Esportivos Fiat Matérias NA Sedãs

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo foi uma versão bem potente do sedã médio lançado aqui em 1991. O modelo foi um dos primeiros carros nacionais com propulsor turbinado de fábrica, sendo uma forma de expandir a imagem da Fiat no Brasil.


Nos anos 90, a marca italiana estava em ascensão por aqui após anos de ostracismo na década anterior. Então, ter produtos que fizessem a diferença era o caminho.

Então, além do Uno Turbo i.e., a Fiat explorou a proposta de alta performance com um carro maior, o Tempra Turbo. Para colocar esse produto no mercado, a empresa teve que investir bastante em engenharia nacional.

Além disso, explorou uma carroceria de duas portas que trazia mais o espírito esportivo, mas também viu que um sedã executivo de alto desempenho também era necessário.


Longe de um downsizing e diferente da proposta do Uno Turbo i.e., a Fiat não tinha outra opção senão usar o motor 2.0 já utilizado pela marca no Tempra convencional.

Com isso, obteve uma potência igual ao carro nacional mais potente da época, o Chevrolet Omega 3.0. O Tempra Turbo durou poucos anos, sendo substituído pelo Marea Turbo, que elevou o desempenho para um nível mais alto.

Tempra Turbo

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo surgiu em 1994 como ano-modelo 1995, sendo uma opção esportiva ao modelo normal. O sedã chegava na carroceria de duas portas, a SX, apresentando modificações importantes para obter o máximo desempenho na época.

Ele tinha capô reto e sem detalhes, além de grade central com molduras mais grossas, na cor do carro, tendo grelha preta e nome Turbo em vermelho. O logotipo da Fiat na época era composta por barras.

O sedã tinha faróis grandes, com piscas separados. O para-choque tinha moldura preta na parte superior e na cor do carro, mais abaixo. A grade inferior era preta e retangular com faróis de neblina quadrados.

O protetor não tinha spoiler e nem suspensão rebaixada, apesar da proposta. As rodas de liga leve eram aro 14 polegadas com sete raios e acabamento diamantado. Os pneus eram 195/60 R14.

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo tinha ainda saias laterais inferiores e retrovisores na cor do carro, tinha aparência esportiva. As janelas traseiras eram basculantes e as maçanetas pretas. Sobre o porta-malas, havia um aerofólio na cor do carro.

A tampa do bagageiro tinha identificação Tempra Turbo com o segundo em vermelho. Tinha cobertura preta sobre a placa. As lanternas não tinha máscara negra, assim como os faróis.

O para-choque tinha partes em preto e na cor do carro, tendo ainda escape com ponteira longa. Por dentro, o Tempra Turbo tinha acabamento diferenciado e itens de conforto, como bancos dianteiros elétricos (lombar incluído).

Já dotado do novo painel do sedã, o esportivo vinha com cluster bem completo, incluindo medidor de pressão do turbo ao centro. Velocímetro, conta-giros, nível de combustível e temperatura da água. Ele tinha ainda computador de bordo.

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

Além disso, o Tempra Turbo tinha painel com acabamento preto, tendo ao centro relógio digital e ar condicionado automático, bem como sistema de áudio com toca-fitas.

O volante de três raios tinha acabamento em couro. A alavanca de câmbio era esportiva e os bancos em dois tons tinha acabamento em tecido suave e eram bem volumosos, diferentes de carros esportivos tradicionais.

O Tempra Turbo tinha diversos itens de série, entre eles direção hidráulica, vidros elétricos com sistema antiesmagamento, travamento central com controle remoto, retrovisores com ajustes elétricos, luzes de leitura e alarme ultrassônico.

Com 4,354 m de comprimento, 1,702 m de largura, 1,457 m de altura e 2,543 m de entre eixos. Tinha 413 litros no porta-malas e espaço para cinco pessoas, embora em realidade levasse quatro com conforto.

Tempra Turbo Stile

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo era um produto bem apreciado  no mercado, mas totalmente de nicho. Assim, a Fiat queria ampliar a oferta do motor turbinado e lançou a versão Stile.

Apesar do nome, essa opção tinha como diferencial a carroceria de quatro portas, que era uma alternativa para quem queria um sedã médio com ótima performance, mas sem aparentar isso.

Discreto, o Tempra Turbo Stile tinha um visual mais conservador, mas com a mesma grade do sedã de duas portas, tendo como diferença a ausência do nome Turbo em vermelho.

Além disso, mantinha o para-choque com molduras pretas e cor da carroceria, além dos mesmos faróis de neblina e grade inferior. Ele tinha vincos na parte inferior da carroceria, diferentemente do sedã de duas portas (que era liso nessa parte).

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

Já as rodas de liga leve aro 14  polegadas tinham desenho de hélice e bem interessantes visualmente. As saias laterais eram as mesmas do Tempra Turbo.

A tampa do porta-malas não tinha aerofólio e as lanternas eram as mesmas. O escape tinha cano alongado. O Tempra Turbo Stile tinha maçanetas pretas e retrovisores na cor do carro.

Por dentro, o ambiente era o mesmo do Tempra Turbo, mas com padronagem de cor marrom no Stile.

As portas traseiras também tinham vidros elétricos (one touch do motorista e botão de cancelamento do antiesmagamento) e as demais facilidades da carroceria de quatro portas.

O modelo só esteve disponível com transmissão manual de cinco marchas. O sedã médio foi vendido paralelamente ao de duas portas nos primeiros anos do Tempra Turbo.

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

Em 1996, o Tempra Turbo recebeu leve atualização, com os faróis mais estreitos e agora de refletor duplo. As lanternas traseiras ganharam novo layout com formas boleadas.

Além disso, receberam novas rodas de liga leve aro 15 polegadas com desenho fluído e pneus 195/55 R15. Os limpadores eram aerodinâmicos para funcionarem em alta velocidade.

Por dentro, o sedã recebeu novo console e cortina interna na vigia traseira, assim como retrovisor interno eletrocrômico. Além disso, havia opção de banco de couro bege. Havia apoio de braço central dianteiro e traseiro.

O Tempra Turbo na carroceria de duas portas deixou de ser oferecido, ficando somente o Stile. A carroceria com duas entradas ainda continuou por algum tempo até a chegada do Fiat Marea.

As alterações estéticas se mantiveram até 1997, já que após isso, o Tempra sofreu um facelift para rebaixa-lo de preço diante da chegada do Marea.

Com isso, a oferta do motor turbinado deixou de estar disponível, pois, o Marea Turbo já se apresentava. Assim, nesse ano, o Tempra Turbo Stile saía de cena.

Motor do Tempra Turbo

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo tinha um excelente desempenho para a época e foi criado com base no motor 2.0 8V que era oferecido ao Tempra desde 1991. O propulsor de quatro cilindros e 1.995 cm3, tinha duplo comando de válvulas.

A injeção era multiponto e o propulsor tinha turbocompressor com intercooler da Garrett e tinha pressão de 0,8 bar. Outro diferencial é que o motor tinha taxa de compressão de apenas 8:1.

O 2.0 turbinado do Tempra Turbo entregava 165 cavalos a 5.250 rpm e 26,5 kgfm a 3.000 rpm. Para dar conta do recado, o sedã tinha um diferencial 14,5% mais longo e câmbio manual de cinco marchas era acionado por cabos.

A embreagem tinha acionamento hidráulico e reforço para suportar o torque maior. Buchas e coxins eram mais rígidos, filtrando melhor as vibrações do propulsor turbinado.

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

Além disso, o Tempra Turbo tinha cambagem mais negativa no eixo dianteiro, além de suspensão com molas mais firmes, bem como amortecedores atualizados.

A barra estabilizadora ficou maior e a caixa de direção foi rebaixada em 13 mm. A suspensão traseira recebeu braços reajustados para melhorar o comportamento dinâmico. Tinha discos de freio também na traseira e assistência com ABS.

O Tempra Turbo ia de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos e tinha máxima de 213 km/h. O consumo era de 8,3 km/l na cidade e 11,8 km/l na estrada, ambos com gasolina.

No Tempra Turbo Stile, a aceleração de 0 a 100 km/h era um pouco menor, obtendo o resultado em 9 segundos. Por fim, a final era de 211 km/h.

O consumo na estrada era de 12,6 km/l e na cidade fazia 8,9 km/l. O sedã médio da Fiat teve um ótimo desempenho em sua curta vida, abrindo caminho para o Marea Turbo.

Sucessor

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90

O Tempra Turbo foi um sedã esportivo de alta performance, mas seu tempo foi curto. Em 1998, a Fiat lançou o Marea Turbo como uma nova opção de sedã de alta performance.

O modelo chegou com motor de cinco cilindros 2.0 litros e 20 válvulas. O propulsor tinha duas versões, sendo uma com turbocompressor e intercooler.

Era equipado com duplo comando de válvulas com variação na admissão. A injeção era multiponto sequencial e tinha radiador de óleo específico.

O Marea Turbo entregava 182 cavalos e 27 kgfm no Fivetech. Tinha uma programação específica de gerenciamento eletrônico. O modelo tinha transmissão manual de cinco marchas, indo de 0 a 100 km/h em 7,4 segundos e final de 227 km/h.

Tempra Turbo: tudo sobre o interessante sedã esportivo dos anos 90
Nota média 5 de 5 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • lucas

    Meu primeiro carro, lá em 2007, foi um tempra 4 portas de 1997. Não curtia muito o interior só o toca fitas, que era style, mas até hoje gosto do estilo quadradão. O de 2 portas é um espetáculo. Carro muito bom, 0 BO.

  • João Senff

    Sempre achei com aparência confortável os bancos do Tempra . Quando o Tempra estava no auge eu tinha meus 4 a 5 anos
    . Já me apaixonei pela Marea.

  • Ariosvaldo Araujo

    foi meu primeiro carro,um tempra ie 8v 1996. apesar de ser uma versão mais simples,eu curtia muito o carro. ainda vou comprar um tempra turbo só para curtir nos fins de semana,o difícil mesmo é achar um em boas condições.

    • Eduardo 1981

      Nem garimpando se acha mais…

      Teve uma fase que virou carro de “boy”. Tudo rebaixado, roda alterada, estofamento alterado, e tomar muito pau nos rachas da vida.

      • Ariosvaldo Araujo

        o jeito é achar judiado mesmo,ainda está barato e não se valorizou muito ainda. quero deixar 100% original,com toca-fitas+disquiteira alphine e tudo mais😎

        • Eduardo 1981

          Baaaah tchê, mas do que tu foste te lembrar hein? Disqueteira Alpine! Ia no porta malas dos carros a grande maioria.

  • th!nk.t4nk

    Era um carro mais equipado e tecnológico que o Vectra B, mas desvalorizava bem e os proprietários seguintes pouco se importavam em fazer manutenção. Quando chegou o Marea, essa situação piorou (com o 5 cilindros, que exigia muita atenção com as trocas de óleo) e os sedãs da marca ganharam fama de serem ruins de manter. Daí pra frente a gente já sabe: teve Punto esticado (Linea) e depois “Gran” Siena. Uma pena que o mercado brasileiro não estivesse preparado pra nada mais tecnológico nos anos 90 (e sabe-se lá se hoje está, vide a quantidade de gente que evita modelos turbo).

    • Robson

      No caso do Marea a própria Fiat complicou a situação com o erro na KM recomendada pra troca de óleo, não foi?
      Tive a oportunidade de dirigir tanto Tempra quanto o Marea (esse turbo) e eram carros muito bons de guiar, com nivel muito acima dos Fiat que eu estava habituado na época, com destaque para o Marea que mesmo todo original era um monstro acelerando.

      • TijucaBH

        Exato,a Fiat recomendava a troca de óleo com 20 mil km. Quem rodava quase exclusivamente na estrada, tudo verto, mas quem rodava mais na cidade,100% de certeza de ter problemas com borra.

    • Janduir

      Rapaz, lembro que em 1998 fui ver um Vectra 1997 pra comprar mas era modelo Gl com ar. Custava 18 conto, estava com 10.000 km, dirigi mas particularmente achei-o meio pelado, pois minha irmã já tinha um Tempra IE 1996, mais completo e mais macio pra andar. Ai fui na feira do Anhembi e comprei um Tempra 1997 16v Grupo V – ar digital, banco eletrico, pc de bordo, etc. Estava com 5000 km e paguei R$16500,00. Fiquei 2 anos com o Tempra e foi só alegria (e olha que eu não entendia nada de manutenção). Mas foi um dos carros mais agradáveis de dirigir que tive….

  • Uma pena que na época a Fiat não trouxe também o seu irmão Alfa 33, pelo menos o segundo irmão do Tempra, o belíssimo 155 chegou a rodar por aqui no seu breve tempo de comercialização.

    • Marcello Caetano

      O Alfa 33 é anterior a aquisição da Alfa Romeo pela Fiat. 155 sim, surgiu da nova plataforma inaugurada pelo Tipo.

  • Ⓜ️arcelo

    foi um dos meus sonhos

  • Raphael Pereira

    Saudade da virada do milênio, eu com meus 7 anos e meu pai com seu Tempra ouro 95 que deixa saudades em ambos até hoje. Nosso projeto é encontrar um em boas condições pra deixar como relíquia.

    • Eduardo 1981

      Qual tua idade? 26?

      • Raphael Pereira

        Sim,tenho 26.

  • Robinho

    este carro era e é muito belo!

  • leitor

    A Fiat não tem interesse no segmento. O Marea era até um carrão. Mas com custo de manutenção alto, competindo com outros que não apresentavam tantos problemas. Não tinha como manter. E o Tempra chamava muito a atenção por ter um porte bem bonito. Era um dos carros mais desejados da época.

  • FREDRED

    A maioria não lembra, mas teve Tempra carburado, andava muito bem.

    • Rogério R.

      Sim, motor 2.0 8v de 99 cv, depois com injeção a potência saltou para 105 cv.

  • EArtur

    0-100 em 8.2 é de se respeitar até hoje.

    • th!nk.t4nk

      Em vista dos últimos lançamentos (como o Corolla Híbrido que custa 125 mil e faz 0-100 km/h em 12,8 s) eu diria que nós retrocedemos no mercado, isso sim! O Tempra era um baita carro considerando sua época.

  • Comentarista

    Representa o auge e o enterro da Fiat no segmento dos sedans médios.

    • Ⓜ️arcelo

      Realmente foi um carro a frente do tempo, bem influenciado pela Alfa dos tempos áureos mas, provando que, se a Fiat quisesse, eles poderiam ter mantido estão padrão de superioridade porém a estratégia deste carro foi somente alavancar a marca para depois voltar com as mesmices medíocres.

    • Eduardo 1981

      Desculpe, mas acho que o marea turbo foi o auge. Era bem superior em muitos quesitos.

  • Daniel Pirolli

    Foi meu primeiro sonho de consumo, ainda na infancia. Mas depois me voltei pro gol gti, e nunca tive nenhum dos 2. Era só sonho mesmo hahaha

    • Eduardo 1981

      Tantos sonhos áquela época: Gol GTI e GTS, Kadett GSi, Vectra GSi, Corsa GSi, Tempra turbo, Uno turbo, Escort 2.0 XR3…

      Um pouco antes: Gol GT, Passat 1.8 Pointer, XR3 1.6 mesmo, Monza hatch S/R, Uno 1.6R …

      Devo ter esquecido algum carro nessas 2 listas aí…

      • Rogério R.

        Uno 1.5R com calotas disco de telefone.

  • ocampi

    Tive o Turbo comprado zero Km. Duas portas preto….era forte. Hoje só bebe…..rs.

    • fschulz84

      Parece com minha histórida de vida… “era forte, hoje só bebo!”

  • Robson

    Essas matérias do NA são ótimas, especialmente para rever carros que marcaram época e suas curiosidades. Mas honestamente? Está bem complicado de ler esses textos, estão diagramados de um jeito estranho, com muitos parágrafos e repetindo “Tempra Turbo” em praticamente todos eles, tornando a leitura cansativa demais. Longe de mim querer pautar como são feitas as coisas no site, pois o acesso de graça e sempre me informei por aqui, é apenas para tentar sugerir alguma mudança mesmo para que não afastem seus fiéis frequentadores, pois não sou o único a se incomodar essa situação que vem se repetindo há algum tempo já.

  • Ediomar

    Um inteiro já estão pedindo 20 ,30 mil , um meia boca 10 , 15 mil , eu acho que vai valorizar cada vez mais visto a raridade que é achar um bom.

  • Rogério R.

    Tempra Ouro 16V 2p e o Turbo 2p eram os meus favoritos.

  • 1/2 URSO 1/2 CÃO

    Meu pai teve um stile 1995 cor vinho, comprado em 1999, o carro era maravilhoso, tinha ar digital, persiana no vidro traseiro, ABS entre outros mimos. Era um foguete quando se pisava fundo mas também muito confortável. Ele ficou com o carro por 9 anos, era o xodó dele, uma verdadeira raridade que ele cuidava com muito zelo, até que um dia ele estacionou o carro perto de uma árvore que durante uma chuva foi atingida por um raio e por radiação da energia, acabou queimando o módulo do carro, o ano era 2008 e já não se achava mais essa peça em concessionária alguma do país. No sistema da Fiat, o preço sugerido da peça, caso ainda tivesse disponível, beirava os 3500 reais. O carro ficou parado por mais de 2 meses e ele muito chateado pois achava que havia perdido o carro, até que um dia encontrei um módulo em um desmanche, comprei e colocamos no carro que voltou à vida. Porém após isso ele decidiu vender pois se acontecesse novamente temia perder o carro.

  • RKK

    Único pecado do Tempra Turbo era o motor 8V, contenção de custos…

  • Marcio Souza

    Acho que está mais pra um fastback. Esse fez história.

  • Miguel

    Eu lembro de criança que era fissurado na Perua do Marea também!
    Aquele motor turbo devia ser incrível pra época.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email