Top 10: Comerciais provocantes de carros

A guerra entre as marcas de automóveis muitas vezes pára na TV com comerciais provocantes de carros, que se tornam atração, ainda que não sejam totalmente éticos e muitas vezes acabem proibidos.


A batalha entre as marcas no campo do marketing não é nova, tendo sido veiculados no Brasil, alfinetadas de marcas de carros contra outras desde os anos 60.

Nos EUA, isso é bem normal em diversos setores e o automotivo não difere, assim como na Europa. Muitas vezes, contudo, as marcas extrapolam o bom senso e metem os pés pelas mãos.

Por aqui, após os anos 60 e 70, apenas na década de 90 é que a coisa ficou mais aguerrida nos departamentos de marketing, com comparações de preços e vantagens dos produtos sendo exploradas ao máximo.

Ainda assim, existiram alguns comerciais provocativos envolvendo carros numa época caracterizada pela entrada de marcas estrangeiras. Tivemos de tudo, de russos contra alemães e até de coreanos versus coreanos…

Nesta matéria Top 10, escolhemos 10 comerciais provocantes de carros, sendo alguns estrangeiros. Embora sejam 10, podemos dizer que este é um “Top 17”.

Por vídeos, só a inglesa Jaguar tem três mensagens aos alemães… Contudo, em questão de provocar os rivais, a Nissan pode ser considerada a “melhor do mundo”.

Não, você não entendeu errado. A mensagem acima é a que abre esse Top 10 com a marca japonesa sendo disparada a mais “hilária” em suas ações. Ela também levou a sua, mas de forma bem discreta.

A Fiat também botou as manguinhas de fora e até mesmo a Hyundai, quando ainda não era a “melhor do mundo”. Renault, Volkswagen e Ford tentaram a sorte também.

Confira as mais de 150 listas Top 10 que temos no nosso site!

Confira abaixo 10 comerciais provocantes de carros:

1) Fiat Freemont mexe com anúncios da Hyundai CAOA

Ainda que a Fiat não tenha explorado seu potencial para um marketing mais agressivo em comerciais, a marca italiana — polêmica em muitas propagandas no exterior — decidiu lavar a alma com o Freemont.

O SUV de sete lugares, baseado no Dodge Journey “chegou chegando” ao mercado nacional e provocou ninguém menos que a Hyundai CAOA, na época a “melhor do mundo”.

O marketing de Betim decidiu mexer com os anúncios pomposos da coreana, representada pelo grupo brasileiro, com nada menos que cinco comerciais do Freemont.

Teve sacarrolha, caneta, maçaneta de porta e joelheiras como as melhores do mundo, entretanto, até a paisagem do comercial foi enaltecido nos moldes da CAOA. A Fiat não esqueceu nem da narração, imitando o locutor que narra a propaganda da Hyundai.

Apesar de a Fiat dizer o que muitos gostariam de ouvir, seu SUV mexicano passou longe de ser um rival forte para players como o Hyundai Santa Fé, na época o “melhor do mundo”.

Hoje, todavia, a CAOA trocou a Hyundai pela Chery, que atualmente é a… Bem, você já sabe.

2) Nissan Frontier satiriza agroboys de Hilux e Amarok

Conhece a dupla “Railuque & Maloque”? Bem, com ela, a Nissan — na época já bem conhecida por seus comerciais “fora da curva” e pelos pôneis malditos — decidiu mexer com duas rivais da Frontier.

A propaganda engraçada criou uma dupla sertaneja que não era sertaneja para atingir as picapes Toyota Hilux e Volkswagen Amarok, alusivas nos nomes da dupla de cantores.

Contudo, o que era para ser um ataque direto às concorrentes da Frontier, acabou virando uma sátira ao estilo de vida de alguns consumidores, identificados pela gíria “agroboy”.

A ideia é que as picapes citadas são compradas por pessoas que não as usam no campo, chamados “cowboys de posto” e representados pelas picapes rivais.

Bom, no final do comercial, a Nissan reafirma novamente a proposta de atingir suas rivais e com lama, enaltecendo sua capacidade off road da Frontier.

Por sorte, as meninas escapam, mas a dupla “sertaneja” não… Enfim, não sabemos qual foi o impacto do comercial em donos de Hilux e Amarok, mas se você for um deles, comente.

3) Nissan Livina joga dinheiro para cima – Idea é cara

Além dos agroboys e suas picapes, a Nissan partiu para uma ação mais direta e, desta vez, jogando dinheiro em pleno centro de São Paulo.

Em outro “comparativo” de preços de sua Livina, a Nissan apontou a Idea como um carro mais caro, por isso, disse claramente ao consumidor: “não compre gato por lebre”.

Ao som de uma dupla de repentistas, a propaganda diz aos consumidores para não serem loucos e nem jogar dinheiro fora, indicando a Livina como melhor compra.

Nesse caso, por uma diferença de preço de mais de R$ 5,5 mil na época, mas a polêmica no caso é que a Nissan jogou dinheiro na rua e o distribuiu aos transeuntes em locais na região central da capital paulista.

O comercial é tido como proibido pelo CONAR, o conselho nacional que regulamenta a propaganda no Brasil. De qualquer forma, vários canais mantêm o comercial da marca japonesa e você pode conferir. Idea ou Livina? Qual é a melhor?

4) Nissan Tiida provoca Focus por lucro em preço alto

Na década passada, a Nissan deitou e rolou com seus comerciais polêmicos e um deles, sem dúvidas, é o que envolve rappers e o Ford Focus.

Outro proibido da Nissan, o comercial enfatiza que os consumidores sustentam o luxo dos donos das montadoras ao pagar mais por um carro.

Nesse caso, a comparação com o Focus tem como alvo enaltecer o Nissan Tiida, oferecido com motor 1.8. O Focus em questão, tinha a oferta com motor 1.6, ainda que o mesmo tivesse a opção 2.0, inexistente na japonesa.

O comercial bem-humorado provocou muitos debates na internet em torno exatamente do preço, mas não do Focus e sim dos carros, geralmente, por consequência do lucro das montadoras.

5) Nissan Livina provoca GM, Honda e Fiat

Na época dos comerciais polêmicos, a Nissan arrumou briga com a General Motors, que se queixou ao Conar e entrou na justiça contra outra propaganda da japonesa.

Nesse caso, tratava-se da campanha “Alvo” da Nissan, onde executivos das marcas Honda, Fiat e, logicamente, General Motors, reclamavam de seus subordinados.

O motivo seria o sucesso da Nissan Livina em comparativos de revistas e jornais, assim como em outras comparações. No caso da GM, o comercial cita a Chevrolet Meriva.

O técnico da GM, sentado em uma prancha sobre uma piscina com um tubarão-branco, aguarda aterrorizado o chefão acertar o alvo, o que não acontece. O logo da GM aparece em destaque.

Na Honda, o chefe japonês faz o conterrâneo subordinado chorar sobre um tanque em chamas. Por fim, outro executivo, desta vez italiano, reclama de seu subalterno brasileiro.

No entanto, nesse caso da Fiat, o técnico na prancha é o único a reagir e tira um sarro do chefe gringo, que não consegue acertar nem o alvo. Os modelos Honda Fit e Fiat Idea também são citados.

Esta propaganda da Nissan, envolvendo três marcas rivais, foi retirada do ar, mas na internet, ficou para contar história.

6) VW Gol Turbo compara Fiesta Supercharger a geladeira

No começo dos anos 2000, a sempre sisuda Volkswagen ousou entrar no jogo da provocação ao ver o Fiesta Supercharger ser lançado pela Ford no Brasil.

O hatch compacto, rival do Gol, foi o único carro nacional — além do EcoSport — com compressor volumétrico na categoria de entrada e isso mexeu com o pessoal da vizinha VW, na Anchieta.

Com o Gol Turbo, na “geração” G3, a Volkswagen valorizou a performance e a tecnologia do primeiro downsizing do mercado nacional, que incluía naturalmente a proposta da Ford.

Então, para mexer com a Ford, comparou o Fiesta Supercharger a um eletrodoméstico, no caso, uma geladeira. A propaganda é quase toda no padrão da VW da época, exceto pelo final, onde um homem desce uma ladeira sobre o refrigerador.

O narrador aponta que o concorrente, sem indicar o nome e a marca, possui um motor com compressor, que seria inferior ao turbo do EA111 1.0 usado no Gol 16V Turbo.

Apesar da diferença de potência a favor do VW, assim como de sua concepção ousada para a época, o Fiesta seguiu o que a Ford dispunha na ocasião, mas ambos acabaram fracassando no mercado, onde o motor 8V reinou sobre todos por anos…

7) Hyundai Accent tira sarro de Twingo “engraçadinho”

O Renault Twingo da primeira geração é um dos carros mais versáteis e econômicos já feitos, porém, seu estilo é controverso. Mesmo sendo querido por muita gente, na época, seu visual e proposta foram questionados por alguns e a Hyundai CAOA se aproveitou disso.

Assim, para promover seu modelo Accent, numa época em que a Hyundai ainda não era uma das newcommers, a marca fez uma propaganda tirando o sarro do Twingo, chamando-o “carro engraçadinho”.

No vídeo do comercial, o proprietário do Twingo se sente constrangido com o visual de seu carro a partir das reações de vizinhos e outras pessoas no dia a dia.

Inseguro quanto ao carro que tem, se surpreende com o desempenho do Hyundai Accent ao ser ultrapassado pelo mesmo. Assim, ele acaba trocando o carro engraçadinho por um modelo mais tradicional, de origem coreana.

O Twingo tinha motor 1.2 de 8V com 55 cavalos, tendo consumo médio de 13 km/l. Era uma proposta descolada numa época em que já existiam os carros populares nacionais.

Já o Accent tinha motores 1.3 de 70 cavalos ou 1.5 com 88 cavalos, este com consumo médio de 13,8 km/litro… Ainda que sejam raros hoje em dia, é mais fácil ver um Twingo rodando que o coreano.

8) Hyundai Veloster usa a “morte” contra o Focus

Muito polêmico, esse comercial da Hyundai para seu produto Veloster, deu muito que falar na Europa e foi, logicamente, proibido. Tendo a morte como tema, a propaganda enaltece as três portas do cupê da marca coreana.

No comercial, um aparente táxi na forma do Ford Focus transporta uma jovem no banco traseiro e ao parar num determinado lugar, ela decide descer do carro usando a porta do lado esquerdo.

Logo ao fechar a porta, a mulher nem tem tempo de dar um passo, sendo atingida por uma picape grande em alta velocidade, no melhor estilo dos filmes de terror.

Nisso tudo, está a morte em sua forma romantizada, que praticamente abre a porta traseira do Focus para a moça sair. Todavia, a cena é revista novamente, mas desta vez, a garota está no banco traseiro de um Hyundai Veloster.

Parando no mesmo local, onde a “morte” já lhe espera, a mulher faz menção de sair pela esquerda, mas o Veloster não tem porta deste lado do carro. Fora do veículo, a “morte” quer abrir, mas não encontra a maçaneta, inexistente ali.

Diante disso, a jovem sai pelo outro lado do Veloster e a “morte” é colhida pela mesma picape grande de antes, sendo assim levada. A questão da morte de alguém é sempre um ponto delicado em qualquer propaganda e os europeus evidentemente não gostaram nada…

9) Ford Fiesta responde ao Tiida com Hip Hop

A rivalidade entre Ford Fiesta e Nissan Tiida foi grande na Europa e a marca americana resolveu revidar um ataque anterior da japonesa com um comercial envolvendo o Hip Hop.

No enfrentamento entre Belo Lopez no Fiesta e outro rapaz no Tiida, a Ford mostrou que a sintonia a bordo de seu carro compacto era muito maior que a do hatch nipônico.

Não chega a ser uma propaganda empolgante, mas a Ford usou um recurso muito visto no Brasil dos anos 90, quando usava o ator Pedro Cardoso para fazer comparativos da marca na TV.

Aí, a Ford usou o ritmo das ruas para dar um baile na rival Nissan, praticamente sem ritmo nos detalhes do Tiida que, no final da disputa, acabou indo embora sem empolgar ninguém.

Na Europa, a campanha foi chamada de “Hipnótica” e, no final das contas, o Fiesta continuou sendo um dos players mais fortes do mercado, com o Tiida sumindo do mapa algum tempo depois…

10) Jaguar compara Audi, BMW e Mercedes a pastores alemães

Ingleses e alemães nunca se bicaram. No segmento de luxo, o mesmo acontece com a Jaguar, enfrentando o trio alemão do mercado premium. Para mexer com os germânicos, os britânicos do felino usaram justamente seu animal para afugentar os rivais.

Em dois comerciais, a Jaguar explorou o felino contra os alemães, primeiro com um homem passeando num parque com uma onça-pintada. Detalhe, a mesma estava sem coleira… Bem, desfilar com uma pantera em plena rua ou parque já é realmente anormal, não é mesmo?

No tal parque, um adestrador com três pastores-alemães, vê seus cães saírem correndo diante do Jaguar que se aproxima, indicando que os cães seriam Audi, BMW e Mercedes-Benz. O comercial é do F-Pace.

Outro comercial ocorre num estacionamento, onde um XFR para diante de seus rivais RS6, M5 e AMG E63. Ao fazer roncar seu V8 5.0 Supercharged, o Jaguar espanta o trio alemão, assim como a onça em relação aos pastores-alemães do parque.

Por fim, num terceiro comercial provocante, a Jaguar rebate uma propaganda ofensiva da Mercedes-Benz, que usou uma galinha para mostrar as tecnologias de seus carros diante dos ingleses. Na revanche, a britânica deixa a pantera devorar a ave…

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.