Chery Crossovers Hatches Preços

Tiggo agora só aparece em versão automática no site da Chery

novo-chery-tiggo-2015-automatico (9)

O Chery Tiggo está sendo oferecido apenas na versão com câmbio automático, cujo preço era o mesmo da versão manual: R$ 53.990.

Já o New QQ está sendo oferecido com preço sugerido de R$ 28.790 na versão Look e R$ 31.190 na ACT.

CHERY NEW QQ 2

O Tiggo tem motor 2.0 de 138 cv e 18,5 kgfm. A transmissão automática tem 4 marchas. O New QQ tem motor 1.0 de 69 cv com 9,3 kgfm e câmbio manual de cinco marchas.

Agradecimentos ao Lucas Farias.





  • Bruno Wendel Marcolino

    Achei o preço interessante, 54k num “Suv” compacto automático, não tem nada parecido no mercado, por mais que seja cambio AT4, tem um motor interessante.

    Tomara que a Chery consiga mais sucesso, ela está investindo no Brasil, os brasileiros deveriam dar chance a ela, quando eu for trocar de carro vou pensar sem dúvida.

    • Louis

      E nem é tão compacto assim.

      • Tosca16

        Do tamanho de uma RAV4 2002 .

      • Bruno Wendel Marcolino

        Exatamente.

        • Yuri Lima

          E outra, o povo tem esse papo de desvalorização e tal. Uma Rav 2002, dependendo da conservação, vai dar custos de manutenção que serão altos. Esse Tiggo pelo menos sendo 0km, a garantia resolve algumas coisas. A desvalorização dele, pra quem iria pegar um SUV usado de preço semelhante não chega a ser grande. O problema é só a liquidez.

          • Gran RS 78

            Verdade. Meu cunhado tem um Tiggo manual 2013 e ele adora o carro. Pagou na época 47 mil reais nele, e hj vale 33 mil. Acho que a desvalorização está dentro da média de outros concorrentes.

            • Tosca16

              Se vc não quer trocar de carro tão cedo, se vc não acharia ruim ter uma geração anterior se lançarem logo uma restilização e se sua região é bem servida de concessionárias não tem como não o colocar na lista de possíveis aquisições, meu professor tem um modelo 2010, quase que impecável .

    • Tosca16

      Esse seria o preço do Tiggo1(3X) o devirado do Celer, que virá com mecânica 1.5 herdada do irmão menor… Creio que a Chery irá trazer o Tiggo3 para a faixa dos 60 mil reais, não sei se trarão com o motor 1.6DVVT ou aproveitariam para continuar com este 2.0 já presente em nosso mercado; apesar de continuar sendo o mesmo projeto o Tiggo3 melhorou externamente e traz agora um câmbio CVT, acho que mesmo se vier apenas 1.6L de seus 126cv de potência deverá andar muito igual ao AT 2.0 de 139cv que temos hoje no mercado nacional, sendo que será sabiamente mais econômico. o Visual do Tiggo FL mesmo cansadinho eu gosto, o Tiggo3 ainda deu uma repaginada bacana.

      • Bruno Wendel Marcolino

        Estava vendo os preço de revisões do Celer/Tiggo e estão bem caras, a primeira do Celer custa mais de R$300, achei absurdo.

        edit: alias, a do Tiggo é mais barata que do Celer…

        • Tosca16

          Sinceramente não vejo nenhuma montadora com revisões a preços bons, ou é revisões demais, com baixíssima quilometragem, ou tem preços altos ou na pior das opções possíveis, muita coisa não inclusa no preço “fixo” .

          • Bruno Wendel Marcolino

            Não dá pra defender o indefensável, sei que tu gosta da marca, mas fechar os olhos pra isso, justificando um erro com outro não é correto.

            Um HB20 é 200 reais se não me engano a primeira revisão, um Celer passa dos 300, posso comparar com qualquer compacto, vai ser mais caro, com o Etios então, não da nem pro cheiro, 180 reais a primeira revisão.

            O que interessa na revisão obrigatória é o que está no manual, o restante não importa, pois se der problema será coberto pela garantia, quando te disserem: “Mas senhor, se não trocar essa peça pode dar tal problema.”
            É só responder perguntando se essa peça não está coberta pela garantia.
            Pronto, ficam quietos na hora, não tem o que dizer, pois eles querem que tu pague por um possível problema numa peça que está na garantia, aconteceu com um amigo meu esse mês, tinha que fazer a revisão dos 40.000 do HB20 e cobraram 1.800 dele na CCS, falei pra ele que estava absurdo e mostrei os valores de tabela, ele foi lá e pagou 720 reais conforme consta no site e não teve choro, eles queriam fazer tudo.

            Revisão na CCS é balela, é só pra manter garantia, por isso o do Celer está caro sim perante qualquer compacto do mercado.

            • Tosca16

              Concordo .

            • Realmente a do Celer Nacional está muito cara… apavorante! O Tiggo é pior… consegue ser o mais caro da categoria, custando os 60.000 km, mais que 10% do valor do carro, o típico barato que sai caro.

              • Bruno Wendel Marcolino

                e ainda sim, é mais barato que o Celer, pra vermos como o Celer está absurdo.

  • Raphael Julião Corrêa

    Estava cogitando a compra do Tiggo Manual, pois não curto Automático, mas parece que as lojas não tem mais. É um carro interessante, bom de dirigir. Como não troco de carro anualmente, era uma opção que eu tinha.

  • Felipe

    Chery correndo atrás do prejuízo… Se esse fosse o preço da versão automática desde o lançamento, poseria ser um atrativo para um “SUV compacto” automático. Naquela época, mesmo com o câmbio ultrapassado, o motor e o preço poderiam compensar a compra… Hoje, com a “morte anunciada” dessa geração do Tiggo e com a eminência da importação da geração mais atual, levar um desses pra casa pode não ser bom negócio.

    • Tosca16

      Desde que o mesmo chegou já veio sendo o mais barato dos SUV’s, mesmo em sua versão AT; faltou como eu disse sempre aqui marketing e força para a marca o colocar no seu devido lugar, e com a entrada de mais concorrentes no mercado, especialmente os conterrâneos como o X60 o mesmo ficou ofuscado no mercado.

      • Felipe

        Sim, o Tiggo sempre correu por baixo mesmo sendo o mais barato do segmento mesmo tendo seus atributos, que não eram justificados por seu valor mais baixo. Se a versão MT fosse ainda mais barata e a AT tivesse esse valor desde o início, o apelo para a escolha do modelo seria maior.

        • Tosca16

          No lançamento o mesmo era na faixa dos 63 mil reais, caindo logo para 59.990; não tinha nada melhor que isso… Faltou não foi preço, faltou marketing.

          • Felipe

            Quando o “Novo Tiggo AT” veio importado do Uruguai tinha preço sugerido de R$ 57.990 no lançamento. Tem uma matéria aqui no site falando desse valor. Naquela época, se ele viesse pelos R$ 53.990 de agora e o MT que custava R$ 51.990 viesse por menos, obviamente seria apelo para a compra sim. Claro, preciso concordar contigo sobre o marketing falho da Chery, mas este não foi o único ponto em que ela pecou. E passou longe de ser…

            • Tosca16

              Veio com este valor depois logo subiu de preço; bom, pelo valor do mesmo não tem o que reclamarem, claro que poderia ter mais opções de acabamento e opcionais de série, entretanto olhando o que se tinha no mercado, tipo Duster 1.6 versões de entrada o Tiggo sempre fora um produto na medido do aceitável, com boa relação custo-benefício .

              • Felipe

                Mas note que mesmo custando ligeiramente mais que um Duster 1.6 na época, o Tiggo não decolou. Renault trabalhou bem com o Duster no início pois pretendia pegar uma fatia de clientes da Ford, pra isso, usou do preço e do marketing como estratégia. Esse “dever de casa” a Chery não fez

                • Tosca16

                  Sim sim…

        • Tosca16

          Este preço deverá ser do Tiggo1(3x) o derivado do Celer, algo abaixo dos 50 mil reais… E se vier o Tiggo3 como esperamos pode crer que no minimo será algo em torno de 57.990 manual e 59.990 CVT; mantendo a marca de mais barato do mercado e de quebra trazendo uma opção automática mais moderna.

          • Felipe

            Só nos resta esperar pra ver… E pra quem se interessa pelos modelos, torcer pra que não cheguem com “sobrepreço”.

            • Tosca16

              Olhando o Celer nacional duvido que a Chery venha com preços muito além do especulados, aliás não duvido que ao nacionalizarem “milagrosamente” baixem de preço kkkkk .

              • Felipe

                Baixar? Talvez nem em último caso, hahahahah! Sua estimativa de valores já está num patamar até abaixo da média, se a Chery seguir essa estratégia, repito, será uma boa pra quem se interessa pelo futuro Tiggo.

                • Tosca16

                  Sei não, com os impostos e tal, ela tentando ao máximo nacionalizar os modelos para diminuir as importações, o preço do dólar e etc; já foi até cogitado exportar daqui pois segundo eles tá mais barato que importar da china para os países vizinhos, vai que numa desta a fábrica em Jacareí vire uma “mini-china” kkkk .

                  • Felipe

                    Heheheheheheh quanto otimismo!

                    • Tosca16

                      Eles sempre foram, depois mudam os planos kkkk

                    • Felipe

                      Mas os impostos não vão diminuir… E a produção em Jacareí seria pra ocupar a capacidade ociosa da fábrica e vender parte dessa produção para mercados/países com situação política/econômica melhor (ou menos pior) que a nossa…

  • pedro rt

    realmente nao justificava comprar o manual ao inves do automatico…

    • Hélio

      realmente, nessa categoria de carro tem que ter automático, acho bizarro, absurdo essas montadoras trazerem carros dessa categoria só com manual…
      Tipo T5, Oroch, etc…

      • oscar.fr

        Nessa categoria? Não é o caso do Tiggo, que deriva da antiga RAV, mas as demais SUV compactas não são nada mais que derivados de compactos. Não entendo a obrigatoriedade do automático e, em específica, a obrigatoriedade nesta categoria. Consumidor precisa ter opções, ou seja, manual ou automático com diferentes ofertas de motor e equipamentos/nível de acabamento. Ridículo é vender versão única, pois este item ou aquele seria “obrigatório”.

    • Fernando S.

      Entre um AT4 e um MT5, fico com o segundo.

      • Bruno Wendel Marcolino

        Só se preferir cambio manual mesmo.

        Cambio AT4 não é ruim, só não é tão eficiente quanto um AT6.

      • Louis

        Entre um AT4 confiável e um Powershift, eu fico com o AT4.
        Mas concordo que comprar um AT4 em carro novo é bastante ultrapassado.

        • Tosca16

          E digo mais, sou mais este AT que estes Dualogic da vida, tem uns automatizados no mercado que benza Deus …

  • Tosca16

    Por mais que sejam versões encalhadas por este valor não tem o que dizer, mais barato que um Sandero Stepway . A Chery pecou muito neste carro, faltou marketing, pois o produto em si não é ruim, e como está praticamente desde 2009 no mercado, o mesmo tem peças fáceis de achar; mecanicamente e na parte de suspensão pelo que sei o Tiggo continua semelhante aos de primeira geração, isso é bom . E o câmbio AT pelo que sei não é problemático, apesar de ser um antiquado 4 velocidades não é pior que muitos automatizados que temos no mercado, por este valor na concorrência vc pegaria mal um Dualogic. Creio que o Tiggo3 virá em substituição ao Tiggo FL, mas para quem não se importa em não estar com o modelo mais novo está aí uma excelente opção de compra.

    • O Tiggo FL é muito bonito (atrativo por isto) e até tiveram alguns comerciais do mesmo na TV, todavia, o modelo peca no alto custo das peças de reposição e o custo de revisão até 60.000 km, o mais alto da categoria, ultrapassando 10% do valor do carro, fatores estes que prejudicam a revenda, aliado ao diminuto número de concessionárias, o que impede que ele venda bem. A Chery tinha que rever a política de revisões, onde jamais, por ser novata, que ela deveria custar tanto mais que a concorrência, aliás, tinha que ser mais barata, como fazem Renault, Hyundai e Peugeot, bem como buscar baratear suas peças de reposição, através de fornecedores nacionais.

      • Tosca16

        Uma concessionária falou isso: Apesar de a Fabrica ter se estabelecido no país, a única linha de produção que gera as peças nacionais é a do Celer. O QQ, e o Tiggo até então ainda não produzem suas peças, que por sua vez precisam ser importadas. As peças eram importadas em um outro país daqui da America do Sul e com isso tinhamos um beneficio fiscal com a isenção do Imposto de importação por conta do Mercosul. Mas devido a crise no Brasil que afetou inclusive os paises do Mercosul, essa outra fábrica está fechada e com isso precisamos importar as peças de fora do mercosul, o que encarece mais ainda os preços.

        Já as peças do Celer, apesar de serem as mais baratas, são influenciadas pela alta carga tributária que é gerada aqui dentro. Uma vez que quem fornece a materia prima (commodities) são empresas brasileiras, já sabemos então da influencia das taxas e mais taxas que temos aqui no Brasil…

        Aí somamos inflação, roubalheira, deficit de vendas em todos os setores, enfraquecimento do poder de compra do Brasileiro…

        A tendencia é aumentarem os preços, infelizmente.

        • Não é desculpa. Lifan X60, apesar de não ter preços tabelados, tem custo de manutenção e peças menor, assim como o Hyundai Tucson, que conta com nacionalização na casa de 70% somente e custa menos.

          Sobre o Celer, também não há desculpa, pois se a concorrência que fabrica por aqui custa bem menos, qual é o sentido de uma marca que trouxe parte de seus fornecedores para manter o menor custo e cobra bem menos pelo carro pronto, ser tão cara em peças de reposição e no custo de revisão.

          Não tem como justificar!

          • Tosca16

            Bom o índice de nacionalização é baixo, apenas 30% até a época do lançamento e os demais modelos foram importados, não são mais, o New QQ só veio um lote promocional de 1.000 unidades e o Tiggo a tempos que não é mais importado; possa ser isso, o baixíssimo volume de importações também, mas sim, pouco é justificável, tem que melhorar e muito neste aspecto.

  • The Monster Man

    Bonito, barato, mas eu não tenho coragem de arriscar em um carro chinês, todo mundo que conheço que já teve não quer outro de forma alguma.

  • Tosca16

    Vê como marketing influencia; A Lifan estava queimadíssima no mercado, lançou o X60 e logo se tornou líder entre os SUV’s chineses no Brasil, agora vamos lá: X60 tem mais opcionais, maior espaço interno, perde em motorização e na ausência de uma opção automática em relação ao Tiggo FL. Num segmento que tanto frisam a necessidade de ter uma opção automática tem lógica do Tiggo mesmo mais barato e com opção AT vender cerca de 5x menos que o X60 ?

    • oscar.fr

      Talvez o automático não seja uma condição sine qua non, como muitos por aqui defendem. Pois, como tu mesmo dissestes, a X60 tem muitos outros pontos melhores que a Tiggo, cuja vantagem é a oferta de um automático 4 marchas. Acima de tudo, pensando como funciona a cabeça do brasileiro, o fato da X60 ser mais recente que a Tiggo é sim uma pista para compreender porque ele vende bem mais, sem contar que, diferentemente da Tiggo, ela tem um design novo, que não remete a um carro do início da década.

      • Tosca16

        Bom, até o modelo 2014/2015 a Lifan perdia em todos os aspectos dinâmicos para mim, achava mais ruidosa mesmo em comparação ao Tiggo AT e bem menos acertada na parte de suspensão e freios, sabe, típico chinês, câmbio longo semelhante a Tiggo só que com um escalonamento pior e algumas folgas; além de ter respostas mais lentas que o Tiggo manual… mas de quebra tinha bom espaço interno, ambos na verdade tem, com vitória para a X60, e além disso tinha mais equipamentos como a central de série, com câmera de ré e etc, coisa que o Tiggo tem como opcional mas que fica horrível pois não é integrada ao painel, apenas enxertada lá . Me recordo que ainda peguei uma X60 com interior claro, muito bonito até, mas nitidamente mal montada, com rebarbas e folgas, na atual 2016 melhorou e muito, não sei no acerto dinâmico, diz a Lifan que o câmbio é outro e tem novas calibragens nos amortecedores e suspensão.

  • Fernando S.

    O preconceito é claro e evidente. Pode até faltar uma certa noção de marketing para a empresa, mas é só observar na própria matéria. Um QQ (que é um dos carros mais feios já feitos pelo ser humano) está sendo vendido por 28 mil reais. No mercado Brasileiro hoje não se compra absolutamente NADA nesse preço. NADA. Talvez, e com muito choro, você consiga trazer para casa um Palio Fire 2 portas com apenas os itens obrigatórios por lei. Indo um pouco adiante, vemos o Celer vendido a 34.990,00 com motor 1.5 e mal chega na casa da centena em vendas mensais (isso se chegar), um Fiesta 1.5 S (modelo de entrada) custa 15 mil reais a mais e entrega menos itens.

    • Bruno Wendel Marcolino

      Isso é verdade, há muito preconceito mesmo, porém também não se vê muita coisa da montadora, algum plano de marketing pra reverter isso, melhorar preço de revenda, etc.

      Discordo quanto ao New QQ ser o carro mais feio já feito, o antigo QQ sim era horrível. hehe

    • oscar.fr

      Vou ler polêmico, mas carros como 208 e Fiesta justificam a diferença de preço em relação ao Celer. São projetos europeus, mais sofisticados e de marcas bem mais confiáveis.

  • Vattt

    Preço sugerido é uma coisa, na prática pode ser outra. O Brasil tá viciado em cobrar caro pra obter lucro por tantos tributos que temos que arcar. Mas espero que a Chery consiga bons numeros de vendas com essa opção AT.

    • Tosca16

      Com esta sabiamente não terá, se tiver sorte acabarão os estoques até a chegada do novo Tiggo, creio que ambos, Tiggo5 e Tiggo3 virão ao nosso mercado; o Tiggo5 para ser um patamar acima e o Tiggo3 para substituir o Tiggo atual.

  • Eduardo Brito

    Cambio auto de 4 marchas ja tinha que ter saido de linha a tempos…

    • Bruno Wendel Marcolino

      Cara, a marca não vende muito no Brasil, é de se esperar que não invista em novos câmbios e motorização por aqui, a Fiat e GMB vendem horrores e não atualizam seus motores/câmbios. Difícil fazer esse tipo de cobrança numa marca que tem pouca participação no mercado e sofre preconceitos.
      Em contrapartida, a marca deveria criar um plano de marketing, tentar melhorar valor de revenda de seus veículos, treinar melhor vendedores e o pós venda, etc, para ai sim vender mais e consequentemente poder investir mais.

      Tudo tem ponto e contra ponto, mas no momento, não vejo lógica a marca querer fazer investimento em mudança de powertrain, pois isso é caro pra caramba.

      • Tosca16

        Concordo entretanto a Chery irá importar da matriz chinesa até a devida nacionalização, muitos para não dizer quase todos Cherys tem usado o mesmo powertrain, por isso sabiamente teremos opções 1.6DVVT+CVT 7 velocidades ou 2.0DVVT+ CVT 7 velocidades. Digo para a família Tiggo; onde o Tiggo5 sabiamente virá com o 2.0 DVVT de 139cv e quem sabe o Tiggo3 venha apenas 1.6 DVVT de 126cv em nosso mercado, aposentando a versão 2.0.

  • Mumm Rá

    A Chery tem até uma linha legal da carros ( deveria trazer seus sedans maiores ) mas ela deveria investir mais em marketing

  • deviling

    A pergunta que não quer calar: QQ ou Mobi?

    • Marco Antônio

      MarcoPolo …

  • erick

    Torco muito para que JAC, Chery, Lifan e Geely facam muito sucesso no Brasil!
    Voyage/HB 20/Onix/Prisma 1.0 por 50 mil NUNCA MAIS!

  • Anderson Costa

    Se o meu Tiggo atual estivesse quitado faltam 10 …trocaria hoje …esse preço é pra lá de especial



Send this to friend