Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Onix Plus

Muitos consumidores acabam deixando de considerar alguns pontos importantes, como uma lista de equipamentos mais recheada e uma motorização mais moderna, para focar em outros alvos, como a desvalorização mais baixa, no momento da compra de um carro 0 km.

O Toyota Corolla, que inclusive se posiciona como o sedã médio que menos desvaloriza no mercado brasileiro, é um dos bons exemplos disso.


Todavia, o que nem todos sabem é que dá sim para unir o útil ao agradável, levando para casa um carro que é referência no segmento (ou pelo menos um dos melhores entre os representantes da categoria) e que desvaloriza bem pouco.

Pelo menos é isso que aponta a sétima edição da premiação Selo Maior Valor de Revenda, da agência AutoInforme, que foi realizada recentemente. O estudo considerou 102 carros de 20 marcas em 17 categorias, com preços praticados em agosto de 2019 e o preço do mesmo carro (portanto com um ano de uso) doze meses depois.

Confira abaixo uma lista dos 20 carros que menos desvalorizam no mercado brasileiro:

1) Chevrolet Onix Plus – 7,6%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

O veículo com menor desvalorização em 2020 foi o Chevrolet Onix Plus, que venceu pela primeira vez e ainda foi o primeiro sedã a ficar na posição mais alta dessa análise. O modelo teve uma depreciação de apenas 7,6% entre agosto de 2019 e agosto de 2020.

O número não chega a impressionar, pois a família Onix tem boas vendas no país. Porém, vale destacar que boa parte disso é graças ao hatch, que nem apareceu entre os três primeiros de sua categoria quando o assunto é a desvalorização. O Onix Plus é vendido a partir de R$ 69.060 na versão LT com motor 1.0 aspirado de 82 cv e 10,6 kgfm, ligado ao câmbio manual de seis marchas.

2) Toyota Corolla – 8,9%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Confira as mais de 150 listas Top 10 que temos no nosso site!

Não é nenhuma surpresa ver o Corolla por aqui, a menos que você imaginasse que ele fosse aparecer na primeira posição. Conhecido por seus altos preços entre os usados, o sedã da Toyota fechou a última análise de desvalorização com um baixo índice de 8,9%.

Mostrando realmente ser um modelo que não perde muito em seu primeiro ano, o Corolla 2022 tem preços partindo de R$ 125.090 na versão 2.0 GLi, que tem 177 cv e 21,4 kgfm de torque. Já as versões híbridas podem chegar a salgados R$ 164.590.

3) Toyota Hilux – 9%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Outro modelo da Toyota fecha nosso pódio, e novamente sem gerar nenhuma surpresa. Estamos falando da picape Hilux, que tem uma desvalorização de apenas 9% em média no seu primeiro ano.

Com excelentes vendas em sua categoria, apesar do preço cada vez mais alto, a picape da Toyota varia entre R$ 170.190 e R$ 266.690. Sua gama de motores tem as opções 2.7 flex de 163 cv e 24,9 kgfm de torque e 2.8 turbodiesel de 204 cv e 50,9 kgfm.

4) Hyundai HB20 e Honda HR-V – 9,2%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

A quarta posição é de uma dupla que tem pouco a ver entre si, exceto por sua desvalorização de 9,2% no primeiro ano. O Hyundai HB20 teve um índice melhor no ano passado (8,2%), mas continua interessante nesse quesito. Ele custa a partir de R$ 59.390 na versão Sense com motor 1.0 de 80 cv e 10,2 kgfm de torque.

O outro modelo nessa posição é o Honda HR-V, um dos SUVs mais vendidos do país. Ele conta com quatro versões e duas motorizações, sendo que a 1.8 de 139 cv equipa as três configurações mais baratas e a 1.5 turbo de 173 cv aparece apenas na mais cara. Seus preços partem de R$ 108.600.

5) Honda Fit – 9,4%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Outro modelo da Honda em nossa lista é o Fit, que desvaloriza 9,4% em seus 12 primeiros meses na mão do proprietário. Sua liderança folgada no segmento ocorre por falta de concorrência, já que o Fiat Doblo é único que realmente poderia enfrentá-lo.

Mesmo assim, o Fit é um dos modelos que menos perde em seu primeiro ano. Seu valor inicial é de R$ 71.700, preço da versão DX. Ela vem com motor 1.5 de 116 cv e 15,3 kgfm de torque, aliado ao câmbio manual de cinco marchas.

6) Honda Civic – 9,5%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

O terceiro e último modelo da Honda a aparecer por aqui é o Civic, que segue os passos do rival Corolla e apresenta uma baixa desvalorização. Nesse caso, ela é de 9,5% em seu primeiro ano, mostrando que os sedãs continuam excelentes nesse quesito.

Para colocar o Civic na garagem, a marca japonesa pede R$ 112.700, valor da opção de entrada LX. Essa configuração tem o mesmo motor 2.0 de 155 cv das próximas três versões, sendo que a topo de linha Touring vem com o 1.5 turbo de 173 cv.

7) BMW Série 3 – 9,7%

Acima falamos sobre a baixa desvalorização dos sedãs no Brasil, e a presença do BMW Série 3 por aqui comprova isso. Mesmo sendo um modelo muito mais caro que seus rivais japoneses, ele apresenta um índice de apenas 9,7%.

Em 2020, o sedã alemão teve excelentes números nas vendas, assim como diversos outros modelos importados. Seus preços começam em R$ 253.950 e podem chegar a R$ 274.950, isso contando apenas as versões 320i.

8) Volkswagen up! e Volvo XC60 Hybrid – 9,8%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

O que um compacto turvo e um SUV híbrido tem em comum? No caso da oitava posição, os dois apresentam uma desvalorização de 9,8% no primeiro ano, mostrando que poucas listas poderiam ser tão democráticas quanto essa.

O up! é o primeiro modelo da Volkswagen nessa lista, mas isso não vai durar muito, já que ele não é mais vendido pela marca. Por outro lado, o XC60 Hybrid continua sendo uma forte aposta da Volvo, com preços partindo de R$ 359.950.

9) Volkswagen VirtusPolo e Renault Zoe – 9,9%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

A nona posição coloca mais dois modelos da Volkswagen junto com um modelo elétrico da Renault, todos com uma desvalorização de 9,9%. A dupla Virtus e Polo não causa tanta surpresa, pois os dois tem resultados interessantes em seu segmento. Por outro lado, o Zoe não é tão comum nas ruas brasileiras.

De qualquer forma, o sedã da VW custa a partir de R$ 80.390 na versão 1.6 MSI, enquanto o hatch parte de R$ 64.130 com seu motor 1.0 MPI. Já o elétrico francês tem preço inicial em R$ 203.678, o que ajuda a explicar seu baixo volume nas vendas.

10) Toyota SW4 – 10,1%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Na décima posição, temos o caríssimo Toyota SW4. Ele segue a mesma receita do Corolla e da Hilux, apostando forte na confiabilidade da marca, e apresenta um índice de apenas 10,1% de desvalorização em seus 12 meses iniciais.

As versões flex do SUV começam em R$ 223.190, enquanto as configurações com motor diesel partem de R$ 341.290.

11) Ford Ranger, VW T-Cross e Jaguar I-Pace – 10,2%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Modelos com propostas bem diferentes, Ranger, T-Cross e I-Pace compartilham a mesma desvalorização de 10,2% após doze meses de uso. Modelo mais barato da Ford no Brasil após as saídas de Ka, Ka Sedan e EcoSport, a picape começa em R$ 166.790.

Enquanto isso, o T-Cross atua como um dos SUVs mais vendidos do país, com valores entre R$ 102.570 e R$ 134.750. Por último temos o elétrico I-Pace, que custa R$ 508.950.

12) Toyota Yaris – 10,3%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Anterior campeão dessa lista, o Yaris caiu bastante e agora só aparece na 12ª posição. Estamos falando da versão hatch do modelo da Toyota, que tem uma depreciação de 10,3% em seu primeiro ano.

A posição atual condiz com sua colocação no mercado, já que ele está longe de ser um dos mais vendidos no Brasil. Com recentes aumentos de preço, o Yaris hatch não tem mais os preços divulgados no site da marca. Na tabela Fipe, ele parte de R$ 67.500.

13) Honda City e Toyota Corolla Hybrid – 10,6%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Ambos atuam no segmento de sedãs, mas com tamanhos e propostas diferentes. O Honda City briga num degrau abaixo do Corolla, com valores entre R$ 72.100 e R$ 97.700, enquanto as versões híbridas do Toyota custam bem mais, em torno de R$ 151.400.

14) VW Tiguan e Mitsubishi L200 – 10,9%

Outra dupla improvável em qualquer outra lista, mas que aparece junta aqui com a mesma desvalorização no primeiro ano, envolve os modelos Volkswagen Tiguan e Mitsubishi L200, ambos com 10,9% de perda nesse período.

O SUV da VW perdeu suas versões 1.4 TSI e agora parte de R$ 229.150, enquanto que a picape japonesa é vendida por aqui em mais de uma geração. O preço mínimo é de R$ 183.990, enquanto que a nova geração sai por R$ 219.990.

15) Volvo XC90 Hybrid – 11%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Nossa lista é composta por alguns modelos híbridos e elétricos, e um deles é o XC90 Hybrid. O SUV da Volvo perde apenas 11% de seu valor após doze meses na mão do proprietário, o que parece pouco no segmento em que atua. Seu preço inicial é de R$ 449.950.

16) Volvo XC60 e Ford Ka – 11,4%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Outro modelo da Volvo a marcar presença entre os que menos desvalorizam em nosso mercado é o XC60, que parte de R$ 359.950 atualmente. É bom lembrar, porém, que esse já é o valor da versão híbrida, pois a marca sueca agora só trabalha com esses modelos no país.

Com o mesmo índice de 11,4% de depreciação, o já fora de linha Ford Ka compartilha a 16ª posição. Assim como o Ka Sedan e o EcoSport, ele parou de ser fabricado no Brasil em fevereiro de 2021, quando as fábricas da marca fecharam por aqui.

17) Hyundai Creta e Jeep Compass – 11,7%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Outros dois SUVs em nossa lista aparecem na 17ª posição. O primeiro é o Hyundai Creta, que perde 11,7% de seu valor inicial após o primeiro ano de uso e que custa a partir de R$ 93.690.

Junto com ele está o Jeep Compass, um dos utilitários mais vendidos do país e que recentemente foi renovado, recebendo novos equipamentos e o motor 1.3 turboflex. Ele custa a partir de R$ 139.990.

18) Volvo XC90 e BMW i3 – 11,9%

Antes que você pense que o Volvo XC90 está repetido nessa lista, vale lembrar que antes a Volvo vendia modelos a combustão em nosso mercado, o que fazia o SUV ser diferenciado quando o assunto era sua depreciação. A versão convencional tinha uma perda maior, ficando em 11,9%.

O outro modelo citado nessa posição é o elétrico BMW i3, que é bem raro nas ruas brasileiras. Ele é vendido pela marca alemã nas versões BEV Full e Rex Full, que custam R$ 274.950 e R$ 283.950, respectivamente.

19) Mitsubishi Pajero e Outlander – 12,1%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Com tantos empates nas posições acima, esse é um dos poucos entre modelos da mesma marca. A Mitsubishi tem no Pajero e no Outlander dois veículos com uma depreciação no primeiro ano de 12,1%.

O primeiro é vendido nos modelos Sport (R$ 318.990) e Full (R$ 340.990), enquanto o segundo custa a partir de R$ 198.990.

20) Volvo XC40 – 12,2%

Top 20: carros que menos desvalorizam (em um ano) no Brasil

Fechando nossa lista, outro modelo da Volvo, dessa vez o menor SUV da turma. O XC40, que também aderiu à hibridização da marca, é oferecido a partir de R$ 259.950, e conta com uma depreciação em seu primeiro ano de 12,2%.

Os carros com menor desvalorização em 15 categorias

Confira abaixo os carros com menor percentual de desvalorização por categoria:

Volkswagen up! (Categoria de Entrada – Depreciação de 9,8%)
Hyundai HB20 (Hatch Compacto – 9,2%)
Hyundai HB20S (Sedã Entrada – 12,9%)
Chevrolet Onix Plus (Sedã Compacto – 7,6% – Campeão de 2020)
Toyota Corolla (Sedã Médio – 8,9%)
Honda HR-V (SUV Entrada – 9,2%)
Jeep Compass (SUV Compacto – 11,7%)
Volkswagen Tiguan (SUV Médio – 10,9%)
Toyota Hilux SW4 (SUV Grande – 10,1%)
Volkswagen Saveiro (Picape Pequena – 15,1%)
Fiat Toro (Picape Compacta – 13,7%)
Toyota Hilux (Picape Média – 9%)
Honda Fit (Minivan/Monovolume – 9,4%)
Renault Zoe (Elétrico – 9,9%)
Volvo XC60 Hybrid (Híbrido – 9,8%)

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.