EUA Gadgets Segurança Tecnologia Tesla

Tesla: Full Self-Driving Beta gera polêmica sobre testes com clientes

Tesla: Full Self-Driving Beta gera polêmica sobre testes com clientes

A Tesla disponibilizou a tecnologia de condução semiautônoma Full Self-Driving Beta para alguns clientes, selecionados para “testar” o sistema baixado direto em seus carros elétricos.


O novo software que permite maior controle  – o “full” parece indicar 100% de automação – sobre direção, aceleração e freios dos modelos da marca, porém, o alerta emitido pela Tesla com avisos sobre o uso do sistema está gerando discussão.

O motivo é a disponibilidade de sistemas de auxílio para motoristas que não são pilotos de testes e, mais até, não trabalham de fato para a marca.

A Tesla, cuja filosofia de trabalho é semelhante ao de uma marca de smartphones, como a Apple, vem há bastante tempo atualizando seus carros com softwares que ampliam funcionalidades, em especial do sistema Auto Pilot.

VEJA TAMBÉM:

Tal como num smartphone, o carro da Tesla pode ser atualizado remotamente via OTA (Over The Air), adicionando mais funções ao controle de cruzeiro adaptativo Auto Pilot, que já está em um nível bem elevado de automação.

O mais recente é o Full Self-Driving Beta, mas a Tesla indica que o programa é um “experimento” e que “deve ser usado com cautela adicional”, visto que “pode fazer a coisa errada no pior momento”.

As recomendações podem ou não ser atendidas pelos motoristas e, a julgar pela quantidade de vídeos com usuários comuns que filmam os carros em situações perigosas, a questão está ganhando contornos enormes nos EUA.

Tesla: Full Self-Driving Beta gera polêmica sobre testes com clientes

No subreddit/teslamotors, um usuário foi banido por postar um comentário alertando sobre os riscos de usar um sistema não testado pela própria montadora, ainda mais com os detalhes revelados pela Tesla aos motoristas que foram selecionados.

Em marcas de smartphone, especialmente aquelas usando sistemas Android, existem os usuários que recebem atualizações ainda não lançadas comercialmente para testar as novas funcionalidades, mesmo que não o façam necessariamente.

No caso da Tesla, ela emprega a mesma metodologia, contudo, no caso de condução autônoma, o risco de morte existe se não houver um emprego consciente por parte do condutor.

A autoconfiança na tecnologia (ainda em testes) pode fazer com que muitos acabem relaxando (o que é natural) e ampliando o risco de dar algo errado, fato que a própria Tesla diz que pode ocorrer.

Usar a experiência dos motoristas para benefício das tecnologias é válida, porém, disponibilizar um software que pode colocar em risco a segurança de condutor, passageiros e terceiros é uma maneira de expor muitos ao risco, alguns defendem.

Para boa parte dos clientes é tentador testar algo novo primeiro que os demais e isso é normal. Afinal, ele se sente privilegiado.

Entretanto, no caso da Tesla, a experiência vai muito além de uma segurança maior ou apresentação gráfica diferenciada, apresentada na tela do dispositivo móvel. O que você acha disso?

[Fonte: Auto Evolution]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

      Quem somos

      O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

      Notícias por email