Brasil EUA Listas Top 10 Mercado Preços

Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

EUA e Brasil possuem vários modelos similares vendidos nos dois mercados. Há alguns modelos feitos nos dois países e também nas regiões econômicas do qual fazem parte também. Para este Top 10, por conta do número bem superior ao tema da matéria, decidimos listar os carros mais baratos vendidos nos dois mercados.



Devido a diferença de preços entre os dois lados, usamos os preços em dólares nos EUA como referência em comparação com os mesmos produtos vendidos no Brasil.

Na lista abaixo, os preços em dólar variam de US$ 12.110 a US$ 17.950, abrangendo na maioria sedãs, tendo ainda hatches, crossover e minivan. Os segmentos variam de subcompactos a compactos nos EUA, que aqui seriam compactos e médios.

Apesar de citados abaixo, alguns modelos ainda não tiveram suas gerações novas introduzidas no mercado americano, por isso estão listadas. Mas, modelos que já foram trocados por lá, apresentam preços novos, então não há como compara-los com os valores daqui.



Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil:

1) Nissan Versa – US$ 12.110 – R$ 48.990

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Nissan Versa é atualmente o carro mais barato de marca tradicional no mercado americano. O sedã feito no México chega por lá com preços a partir de US$ 12.110. Bem simples, o modelo só é oferecido com motor 1.6 16V a gasolina com 110 cavalos e 14,7 kgfm. O câmbio pode ser manual de cinco marchas ou CVT Xtronic.

Aqui, o Versa é nacional e começa por R$ 48.990, mas ao contrário dos EUA, ele utiliza também motor 1.0 12V Flex com 77 cavalos, além do 1.6 16V com 111 cavalos. Só essa opção mais potente tem transmissão CVT Xtronic.

2) Ford Fiesta – US$ 14.205 – R$ 56.690

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Ford Fiesta é vendido nos EUA e no Brasil em suas duas configurações de carroceria, sendo que o sedã é mais barato por lá, sendo oferecido com preços a partir de US$ 14.205. Já o hatch custa US$ 14.505. Em ambos os casos, o motor é o Sigma 1.6 Ti-VCT de 122 cavalos e 15,4 kgfm.

O propulsor tem câmbio manual de cinco marchas ou Powershift de seis marchas. A versão ST tem motor 1.6 EcoBoost com 200 cavalos. No Brasil, a ordem de preços se inverte, com o New Fiesta hatch partindo de R$ 56.690, sendo o modelo já atualizado.

Já o New Fiesta Sedan, parte de R$ 67.290. Ambos com o mesmo motor 1.6 Ti-VCT, só que Flex e com potência de até 128 cavalos. Aqui há o motor 1.0 EcoBoost com 125 cavalos na versão Style.

3) Honda Fit – US$ 16.190 – R$ 58.700

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Honda Fit é oferecido nos dois países com o mesmo motor, mas em configurações diferentes. O propulsor 1.5 i-VTEC Earth Dream é movido apenas por gasolina e tem injeção direta de combustível. Isso permite ao propulsor japonês entregar 132 cavalos e 15,7 kgfm. O câmbio pode ser manual de seis marchas ou CVT, custando assim a partir de US$ 16.190.

No Brasil, o monovolume nacional tem o motor 1.5 i-VTEC FlexOne com até 116 cavalos, mas com apenas uma versão manual de cinco marchas, enquanto todas as demais apresentam câmbio CVT. Os preços aqui começam em R$ 58.700.

4) Kia Soul – US$ 16.200 – R$ 87.990

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O crossover da marca sul-coreana é oferecido nos dois países, mas há diferença na parte mecânica, algo semelhante ao que ocorre no caso do Honda Fit.

O propulsor Gamma 1.6 GDi possui injeção direta de combustível e oferece 132 cavalos com 16,3 kgfm. Lá, ele tem câmbio manual de seis marchas ou automático com o mesmo número de velocidades. Os preços se iniciam em US$ 16.200. Ele também tem motores 2.0 GDi de 163 cavalos e 1.6 T-GDi com 204 cavalos. Uma opção 100% elétrica também é vendida por lá.

Por aqui, o Soul tem motor Gamma 1.6 Flex com 122 cavalos na gasolina e 128 cavalos no etanol. O câmbio é somente automático de seis marchas e o preço sugerido é de R$ 87.990.

5) Kia Cerato/Forte – US$ 16.800 – R$ 79.990

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

A nova geração do Kia Forte, que aqui é vendido como Cerato, possui no mercado americano configuração semelhante ao do Hyundai Elantra, que também não tem a nova geração disponível. Assim, seu motor é o Nu 2.0 a gasolina que entrega 150 cavalos e transmissão manual de seis marchas, tendo opção automática. Há uma versão GDi do propulsor com 166 cavalos.

No Brasil, o Cerato só está disponível com motor Gamma 1.6 Flex com até 128 cavalos e câmbio automático de seis marchas. O preço sugerido é de R$ 79.990.

6) Hyundai Elantra – US$ 16.950 – R$ 79.990

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Hyundai Elantra é oferecido com um preço na média de seu segmento no mercado americano. Ele é até mais barato que os principais rivais. A geração nova ainda não foi colocada a disposição. Apesar do preço baixo, ele usa motor Nu 2.0 de 150 cavalos e câmbio manual de seis marchas ou automática de seis marchas. Os preços partem de US$ 16.950.

Aqui no Brasil, o Elantra também tem motor Nu 2.0, mas Flex e com potência de até 167 cavalos, mas tem somente câmbio automático de seis velocidades, partindo de R$ 79.990.

7) Chevrolet Cruze – US$ 16.975 – R$ 96.790

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Chevrolet Cruze é vendido no mercado americano tanto na versão sedã quanto na hatch, sendo que seu preço parte de US$ 16.975 no sedã, que começa pela versão L.

Mesmo assim, o motor é 1.4 Ecotec Turbo SIDI com 155 cavalos e transmissão manual de seis marchas, tendo ainda a opção do automático com a mesma quantidade de marchas. Além desse propulsor, o Cruze americano tem ainda o diesel 1.6 CDTI com 139 cavalos e 33 kgfm.

No Brasil, apenas o motor 1.4 Turbo é oferecido, mas com 150 cavalos na gasolina e 153 cavalos no etanol, sempre com câmbio automático de seis marchas e preços a partir de R$ 96.790.

8) Nissan Sentra – US$ 16.990 – R$ 82.900

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Nissan Sentra é o mesmo mexicano vendido no Brasil. O sedã é oferecido no mercado americano com preços que partem de US$ 16.990. Por lá, a oferta começa com motor 1.8 de 126 cavalos, o mesmo usado pela extinta Livina.

Ele é oferecido numa proposta mais ecológica, enquanto a versão 1.8 de 132 cavalos está presente na maioria das versões, enquanto a SR Turbo tem motor 1.6 DIG-T com 190 cavalos. O câmbio CVT Xtronic é oferecido junto com opção manual. Lá tudo começa em US$ 16.990.

Aqui, o Sentra só usa motor 2.0 Flex com 140 cavalos nos dois combustíveis e vem apenas com o CVT Xtronic. Os preços partem de R$ 82.900.

9) Mitsubishi Lancer – US$ 17.795 – R$ 74.995

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Lancer ainda é vendido no mercado americano e a oferta de motores é superior ao do Brasil. Lá, o motor de entrada é o 2.0 MIVEC de 150 cavalos com câmbio manual de cinco marchas ou CVT. Os preços começam em US$ 17.795. Mas, há outra opção, com motor 2.4 MIVEC de 170 cavalos e somente câmbio CVT.

Por aqui, o modelo é feito em Goiás e tem motor 2.0 de 160 cavalos e câmbio CVT, sendo oferecidos em duas versões com preços a partir de R$ 74.995.

10) Ford Focus – US$ 17.950 – R$ 77.000

nissan-versa-2017-eua-1 Top 10: Carros vendidos nos EUA e também no Brasil

O Ford Focus é oferecido nas carrocerias hatch e sedã, custando a partir de US$17.950 no segundo caso. O motor é o 2.0 Duratec Direct com 162 cavalos, além de câmbio manual de seis marchas ou Powershift.

Há uma versão (SE) com motor EcoBoost 1.0 de 125 cavalos. Além disso, o hatch vem ainda na versão esportiva ST com motor 2.0 EcoBoost de 255 cavalos e a RS com o EcoBoost 2.3, entregando assim nada menos que 355 cavalos! Existe a versão elétrica também.

Aqui, a proposta é mais singela e o hatch tem motor Sigma 1.6 Ti-VCT com até 135 cavalos, enquanto as demais opções (incluindo sedã) usam o Duratec Direct 2.0 com até 178 cavalos. O câmbio é manual no 1.6 e Powershift no 2.0. Os preços começam em R$ 77.000.

COMPARTILHAR:
  • Fanjos

    Quase não tem diferença nos valores e qualidades dos carros xD
    Lembrando que o salário mínimo americano em dólar é quase o dobro do salário mínimo do Huezil
    Então os carro no Huezil são em média 10x mais prosperados para os huezeiros.
    Qualquer atendente de McDonald’s compra um Civic lá, já aqui…

    • Wellington Myph13

      Bem isso que ia falar…
      Alguém lá de fora, sem noção de como é por aqui, deve pensar “Nossa, a média salarial do Brasileiro deve ser na faixa de 4/5mil pra ter Kia Soul por quase 90mil, Elantra a 80mil e etc…”

    • Leonardo Balieiro

      Um amigo do meu irmão vendeu o que tinha aqui e mudou pros EUA com a mãe dele. Está trabalhando como pedreiro, assentando piso e já está no 3º carro, pegou um Camry novo agora, fora outras coisas… Tudo isso foi de dezembro pra cá… É impressionante.

      • Em 30 em 30 troca de carros rsrsrs…matando as vontades

      • Cássio

        Não sei qual a realidade dele, mas eu me preocuparia em comprar uma casa, ao invés de trocar de carro a cada mês.

      • Luciano RC

        Só no Brasil, trabalhos importantes porém sem Status é tão esquecido e pouco reconhecido.

    • Cosi fan Tutti

      Não há nada ruim que nao possa ficar pior, já diziam nossos ancestrais…

    • Hodney Fortuna

      Lá são carros voltados para pessoas mais simples, trabalhadores comuns que querem um carro para deslocamentos ou trabalhar com Uber ou Lyft! Aqui é para ostentar devido o preço absurdo! Lá você com um ganho de 2 mil dólares financia um carro desses com preços a partir de 230 dólares com entrada de 3 mil dolares. Ao passo que no brasil a parcela mínima para tais com entrada de 10 mil reais é uns 2.500 reais no mínimo por mês em 60 vezes.

  • Engraxate

    Vim aqui só ler os comentários de pessoas dizendo:
    “quero largar tudo aqui e ir trabalhar de pedreiro nos EUA”
    “é melhor ser atendente do McDonalds lá do que pós-graduado aqui”
    “não sei o que ainda estou fazendo aqui, longe desse paraíso do consumismo”
    E eu realmente já adianto a pergunta, o que esperam para viverem como persona non grata em outro País, só para poderem consumir migalhas de porcarias que são substituídas por outras porcarias diariamente?
    Já sei, não têm dinheiro para comprar a passagem. É, uma vida mais desgraçada do que eu imaginava.
    Agora, se escolherem ficar, parem de reclamar e vão fazer sua parte.

    • Paulo Júnior

      Essa é uma discussão sem fim, os viajantes da “internet” e os sonhadores acham que os problemas irão acabar no aeroporto ao embarcar rumo aos E.U.A e seu famigerado “sonho americano” e que dá noite para o dia irão andar de carro 0KM e de ano em ano trocar de carro. Atualmente, até para você mudar de vida tem que ter dinheiro, e não é pouco. É um país de primeiro mundo, super capitalista, carro usado é vendido a preço de banana e nem por isso é tão acessível como esse pessoal pensa. Quem não quer ter uma vida boa? Nem só de carros bons e seguro basta, tem que ter um bom plano de saúde pois a saúde gratuita é super limitada, e além de tudo é muito caro. Todo e qualquer tipo de ser humano é propenso a mudanças, adquirir novos hábitos, aprender novos idiomas, desafios…. Mas não é tão fácil assim, antes de falar que o Brasil é um lixo de país, compare os E.U.A com outros emergentes também e verás que a disparidade também é grande em questões de valores e ofertas, antes de querer falar que os Estados Unidos é o lugar perfeito e o Brasil o país lixo, procure saber a história cultural de ambos os países, como foi o processo de colonização e construção dos dois países para assim poder entender porque as coisas parecem mais fáceis nos vizinhos da América do Norte do que os latino americanos.

      • Engraxate

        Ótimas ponderações.
        Eu acho que esse assunto contempla mesmo grandes discussões.
        A começar pelo fato de que hoje, para muita gente, sinônimo de “vida feliz” é uma vida repleta de consumo.
        Nos EUA, efetivamente, um atendente simples de qualquer loja pode comprar um iPhone de 600, 700 dólares (dado que ganha 1,5/1,8k por mês). Aqui, o cara que ganha isso vai ter que parcelar em 10 vezes.
        Mas fica a pergunta: a vida é mesmo isso? Vender nossa força de trabalho em troca de novidades que surgem toda semana? E a família, os valores, o crescimento de uma nação, o amor à pátria, aos irmãos brasileiros? Isso tudo é lixo?
        Apenas uma dica: os EUA enriqueceram justamente pelo sentimento de união, de amor ao território, aos valores nacionais.

        • Paulo Júnior

          Pois é, são extremamente patriotas e amam o lugar onde vive, onde aqui ainda insiste o complexo de “vira-latas” e que a grama do vizinho é mais verde que a nossa.

          Lógico que não é generalizando, mas pegamos o caso do RJ e seus “incontáveis” tiroteios na guerra urbana, nos E.U.A onde existe a liberdade do armamento, todo santo dia em algum lugar do país tem tiroteios com morte, muitas das vezes em instituições de ensino onde sempre tem um psicopata que se suicida depois, aquele caso de Realengo rodou o mundo e virou notícia, agora nos EUA onde acontece diariamente não vira notícia mundo afora, porque a imprensa não divulga para não expor o falho controle de armas que existe nos E.U.A onde existe um lobby fortíssimo por trás, que é capaz de derrubar até presidente.

          • Engraxate

            Eu também sou contrário às milícias privadas (armamento civil). Penso que gera mais violência, como no passado, quando os assaltos a residências eram frequentes, e hoje são menos de 10% dos casos de roubos (os ladrões entravam para roubar armas).

            Lá nos EUA, a polícia respeita muito mais os direitos humanos que a polícia brasileira. Eles matam cerca de 1 a 2 mil pessoas por ano (num universo de 300 milhões de habitantes). Aqui matam-se 5 mil por ano. São 2 mil só em São Paulo (45 mi de habitantes).

            O que ocorre, ao contrário do que o povo pensa, é que lá a polícia é bem aparelhada, tem grande capital humano, condições de trabalho, de investigação etc. Aqui é tudo precário… E aí o povo pensa que é falta de força, falta de tiro, de bombardeio etc… Na verdade é tudo ao contrário do que o senso comum imagina.

            Uma coisa que é preciso admitir, é que a justiça penal deles costuma ser mais competente, dado que eles não têm superlotação nos presídios, há trabalho em grande escala para ocupar os presos (novamente: eles respeitam os direitos humanos com rigor, dado que só há civilidade com obediência às leis). Aqui o cara sai pós-graduado em latrocínio depois de 2 aninhos de cadeia…

            • Cosi fan Tutti

              Não adianta apenas liberar armas aqui, teria de mudar a lei, bandido entrou na tua casa leva chumbo e vc nao responde nada judicialmente, legitima defesa, propriedade privada etc.. Eu fico indignado quando vejo policiais dizendo que se formos assaltados temos de abaixar a cabeça e entregar tudo, que se entram em nossa casa ou comércio é pra nao revidar, o Brasil é simbolo de como somos refens de bandidos, nao é so na politica, mas no dia a dia, e ainda nos mandam ficar caladinhos e entregar tudo. Aqui a bandidagem compensa, cidadão de bem se ferra! É tipo falar para o cordeiro se o leão vier fica quetinho e deixa ele te comer viu kkkk

              • Engraxate

                Mas já existe legítima defesa, é aplicada o tempo todo para esses casos

                • Cosi fan Tutti

                  Mas vc e processado como assassino, como foi o caso da Ana Hickman.

                  • Engraxate

                    Menos…. Menos….
                    Só precisa ter um processo para que tudo fique esclarecido, documentado, nada de anormal.

              • Fabão Rocky

                Concordo em gênero, número e grau!

          • leomix leo

            Vc entrou na questão do armamento, veja que lá, mesmo tendo os doidos atiradores, mata muito menos que aqui.

          • Fabão Rocky

            O problema é que brasileiro só é patriota de 4 em 4 anos e somente na copa do mundo. Verdade seja dita. Se o brasileiro tivesse amor à pátria como o americano tem, c/ ctz a situação do país estaria mto, mas mtoooo melhor. E ngm iria invejar o estilo de vida americano.

            • RIP Brazil

              Enquanto isso não acontece, quem pode ir pra lá, vai.
              The end of conversation.

    • Cosi fan Tutti

      Na verdade essa sua fala tem a ver com o comodismo do brasileiro, o velho “Brasil: ame-o ou deixe-o!”, porque sabemos que aqui dificilmente algum dia vai mudar, pq aqui nao tem espirito de coletividade, e se depender do povo e da boa vontade dos politicos, nao mudara nunca. Então sim, muita gente sonha em ir embora pq o Brasil é injusto e sempre continuara a ser, muito mais que outros países vizinhos, pq aqui so se importam os interesses de quem manda, e nao do povo,e o povo nao tem noção de quanto é manipulado, de quanto é gado. E a vida segue… Mas nesse caso ae, eu sugeriria ir para o Canadá que tem alguns programas imigratorios muito bons, e qualidade de vida igual ou até melhor que os Eua (pelo menos tem saúde pública). Ou Austrália etc..

      • th!nk.t4nk

        Também nao culpo quem decide ir pra fora, mesmo que seja pra ter uma profissao mais simples. Cada um na sua. Acho uma tremenda bobagem ficar martelando a tecla de “ai dizer que outro país é melhor é ter complexo de vira-lata”. Que bobagem. Lógico que nao é absolutamente tudo melhor nos países de primeiro mundo, mas no mínimo uns 90% de tudo é melhor sim. A questao da saúde nos EUA é um problema, mas isso é compensado de inúmeras outras formas. E como dito, existe Canadá, Austrália, UK, Nova Zelandia, etc. Em todos esses países fala-se inglês e a qualidade de vida é excelente.

    • Alexandre Furtado

      É bem certo que faremos nossa parte, Engraxate é melhor Jair se acostumando com as mudanças,,,pra alguns o sol brilha,,pra outros nasce quadrado kkkkk

      • Engraxate

        kkkk
        ]ainda bem que agora vem bolçonaro vai prender os ladrão fuzilar tudo e proibir a viadagi

    • Cássio

      Brasileiro vai ao exterior e quer ser tratado como primeiro mundo, coisa que definitivamente NÃO É.
      Brasil é América Latina. E nem é complexo de vira-latas não.
      Já tive oportunidade de morar fora e morei por um tempo, mas voltei por causa da família. Se eu realmente decidir ir para sempre, será com muita grana para poder chegar lá de igual para igual. Até lá, como vc diz, eu não reclamo não, afinal, o Brasil paga o meu sustento. Tenho mais é que agradecer.

      • Engraxate

        Nem com grana. Engenheiro brasileiro pode ser mais qualificado, mas nunca será chefe de engenheiro alemão na Alemanha. Nunca

        • Luciano RC

          Porque diferente desse país que gosta de se achar lixo, em qualquer país o empresário prefere investir no seu cidadão e não contratar gente de fora achando que é melhor (mesmo sendo).

          Aqui não… contratar o gringo da status e ainda acha que ele é melhor. Tem gente que acha que os médicos cubanos ai são melhores.

      • th!nk.t4nk

        Depende Cássio. Nos EUA de fato rola uma discriminaçao um pouco mais forte com estrangeiros (idem na Itália), mas em inúmeros outros países os brasileiros são muitíssimos bem-recebidos. Digo mais, sao melhor tratados do que no próprio Brasil sim senhor. Vivo há bons anos fora e nem de longe tenho o mesmo tratamento e respeito no Brasil, que tenho no exterior, mesmo atuando na mesmíssima profissão e cargo que eu atuava no BR. E ao longo dos anos ouvi dezenas de depoimentos de outros brasileiros com a mesma sensaçao, incluindo cozinheiros e até faxineira. Lógico que nao se pode generalizar, mas na minha vivência os brasileiros no geral são mais respeitados no exterior do que no próprio país sim, por incrível que pareça.

  • Maycon Farias

    ”Na lista abaixo, os preços em dólar variam de US$ 12.110 a US$ 17.950”… Perae, tocaram a campainha daqui de casa, deve ser a tristeza de mãos dadas com a depressão.

    • MG

      …com pitadas de melancolia

      • Engraxate

        Que nada, os preços que as montadoras aplicam no Brasil — para custear os lucros exportados para as matrizes — têm pitadas de psicopatia, como diria o nobre Gilmar

        • MG

          Barroso

  • Filipo

    Faltou comentar que essas versões de entrada já vêm de série com ESP e TCS.
    Já por aqui…
    No Brasil cobra-se mais por menos. Bem mais! Hehe.. Nenhuma surpresa nisso, mas é duro de ver tal diferença, sempre.

    • Robert Dniro

      E também multiplos airbags, aqui só os frontais e o resto que se dan…..

    • tech76

      Lá qualquer carro, desde o mais barato (Nissan Versa), vem com no mínimo airbags frontais, laterais e de cortina (6AB), controle de estabilidade (ESP) e sensor de pressão dos pneus.

      Tem compactos como o Chevrolet Spark (o Onix deles kkkk) que vem com 10AB de série.

      Fora que há alguns modelos abaixo de 20.000 USD que possuem frenagem automática de emergência, como o Yaris, Corolla, Prius, Civic, e, abaixo de 25.000 USD, Gold, Impreza, Sentra, Renegade, Crosstrek, Forte, Mazda CX-3.

      Em 2022, 20 montadoras já assinaram um acordo com o IIHS e NTHSA que todos os carros vão vir com frenagem automática de emergência de série.

      É fácil comprar carro seguro lá, realmente é duro ver o que oferecem aqui, mesmo carros de R$118.000,00 como o Corolla não oferecem a frenagem automática que está disponível nos EUA por 19.000 USD. Ridículo.

      • Engraxate

        Apenas uma pergunta:
        Vc tem toda essa preocupação e faz tal comparação com os EUA porque gostaria de ter um carro seguro para transportar sua família?
        PQ se vc for um jovem de 18-20 e poucos anos, já te digo: a molecada dessa idade lá anda nas ratoeiras mais inacreditáveis do mundo (ex Nissans velhos) com motores LS V8 de Corvette, colocados na própria garagem, geralmente sem cinto e com o celular na mão.
        Ou seja, muito disso aí é preciosismo…

        • tech76

          Bom, toda essa preocupação e comparação é pq o que mais importa pra mim em um carro é a segurança, o que limita muito as opções de compra de carros aqui no Brasil. E o que me entristece são as várias opções de carros com segurança que tem lá, tanto zero km como usados. Depois de muita pesquisa comprei um carro razoavelmente seguro, aprovado no Small Overlap do IIHS (que reprovou muitos carros), ano 2013. Não ando sem cinto e nem com o celular na mão. O Brasil é um dos países que mais mata no trânsito, então penso que minha preocupação é justificada.

          Morei nos EUA um tempo e não vi isso que você relatou, até carros de Lift (um aplicativo mais barato que o Uber) são sedans grandes de 2012 pra cá, como Accord, Fusion, Camry, o pior carro que peguei em aplicativos de transporte foi um Cruze sedan 2012.

          • Engraxate

            A segurança é importante, mas saiba de uma coisa: os acidentes no Brasil matam tanta gente por falta de infraestrutura nas rodovias. Compare os dados de mortes de pistas como Anhanguera e Bandeirantes, com BR’s de pista simples, muitas vezes sem sinalização.
            Ou seja, vc pode estar a bordo de um carro com 237 airbag’s, se uma Mercedinha 1113 vier ultrapassando na curva…
            Claro, ajuda? Óbvio, pode ajudar muito, dado que isso envolve inúmeras probabilidades. Mas não é garantia de segurança nessa malha viária caótica que temos.

            • tech76

              Mas então, eu concordo, infraestrutura, inclusive nas cidades com péssimo planejamento e péssima sinalização contribuem muito para o aumento do número de mortes.

              Porém, quanto a isso não posso fazer nada, a única coisa que posso fazer é o que está a meu alcance como dirigir de maneira responsável e comprar o carro mais seguro que minhas condições permitam. Não é garantia, mas é o máximo que eu posso fazer pra eu ter mais segurança.

              Quanto a essa parte “E sim, eles andam acima da velocidade, sem cinto, e ainda por cima
              fumando em um vaporizador, acompanhados de uma grande coca de 500mL”, acredito que há bastante gente que faça isso por lá, principalmente jovens, ainda mais que lá pode dirigir com 16 anos, mas acredito que não dá pra generalizar, não deve ser a maioria que é irresponsável dessa maneira.

              E eu sei que a maior parte do povo lá não tem esse medo: “Não há todo esse medo de que um carro sem aprovação em crash test vai te matar logo na primeira esquina”, mas lá há dois institutos, o NTHSA e o IIHS que se encarregam de pressionar as montadoras a oferecer carros cada vez mais seguros. Inclusive, carros menos seguros e com menos itens de segurança possuem seguro mais caro lá. Enquanto no Brasil não há nenhuma preocupação com testes de segurança (pelo menos ESP vai ser obrigatório aqui a partir de 2020 para novos lançamento e 2022 para todos).

              Bom, meu ponto é: se alguém se importa com segurança e quer ter um carro seguro lá, é muito mais fácil e muito mais barato, afinal qualquer carro zero ou usado a partir de 2012 tem no mínimo uma estrutura razoável, 6AB, ESP e sensor de pressão dos pneus, e se a pessoa tiver a partir de uns $12.000 pra gastar em um carro lá já consegue pegar um usado com estrutura excelente (nota máxima), uns 8AB, ESP, frenagem automática, alerta de ponto cego e tudo mais.

              • Engraxate

                Que lá é mais barato, com toda certeza.
                Afinal eles produzem tecnologia, nós compramos tudo importado.

                E realmente, o que mais pode nos dar segurança é dirigir com responsabilidade.

                Eu não quero afastar suas premissas, só acho que existe uma grande glamourização acerca dos EUA, sendo que a molecada lá (que é fanático por carro) são bem malucos.
                Tem carro com xenon para todo lado, arrastando no chão etc.
                Sem contar o pessoal das picapes com rodas gigantescas, o que pode causar acidentes gravíssimos… Na Flórida é o que mais tem.

                • tech76

                  Pois é, maluco tem em todo lugar, não penso que lá seja perfeito… o negócio é fazer a nossa parte…

                  A mortalidade no trânsito aqui, na minha opinião é a soma de fatores negativos: infraestrutura ruim, falta de conhecimento/habilidade dos motoristas, irresponsabilidade no volante, carros inseguros e falta de informação e preocupação da população com segurança. Se, como nos EUA, aqui melhorasse a infraestrutura e a questão da segurança dos carros já ia ajudar bastante na diminuição de fatalidades no trânsito.

                  Essa questão de picapes é complicado mesmo lá, o IIHS já abordou esse assunto, quanto mais alto o carro, maior a chance de danos aos passageiros de outros veículos mais baixos. Inclusive por pressão do IIHS houve um compatibilização das novas picapes, com tipos de materiais para deformação diferentes e para-choques diferentes, além da altura do chão dos para-choques ter diminuído, pra ocasionar menos danos a veículos menores.

            • Nicolas_RS

              E agora pq mata por falta da infraestrutura, vamos desleixar na questão de segurança dos carros? A maioria das mortes no Brasil no transito é devida a falta de punição de quem dirige bêbado por exemplo, vou dar um exemplo bem HIPOCRITA por parte da lei brasileira. Se uma moto por exemplo, trocar o escape por aqueles barulhento e for parado em uma Blitz será recolhida a moto(coisa que eu com concordo), POREM se uma CARRETA for parada pela PF, e tiver pneus carecas, até mesmo estourados, falta de freio, motorista com sinais claros de sono, sabe o que o a PF faz? Entrega um papel(multa) e manda continuar viagem.

        • Luciano RC

          Engraxate… eu queria ter no Brasil a opção de comprar um Modelo abaixo de 100 mil reais com 10 Air Bag e repleto de itens de segurança ativa… cheio de recursos de segurança e tecnologia. Daqueles de arrepiar mesmo.

          Controlador de velocidade com leitor de faixas, placas e que mede a distancia do carro da frente, poder ter a câmera de 360 graus, sensores pra tudo que é lado, câmera noturna, sensor de tudo e mais um pouco.

  • Natán Barreto

    Nos modelos de entrada como Fiesta, Versa e Fit os preços não variam muito (apesar de sabermos que lá o carro tem qualidade superior e mais equipamentos).

    fica ruim mesmo quando vemos que o lucro das montadoras no segmento médio. Lá Cruze, Cerato, Elantra e Focus começam praticamente na mesma faixa de preço que Fit, Fiesta e cia, só que aqqui custa 30 mil mais caro sem justificativa,

    • Matthew

      Bem observado. É que lá Cruze, Corolla e Focus são carros normais, tipo o Prisma para os brazucas. Só que aqui são vendidos como carro de luxo, sobrepreço absurdo, mesmo para os padrões ridículos do nosso mercado.

    • MMM

      A diferenca é que os medios brasileiros comecam relativamente bem equipados no Brasil. Cruze basico vem com rodas de ferro aro 15, cambio manual e bancos em tecido. Não existe esse tipo de versao no Brasil.

      • Natán Barreto

        Mas mesmo com roda de ferro e bancos de tecido o carro é mais seguro, mais equipado e com câmbio automático.
        Os modelos de entrada lá são obrigatoriamente mais equipados que os nossos, em alguns casos até que os tops.
        Pq aqui se preocupam com perfumaria como rodas e multimídia. Lá o carro deve ter pelo menos 10 airbags de série

        • MMM

          Sim, eu sei, o que quero dizer é que não dá pra fazer essa comparação com o segmento de baixo. Fiesta, Versa e Fit de entrada sao pelados nos Estados Unidos e no Brasil. Cruze, Corolla e Focus de entrada sao pelados nos Estados Unidos mas sao mais completos no Brasil. E

      • Luciano RC

        Na vdd, o de lá deve ser até mais caro de produzir de forma simples. Porque ele tem muito mais equipamento de segurança e tecnologia, muito mais qualidade de acabamento e principalmente de estrutura.

        Esse teste novo que fazem lá (aquele que bate só uns 20% do carro) foi um golpe no queixo das montadoras… todo mundo precisou se ajustar e melhorar suas plataformas.

        • MMM

          Sim, mas estou me referindo a outra coisa. A diferença de preços entre Brasil e Estados Unidos é maior em carros médios, pq os compactos de entrada vem pelados nos dois países, enquanto os médios no Brasil vem mais equipados.

          • Luciano RC

            Amigo… eu percebi que existe carro pelado com equipamentos de entretenimento e estética… porque em segurança, o mais básico humilha o Brasileiro top.

  • Eduardo Sad

    Bom, pela matéria e, numa comparação “nua e crua” Sentra e Cruze tem o mesmo preço lá fora e aqui, o GM é 14mil mais caro. Sei que o modelo do Sentra lá pode possuir mais equipamentos que o daqui além de diversas variáveis não ponderadas. Mas não poderia perder a oportunidade de perguntar: e aí GM, dá pra diminuir um pouquinho a gula pelo lucro no Cruze???

  • Ricardo

    Aqui no Brasil paga-se R$ 40.000 a mais por um carro com um motor um pouco mais forte, um acabamento melhorzinho e um pouco mais de espaço e qualidade, enquanto nos EUA essa diferença é de apenas $ 5.000.

    • Luciano RC

      Olha… do jeito que nosso mercado chegou, não tem mais jeito. Hoje, se tivesse uma forma de solucionar o problema dos preços, o mercado ia virar uma guerra.
      O Brasil não tem cultura para ter carro barato e opção.

      Imagina ter um popular por 15 mil reais? Só se o Governo cortasse o crédito dos bancos… caso contrário, ele ia vender 50 mil unidades/mês e transformar nossas ruas em guerra.

      • Cosi fan Tutti

        Isso nao existe, em mercado maduros esses carros hiper baratos nao vendem tanto, pois se tem modelo X por 15, um modelo Y de maior qualidade vai ser 25, as pessoas vão preferir este. E outra, hoje quem compra carro usado por 15 compraria ao invés de um antigo um novo, zero, menos poluente e mais seguro. Então essa fala que o pais iria encher de carros nao tem fundamento.

        • Luciano RC

          Tudo abaixaria meu amigo… imagina o Golf custando 50 mil? O Polo custando 30 mil? O Civic custando 55 mil reais?
          Eu que tenho poder de comprar dois carros de 100 mil, compraria 4. Entende a lógica? Sem transporte público e sem cultura, aumentar o preço é até um freio para o mercado.

          • Cosi fan Tutti

            Desculpa mas isso nao existe. Ninguém compraria 4 carros so pq e barato. Assim como quem tem grana pra pega um Corolla nao 4 Kwid ao invés dele. O que acontece quando se diminui o preço e que as pessoas pegam coisas melhores, quem pegaria corolla pega BMW pelo valor, quem pega Prisma pega civic ou corolla pelo valor, e quem tem 15 mil e so tinha opção de compra usado passa a comprá zero. Preços altos nao impedem ninguém de compra nada, so rebaixa a escolha.

            • Luciano RC

              Quando baixar os preços, você vai ver. Ah, esqueci que nunca vai abaixar e nunca podemos saber disso.

              • Cosi fan Tutti

                Kra, eu conheço varias pessoas que tem 3, 4 ou mais carros, mas tudo velho, daqueles que nem paga IPVA mais. Quem quer comprar varios carros compra, não importa o valor, compra mesmo aquelas lata velhas de 1,5 mil. Se vender carro a 15 mil, como eu disse antes, quem já compra carros por esse valor, mas usados, passarão a comprar novos. E quem compra carros acima, vão subir de degrau, e por ae vai. Não tem esse negócio de que se um Corolla custasse 50 mil quem tem 100 mil compraria 2 kkk, claro que um ou outro sim, mas se Corolla custar 50, Mercedes vai custar 80 e Porsche 100 e por ae vai, então a pessoa vai no melhor, ou vai investir em outras coisas.

                • Luciano RC

                  Falo pelas pessoas que conheço… se ficasse barato, comprariam mais ainda. É exatamente o que escuto aqui.

                  • Cosi fan Tutti

                    E dae, metade deles ia fica parado na garagem por causa de rodizio ou congestionamento. Iriam usar msm pra ir pra alguma fazenda, chacara ou praia.

                    • Luciano RC

                      Mas venderia… vai revezando de carro. Meu sogro mesmo tem 3 carros, eu tenho dois… é algo normal. Quem vive a realidade entende o que estou falando.

                    • Cosi fan Tutti

                      E o que isso tem de ruim numa sociedade capitalista?

                    • Luciano RC

                      Pra mim só tem coisa boa… mas o banco de retardado defensor de corrupto acha ruim.

              • Cosi fan Tutti

                Um ex. são mercados maduros como Eua e Europa, Japão etc.. Nos Eua mesmo tendo esses carros ae qual os mais vendidos? As pick-ups grandes, que começam em $25 mil. E os sedans médios (grandes pra nós), a partir de $20 mil. Dos baratos os únicos que aparecem no top 10 deles é Corolla e Civic, mesmo assim vc viu ae opções mais em conta. Na Europa o mesmo, mais vendido é o Golf mas nas listas do top 10 de cada país tem de tudo, inclusive Mercedes, BMW e Audi. Japão tem no seu top 10 tudo carros híbridos ou elétricos, que sabemos são mais caros que suas versões a combustão. E outra estes países tem programas de troca de carro frequentemente, pra aproveita novas tecnologias e poluir menos.

  • Ricardo Blume

    Engraçado que a maioria fica na casa dos USD 16.000-17.000 mas os valores praticados no Brasil oscilam de R$48.000 a 96.000.

  • Erivelton Freitas

    Quando eu leio ‘PowerShift’, eu penso em morte!

    • Johne Edder

      Segundo quem tem, o nome correto é PowerShit!

  • Marmaduke

    E os VW?

  • Juliano De Bortoli

    Os preços não fecham porque o site comparou versões diferentes entre os EUA e Brasil. O Cruze, por exemplo, não existe por aqui em versão L manual, somente LT automática. Poderiam ter atentado a isso e a matéria passaria a ter alguma utilidade…

  • Cássio

    Para os críticos de plantão da Honda, veja que o Fit foi o que menos teve disparidade de preço na conversão do dólar para o Real, vejam.
    Honda Fit: US$ 16.190 – R$ 58.700. Taxa de conversão de 3,62 do dólar. (dessa lista, teve a taxa mais próxima da cotação oficial)
    Kia Soul: US$ 16.200 – R$ 87.990. Taxa de conversão de 5,43 do dólar.
    Cruze: US$ 16.975 – R$ 96.790. Taxa de conversão de 5,7 do dólar. (dessa lista, teve a taxa mais absurda)

    • Maycon Farias

      De qualquer forma nenhuma delem vale. 16 mil dólares para 1 salário mínimo norte americano é pouco, mas 58 mil reais para 1 salário mínimo brasileiro é muito. Isso é que realmente assusta.

    • Louis

      Eu achei o Fit caro em relação aos outros de lá. Fit com preço encostando no Cruze. Talvez porque lá não tenha Fit capado como os nossos de entrada…

  • Fabão Rocky

    O q mais me irrita é como brasileiro é tão acomodado, conformado e c/ um pensamento tão limitado q qdo temos a capacidade de pensar mais além e nos inconformamos c/ o nosso governo corrupto e a atual situação do país, somos taxados de ter “complexo de vira-latas” e ainda acham q somos obrigados a amar uma pátria q não nos ama e sim nos escraviza. Verdade seja dita, brasileiro só se lembra de ser “patriota” de 4 em 4 anos e só fica revoltado qdo o seu time de futebol predileto perde uma partida.
    Vc ficou c/ vergonha do 7×1 q o Brasil tomou da Alemanha na Copa de 2014? Eu não fiquei não meu amigo. Vergonha é não ter hospital, segurança, educação e transporte públicos q se preze. Vergonha é no ranking mundial de qualidade de educação, entre os 76 países avaliados, o Brasil ocupar a 60ª posição. E a pior parte da história é 90%, senão 99% da população tá pouco se lixando p/ isso. Enquanto tiver novela, BBB e futebol na tv, carnaval e cerveja gelada no copo, tá tudo lindo e maravilhoso! E viva o pão e circo!

    • Dario Lemos

      Um triste retrato de nossa realidade. Desde criança eu escutava que este era o país do futuro. Mas de que futuro? Não existe mais futuro aqui, a maioria do povo quer um Estado assistencialista, não importando se existe corrupção ou não. Isso aqui acabou, quem puder ir embora, que o faça. A única solução que vejo é uma remotíssima possibilidade de uma guerra civil, é a única maneira de se mudar a cultura e mentalidade de um povo mas nem para isso o brasileiro serve.

  • Hodney Fortuna

    Gente! Por falar em Powershift, como está esse câmbio nos modelos 2018? Continua a mesma m…. ou melhoraram a qualidade?

  • Ricardo

    Acho que nos EUA eles não tem essa cultura de financiar, por isso os preços são bem mais justos! Queria ver aqui no Brasil um “pobre” comprar um carro de R$ 40.000 à vista ou em poucas parcelas se não pudesse financiar!

  • Felipe S. Rangel

    fiesta S2

  • Leonardo M. G.

    Impostos maiores para renda e menores para consumo dão nisso…

    Dá pra notar também que os sedãs médios tem o valor bem maior por aqui, proporcionalmente. É só comparar os preços do Versa e do Sentra por lá e por aqui. Provavelmente deve ser por causa daquela lei bocó de redução de impostos pra carros 1.0 (sem levar em conta a pegada de carbono e o consumo, apenas a litragem do motor – pega o consumo do motor 1.0 e do 1.6 da Nissan no Versa, são QUASE idênticas em média no INMETRO).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email