Toyota SW4 Diesel Hybrid já em 2022? É o que dizem na Ásia

Toyota SW4 Diesel Hybrid já em 2022? É o que dizem na Ásia

Na Austrália, a Toyota havia afirmado que até o fim da década, a marca japonesa teria uma gama de veículos elétricos e híbridos para a linha de modelos utilitários leves, incluindo aí a picape Hilux e o SUV SW4.


Contudo, parece que essa previsão não é para os próximos anos, mas já para 2022. Segundo o site australiano CarAdvice, a SW4 Hybrid surgirá no próximo ano e com um modelo compartilhando a tecnologia, só que não é a Hilux.

Toda a coisa vem não do continente dos marsupiais, mas do arquipélago indonésio, que está se destacando cada vez mais no mercado automotivo mundial com lançamentos de efeito global.

Um desses seria a Toyota SW4, que lá é conhecida como Fortuner. O relato de produção já em 2022 surgiu a partir de uma reportagem da CNN Indonésia, relatado com mais detalhes pelo site local Autoindustriya.

Toyota SW4 Diesel Hybrid já em 2022? É o que dizem na Ásia

A alegação é de que o produto em questão não é exatamente a SW4, mas a minivan Innova, que é derivada do SUV e vendida, por exemplo, em nossa vizinha Argentina.

Nesse caso, a informação fala da produção da Innova Hybrid, que compartilharia o conjunto híbrido diesel com a SW4. Os planos de produção para o país asiático contempla 10 modelos híbridos até 2026 e isso também inclui a Hilux.

Ainda que a SW4 Diesel Hybrid seja fabricada na Indonésia, seu alcance será limitado, visto que é a Tailândia que concentra as exportações da Toyota para o Sudeste Asiático, Índia e Austrália.

Toyota SW4 Diesel Hybrid já em 2022? É o que dizem na Ásia

Isso também não significa que veremos em Zárate tal modelo tão cedo, diferente do motor diesel 1GD 2.8 atualizado para 204 cavalos e 50,9 kgfm. Aliás, ainda não se sabe qual motor será usado na SW4 híbrida, mas as opções seriam os GD’s.

Além deste, há também o 2GD 2.4, que não é vendido no Mercosul, tendo ele 150 cavalos. Para um SUV híbrido desse porte, a Toyota deve usar o motor menor com modificações para que o mesmo seja usado também como gerador.

Já o motor elétrico ficaria alojado na caixa de transmissão de seis ou oito marchas, deixando o resto do conjunto igual ao das versões diesel comuns. No caso da bateria de níquel-hidreto metálico ou lítio, esta deve ficar sob o habitáculo.

[Fonte: CarAdvice]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.