India Suzuki Toyota

Toyota e Suzuki: parceria para projetos conjuntos começa na Índia

Toyota e Suzuki: parceria para projetos conjuntos começa na Índia

Toyota e Suzuki assinaram no Japão um acordo estratégico global de desenvolvimento e produção conjuntos. O negócio, que não teve valores revelados, promete iniciar-se pela Índia, mas não ficará limitado ao mercado local. África do Sul e “muitos outros países ao redor do mundo” deverão estar sob a nova parceria, que visa reduzir custos de P&D para lançar carros mais competitivos.


Além dos projetos acima, o desenvolvimento de mercado também fará parte do negócio entre os dois fabricantes nipônicos, que tem foco inicial da Índia, que servirá de experiência para atuação em outras regiões. Dessas, as duas empresas apenas citaram que o próximo passo será na África, onde pretende atingir muito mais mercados.

Pelo acordo, a Toyota fornecerá seu suporte de tecnologia de componentes, utilizando também a Denso. Já a Suzuki fornecerá uma plataforma compacta e versátil para o desenvolvimento de carros aparentemente baratos, já que o alvo parece ser mercados emergentes ou em desenvolvimento. Embora as duas companhias tenham assinado um entendimento sobre o assunto em fevereiro de 2017, só agora o acordo foi anunciado publicamente, mas ampliado para atuação global ao invés de se limitar ao mercado indiano, como era esperado.

Toyota e Suzuki: parceria para projetos conjuntos começa na Índia


Na Índia, a Toyota produzirá os carros da Suzuki, pois sua planta de produção tem espaço ocioso e assim conseguirá preencher essa lacuna. Para a marca parceira, será a oportunidade para ampliar as exportações aos mercados do continente africano, começando pela África do Sul, um país-cliente dos produtos indianos.

Mas, quais serão os outros mercados fora do eixo indo-africano? Na Europa, por exemplo, a Toyota tem fábrica na França e também na República Tcheca, enquanto a Suzuki produz na Hungria. Porém, se o desenvolvimento seguir de fato para os emergentes, o continente não deverá fazer parte desse acordo. Rússia e China podem se beneficiar, especialmente no segundo caso, pois quanto mais opções no maior mercado do mundo, maiores são as chances de crescimento por lá. Toyota e Suzuki possuem várias joint-ventures naquele país.

E por aqui? Atualmente a Toyota se prepara a chegada do Yaris, que será feito em Sorocaba e com vistas à exportação para o Mercosul e quem sabe alguns mercados da América Latina, visto que parte deles são clientes das operações tailandesas e indianas, que nesse segundo caso, adicionou recentemente o mesmo produto no mercado interno.

Já a Suzuki no Brasil está ligada ao grupo HPE, mesmo da Mitsubishi e faz apenas o Jimny. A marca japonesa tem presença tímida com Vitara e S-Cross importados. Não há espaço ocioso nas plantas da Toyota para produção eventual de carros da Suzuki, mas ao contrário. Dos 120 mil carros da fábrica da HPE em Catalão, possíveis anualmente, apenas 31 mil são feitos lá e até o JAC T40 se beneficiará disso. Poderia ocorrer aqui o inverso?

[Fonte: Economic Times]

 

Toyota e Suzuki: parceria para projetos conjuntos começa na Índia
Nota média 4 de 1 votos

  • Vitor

    Suzuki no Brasil está mais difícil de achar do que gasolina.

  • Samluzbh

    Ta demorando a Suzuki ser abraçada por uma grandona.

    • Rodrigo

      Eu acho que esse não é o caminho.
      A Suzuki já teve no passado boa parte de suas ações controladas pela GM e nem por isso cresceu o quanto precisava por aqui.
      Não sei em outros mercados, mas pelo que percebo a Suzuki foca num segmento offroad que, quer queira quer não, é bem restrito e de nicho. Somente nos últimos anos tem disponibilizado alguns veículos sem tração integral, mas ainda é uma presença bem tímida.

    • Vitor

      Também bem não sei é esse caminho.
      Acho que o universo automotivo está se concentrando cade vez mais em pocos grupos, sou a favor de que marcas como Suzuki, Subaru e Mazda investissem no Brasil, como já aconteceu com um pouco mais de disposição nos anos 90.
      Mas gostaria que viessem com suas identidades próprias e não como franksteins automotivos.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        A Suzuki está contente com o trabalho da Souza Ramos. Já a Mazda e a Subaru estão mais interessadas em manter suas posições nos EUA e a União Européia – não somos um mercado prioritário.

    • Fernando Bento Chaves Santana

      A exceção da Nissan as alianças de construtores nipônicos com empresas ocidentais não foram longe: A Mazda desfez a aliança com a Ford, a Suzuki desfez aliança com a GM e depois brigou feio com a VW, a Honda adquiriu Rover-MG-Land Rover no final dos anos 80, mas depois vendeu tudo para BMW por 1£. E mesmo o envolvimento entre construtores nipônicos é rara, existe uma verdadeira teia de acordos de cooperação técnica entre todas a marcas do arquipélago, mas poucas foram as alianças e fusões. Assim acho que o caminho das fabricantes nipônicas é garantir a independência por meio de aumentos de produtividade oriundos investimento em tecnologia.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Gosto bastante do atual Suzuki Baleno pois oferecer uma aproveitamento de espaço interno muito superior à média da categoria. Mas é o tipo de carro que jamais teremos aqui devido ao foco da Suzuki do Brasil em SUVs.

    • Unknown

      Interessante mesmo este Suzuki Baleno.

    • Fabio Marquez

      Achei o design dele muito bem resolvido, bonito mesmo.

  • Zé Mundico

    A Toyota já pratica essa sinergia com outras nipônicas em outros mercados. O próprio Etios é um projeto feito em parceira com a Mazda destinado ao mercado indiano, como produto de baixo custo.

  • sigma7777777

    A Suzuky lançou nesta semana o Corolla com se logo no mercado indiano, portanto essa parceria já existe. Vejam lá no site Indian Autos Blog.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email