EUA Mercado Montadoras/Fábricas Sedãs Tesla

Tesla Motors anunciou um novo plano mestre para elevar produção do Model 3

tesla-fremont-projeto

O Tesla Model 3 está tirando o sono de Elon Musk, literalmente, já que fontes dizem que o executivo dorme na própria fábrica para que os trabalhos de ampliação não atrasem. O plano é tornar a planta de Fremont/CA apta para fazer 500.000 carros em 2018.

A ampliação é necessária para que a Tesla dê conta da demanda pelo Model 3 o mais rapidamente possível, já que quase 400 mil pessoas estão em filas de espera pelo interessante sedã elétrico.

Para piorar a situação, Musk tem de observar a concorrência tentando extrair muitos que aguardam o carro, sem poder fazer nada. A única solução é apressar a expansão fabril. Por isso, o projeto original foi alterado novamente.

File photo of Mark Cuyler, an operations manager at Tesla, walking a Model S through the company's factory in Fremont

O projeto revisado prevê a construção de 12 novos edifícios no complexo que um dia foi a NUMMI, uma joint-venture entre GM e Toyota. Mas, para iniciar os trabalhos, Musk precisa de autorização da administração municipal de Fremont, o que deve acontecer já na próxima semana.

Com a ampliação, a atual área de 490.000 m2 construídos serão ampliados para 917.000 m2, quase o dobro do espaço coberto atualmente. A ampliação contará com ciclovias e áreas para pedestres, além de um grande pátio.

gigafactory tesla baterias

Atualmente, a Tesla conta com 6.210 funcionários em Fremont, mas o quadro será ampliado para 9.315 quando as obras terminarem. Esse aumento de quase 50% no quadro será necessário para dar conta da produção de 500.000 unidades/ano.

Junto com a Gigafactory (foto acima), a Tesla terá em 2018 a estrutura necessária para atender os pedidos iniciais do Model 3 e também do próximo modelo, que será um crossover elétrico de porte inferior ao Model X. Para termos uma ideia dessa capacidade de expansão, esse ano a Tesla espera produzir 80.000 carros.

tesla-model-3-prototype-1

Model 3

Lançado como um smartphone, o Tesla Model 3 se tornou um viral de uma hora para outra no mercado americano, captando mais de 100 mil pedidos antes mesmo da apresentação e em poucos dias quase 400 mil reservas, todas com sinal de US$ 1.000 e ainda com limite de dois pedidos por pessoa.

Com preço proposto de US$ 35.000 – sem incentivos fiscais – o Model 3 rapidamente atraiu a atenção de consumidores ávidos por um produto diferenciado, embora apresentado como um protótipo. Filas reais foram observadas em lojas da Tesla pelos EUA. Com poucos detalhes revelados, o sedã elétrico não precisou de muito para chamar a atenção.

tesla-model-3-prototype-4

O projeto do Model 3 é orientado como um dispositivo móvel e é assim que é encarado por Musk. Com porte médio – compacto por lá – o pequeno da Tesla tem estilo próximo de um cupê, mas com tampa do porta-malas bem pequena, enquanto o teto panorâmico é integrado ao vidro traseiro.

Sem grade frontal e com faróis amendoados com projetores de LED, o Tesla Model 3 apresenta um charme intrigante. Por dentro, nada de instrumentação analógica ou mesmo um cluster central. No protótipo, há somente uma tela de 15 polegadas em posição horizontal – como uma tela de computador montado no meio do painel – onde tudo relacionado ao veículo está concentrado.

tesla-model-3-apresentação-5

Musk já avisou que muita coisa será mudada na versão de produção, que pode até mesmo não ter os 346 km de autonomia propostos inicialmente. Isso porque a chamada “segunda onda de elétricos” já impulsionou o alcance das baterias de lítio para até 500 km. Até o “rival” Chevrolet Bolt já conta com autonomia maior que o Model 3.

Aparentemente agora isso não parece ter grande impacto, mas se a evolução do Bolt seguir a tendência mundial, provavelmente seu alcance deverá se aproximar do irmão Opel Ampera-e daqui há dois anos. Só o Renault Zoe quase dobrou seu alcance do modelo 2015 para o 2016, por exemplo.

Ainda assim, Elon Musk pode – muito provavelmente – valer-se da boa imagem da Tesla e de seu Model 3 para manter o mesmo alcance, propondo um produto mais sofisticado e conectado para o consumidor. Global, o modelo compacto de Fremont promete chegar até em países onde o carro elétrico não recebe qualquer incentivo, tais como o Brasil, por exemplo.

[Fonte: Electrek]







Send this to friend