Elétricos Híbridos Mercado Toyota

Toyota aponta que incentivos são essenciais para híbridos no Brasil

Toyota aponta que incentivos são essenciais para híbridos no Brasil

Os carros elétricos e híbridos estão ganhando as ruas brasileiras, mas a falta de incentivos deve fazer com que esses tipos de automóveis não sejam populares entre os consumidores. Essa é a visão da Toyota, que defende ajuda tributária para incentivar as vendas de veículos mais limpos no mercado nacional.


Com 11 mil carros eletrificados de alguma forma, circulando no Brasil, o mercado para este segmento ainda é muito pequeno. Diante da produção do Novo Corolla Hybrid em Indaiatuba-SP, a Toyota está de olho no potencial de crescimento das vendas do sedã nessa configuração.

A empresa defende, no entanto, que reformas econômicas sejam feitas antes da introdução de incentivos fiscais para carros elétricos e híbridos. Com menos impostos, esse tipo de veículo cairá no gosto do consumidor brasileiro, é o que afirma Ricardo Bastos, diretor de relações governamentais da Toyota.

Toyota aponta que incentivos são essenciais para híbridos no Brasil


Ele disse: “O Brasil tem potencial para ser um hub para carros elétricos na América Latina. Mas sem as reformas, especialmente a reforma tributária, o alcance ainda será limitado”. Nos últimos anos, carros elétricos e híbridos receberam alguns incentivos fiscais, mas ainda assim, produziram pouco impacto nos preços dos veículos.

Com o Rota 2030, a propulsão eletrificada foi adicionada finalmente à política tributária como as demais categorias de veículos, porém, os preços ainda continuam bem altos para o consumidor. Em junho, taxistas e PCD ganharam isenção de IOF e IPI, o que ajuda nas vendas, mas ainda deixa de lado a maior parte dos consumidores.

O objetivo do governo é favorecer a produção nacional, o que deve se iniciar com o Novo Corolla a partir de outubro, quando chega ao mercado nacional. A versão híbrida, que terá o etanol como um dos combustíveis, não deverá custar menos que as versões flex comuns. Hoje, o Toyota Prius custa R$ 125.450, sendo o híbrido mais barato do mercado.

[Fonte: BOL]

Toyota aponta que incentivos são essenciais para híbridos no Brasil
Nota média 3.3 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • zarath rocha

    Eita japa esperto… agora que vai lançar corolla híbrido, um incentivo ia vender mais q onix.

    • Raimundo A.

      Vão lucrar mais, e isso não quer dizer baixa preço pela análise abaixo.

      Estimam preço do novo Corolla híbrido acima dos R$ 135k tendo o Prius, que é importado, paga imposto de importação, por R$ 125k. A título de comparação, em Portugal, o Corolla híbrido mais barato é 28 mil euros enquanto o mais caro começa em 32 mil euros. O Prius lá começa em 36,5 mil euros. Todos os Corolla são híbrido e o preço é menor que o Prius. Aqui, nós temos a geração antiga, com motores flex, e o Altis está por volta de 122 mil reais, ou seja, quase o valor do Prius que não tem isenção.

      Pouco provável a nova geração usando motores flex não ter aumento de preço e seria ainda mais improvável a configuração híbrida ser mais em conta que o Prius que não é feito aqui.

      Era melhor que importassem o Corolla, pois se no exterior a nova geração com mecânica híbrida é mais em conta que o Prius, importar teria que manter essa lógica. A produção local a nível de consumidor vai mostrar quantos sem noção irão comprar o feito aqui provavelmente pagando mais caro que o Prius.

      Vão justificar que o custo Brasil é alto. Isso não é novidade, mas daí o Corolla NG híbrido ser mais caro que o Prius, será palhaçada. Benefícios tributários vão aumentar o lucro, pois se é para atender híbridos, o Prius teria que baixar o preço e no contexto atual ele seria mais barato que o Corolla normal. A nova geração com mecânica híbrida deveria ser mais em conta que o Prius vendo os preços no exterior. Teríamos uma incoerência do tipo o Prius ser mais barato que Corolla velho. A nova geração do Corolla, que deve ser mais cara que a atual, não deveria subir o preço, mas vão dizer que os custos daqui são maiores. A versão híbrida com benefício tributário ou não provavelmente não seria mais em conta que o só flex, seria mais caros, mas menos, não sendo garantia ter preço abaixo do importado Prius com benefício também.

      Resumo da ópera, híbrido ter benefício não faria ao meu ver o Prius ficar mais barato que o a nova geração do Corolla, porque isso não ocorre no exterior, e só faria o híbrido do Corolla ser menos caro, mas provavelmente ainda teria preço acima do Prius, o que também não é notado no exterior – Corolla Híbrido mais caro que o Prius.

      • 1945_DE

        A Toyota vai dizer que o Corolla Hibrido é superior ao Prius, por isso é mais caro. E o Mercado nacional vai acreditar. Vai vender alguma unidades mais não vai ser significativo. Então, tanto faz.

  • leitor

    O Brasil tem impostos muito altos e precisa apenas que sejam justos pra isso. Pelo menos em cidades maiores onde há trânsito mais intenso e percursos maiores é bem interessante.
    E volto a dizer, para ter uma boa economia é interessante que os motores sejam preparados de fábrica para usar o GNV. Já temos os carros flex para etanol e gasolina e o custo para mais o GNV nem seria tão alto. Com isso haveria no mundo inteiro quem pode se interessar, sem excluir a Europa e a América do Norte. Tem autonomia razoável e empresas de transporte de pequenas mercadorias como encomendas, produtos ou serviços, mesmo como uber e taxis poderiam se interessar devido o custo menor.

    • Faheina

      O complicado pro gnv eh a rede de abastecimento que não funciona além das capitais. Até tentaram aqui no interior mas não durou muito

      • leitor

        Tem razão. Também vamos ver como serão os carros híbridos pelo interior. Principalmente pela questão de valores e de manutenção. Os donos de lojas têm boas condições mas são pequena porcentagem da população pra gerar demanda e justificar o serviço. Se for perto da capital ou de outras cidades que juntas consigam trazer quem preste o serviço, tá bom.
        O ruim de GNV ainda é a questão da adaptação total por conta do proprietário e a revisão anual. É interessante somente pra quem anda muito, no interior são poucos que fazem isso. De 20 a 30 quilômetros por dia demora a compensar, nem vale a pena.

        • Danilo Pelucio

          Abrindo o mercado do gas.

    • TchauQueridos

      Não me importo em pagar super impostos desde que eu não precise pagar plano de saúde, seguro, escola e etc…
      Porém a realidade brasileira é outra, super impostos e ainda você precisa pagar por tudo.

      • 1945_DE

        Conta em dobro é que mata o cidadão neste país.

  • Freaky Boss

    OK, então não faça híbridos.
    FIM

    • leitor

      Antes do fim tenta negociar.

  • 4lex5andro

    Melhor subsídio/incentivo que existe é a extinção de impostos.

    Especialmente em países pobres como o Brasil.

    • Raimundo A.

      Sem imposto, não tem arrecadação para manter serviços públicos. Agora, se você quer os ricos e com renda alta paguem 100% de IR, políticos e outros cargos de alto escalão percam regalias exagerada, aposentaria integrar com tão pouca contribuição, talvez banque as despesas públicas.

      • 4lex5andro

        O melhor ‘serviço público’ que se pode ter é o da liberdade. No Brasil o que acontece é que a liberdade de se empreender é sufocada pra pagar impostos que banquem privilégios das côrtes políticas, em especial a de BSB.

        Nenhum país oferece (ou ofereceu, e nem vai oferecer) serviços públicos europeus, sendo pobre. Mesmo que não existisse corrupção. Isso é a realidade que o Brasil deveria já ter despertado pra isso.

        • Raimundo A.

          O que diferencia países desenvolvidos daqui é pagar imposto justo e os recursos públicos serem devidamente empregados. A diferença de renda dos mais ricos não serem um abismo perante a média da população. Pergunto se iriam reduzindo a carga tributário, patrões, empreendedores, aumentar voluntariamente o salário dos empregados, tipo o salário mínimo hoje quase R$ 1k, para o dito ideal R$ 3,5k. Duvido.
          O que mais se fala é reduzir tributos, necessário, mas não vejo empregador disposto aumentar salários de forma significativa quando o seu lucro aumenta e os custos reduzem. Vai dimensionar o quadro funcional ao aumento da produção, mas pouco irá ofertar de benefício aos colaboradores.
          Os ganhos salariais, para variar, dependerão da concorrências entre empresas na busca por profissionais e estes ainda dependem de si para correr atrás de qualificação, porque a maioria das empresas não quer bancar isso só topando quando há dificuldade em conseguir mão de obra.
          Benefício tem em toda parte, privado e público. O primeiro, porque pagam baixos salários complementando por outros que não são tributáveis dando a falsa impressão que paga-se bem. O segundo, que tem altos salários, exageram em benefícios como se não fosse suficiente o salário acima da média.
          Empresário quer lucrar mais e membros públicos terem mais benefícios ou não perderem. O paul se quebra nos assalariados que se quiserem melhorar, ou viram empresários, tentam ter cargos públicos ou melhores no privado.

          • th!nk.t4nk

            Uma coisa interessante a respeito dessa busca por igualdade no tratamento de ricos e pobres: na Alemanha se você for pego em alta velocidade e for de classe média, leva a multa padrão (na faixa dos 200 €). Já se você for rico, existe um fator multiplicador pra fazer com que a multa de trânsito tenha um peso equivalente à sua renda. Dessa forma já teve jogador de futebol aqui que recebeu uma multa de mais de 500 mil Euros por trafegar em alta velocidade numa via lenta. No Brasil nao existe isso, entao o rico simplesmente manda um f***-se e paga as multinhas, que são trocados de bolso pra ele. Acaba nao tendo efeito nenhum em educar o sujeito.

            • RTEC30

              Que isso! Vão dizer que você está ofendendo os ideais de liberdade, está cometendo confisco, que este Estado é ineficiente. E pagar qualquer coisa proporcional a renda é desperdício e jogar dinheiro fora.
              Vão dizer que você é Petista, socialista ou qualquer “ista” ai.

          • 4lex5andro

            O pequeno problema é quem vai definir onde os recursos públicos vão ser devidamente empregados…

            Políticos e burocratas(?) pra variar né..

            Por quê será que nunca se fez uma reforma que, de fato, arranje a representatividade eleitor/eleito, como voto facultativo, distrital, recall de políticos.

            Tenhamos cautela ao avaliar e pesar como se fossem a mesma categoria, os empresários financiadores/amigos de governos e os empresários pequeno e micro que realmente geram empregos no país, mas não tem as linhas de crédito (em sua maioria CEF e BNDES) a juros baixos dos maiorais.

            Lucrar não é problema quando se advém de trabalho honesto sem coação de terceiros.

            Se qualquer fabricante quer subsídios, pra carros elétricos, por quê não dá-los, já que (infelizmente) não se extinguirão os impostos, para empreendimentos de BRT e metrô das grandes cidades..

        • Fellipe Z

          Good

      • Carlos Apollo

        Pagar 100% de IR? Quer igualar o rico na miséria.

    • Rbs

      Normal a existência do imposto. O problema é a quantidade valor e para onde estão ondo!

      • Leonardo

        Não diria nem a quantidade de impostos ser um problema, pois se fossem bem aplicados, não precisaríamos nos preocupar, porém o problema é o que fazem com o $$$

        • Rbs

          Eu cito quantidade por que quantidade gera burocracia e burocracia é uma porta para corrupção!

    • SDS SP

      Nós temos uma mentalidade muito “gado”. Queremos o estado como “babá”, mas essa tal babá custa cerca de 40% da nossa renda anual.

      • 4lex5andro

        Mentalidade de escravo mesmo, em sua maioria, de querer teto, água e comida de graça, ou então, bastante subsidiado.
        Mas isso tem um preço alto, que é ficar do lado de dentro do ”cercado”.

        Não existem direitos sem deveres correspondentes.

    • leitor

      Nos países livres se pagam impostos. O que ajuda é que têm pequenas taxas e cada um fica com boa parte. Ou se a taxa for maior e com serviços públicos atendendo a demanda com uma qualidade satisfatória.

      Somente os ricos para onde dinheiro flui como nos rios, ou pobres que não têm como pagar, não pagam.

  • Eric Locatelli Martini

    Eu queria incentivo para todos os modelos.

  • leomix leo

    Essa Boca enorme que a Ford coloca nos carros dela virou padrão mesmo né, até a Toyota cedeu e copiou.

  • Costarlc

    Se é para que o consumidor seja atraído aos automóveis híbridos, seria interessante que todo imposto fosse revertido em desconto para o consumidor e não incentivos às montadoras, semelhante como é feito com os PCDs.

  • Bandit

    O certo seria reduzir imposto a todos os modelos, não só os hibridos e eletricos que se for olhar no longo prazo vai é poluir mais que os que temos aí, ou acham mesmo que no Brasil irão descartar baterias de maneira ”correta” .

    • leitor

      A bateria descartada ainda tem matéria prima de qualidade com custo menor que a extração na natureza. Quem se interessar tem uma mina a disposição. E já tem fila.

  • Fanjos

    Fanjos aponta que Toyota tem que tomar vergonha na cara!

  • BlueGopher

    A população sofre com falta de tudo e ainda vamos incentivar carros?
    Num país pobre como o Brasil, dar incentivos fiscais para carros elétricos e híbridos é absurdo.
    Incentivos deveriam ser dados para melhorar a saúde, a educação, a alimentação, a segurança, o transporte público, as estradas, etc, etc.
    Vamos ser realistas e usar um pouco o bom senso, senhores fabricantes e políticos oportunistas.

    • mjprio

      Se vc falar isso pros PCD que compram SUV e agora compram até BMW e Land Rover com desconto então…
      Pergunto-me por que nao dar isenção pra próteses, remédios de uso continuado, e maior investimento em a acessibilidade????

      • leitor

        Ouvi outro dia que os descontos para PCD são apenas em carros de menor valor, abaixo de uns R$70mil. Não tenho certeza.

        • mjprio

          Este teto é pra isenção total de IPI e ICMS, acima desse valor ainda permanece um dos desocntos, so nao tenho certeza de qual

  • Senna ever

    É só não cobrar IPVA deles que já ajuda bastante o consumidor.

    • Cesar

      Aí tem que negociar com 27 governadores e mais de 5000 prefeitos.

      • Senna ever

        Pois é, o tamanho da dificuldade é proporcional ao benefício ao povo. Ou seja, se é pra ajudar de verdade a massa, os queridos políticos negam.

      • leitor

        Ou uma lei federal que não permita essa taxa exorbitante. Poderia ser bem menos da metade, já seria bom o bastante, inclusive para a arrecadação.

        • Cesar

          Não porque IPVA é imposto estadual e portanto, de acordo com o pacto federativo, Lei Federal não pode alterar.
          O impostos estaduais somente podem ser modificados com s concordância dos 27 governadores de Estado.

          • leitor

            Se houver uma lei federal limitando os estados não poderão cobrar mais que o limite estabelecido.

            • Cesar

              Já existe um limite. Hoje é de 4%.

              • leitor

                Falta a PF fazer o seu trabalho.

  • leomix leo

    Incentivo para um único modelo, Vlw Toyota, pq não para todos? Zerar tributos nessa cadeia superfaturada, é tributo em aço, alumínio, depois no P&D, na fabricação, na venda a CSS, e por fim para nós consumidores. Haja imposto. Basta zerar em uma dessas fases já reduz bastante o valor do carro.

  • Rodolfo Deo

    Incentívos fiscais não repassados aos consumidor

  • sigma7777777

    O Prius já está aparecendo bem no mercado de usados e é por aí que vai se dar a expansão. Só tenho um sedan médio por ser usado e provavelmente só terei um híbrido dessa forma. Que venha o Corolla hibrido e que vocês se desfaçam dele em 2 ou 3 anos, kkk

    • mjprio

      Tem um único porém nessa questão: a bateria e seu custo. Ha que se saber ate quando adquirir um híbrido seminovo pode valer a pena, quando inserimos esta questão

      • sigma7777777

        Acho que a Toyota ainda oferece 8 anos de garantia nisso, então um Prius com 3 anos de uso para um bom negócio.

        • detalhe: a bateria do Prius (e provavelmente também a do Corolla híbrido) não é blindada como a dos Ford, então é plenamente possível substituir uma célula defeituosa. Tá cheio de tutorial na Internet sobre isso. Tá certo que é um puta trabalho, mas é tecnicamente possível, ainda mais lá nos EUA que é cheio de Prius em desmanche (se não me engano uma célula “take-out” custa em torno de 50 dólares lá.

          E pra quem não põe a mão na massa por conta própria, tá cheio de empresa que faz o serviço.

  • Eduardo Sad

    A benevolência que a Toyota pede com a questão dos incentivos poderia iniciar-se na própria montadora, antes de estipular sua política de preços dos automóveis comuns com valores extremamente salgados! OU Talvez eu esteja sendo muito cruel e de fato um Yaris básico valha de fato 80mil

    • Danilo Pelucio

      Por que o fabricante vai abaixar seu preço se o mercado paga o que ele pede? É o que acontece no Brasil.

  • Ricardo Blume

    O problema do Brasil não são os impostos e sim o retorno que temos deles. Chega de dar arrego para montadoras. Precisamos exigir uma melhor aplicação do dinheiro público para a sociedade como um todo.

  • heliofig

    Não faz sentido nenhum um híbrido custar o mesmo que os flex, com o custo adicional da parafernália elétrica.
    O que faria sentido seria a redução geral dos tributos pelo governo, e em definitivo, já que se observa, sempre, o aumento de vendas com a redução de tributos.

    • mjprio

      Acho que ja ha ações neste sentido. De atribuir alíquotas em função do grau de emissão

  • Luis Burro

    Quer mais incentivo q tentar dar aos herdeiros a msma qualidade de ar q a atual???Pq com a poluição desenfreada a tendência é só piorar…então tdo q pedirem de incentivo fiscal é golpe pra aumentar o lucro!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email