui vira um drama, porque cada vez mais esse governo corrupto nao quer

  • octavio cesar godoy

    Tomara que as montadoras saiam do país, deixando a gente andar de carroça, alias já andamos, não precisa de muito esforço aqui para andar de carroça, é só ver o que se fabrica por aqui comparado com os EUA por exemplo

  • Pedro Henrique

    sim a previdência ainda roda bem, sem problemas, só que sendo a previdência qualquer mudança nela demora anos pra começar a fazer efeito e se esperar até começar a dar problema pra resolver, pode ser que chegue os efeitos muito tarde, daqui a 20~30 anos a previdência vai estar totalmente diferente.

    • Observador

      Me desculpe cara mas não concordo.
      O regime contributivo da previdência é misto e amplo, é financiada pela sociedade (tributos que podem ser pontualmente majorados), pelos empregados e empregadores, ou seja, esse papo pra mim não cola, pois ela é financiada por impostos que incide sobre o consumo, é qndo há consumo tem aumento de arrecadação.
      Sabe o qual o principal problema do Brasil, na minha opinião é claro, o sistema tributário. Fazendo uma reforma tributária que não o onere tanto o consumo resolveria a maiorias dos problemas do país.
      Feito isso aliada a uma reforma política séria destravaria esse país. Mas isso é utopia, existem forças ocultas que não desejam que nada saía do jeito que está.

  • heliofig

    Na verdade, um acordo de livre comércio pode colocar o Brasil como plataforma de produção de carros para a Europa

  • ocampi

    Europa já !!!!!!! Esse mercadinho fechado do Brasil parece um bar copo sujo, cheio de mesa com propaganda de produtos mais que carimbados……

  • yurieu

    O que a Europa tem a nos oferecer? Nada. Precisamos de livre comércio com os EUA.

    • TunAV

      ?????

  • Comentarista

    O proposta do Rota 2030 em si não é ruim pois incentivaria algum desenvolvimento na indústria e em sua cadeia produtiva (P&D, eficiência dos veículos, segurança etc).
    O fato é que qualquer indústria instalada no Brasil tem uma enorme dificuldade de competir com seus concorrentes de fora, fruto da ausência de políticas sérias em todos os aspectos, que apenas serve como incentivo a corrupção. Aí precisa ficar apelando para sobretaxas para importados, e outros truques que não ajudam em nada no desenvolvimento do nosso país.
    Infelizmente aguardar um futuro acordo com a UE não vai ser solução…Gostaria muito de estar errado, mas sei que não estou.

  • Hodney Fortuna

    É tanta política de “boa intenção” que nunca chega em benefício de custos para o cliente final. Enquanto isso os carros vão elevando os preços mensalmente tornando a aquisição tão difícil como nos anos 70 e 80.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend